Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 08 de março

8.3.2012

CLIPPING

08 de março 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Caixas eletrônicos

                   Ataques às unidades policiais

                   Bombeiros voluntários e militares

 

 

PIADA PRONTA

Ninguém duvida das boas intenções da Secretaria de Segurança para tentar resolver o problema dos ataques aos caixas eletrônicos. Mas a sugestão de retirar o dinheiro dos caixas à noite virou piada nas redes sociais.

Agora, sobre prender os autores das explosões, ninguém falou nada.

 

SEMPRE ALERTA

Ameaças de supostos ataques às unidades policiais, promovidas por uma organização criminosa com base na Penitenciária de São Pedro de Alcântara, fizeram com que os plantões nas delegacias e unidades da PM fossem reforçado no final de semana.

***

Os ataques seriam para “comemorar” os seis anos do PCC, aquele bando que parou São Paulo em 2006. Felizmente, nenhuma ameaça se concretizou. Mas é bom ficar ligadinho….

 

GASOLINA NA FOGUEIRA

Manifestação do deputado Moacir Sopelsa (PMDB), na tribuna da Assembleia, jogou ainda mais gasolina na fogueira em que se transformou a disputa de atribuições entre bombeiros militares e voluntários nos municípios da região Oeste. O comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel José Luiz Masnik, desatou a comentar no Twitter o porquê da ilegalidade desta proposta. E com apoio integral da tropa.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Abelhas, colisão e atropelamento

 

Abelhas, colisão e atropelamento

O dia de ontem na vida de Alexandro Rodrigues teve uma sequência perigosa e inusitada às margens da SC-405, na Capital

O motorista de caminhão Alexandro Tristão Rodrigues, 40 anos, dormiu feliz depois de sobreviver a um ataque de abelhas e escapar de ser atropelado por uma retroescavadeira, ontem de manhã, na Capital.

Eram 11h e ele trabalhava, como faz há 20 anos, na rodovia SC-405, no Campeche. O sol estava forte e a janela da cabine estava aberta quando uma nuvem de abelhas transformou o dia do motorista. Para fugir do ataque, típico de roteiro de filme, ele saiu correndo e nem teve tempo de pegar o celular. Guiado pelo impulso, foi até o posto da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), onde pediu socorro.

Os bombeiros foram chamados para conter o exército de abelhas para alívio de Alexandro. Mal sabia ele, mas este era apenas o primeiro susto.

Quando retornou ao caminhão, percebeu que a caçamba havia emperrado na posição elevada. Foi quando chegou uma retroescavadeira para retirar as pedras e baixar o basculante. Enquanto aguardava o conserto, Alexandro sentou algumas vezes em um ponto de ônibus perto dali. Às 12h10min, ele dividia o assento com uma senhora quando, novamente, foi surpreendido. Ele viu quando um caminhão carregado com combustíveis, que transitava pela rodovia no sentido Centro-Sul da Ilha, bateu contra a retroescavadeira. Com o impacto, o trator foi arremessado em direção à parada de ônibus.

E num piscar de olhos, Maria Aparecida da Silva, 37 anos, que estava ao seu lado, foi atingida. Ela foi socorrida pelo Samu e encaminhada ao Hospital Celso Ramos no helicóptero Arcanjo.

 

Acostumado com dias agitados

Ainda sob efeito de remédios para tratar as picadas das abelhas e diminuir o nervosismo causado pela sequência de sustos, Alexandro conta com poucas palavras os momentos inusitados que viveu. Para ele o pior susto foi em relação a mulher que acabou atingida pelo trator.

– Eu consegui dar um passo e escapar. A mulher que aguardava o ônibus não teve a mesma sorte. Fiquei muito preocupado com ela. Mas eu já estou acostumado a enfrentar situações mais arriscadas enquanto estou trabalhando, afinal, sou motorista de caminhão – ressaltou.

A mulher de Alexandro, Rosimeri, orgulha-se do marido.

– Só soube quando cheguei em casa, às 16h. Levei um susto, mas pelo menos sei que ele está bem. Ele não costuma ter muito azar, mas acho que, neste caso, ele teve muita sorte.

A senhora atropelada passou por uma cirurgia por ter sofrido fratura nas pernas. Ela permanece hospitalizada em observação, mas seu quadro é estável. Alexandro, apesar do sobrenome Tristão, sorri aliviado, apesar do dia de cão que teve ontem às margens da SC-405.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

 

Motociclista morre em acidente com ônibus

Um acidente na manhã de ontem, na Rua Ludovico Merico, no Bairro Dom Joaquim, em Brusque, ocasionou a morte de uma motociclista. A condutora da moto CG Titan, Catea Adriana Veneri Martinenghi, 38 anos, bateu contra um ônibus do transporte coletivo às 10h10min. Ela teve fratura exposta em uma das pernas e sintomas de hemorragia interna.

 

Homem morre após sofrer descarga elétrica

Um homem morreu ontem após sofrer uma descarga elétrica no Raposo Shopping, na região do Butantã, zona oeste de São Paulo.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente aconteceu por volta das 5h30. Dois carros da corporação foram encaminhados para o shopping, mas a vítima morreu ainda no local.

 

Apagão atinge 30% da cidade em Criciúma

Um problema numa subestação de energia elétrica da Celesc em Criciúma causou um apagão em cerca de 30% da cidade no início da noite de ontem.

Parte da região atingida teve o serviço normalizado após cerca de 30 minutos, mas em alguns bairros a previsão era de que a energia só seria restabelecida durante a madrugada.

As quedas de energia por falha no transformador da subestação do Bairro Ceará já haviam acontecido na terça-feira, quando faltou luz por alguns minutos. O problema atingiu parte do Centro e os bairros Pio Corrêa, Próspera, São Luiz, Morro Estevão e Quarta Linha.

Ontem, pouco antes das 18h, um novo apagão exigiu a substituição do transformador. O desligamento dos semáforos complicou o trânsito.

Os técnicos que faziam os reparos para reposição do sistema julgaram necessário trocar todo o sistema de baixa tensão para evitar o risco de novos apagões. O procedimento exigiu a presença de uma equipe da Capital. Por isso, os bairros Morro Estevão e Quarta Linha continuariam sem energia até a madrugada. Na região central, o fornecimento foi restabelecido de forma gradual.

 

Crianças treinadas para agir nas praias

Crianças de Barra Velha foram treinadas pelos Bombeiros Militares pelo projeto Golfinhos a reconhecer os perigos do mar, as áreas de risco e as bandeiras de sinalização. O projeto envolve crianças de sete a 15 anos e se inspirou na iniciativa do Rio chamada Botinho. A ideia dos bombeiros é educar as crianças para diminuir os riscos em contato com a praia. Participaram, ainda, instrutores guarda-vidas.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Helicóptero próprio para os bombeiros

 

Helicóptero próprio para os Bombeiros

A partir de amanhã, o Corpo de Bombeiros de SC passará a atender ocorrências com helicóptero próprio.

O Estado comprou uma aeronave para substituir a que está em operação e é locada. Os recursos para aquisição e manutenção são de R$ 5 milhões, divididos entre o fundo de melhoria do Corpo de Bombeiros e a Secretaria de Estado da Saúde.

O helicóptero Arcanjo 01 chegou na terça-feira. É um modelo Esquilo As 350 B2, usado, equipado com câmera de margeador térmico para apoio a operações de busca, farol para operações noturnas, sirene e megafone para orientação a banhistas. Também dispõe de equipamento para operações de combate a incêndio florestal e sistema anticolisão.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros de SC, coronel José Luiz Masnik, afirmou que o ideal seriam dois helicópteros na corporação. Hoje, são atendidas pelo Arcanjo em média 100 ocorrências por mês na Grande Florianópolis.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Diário do Leitor

Assunto: Forças Armadas

 

Forças Armadas

Algo de muito estranho está ocorrendo nas Forças Armadas. Digo isto pois os recrutas estão recebendo fardamentos velhos, usados, que foram de outra turma que já saiu. A alimentação, que embora não fosse muito boa, agora piorou de vez. Até mesmo o muro da escola de aprendizes de marinheiros não é mais pintado. Reduzir custos é uma coisa, agora, descaso, por política, é outra coisa muito grave.

Adolfo José Bruggemann

Por e-mail

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Política

Assunto: Código Florestal

 

Ideli quer evitar “surpresas”

O relator do Código Florestal na Câmara, deputado Paulo Piau (PMDB-MG), apresentou, ontem, a sua proposta de reforma no Código Florestal com 28 alterações em relação ao texto do Senado. A iniciativa vai enfrentar resistência do Planalto.

Em conversa com os líderes da base, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) reafirmou, ontem, que o Planalto insiste em manter o projeto aprovado no Senado, em dezembro. A fala irritou os ruralistas e coloca em risco a votação, prevista para a próxima semana.

Um protesto contra a votação do novo Código Florestal reuniu, na manhã de ontem, cerca de 1,1 mil pessoas no gramado em frente ao Congresso. A ação faz parte da campanha nacional #MangueFazaDiferença, formada por 163 ONGs, e que percorreu 35 praias do litoral em defesa das florestas e da preservação das áreas ecológicas.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Caixas eletrônicos

 

Onde será a próxima?

Na madrugada de ontem, moradores de Pomerode, no Vale do Itajaí, testemunharam a 57a explosão de caixa eletrônico em SC– Vão dormir, vão! A ordem do assaltante armado foi clara ao casal. Os dois foram à janela do quarto onde dormiam, logo após ouvirem uma explosão muito forte perto da casa onde moram há um mês, na SC-418, no Bairro Testo Central, em Pomerode, na madrugada de ontem. Ao notarem que o barulho vinha da agência da cooperativa de crédito Acredi Coop, ao lado da empresa Kyly, pediram aos três filhos que deitassem no chão para se esconder.

Mesmo com a ameaça do bandido, o homem insistiu e ficou espiando por trás da cortina. Dali, testemunhou os cinco minutos que quatro bandidos levaram para carregar o dinheiro de um caixa eletrônico em duas sacolas de cor bege e fugir em direção à BR-470. Desde janeiro de 2011, são pelo menos 57 ataques a caixas eletrônicos em Santa Catarina, segundo a assessoria da Polícia Civil, com dados da Polícia Militar.

A ação começou por volta das 3h. Outra moradora das imediações da agência percebeu quando o quarteto chegou em uma caminhonete Nissan Frontier prata. Quando ouviu o barulho do veículo, ela foi até a janela para fechá-la, pensando ser movimentação de vizinhos. Ao ver que um homem desceu com uma arma de cano longo, usando roupas pretas e com o rosto escondido, ela avisou a prima que estava dentro da casa, e as duas se esconderam.

Neste momento, começava a preparação para a explosão do equipamento. Um dos assaltantes se escondeu atrás de um boneco amarelo usado como propaganda em frente à Kyly, e o outro ficou do lado oposto, protegido por uma placa de anúncios. Enquanto isso, os outros dois arrombaram a agência, disparando o alarme. Mesmo com o barulho, eles prosseguiram com a ação.

Do lado de fora, a dupla continuava atenta e mirando a arma para qualquer movimentação suspeita. Nas casas e apartamentos vizinhos, pessoas se esforçavam para entender o que ocorria. Com os explosivos instalados, a detonação veio logo em seguida, e assustou a mulher e a prima.

– Tremeu tudo. Fiquei escondida e com medo de que os vidros estourassem – contou.

 

Morador testemunhou ação dos bandidos

A fumaça e os vidros estilhaçados no chão chamaram a atenção do casal que testemunhou o roubo. O morador viu a cena quando foi à janela, após a explosão, e recebeu a ordem do bandido que estava atrás do boneco amarelo para voltar para a cama.

– Eles ainda conversaram entre eles. O que ficou do outro lado avisou que alguém estava espiando e ele disse que só estávamos olhando por que acordamos com a explosão.

Terminado o serviço, os dois ladrões que estavam do lado de dentro da agência avisaram os companheiros por um assobio. Em poucos segundos, os quatro estavam dentro da caminhonete, deixando para trás a agência destruída.

– Foi tudo muito profissional. Até o jeito deles se movimentarem era incomum. Eles tinham muitos equipamentos e usavam um capacete diferente, que parecia ter até fones de ouvido – detalhou o morador.

Na manhã de ontem, depois do furto, o Instituto Geral de Perícias esteve na cooperativa e fez a análise do local. Muitos curiosos se juntaram na agência em busca de informações. A unidade, que tem movimento intenso nos dias úteis, ficou fechada para o trabalho de peritos e da polícia.

Muitos chegaram e saíram desanimados com a resposta de que não poderiam retirar o pagamento do mês naquele momento.

 

Inteligência seria a solução

Os crescentes ataques a caixas eletrônicos demonstram que as quadrilhas estão organizadas e bem amparadas. Esta é a opinião do coordenador do curso superior de tecnologia em Segurança Pública da Unisul, Itamar Pedro Bevilaqua. Para ele, os bandidos têm um bom aparato para trabalhar livremente:

– Esses criminosos calculam todos os passos que vão dar. E, na maioria, conseguem com sucesso.

Bevilaqua explica ainda que a polícia precisa trabalhar de forma integrada e especializada, criando um núcleo próprio de inteligência para atuar exclusivamente no combate a estes criminosos.

Na terça-feira, a cúpula da Segurança Pública se reuniu com representantes de bancos para discutir medidas que possam reduzir os ataques. Uma das possibilidades seria a retirada de dinheiro dos caixas entre meia-noite e 4h. A decisão depende de uma nova nova reunião.

O delegado-geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila foi procurado ontem para falar das medidas que vêm sendo tomadas em relação aos ataques, mas não retornou o contato até o fechamento desta edição.

 

No Alto Vale, fuga e tiroteio

Uma tentativa de ataque à agência do Banco do Brasil terminou com bandidos em fuga e sem dinheiro em Braço do Trombudo, no Alto Vale do Itajaí, na madrugada de ontem.

Homens encapuzados renderam um vigia do banco por volta das 3h. Porém, o alarme da agência, que disparou, e a movimentação de funcionários de uma empresa vizinha assustaram os bandidos.

Eles fugiram em uma caminhonete por uma estrada sem calçamento para Otacílio Costa, mas foram alcançados pela polícia. Para despistar, colocaram fogo no carro e fugiram em outro veículo, que os aguardava na estrada.

Durante a fuga, os bandidos foram surpreendidos por uma viatura da PM de Otacílio Costa, que vinha em sentido contrário.

O carro dos assaltantes capotou e houve troca de tiros. A quadrilha entrou numa floresta, conseguindo escapar dos policiais.

A suspeita da PM é que sete homens estavam envolvido na ação. Apesar das buscas durante todo o dia de ontem, ninguém foi encontrado.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Bando é denunciado por morte de policial

Os três homens presos suspeitos de participar do assassinato do policial rodoviário federal Leonardo Valgas, 36 anos, em Florianópolis, foram denunciados por homicídio, roubo e porte ilegal de arma pelo Ministério Público Federal (MPF).

A denúncia chegou na segunda-feira à 2a Vara Criminal da Justiça Federal. Se for aceita, é possível que eles sejam levados a júri popular ao final do processo.

Os presos denunciados pela morte são João Antonio Neto Santana Santos, o Netinho ou Neto, 23 anos, Ricardo Elias Ferreira, o Firmeza, 23, e Paulo Henrique Reis dos Santos, o Topete ou Palmito, 25. Uma mulher que não teve o nome divulgado e está em prisão domiciliar foi denunciada por porte de arma.

Os três são de Londrina (PR), e em janeiro foram transferidos para a Penitenciária Federal de Mossoró (RN), a pedido da Polícia Federal, por questões de segurança. Valgas foi morto na manhã do dia 9 de dezembro do ano passado, no Bairro Coqueiros, região continental da Capital.

 

Operação que prendeu o trio durou 10 horas

O policial trabalhava como motociclista da PRF na Via Expressa. Naquela manhã, saiu em perseguição a um carro suspeito. Em Coqueiros, os homens que estavam no carro surpreenderam o policial dando marcha à ré e atingindo a sua moto. Depois, o executaram com um tiro.

Uma grande mobilização policial foi feita, e os três acabaram presos no mesmo dia numa casa no Bairro Bela Vista, em São José, na Grande Florianópolis. Eles foram reconhecidos por filmagens na região onde abandonaram os carros utilizados na fuga.

 

Polícia adia a transferência de suspeito

A Polícia Civil adiou a transferência, prevista para ontem, de Bruno Linhares, 23 anos, da cela provisória da Delegacia de Palhoça para a Central de Triagem do Estreito, na Capital.

Bruno é o principal suspeito de ter matado a menina Rafaela Schlemper de Melo, 10 anos, que foi vítima de uma bala perdida na frente de casa. A menina morreu na noite de sábado, em Palhoça. De acordo com o delegado Attilio Guaspari, da DP de Palhoça, responsável pelo caso, o suspeito deve ser transferido nos próximos dias para a unidade prisional da Capital, onde cumprirá prisão temporária de 30 dias.

Em depoimento, Bruno, que se apresentou com o advogado, na tarde de terça-feira, disse que não foi responsável pela morte da menina. O alvo dos disparos foi Cleito Ademilson Teles, que também foi atingido e acabou morrendo no hospital. Bruno admitiu uma desavença e que estava sendo ameaçado por Cleito.

Um laudo preliminar do Instituto Geral de Perícias (IGP) do local do crime está pronto, mas detalhes ainda não foram divulgados. O laudo oficial poderá apontar a arma utilizada, por exemplo. De acordo com o Instituto Médico Legal, a conclusão da perícia oficial deve ocorrer até 30 dias após a solicitação do delegado.

 

Dupla rouba carro e atira no pé do dono

Ladrões roubaram um carro e balearam o dono do veículo, na noite de ontem, em Biguaçu, na Grande Florianópolis. O homem estava dentro do veículo, da marca Chery, no Bairro Jardim Janaína, quando foi abordado por dois assaltantes que chegaram a pé e armados. A vítima foi atingida com um tiro no pé. Segundo testemunhas, os bandidos fugiram pela BR-101, no sentido Norte, no carro de cor prata e placas MJM1322.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Protesto contra falta de segurança em escola do Rio Vermelho

 

 

 

                                                   

Pais, alunos e professores protestam contra falta de segurança em escola do Rio Vermelho

Os manifestantes fecharam o trânsito da rodovia que corta o bairro e garantiram que farão o mesmo até que sejam atendidos pelo governo

 Estudantes, pais e professores fecham rodovia em protesto

Pais, alunos e professores do ensino médio noturno da Escola Antônio Paschoal Apóstolo, no Rio Vermelho, Norte da Ilha, protestaram na noite desta quarta-feira (7) contra a falta de segurança e estrutura no local. O trânsito na rodovia João Gualberto Soares foi interrompido durante 30 minutos pelos manifestantes. Os pais garantiram que não deve haver aulas também nesta quinta e sexta-feira, como forma de pressionar o governo. O trânsito na rodovia será novamente fechado nos dois dias durante uma hora.

Desde o começo do ano letivo, quando a escola mudou de espaço, professores e alunos convivem com medo de pessoas mal intencionadas que frequentam as redondezas da escola. Na última semana, os extintores de incêndio do colégio foram furtados e um pai foi agredido por repreender rapazes que usavam drogas.

Sem vigilância humana ou eletrônica, as aulas, que deveriam acontecer até às 22h20, eram suspendidas às 20h45 para garantir a segurança de professores e alunos.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto:  Bombeiros registram 1,8 mil pedidos de atendimento por picadas de abelhas a cada ano

 

Bombeiros registram 1,8 mil pedidos de atendimento por picadas de abelhas a cada ano

Nesta quarta-feira, um caminhoneiro foi atacado no Sul da Ilha

Policial Adalberto Antônio da Silva foi atacado por quase quatro mil abelhas, em 2010O ataque de abelhas sofrido por um caminhoneiro na manhã desta quarta-feira em Florianópolis é fato comum na região. Segundo estatística do Corpo de Bombeiros, por ano são registrados 1.825  pedidos de socorro de vítimas das abelhas africanizadas.

A professora da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), especialista na área, Josefina Steiner explica que os insetos são mais frequentes no final do verão, devido ao voo migratório em busca de uma nova colmeia. E que os animais, têm uma preferência instintiva pela ilha – que cada vez tem menos mata nativa e mais asfalto. Essa é uma das causas de conflito entre as espécies.

A professora explica que a espécie de abelhas que ataca é a africanizada. Uma miscigenação entre as famílias europeias e africanas, trazidas pelo professor Warwick Estevam Kerr para o Brasil, na década de 50. As famílias dessa espécie vivem principalmente na serra catarinense e podem ter até 60 mil operárias, além da rainha.

No final do verão, a colméia se divide. Um voo migratória inicia a procura de uma nova rainha e outra morada. Isso traz os insetos à cidade. “Elas não tem ambiente adequado para descansar”, defende o apicultor Reinaldo Pereira. No convívio com humanos, as pequenas voadoras, podem se sentir ameaçadas.

 “Nesse caso, elas liberam um feromônio de alerta para preparar o grupo para o ataque”, ensina Josefina. A ofensiva do grupo pode ser fatal. O médico alergista Paulo Ferreira Lima, explica que “50 picadas são suficientes para que o paciente tenha uma reação tóxica, causada pelo veneno da abelha”.

No geral, há dois tipos de reação – dor, inchaço e vermelhidão – quando são poucas as ferroadas. E choque anafilático, que pode ser fatal. “Mas é raro no país, nossa mistura de índio, negro, branco nos trouxe uma imunidade natural”, explica Ferreira Lima.

Para os compatriotas que são exceções e tem alergia há uma vacina. O médico explica que o processo é homeopático, pequenas doses são aplicadas mensalmente no paciente entre três e quatro anos. Quando a vacina chega a 100 mg de veneno se consegue à cura.

 

Sobrevivente supera o Guinness.

Adalberto Antônio da Silva foi atacado por quase quatro mil abelhas, em 2010, no Morro da Cruz, em Florianópolis. Os médicos do Hospital Universitário contaram 3.820 ferroadas no corpo do policial. O sobrevivente superou o recorde do Guinness, que registra que o maior número de picadas de abelha suportada por um sobrevivente humano é 2.443. Johannes Relleke sobreviveu as ferroadas na mina de estanho Kamativi, no Zimbábue, em 28 de janeiro de 1962.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Delegacias estão fora do padrão para guardar carros furtados

 

Delegacias estão fora do padrão e sem local para guardar carros furtados

Com o depósito superlotado, veículos recuperados ficam em frente a DP atrapalhando o trânsito e sujeitos a serem furtados, como o Jetta.

 Delegacia fora do padrão

O furto de um Jetta, carro apreendido pela PM, na frente da 4ª DP de Coqueiros retrata bem a falta de estrutura de algumas delegacias da Capital. Além de estarem fora de padrão não existem pátios para deixar carros furtados.  Na 2ª DP do Saco dos Limões a situação é semelhante. Vários veículos estão amontoados na frente e nos arredores da unidade policial, atrapalhando  o trânsito. Além disso, as duas delegacias não dispõem de carceragens. Conheço bem os funcionários. Desde os agentes e até os delegados. São tiras experientes, cuja missão é investigar e prender, mas jamais vigiar carros apreendidos. A Secretaria da Segurança Pública precisa rever a situação de algumas delegacias. No governo Paulo Afonso foram construídas três DPs em São José.  Havia planos para mais construções de delegacias na região metropolitana da Grande Florianópolis, mas ele não se reelegeu e os projetos ficaram engavetados.

 

 

ACONTECEU NA ALESC

 

 

Ataques a caixas eletrônicos: Eskudlark cobra soluções e ações conjuntas com bancos

O deputado Mauricio Eskudlark (PSD) lamentou, na tribuna da Assembleia, que o comércio e as instituições bancárias estejam reagindo com a retirada de caixas eletrônicos de locais estratégicos, na Capital e cidades do interior, devido à onda de ataques e explosões por parte de quadrilhas especializadas, o que já se tornou comum em todo estado.

Para ele, resolve-se um problema e cria se outro com prejuízos e falta de opções para a população e a centralização do movimento nas agências. Na opinião de Eskudlark, as instituições financeiras também devem investir mais em segurança para os clientes e discutir ações em conjunto com a segurança pública do estado.

O parlamentar disse que confia na determinação do governador e na ação da secretaria de Segurança Pública para deter a ação das quadrilhas, que, ao seu ver, já estão promovendo “uma espécie de guerrilha” pelas constantes explosões em áreas urbanas e centrais.

 

Bombeiros Voluntários

A tramitação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 1/2012, que permite aos municípios realizar convênios com bombeiros voluntários para fiscalização de projetos, edificações e obras e certificação do atendimento às normas de segurança contra incêndio, foi o principal assunto da sessão ordinária desta terça-feira (6). Atualmente na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a PEC, de autoria da Mesa, tem parecer contrário do relator da matéria, Sargento Amauri Soares (PDT), que alega inconstitucionalidade.

Maurício Eskudlark afirma que o Estado deve ter responsabilidade ao delegar o poder da concessão de licenças e de fiscalização aos bombeiros voluntários, para não trazer prejuízos à população. “Desejo que haja consenso entre as partes, deixando-se as vaidades de lado e pensando no bem do cidadão catarinense”. 

 

 

Estado terá que divulgar dados sobre violência contra mulher a cada seis meses

A Assembleia Legislativa aprovou na sessão desta quarta-feira (7) o Projeto de Lei (PL) 30/2011, que obriga o governo estadual a registrar e divulgar os índices de violência contra a mulher em Santa Catarina. O PL é de autoria da deputada licenciada Ada de Luca (PMDB), com emenda substitutiva global do parlamentar Joares Ponticelli (PP).

O registro e a divulgação dos dados serão feitos pela Secretaria de Estado da Segurança Pública. Devem ser informados o número de ocorrências registradas pelas polícias Civil e Militar por tipo de delito, número de inquéritos instaurados pela Polícia Civil por tipo de delito e o número de inquéritos encaminhados ao Ministério Público e ao Poder Judiciário.

A lei prevê ainda que todos os dados deverão ter a indicação da raça/cor das vítimas. A divulgação dos dados será feita semestralmente, organizados pelas secretarias de Desenvolvimento Regional.

Segundo a deputada licenciada, uma das maiores dificuldades enfrentadas no combate à violência contra a mulher é justamente a falta de dados periódicos sobre a prática criminal e sua distribuição geográfica e temporal. Para Ada, a divulgação dos dados “ajudará, também, na avaliação das políticas públicas para combater, prevenir e, ainda, para criar campanhas de esclarecimento ao cidadão.”

 

 

 

 

Comissão de Segurança Pública agenda reunião para discutir PEC dos Bombeiros

O destaque da reunião da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, realizada na manhã desta quarta-feira (07) e presidida pelo deputado Gilmar Knaesel (PSDB), foi a aprovação de requerimento de autoria do deputado Kennedy Nunes (PSD) que pretende promover um debate sobre a Proposta de Emenda Constitucional 01/2012 com representantes dos bombeiros militares, comunitários e voluntários, além do Ministério Público, da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e da Secretaria de Estado de Segurança Pública. O encontro ficou agendado para a próxima quarta-feira, dia 14, às 10 horas, no Palácio Barriga Verde.

A PEC estende aos municípios o direito de realizar convênios com os corpos de bombeiros voluntários para fiscalização de projetos, edificações e obras e certificação do atendimento às normas de segurança contra incêndio. No momento, a PEC aguarda deliberação Comissão de Constituição e Justiça da Casa. “Precisamos debater este assunto sem qualquer tipo de paixão, vaidade ou disputa por poder. Queremos ouvir as partes envolvidas na questão sem emitir pareceres. Esse é o papel desta Comissão, fomentar essa discussão para esclarecer o tema para o cidadão catarinense”, afirmou Nunes.

Aprovações

A Comissão de Segurança Pública também aprovou nesta manhã dois projetos de lei. O PL 347/2011, da deputada Ana Paula Lima (PT), determina que sejam mantidas placas informativas, com dados referentes à manutenção, vistoria técnica e eventuais riscos na utilização, em todos os brinquedos e demais atrações existentes em parques de diversões no âmbito de Santa Catarina. A matéria segue agora para a Comissão de Saúde.

O PL 59/2011, de autoria do deputado Maurício Eskudlark (PSD), trata da obrigatoriedade da fixação de adesivos nos veículos de transportes coletivos com a frase “Disque 181 – Denuncie todo ato criminoso”. “A nossa intenção é que o cidadão, visualizando constantemente o número do disque-denúncia, possa ter essa lembrança e ligue para o 181 ao verificar casos de irregularidades ou ações criminosas, participando de forma efetiva para melhorar a segurança pública em Santa Catarina”, disse Eskudlark. O projeto será encaminhado para apreciação em plenário.

Na reunião, Gilmar Knaesel sugeriu aos parlamentares a elaboração de um cronograma anual prevendo a realização de nove audiências públicas nas macrorregiões do Estado. “Esta área é tão sensível, tão complexa, que não podemos ficar esperando aqui na Assembleia Legislativa para que os problemas venham até nós para buscarmos soluções. Queremos fazer um trabalho proativo, visitando todas as regiões de Santa Catarina, interagindo com a sociedade”, declarou Knaesel.

A primeira audiência pública aprovada pela Comissão será realizada no dia 29 de março, em São Miguel do Oeste, a partir de um requerimento de autoria do deputado Maurício Eskudlark. A reunião pretende debater temas como índices de violência e criminalidade, drogas, câmeras de vigilância, unidades prisionais, entre outros.

Também participaram da reunião os deputados Sargento Amauri Soares (PDT) e Serafim Venzon (PSDB).

 

 

 

 

Balanço do dia

Na sessão ordinária desta quarta-feira (7) os parlamentares aprovaram o Projeto de Lei nº 30/11, da deputada licenciada Ada Faraco de Luca (PMDB), com substitutivo global subscrito pelo deputado Joares Ponticelli (PP), obrigando o Poder Executivo, por intermédio da Secretaria de Estado da Segurança Pública, a registrar e divulgar os índices de violência contra a mulher.

Também foi aprovado o PL nº 560/11, do deputado Volnei Morastoni (PT), que autoriza o Governo do Estado a criar o Memorial dos Mortos e Desaparecidos Políticos. De acordo com o projeto, o memorial deverá reunir informações bibliográficas, fotográficas, pertences e objetos pessoais dos mortos e desaparecidos políticos catarinenses entre 1964 e 1979.

 

Código florestal

O deputado Dirceu Dresch (PT) defendeu a aprovação, pela Câmara dos Deputados, do Código Florestal da forma como foi aprovado no Senado. “O texto que saiu do Senado está bom e a presidente Dilma não concorda com mudanças”, informou Dresch. Segundo o parlamentar, a agricultura familiar está satisfeita com o texto atual.

Dresch criticou a bancada ruralista, que pleiteia a anistia das multas aplicadas pelo Ibama. “Mais de 80% das grandes multas estão na Amazônia, não na agricultura familiar. E o agricultor pode converter a multa em compromisso de preservação ambiental”, ponderou Dresch.

 

ADIN contra a lei da transparência

Jailson Lima (PT) lamentou o gesto do Ministério Público Estadual que protocolou Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a divulgação, inclusive pelo MP, de dados sobre salários dos servidores, concessão de diárias, verbas de gabinete, gastos com cartões corporativos, entre outros. A Justiça concedeu liminar isentando o MP, o Tribunal de Contas e o Tribunal de Justiça de divulgar ações e/ou gastos na rede mundial de computadores, como determina a lei.

“É uma incoerência inconcebível nos dias de hoje. Daqui para frente vamos atuar com ações jurídicas”, declarou o parlamentar, que se mostrou surpreso com a liminar. “Quem deveria dar exemplo, quer negar ao povo catarinense as informações devidas”, finalizou.

 

Bombeiros x bombeiros

Kennedy Nunes (PSD) informou que a Comissão de Segurança Pública debaterá, na próxima quarta-feira (14), o mérito da PEC nº 01/12, que estende aos bombeiros voluntários a competência legal de realizar vistorias. “Fizemos um trato, não vamos falar absolutamente nada. Vamos ouvir as entidades, os bombeiros militares, os comunitários e os voluntários, a SSP, o Ministério Público e a Fecam. Vamos discutir o mérito, verificar se vai beneficiar o catarinense”, declarou Kennedy.

O deputado Nilson Gonçalves (PSDB) informou que recebeu “uma verdadeira avalanche de ofícios e manifestos de associações ligadas aos bombeiros militares, alguns interessantes, outros que não correspondem à verdade”. Nilson frisou que se a PEC for aprovada não significará o fim do bombeiro militar. “Ninguém em sã consciência quer acabar com o bombeiro militar”, ressaltou. O deputado ponderou que aprovação da PEC importará na sobrevivência do bombeiro voluntário. “Se não for aprovada, estaremos condenando o bombeiro voluntário ao extermínio”, sentenciou.

 

 

Segurança pública

Gilmar Knaesel (PSDB), presidente da Comissão de Segurança Pública, anunciou que a comissão fará audiências públicas nas macroregiões para ouvir as reivindicações das comunidades e fazer um diagnóstico da situação local. A primeira audiência será em São Miguel do Oeste, no dia 29 de março. “Será um trabalho itinerante”, resumiu Knaesel.

 

Liderança do PMDB

Aldo Schneider (PMDB) ocupou a tribuna para anunciar que, a partir de terça-feira (13), assumirá as funções de líder da bancada do PMDB, substituindo o deputado Manoel Mota (PMDB). Aldo enalteceu o trabalho de Mota e afirmou que “através do bom senso, com cordialidade e espírito público” exercerá a missão de fazer valer a vontade do PMDB.

Em aparte, os deputados Dado Cherem (PSDB) e Moacir Sopelsa (PMDB) parabenizaram o novo líder e elogiaram a gestão de Mota frente à bancada do PMDB. 

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

 

Veículo: Jornal do Brasil

Editoria: Geral

Assunto: Polícia Civil: Em 11 estados não houve aumento dos quadros em 10 anos 

 

 

Polícia Civil: Em 11 estados não houve aumento dos quadros em 10 anos 

Em 11 estados do Brasil não houve aumento dos quadros da Polícia Civil nos últimos 10 anos, e em 19 deles há carência de pessoal nas delegacias especializadas em homicídios. Os concursos públicos são feitos, apenas, para provimento de vagas já existentes, mas em sete estados onde foram realizados os aprovados não foram ainda convocados.

Estes dados constam do Diagnóstico das Investigações em Homicídios, concluído no fim do ano passado, e divulgado esta semana pela Estratégia Nacional de Justiça e Segurança Pública (Enasp) — programa coordenado pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), em conjunto com o Conselho Nacional de Justiça e o Ministério da Justiça.

A pesquisa trata da estrutura de pessoal e de equipamentos da Polícia Civil, das formas de comunicação entre o Ministério Público e a Polícia, do fluxo da persecução penal e da capacitação dos agentes. O objetivo é identificar problemas na persecução penal dos crimes de homicídio e, a partir daí, discutir propostas de soluções.

 

MP e polícia

No item relacionamento entre o MP e a Polícia, o estudo mostra que a tramitação direta de inquéritos entre as duas instituições ocorre em apenas 14 estados. Só 12 deles informaram realizar reuniões periódicas entre o MP e a Policia Civil. Em 13 estados, não há visitas periódicas de membros do MP não vinculados ao controle externo às delegacias para tratar de investigações específicas.

 

Efetivos

São Paulo é o estado com maior efetivo da Polícia Civil: mais de 30 mil agentes, delegados e peritos. Minas Gerais vem em segundo lugar (cerca de 10 mil) e o Rio Grande do Sul em terceiro (pouco menos de 10 mil).

Na distribuição de policiais por habitantes, o quadro é diferente: o Amapá está em primeiro lugar, com 191,5 policias para cada grupo de 100 mil habitantes; Minas na 9º posição (57,7 policiais por 100 mil habitantes); São Paulo em 10º (51,77); Rio Grande do Sul em 14° lugar (47,22). A última posição fica com o Maranhão, com 29,9 policiais para cada grupo de 100 mil habitantes.