Área do associado

Área do associado

Clipagem de 23 de julho

23.7.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 23 DE JULHO

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

A Polícia Militar nas ruas

Apesar de contar com um efetivo reduzido, a Polícia Militar de Santa Catarina vem executando uma nova política de presença ostensiva nas ruas de Florianópolis e de outros municípios do Estado onde há graves problemas de criminalidade.
A operação desencadeada na comunidade de Chico Mendes, na área continental da Capital, revelou que nessas áreas encontra-se a origem e a raiz do tráfico de drogas, a causa principal dos roubos, assaltos e assassinatos na Grande Florianópolis. Outras áreas igualmente infestadas de traficantes já foram vasculhadas e sofreram uma limpeza da Polícia Militar.
Importante nessa nova gestão comandada pelo coronel Valdemir Cabral é que essa presença mais ostensiva acontece no centro e ruas principais dos mais populosos bairros da cidade. São blitze inesperadas, circulação mais frequente de policiais com viaturas, a cavalo ou de motocicletas. Tudo isto dá aos cidadãos uma nova sensação de segurança. Que pode não ser real e efetiva, mas contribui para alertar a bandidagem.
Duas são as questões levantadas agora com essa forte presença da PM nas ruas: 1. Por que esta intervenção não acontecia antes? 2. Por que os últimos governos não planejaram o aumento do efetivo da corporação?
De acordo com as estatísticas, o efetivo atual da Policia Militar é inferior aquele que operava há 30 anos. A população aumentou, a criminalidade se aprimorou e o sistema policial estagnou.

 

ASSUNTO: AEROPORTOS DE SC

VEÍCULO: Diário Catarinense

MENOS VOOS, MAIS PASSAGEIROS: Aeroportos regionais de SC têm bom começo

Terminais em Joinville, Navegantes, Criciúma e Chapecó fecharam o primeiro semestre com crescimento no número de usuários, apesar da decisão das companhias de reduzir oferta de frequências em algumas regiões. Apenas Florianópolis sentiu queda

O primeiro semestre do ano fechou com alta na movimentação de passageiros em quatro de cinco aeroportos do Estado no primeiro semestre do ano. Apenas o terminal de Florianópolis teve queda no número de pousos e decolagens e de pessoas transportadas no período.
No caso do Aeroporto Internacional Hercílio Luz, nem a Copa do Mundo conseguiu aquecer os resultados. O número de pousos e decolagens em junho de 2014 foi 15,1% menor que no ano passado. O mês de abertura da Copa foi o pior do semestre no aeroporto da Capital.
Na análise do presidente da Santur, Valdir Walendowski, a queda nos aeroportos catarinenses é reflexo do desaquecimento da economia. Para ele, enquanto os turistas estrangeiros viajavam pelo país com destino aos jogos da Copa, os turistas brasileiros, empresários e viajantes a trabalho suspendiam os embarques.
Já no Aeroporto Internacional de Navegantes, apesar da queda de 18,6% no número de voos no primeiro semestre, o total de passageiros transportados teve alta de 9,2%. Para o superintendente do terminal, Marco Aurélio Zenni, a redução foi uma estratégia das companhias aéreas, que optaram por enxugar a malha.
– Mesmo com a redução da oferta de assentos, o número de voos está atendendo satisfatoriamente os passageiros – afirma.
Zenni reforça que a partir de setembro, com as festas regionais de outubro e a alta temporada se aproximando, as companhias devem aumentar a oferta de voos.
O Aeroporto Municipal Serafin Enoss Bertaso, em Chapecó, registrou um aumento de 11,5% no número de embarques e desembarques no primeiro semestre. Para o segundo semestre, a expectativa do prefeito José Cláudio Caramori (PSD) é que a Azul retome os dois voos diários para Florianópolis, os quais deixou de operar em abril em função de ajustes na malha aérea para a Copa do Mundo.
– Em maio, montamos uma comissão que foi à sede da companhia em Campinas reivindicar a retomada desses voos. A Azul informou que nos daria uma resposta depois da Copa e estamos esperando – disse Caramori.
De acordo com o administrador do aeroporto, Eglon Buraseska, a companhia tem a intenção de recuperar a operação desses voos em Chapecó e oferecer aeronaves maiores para Florianópolis. Além disso, a Tam solicitou informações à administração do terminal, mas ainda não confirmou um pedido de operação à Anac.

Joinville é destaque em crescimento

Os ventos estão soprando a favor do Aeroporto Lauro Carneiro de Loyola. De cinco terminais em operação em Santa Catarina, o de Joinville foi o que registrou o maior crescimento no volume de passageiros no primeiro semestre deste ano.
De janeiro a junho, 230,9 mil pessoas embarcaram ou desembarcaram em Joinville, o que representa um incremento de 36,9% na comparação com o mesmo período de 2013. Enquanto todos os outros terminais tiveram menos pousos e decolagens no período, Joinville ampliou os embarques e desembarques em 51%. Dois novos voos para Porto Alegre e São Paulo, que começaram a operar em setembro do ano passado, também ajudam a explicar o aumento de embarques e desembarques.
Esse volume tende a aumentar ainda mais nos próximos meses, já que os números do primeiro semestre foram contabilizados antes da homologação do Instrument Landing System (ILS). O sistema que facilita aterrissagens de aeronaves em condições climáticas adversas começou a operar apenas no dia 27 de junho, mas toda a expectativa criada no processo contribuiu para o crescimento do número de passageiros no período, avalia Rones Heidemann, superintendente do Aeroporto de Joinville:
– Tanto se falou do ILS que, de uma forma subjetiva, isso influenciou nessa evolução. Muitos passageiros de Joinville que iam para Curitiba ou Navegantes retornaram, mais confiantes.
Como o sistema começou a funcionar a pouco menos de um mês, ainda é cedo para calcular o impacto que o ILS trará na movimentação de aviões e passageiros em Joinville. A expectativa é que a performance do terminal melhore em 61% com o sistema – só em 2013, o aeroporto ficou 339 horas sem operar por causa do mau tempo.
Heidemann projeta que, até o fim do ano, o Aeroporto de Joinville receba 500 mil passageiros. O secretário de Desenvolvimento Econômico de Joinville, Jalmei Duarte, vai além e estima um movimento de 600 mil pessoas em 2014 e de até um milhão em 2015.

Governo diz que Avianca tem interesse em Jaguaruna

O Aeroporto Regional Sul Humberto Ghizzo Bortoluzzi, localizado em Jaguaruna, no Sul de Santa Catarina, negocia com TAM e Gol o início das operações no terminal, homologado em abril deste ano. Em agosto, a RDL Aeroportos, que administra o terminal, fará reuniões com as duas empresas para tratar dos serviços.
Enquanto isso, uma terceira empresa pode estar de olho em Jaguaruna. O governo de Santa Catarina divulgou na tarde de ontem que o vice-presidente da Avianca, Tarcísio Gargioni, esteve no Centro Administrativo, em Florianópolis, para tratar dos projetos da companhia no Estado. Entre eles, um estudo de viabilidade para no Sul.
O governo alega que fornecerá as informações técnicas e econômicas para embasar o estudo da Avianca. Porém, a assessoria de imprensa da companhia, que atualmente opera em Florianópolis e Chapecó, não confirma as negociações por Jaguaruna.
A RDL recebeu com surpresa a notícia da visita do vice-presidente da companhia ao governo do Estado. O gerente de operações da RDL, Fernando de Castro, afirmou que em nenhum momento foi procurado pela Avianca para fornecer qualquer tipo de informação.
Atualmente, o aeroporto de Jaguaruna recebe apenas voos executivos, particulares e oficiais, numa média de 150 passageiros por mês. Quando as operações regulares forem iniciadas, a proposta é embarcar até 90 mil passageiros no primeiro ano, 350 mil entre o terceiro e o sexto ano e um milhão de pessoas a partir do oitavo ano.

 

ASSUNTO: ONDA DE CRIMES

VEÍCULO: Diário Catarinense

Chico Mendes é ocupada pela PM

Operação policial visa diminuir violência na parte continental

Em meio a onda de crimes na região continental de Florianópolis, a Polícia Militar (PM) ocupou ontem a comunidade Chico Mendes. Uma base móvel e unidades especializadas ficarão no local por tempo indeterminado.
A presença dos PMs está concentrada no viaduto de acesso à comunidade, na Avenida Josué Di Bernardi. Eles realizam incursões, barreiras e cumprem mandados de prisão.
Dois assassinatos este ano, um deles em razão de uma briga em uma festa, além da rivalidade do tráfico de drogas, estariam por trás da violência deflagrada por gangues.
Ontem envolvidos teriam saído para uma execução na comunidade da Grota, mas se depararam com a PM. Na fuga, eles invadiram a casa de uma família. Na troca de tiros com os PMs, um suspeito morreu. Ele foi identificado como Tandy Jeferson Kremer. Outro foi baleado, identificado apenas como Tiago.
Policiais afirmam que há uma guerra sendo travada por criminosos do Morro da Caixa – onde houve operação há um mês – e a comunidade da Grota. Ainda segundo os policiais, a vingança de mortes anteriores seria a motivação dos criminosos para realizar as tentativas de execução.

“Os crimes estão cada vez mais violentos”

Cel. Paulo H. Hemm – subcomandante-geral da PM

Consumo e tráfico de drogas e brigas de quadrilhas são os principais motivos, segundo a PM, para crimes na região continental de Florianópolis

DC – Há uma série de crimes acontecendo no Continente. Qual o motivo?
Paulo Henrique Hemm – Não estamos nos embasando apenas nisso. Estamos com serviço de policiamento e intensificando as operações em todo o Estado. Mas notamos que estão aumentando os crimes e eles estão cada vez mais violentos no Continente.

DC – Há alguma razão específica?
Hemm – Consumo e o tráfico de drogas, também há desavenças, brigas de quadrilhas que estão buscando se tornar mais presentes.

DC – Como a PM vai agir?
Hemm – A polícia tem que estar nesses lugares e vai reforçar o policiamento com uma grande operação que já está em andamento, onde estão sendo feitas incursões, há base móvel, Bope, 22º Batalhão e policiamento aéreo.

DC – E essa tentativa de execução que ocorreu ontem de manhã na comunidade da Grota e que acabou com tiroteio?
Hemm – Os integrantes dessas gangues não esperavam a presença da polícia, que estava na região.

 

ASSUNTO: ARTIGO

VEÍCULO: Diário Catarinense

O papel dos patrulheiros rodoviários, por Marcelo Pontes*

A violência no trânsito, motivada pelo desrespeito às leis e pela irresponsabilidade de muitos, é a segunda maior causa de mortes no país.
Os estudos divulgados em 2010 e 2013 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam uma grave epidemia letal no trânsito no mundo. Só em 2010, ocorreram 1,24 milhão de mortes por acidente de trânsito em 182 países. No Brasil, as estatísticas mostram que esta violência, motivada pelo desrespeito às leis e pela irresponsabilidade de muitos motoristas, é a segunda maior causa de morte no país, à frente dos homicídios. Os dados ainda revelam que a maior incidência desses acidentes está inserida no trânsito rodoviário que, pelas suas características, principalmente por causa das altas velocidades, tornam as ocorrências mais graves, ceifando vidas da forma mais bruta possível.
Para combater essa triste realidade, há o trabalho árduo e comprometido dos valorosos patrulheiros rodoviários. Homens e mulheres, que diuturnamente dedicam suas vidas em prol da segurança daqueles que utilizam as nossas rodovias. Esses profissionais, que enfrentam e presenciam diariamente a dura realidade do nosso violento trânsito, merecem todo o nosso carinho, respeito e admiração. Onde o rádio não fala, onde o sinal de celular não existe, haverá sempre um patrulheiro rodoviário focado nas virtudes que norteiam as suas ações e não medindo esforços para proporcionar segurança.
O espírito rodoviário que incentiva e contagia cada um desses profissionais nos indica o caminho a seguir na prática do bem e na prestação de um serviço de qualidade. Honramos a farda que vestimos e com muito orgulho encerramos cada jornada de serviço com a consciência do dever cumprido. Que o Dia do Patrulheiro Rodoviário sirva de reconhecimento ao trabalho desses profissionais, mas que sirva de reflexão a todos sobre nosso papel e responsabilidade em por um trânsito mais humano e seguro.

*MAJOR DA PM, CHEFE DE OPERAÇÕES DO BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR RODOVIÁRIA. MORADOR DE FLORIANÓPOLIS

 

ASSUNTO: 25º BPM

VEÍCULO: Portal da PMSC

Em Navegantes: ações comemoram os 05 anos de criação do 25º BPM

O comando do 25º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Navegantes, visando comemorar a passagem de 5 anos de criação da unidade operacional, que se dará em 16 de dezembro, planejou várias atividades e eventos para acontecerem ao longo do ano. Dentre elas estão a publicação da história da Polícia Militar em Navegantes, ação que conta com a parceira da Associação Comercial e Industrial de Navegantes, que disponibilizou uma página de sua revista bimestral para publicação do arquivo oficiais do 25º BPM, bem como, acervo de Policiais Militares da ativa e reserva.

Abrilhantando as comemorações, iniciou nesta segunda-feira (21), no aeroporto Ministro Vitor Konder de Navegantes, uma exposição de artigos militares com peças que vão desde a época imperial a atualidade.

O acervo histórico exposto pertence ao Museu Major Lara Ribas da Polícia Militar de Santa Catarina, localizado na cabeceira da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis.  A exposição ocorrerá até a próxima sexta-feira (25), e estará aberta ao público das 0h às 24h (horário de funcionamento do aeroporto).

ASSUNTO: 4ºBBM

VEÍCULO: Portal do CBMSC

ASSUNÇÃO DE COMANDO E ENTREGA DE EQUIPAMENTOS EM SOMBRIO

     

 

Solenidade militar celebrada na quinta-feira (17/07) no quartel do Corpo de Bombeiros Militar de Sombrio, no Extremo-Sul do Estado, marcou a Assunção de Comando do 2º Pelotão da 3ª Companhia do 4º Batalhão BM pelo 2º Tenente BM Vinicius Moura Marcolim e a entrega de materiais e equipamentos à unidade operacional.

O evento foi prestigiado por autoridades civis e militares, entre elas o Major BM Aldrin Silva de Souza, que no período respondia pelo Comando do 4ºBBM, e os prefeitos de Sombrio e Balneário Gaivota, Zenio Cardoso e Ronaldo Pereira da Silva, respectivamente.

Além do ato de assunção de comando, houve a entrega de equipamentos e materiais adquiridos por meio de recursos de convênios firmados com as prefeituras locais e investimentos do Governo do Estado e da Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP). Foram entregues na ocasião:

– 01 Quadriciclo (Recursos Governo do Estado)

– 03 Conjuntos de Equipamentos de Proteção Respiratória – EPR (Recursos Governo do Estado)

– 02 Conjuntos de Equipamentos de Mergulho (Recursos Governo do Estado)

– 01 Desencarcerador elétrico (Recursos SENASP)

– 01 Carreta de reboque para combate a incêndio florestal (Recursos Prefeitura de Sombrio)

– 02 Hastes de estabilização veicular, Coletes de APH, Luvas para resgate, palco de ferramentas em lona antichamas, kit método Start (lonas e pulseiras) (Recursos Prefeitura de Sombrio)

“Os materiais e equipamentos adquiridos em parceria fortalecem o serviço operacional, promovendo a melhora nos serviços à comunidade”, ressaltou o novo comandante, 2º Tenente BM Marcolim.

Homenagens

A solenidade em Sombrio rendeu homenagens ao comandante substituído, 1º Sargento BM Célio Pereira, pelos bons serviços prestados à Corporação e especialmente ao 2º/3ª/4ºBBM no período em que esteve a frente da OBM.

A carreta de reboque desenvolvida para combate a incêndio florestal recebeu seu nome, como reconhecimento do efetivo ao nobre colega que idealizou e não mediu esforços para que o equipamento se tornasse realidade.

 

ASSUNTO: AUXÍLIO MORADIA E ALIMENTAÇÃO

VEÍCULO: Correio Braziliense

TJ mantém reajuste dos auxílios moradia e alimentação a PMs e a bombeiros

Por decisão unânime, desembargadores entendem como válidos os decretos do governo local que garantiram o reajuste dos benefícios. Impacto será de R$ 93 milhões até o fim do ano

O Conselho Especial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) decidiu nessa terça-feira (22/7) manter a vigência dos decretos do governo que tratam sobre o pagamento dos auxílios moradia e alimentação de policiais e bombeiros militares. Por unanimidade, os 15 conselheiros foram contrários ao pedido liminar do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), que pretendia suspender a eficácia das medidas e a devolução dos valores pelos beneficiados até o julgamento final da ação. Os desembargadores entenderam ser possível a edição de normas distritais para regulamentar o assunto no âmbito do DF. Não cabe recurso da decisão, mas a resolução do mérito da matéria não foi decidida.
A tese defendida pelo MPDFT é de que a edição de decretos pelo chefe do Executivo para tratar sobre o regime remuneratório dos militares do Distrito Federal é de competência exclusiva da União, por meio de legislação federal. “Como ato administrativo é inferior à lei, o decreto não pode substituí-la, contrariá-la nem ir além do que ela permite, por isso, a afronta é de clareza solar. Não há como admitir que um decreto distrital altere um anexo veiculado em lei federal, a respeito de remuneração de carreiras que são organizadas e mantidas pela União”, destacou o MPDFT, em ação direta de inconstitucionalidade.
O relator da matéria, no entanto, desembargador Romão Oliveira, entendeu que os valores dos auxílios estavam defasados e que, por isso, os reajustes, por meio de decretos, seriam legais. Ele também afastou a relevância jurídica e o perigo da demora do caso para a concessão da liminar. Além disso, destacou que lei federal autorizou a regulamentação da matéria pelo governador. Todos os demais desembargadores acompanharam o voto de Romão. O governador do DF, Agnelo Queiroz, comemorou a decisão. “Ela mostra que o governo estava certo e teve a coragem necessária para enfrentar um problema que é uma distorção salarial e que, agora, tem o respaldo da Justiça”, disse.