Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 30 de outubro

30.10.2012

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor                     

Assunto:  Assassinatos dentro de presídios

 

CRIME E CASTIGO

Este Visor teve acesso a um levantamento sigiloso da área de inteligência que mapeou 29 assassinatos dentro dos presídios de Santa Catarina entre janeiro de 2009 e outubro de 2012. Foram cinco em 2009, quatro em 2010, 15 em 2011 e cinco neste ano. Do total de mortes registradas no ano passado em todo o sistema prisional catarinense, seis foram somente em São Pedro de Alcântara.

A média é de quase uma execução por mês dentro do cárcere, mas o governo insiste em negar a força do crime organizado em Santa Catarina. Oficialmente, o discurso tenta desconstruir a ação da facção que tomou conta dos presídios. Internamente, as forças de segurança tratam o assunto como uma guerra entre Estado e detentos. A diferença é apenas retórica. A realidade dos números fala por si.

 

APERTO

Apenas em 2011 foram registrados 528 fugas do sistema prisional catarinense. Este ano, até outubro, caiu para 135. Resultado da eficiência do trabalho do Deap, gerando revolta nos presídios

 

MÁRTIR

A morte da agente Deise Alves tem servido, ao menos, para que os procedimentos de segurança dos próprios agentes sejam revistos. Ou, como bem disse a mãe dela: – Quem vai cuidar dos que cuidam de nós?

­­­­­­­­­­

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto:  Gerais

 

Homem se acorrenta na escada

Um morador indignado do Bairro Petrópolis, de Joinville, foi até as últimas consequências, ontem, para protestar contra a impunidade.

Após saber que o carro do filho de 18 anos foi roubado e que o ladrão foi preso e depois solto pela polícia, resolveu tomar uma atitude: pegou uma corrente e um cadeado, jogou a chave fora e seguiu para o Fórum de Joinville.

Ao chegar na escadaria, sentou, enrolou a corrente no braço esquerdo e fechou o cadeado. A cena chamou a atenção de quem passava. Sem cartaz ou gritaria e sentado na escada, ficou lá esperando até que alguém fosse perguntar o que houve. A Polícia Militar e um juiz foram chamados para intervir.

– Foi o desespero que me motivou – disse o homem.

Na versão do senhor de 57 anos, o filho foi à academia na sexta-feira à noite e estacionou o carro, deixando todos os documentos no veículo. Quando voltou, nada estava mais lá. O garoto, de 18 anos, chamou a polícia, que encontrou o carro no sábado de madrugada, no Bairro Paranaguamirim, com a placa adulterada.

Um jovem de 17 anos teria sido o autor do crime. Segundo informações da Polícia Civil, o carro poderia ser periciado ainda nesta segunda-feira, para ver se não há adulteração. Se não houver, poderá ser imediatamente liberado. O menor pego com o carro furtado foi encaminhado à Delegacia da Mulher, da Criança e Adolescente e depois liberado. Apenas os casos mais graves, quando há ameaça, é que um jovem vai para o Centro de Internação Provisório (CIP).

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto:  Diplomas dos bombeiros militares

 

Diplomas a um passo da ilegalidade

O Corpo de Bombeiros Militar de SC (CBM) encontrou indícios de irregularidade nos 45 diplomas de candidatos que cursaram Teologia em Blumenau. O Ministério Público informou que os indícios de fraude são contundentes por parte de policiais e bombeiros militares que obtiveram esta graduação.

Duas semanas depois de vir a público a suspeita de que 79 PMs e 45 bombeiros se graduaram com diplomas supostamente falsos, o CBM abriu, ontem, 45 processos administrativos para que os bombeiros exerçam o direito de defesa.

Se confirmado que não possuíam graduação superior reconhecida pelo Ministério da Educação, pré-requisito para ingressar no CBM, os 45 investigados deverão ser excluídos da corporação. Dos 45 suspeitos, alguns estão em formação e outros já são profissionais da segurança. A exclusão pode estar perto porque o Ministério Público também observou indícios de fraude.

– Pelas informações que obtivemos, há indícios contundentes da prática de crime naquelas instituições. Crimes de falsidade ideológica (fraude) e uso de documento falso – observou o promotor Sidney Eloy Dalabrida.

O promotor afirmou que na PM também há indícios dos mesmos crimes. O inquérito policial militar (IPM) ainda não foi concluído. Mesmo que o CBM não abra IPM, o Ministério Público deve requisitar a abertura deste procedimento. As duas empresas que forneceram os diplomas poderão ser processadas.

– Suspeito que a fraude tenha sido aplicada em outros concursos. Se ter graduação superior era um requisito para a inscrição em um concurso e num único concurso há suspeita em relação a 79 candidatos, me parece razoável entender que não seja um ato isolado. Não acredito que essa empresa seja a única a fazer isso – concluiu Dalabrida.

 

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Assassinato de agente

 

 

Governador recebe relato do assassinato de agente

Após reunião com diretor do Deap e secretária de Justiça, Raimundo Colombo anunciou força-tarefa para investigar homicídio

O governador Raimundo Colombo recebeu, ontem, o diretor do Departamento de Administração Prisional (Deap), Leandro Lima e a secretária de Justiça e Cidadania, Ada de Luca, para falar das investigações sobre o assassinato da agente penitenciária Deise Fernanda Melo Pereira Alves, na noite de sexta-feira, em São José.

Deise era casada com Carlos Antônio Alves, diretor na Penitenciária de São Pedro de Alcântara. Uma das hipóteses investigadas é que se trata de morte encomendada pelo crime organizado.

O Estado não reconhece oficialmente facções do crime agindo nos presídios catarinenses. Isso foi dito pelo governador Colombo. Mas setores de inteligência da Secretaria de Segurança Pública dão conta que, desde 2010, o casal recebia ameaças. Isso teria aumentado em consequência do corte de benefícios aos principais líderes. A morte de Deise, que trabalhava na Secretaria de Justiça e Cidadania, teria ocorrido mais em função do marido do que por atitude própria.

 

Polícias seguem juntas na investigação

 

Na conversa com o governador, foi assegurado que a polícia não está intimidada e que o Estado não irá recuar nas represálias. Foi garantido empenho nas investigações que seguem várias linhas, inclusive a de execução.

Foi anunciada, ainda, que uma força-tarefa formada pelas polícias Militar, Civil, Militar Rodoviária e Guarda Municipal trabalham na tentativa de identificar os envolvidos no crime. Por questão de segurança, não foram divulgados detalhes da estratégia.

Informações colhidas junto a policiais apontam o envolvimento de três pessoas no homicídio, sendo um ex-detento de São Pedro de Alcântara e dois adolescentes.

– Ainda estamos trabalhando nesta bronca – disse o delegado Ilson da Silva, responsável pela investigação.

A segurança de alguns servidores do Deap foi intensificada. Depois do crime, um dos agentes que se encontrava em uma área de vulnerabilidade pelo tráfico de drogas foi retirado do local sob escolta policial.

– Não se sabe se chegou informação nova ou se essa já existia e tinha sido negligenciada até o trágico desfecho – contou um agente.

Deise foi atingida por um tiro no tórax quando chegava na casa de familiares. Ela estava sozinha e havia estacionado o carro do casal na garagem. Nada foi levado pelos bandidos.

 

“Estado usará todos os meios”

ENTREVISTA: César Grubba, secretário da SSP

 

O secretário da Segurança, César Grubba, respondeu por e-mail a questões sobre o crime.

 

Diário Catarinense – O assassinato da agente significa o que para a Segurança Pública?

César Grubba – Uma perda lamentável. O Estado vai usar de todos os meios disponíveis para esclarecer o crime e evitar outros.

 

DC – O senhor concorda com o governador que esse crime não se assemelha aos de outros estados onde policiais são alvos de facções?

Grubba – Sim, concordo.

 

DC – Há informações de que a ordem da execução partiu de dentro da Penitenciária de São Pedro de Alcântara, onde estão líderes de uma facção. O Estado teria dificuldade para reconhecer publicamente isso?

Grubba – Não, se devidamente comprovado. A morte da vítima e as causas são objeto de investigação no inquérito policial.

 

DC – Se comprovada esta atuação articulada, não estaria na hora de uma força-tarefa (polícias Civil, Miliar, Federal, Ministério Público) para investigar e dar materialidade ao grupo?

Grubba – As articulações da polícia e Ministério Público são permanentes.

 

Veículo: Diário Catarinense/ A Notícia

Editoria: Segurança

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Confronto e quatro mortes

Tiros, medo e quatro mortos na SC-413, Bairro Escalvados, em Navegantes, ontem à tarde. Este foi o resultado de um confronto entre PMs e suspeitos de assalto.

Segundo a polícia, os mortos, sendo dois adolescentes, planejavam abordar o carro de uma cooperativa de Luís Alves que passaria pelo local transportando um malote. Com os suspeitos, foi encontrado um colete à prova de balas, touca balaclava e quatro armas, uma delas de brinquedo.

A ação assustou quem passava pela rodovia. Alguns pararam os veículos na pista ao ouvirem os disparos:

– Parei o carro no acostamento e esperei. Quem não teria medo numa situação dessas? – disse um motorista.

Conforme o tenente Rodrigo de Carvalho Paulo, a inteligência da PM recebeu a informação de que havia um veículo parado às margens da SC-413 com quatro homens prontos para um assalto. Policiais descaracterizados foram ao local e pediram apoio. Ao abordarem o grupo, os quatro reagiram atirando.

– Eles atiraram contra a guarnição. Os policiais revidaram e os quatro acabaram mortos no local – diz o tenente.

Com a ocorrência de ontem, chega a seis o número de mortos pela PM na região em dois dias. No sábado, dois adolescentes morreram em um confronto no Bairro Espinheiros, em Itajaí.

 

Preso grupo que furtava em Jurerê

Três homens com passagens por furto, roubo, ameaça, dano e tentativa de homicídio foram presos em flagrante por furto a veículos em Jurerê Internacional, no sábado. Só naquele dia cometeram quatro furtos.

O trio furtava dólares, peso uruguaio, eletrônicos e roupas. O sistema de vigilância do loteamento captou os ladrões em ação e acionou a PM. Houve perseguição antes da captura dos três. Esta é a segunda prisão de ladrões no balneário, realizada em uma semana.

 

Discussão termina em tiros em Joinville

Padrasto atira em rapaz que conversava com a enteada adolescente de madrugada

Quatros disparos de revólver no bairro Paranaguamirim, por volta das 4 horas da manhã desta segunda-feira, acordaram moradores e vizinhos do final da rua Kurt Meinert, em Joinville. Um homem teria atirado no rapaz que conversava com a enteada adolescente no meio da rua. Houve discussão entre os dois.

Dos quatro tiros, apenas dois acertaram o jovem de 23 anos, que tem passagem pela Justiça, conforme informações da Polícia Militar. O atirador também tem registro.

O jovem está estabilizado e até o meio da manhã permanecia na sala de emergência do Hospital São José. Por volta das 10 horas, ele subiu para o centro cirúrgico, onde ia passar por uma operação no abdômen. Ele também foi ferido no pulso. Segundo informações do hospital, apesar de inspirar cuidados, o paciente está consciente e o estado não é grave.

Em São Francisco do Sul, um adolescente também foi vítima de tentativa de homicídio na madrugada de domingo. O garoto de 16 anos chegou no Hospital São José também às 4 horas da manhã e está na UTI em estado grave.

 

 

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Segurança

Assunto: PRF divulga balanço da operação Festas de Outubro com registro de 24 mortes

 

 

 

PRF divulga balanço da operação Festas de Outubro com registro de 24 mortes

Entre os dias 11 e 28 ocorreram 947 acidentes e 474 pessoas ficaram feridas nas rodovias federais em Santa Catarina

 

A PRF/SC (Polícia Rodoviária Federal) divulgou o balanço da operação Festas de Outubro, realizada entre os dias 11 e 28. A mobilização nas estradas federais de Santa Catarina neste período de festas foi encerrada à meia-noite desse domingo, com um total de 24 mortes. Foram registrados nestes 18 dias, 947 acidentes e 474 feridos. Segundo a PRF, houve redução nas ocorrências em relação a 2011, quando 33 pessoas morreram.

Neste ano, dos 24 mortos nas rodovias federais de Santa Catarina cinco eram motociclistas. Dos 22 acidentes fatais, em 12 houve a participação de caminhões ou carretas. Conforme o balanço da PRF, a rodovia que mais matou neste período foi a BR-282, seguida das BR-470 e BR-101, trecho sul.

Durante a operação Festas de Outubro 2012 foi contabilizado o envolvimento de 1.727 veículos em acidentes rodoviários. Os policiais ainda flagraram 64 motoristas dirigindo embriagados e 8.060 registros de excesso de velocidade.

 

Veja o comparativo com os últimos dois anos

 

11 a 28 de outubro de 2012: 947 acidentes, 474 feridos, 24 mortos

06 a 23 de outubro de 2011: 884 acidentes, 558 feridos, 33 mortos

07 a 24 de outubro de 2010: 947 acidentes, 524 feridos, 32 mortos

 

Locais das mortes ocorridas de 11 a 28 outubro

 

BR-282 – 8 mortes

BR-470 – 5 mortes

BR-101, trecho sul – 5 mortes

BR-116 – 3 mortes

BR-101, trecho norte – 2 mortes

BR-280 – 1 morte

 

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral        

Assunto: Força tarefa vistoria imóveis abandonados no Centro de Florianópolis

 

 

 

Força tarefa vistoria imóveis abandonados no Centro de Florianópolis

Ministério Público informou que a Prefeitura da Capital será intimada a responder acerca da Casa de Câmara e Cadeia

 

Nove imóveis abandonados no Centro da Capital invadidos por moradores de rua e usuários de drogas foram alvo de uma ação, na noite de ontem, que reuniu representantes de órgãos públicos e da comunidade. A Polícia Militar, o programa de Abordagem de Rua, o Conselho Tutelar e o Conseg do Centro acompanharam as vistorias do MP (Ministério Público) que têm o objetivo de registrar a situação dos imóveis, dar os encaminhamentos iniciais e fazer a posterior intimação dos donos. A Casa de Câmara e Cadeia foi um dos prédios examinados pela equipe. O promotor do MP, Daniel Paladino, adiantou que a Prefeitura de Florianópolis será intimada a dar esclarecimentos.

“Conseguimos ver que a vedação feita não está correta. A situação é vulnerável. Além disso, nós queremos a restauração desse bem e sua conservação como acervo histórico”, explicou. Essa foi a quarta vistoria realizada nesses moldes. Nas três anteriores – a primeira realizada há um ano –, 11 casas foram visitadas e nove já tiveram situação regularizada com o trabalho da 30ª Promotoria de Justiça. “Dependendo do caso, damos prazo de 90 dias para tomada de providência. Nas próximas vistorias passamos nas casas para ver se está tudo certo”, comentou Paladino.

Em uma das construções que ainda não tiveram solução, na rua Albertina Ganzo, uma família mora há quase cinco anos. Nesse cenário, a equipe de Abordagem de Rua é crucial. Eles fazem o primeiro contato com os moradores de rua e oferecem opções de saída. Mas a maioria não quer mudar de vida.

“Eles têm um lugar fácil para ficar, ganham dinheiro com furtos e trabalho de flanelinha e ainda usam drogas. Estamos tentando combater esse tripé para que eles busquem cada vez mais os programas sociais”, comentou o coronel Araújo Gomes, comandante do 4º Batalhão da PM.