TJSC suspende cláusula de concurso que proíbe tatuagens em bombeiros

O desembargador substituto Rodolfo Tridapalli deferiu parcialmente tutela antecipada requerida para tornar sem efeito cláusula de edital que desclassifica pretendentes que ostentem tatuagens corporais, inscritos em concurso público para ingresso na carreira de bombeiros militares.

 “A discussão em lume tem referência na então conhecida limitação de candidatos que possuem tatuagens aos quadros da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Com singela brevidade, destaco que este relator entende que a cláusula editalícia é discriminatória, sem dúvidas”, anotou o desembargador no acórdão.
Contudo, a concessão da tutela antecipada ocorreu de maneira parcial porque o pleito buscava originalmente anular todo o concurso público em andamento. O pedido foi considerado desproporcional tanto em 1º quanto em 2º grau.
O desembargador Tridapalli suspendeu a cláusula que sustentava a eliminação de eventuais candidatos tatuados aprovados, porém apenas em relação àqueles já inscritos no certame. O agravo de instrumento será redistribuído para posterior julgamento do mérito (AI n. 2013.044018-7).

Da Assessoria de Comunicação do Tribunal de Justiça (Ascom TJSC)

Notícias Recentes:

Diretoria Executiva da ACORS convoca Assembleia Geral Extraordinária
ACORS se reúne com secretário estadual da Administração para tratar sobre o SPSM
ACORS realiza alinhamento com entidades parceiras para o Projeto de Integração Regional em Blumenau
Entidades realizam reunião para definir ajuste final da proposta de valorização institucional