Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 4 de novembro

4.11.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 4 DE NOVEMBRO

 

ASSUNTO: Infanticídio

VEÍCULO: Notícias do Dia

Samara Melo estrangulou filho e escreveu carta antes de se suicidar

Após matar o filho de apenas 6 anos por esganadura, Samara Melo, 25, escreveu uma carta pedindo desculpas à família e informando que abreviou a vida do menino às 23h11 de domingo. Com base nas informações da irmã Franciele, a polícia disse que Samara teria feito aquilo porque o marido, pai do menino Rodrigo Sousa, a abandonou.

Mãe e filho foram encontrados mortos na mesma cama, por volta das 7h de ontem. Foi Franciele a primeira a chegar à casa da irmã. Ela registrou boletim de ocorrência ontem de manhã na 1a DP de Forquilhinhas, em São José, e disse que foi surpreendida pelo que aconteceu.

Franciele não sabia que a irmã havia se suicidado e falou que passou na casa do sobrinho por que tinha um compromisso cedinho com Samara. Encontrou a porta fechada, bateu e ninguém atendeu. Ao dar a volta na casa, percebeu a janela lateral aberta por onde avistou a mãe e o filho, ambos mortos.

Samara estava com os pés e mãos amarrados e tinha um saco plástico na cabeça. No pescoço do menino, havia marcas de esganadura. Pelos vestígios, a polícia acredita que ela enforcou a criança com as mãos e depois se matou por asfixia. Franciele disse ainda que a irmã apresentava um quadro depressivo. “Aos 13 anos ela tentou o suicídio”, falou para o policial.

Ela ressaltou no boletim de ocorrência a indignação de a foto da irmã e do sobrinho ter sido publicada na internet logo após a ocorrência. A reportagem tentou ouvir Franciele, após ela registrar boletim de ocorrência, mas não obteve êxito.

 

ASSUNTO: Violência em boate

VEÍCULO: Notícias do Dia

Tiroteio em boate causa uma morte

Um jovem de 19 anos baleado durante um tiroteio na madrugada numa boate em Porto Alegre morreu ontem de manhã. Tiago Querubim Silveira havia sido levado logo após o crime para o Hospital de Pronto-Socorro, Centro da capital gaúcha, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo a direção do hospital, ele estava no bloco cirúrgico e aguardava um leito na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A morte ocorreu às 10h. O hospital informou que atendeu outras dez pessoas com ferimentos de arma de fogo logo após o tiroteio na boate – quatro mulheres e seis homens, incluindo um adolescente de 17 anos. Desses feridos, quatro já tinham sido liberados.

A Polícia Civil informou que o total de feridos é de 16 – um atendimento foi registrado em um hospital de Viamão (região metropolitana) e outra vítima foi levada para uma unidade na zona norte da cidade.

A confusão na boate Stuttgart Cervejaria ocorreu por volta das 3h30. Homens armados atiraram contra frequentadores, provocando um grande tumulto. A Polícia Civil diz que há indícios de que tenha ocorrido um confronto de gangues rivais dentro da casa noturna.

Policiais prenderam cinco pessoas que podem ter relação com o crime. Segundo o delegado Filipe Bringhenti, PMs perseguiram durante a madrugada um automóvel que poderia ser do grupo envolvido no tiroteio.

Os ocupantes do veículo trocaram tiros com a polícia, tentaram fugir e foram capturados mais tarde em um outro carro. Um dos suspeitos foi baleado. Com eles, a polícia afirma ter encontrado a chave de outro automóvel que tinha sido deixado no estacionamento da casa noturna. A Stuttgart Cervejaria fica no bairro Santana, a um quilômetro da sede da Polícia Civil, perto de um hospital e de campi da Universidade

 

ASSUNTO: Encontro de Bombeiras

VEÍCULO: Portal do CBMSC

CAPACITAÇÃO E ENCONTRO REÚNE BOMBEIRAS DE TODO ESTADO EM LAGES

O 3° Encontro e Capacitação das Bombeiras Militares de Santa Catarina reuniu profissionais de todo o Estado na última sexta-feira (31/10), em uma oportunidade de confraternização, troca de informações e discussão das questões de gênero na corporação. A comissão organizadora recepcionou as militares da ativa e da reserva remunerada no Clube Caça e Tiro 1° de Julho em Lages, cidade sede do 5° Batalhão.

Durante o período da manhã foram abordados temas como a saúde da mulher, com apoio da Secretaria Municipal de Saúde, e ginástica laboral, oferecida pela equipe da Universidade do Planalto Catarinense – UNIPLAC.

No período da tarde a Subtenente PM RR Margareth Hach Pratts apresentou o aguardado simpósio com o tema “Mulher Militar”- oportunidade em que descreveu a trajetória das primeiras militares estaduais, suas dificuldades, alegrias e lutas. “É uma história que se mescla com a minha, mas todas poderão se ver nas mesmas situações, pois ainda hoje temos muito espaço a conquistar, com profissionalismo e técnica”, afirmou.

O evento contou ainda com atividades de descontração, estandes com produtos de saúde, moda, beleza e equipamentos de bombeiro.

A 2° Tenente BM Polliana Muller Giacomin, membro da comissão organizadora, explica que “oportunidades como esta servem para que nós possamos nos comunicar com aquelas que estão mais distantes de uma maneira mais pessoal, pois há locais onde há apenas uma ou poucas femininas trabalhando”.

Na assembléia geral ficou acordado que o próximo encontro será em Itajaí, sede do 7° Batalhão.

A abertura que contou com a presença do Comandante-Geral, Coronel BM Marcos de Oliveira, do Comandante da 2ª Região Bombeiro Militar, Coronel BM Egon Carlos Heizen, do Diretor de Ensino, Tenente Coronel BM Edupércio Pratts, do Comandante do 5° Batalhão e anfitrião, Tenente Coronel BM Aldo José Franz, do Diretoro Sd PM Elisandro Lotin – Presidente da APRASC, e representando o Deputado Estadual Amauri Soares o Subtenente BM RR Laudemir Antônio de Souza.

 

ASSUNTO: Acidente com viatura da PM

VEÍCULO: Portal Extra.com

Jovem morre após ser atropelado por viatura da PM em comunidade com UPP

Luiz Claudio Andrade Baltazar, de 17 anos, acabara de encerrar o expediente como entregador de pizza, na madrugada do último sábado, por volta de 2h, quando foi lançado a metros de distância depois de uma batida com uma viatura da PM na esquina entre a Rua Itajaí e a Avenida Brasil, em Realengo, Zona Oeste do Rio — mais precisamente na comunidade do Batan, que conta com uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). As circunstâncias da morte do adolescente tem versões conflitantes entre o o relato da família, o que os PMs envolvidos disseram na delegacia e a nota enviada pela Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP).

Segundo parentes de Luiz, que teve a morte cerebral decretada no Hospital estadual Albert Schweitzer pouco mais de 24 horas após o acidente, o jovem parou sua moto ao lado de uma praça ao avistar o carro da PM se aproximando. Mesmo assim, ele teria sido atingido em cheio pelo veículo dos policiais, que ficou com a parte dianteira totalmente danificada.

— Ele deixou o baú da moto em casa depois do trabalho e foi encontrar uns amigos. No caminho, uma viatura só com o giroscópio aceso passou por ele e por outros dois colegas, que estavam numa segunda moto. De repente, o carro deu meia-volta e voltou na toda na direção dos meninos, todo apagado. Meu sobrinho ainda parou, mas não teve chance — diz Paula Cristina Pestana, de 37 anos, tia de Luiz.

No entanto, a versão que os policiais militares apresentaram na 33ª DP (Realengo), onde o caso foi registrado como lesão corporal culposa (quando não há intenção), é bem diferente. De acordo com a Polícia Civil, os agentes relataram que o próprio adolescente bateu na viatura, enquanto tentava escapar da perseguição de uma outra. Mesmo no hospital, onde deu entrada com traumatismo craniano, Luiz chegou a ser autuado por dirigir sem habilitação.

A CPP, por sua vez, fornece uma terceira versão sobre o ocorrido, que desmente o próprio relato dos PMs na delegacia. O órgão informou que o adolescente acelerou numa tentativa de fuga ao perceber a aproximação de uma viatura. Após perder o controle ao passar por um quebra-molas, o carro teria atingido uma árvore, e o impacto causou o desmaio dos policiais. Ainda segundo a coordenadoria, "os PMs não sabem explicar como o motociclista caiu".

Os parentes de Luiz reclamam também de uma suposta demora no socorro à vítima, que teria levado mais de duas horas para ser concluído. Testemunhas contam ainda que um dos policiais ameaçou plantar uma arma junto ao corpo do adolescente. O PM só teria desistido da ação após ser flagrado por testemunhas, que começaram a filmar o local do acidente e a movimentação dos agentes.

— Ele pegou a arma debaixo do banco da viatura, mas todo mundo começou a gritar que estava vendo o que ele queria fazer. O pessoal sacou um monte de celular, e um outro PM ainda disse: “Quem tirar foto ou filmar, depois vamos pegar” — garante Paula.

Luiz era o mais velho de cinco irmãos. Para auxiliar a mãe, que é viúva, ele interrompeu os estudos no início deste ano. Durante o dia, o rapaz entregava quentinhas pelo bairro. À noite, trabalhava na pizzaria, cujo dono é proprietário da moto que ele guiava no momento do acidente. Parentes e amigos estão convocando uma manifestação para a próxima sexta-feira, quando caminharão da casa da família até a sede da UPP para protestar contra a morte do adolescente.

— O enterro só poderá ser feito na próxima quarta-feira. Como minha irmã autorizou a doação dos órgãos, é preciso esperar alguns exames, para encontrar receptores compatíveis. Estamos sofrendo muito — desabafa Paula.

A informação chegou inicialmente através do WhatsApp do EXTRA (21 99644-1263 e 21 99809-9952). Veja, abaixo, a íntegra das notas enviadas pelos órgãos públicos.

Coordenadoria de Polícia Pacificadora

"Segundo a comandante da UPP Batan, capitão Joyce Leite, uma equipe policial da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Batan, em Realengo, estava baseada na entrada da comunidade (Rua Itajaí, esquina com a Avenida Brasil), pouco depois das 2h do último sábado (1/11), quando viu duas motos com os faróis apagados e com os ocupantes sem equipamentos de segurança (uma com dois ocupantes e outra apenas com o piloto) trafegando na contramão da Avenida Brasil. Os policiais pegaram a viatura, ligaram a sirene e o giroflex e tentaram abordar as motocicletas. A moto que estava com os dois ocupantes parou, enquanto o motociclista da segunda acelerou. Os agentes desconsideraram a que parou e foram atrás da que fugiu. Próximo ao Posto 200, na altura do número 127 da Rua Itajaí, a viatura perdeu o controle em um quebra-mola e se chocou contra uma árvore. Os policiais desmaiaram com o impacto da batida e foram socorridos por policiais em uma outra viatura que chegou logo depois ao local. Os PMs não sabem explicar como o motociclista caiu. Os dois soldados que estavam na viatura policial foram socorridos pela outra equipe que chegou na sequência, enquanto uma ambulância do Samu foi acionado pelo serviço 193 para socorrer o adolescente. Todos foram levados para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo.

O comando da UPP Batan abriu uma averiguação sumária para apurar as circunstâncias da ocorrência e as devidas responsabilidades. A supervisão da UPP conversou com a mãe da vítima no hospital e se colocou à disposição da mesma para o que ela precisasse. A ocorrência foi registrada na 33ª DP (Realengo), que apura os fatos."

Polícia Civil

“De acordo com informações da 33ª DP (Realengo), o caso foi registrado como lesão corporal culposa. Segundo os policiais militares, que socorreram o rapaz, ele bateu em uma viatura quando fugia de outra. O menor foi autuado por dirigir sem habilitação e foi encaminhado para o hospital. Foi realizada perícia no local e familiares e testemunhas estão sendo chamados para prestar depoimento. As investigações estão em andamento.”

Secretaria estadual de Saúde

“A direção do Hospital estadual Albert Schweitzer informa que o paciente Luiz Claudio Andrade Baltazar deu entrada na unidade neste sábado (01) com traumatismo craniano. O paciente foi internado em leito de terapia intensiva, onde, após exames, foi confirmada a morte cerebral neste domingo (2).”