Área do associado

Área do associado

Clipagem de 18 a 20 de julho

20.7.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 19 DE JULHO

 

COLUNISTA UPIARA BOSCHI – Diário Catarinense

Lupa

A promotora Mariana Pagnan da Silva, de Joinville, abriu investigação para apurar eventuais irregularidades no contrato entre o Estado e a Montesinos, que presta serviços na Penitenciária Industrial da cidade. Chama atenção porque a unidade é considerada modelo no sistema prisional de Santa Catarina.

 

COLUNISTA YULA – Notícias do Dia

Atendimento prioritário

Uma ótima notícia para toda a comunidade palhocense. A fila de espera por atendimento às vitimas de abuso sexual no município está zerada. A ampliação dos serviços contribuiu com o Serviço de Proteção e Atendimento a Famílias e Indivíduos. Vítimas de violência físicas e psicológicas, vítimas de exploração sexual ou de afastamento do convívio familiar estão sendo atendidas prontamente no Centro de Referência Especializado, no centro da cidade. No início do ano, mais de 250 casos aguardavam apoio, o que chegava a demorar cerca de sete meses. Agora, com a contratação de mais assistentes sociais, pedagogos e psicólogos, é possível o acompanhamento de todos os casos registrados no município, com monitoramento que chega a durar até um ano.

 

COLUNISTA HÉLIO COSTA – Notícias do Dia

Ministério Público

O Ministério Público está acompanhando de perto as denúncias do sistema de radiocomunicação da Segurança Pública. O governo paga peso de ouro por um serviço que não funciona. A comunicação analógica da polícia é tão ruim que os policiais civis não usam mais o rádio. Apesar de o equipamento estar aposentado nas gavetas, a segurança pública paga caro como se ele estivesse sendo usado. Somente a Polícia Militar utiliza o equipamento com reservas. O alto comando já ressaltou preocupação por estar sendo rastreado pela criminalidade. A Secretaria de Segurança Pública paga por um serviço de primeiro mundo, mas lhe é oferecido um serviço de terceiro mundo. Todas estas onerações e até os possíveis casos de improbidades administrativas estão sendo revista pelo Ministério Público. Com toda esta gastança por um serviço que deixa a desejar, não se consegue entender por que SSP continua na modulação analógica e não quer fazer licitação para o sistema digital como orienta a Agência Nacional de Telecomunicação. No digital não há possibilidade de os bandidos rastrearem a polícia.

 

ASSUNTO: RONDA

VEÍCULO: Diário Catarinense

Policiais militares são atingidos por tiros durante abordagem em Florianópolis

Dupla em motocicleta teria atirado nos policiais por volta de 1h30min deste sábado

Dois policiais militares foram atingidos por tiros na madrugada deste sábado em Florianópolis. O fato ocorreu embaixo de um viaduto nas proximidades da entrada para a comunidade Chico Mendes.
Segundo a Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), os PMs faziam uma abordagem quando uma dupla passou em uma motocicleta disparando contra eles. Os suspeitos fugiram logo em seguida.
Os policiais atingidos tiveram ferimentos e foram levados ao hospital. Nesta manhã eles já haviam recebido alta e estavam prestando depoimento no setor de Corregedoria da PM.
O Copom não soube informar o nome dos policiais envolvidos e que parte do corpo os tiros atingiram. Também não há suspeita do que pode ter motivado o ataque contra eles.
O caso será investigado pela 4ª Dp, no Estreito.

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 20 DE JULHO

COLUNISTA CACAU MENEZES – Diário Catarinense

Reparação

As recorrentes queixas dos consumidores contra as empresas de telefonia têm data para acabar. Em decisão do Juizado Especial Cível e Criminal da Trindade, uma conhecida operadora foi punida por ter cometido o erro de desligar o celular de um delegado da Polícia Federal, sem aviso prévio, atrapalhando o andamento do seu trabalho de combate ao tráfico internacional. A ação promovida pelo advogado Luiz Augusto Cavaler da Silva condenou a ré a pagar R$ 20 mil por danos morais ao delegado.

 

ASSUNTO: VEÍCULOS ADULTERADOS

VEÍCULO: Diário Catarinense

Clonadores de carros estão na mira da polícia

Aumento de casos de adulteração de automóveis amplia a investigação sobre quadrilhas especializadas nesse tipo de crime

Impactada com o aumento dos casos de adulteração no mercado ilícito de veículos, a polícia catarinense mira esforços para identificar e prender quadrilhas especializadas nesse tipo de crime.
A clonagem de modelos, principalmente caminhonetes e carros com alto valor de mercado, está em pleno vapor em regiões como a Grande Florianópolis, onde há variedade de modalidade criminosa em atuação.
Uma delas é a oferta de carros pela internet com valores inferiores aos praticados por revendas. Um atrativo que pode representar prejuízo ao interessado, que acaba ludibriado por golpistas e também pode estar sujeito às penalidades legais.
Na garagem da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), em Florianópolis, há diversos carros modelo i30, da Hyundai, apreendidos em operações policiais.
Uma das artimanhas dos criminosos é comprar carros acidentados com perda total. A partir disso, encomendam o furto de um veículo da mesma marca e modelo (de preferência da mesma cor).
O carro furtado então é levado para um galpão e desmanchado. As peças do veículo batido são colocadas no novo, que volta a ter condições de circular e é vendido com a documentação legal.
Em Santa Catarina, isso é feito com frequência em caminhonetes, diz o delegado da Divisão de Furtos e Roubos da Deic, Rodrigo Bortolini, que alerta:
– Não há milagre, tem que desconfiar do preço abaixo ao de mercado. Eu aconselho ainda a evitar carro de outro Estado porque não se consegue facilmente ter acesso ao histórico.
Índice de recuperação de veículos é alto
Na clonagem há responsáveis por furtos, receptação, adulteração, venda, os que cuidam de placas, documentos e até notas falsas de peças para dificultar a fiscalização da polícia. Recentemente, desconfiadas de investigações, as quadrilhas passaram a colocar placas de cidades catarinenses ao invés de outros Estados, como era feito.
– Há um aumento expressivo de apreensões de veículos adulterados e as adulterações estão cada vez melhores. Percebemos também que muitas estão sendo feitas em carros mais luxuosos – relata o diretor da Deic, delegado Akira Sato.
A Deic conta com um setor que trabalha com a adulteração de veículos, onde os policiais observam multas geradas, fazem análise de automóveis, analisam o histórico e as diversas origens de ilicitudes para descobrir esse tipo de delito.
Um fator positivo em meio aos furtos e roubos de veículos no Estado é o índice de recuperação pelas polícias Civil e Militar. Em maio foram levados 1.561 veículos e recuperados 1.041. Em abril, dos 1.337 levados, a polícia encontrou 860.

Roubo em São José pode ter relação

Cinco carros zero-quilômetro roubados de uma revenda da Hyundai, em São José, na Grande Florianópolis, no dia 11 deste mês, logo levaram a polícia a suspeitar de um destino: iriam para o mundo da clonagem de veículos.
Até agora não se sabe se foi esse realmente o destino dos carros – quatro já foram localizados, após serem abandonados pelos criminosos e apenas um ainda não foi encontrado. A polícia evita dar novas entrevistas sobre o caso.
A linha de investigação sobre clonagem ainda não estaria descartada, pois há chance de os ladrões terem se livrado dos carros depois que perceberam que eles não haviam sido abastecidos nem com a quantidade mínima de cinco litros. Por isso, não conseguiram levá-los adiante e os abandonaram pela região.
Em Florianópolis, a polícia prendeu há 10 dias um casal no bairro Santa Mônica negociando um i30 clonado no estacionamento de um supermercado. O homem de 27 anos portava uma pistola calibre .22, documentos falsos e procuração para transferir o veículo. O carro clonado estava com anúncio de venda em um site de negócios.

 

ASSUNTO: ESTUPRO

VEÍCULO: Diário Catarinense

As duas faces de um pesadelo

Preso por abusar e engravidar duas filhas, pai também era descrito como trabalhador, tranquilo e superprotetor

A prisão de um homem de 45 anos surpreendeu Rio Negrinho, município de 40 mil habitantes no Planalto Norte, na sexta-feira da semana passada. Suspeito de abusar sexualmente de duas filhas e de ter três filhos com cada uma delas, o pai também era conhecido como trabalhador, tranquilo e superprotetor.
Cercados pelo verde da mata e das plantações de pinus, o marido, a esposa e os 15 filhos – nove dele com a esposa – moravam juntos em uma casa simples, à margem de uma estrada de chão e distante cerca de dez quilômetros da área urbana da cidade. A sobrevivência da família vinha do salário do patriarca e da filha mais velha, que trabalhavam no corte e reflorestamento de pinus.
A tranquilidade da natureza, porém, contrastava com a violência física e emocional que a esposa e as filhas relataram à polícia que sofriam.
A notícia surpreendeu um casal que mora a um quilômetro da casa do agricultor. Eles disseram conhecer o suspeito há pelo menos oito anos.
– Eu já tinha perguntado de quem eram os filhos das meninas. Uma vez ele me disse que uma das crianças era filha de um motorista de ônibus. As vezes, ele saía de moto ou de trator com uma das filhas para o mato dizendo que ia buscar um machado que tinha esquecido ou para terminar algum serviço, mas nunca desconfiamos – revela a vizinha, que prefere não ter o nome divulgado.
Ela ainda conta que o agricultor, inclusive, frequentava a casa dos vizinhos, tomava chimarrão e fazia churrasco. No fim de ano ou no aniversário de algum filho, fazia festas e se divertia com as crianças jogando futebol no gramado dos vizinhos.
– Eu sentia que as meninas eram bem tristes. Uma das vezes que falei com a mais velha, ela disse que o sonho dela era arrumar uma casa e ir embora com os filhos – lembra.

Sem qualquer tipo de indício na escola

Orientadora escolar diz que os filhos das jovens nunca deram sinais de sofrimento

As duas filhas abusadas sexualmente pelo pai frequentaram a escola normalmente. A mais velha, de 24 anos, estudou até a 4ª série e a de 22 anos concluiu o ensino fundamental em uma escola distante cerca de 15 quilômetros da casa onde a família mora atualmente.
A orientadora pedagógica da jovem lembra que quando engravidou, a jovem suspendeu os estudos e disse que o pai não havia deixado ela e o suposto pai da criança ficarem juntos.
A mulher trabalha há 12 anos na escola e hoje acompanha também as outras seis crianças da família que estudam no período da tarde. Segundo ela, quatro são filhos das mulheres abusadas pelo pai.
– Nunca desconfiamos de nada porque as crianças sempre estavam alegres e não apresentaram nenhum sinal de que havia abuso sexual em casa. Geralmente, as crianças ficam retraídas e têm outro comportamento quando isso acontece – alerta.
O caso foi descoberto pela escola quando uma delas, de 8 anos, procurou a orientadora pedagógica para falar sobre o assunto. Chorando, ela relatou que o pai havia sido preso por causa de uma briga que tinha acontecido em casa.
Segundo a diretora da escola, a esposa do suspeito procurou a instituição nos dias seguintes para solicitar o atestado de frequência das crianças, já que eles estariam de mudança para Florianópolis. Durante a conversa, a mulher contou que um dos filhos, de 15 anos, sabia dos abusos cometidos pelo pai contra as irmãs.
– Ele falava que o pai era muito ruim, mas nunca falou nada sobre os abusos. Há dois meses, vinha dizendo que quando o tio chegasse, ele iria embora de casa – lembra.
Um dia após a prisão, o adolescente foi o primeiro a viajar e não compareceu na escola. Ele continua matriculado, assim como as outras cinco crianças. A diretora do educandário garante que irá liberar as transferências apenas quando a mãe apresentar o atestado de vaga em outra escola.

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 21 DE JULHO

COLUNISTA UPIARA BOSCHI – Diário Catarinense

Pensão vitalícia

Um abaixo-assinado na internet questiona o pagamento de pensões vitalícias de R$ 28 mil mensais aos ex-governadores de Santa Catarina. A ideia é levar as assinaturas até o Supremo Tribunal Federal (STF) que analisa desde 2007 uma ação direta de inconstitucionalidade sobre o benefício – considerado irregular em Estados como o Mato Grosso do Sul. A causa ainda não parece ter sensibilizado os internautas: até a noite de ontem, apenas 1.770 pessoas assinaram.

 

COLUNISTA CARLOS DAMIÃO – Notícias do Dia

Cada vez pior

O crescimento anormal de Florianópolis agravou a questão da segurança pública nos últimos anos. Não há mais polícia que dê conta. Cidadãos que saem para aproveitar a vida noturna são assaltados na cara dura, nas portas de restaurantes e bares. Quem estaciona

o carro nas ruas por 10 ou 15 minutos, por qualquer motivo, tem desagradáveis surpresas ao voltar ao veículo: os bandidos roubam tudo, de objetos sem valor a estepes, equipamentos de som ou macacos.

 

ASSUNTO: FORÇA AÉREA

VEÍCULO: Diário Catarinense

RISCOS NO CÉU: Militares realizam treinamento

Pilotos de batalhões que atuam em operações de acidentes aéreos participam de exercícios em Florianópolis até 2 de agosto

Aviões verdes da Força Aérea Brasileira continuarão riscando o céu azul de Florianópolis nos próximos dias. Na manhã desta segunda-feira mais 70 militares chegam do Rio de Janeiro a bordo de dois Hércules C-130 para a segunda etapa de uma manobra de salvamento e lançamento de fardo que teve início na semana passada e vai até 2 de agosto.
O objetivo do exercício é a formação e a manutenção de pilotos e observadores sediados em missões de busca e resgate, fundamentais em operações envolvendo acidentes. O treinamento consiste na busca de pontos em mar e terra, como também no lançamento de kits de sobrevivência.
As aeronaves e os militares pertencem aos esquadrões 1o Grupo de Transporte e 1o Grupo de Transporte e Tropa, os mesmos que trabalharam nas missões que encontraram partes da fuselagem do voo Air France 447, em 2009, e também atuaram no acidente do voo Gol 1907, em 2006.
De acordo com o 1o Tenente Aviador Antonio P. Damasceno, esse tipo de treinamento repete-se na cidade por Florianópolis reunir atrativos como ter a Baía Sul disponível nas proximidades do aeródromo, o que propicia aos militares condições de treinamento bem próximas às encontradas no mar; além de pontos que favorecem o lançamento de kits de sobrevivência e busca na terra.

ASSUNTO: CAPACITAÇÃO DOS BOMBEIROS

VEÍCULO: Portal do CBMSC

FORMAÇÃO BM NA ÁREA DE PRODUTOS PERIGOSOS É REFORMULADA

     

 

A Coordenadoria de Produtos Perigosos do CBMSC iniciou na segunda quinzena de junho, com os alunos do Curso de Formação de Soldados (CFSd) em fase de capacitação no Centro de Ensino Bombeiro Militar (CEBM) na Capital, a fase de aplicação da nova metodologia de ensino e formação Bombeiro Militar na área.

Totalmente remodelada, a disciplina de Atendimento a Emergências com Produtos Perigosos (EPP) passa agora a priorizar o conhecimento e a adoção de padrões de atuação em ocorrências do tipo e a prática dos procedimentos de segurança a serem adotados nas mais diferentes situações envolvendo substâncias perigosas, sejam elas tóxicas, corrosivas ou explosivas.

Após receberem as instruções teóricas acerca das medidas de segurança em emergências com PP, os alunos participam de oficinas práticas que envolvem a montagem e uso de barraca de descontaminação, utilização e adaptação da roupa de proteção química (4 níveis de proteção), manuseio de materiais de contenção e absorção, montagem de biruta e uso equipamentos de detecção diversos.

Ao término da capacitação é realizado um simulado no qual os participantes adotam praticam o que aprenderam e atuam como equipes de intervenção do CBMSC, de forma organizada e segura. Todas as orientações de segurança para Emergências do tipo foram reunidas em um Manual que é entregue para cada formando ao término do curso.

Primeiras turmas

A nova metodologia foi aplicada inicialmente com os alunos do CFSd em formação no CEBM. Sob coordenação do Tenente-Coronel BM César de Assumpção Nunes, presidente da Coordenadoria de PP, atuaram nas instruções os 1º Tenente BM Fernando Ireno Vieira, 2º Tenente BM Marcos Leandro Marques, 2º Tenente BM Oscar Barbosa Júnior, 2º Tenente BM Marcelo Della Giustina e o Aspirante-a-Oficial BM Bruno Golin Sprovieri – também integrantes do grupo especializado.

Padronização

A Coordenadoria de Produtos Perigosos do CBMSC deve editar ainda em 2014 uma Diretriz Operacional para o Atendimento a Emergências envolvendo Produtos Químicos e Perigosos, padronizando a atuação Bombeiro Militar neste tipo de ocorrência em todo o Estado, e ainda definir um cronograma de capacitação/reciclagem da tropa em nível de Estado para ser executado em 2015.

As mudanças englobam também a adequação do módulo de EPP do Curso de Formação de Oficiais (CFO), que passará a agregar no processo a ferramenta gerencial de operações através do Sistema de Comando de Operações (SCO).