Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 05 de novembro

5.11.2012

 

Clipping do dia 31 de outubro

 

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assuntos: Queda de avião monomotor

 

Pescadores salvam vida de menino em queda de avião

Após acidente com monomotor em Balneário Camboriú, criança é resgatada, mas piloto e outro passageiro morrem afogados

A madrugada de domingo foi difícil para o aposentado José Carlos Caldas, 62 anos. O sono foi atrapalhado pelas lembranças dos momentos vividos na manhã de sábado, na Praia de Taquarinhas, em Balneário Camboriú, quando presenciou a queda do avião monomotor que resultou na morte de dois homens, um deles pai de uma criança sobrevivente.

O aposentado, morador de Itajaí, assistiu ao momento da queda da aeronave pilotada pelo médico Júlio César Mandelli, 58 anos, que morreu no local. O empresário Claudir Gheller, 53, passageiro do monomotor, não resistiu à força do mar. O único sobrevivente é Leonel Gheller, 11 anos, filho de Gheller.

– Eles passaram em direção a Balneário Camboriú e, pouco depois, retornaram. A aeronave veio beirando o costão. A asa bateu no mar, o avião caiu e afundou em segundos – lembra.

Caldas viu a criança fora do avião e pediu ajuda ao filho e ao genro, que pescavam. O menino nadou alguns metros, até que os pescadores jogaram um galão flutuante para o garoto segurar. Filho e genro do aposentado entraram na água e puxaram a criança até a areia. Gheller e Mandelli tentaram nadar, mas foram vencidos pela força das ondas.

 

Garoto pediu que pai fosse ajudado

– Foi um milagre o menino ter sobrevivido. Mesmo na água, ele pediu para que ajudassem o pai. É difícil falar sobre isso, fico comovido. Tenho um neto de 11 anos e imagino a dor dessa criança agora. Fazia muito tempo que eu não vinha para Taquarinhas. Tento entender o que me fez parar aqui justamente neste dia – diz.

Foi o filho de Caldas que chamou o socorro. O movimento nas estradas obrigou o Corpo de Bombeiros a usar jet skis para chegar ao local. Piloto e passageiro foram levados até a areia, onde os socorristas ainda tentaram reanimá-los, sem sucesso.

– Os homens estavam inconscientes. A retirada dos corpos da água foi difícil porque eles estavam próximos das pedras, e o mar, muito revolto – relata o tenente Wilson Ribeiro.

 

Aeronave ainda submersa

Ainda na tarde de sábado, mergulhadores contratados pelo Aeroclube de Itapema iniciaram os trabalhos de retirada dos destroços da aeronave do mar de Taquarinhas. Uma equipe de resgate de Porto Belo fez buscas até o início da noite, mas nada foi encontrado. A ação foi suspensa e retomada na manhã de ontem.

 

Nove pessoas, entre mergulhadores e pilotos de embarcações, trabalharam nas buscas por cerca de sete horas. Toda a área próxima ao costão da praia foi vistoriada, mas não houve sucesso.

– As fortes ondas e a turbidez da água atrapalharam as buscas. Não encontramos qualquer tipo de destroço. Acreditamos que a aeronave está presa entre as pedras ou então foi levada para outro local pela força da água – afirma Maresia Silva, supervisor do resgate do monomotor.

Maresia ainda não sabe se os trabalhos serão reestabelecidos hoje. Uma reunião com o Aeroclube de Itapema deve apontar os próximos passos das buscas.

 

Sobrevivente fala da hora do acidente

O único sobrevivente da queda de um monomotor foi Leonel Gheller, filho do empresário Claudir Gheller. O menino teve ferimentos leves, mas recebeu alta do Hospital Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú. Em entrevista à RBS TV, disse que não sabe direito o que houve.

– Eu não sei como aconteceu. Uma onda se criou na pedra e bateu na asa esquerda do avião. Dai o avião se virou. Meu pai começou a se desesperar. Ele perguntou pro piloto como abria a porta. Daí eu consegui abrir. Eu pulei e comecei a nadar. Meu pai disse: “Filho, nade que você vai conseguir”. Eu fui e quando olhei para trás não vi mais ele – comenta Leonel.

O médico ginecologista Júlio César Mandelli levava o amigo Claudir e o filho para um passeio. Eles saíram do Aeroclube de Itapema em direção a Balneário Camboriú.

O corpo de Mandelli, que tinha consultórios em Videira e em Balneário Camboriú, foi cremado ontem. Gheller foi sepultado em Videira, onde morava com a família e era dono de uma transportadora.

– Eram amigos de longa data. O Júlio já tinha convidado várias vezes o Claudir para passear, mas esta foi a primeira vez que o convite havia dado certo – relata o irmão de Gheller, Clóvis Gheller.

O laudo sobre os fatores que levaram à queda do avião será feito pelo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) e depois encaminhado para a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

– Ainda é cedo para se apontar qualquer fator. A única coisa que se pode afirmar, por enquanto, é que a aeronave era experimental – diz o tenente-coronel aviador Marcos dos Santos Silva.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assunto: Violino resgatado

                  Prevenção de desastres naturais

 

Música para os ouvidos

 Entre os objetos resgatados na operação das polícias Militar e Civil na Chico Mendes, sexta-feira, este violino novinho em folha foi encontrado com um adolescente, que diz ter comprado, acredite, por R$ 15 de um usuário de crack. O instrumento foi levado para a Deic.

 

SEM PREVENÇÃO

O catarinense Casildo Maldaner foi à tribuna do Senado para fazer duras cobranças ao governo federal, que até hoje não encaminhou o projeto que garantiria recursos para a prevenção de desastres naturais em estados e municípios.

– Esforço-me para crer que essa demora não tenha caráter político, mantendo todos reféns dos recursos da União. Seria uma estratégia muito cruel. A hora é essa: o verão está chegando, e com ele, invariavelmente, vêm as chuvas e as enchentes.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

                                                        

Lentidão chega a 40 quilômetros

Congestionamentos foram registrados na BR-101 Sul e Norte, onde a maior marca foi registrada da tarde à noite de ontem

A volta para a casa no feriado de Finados foi novamente um teste de paciência aos motoristas que seguiram pelas rodovias de SC nos sentidos Sul e Norte. O maior registro de filas, ontem, após um dia ideal para aproveitar as praias, foi no Litoral Norte, onde o congestionamento chegou a 40 quilômetros, marca alcançada no verão.

Os pontos mais críticos ficaram entre Itapema, Balneário Camboriú, Itajaí e Navegantes. O movimento era esperado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) por causa da concentração de praias na região. A estimativa é que mais de 100 mil veículos tenham passado entre Porto Belo e Itajaí até as 20h.

No Sul do Estado, onde há registro constante de congestionamento no trecho não-duplicado da BR-101, houve fila de 11 quilômetros.

Apesar do movimento intenso, o feriadão foi tranquilo, na avaliação da PRF. Até as 21h de ontem, sete pessoas morreram nas rodovias catarinenses. O acidente mais grave de domingo foi às 10h30min, quando Danilo Dal Piaz perdeu a vida na BR-158, em Maravilha, no Oeste de Santa Catarina.

 

Recruta que se afogou passa bem

Passa bem o recruta Vítor Cesar da Silva, 19 anos, que foi hospitalizado na quinta-feira passada, quando se afogou durante um exercício militar na Base Aérea de Florianópolis. Ele se afogou durante a prática que utiliza uma corda na água. O excesso de tempo em que permaneceu com a cabeça submersa pode ter sido a causa do incidente. Vítor Cesar precisou ficar na Unidade de Tratamento Intensivo (UIT) ligado a aparelhos para respirar.

 

Adolescente é salva por banhistas

Uma adolescente de 16 anos se afogou na Praia de Jurerê Internacional, ontem à tarde, na Capital. Por volta das 16h, banhistas perceberam que a garota engolia muita água enquanto se debatia para sair.

Salva por banhistas, ela já apresentava os primeiros sinais de hipotermia, que é quando a temperatura do corpo cai abaixo do normal.

O Corpo de Bombeiros prestou os primeiros socorros à jovem, que foi hospitalizada.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Reportagem Especial

Assunto: Policiais em alerta máximo

 

 

Policiais em alerta máximo

Os tiros contra um posto policial no fim de semana acenderam ainda mais o sinal de perigo nas polícias Civil e Militar em Florianópolis. Comandos das duas corporações afirmam que situação coloca policiais em atenção maxima, e que precaução para não se tornarem novas vítimas precisa ser redobrado.

As portas de vidro do posto da Polícia Militar na Vila Aparecida, região continental de Florianópolis, estavam fechadas na tarde de ontem. Não havia nem sinal de viatura ou PM por perto. Apenas cones, na calçada, sinalizavam a proteção da fachada. Nas lajes das casas em frente, moradores se diziam preocupados com o futuro da base, temendo que ela seja desativada e que os traficantes voltem a dominar.

– Aqui, com o posto fechado, nem taxista quer vir trazer as compras do mercado para a gente, pois teme assalto – ilustra uma moradora.

As marcas de tiros num prédio da polícia e a ausência de agentes policiando as ruas contextualizam o momento na segurança pública na Grande Florianópolis. Policiais civis e militares e servidores do sistema prisional admitem alerta máximo com atos de violência a que estão sujeitos nos últimos dias, como a agente penitenciária executada, o policial civil baleado e o guarda municipal assaltado. Por enquanto, não há relação confirmada entre os fatos, só a sensação de que ninguém está imune.

A suspeita é que a ordem para os ataques esteja partindo da facção criminosa que age de dentro das cadeias. Mas fatos isolados de bandidos para tumultuar mais a situação podem estar se juntando aos casos.

Os autores dos disparos na Vila Aparecida não haviam sido identificados até o fechamento desta edição. Quatro suspeitos chegaram a ser detidos, mas foram liberados no sábado.

Uma linha de investigação é de que o ataque foi vingança a uma abordagem no local naquela noite, quando PMs checaram uma denúncia de perturbação de sossego. Insatisfeito, um grupo teria atacado o posto. Também é investigada a hipótese de mando de facção criminosa. O certo é que os fatos ligaram o alerta.

– O policial aqui também está preocupado, principalmente com as notícias que vêm de São Paulo e Rio de Janeiro (morte de PMs). O policial está indo na padaria, de folga, com arma na cintura. Estamos num estado de desconfiômetro e alerta máximo – diz o major Alessandro Marques, da Comunicação Social da PM.

 

Reforço na troca de informações

Na Polícia Civil, a atenção também é total entre agentes e delegados. A cúpula garante que houve reforço na troca de informações entre as corporações e suas áreas de inteligência, ação que historicamente enfrenta resistência entre as duas instituições.

– O pessoal todo está em alerta. Pedimos o cuidado de redobrar o zelo, embora não tenha informação clara de ameaças ou de que haverá atentados – afirma o delegado-geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila.

Apesar do discurso das polícias, nenhuma medida especial foi anunciada em prevenção ou de investigação. O DC contatou, ontem, por telefone, o secretário da Segurança Pública, César Grubba. Ele disse que não poderia falar porque estava embarcando num avião em viagem, mas que retornaria a ligação, o que não ocorreu até o fechamento desta edição.

 

Sindicatos cobram ação

Representantes dos sindicatos de policiais e de servidores da segurança relatam problemas no dia a dia que podem agravar a onda de insegurança da categoria.

As principais queixas são de dificuldade de comunicação entre as polícias, coletes supostamente vencidos, armamento ultrapassado, delegacias sem estrutura e falta de efetivo.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), Pedro Joaquim Cardoso, vai reunir as lideranças hoje para cobrar respostas do governo.

Carlos Alberto da Silva, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Segurança Pública (Sintrasp), lamenta o fato de policiais estarem executando procedimentos sozinhos por falta de efetivo, como no caso de Gilmar Lopes, baleado no Norte da Ilha.

– Há uma movimentação orquestrada contra os policiais, que estão recebendo ameaças. Precisamos de ações concretas e de rigor pelo governo – assinalou Carlos Alberto.

 

Mulher é 90ª vítima em SP

Os ataques a policiais militares de São Paulo fizeram a primeira vítima feminina fora de serviço. Na noite de sábado, a soldado Marta Umbelina da Silva, 44 anos, foi assassinada na Vila Brasilândia, zona norte da capital paulista. O crime aconteceu na frente de uma das filhas dela, de 11 anos.

Segundo testemunhas, a policial desceu do carro para a abrir o portão de casa quando foi baleada por dois homens num Honda Civic prata.

Depois do velório de Marta, ontem, o comandante-geral da corporação, Roberval Ferreira França, demonstrou indignação com o assassinato.

– É um crime covarde, com 10 tiros pelas costas. Estamos todos chocados e em luto – disse.

Marta entrou na PM em 1996 e fazia serviços internos desde 2001.

Sobre os 90 PMs mortos neste ano, o coronel disse ter confiança de que esse momento será superado.

– A melhor forma de nossos homens honrarem os PMs mortos é continuar combatendo a criminalidade de acordo com as leis – afirmou.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Briga acaba em morte no alojamento

Dois irmãos foram esfaqueados na noite de sábado, em Major Gercino, no Vale do Rio Tijucas – um morreu e o outro ficou gravemente ferido. Um suspeito do crime está preso.

Eles foram encontrados pela Polícia Militar caídos no alojamento de uma empresa particular. Claudemir Vidal, 28 anos, estava morto com um golpe na altura do coração. O irmão dele, Denílson Vidal, 23 anos, foi levado ao hospital de São João Batista com um ferimento grave na cabeça.

 

Segundo a PM, tudo indica que no local houve uma briga entre o autor do crime e os dois irmãos. A faca usada na briga não foi encontrada pela polícia. Logo após o crime, por volta das 21h, policiais militares fizeram buscas pela região, mas não encontraram o assassino.

Por volta das 3h de ontem, um homem com as características físicas do criminoso foi preso em Angelina. Um suspeito, de aproximadamente 20 anos, foi levado para a delegacia de Santo Amaro da Imperatriz, onde foi preso. Ele não tem registro de outras passagens criminais e seria encaminhado para a central de triagem da Capital.

 

Lotérica é furtada no Centro da Capital

Ladrões entraram pelo telhado da Lotérica Bolinha, no Centro de Florianópolis, ontem, e levaram R$ 8 mil que estavam guardados no cofre. A Polícia Militar foi informada do arrombamento por volta das 9h30min. Depois que conseguiram o acesso pelo alto, os criminosos ainda fizeram um buraco na parede para chegar ao alvo. Foram realizadas buscas na região, mas ninguém foi preso ou identificado pelo crime.

 

Dois atacam caixa, mas saem sem nada

Dois homens que chegaram em uma bicicleta em uma agência bancária do Bairro Iririú, em Joinville, na manhã de ontem, tentaram quebrar um caixa eletrônico com um pé de cabra. A Polícia Militar acredita que a dupla é inexperiente no crime, pois quebrou o equipamento na região do painel, onde se digita a senha. Um vizinho escutou o barulho e os dois homens fugiram sem levar nada. A PM fez rondas pela região, mas não encontrou os suspeitos.

_____________________________________________________________________________

Veículo: A Notícia

Editoria: Geral

Assunto: Casas destelhadas em Jaraguá do Sul

 

Chuva e vento deixam mais de 50 casas destelhadas em Jaraguá do Sul

Polícia Rodoviária Federal afirma que BR-280 ficou fechada por causa da chuva

A chuva forte com vento que caiu na noite deste domingo causou prejuízo em Jaraguá do Sul. Na manhã desta segunda-feira, a Defesa Civil contabilizou mais de 50 casas destelhadas nos bairros Ribeirão cavalo, Braço do Ribeirão Cavalo, Ribeirão Grande do Norte e Santo Antônio.

Foram registradas quedas de árvores e de postes e estradas de saibro ficaram danificadas. No Residencial Dante Minel, no bairro Ribeirão Cavalo, a chuva invadiu os apartamentos.

A chuva durou cerca de uma hora, com maior intensidade durante 20 minutos. A Defesa Cicil está fazendo o levantamento dos estragos.

_____________________________________________________________________________

Veículo: A Notícia

Editoria: Geral

Assunto: Sete pessoas morrem nas rodovias de Santa Catarina

 

Sete pessoas morrem nas rodovias de Santa Catarina

Última morte foi registrada na manhã deste domingo

 

 

 

 Comentar0CorrigirImprimirDiminuir fonteAumentar fonte

Até o fim da manhã deste domingo, sete pessoas perderam a vida nas rodovias catarinenses no feriadão. A última morte aconteceu às 10h30min da manhã deste domingo na BR-158, em Maravilha, no Oeste de Santa Catarina. Danilo Dal Piaz dirigia um Saveiro, com placas de Palmitos, e bateu contra um Corsa, com placas de Cascavel (PR). O acidente aconteceu no km 127,8 da rodovia. O motorista do Corsa nada sofreu.

Às 3h de sábado, na SC-405, rodovia que liga o Centro de Florianópolis ao Sul. Conforme a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), Juliana Xavier, 26 anos, dirigia um Kadette, com placas de Florianópolis, quando saiu da pista, atingiu um muro, caiu em uma vala e morreu afogada no rio.

Ainda no sábado, Carlos Henrique Jantsch, 31 anos, morreu em um acidente na SC-301, no km 85, em Joinville, no Norte do Estado. Ele dirigia um Corsa, com placas de Joinville, quando saiu da pista e capotou às 17h10min.

As outras duas mortes aconteceram no Dia dos Finados, na sexta, entre 21h e 22h30min. Um dos acidentes aconteceu no km 60 da SC-452, em Água Doce, no Meio Oeste. Carlos Augusto Bento, 29 anos, morreu às 21h40min após sair da pista e capotar em um Fiat, com placas de Treze Tílias.

Em Itajaí, Marcio Joecio Crispin, 24 anos, morreu ao bater de frente contra um caminhão, com placas de Itajaí. O acidente aconteceu no km 13 da SC-486, às 22h25min. Ele dirigia um Gol, com placas de Itajaí.

Nas rodovias federais, duas mortes foram registradas na sexta-feira, dia 2. Natalino Padilha, 52 anos, morreu na BR-282, em Bocaina do Sul, às 6h50min. Ele era motoristas de um Fit Uno, com placas de Lages, e bateu contra um Celta, com placas de Lages, no km 177,2. Os dois passageiros e motorista do Celta tiveram ferimentos graves e foram levados para hospitais da região.

Outra batida de frente tirou a vida de Jorge Chiodini, 42 anos, no Rio do Sul. O acidente também aconteceu na BR-282, no km 70,4. Chiodini era passageiro de um Fiat Palio, com placas de Rio do Sul. O motorista e outros três passageiros tiveram ferimentos graves. O segundo carro envolvido no acidente, que aconteceu às 7h20min, foi um Ford Cargo, com placas de Palhoça, onde ninguém saiu ferido.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Operação veraneio

 

Operação Veraneio

As notícias de ataques contra as força de segurança pode atrapalhar o verão em Florianópolis. Mesmo que as reservas já estejam garantidas nos principais balneários da cidade. Tida como a Beverly Hills brasileira, a cidade é cada vez mais procurada pelos milionários no eixo Rio-São Paulo. O secretário de SegurançaPública, Cesar Grubba, diz que já tem orçamento para a Operação Veraneio — tomara —, que aguardam apenas aprovação. Pois a previsão é boa e a cidade deverá ficar lotada. A população aguarda o início da Operação paa ver maior efetivo nas ruas e delegacias.

 

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

Veículo: Portal G1

Editoria: Geral

Assunto: Quatro são mortos e pelo menos outros 11 são baleados na Grande SP

 

 

 

Quatro são mortos e pelo menos outros 11 são baleados na Grande SP

Agente penitenciário foi morto em Guarulhos; irmão dele ficou ferido.

Policial à paisana foi baleado no Grajaú, Zona Sul da capital.

Um agente penitenciário de 47 anos foi morto a tiros na noite deste domingo (4) em Guarulhos, na Grande São Paulo, segundo a polícia. O irmão dele também foi baleado. Em outros cinco casos de violência registrados entre a noite deste domingo e a madrugada desta segunda-feira (5), três pessoas morreram e outras 10 foram baleadas na capital e região metropolitana.

O homem estava com o irmão e a cunhada no cruzamento da Rua Sarutaia com a Avenida Brigadeiro Faria Lima e teve o carro fechado por homens em duas motos por volta das 21h, de acordo com a 1º Delegacia Policial de Guarulhos. O irmão também foi atingido por disparos, mas foi socorrido e não corre risco de morte. A cunhada não foi atingida, ainda segundo a polícia.

 

Baleados

Além do agente e do irmão dele, pelo menos 13 pessoas foram baleadas –  três delas morreram – em casos ocorridos entre a noite deste domingo e a madrugada desta segunda-feira (5) na capital e na região metropolitana de São Paulo.

Um policial à paisana foi ferido a tiros na noite deste domingo na Avenida Belmira Marin, no Grajaú, Zona Sul de São Paulo. De acordo com policiais da 4ª Companhia do 27º Batalhão da Polícia Militar, responsável pelo policiamento da área, o policial estava de folga e teria tentado impedir um assalto quando foi atingido. Ele foi socorrido ao Hospital do Grajaú para ser submetido a cirurgia e transferido para o Hospital Militar, segundo os policiais.

De acordo com a 47ª Delegacia Policial, no Capão Redondo, três homens levaram disparos de dois suspeitos que estavam em uma moto na região do Jardim São Luiz, Zona Sul da capital, no fim da noite do domingo. As vítimas, de 17, 19 e 24 anos, não têm passagem pela polícia e foram transferidos para dois hospitais da região. A polícia ainda não sabe a motivação do crime.

Outras quatro pessoas foram baleadas na Rua General Syzeno Sarmento, no Rio Pequeno, Zona Oeste de São Paulo. Todas as vítimas foram levadas para o hospital universitário. Uma delas não resistiu.

Na Vila Medeiros, na Zona Norte, dois homens de 19 e 22 anos passavam pela Rua Igaraí quando foram baleados. O criminoso estava em um carro e fugiu. Até o início da manhã desta segunda-feira, não havia informações sobre o estado de saúde das vítimas.

Menina morre em tentativa de assalto

Na região do Ipiranga, na Zona Sul, uma menina de 10 anos e um suspeito morreram em uma tentativa de assalto na Avenida das Juntas Provisórias, na noite deste domingo. Um vigilante que passava de moto pelo local ficou ferido. A garota estava no carro com os pais quando foi atingida por uma bala perdida no tiroteio entre os criminosos e um policial militar que presenciou uma tentativa de assalto. O caso foi registrado na 26º Distrito Policial, no Sacomã, e passado para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).