Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 21 de dezembro

21.12.2011

 

Clipping 21 de dezembro

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assunto: Complexo prisional

 

A PROPÓSITO

O que o governo do Estado pretende fazer com os cerca de 2 mil detentos do complexo prisional da Agronômica?

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

 

Incêndio em igreja de Capoeiras

Um incêndio ontem, por volta das 20h30min, atingiu o estúdio da Igreja Batista Palavra Viva, na Avenida Governador Ivo Silveira, no Bairro Capoeiras, na Capital. Ninguém ficou ferido. Ainda não se sabe como o fogo começou. O Corpo dos Bombeiros levou duas horas para apagar as chamas.

 

Idosa vivia presa dentro de casa

Uma idosa de 75 anos era mantida em cárcere privado e sofria maus-tratos no Oeste, segundo denúncia registrada pela Polícia Civil de Xaxim. O fato foi confirmado na segunda-feira por funcionários do Centro de Referência Especializado da Assistência Social do município, acompanhados pela Polícia Civil.

Ao chegar na casa, no interior de Xaxim, os policiais encontraram a mulher trancada no quarto, sem acesso a água, comida ou banheiro. As janelas do aposento estavam pregadas pelo lado de fora.

Na peça, havia apenas um pote com restos de comida no chão, um penico, uma cama sem forro, e uma poltrona velha e suja. Um forte cheiro de urina impregnava o ar.

A idosa, que não pode se locomover nem se comunicar com clareza, estava com diversos hematomas aparentes no corpo. Os dedos da mão também estavam sujos, apresentando sinais de restos de comida.

Ela morava na casa com um irmão e a cunhada, que precisou deixar a idosa sozinha porque teve de fazer um exame na cidade.

– Sempre cuidei bem dela. Antes de sair de casa deixei água e comida para ela – assegurou a mulher.

– O que mais impressionou é que quem deveria tomar conta da idosa não se encontrava na casa, e por mais de três horas, desde a chegada das assistentes sociais, nem o irmão nem a cunhada da senhora, que em tese seriam os responsáveis pela vítima, foram até a residência para verificar o estado em que ela se encontrava – destacou o agente da Polícia Civil de Xaxim Daniel Caldas.

A senhora foi internada no Hospital Frei Bruno. Ela apresentava sinais de desidratação e desnutrição e tinha assaduras no corpo. A médica Carla Dávi disse que a senhora já havia se alimentado e estava bem, e com a companhia de parentes.

– Um inquérito policial foi instaurado. Os responsáveis foram identificados e devem ser indiciados, em princípio, pelos crimes de maus-tratos contra idoso e cárcere privado – disse a delegada Olívia Souza.

Os interrogatórios devem ser realizados até sexta-feira.

_____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Cacau Menezes

Assunto: Combate ao comércio irregular

 

Limpa

Parece que a operação de combate ao comércio irregular em Florianópolis já dá resultados. Em duas semanas, a Guarda Municipal apreendeu mais de 10 mil produtos vendidos de modo ilegal nas ruas e praias da Capital. CDs, DVDs, bolsas e óculos falsificados foram os itens com maior número de apreensões.

Mas não teve só isso: os fiscais apreenderam, entre outros badulaques, panos de prato, espetos, palhetas de para-brisa e até chips para celular. Um verdadeiro camelódromo.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Revelações de Colombo

 

Revelações de Colombo

O governador Raimundo Colombo começou a entrevista com os veículos do Grupo RBS confirmando ter feito uma proposta aos policiais civis para tentar um acordo antes da assembleia estadual. Previa a incorporação do adicional de permanência nos proventos da aposentadoria, a imediata nomeação dos 613 policiais concursados e grupo de estudos, a partir de fevereiro, para tratar de uma ampla pauta com quatro itens: compactação na carreira policial, promoção automática, pagamento por subsídios e carreira jurídica de delegados. O acordo desejado não aconteceu. Os policiais continuarão o protesto silencioso, mas não vão fazer greve nem boicotar a Operação Veraneio.

Colombo falou durante quase uma hora ao lado do vice Eduardo Moreira. O estilo não mudou em relação aos encontros mantidos antes e depois da posse. Sereno, com posições definidas, priorizou as três áreas que marcaram sua campanha: saúde, educação e segurança.

Considerou o principal fato do ano em seu governo o “mutirão das cirurgias”, relatando que foram efetuadas 7 mil operações. Continuará dando ênfase ao programa. Quer ampliar em 2012, agora com um mutirão dos exames médicos. Falou da “excelente experiência” com a organização social que administra o Hospital Regional de São Miguel do Oeste. Funcionou tão bem que sobraram R$ 10 milhões, dinheiro que será destinado à construção de uma policlínica ao lado.

O tema educação foi o que predominou. O governador disse estar consciente do achatamento salarial na carreira do magistério e anunciou ter recebido estudo para a descompressão. Vai examinar o relatório e as proposta do grupo de trabalho para implementá-la no próximo ano.

 

 

PISO

Elevou o tom, reagindo quando questionado sobre o anunciado índice de 22% para reposição do piso: “Estados e municípios vão quebrar. Isto é uma loucura”. E defendeu o critério do INPC, que garante 6% de reajuste.

Duas metas na área educacional são inarredáveis: municipalização do ensino, que vai continuar com toda força, incluindo mais 16 mil alunos; e escola em tempo integral, que será levada a 17 mil estudantes em cem unidades.

Raimundo Colombo é contra a eleição direta de diretores de escolas estaduais. Alega que partidariza a educação e prejudica a qualidade do ensino. Defende professores treinados em gestão para assumirem as direções escolares. A volta da gratificação por regência de classe está descartada, porque deixou de ser valorização do professor em sala de aula, depois que a Justiça estadual garantiu o direito a todos, indistintamente.

Advoga a tese da meritocracia entre os professores e das escolas. Sugere, por exemplo, que as melhores escolas tenham maior autonomia financeira como prêmio e mais recursos estaduais.

Revelou entusiasmo com a conclusão do trecho final da SC-401 cinco meses antes do prazo e irritou-se com a empresa contratada para a recuperação da Ponte Hercílio Luz. Assegurou que os pagamentos estão em dia, denunciando chantagem indireta da empresa, que exige aditivos sucessivos para reajuste financeiro. E anunciou o lançamento do edital para a elaboração do projeto da quarta ponte de Florianópolis.

Duas rodovias tiveram julgamentos do governador. Considerou a BR-470, que corta o Vale do Itajaí, “uma catástrofe”. E o atraso nas obras de duplicação da BR-101 no Sul como “grande desrespeito ao povo catarinense”.

O governador avaliou 2011 como “ano bom” e prometeu para 2012 “um grande ano”.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria:  Informe Político

Assunto: Entrevista com Raimundo Colombo

 

Uma reforma a caminho

O governador Raimundo Colombo confirmou o que era voz corrente nos corredores do poder em Santa Catarina: em fevereiro fará uma reforma do colegiado. Em tese, antecipará a saída dos secretários que pretendem concorrer na eleição do ano que vem, e que teriam que se desincompatibilizar em abril. Na prática, deverá aproveitar para realizar ajustes em áreas que não tenham o desempenho desejado por Colombo.

O próprio governador admite que ainda faz análises sobre como deve conduzir o processo. Nas pastas centrais, o pré-candidato declarado é o deputado estadual Cesar Souza Junior (Turismo, Esporte e Cultura), do PSD, em Florianópolis. Outra aposta quase certa está em torno do projeto do deputado federal Marco Tebaldi (Educação), do PSDB, em Joinville. São situações diferentes. Tebaldi saiu desgastado da greve do magistério e poderia, ainda, ser empurrado pelos tucanos nacionais para voltar ao cargo que já ocupou por outras duas vezes.

Debandada deve ocorrer nas secretarias regionais. Pelo menos metade dos detentores dos postos está mapeada pelos seus partidos ou disposta a entrar na disputa. Fale-se que o número pode chegar a 20 dos 36, além de rodízios que já estavam acertados entre PMDB, PSDB e PSD. Se alguém tinha dúvida que as regionais são, de fato, trampolins eleitorais, pode cravar a certeza.

Na especulação criada em torno da reforma, a modificação prometida por Colombo seria muito mais cirúrgica. O bisturi passaria por setores de permanente crise entre os aliados, algo que envolve o staff formal e pessoas ligadas ao governador. Será um momento de fortes emoções no Centro Administrativo com repercussões na aliança que elegeu Colombo?

 

Alô, alô

Durante a entrevista do balanço de governo, o governador Raimundo Colombo recebeu duas ligações sobre assuntos delicados.

Uma tratava sobre o problema que as universidades e faculdades comunitárias catarinenses têm com o imposto de renda dos docentes e funcionários, uma verdadeira bola de neve que ameaças as instituições. A outra era do secretário Cesar Grubba (Segurança Pública), que queria checar se as propostas divulgadas em nota pelo delegado-geral da Polícia Civil eram confirmadas por Colombo. Recebeu uma resposta: “Não é tudo isso”.

 

O que era

Empenhado em resolver as pendências salariais e acabar de vez com negociações por categoria, Colombo havia conversado minutos antes com o delegado-geral de Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila, e acertado que a incorporação do adicional de permanência de 5%, benefício que já existe na PM, seria efetivada. E que os 613 aprovados em concurso seriam nomeados caso dissipada a possibilidade de greve. Uma comissão analisará a compactação da carreira, hoje em oito níveis.

Aldo D’Ávila participou da assembleia dos colegas de corporação. Assistiu à deliberação de continuar a campanha salarial, sem greve e sem boicote da operação veraneio.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Política

Assunto: Entrevista com Raimundo Colombo

 

Investimento superior a R$ 2 bi

Raimundo Colombo Governador de Santa Catarina

Um dia antes de encerrar as atividades em 2011, o governador Raimundo Colombo fez o balanço de seu primeiro ano de gestão e apresentou os projetos para 2012.Ao receber a imprensa, só se exaltou quando falou de seu maior incômodo: a restauração da Ponte Hercílio Luz. Afirmou que seu maior orgulho é a implantação do mutirão de cirurgias e confessou o fato mais negativo de seu governo: as duas fugas em massa do Complexo Prisional de Florianópolis. Para o próximo ano, promete investir R$ 2 bilhões em obras de insfraestrutura.

 

Saúde

 

Mutirão de cirurgia

– É uma coisa que me empolga porque nós vencemos uma etapa importante, beneficiamos muita gente. Tenho certeza que, em 2012, vamos avançar, oferecendo exames de maior complexidade. Passamos de 7 mil cirurgias pelo mutirão e, no próximo ano, queremos triplicar esse número.

 

Organizações sociais

– Estamos avançando bem nesse propósito. O hospital de São Miguel do Oeste é administrado por uma organização social (OS) e foi um grande sucesso. Sobrou R$ 10 milhões na administração deste ano. Com o dinheiro, vamos fazer uma policlínica ao lado da unidade. Agora, estamos desenvolvendo todo o sistema de Samu via OS.

 

Segurança

 

Sistema prisional

– Conseguimos fazer muito neste ano. Tínhamos muitas coisas encaminhadas. A única questão negativa foi as duas fugas em massa do Complexo Prisional de Florianópolis (151 fugitivos). No restante, nós inauguramos o presídio de Itajaí, Tubarão e Lages. Aceleramos a obra de Chapecó. Estamos iniciando, agora, a penitenciária de Imaruí (para onde será transferida a de Florianópolis). Uma outra revolução muito importante é que praticamente todas as penitenciárias estão com um grupo de qualificação de mão de obra, isso é essencial porque o preso sai com uma profissão. Nessa área avançamos muito.

 

Terrenos para o complexo penitenciário

– Desistimos de fazer a penitenciária em Palhoça e optamos por outro local porque a prefeitura era resistente ao projeto. Se ela não for compreensiva, não dará alvará e começará a atrapalhar. Procuramos outras alternativas e, nesse caminho, visitamos várias cidades, fizemos reuniões com o Ministério da Justiça e resolvemos separar em duas unidades – presídio e penitenciária. A penitenciária será em Imaruí, o presídio, em Palhoça e, provavelmente, a prisão feminina ficará em Biguaçu. O espaço onde hoje é o Complexo Prisional de Florianópolis será público.

 

Centro Educacional São Lucas

– O problema do São Lucas (centro para adolescentes em conflito com a lei, que teve o prédio demolido no começo do governo) é que o projeto original, elaborado pelo governo federal, era uma coisa absurda. Eu fui a Brasília para rediscurtimos o modelo porque tinha um campo de futebol para cada oito adolescentes. O custo era maior do que o de um hotel cinco estrelas.

 

Salário da Polícia Civil

– Precisamos estabelecer uma política de subsídio para acabar com esses penduricalhos comprometedores até na avaliação das pessoas. Você ganha quanto? O vencimento é uma coisa e o rendimento é outra lá no final. Então, nosso esforço já foi feito e a política é igual para todos. Não vamos mudar. Vamos chamar o pessoal que fez o concurso para ser habilitado e a segunda questão, que a PM já tem, é estimular o funcionário a não se aposentar, dando um incremento de 5% a cada ano trabalhado.

 

Educação

 

Ensino integral

– Como se faz em outros países, como na Alemanha, a partir do ano que vem, teremos 17 mil alunos do ensino médio em turno integral. O projeto começa em 2012, mas será ampliado. É importante porque evita que os jovens se envolvam com as drogas e com perda de valores.

 

Terceirização da merenda escolar

– Eu gosto do sistema de merenda comunitária, com as merendeiras sendo aquelas comadres, que têm um convívio local. Merenda não é negócio. Então a nossa comissão, formada com pessoas de diversos segmentos comunidade, está implantando esse modelo em algumas escolas. Parte faremos dessa forma e o restante renovaremos o contrato com as empresas terceirizadas.

 

Salário do magistério

– No ano que vem vamos conceder um reajuste de 8% para todos os servidores, acho que não será muito diferente do piso nacional dos professores, se o governo federal decidir usar o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que deve ser de 6%. Vamos, ainda, avaliar a questão da tabela que achatou. Não deu para aumentar o salário universal (foi elevado apenas os que recebiam menos do que o piso nacional, se aproximando dos vencimentos daqueles com currículos mais avançados). É um problema sério porque não estimula o aperfeiçoamento.

 

Infraestrutura

 

As principais obras

– Inauguramos várias obras, como a SC-401 e a SC-405 (entregues com antecedência). A SC-407, em São José, deve ficar pronta em março. Desenterramos alguns sapos, como o acesso ao novo terminal de passageiros do Aeroporto Hercílio Luz, que terá o edital lançado até janeiro. Terminaremos em abril o aeroporto de Jaguaruna. O de Corrêa Pinto, em junho, e o de Chapecó, está bem adiantado. Anunciar uma data e entregar será a marca de nosso governo. Também vamos financiar R$ 141 milhões para contenções das cheias. O investimento do próximo ano em obras no Estado será superior a R$ 2 bilhões.

 

Ponte Hercílio Luz

– O problema da restauração da Ponte Hercílio Luz é o excesso de aditivos. A empresa (Consórcio Monumento, com a liderança da Espaço Aberto) pediu mais uma adição no contrato e não vamos conceder. Se ela declarar sem condições de tocar a obra, nós cancelamos e fazemos um novo (contrato). Não tem outro jeito. Não tem nenhum pagamento atrasado, eles estão querendo empurrar mais aditivos. A obra não está parada e estamos pagando direitinho. Não vamos entrar nesse jogo covarde. Entramos com um projeto para captação de recursos pela Lei Rouanet e acho que vamos conseguir a aprovação do Ministério da Cultura.

 

Quarta ponte

– Estamos lançando o edital para a elaboração do projeto. Considero uma obra importante porque a mobilidade em Florianópolis está comprometida e a perspectiva futura é muito ruim se não fizermos uma obra dessa envergadura. Não quero marcar datas, mas vamos começar a construí-la o mais rápido o possível.

 

Economia

 

Situação do Estado

– Temos uma política bastante arrojada de apoio à atividade econômica, o que tem gerado excelentes resultados. SC cresce acima da média nacional. Estamos investindo em tecnologia para tornar o nosso setor industrial mais competitivo. O governo federal vai baixar algumas regras para desestimular a importação. O setor têxtil vai ser protegido igual ao de veículos. Estamos juntos nisso e dando incentivos fiscais para esse segmento, que vive uma crise sem precedentes.

 

Servidores

SC Saúde

– Fiz um apelo dramático para a Unimed permanecer, devido à experiência do grupo. Disse que estava disposto a fazer o sacrifício de ir ao extremo do valor possível. Eles não tiveram interesse. Estamos construindo um novo modelo de gestão própria, a SC Saúde, por absoluta falta de alternativa. É assim na maioria dos estados. Sobre os médicos resistirem à adesão ao sistema por causa do valor que oferecemos pelo atendimento, nosso pessoal técnico está discutindo. Todo mundo quer levar mais em tudo.

Não tem nenhum pagamento atrasado, eles (a empresa Espaço Aberto) estão querendo empurrar mais aditivos. A obra não está parada e estamos pagando direitinho. Não vamos entrar nesse jogo covarde (sobre a restauração da Ponte Hercílio Luz).

Eu fui a Brasília para rediscutimos o modelo (para substituir o Centro Educacional São Lucas) porque tinha um campo de futebol para cada oito adolescentes. O custo era maior do que o de um hotel cinco estrelas.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Reportagem Especial

Assunto: Multas de trânsito

 

 

Uma pisadinha a mais

Dirigir a até 20% acima da velocidade permitida é a infração mais cometida em SC e representa um risco nas estradas

Pisar um pouco além da conta no acelerador é tão corriqueiro entre os motoristas catarinenses que um terço das infrações registradas no Departamento de Trânsito (Detran), de janeiro a novembro, foram de velocidade superior à máxima em até 20%. O índice seguiu a tendência dos dois anos anteriores. Andar 20% acima do limite pode não parecer muita coisa, mas se o condutor se envolver em um acidente com vítimas, a lei o considera um criminoso.

Até novembro deste ano, foram cerca de 594,9 mil flagras de motoristas dirigindo com velocidade até 20% acima da máxima. A infração ficou no topo do ranking das mais registradas.

Enquanto conduzir um pouco mais rápido chegou a 33% das cerca de 1,18 milhões de infrações cometidas até novembro; a segunda colocada, dirigir de 20% a 50% acima do permitido alcançou apenas 7,78%.

Para o consultor do Programa Volvo de Segurança no Trânsito, J. Pedro Corrêa, o fato de tanta gente ser flagrada um pouco acima da velocidade máxima mostra uma questão enraizada na cultura brasileira.

Conforme Corrêa, as pessoas não são educadas para agir com segurança nas estradas e, boa parte, acredita, inclusive, que se prevalece quando consegue trafegar mais rápido sem ser autuada.

– Isso é sinônimo da falta de educação, baseada na premissa de que o guarda não vai ver ou o radar não vai pegar. Quem dirige de acordo com a velocidade permitida chega a se sentir mal porque passa por babaca. Em muitos lugares é assim. Essa realidade só vai mudar quando o governo passar a investir permanentemente em educação no trânsito, desde as escolas até as empresas e associações de classe – analisa J. Pedro.

Para a coordenadora de educação para o trânsito do Detran, Rosângela Bittencourt, essa tendência de boa parte dos motoristas forçarem o pé no acelerador é resultado do atual estilo de vida. As pessoas estão com mais pressa, ao passo que o número de carros aumenta e as filas também.

– Hoje, temos o fator congestionamento e os motoristas não se acostumaram a incluir isso no seu planejamento diário. Eles acordam no mesmo horário, pegam fila e, quando saem do congestionamento, querem compensar correndo mais no trecho que está livre – analisa.

Rosângela alerta que os motoristas não estão se dando conta de que trafegar mesmo um pouco acima da velocidade é perigoso. Segundo ela, o limite de cada rodovia ou trecho é determinado por testes que apontam a velocidade para guiar com segurança.

– A gente acha que não faz tanta diferença, mas faz na distância de frenagem. Em termos de direção defensiva, é mais tempo para parar. Tudo isso é calculado. A sinalização não é para enfeitar – explica Rosângela.

 

Para cada três carros, uma infração

O número de infrações de trânsito entre janeiro e novembro no Estado aumentou pouco em relação ao mesmo período do ano passado. Enquanto em 2010 foi de 1,16 milhão, em 2011 chegou a 1,18 milhão, ou seja, uma elevação de 1%.

Mas índice anual é considerado alto. Como a frota estadual é de 3,6 milhões, isso significa que ocorreu uma infração para cada três carros em Santa Catarina.

O pequeno aumento no número de multas pode ter uma explicação: a fiscalização diminuiu em Santa Catarina. Desde o começo do ano, foram desligadas 82 lombadas eletrônicas nas estradas estaduais por questionamentos dos editais de licitação na Justiça. A PMRv utiliza apenas 24 radares móveis.

A PRF conta com quatro radares fotográficos e sete portáteis. Na semana que vem, deve disponibilizar de mais quatro aparelhos estáticos.

Avanço de sinal perde posição no ranking

Outro possível reflexo da ausência dos radares é o fato da terceira colocação no ranking ter deixado de ser o avanço de sinal vermelho, que deu lugar para o estacionamento irregular em áreas rotativas (Zona Azul).

A mudança pode ser resultado dos 70 radares de Florianópolis desativados desde maio devido à determinação judicial.

Foi decidido pela interrupção do pagamento à Engebras, contratada emergencialmente para o serviço. Uma nova licitação foi realizada e a mesma empresa venceu. Alguns equipamentos devem voltar a funcionar em janeiro.

 

Tragédia acima do limite

O acidente mais violento deste ano em Santa Catarina ocorreu por causa de excesso de velocidade até 20%. No dia 5 março, uma batida entre um ônibus e um caminhão, na BR-282, em Descanso, no Oeste catarinense, provocou 29 mortes.

Há dois meses, o Instituto Geral de Perícias (IGP) confirmou que a causa do desastre foi a rapidez em que estava o bi-trem, somada a uma manobra brusca em uma curva. O tacógrafo – registrador de velocidades – do veículo registrou 95 km/h no momento do tombamento. A máxima permitida no trecho era de 80 km/h.

O caminhão carregado de tábuas colidiu no ônibus, que saiu de Santo Cristo, noroeste gaúcho, com destino ao Paraná. Segundo a perícia, o motorista do caminhão invadiu a pista contrária em uma curva e, na tentativa de voltar, fez a manobra, que resultou no tombamento.

Na época, o delegado Rudinei Charão, que acompanhou o caso, avaliou que o motorista conduziu com imprudência, ou seja, com excesso de velocidade para o trecho.

O saldo foi trágico: 17 feridos e 29 mortos, entre eles o motorista do caminhão e sua mulher. A maioria das vítimas morava na comunidade de Linha Salto, interior de Santo Cristo, e viajava para participar de um campeonato de bolão.

O exemplo de Descanso é um alerta para os que costumam trafegar acima do limite. O superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Santa Catarina, Silvinei Vasques, salienta que mesmo uma pequena diferença acima da velocidade pode incriminar o condutor, principalmente em veículos que têm tacógrafos, como caminhões, vans e ônibus.

Dependendo da interpretação do juiz, em uma batida com morte, o motorista pode responder por homicídio doloso, quando há intenção de matar. Isso porque o condutor teria assumido o risco ao trafegar acima da velocidade.

– Se o agente pega o motorista com velocidade acima do permitido, é infração de trânsito. Mas se o condutor se envolver em um acidente com vítima, será considerado criminoso – observa Vasques.

No caso do acidente em Descanso, como o motorista do caminhão morreu, o caso não teve prosseguimento na área criminal.

 

Turistas de olho nas placas

Nos próximos dias, entre o Natal e o Réveillon, Santa Catarina começa a receber o maior fluxo de turistas da temporada. Mesmo com obras de melhorias, como a duplicação da SC-401, que liga o Centro de Florianópolis às praias do Norte da Ilha, o tráfego deve ser intenso.

A coordenadora de Educação de Trânsito do Detran, Rosângela Bittencourt, recomenda aos catarinenses do litoral, principalmente de Florianópolis, que tenham paciência e entendam que turista não conhece a região. Já os visitantes precisam prestar muita atenção às sinalizações.

– Se ambas as partes manterem o respeito, será melhor trafegar na temporada – acredita Rosângela.

Foco da fiscalização será nos casos de embriaguez

Nas estradas federais, a operação Final de Ano começou na sexta-feira e termina dia 2 de janeiro. Mesmo assim, até fevereiro haverá reforço de policiamento, principalmente nos fins de semana. O foco será a embriaguez – mais comum no período de festas – excesso de velocidade e ultrapassagens irregulares.

– Vamos autuar com radares eletrônicos e agir com rigor – afirma o superintendente da PRF, Silvinei Vasques.

A Polícia Militar Rodoviária (PMRv), que faz o patrulhamento dos 3,9 mil quilômetros da malha estadual, anunciou que reforçará a fiscalização no litoral. Na chamada curva da morte, entre os kms 18,5 e 19, da SC-401, na Capital, os agentes medem a velocidade dos carros diariamente com o radar móvel.

– A cada uma hora, são 70 autuações, são mais de uma por minuto – descreve o comandante do posto da PMRv na rodovia, Paulo Cesar Cirino.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Editoria

Assunto: Sistema carcerário

 

Sistema carcerário

A nova penitenciária estadual de segurança máxima, que permitirá desativar o decrépito e inseguro complexo penitenciário da Trindade, na Capital, será construída em Imaruí em um terreno de 100 mil metros quadrados localizado à margem da rodovia SC-437, na localidade de Cangueri. A área, de propriedade de um empresário, foi adquirida por R$ 2 milhões. A obra custará R$ 80 milhões, provenientes de recursos estaduais e federais. Como esperado, tomados de surpresa, os moradores da comunidade e algumas lideranças políticas da região ontem mesmo começaram a protestar contra a medida.

É normal o temor em relação a este tipo de “vizinhança”. Que o digam os moradores da Trindade, um dos bairros de maior densidade demográfica da Capital. Os moradores de Cangueri têm o democrático direito de protestar e reagir. Infelizmente, a segurança e a paz da sociedade exigem mais e melhores estabelecimentos penais.

O sistema carcerário catarinense está falido há muito tempo. O do Brasil também. As últimas estimativas indicam que as prisões do Estado abrigam em torno de 14 mil detentos, embora o número de vagas se limite a pouco mais de 8 mil. Há casos de celas que comportam 12 apenados nas quais se amontoam 30 ou mais. Circunstância que instiga as fugas e rebeliões, e que impossibilita o cumprimento da finalidade mais nobre da pena: a recuperação do detento para a vida em sociedade. Neste quadro, sem apresentar quaisquer condições de segurança, muitas prisões passaram a funcionar como usinas do crime e da violência que acossam a cidadania.

Ou prisões seguras, modernas, bem equipadas, e com pessoal treinado para administrá-las com a competência e o rigor exigíveis, ou deixar o crime impune e o malfeitor solto, decretando-se a lei da selva. Este é o crucial dilema.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Polícia Civil desiste de greve

 

Polícia Civil desiste de greve

Numa assembleia que terminou esvaziada, com menos de 200 participantes, na tarde de ontem no CentroSul, em Florianópolis, os policiais civis decidiram que não farão greve nem paralisações no Estado.

A categoria optou por continuar a mobilização a partir de fevereiro, embora as lideranças tenham prometido voltar a se reunir em 10 de janeiro. Estão previstas pressões pontuais, mas sem boicote à Operação Veraneio.

O resultado não significou aceitação das propostas do governo do Estado. Revelou mais as divergências entre os três sindicatos: o Sinpol (Sindicatos dos Policiais Civis), Sintrasp (Sindicato dos Trabalhadores na Segurança Pública) e Adepol (Associação dos Delegados). Isto porque, ao final, não houve entendimento sequer das proposições a serem votadas, enfraquecendo o movimento.

Os policiais querem a unificação dos sindicatos. O delegado-geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila, participou do começo da assembleia. Em discurso, mostrou-se irritado com a cena de policiais vestidos de palhaço e usando coletes vencidos com proteção zero. Ele anunciou a entrega de 500 coletes e pediu voto de confiança dos policiais.

O delegado-geral comprometeu-se a buscar com o governo um adicional de permanência de 25%, nomeação de policiais civis aprovados em concurso e a discutir, a partir de fevereiro, a compactação de classes, subsídios e carreira jurídica.

– O resultado mostrou amadurecimento dos policiais em não decidir pela greve, porque assim prejudicaríamos a sociedade. Isso não significa que deixaremos de cobrar do governo – avaliou o agente Augusto Juninho Mamão, da diretoria do Sinpol.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Penitenciária da capital

 

Fim do complexo ainda é incerto

Raimundo Colombo anunciou construção em Imaruí, mas outras unidades de Florianópolis não têm definido para onde vão

Mesmo com o anúncio oficial, ontem, do terreno que vai abrigar a nova penitenciária de segurança máxima, a total desativação do complexo prisional da Trindade, na Capital, ainda é incerta. Terrenos em Biguaçu e Palhoça estão em estudo para receber as outras seis unidades que restam na Capital.

O início do processo foi ontem, com o comprometimento do governo estadual de investir em Imaruí, cidade no Sul de SC que vai receber a penitenciária. A nova unidade ainda não tem projeto, mas deverá ser inaugurada em 2014.

O governador Raimundo Colombo disse ontem que escolheu Imaruí para receber a unidade porque a região está “deprimida” economicamente após a construção da BR-101.

– A população não tem alternativa e oportunidade de renda. A penitenciária vai levar desenvolvimento para a região – garantiu Colombo.

A contrapartida para o município não foi detalhada, mas deve incluir investimentos em estradas, saúde, educação, lazer, segurança e agricultura. Segundo Colombo, o aumento na arrecadação de impostos vai compensar a construção da unidade de 21 mil metros quadrados na comunidade de Cangueri, a nove quilômetros do Centro de Imaruí.

O governador e a secretária de Justiça e Cidadania, Ada de Luca, divergiram sobre o prazo de conclusão. Ada falou em dois anos e meio. Colombo aposta em dois anos.

O projeto ainda não está pronto, mas o governador disse que será uma cadeia “segura e moderna”, de concreto armado, onde agentes não têm contato físico com presos.

O que há é um projeto do complexo que seria construído, mas com a separação das unidades, ele não serve mais. Segundo a secretária, o projeto definitivo deve ficar pronto semana que vem.

Só assim será possível o governo entrar com pedido de licenciamento ambiental da obra na Fundação do Meio Ambiente (Fatma), etapa que costuma levar 30 dias. O edital de licitação deverá ser lançado em 90 dias.

Colombo afirmou que vai pedir ajuda ao governo federal. São R$ 80 milhões para construir a penitenciária. O governador garantiu que a obra começa com recursos estaduais e, mesmo que não consiga parceria federal, a obra será concluída. Disse que o terreno particular em Cangueri vai custar R$ 1,7 milhão e que assinaria ontem o decreto desapropriando a área particular de 100 mil metros quadrados.

 

Estudo para novas áreas

O governador Raimundo Colombo adiantou que terrenos em Palhoça e Biguaçu estão em estudo para receber o restante das unidades do complexo prisional da Trindade.

Além da penitenciária, o complexo ainda reúne os presídios masculino e feminino, central de triagem, hospital de custódia e tratamento psiquiátrico, casa do albergado e ala de segurança máxima. Ontem, 1,8 mil pessoas estavam presas no complexo.

Colombo adiantou que há possibilidade do presídio feminino ir para Biguaçu, e o masculino, para Palhoça. O presídio abriga detentos não condenados e, por isso, o governador acha importante que eles fiquem perto da Capital, para facilitar o andamento dos processos.

– O complexo é um problema grave e histórico na cidade. A estrutura é antiga e inadequada. A área será pública, não será vendida para especulação imobiliária – garantiu.

A construção de um hospital, área de lazer e parque de tecnologia foram hipóteses levantadas. O governador não soube informar a previsão de desativação do complexo, mas acha que ocorrerá em menos de cinco anos.

– Média de três anos para desativar todo o complexo – observou a secretária Ada de Luca.

 

 

Contraponto

Prefeito de Biguaçu, José Castelo Deschamps

Segundo o prefeito de Biguaçu, o governador “tem sido parceiro” da cidade. Castelo disse entender que a segurança da região metropolitana deva ser administrada pelo governo, em parceria com os municípios. Ele afirmou que Biguaçu já está se adiantando nesse processo, projetando a construção de uma área de segurança municipal para concentrar as sedes das polícias Militar e Civil, Bombeiros, Diretoria de Trânsito e centro de triagem. O prefeito de Palhoça, Ronério Heiderscheidt, não se pronunciou até o fechamento desta edição.

____________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Gerente é morto a tiros na secretaria

Dalmar Libardoni foi atingido quatro vezes. Suspeito ainda não foi preso

Um homem armado de revólver entrou no final da tarde de ontem no prédio da Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de Dionísio Cerqueira, no Extremo-Oeste, e matou com quatro tiros o gerente de Infraestrutura Dalmar Libardoni, 50 anos.

Cerca de 30 pessoas estavam no local e fugiram quando ouviram os tiros. O prédio foi interditado pela polícia para a realização da perícia. Segundo as polícias Militar e Civil, o suspeito dos disparos é Mario Duarte, da família proprietária da Construtora MD Edificações e Saneamento Ltda. A empresa é a responsável pela construção da nova unidade da Escola Estadual de Educação Básica Governador Irineu Bornhausen.

Segundo o comandante da 2a Companhia da Polícia Militar de Dionísio Cerqueira, tenente-coronel José Leopoldo Alves de Moura, o secretário de Desenvolvimento Regional Flávio Berté já havia registrado um boletim de ocorrência, há cerca de dois meses, por ter recebido ameaças do suspeito. Ele não quis comentar o crime. No momento dos disparos, o secretário não estava no local. Moura disse que a vítima era os “olhos técnicos” do secretário na obra.

Foram mobilizados policiais militares e civis da região, a Força Nacional e até a Gendarmeria Argentina (a Polícia Militar do país vizinho) para controlar os acessos e tentar localizar o suspeito, o que não tinha acontecido até o início da noite de ontem. O delegado Claudir Stang informou que está ouvindo as testemunhas do caso.

 

CASO SUELEN

Judiciário nega os pedidos da polícia

A Delegacia de Homicídios tem dificuldades para avançar na investigação da morte de Suelen Sabino Alves, 21 anos, executada com sete tiros na Avenida Beira-Mar Norte, em Florianópolis, no dia 1º deste mês. Os suspeitos pelo crime estariam identificados, mas por enquanto não há provas e até agora ninguém foi preso.

 

Os investigadores apuraram que os supostos atiradores seriam traficantes e que mataram Suelen a mando de um patrão do tráfico. A polícia também identificou o modelo do carro da cor preta usado no crime. O veículo ainda não foi apreendido.

A polícia também não teve sucesso por enquanto em pedidos judiciais no caso, negados pela Vara do Tribunal do Júri. O DC tentou saber os motivos com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça, mas sem sucesso.

Os suspeitos teriam antecedentes criminais. A polícia afirma que a morte ocorreu por desentendimentos de traficantes com Suelen. A jovem era filha do traficante Paulo Cesar Alves, o Cesinha do Pantanal. Depois da morte do pai, em 2009, ela teria assumido o controle de pontos de venda de drogas no Pantanal.

Na noite do dia 1º, Suelen morreu atingida por disparos quando dirigia o seu Citroën Air Cross pela Beira-Mar, perto do Centro Integrado de Cultura (CIC). Um carro preto emparelhou e Suelen levou sete tiros, batendo o veículo contra um dos pilares da passarela.

Dias depois do assassinato, a PM achou pequena quantidade de crack e cocaína na casa em que ela morava, na Rua Capitão Osmar Romão da Silva. Dois homens foram presos e um adolescente, apreendido. Os PMs disseram ter encontrado, no local, anotações do tráfico que poderiam ajudar na investigação da morte.

 

Mulher depõe sobre geladeira “recheada”

Uma mulher suspeita de doar, em novembro, uma geladeira ao Presídio Regional de Joinville recheada de armas, serras, celulares e maconha, foi ouvida na manhã de segunda-feira pela Polícia Civil. Ela disse que contou com a ajuda da mulher de um presidiário. O nome da mulher intimada a depor não será divulgado até o fim das investigações. Segundo o delegado Fábio Estuqui, a polícia agora vai em busca de informações sobre a suposta ajudante.

 

Ladrão morre após trocar tiros com a PM

Um bandido foi morto e o outro fugiu depois de um assalto e uma troca de tiros que começou em Guabiruba, no Vale do Itajaí, às 23h30min de segunda-feira. A dupla invadiu uma casa, rendeu a família e fugiu com um Honda Civic, dois celulares e R$ 200. A Polícia Militar (PM) foi acionada e trocou tiros com os dois na Rodovia Antonio Heil, entre Brusque e Itajaí. Um conseguiu fugir. O outro reagiu atirando e foi morto pelos policiais em Itajaí.

____________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Segurança

Assunto: PM promete ativar câmeras de monitoramento na Armação e Pântano do Sul

 

 

PM promete ativar câmeras de monitoramento na Armação e Pântano do Sul nesta quinta (22)

Começam a funcionar, a partir desta quinta-feira(22), o sistema de videomonitoramento da Polícia Militar nos bairros Armação e Pântano do Sul. A central de onde as câmeras serão controladas está em reforma e será reaberta no mesmo dia. Serão sete câmeras nos dois bairros: cinco na Armação e duas no Pântano do Sul. As duas prevista para a praia dos Açores e demais localidades só serão instaladas e ativadas no próximo ano.

Segundo o presidente do Conseg (Conselho Comunitário de Segurança), Carlos Thadeu, a PM garantiu que os equipamento começam a funcionar ainda esta semana. “Fui informado de que tanto o monitoramento como a central, que fica no posto policial, começam a operar na quinta”, informou.

A instalação dos equipamentos faz parte do convênio entre PM e Secretaria de Turismo, que prometeu a instalação e ativação de 28 câmeras em toda a região Sul da cidade. As demais câmeras de vigilâncias, nas comunidades do Campeche, Morro das Pedras, Areias do Morro das Pedras, Fazenda do Rio Tavares, Tapera, Ribeirão da Ilha e Açores só serão reativadas em janeiro.

A instalação das cinco câmeras na Armação e Pântano do Sul serão feitas entre quarta e quinta-feira.

____________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Segurança

Assunto: PM promete ativar câmeras de monitoramento na Armação e Pântano do Sul

 

BLOGS

 

Moacir Pereira

 

Policiais civis continuarão protesto silencioso

Policiais civis de Santa Catarina decidiram em assembleia estadual continuar o protesto silencioso que marca sua mobilização há meses. Vão permanecer com as camisetas de protestos, espalharão out-doors pelo Estado, não farão greve e não boicotarão a Operação Veraneio.

Nova assembleia foi marcada para o dia 10 de janeiro, quando haverá nova avaliação do movimento.

 

Delegado Geral apresenta proposta aos policiais

Delegado Geral de Policia, Aldo Avila, confirmou a proposta do governo a Assembleia estadual dos policiais civis. A saber:

1- Adicional permanência incorpora aos proventos da aposentadoria.

2- Nomeação de todos os policiais concursados.

3- Compromisso de agenda comum, a partir de fevereiro de 2012, entre policiais e governo sobre quatro pontos:

– compactacao da carreira policial.

– promoção automática.

– pagamento de subsidio.

– carreira jurídica de delegados.

 

 

A assembleia dos policiais

A assembleia dos policiais civis está sendo coordenada pelo presidente do Sintrasp, presentes os presidentes da Adepol e Sinpol, e a presença do Delegado Geral de Policia.

Quatro grandes faixas na parede. A mais forte afirma: “Não há Operação Veraneio sem a Policia Civil e não há turismo sem Operação Veraneio”.

 

 

Delegado Geral na assembleia dos policiais

O Delegado Geral de Policia, Aldo Avila, acaba de chegar no Centrosul, para a assembleia dos policiais civis. Foi convidado a integrar a mesa dos trabalhos, sob aplausos. O Delegado ficou irritado quando chegou no Centro de Convenções. Um policial tinha nariz de palhaço e vestia um colete vencido.

Aldo Pinheiro Avila informou que a Secretaria de Segurança já adquiriu 1500 coletes 500 dos quais já começaram a ser distribuídos.

 

Renatão: “Todos os coletes estão vencidos”

Presidente da Associação dos Delegados, Renato Hendges, está no Centrosul, para participar da assembleia dos policiais civis. Seus colegas chegaram com vários coletes balísticos.

– Todos os coletes da Policia Civil estão vencidos – afirmou Renatão.

 

Colombo confirma proposta aos policiais

O governador Raimundo Colombo acaba de confirmar na Casa da Agronômica a proposta feita aos policiais civis.

Garante incorporação na inatividade do adicional permanência e a nomeação imediata de todos os policiais concursados.

Promoção premiada e compactacao ficam para estudos conjuntos, a partir de fevereiro de 2012.

 

Colombo faz proposta aos policiais

O governador Raimundo Colombo fez uma ultima proposta aos lideres dos policiais civis. As bases:

1- Incorporação do adicional de permanência aomlimite de 25% quando passagem para a inatividade.

2- Nomeação imediata de todos os policiais concursados. Sao aomtodo 613, segundo a secretaria de Segurança.

3- Promoção merecida. A cada três anos o policial civil terá uma promoção, independente de vaga, no dia do aniversario.

4- Definição em fevereiro da compactacao na carreira, vigente em 2014.

 

Coletes vencidos na Assembleia dos policiais

Policiais civis de vários pontos do Estado anunciaram presença na Assembleia estadual do Centrosul, munidos de coletes balísticos já vencidos há muito tempo. É a nova forma de protesto da Polifia Civil para tentar uma negociação com o governo.

A informação explica porque o Delegado Geral de Policia, Aldo Avila, emitiu nota anuncia do a compra de 1.300 novos coletes a prova d’água para a Policia Civil.

 

Paulo Alceu

 

Segredo

A penitenciária de segurança máxima em Imaruí, com capacidade para 1.200 detentos em regime fechado, será construída com recursos próprios economizados no início do governo Colombo, que não revela ainda quanto tem em caixa. “Daí os deputados vem aqui com uma lista enorme”, brincou o governador.