Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 21 de março

21.3.2012

CLIPPING

21 de março 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Novos policiais civis

                  

 

DEBANDADA NA PC

Dos 513 novos policiais civis nomeados no dia 14 de fevereiro, 345 se matricularam no curso de formação. Outros 168 não apareceram. Diante da debandada, o governo decidiu prorrogar o prazo para a entrega dos documentos em mais 30 dias. Quem não aparecer até lá está fora. Aliás, a aula inaugural na Acadepol foi ontem à noite.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Direção e celular

 

6,4 mil multados neste ano

Levantamento das infrações feito pelo Detran, até 7 de março, confirma que motoristas de SC mantêm o uso do telefone

Ainda que traga uma notícia boa, a mensagem recebida no celular, enquanto se está dirigindo, pode ser perigosa. Apesar disso, 40.530 motoristas ignoraram o risco e foram multados no ano passado ao serem flagrados ao volante, usando o telefone. Neste ano, até 7 de março, foram 6.414 infrações pelo mesmo motivo.

A quantidade de motoristas multados por usarem celular ao dirigir quase dobrou se comparado o dado de 2011 com 2007, quando houve 22.718 infrações. Os dados representam ocorrências registradas em ruas, estradas estaduais e federais de Santa Catarina. Eles foram repassados pelo Departamento Estadual de Trânsito do Estado (Detran).

Enquanto em janeiro e fevereiro deste ano, foram 6.156 multas aplicadas por causa da infração, no ano passado, os dois primeiros meses registraram 6.799 autuações.

Os fotógrafos do DC, Daniel Conzi e Guto Kuerten, checaram, no começo deste mês, se a imprudência era comum em duas vias movimentadas da Capital. Na Avenida Beira-Mar Norte, Conzi verificou, no dia 7, nove pessoas, em 30 minutos, falando ao celular enquanto dirigiam. Kuerten foi à Via Expressa, a BR-282, no dia 8, e flagrou 19 motoristas, em 45 minutos, usando o telefone móvel.

“Não posso discutir isto agora. Dirigir e falar no Facebook não é seguro!”. Estas foram as últimas palavras escritas no celular pela norte-americana Taylor Sauer de 18 anos, antes de morrer ao bater na traseira de um caminhão a 130 quilômetros por hora. A mensagem foi digitada e postada no Facebook, enquanto ela dirigia em uma rodovia interestadual que liga Utah e Idaho, nos Estados Unidos. A jovem passava por uma subida e o caminhão, ignorado por ela, estava a menos de 25 quilômetros por hora. Taylor morreu na hora, de acordo com a rede de TV NBC.

A investigação dos policiais revelou que a garota postava no Facebook uma mensagem a cada 90 segundos, enquanto dirigia.

O acidente aconteceu em 14 de janeiro deste ano e veio à tona em março a pedido dos próprios pais de Taylor. Eles consideraram importante a divulgação do caso para conscientizar a população dos perigos de usar o celular ao volante.

 

Pode causar distração

Apesar do registro das multas, não existe um dado que revele quantos acidentes foram provocados por motoristas falando ao celular. O fato é que conversar ao telefone e dirigir ao mesmo tempo é uma distração – uma das principais causas de batidas e outras imprevistos no trânsito.

– Uma estimativa geral dos países é de que 25% dos acidentes acontecem por distrações das mais variadas dos motoristas. Celular, conversa com os passageiros, ou qualquer outro elemento que desvie atenção – diz o sociólogo e especialista em segurança do trânsito, Eduardo Biavati.

Falar ao celular contribui para perda de noção de velocidade, do espaço, da distância entre veículos, pedestres e até ciclistas. Além disso, diminui o tempo de reação. Atropelamentos de pessoas, batidas e saídas de pista podem ocorrer durante uma breve conversa.

– Embora não tenhamos prova de quantos acidentes são causados, sabemos dos riscos – afirma.

Engana-se quem pensa que o uso do fone de ouvido e da tecnologia bluetooth, que integra a ligação ao sistema de som do veículo, amenizam a gravidade da distração. Para o sociólogo, o risco é o mesmo. Mesmo mantendo as duas mãos ao volante, a distração continua. O inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Fábio Santos, diz que ao falar ao telefone um dos sentidos – a audição – está ocupado, interferindo nos outros.

– Pessoas às vezes recebem notícias que as deixam transtornadas. Eu vi um caso desses na rodovia. Uma mulher, ficou tão transtornada que saiu batendo em vários carros – diz o inspetor, que informa que os casos de pessoas flagradas ao celular nas BRs são comuns.

A dica do polícial rodoviário é não atender nenhuma ligação ao dirigir. Para fazer isso, o ideal é parar o carro e ligar o pisca alerta.

___________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Ajuda que vem do céu

 

Na tristeza, veio a profissão

Integrante do Esquadrão Pantera resolveu que queria salvar vidas após viver a enchente de Itajaí em 1983– Eles eram o sopro de esperança e de vida. A afirmação feita por Tony Jean Costa Martins há 29 anos, durante a enchente em Itajaí, define a importância do trabalho de militares que, bravamente, resgatam vítimas em catástrofes naturais e em acidentes.

 

Atualmente como mecânico de voo do Esquadrão Pantera, de Santa Maria (RS), Martins, 46 anos, sente orgulho de estar preparado para possíveis missões de emergências. Ele e mais 84 militares voam até o dia 30 sobre as baías Norte e Sul de Florianópolis, durante a Operação Guasca, para aprimorar os métodos de busca e resgate da Força Aérea Brasileira. Com eles, cinco helicópteros H-60 Black Hawk.

O sonho de fazer parte da Força Aérea Brasileira surgiu aos 14 anos. Aos 17, morava em Florianópolis e estudava Matemática. Os pais moravam em Itajaí. Ao saber da catástrofe de 1983, foi em busca de notícias dos pais. Quando desembarcou na cidade, completamente devastada, teve o primeiro contato com os militares e com os helicópteros. Neste momento soube o que seria no futuro.

Depois de andar com água pela cintura, encontrou os pais e voltou para Florianópolis. Foi em busca de seu sonho na Base Aérea da Capital, que servia de base para a operação de resgate e de central de mantimentos para os desabrigados. Ele queria informações de como se alistar. Foi quando conheceu um mecânico que trabalhava em um helicóptero. Fez testes e provas e foi classificado.

Seguiu para a base de Santa Maria, no RS. Anos depois, o mecânico que encontrou e que serviu de inspiração foi seu instrutor.

Com quase 30 anos de atuação, já fez o resgate dos passageiros no acidente da Gol, na Amazônia, em 2006; em ajuda humanitária na Bolívia, em 2008; no Furacão Catarina no Sul do Estado, em março de 2004, e nas enchentes de 2011 do Rio de Janeiro.

– Agora que trabalho no outro lado, sinto orgulho em fazer parte e poder ter a certeza de fazer o máximo para levar mantimentos e trazer para casa as vítimas. Não tem preço ver no olhar de cada cidadão a sua satisfação em estar vivo.

Martins é mecânico de voo e responsável em resolver os problemas no helicóptero, além de instruir outros procedimentos da área.

Para ele, o treinamento que está acontecendo em Florianópolis é muito importante para aprimorar as técnicas de resgate e aumentar a sincronia entre as equipes.

__________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Fuzileiros navais

 

Som diferente no Centro

A banda do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN), uma das maiores bandas marciais do mundo, se apresentou na Capital ontem. Cerca de 2 mil pessoas puderam conferir a performance criativa e simétrica dos 116 militares no Largo da Catedral, no Centro.

O grupo está em turnê por várias cidades do Brasil, em comemoração aos 204 anos da corporação militar. A turnê que segue até 1º de maio, deve passar ainda por algumas cidades em SP, PR, SC e RS. Um dos destaques são as 16 gaitas escocesas (gaitas de fole) – um presente da rainha da Inglaterra ao navio da marinha americana, que em 1951 foi incorporado à Marinha brasileira e repassado pela tripulação a Banda Marcial.

O grupo, que fica sediado no Rio, também participou de eventos no exterior, como a coroação da rainha Elizabeth II, da Inglaterra, e no Ano do Brasil na França, em 2005.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Diário do Leitor

Assuntos: Caças da FAB

                   Segurança

 

Barulho

E as compras dos caças por parte da Força Aérea Brasileira, que diziam ser urgente, e até acredito, por que demora? Ainda não chegaram a um denominador quanto à comissão ou à propina?

Walter Lemos Filho

Florianópolis

 

Símbolos

Segurança

Cá entre nós, você acha que os governantes estão preocupados com a segurança pública para proteger a população? Se eles estivessem de fato preocupados, convocariam todos os governadores do país e cobravam dos congressistas a alteração do Código Penal e do ECA, com penas duríssimas para quem cometer crimes. Mas é claro que eles não estão nem aí para que a lei seja alterada, pois se fosse, um segmento da população que defende os criminosos ficariam sem serviço.

Dorcelino R. dos Santos

SãoJosé ____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Inquérito sobre SC-Saúde

 

Inquérito sobre SC Saúde

O Ministério Público Estadual abriu inquérito civil para analisar o funcionamento do SC Saúde, o plano de saúde com gestão própria adotado em fevereiro pelo governo Raimundo Colombo. Objetivos da investigação: avaliar se há decisão ou ato que fira a moralidade pública; acompanhar o processo de credenciamento dos médicos e a prestação de assistência aos servidores públicos que aderiram ao plano; e analisar se o SC Saúde pode estar elevando a demanda médico-hospitalar e prejudicando o SUS Sistema Único de Saúde.

O secretário da Administração, Milton Martini, recebeu, ontem, os dirigentes do Fórum dos Servidores Estaduais para tratar dos problemas existentes no SC Saúde. Eles ocorrem em todas as regiões do Estado, com maior ou menor gravidade. Basicamente, por falta de médicos. A conversa durou duas horas e meia. Ficou decidido que os sindicatos dos funcionários vão trabalhar para tentar sensibilizar os médicos a aderirem ao plano, sobretudo, nos municípios onde a carência é total.

Martini marcou nova reunião com o fórum para a próxima segunda-feira, às 10h. Estarão presentes, a pedido das entidades, os gestores do SC Saúde, que prestarão informações sobre aspectos operacionais do novo plano. Servidores que não aderiram estão se credenciando isoladamente no sistema da Unimed, que garantiu assistência nos dois mandatos do governo Luiz Henrique. Associações e sindicatos também fazem contatos com a Unimed visando à filiação coletiva à cooperativa médica. Há informações de que até o sindicato dos servidores da administração estaria examinando esta alternativa. As queixas se concentram na inexistência de médicos especialistas em várias cidades. Há casos, como em Caçador, onde nenhum médico optou pelo SC Saúde. E lá todos são integrantes do sistema Unimed. Sinal, segundo o governo, de que estaria havendo boicote contra o SC Saúde para forçar os servidores a se inscreverem na cooperativa médica.

 

OBSTÁCULOS

O secretário Milton Martini admite que existem dificuldades para a implantação integral do plano. Tinha a expectativa de que após o acordo com o Cosemesc haveria credenciamento em massa dos profissionais de medicina. Dos cerca de 6 mil médicos inscritos, apenas 1.797 médicos assinaram contratos e 4.251 permanecem na expectativa. Já em relação às clínicas, há 520 contratadas e 275 aguardando contrato. Empresas de diagnóstico de imagem também se credenciaram, majoritariamente. São 89 contratadas, contra 31 inscritas. Serviços de laboratório também estão dentro do previsto, com 358 contratados e 86 na lista.

Levantamentos da Secretaria da Administração indicam que o total de segurados chega a 177.438. O centro de atendimento já recebeu 32.236 segurados e atendeu a 64.102 ligações telefônicas. A ouvidoria atende pelo número 0800-6446040.

Entre os motivos do não credenciamento dos médicos nas cidades, Martini aponta: 1. Histórico negativo do Ipesc, o extinto instituto que antecedeu o Unisanta. Atrasava pagamentos todos os meses; 2. Muitos especialistas não aderiram, mesmo com o aval do Cosemesc. 3. Carência de especialistas em várias regiões; 4. Médicos não aceitam a informatização. O governo decidiu instalar agora seis centros médicos nas principais cidades, onde os médicos atenderão diretamente os pacientes. As especialidades mais carentes hoje são ortopedia, urologia, pediatria e neurologia. Se, a curto prazo, não ocorreram credenciamentos, o governo vai contratar profissionais de outros estados.

 ____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Ônibus incendiado

 

Polícia espera laudo do IGPA

Polícia Civil aguarda o laudo do Instituto Geral de Perícias (IGP) para iniciar as investigações sobre o incêndio no ônibus da Transol Transportes Coletivos, no final da tarde de segunda-feira, próximo ao Terminal do Centro, na Capital.

A princípio, um homem com cabelo estilo moicano teria provocado o incêndio. Mas o delegado Claudio Palma, da 1a DP, disse que a possibilidade de problema mecânico não está descartada. O laudo deve ficar pronto em 10 dias.

A empresa não acredita em problema mecânico, pois o fogo começou na traseira e o motor se localiza na parte da frente. O prejuízo foi calculado em cerca de R$ 100 mil.

O veículo estava estacionado ao lado da Praça da Bandeira. A explosão chamou a atenção das pessoas, e antes que labaredas consumissem todo o coletivo, o homem teria saído correndo em direção ao camelódromo da Baía Sul.

– Nenhuma hipótese está descartada. Nós estamos tentando ajudar a polícia, falando com pessoas que viram, como comerciantes próximos, pois a princípio não existem imagens – conta o gerente de tráfego da Transol, José Vilonei de Campos.

Mesmo não eliminando “nenhuma hipótese”, o gerente considera que o clima está bom na empresa e acha difícil alguma retaliação, lembrando que, por causa do acordo coletivo, não tem havido demissões ou ameaças.

O veículo incendiado ontem foi fabricado em 2001 e teria ainda mais dois anos de vida útil.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Formação de policiais tem aula inaugural

 

Formação de policiais tem aula inaugural

A Secretaria da Segurança Pública começou ontem o processo de formação de 345 novos policiais civis aprovados em concurso público em 2010, e nomeados em fevereiro deste ano. A aula inaugural do curso foi no Teatro Pedro Ivo Campos.

O secretário da Segurança Pública, César Grubba, fez um diagnóstico das ações desenvolvidas em 2011 e antecipou os projetos para 2012.

A aula inaugural teve a participação de 345 dos 513 policiais nomeados pelo governador Raimundo Colombo. Serão 24 delegados, 27 psicólogos, 68 escrivães e 226 agentes que, nos próximos quatro meses, farão o Curso de Formação Civis.

O delegado-geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila, esclarece que, como o total de vagas não foi preenchido, os candidatos remanescentes terão novo prazo de 30 dias para se matricularem. Do contrário, serão chamados os restantes da lista.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Fila de carros para comprar drogas

 

Fila de carros para comprar drogas

Polícia Militar afirma que seriam de usuários, que vão até o alto de comunidade da Capital em busca de cocaína e maconhaAs imagens mostram uma fila de veículos no alto do Morro do 25, no Bairro Agronômica, região central de Florianópolis. Alguns são caminhonetes importadas. É luz do dia. A Polícia Militar (PM) afirma que trata-se da movimentação do tráfico de drogas, principalmente de usuários de classe média alta em busca de cocaína e maconha.

As cenas foram filmadas na tarde da última segunda-feira por policiais do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) do 4o Batalhão da PM (BPM). Com o flagrante das negociações, a PM montou uma operação. Dois adultos e um adolescente de 17 anos, detidos no morro, foram levados para a Central de Polícia.

– Em mais de duas horas de filmagens, conseguimos filmar a movimentação de olheiros e carros de usuários de ‘classe A’ buscando drogas, principalmente cocaína. Esse mercado é voraz – ressaltou o tenente Rafael Vicente, responsável pela operação na Rua João Carvalho.

Um dos usuários foi abordado pela PM na Avenida Beira-Mar Norte, após comprar maconha. Conforme o tenente, era um homem com curso superior. Foi preso no morro Robson Rodrigues da Silva, 27 anos, autuado em flagrante por tráfico de drogas, na Central de Polícia.

O DC não teve acesso a ele nem ao seu advogado. O adolescente foi liberado e o usuário responderá a um Termo Circunstanciado por posse de maconha. Foram apreendidas na ação 100 gramas de pasta base de cocaína, uma balança, R$ 150 e um pé de maconha. O dono do ponto de drogas não foi preso.

O fluxo de usuários em plena luz do dia no Morro do 25 chamou a atenção dos policiais. Carros e motos param no alto, onde são feitas as encomendas. Os olheiros entram no carro e levam os compradores até a metade do morro, onde pegam e entregam a droga. Os criminosos conversam por radiocomunicadores.

Em outra ação recente, a PM gravou conversas no local. Os diálogos dos traficantes mostram planejamento no cuidado da entrada e saída do morro e também ameaças de punição aos que dormem na vigia e não ficam ligados com o que está acontecendo (veja quadro).

Em novembro do ano passado, outro vídeo gravado pela PM no Morro do Mocotó (também no Maciço do Morro da Cruz) revelava a busca de pessoas com alto poder aquisitivo por drogas. As cenas mostravam homens bens vestidos e engravatados atrás de cocaína, maconha e crack.

O monitoramento dos pontos de tráfico dos morros centrais da Ilha é estratégia de ação do comandante do 4o BPM, tenente-coronel Araújo Gomes. A intenção é sufocar financeiramente o varejo de drogas e chegar aos chefes do tráfico destes locais.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Haja cebola!

Dois homens – um brasileiro de 25 anos e um argentino de 33 – foram presos, na noite de domingo, com R$ 380,7 mil em dinheiro sem origem comprovada. As notas estavam sob os bancos e o painel do Gol em que os dois viajavam, com placas de Bom Jesus do Sul (PR). Eles foram parados no km 120 da BR-163, em Dionísio Cerqueira, numa ação conjunta das polícias Federal e Rodoviária Federal. Segundo o delegado Marcio Anater, a dupla disse que usaria o dinheiro para comprar cebolas em Ituporanga.

 

Dois flagrados com cocaína

Marcelo Pereira, 22 anos, e Rodrigo Reinherdt, 20, foram presos na segunda-feira, pela Polícia Militar (PM), com cerca de um quilo de cocaína, uma balança de precisão, nove celulares, R$ 3 mil, uma pistola 9 mm e um revólver calibre 38.

Com a dupla, que estava no Bairro Canasvieiras, no Norte da Ilha de Santa Catarina, a PM também encontrou um caderno de contabilidade, no qual eram registradas as vendas e encomendas de drogas.

 

De acordo com a Polícia Civil, Pereira tem passagem por tentativa de homicídio. A ficha de Reinherdt inclui ocorrências de furto, tráfico e roubo.

Eles seriam responsáveis diretos pelo abastecimento de consumidores e de pequenos pontos de tráfico na região. Os dois foram levados para a Central de Plantão de Polícia.

 

Carro de homem que sumiu é encontrado

A Polícia Civil ainda não tem pistas de um homem de 53 anos que sumiu na última sexta-feira em Palhoça, na Grande Florianópolis. Ontem, o carro dele foi achado, com vestígios de sangue, numa rua deserta da cidade. A equipe de investigação acredita que a vítima pode ter sido sequestrada, assassinada ou mesmo roubada e depois morta. Na sexta-feira, o homem saiu de carro e não foi mais visto. Até o fechamento desta edição, nenhum suspeito havia sido preso.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Polícia vai fazer reconstituição da morte de criança em Joinville

 

 

Polícia vai fazer reconstituição da morte de criança em Joinville

Suspeito do crime, o padrasto do menino, aceitou participar do procedimento que será realizado na quinta-feira (22/3)

Segundo a polícia, Marcelo Buss Bernardes é suspeito de ter agredido a criança

Suspeito pela polícia de ter matado o menino Ítalo Fernandes de Matos, de um ano e sete meses, Marcelo Buss Bernardes, 41, confirmou nesta terça-feira (21) que vai participar da reconstituição, marcada para quinta-feira (22), às 9h, na casa onde ele morava junto com a companheira na rua Castro Alves, no bairro Saguaçu.

A polícia quer fazer da reconstituição um dos pontos fortes para esclarecer a morte do menino. Marcelo Bernardes, padrasto da criança, argumenta que houve um acidente e que a criança caiu de cabeça ao subir em uma cadeira. O laudo aponta que Ítalo morreu de traumatismo craniano duplo (na frente e atrás da cabeça). O delegado Wanderson  Joanna diz que a criança tem hematoma nas costas, nos braços e nas pernas, que seriam provocados por atos de agressão. Fotos comprovariam que a criança não tinha hematomas um dia antes da morte

 

 

 

 

 

 

ACONTECEU NA ALESC

 

 

Eskudlark relata projeto do adicional de permanência para policiais civis

Votação em plenário deve acontecer nesta quarta (21)

Policiais civis estão na expectativa em torno da aprovação do projeto de lei complementar do governo que instituiu o adicional de permanência 5 até 25% para categoria ao se aposentarem, incluindo os peritos oficiais e servidores do sistema prisional e sócio educativo. O deputado Maurício Eskudlark (PSD) será o relator nesta quarta-feira (21), na Comissão de Segurança Pública da Assembleia, e adiantou parecer favorável à matéria que já passou pelas comissões de Justiça e de Finanças. Vai pedir ainda que seja encaminhada ao plenário, para votação final ainda nesta quarta.

O adicional de salário havia sido objeto de Indicação do deputado no parlamento em setembro do ano passado, quando também sugeriu a adequação legal para implantar ainda o “adicional de equivalência”, de 25% sobre os vencimentos ao se aposentarem. Chegou a negociar emenda com o governo, mas por questão de urgência na tramitação do atual projeto ficará para discussão nos próximos meses. Mesmo assim, o adicional concedido pelo governo, segundo Eskudlark, representa um avanço e servirá de estímulo para que profissionais experientes permaneçam em serviço. “O governo finalmente esta corrigindo uma injustiça e uma desigualdade já que os policiais militares já gozam do beneficio há bastante tempo”, observou.

 

BLOGS

 

Cláudio Prisco

 

Investimentos e segurança21 de março de 2012

 Empresário Sandro Lopes, presidente da empresa Vistto, recebe hoje, em Florianópolis, comitiva liderada pelo norte-americano Anthony Fabiano, presidente mundial da AS&E (American Science and Engineering Inc.), uma das maiores fabricantes de equipamentos de segurança de alta tecnologia do planeta.

Na semana retrasada, uma comitiva de integrantes do primeiro escalão do governo, liderada pelo vice Eduardo Moreira e o secretário Cesar Grubba (Segurança), visitou a fábrica da AS&E em Boston (EUA) para aprofundar o conhecimento da tecnologia, a estrutura e a capacidade da empresa e os reais interesses em trazer a montadora para o Estado.

Amanhã, Lopes e Anthony mantêm agenda com o governador Raimundo Colombo, quando serão tratados dos interesses da AS&E implantar uma unidade em Santa Catarina, a primeira fora dos EUA.