Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 16 de julho

16.7.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 16 DE JULHO

 

COLUNISTA HÉLIO COSTA – Notícias do Dia

Parceria

OAB/SC e Polícia Militar querem estreitar ainda mais as relações, visando ao entendimento das funções de cada uma. Como forma de promover o esclarecimento sobre os limites do “poder” dos advogados e policiais militares durante uma ocorrência, serão realizadas palestras nas unidades, nas quais PMs femininas estão sendo capacitadas – Canoinhas, Lages, Tubarão, São Miguel do Oeste e Florianópolis. A palestra será realizada simultaneamente em todas as regiões no dia 30 de julho.

 

COLUNISTA CARLOS DAMIÃO – Notícias do Dia

Guerra sem fim

Os relatos de violência em Blumenau e Criciúma dão o que pensar. Nunca na história as duas cidades, mais distantes do litoral, viveram uma situação tão alarmante de insegurança. E não é que falte policiamento, é que nas duas, como em Florianópolis, o crime prosperou mais rápido do que os efetivos policiais. Digamos que, mal comparando com o futebol, o crime ganha de goleada.

 

ASSUNTO: VIOLÊNCIA SEXUAL

VEÍCULO: DIÁRIO CATARINENSE

RIO NEGRINHO: Filha fugiu de casa e relatou abuso à polícia há seis anos

Jovem disse em depoimento que o pai a ameaçava e mantinha relações sexuais com ela, mas depois mudou a versão

Um inquérito concluído em 2008 e localizado pelo delegado Thiago de Freitas Nogueira, de Rio Negrinho, revela que as ameaças e os abusos sexuais do homem de 45 anos, suspeito de estuprar duas das três filhas e ter três crianças com cada uma delas – a mais jovem, de 22 anos, está grávida do quarto filho –, já eram conhecidas da polícia.

Segundo Nogueira, o homem registrou um boletim de ocorrência pelo desaparecimento da filha mais velha, que na época tinha 18 anos de idade. Após ser encontrada, a adolescente apareceu na delegacia e disse à polícia que fugiu de casa porque o pai a ameaçava e mantinha relações sexuais com ela.
Na época, a garota já tinha gerado um filho do próprio pai. Mais tarde, a jovem prestou novo depoimento e mudou a versão, inclusive relatando que ela era quem assediava o pai, e o inquérito foi arquivado, segundo o delegado.
– Isso mostra que ele (o pai) a convenceu de contrariar a primeira versão – ressaltou o delegado.
Por causa da descoberta, o inquérito policial que apura o envolvimento do homem com as filhas será encaminhado hoje para o Fórum de Rio Negrinho. Enquanto isso, a família tenta reconstruir a vida após a prisão. Em entrevista à RBS TV de Joinville, a conselheira tutelar Vera Lúcia de Oliveira, de Rio Negrinho, afirmou que as vítimas receberão acompanhamento do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas). Até ontem, a família ainda não havia recebido a visita de assistentes sociais.
– A gente vai dar total cobertura à família, fazer o encaminhamento ao Creas, para que essas crianças e as mães possam ter o acompanhamento psicológico que elas precisam neste momento – disse.
Possibilidade de mudar para Florianópolis é repensada
Ontem, a mulher do homem preso voltou a conversar com a reportagem. Segundo ela, a família pensava em morar em Florianópolis com a ajuda de um parente, mas a possibilidade agora está sendo repensada. De imediato, eles pretendem sair da casa atual para morar na área urbana de Rio Negrinho.
– Vai dar muito trabalho irmos para Florianópolis agora. Vou tentar resolver o meu problema primeiro para depois pensar no que fazer – explicou a mulher.
O homem preso na madrugada da última sexta-feira está no Presídio Regional de Mafra e deve responder pelos crimes de estupro de vulnerável (violência sexual contra crianças de até 14 anos), com pena que varia de oito a 15 anos de prisão; e estupro comum (violência a jovens acima de 14 anos), com pena que varia de seis a 10 anos.

SÉRIE DE ESTUPROS: Suspeito é preso em Biguaçu

Um homem de 55 anos foi preso em Biguaçu na manhã de ontem. Ele é suspeito de estuprar duas crianças, de 9 e 10 anos, nas ruas da cidade. Com a prisão, a Polícia Civil encerrou um dos cinco inquéritos de abuso sexual abertos desde abril.
Segundo o delegado Attilio Guaspari Filho, as vítimas fizeram o reconhecimento do homem na delegacia e ele foi encaminhado à Penitenciária de Florianópolis. Para encerrar os outros quatro casos, a polícia segue com as buscas por homens armados que estariam aterrorizando as mulheres da cidade. As denúncias são de que eles utilizam um carro antigo.
– Quanto mais informações, mais pistas vamos ter para chegar aos criminosos – enfatiza o delegado.
A série de casos de estupros em Biguaçu tem mudado a rotina dos moradores. A direção de uma escola pública do município passou um comunicado aos pais e alunos para tomarem medidas de segurança no caminho entre a casa e o colégio. Um dos casos investigados pela polícia envolve uma das alunas da unidade, de 14 anos. Ela foi atacada por volta das 18h, quando se dirigia à escola para ter aulas no período noturno, há cerca de um mês.
– Eu já sabia de alguns casos, porque todo mundo está comentando na cidade. Quando o carro chegou perto, eu fiquei tensa e apressei o passo. Foi quando eles deram a ordem para que eu entrasse. Então eu corri – contou uma jovem de 21 anos que conseguiu fugir dos homens.
Polícias e comunidade reforçam prevenção
Devido à repercussão dos casos, o prefeito de Biguaçu José Castelo Deschamps recebeu representantes das polícias Militar e Civil para tratar sobre as medidas de segurança. O caso é tratado como prioridade nas unidades de segurança, que pediram apoio da população.
– Falsas informações ou notícias sem consistência têm sido veiculadas nas redes sociais, aumentando o clima de pânico nos moradores e atrapalhando as investigações – diz o delegado Guaspari Filho. A orientação é que qualquer informação seja repassada nos telefones 181 (Polícia Civil) e 190 (Polícia Militar).
A comunidade também se mobiliza. Mais de 250 pessoas confirmaram presença em evento marcado pelo Facebook. O encontro será em frente à prefeitura de Biguaçu na tarde de amanhã.

 

ASSUNTO: VIOLÊNCIA NO TRÂNSITO

VEÍCULO: DIÁRIO CATARINENSE

CASO MARISTELA: Decisão leva jovem a júri popular

O jovem Julio Cesar Leandro, 21 anos, vai a júri popular no Alto Vale do Itajaí pela acusação de tentativa de homicídio qualificado. Segundo o processo, ele atropelou Maristela Moraes Stringhini em abril deste ano.
A mulher foi arrastada por 800 metros ao ficar presa na Saveiro do rapaz depois de uma discussão de trânsito. Maristela estava na moto com o noivo, quando caiu do veículo.
A decisão veio no dia em que a vítima saiu do hospital após 93 dias internada. Ela voltou para casa, em Lages, na Serra, mas vai continuar o tratamento. Uma vez por semana ela terá de ir a Rio do Sul fazer curativos e se preparar para a cirurgia plástica.
A pronúncia da Justiça de Rio do Sul para que Leandro sente no banco dos réus foi publicada ontem à noite. Ele também responderá por tentativa de homicídio contra Wolni José Amorim, o noivo de Maristela.
A defesa do acusado ainda pode recorrer da decisão no Tribunal de Justiça (TJ). Caso seja mantida a decisão e a defesa não recorra, será marcado o júri. O juiz também negou o direito do acusado de recorrer em liberdade.

 

ASSUNTO: MENORES INFRATORES

VEÍCULO: DIÁRIO CATARINENSE

Complexo vai atender região Oeste

Foi assinado na tarde de ontem, em Chapecó, a ordem de construção dos Centros de Atendimento Socioeducativos (Casep e Case). O complexo terá 60 vagas para abrigar os adolescentes infratores da região Oeste.
As duas unidades já existem na cidade, mas ao todo têm 30 vagas e sofrem constantemente com a falta de espaço e estrutura precária para atender os menores de 18 anos que cometem atos infracionais.
Os novos centros serão construídos um ao lado do outro, em um terreno próximo ao Presídio Regional e à Penitenciária Agrícola, no bairro Efapi. Serão investidos R$ 11,9 milhões e o prazo de conclusão é de 18 meses.
Segundo o secretário de Justiça e Cidadania (SJC), Sady Beck Júnior, a nova unidade também deve contar com profissionais como psicólogos, pedagogos e assistente social.
Quando a obra iniciar, a estrutura existente deve ser demolida e os adolescentes serão remanejados para outras unidades do Estado.

 

ASSUNTO: 1ª RPM

VEÍCULO: PORTAL DA PMSC

Na Capital: Comando da 1ª RPM reúne ex-comandantes

Na tarde da última quarta-feira (09), o comandante da 1ª Região de Polícia Militar (RPM), coronel João Henrique Silva, reuniu na sede da região os ex-comandantes da unidade. Estiveram presentes o tenente-coronel Cláudio Gomes, e os coronéis da reserva Edson Carlos Ortiga, Nilton dos Santos Filho, Itamar Farias Diniz, Hélio Manoel de Barcelos, César José Rosa, Ib Silva, Valmir Cabral, Mário César Simas, Manoel Gomes Filho, Fred Harry Schauffert, Anselmo Souza, além do atual comandante-geral da Coporação, coronel Valdemir Cabral. O momento teve por escopo a confraternização, a troca de experiências e a apresentação da Galeria dos Ex-Comandantes revitalizada. A reunião foi permeada por muita emoção, pois permitiu o reencontro entre antigos conhecidos que compartilharam os momentos de angustia, satisfação, preocupação e decisões muitas vezes solitárias que somente aqueles que passaram pela 1ª Região de Polícia Militar puderam ter a honra de experimentar.

Muitas foram as manifestações de contentamento com o encontro. Retornar ao quartel do Comando da 1ª Região depois de muitos anos afastados fez com que aqueles que estão na reserva externassem o sentimento de alegria com o evento, afinal são poucas as oportunidades em que se pode reunir oficiais de tantas gerações diferentes, pois, ali estavam comandantes com antigos comandados e alunos com seus antigos instrutores.

Durante o evento o coronel João Henrique lembrou que o tenente-coronel Almir Silva, atual chefe do Estado Maior da 1ª RPM, estava entrando de Licença Especial e logo em seguida passaria para a Reserva Remunerada. O comandante da Região elogiou a forma dedicada e brilhante com que o oficial trilhou sua carreira na PMSC, tendo os oficiais ex-comandantes que tiveram a oportunidade de trabalhar com o tenente-coronel Almir manifestado o mesmo sentimento de admiração.

Fizeram uso da palavra o primeiro comandante da 1ªRPM (na época Comando do Policiamento da Capital), coronel RR Edson Carlos Ortiga, o coronel RR Itamar Farias Diniz terceiro na linha de sucessão, o coronel RR Ib Silva sétimo a assumir o comando e o décimo sexto comandante, coronel Valdemir Cabral, que disse ter sido a 1ª Região um Comando especial para consolidar sua preparação para galgar o Comando Geral da Corporação.
Todos foram unânimes em destacar a importância do Comando Regional para a Polícia Militar de Santa Catarina, importância esta alicerçada em todos os Batalhões subordinados e em seus efetivos.
O encontro só foi possível de ser realizado face a dedicação de todos os policiais militares lotados no Comando da 1ª RPM, que não mediram esforços para que todos os detalhes fossem concebidos com o mais absoluto esmero. Muitos destes policiais tiveram a oportunidade de rever seus antigos comandantes, que fizeram questão de passar em todas as seções para cumprimentá-los, fato que deixou a todos emocionados.