Área do associado

Área do associado

DITADURA DOS ARAPONGAS

16.4.2012

Fazia muitos anos que a SSP carecia de uma administração competente e séria. Isso ocorreu com o Governo Raimundo Colombo. Infelizmente alguns setores da Polícia Civil não se satisfazem com um projeto de segurança pública que atenda a sociedade catarinense, ao invés de privilegiar uma pequena casta que monopoliza as interceptações telefônicas, transitam com verdadeiros dossiês pelos poderes do Estado, de maneira intimidadora, buscando tão somente melhorias salariais e classistas.

 


O delegado Monteiro sempre foi um excelente profissional, isso é inegável. Contudo, cometeu a falha mais repugnante de um administrador público: imiscuir o público com o privado. Triste imaginar que isso possa ter desencadeado toda a crise da segurança pública. Mas não é verdade. Trata-se de uma ação orquestrada para desestabilizar uma gestão séria e competente da SSP.

 

O Cel Fernando é homem íntegro, capaz e de uma moralidade inquestionável. Desde o início do processo licitatório das carcaças de veículos que estavam há 20 anos depositados nos pátios de delegacias de todo o Estado – muitas delas já haviam sido depredadas, desmontadas e sabe-se lá para onde haviam sido levadas as suas peças – ocorreram todas as segundas-feiras reuniões do grupo de trabalho, com atas que comprovam as decisões e discussões acerca do tema. Isso pode ser comprovado facilmente. Além disso, tudo ocorreu conforme previsão de edital e contrato com a Gerdau. Se alguma irregularidade ocorreu, certamente foi por vias subterrâneas e fora do controle ou ciência dos gestores da segurança pública.

 


Em toda a sua vida pública na PMSC, jamais houve sequer o recebimento de uma diária de foma irregular, como insistem em repetir tratar-se de algo simplório e de menor importância. O Cel Fernando goza de um prestígio singular e de uma reputação ilibada. Todos, repito, todos os oficiais da PMSC e CBMSC são solidários ao Cel Fernando e têm a certeza de seu comportamento executado com lisura e responsabilidade.

 


Até quando Santa Catarina será ameaçada por certos segmentos da segurança pública que insistem em implantar um clima de desentendimento, insegurança e caos institucional para auferirem ganhos salariais e classistas? Já foi assim no final do ano passado com ameaças de greves e agora com este engodo interesseiro.

 


Ao contrário do que foi noticiado não houve qualquer ganho classistas maior do que o auferido pelos delegados de Polícia. De igual forma, ao contrário do que foi noticiado, a SSP é dominada por delegados de polícia. Eles que mantém a maioria dos cargos da SSP.

 


Hoje, a presença de Militares na SSP e sob o Comando de um competente Promotor de Justiça, classes que atuam com independência e forte viés ético, está incomodando muita gente. É momento de nos perguntarmos o porquê desse sentimento. Será que preferem os desmandos, o caos administrativo e a possibilidade de locupletação?

 


Santa Catarina não merece mais estas posturas classistas acima do interesse público. Uma vez mais surgem tais situações num momento onde se inflamam as lutas salariais.

 


Chega de dossiês escusos!

 


Chega de arapongagem!

 


Chega de pressões ilegítimas e antiéticas!

 


Rogo a Deus para que a justiça seja feita e que, com a permanência do Cel Fernando e do Secretário Grubba, o Governo possa desmascarar os verdadeiros cânceres da Segurança Pública catarinense.

 

 

 

Fraternal abraço