ACORS defende aprovação do texto original do PL 065.7/2013, sem as emendas propostas pelo relator.

A ACORS está mobilizando os parlamentares catarinenses a fim de que aprovem, sem emendas, o conteúdo do PL 065.7/2013, de autoria do Governo do Estado. No ofício, endereçado aos deputados estaduais, a ACORS destaca  a necessidade de aprovação do texto original do PL e o provável desequilíbrio de forças entre Estado e Município caso a competência para analisar e fiscalizar projetos residenciais e prediais seja privativa aos municípios. 

Confira a íntegra do conteúdo publicado no portal da Alesc, no http://agenciaal.alesc.sc.gov.br/index.php/noticia_single/comissaeo-de-financas-aprova-projeto-sobre-normas-de-seguranca-contra-incen

 Comissão de Finanças aprova PL sobre normas de segurança contra incêndio

Em análise desde fevereiro deste ano, o Projeto de Lei (PL 65/2013), que dispõe sobre de prevenção e segurança contra incêndio, cumpriu mais uma etapa de sua tramitação na manhã desta quarta-feira (10), ao ser aprovada pela Comissão de Finanças e Tributação.

O texto, que confere ao Corpo de Bombeiros Militar o poder de polícia administrativa, foi aprovado por maioria, com os votos contrários dos deputados Sargento Amauri Soares (PDT) e Luciane Carminatti (PT).

De autoria do governo do Estado, o texto recebeu duas emendas modificativas, apresentadas pelo relator, deputado Darci de Matos (PSD), que também garantem às entidades conveniadas com os municípios, a possibilidade de interditar estabelecimentos em situação irregular também.

Contrários às iniciativas, Luciane e Amauri Soares ressaltaram que as alterações promovidas por Darci são inconstitucionais, uma vez que esta função só pode ser exercida por instituição pública. “Sob a luz da Constituição Federal e dos debates aqui realizados, defendo o projeto original, conforme veio do governo”, disse Soares. “Estas emendas não abrem a possibilidade, mas restringem aos bombeiros voluntários o poder de interdição nos municípios conveniados com a corporação”, acrescentou Carminatti.

O autor das emendas reconheceu que os dispositivos são um pleito dos Bombeiros Voluntários e do prefeito de Joinville, mas destacou que não visam uma instituição em particular, resguardando às municipalidades os poderes restritos aos entes públicos, mas abrindo a possibilidade do exercício de fiscalização e interdição a qualquer instituição que esteja conveniada com a prefeitura. “As municipalidades poderão optar entre os bombeiros voluntários ou militares”, assegurou.

Com a aprovação, o projeto segue para as comissões de Trabalho, Administração e Serviço Público, de Segurança Pública e de Constituição e Justiça em função da emenda aprovada. A expectativa é que a matéria vá à votação em Plenário antes do recesso parlamentar, programado para o dia 17.

 

 

 

Notícias Recentes:

ACORS se reúne com a presidência do IPREV para tratar do SPSM
Diretoria Executiva da ACORS se reúne para deliberação de ações da associação
Comissão divulga cartilha para composição de chapas para as eleições da ACORS
Prestação de contas da ACORS é aprovada por unanimidade