Clipagem: DC 22Dez09 – Informe Político (Roberto Azevedo)



  • GUERRA DECLARADA

    \

    O ano termina como começou. Os praças da Polícia Militar e dos Bombeiros Militares em pé de guerra com o governo e o comando das duas corporações. O outdoor da foto está instalado em frente ao Centro Administrativo, em Florianópolis, onde, horas antes, o governador havia recebido os oficiais para dizer que o abono de R$ 2 mil sai no ano que vem, já que Luiz Henrique não tirará férias em função da desistência de Pavan em assumir. Os praças vão receber um abono de R$ 250, de acordo com o governo. Para a Aprasc, o governo não cumpre a parte que ainda vale da Lei 254, que reajustou os salários da Segurança Pública, e acusa o governo de não honrar o compromisso com a categoria. A entidade afirma que o abono de R$ 2 mil é maior do que o salário de 9,5 mil praças.



  • De volta


    O vice-governador Leonel Pavan despachou normalmente no Centro Administrativo, durante a segunda-feira, mesmo não tendo comparecido à reunião com os oficiais militares.

    Entre os despachos, Pavan debruçou-se sobre o projeto do Centreventos de Balneário Camboriú. Não há confirmação se Pavan conversou com o companheiro de partido Rubens Spernau, que passa por momentos delicados depois que um acidente de automóvel, envolvendo o filho do ex-prefeito, provocou a morte de três pessoas e deixou outra em estado grave.

  • Notícias Recentes:

    Entidades realizam reunião para definir ajuste final da proposta de valorização institucional
    Presidente da ACORS apresenta entidade aos novos integrantes do CFO da PMSC
    Entidades representativas da Segurança Pública se reúnem para apoiar projeto de valorização institucional
    ACORS lança segunda edição do Programa de T&D em Liderança