Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 01 de outubro

1.10.2013

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 01 DE OUTUBRO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Chá de banco

Governador Raimundo Colombo esperou por 55 minutos a chegada do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para a aula inaugural da nova turma de mil soldados PM, no teatro Ademir Rosa. Cardozo justificou a demora jogando a culpa nos constantes atrasos em voos.

Valeu esperar

Ao final da palestra, Cardozo foi aplaudido de pé pelos mil futuros policiais. O sucesso foi tanto que superou a reclamação do atraso. O ministro falou sobre a influência do poder nas pessoas.

Ausência sentida

Ada de Luca, secretária de Estado da Justiça e Cidadania, não compareceu ao evento com o ministro Cardozo. A explicação é de que se tratava de evento da SSP. Vale lembrar que a aproximação entre Colombo e Cardozo se deu por conta da crise no… sistema prisional.

 

COLUNISTA CACAU MENEZES – Diário Catarinense

Perfil do soldado

Comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nazareno Marceneiro, que hoje comemora mil dias no cargo, traçou o perfil dos mil novos soldados da PM incorporados ontem em solenidade em Florianópolis: 78% são casados; 71% são de Santa Catarina; 29% de outros Estados, principalmente Rio Grande do Sul e Paraná; a idade média dos novos policiais é de 26 anos; todos têm curso superior com graduação em direito, principalmente, administração, educação física e tem até gestor de política ambiental. E cada gata!

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

Aprasc repudia decisão do PDT

Nota oficial da Aprasc solidarizou-se com o deputado Amauri Soares e repudiou sua expulsão pelo PDT. Deu estocadas: “O deputado Soares nunca se aliou ou se vendeu para qualquer governo, nunca se rendeu à troca de seus princípios por cargos ou benefícios pessoais. O PDT abandonou os trabalhadores em troca de um fisiologismo pernicioso à política”.

 

COLUNISTA ROBERTO AZEVEDO – Notícias do Dia

Fechado

Ex-candidato a prefeito de Palhoça, na eleição que parece não ter fim, o coronel Ivon de Souza já oficializou a saída do PSDB e a entrada no PR. Foi recebido de braços abertos pelo deputado federal Jorginho Mello, presidente do PR, que foi só elogios a Ivon, visto como partidário de grande potencial para o futuro da sigla.

Revigorado

O deputado Sargento Amauri Soares assina hoje a ficha de filiação no PSOL, na assembleia, na presença do presidente estadual da sigla, o vereador Afrânio Boppré.  Soares deixa o partido irritado, com o uma enorme nota de apoio da Aprasc, entidade à qual representa, e revigorado para prosseguir na carreira. O PDT só lhe deu munição e tem tudo para não ter o mandato.

 

COLUNISTA CARLOS DAMIÃO – Notícias do Dia

Testemunho

O deputado Amauri (sargento) Soares sempre foi um estranho no ninho do PDT catarinense. Comunista assumido, do chamado grupo “Prestista” (que segue o ideário do líder Luiz Carlos Prestes), com uma longa história de coerência ideológica e disciplina política e intelectual, ele raras vezes esteve confortável no partido fundado por Leonel Brizola

 

COLUNISTA PAULO ALCEU – Notícias do Dia

Satisfeito

“Estou fazendo um PR a minha cara. Já estamos em 160 municípios do estado e trabalhando sério,” afirmou o deputado Jorginho Mello destacando que o coronel Ivon de Souza, de Palhoça, que assinou ficha no partido ontem, terá com certeza uma cadeira na Assembleia conquistada em 2014.

Sintonia

Depois dos incidentes em 2012 e 2013, com os ataques a ônibus, o governador Raimundo Colombo e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, produziram uma aproximação que estabeleceu uma relação de amizade. Ontem, Cardozo esteve na Capital para falar aos novos mil PMs onde elogiou Colombo no combate a criminalidade e alertou sobre os perigos do poder “que muda o caráter das pessoas”.

 

ASSUNTO: Deputado Sargento Amauri Soares

VEÍCULO: Notícias do Dia

Entrevista

Após a expulsão do PDT, o que o motivou a optar pelo PSol? O senhor teve outros convites?

Vários partidos convidaram, desde PT, PC do B, PMDB e a nova Rede. Mas o PSol tem a linha programática mais próxima da nossa.

O senhor pretende se candidatar em 2014?

Estamos à disposição para qualquer candidatura, inclusive de governador dentro do PSOl, como temos conversado com eles.

Como o senhor recebeu a notícia da expulsão do PDT? De quem é o mandato?

Um fato vergonhoso por um lado, por outro um sentimento de alívio. Estar filiado em um partido que faz exatamente o contrário do que o programa partidário diz, não deixa ninguém à vontade. O mandato é dos trabalhadores militares, amigos e representantes da Aprasc, entre outros cidadãos, que elegeram seu representante.

Se o senhor não se sentida a vontade com as lideranças, por que se filiou ao PDT?

Entrei em 2006 no PDT para concorrer ao cargo de deputado. Antes disso, não fazia parte de nenhum partido porque militares não podem ser filiados. Na época, era presidente da Aprasc. Escolhi o PDT porque naquele momento político estava bem independente, com o Cristóvão Buarque de candidato a presidente. Mas nos últimos anos, impera o fisiologismo.

 

ASSUNTO: Sistema prisional

VEÍCULO: Diário Catarinense

TEMPO ESGOTADO: Estado baterá martelo sobre penitenciária nesta semana

Governo promete uma resposta imediata sobre construção do complexo em Imaruí, há quase um ano alvo de batalha judicial

A imagem de presos novamente algemados a grades, deitados no chão e sem destino correto em Florianópolis, divulgadas na semana passada, levou o governo do Estado a prometer um ultimato sobre a construção – ou não – de uma penitenciária na cidade de Imaruí, no Sul.
O governador Raimundo Colombo afirmou ontem, durante aula inaugural do curso de formação de novos PMs, que decidirá o futuro do complexo prisional ainda esta semana. Ele aguarda o recebimento de relatório técnico realizado pela equipe do governo. O DC apurou que as chances mais concretas apontam, neste momento, para a desistência de erguer a unidade em Imaruí.
O impasse se arrasta desde o final do ano passado. A prefeitura de Imaruí e lideranças locais não querem a prisão, cuja obra com capacidade para 1,3 mil vagas tem R$ 57 milhões em recursos garantidos – maior parte oriunda do governo federal.
A batalha judicial travada entre o Estado e Imaruí teve última decisão favorável para o Estado em julho, quando o Tribunal de Justiça de Santa Catarina cassou a liminar que havia suspendido a licença ambiental para a construção da penitenciária.
O problema é que o atual prefeito de Imaruí, Manoel Viana (PT), cassou o alvará da construção. Ontem, indagado a respeito, o prefeito disse pela assessoria de imprensa que permanece irredutível à instalação do complexo na cidade e que não aceitará a obra nem mesmo com supostas compensações ao município.
Pescaria Brava demonstrou interesse em receber prisão
Para o governador, a situação beira ao absurdo e há má vontade. Uma eventual opção poderá ser a cidade de Pescaria Brava, também no Sul, que deseja abrigar a prisão, conforme declarou ao DC o prefeito Antonio Honorato (PSDB) em reportagem publicada no dia 14 de junho – a expectativa dele era tanta que projetava até incremento de R$ 300 mil por mês na receita municipal.
A superlotação no sistema atinge principalmente a Grande Florianópolis. A prisão no Sul serviria para receber detentos da Capital. Com a protelação, aumentam os reflexos negativos e a pressão para a construção imediata de nova unidade. A falta de vagas deve piorar ainda mais nos próximos meses com a temporada de verão, quando aumenta significativamente o número de presos.
Por isso, outra unidade também está em foco na Grande Florianópolis, onde nova Central de Triagem será erguida para abrigar 400 presos. Ainda não foi anunciada a cidade que receberá o projeto, mas a previsão de conclusão da obra é de até 90 dias.

“Temos mais três alternativas” – ENTREVISTA: Raimundo Colombo/Governador

Colombo promete decidir em breve situação da prisão no Sul e também revela preocupação com o presídio de Blumenau.

Diário Catarinense – O senhor insistirá na penitenciária em Imaruí?
Raimundo Colombo – Já compramos o terreno, fizemos tudo, temos ações em paralelos, mas precisamos concluir essa etapa.

DC – O senhor está insatisfeito?
Colombo – É um absurdo. Eu preciso fazer, é questão de responsabilidade. Queria esgotar a possibilidade. Se não der, temos mais três alternativas.

DC – Pescaria Brava, por exemplo?
Colombo – Pescaria Brava se ofereceu. Há outras cidades também.

DC – Até quando permanecerá essa indefinição?
Colombo – Um grupo vai me trazer esse relatório nesta semana ainda. Porque agora Imaruí cancelou o alvará. Sem ele, não dá para fazer.

DC – O senhor procurou o município para oferecer compensação?
Colombo – Conversei duas vezes com o prefeito, com as lideranças, mas eles não concordam.

DC – Nesta semana o senhor vai decidir e, em caso contrário, partir para outro município?
Colombo – Sim. Temos também a questão de Blumenau, de emergência, onde o atual presídio não oferece condições. Temos que fazer um novo e temos recursos. Mas a escolha da área sempre é complexa. Se você não fizer bem feito, para. Em Imaruí encontraram um pedaço de ferro e agora investigam se é um sítio arqueológico ou não. Há uma má vontade.

 

ASSUNTO: Aula Inaugural PM

VEÍCULO: Diário Catarinense

Mil policiais começam a formação

Antes de proferir a aula inaugural a mil selecionados para o curso de soldado da Polícia Militar na manhã de ontem, em Florianópolis, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que é necessário avançar mais no combate ao crime organizado no Estado. Em fevereiro, ele esteve em Santa Catarina para atuações em conjunto entre o governo federal e estadual, no auge da crise dos ataques a ônibus e unidades policiais.
Na época, a Força Nacional de Segurança foi deslocada ao Estado para conter problemas nos presídios e auxiliar na transferência dos líderes da facção criminosa Primeiro Grupo Catarinense (PGC), que continuam isolados em presídios federais em Mossoró, no Rio Grande do Norte, e em Porto Velho, em Rondônia.
– Melhoramos muito. Mas é necessário avançar muito mais – disse.
Na aula, Cardozo escolheu o tema Estado e Direito para discorrer. Pediu aos futuros policiais que busquem equilíbrio ao exercer o poder da função com os limites da lei.
O curso para a formação de PMs dura oito meses. A turma tem média de 26 anos, 71% são nascidos no Estado e 78%, casados. No total, houve 8,3 mil inscritos. Os mil novos policiais se juntarão a outros 10,8 mil que formam o efetivo da corporação. A distribuição será regionalizada.
– Não toleramos policiais militares despreparados – declarou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nazareno Marcineiro.

 

ASSUNTO: Agentes presos

VEÍCULO: Diário Catarinense

Policiais são suspeitos de extorsão

Uma quadrilha formada por policiais civis da Serra e do Meio-Oeste foi desarticulada ontem, em Lages. Pelo menos três agentes são suspeitos de corrupção passiva, associação criminosa e roubo qualificado. Os três têm mais de 40 anos e trabalham na área de investigação. Um deles tem 20 anos de carreira.
A Polícia Civil tem indícios de que o grupo atua há pelo menos três anos extorquindo motoristas durante vistoria dos veículos em troca da não apreensão dos carros supostamente irregulares. As vistorias de responsabilidade da Polícia Civil eram feitas no pátio de uma delegacia de Lages. O envolvimento de funcionários do Detran no esquema não está descartado pela polícia.
Um dos policiais suspeitos de participação na quadrilha e que trabalha na 2ª DP de Lages foi preso em flagrante ontem à tarde pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).
A prisão ocorreu na oficina mecânica de propriedade de uma vítima, que pagou R$ 1 mil para o policial não apreender seu carro, um Eco-Sport. O policial teria dito ao dono da oficina que o veículo estava irregular.
De acordo com o delegado que fez o flagrante, Rafael Bellinati, a vítima diz que foi ameaçada para entregar o EcoSport em troca de não ser presa. Mais prisões ainda estão previstas.

 

ASSUNTO: Incêndio em São Francisco

VEÍCULO: Diário Catarinense

BUSCA POR EXPLICAÇÕES: Quem faz o que na investigação

PF e MP abrem inquéritos para apurar as causas e possíveis danos provocados pelo incêndio químico em São Francisco do Sul

A Polícia Federal e os ministérios públicos Estadual (MPE) e Federal (MPF) anunciaram ontem a abertura de inquéritos para investigar as causas e os possíveis danos provocados pelo incêndio químico que consumiu parte das 10 mil toneladas do fertilizante à base de nitrato de amônia na semana passada, na Global Logística, em São Francisco do Sul. Essas são apenas três medidas de uma série de laudos, perícias e relatórios que devem ser entregues nos próximos dias pela Defesa Civil, Ibama, Fatma e Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Amanhã a Defesa Civil do Estado deve informar a estimativa de prejuízos ao órgão nacional. Até a quinta-feira, toda a primeira fase ainda emergencial de remoção do material deve ser concluída. A seguir, confira como cada órgão agirá a partir de agora e os prazos da investigação.
 

Polícia Federal

Inquérito policial foi aberto oficialmente ontem pela Delegacia da Polícia Federal em Joinville. Segundo o delegado-chefe, Alcir Amaral Teixeira, a apuração atende a um pedido da presidente Dilma Rousseff (PT), que determinou o acompanhamento do caso. Caberá à PF investigar os danos ambientais e a poluição causada pelo incêndio químico, considerando que a fumaça atravessou a divisa de SC. A apuração das circunstâncias do evento que ocasionou a reação química, conforme Teixeira, ficará a cargo da Polícia Civil de São Francisco do Sul. O inquérito tem prazo de 30 dias para ser concluído, mas poderá se estender porque depende de análises laboratoriais, incluindo os laudos do Instituto Geral de Perícias. Ainda não foi definido um cronograma de depoimentos.

A EMPRESA

Um dos sócios da Global Logística, Claudio dos Santos acompanha a retirada dos resíduos sólidos e líquidos da área atingida pelo acidente. Ontem à tarde, disse que mais de 90% dos trabalhos da primeira fase estão concluídos. Há ainda, segundo ele, preocupação com a chuva, que pode afetar a lagoa provisória construída para impedir que a água contaminada polua o meio ambiente. Se chover muito na área, pode não ser mais possível retirar o material. O trabalho continua sendo realizado 24 horas por dia. Ontem, dezenas de cargas foram levadas de São Francisco do Sul para o aterro industrial de Joinville. A previsão é de que essa fase dos trabalhos seja concluída amanhã.

MPE E MPF

O Ministério Público Estadual já instaurou inquérito civil público, que deve ser publicado no Diário Oficial ainda hoje. A partir desse procedimento, o órgão apurará se houve danos ambientais na região. A Fatma, o Ibama e o Centro de Apoio do MPSC devem fazer perícias específicas. A previsão é de que o material seja encaminhado ao MP em até 30 dias. A expectativa é de que uma ação civil pública seja levada à Justiça com base nesses laudos. O procurador federal Mário Sérgio Ghannage Barbosa, do Ministério Público Federal (MPF) em Joinville, já instaurou inquérito civil e acompanhará de perto todos os problemas ambientais causados. Para isso, além dos laudos do Ibama e da Fatma, também contará com relatório a ser feito pela Polícia Ambiental.

MEIO AMBIENTE

O secretário do Meio Ambiente de São Francisco do Sul, Eni Voltolini, diz que a pasta monitora as condições de solo, água e ar por meio de análises em laboratórios contratados. Os resultados servem, principalmente, para controle da própria pasta, mas podem ser compartilhados. Mas se os primeiros laudos não apontarem riscos, por exemplo, o monitoramento não será mais necessário. As análises devem ser concluídas em 30 dias. O prefeito Luiz Zera informou que montará equipe com integrantes de várias secretarias para reavaliar o processo de licenciamento e autorização para armazenamento, produção e transporte desse tipo de carga. Com isso, a legislação pode ser revista.

FATMA E IBAMA

O principal papel dos dois órgãos ambientais é determinar os danos ambientais provocados pela fumaça química e o que pode ser feito pelos responsáveis para recuperar ou minimizar os prejuízos causados ao meio ambiente.

A Fatma já providencia análises da água e do solo. Não há certeza sobre quanto tempo levará para que o órgão tenha condições de apontar responsáveis e aplicar eventuais autuações. Segundo técnicos, há exemplos de impactos ambientais que podem se manifestar apenas nos próximos dias. Relatórios da saúde também serão submetidos à Fatma. Pelo Ibama, uma equipe do núcleo de emergências avalia os problemas ambientais na região. O prazo é de 30 dias.

IGP E BOMBEIROS

O IGP terminou ontem a coleta de materiais no galpão do terminal de cargas da empresa Global Logística para os procedimentos laboratoriais. Tratam-se de amostras como o fertilizante que entrou em reação, além de vestígios de concreto, vegetação e outros elementos que tenham sido atingidos. As amostras recolhidas devem ser submetidas a análise até amanhã, com estimativa é de que os resultados sejam conhecidos em 10 dias. O desafio é esclarecer o que desencadeou a fumaça tóxica e eventuais erros no armazenamento do produto. Os laudos serão disponibilizados para investigação das polícias Civil e Federal. Os bombeiros militares atuam em conjunto para a obtenção dos laudos, após grande colaboração no combate ao incêndio.

DEFESA CIVIL

Conforme o coordenador regional Antônio Edival Pereira, a principal participação do órgão no incidente era atuar na minimização do impacto da fumaça tóxica sobre a população. Agora, a Defesa Civil do Estado orienta a Defesa Civil de São Francisco na elaboração de uma ficha de informação de desastres. O documento deverá ser entregue até amanhã para a Defesa Civil Nacional, apontando estimativas de prejuízos. É com base nesse levantamento que deverá ser homologado o decreto de emergência.

 

ASSUNTO: Eleições 2014

VEÍCULO: Diário Catarinense

ELEVADOR POLÍTICO: As articulações para mudar de cargo na próxima eleição

A disputa será somente daqui a um ano, mas avançam as conversas de quem vai concorrer e sonha galgar posições de maior destaque em 2014

A um ano das eleições, políticos catarinenses articulam candidaturas, composições e possibilidades de promoção eleitoral. A principal delas é para aqueles que hoje estão em cargos parlamentares e buscam uma vaga na disputa da majoritária – governador, vice e senador.
A coligação que elegeu o atual governador, Raimundo Colombo (PSD), deve substituir o PSDB, que saiu da tríplice com PSD e PMDB para lançar candidatura própria ao governo. No ninho tucano, quem tem chance de promoção é Paulo Bauer, atual senador e pré-candidato ao governo.
A vaga aberta pelo PSDB é sondada por PP e PT. O deputado estadual Joares Ponticelli (PP), interessado em uma candidatura ao Senado, pode ver seu desejo concretizado caso os pepistas integrem a coligação de Colombo. O parlamentar considera as alternativas de se aliar ao PT ou PSDB (e lançar-se como vice ou senador) ou ainda candidatar-se a governador numa chapa pepista caso as tentativas de aliança fracassem. O que está descartado, segundo ele, é disputar mais uma cadeira de deputado.
Vaga do PSDB na tríplice pode ficar com petistas
O PT tem na figura do deputado federal Décio Lima uma das principais apostas para um cargo majoritário. O partido afirma que terá um candidato próprio a governador. Lima é cotado para assumir a candidatura, mas concorre com Cláudio Vignatti, Ideli Salvatti e José Fritsch. Também especula-se que o parlamentar poderia concorrer a senador caso o PT ignore a oposição ao PSD no Estado e estabeleça apoio a Colombo. Lima mostra-se reticente ao assunto.
– A princípio devo concorrer novamente a deputado federal. Ouço falar que eu poderia concorrer a alguma vaga majoritária, mas não tenho nada a oficializar sobre isso. Quanto a uma aproximação com o PSD, acho improvável. O objetivo do PT é ter um candidato próprio ao governo de SC e oferecer um palanque forte para a presidente Dilma – diz o deputado.

 

ASSUNTO: Aula inaugural PM

VEÍCULO: Portal da PMSC

Com CIC lotado, novos policiais militares assistem aula magna do Curso de Soldados

A manhã de hoje, dia 30 de setembro, marcou o início da formação de novos profissionais da segurança pública em um histórico ingresso de novos policiais militares na Corporação.

Com o teatro do CIC lotado, os futuros soldados da PM, aprovados no concurso público de edital número 15/CESIEP/2013, que disponibilizou 1.000 novas vagas, assistiram à aula magna do Curso de Formação de Soldados(CFSd), proferida pelo ministro da Justiça José Eduardo Cardozo. O governador do Estado, João Raimundo Colombo, o secretário de Estado da Segurança Pública (SSP), César Augusto Grubba e o comandante-geral da PM, coronel Nazareno Marcineiro, além de outras autoridades civis e militares, estiveram presentes no evento.

O comandante-geral da PM apresentou um breve perfil dos aprovados, destacando que todos possuem graduação em nível superior, com destaque nas áreas de Direito (17%), Administração (15%) e Educação Física (11%). Lembrou ainda que os futuros soldados, depois de formados, serão remanejados para diferentes cidades do Estado.”Os mil novos policiais militares se juntam agora ao efetivo da Corporação e atuarão na linha de frente, confirmando sua função, e missão, de proteger a vida de cada cidadão catarinense”, enfatizou o coronel Nazareno.

O secretário Grubba falou sobre os investimento feitos pelo Governo do Estado, destacando a modernização dos equipamentos, instalações e viaturas, ea renovação do efetivo. “Com essa histórica inclusão, a Segurança Pública de nosso Estado ganha novos profissionais, garantindo mais proteção e segurança para todos os catarinenses”, falou Grubba.

O governador João Raimundo Colombo destacou a importância do policial militar na sociedade. “Proteger e zelar pela vida das pessoas é uma das missões mais enobrecedoras que um homem pode vivenciar. E é no trabalho diário, se colocando a frente do conflito para defender os outros, que os novos policiais vão confirmar essa sua nobre missão”, enfatizou Colombo.

Em sua aula magna, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, falou sobre as responsabilidades assumidas pelos novos policiais militares ao ingressarem na Corporação. “Um dos grandes desafios que um policial tem é cumprir com rigor a sua função e buscar um equilíbrio entre seus limites e seus poderes. Nem sempre é fácil exercer o poder dentro dos limites que o direito nos coloca. Mas esse é o principal desafio de um homem público em um estado de direito e é nos momentos mais difíceis que se mostra essa habilidade”, enfatizou o ministro.

A partir do próximo dia 07 de setembro, os novos alunos soldados iniciarão o Curso de Formação nas 11 Regiões de Polícia Militar (RPMs) do Estado. Ao longo de oito meses, receberão intruções práticas e teóricas nas áreas de Direito, legislação institucional, relações públicas, defesa pessoal, relacionamento interpessoal e técnicas policiais, entre outros.A conclusão do curso está prevista para maio de 2014.Os novos policiais militares deverão permanecer por pelo menos cinco anos na atividade operacional, atuando diretamente na segurança da população catarinense.

A Banda de Música da PM, que em 2013 comemora 120 anos de criação, abrilhantou o evento