Área do associado

Área do associado

O REPOUSO DO GUERREIRO CELSO DORIAN DE OLIVEIRA

3.6.2010


 



O teor deste título é eminentemente castrense. Dito popularmente, seria como ?pendurar as chuteiras?. Exatamente na tarde de ontem cheguei atrasado para mais um ato singelo, mas de extrema significância para a Corporação e para o seu personagem principal. Aqueles que orbitavam por fora, naquele momento sublime, eram meros coadjuvantes, mesmo o mais importante de todos, o Comandante Geral. E tenho a convicção de que o nosso 01, no jargão militar, compreendeu a situação e abriu espaço para que aquele minuto fosse vivido intensamente. Os fatos e fotos estão eternizados no sítio da PMSC.


 


Mas você, leitor, deve estar se perguntando: raios, aonde ele pretende chegar com estes prolegômenos? Ora! Eu quero falar de um dos meus mestres nesta caminhada profissional. Estou me referindo ao Cel PM CELSO DORIAN DE OLIVEIRA. Talvez, muito embora ele não saiba, eu sempre o apreciei como profissional operador da preservação da ordem pública, como militar estadual. Atuamos juntos em duas ocasiões, no 8° BPM, em Joinville, e na DIE.


 


Estes dois momentos, lado a lado, permitiram que eu passasse a conhecê-lo melhor. Já tinha ouvido falar deste rio-mafrense quando instalei a 3ª CPM/3º BPM, em 1983, na cidade de Mafra. Naquela cidade do Planalto Norte, conheci os seus genitores e o seu irmão. Pai e mãe fortes, geraram filhos saudáveis, de boa cepa. O resultado está aí, mais do que provado e aprovado após longos, extenuantes, mas prazerosos dias de serviço devotados à Briosa e a sociedade Barriga-verde.


 


Junto com a simpática e dedicada DÓRIS, sua esposa, seus disciplinados filhos, EDUARDO e LEONARDO, perpetuou os passos dos seus antepassados, constituindo uma prole hígida que já deu frutos, ampliando os ramos da ?OLIVEIRA?. Dentro da caserna, deixou marcas positivas, esmerando-se nas lides esportivas. Na ?Manchester Catarinense?, fincou no pátio do 8º BPM a sólida construção de um monumental ginásio de esportes que a todos encantou. Acompanhei de perto todo o seu empenho do início ao fim da obra, que ainda perdura naquelas paragens, requerendo dos que lhe sucederam a devida manutenção. Resgatou as ?Olimpíadas da PMSC? e a ?Corrida Rústica?, atividades já esquecidas pela virada do Século que tantas glórias esportivas tinha trazido à Corporação e o passar inexorável do tempo carcomeu.


 


Na área de ensino, dentre inúmeras ações exitosas, trabalhou intensamente para resgatar o Colégio Policial Militar para os filhos dos Milicianos. Tinha por desiderato atingir o cume da carreira institucional, visando à alta cúpula. Alcançou por mérito uma das três funções mais importantes, deixando na ?Galeria dos Chefes do Estado-Maior Geral? a sua foto. Depois de mais de três décadas de dedicação exclusiva, deixa o serviço ativo e passa a usufruir merecidamente a reserva remunerada. Alguramos que, tal como proclama o escritor italiano Domenico de Masi, você possa usufruir do ?Ócio Criativo?.


 


?Insatisfeito com o modelo social centrado na idolatria do trabalho, De Masi propõe um novo modelo baseado na simultaneidade entre o trabalho, estudo e lazer, no qual os indivíduos são educados a privilegiar a satisfação de necessidades radicais, como a introspecção, a amizade, as atividades lúdicas e a convivência?. O ócio pode transformar-se em violência, neurose, vício e preguiça, mas pode também elevar-se para a arte, a criatividade e a liberdade. É no tempo livre que passamos a maior parte de nossos dias e é nele que devemos concentrar nossas potencialidades.


O Cel PM CELSO nos brinda com a tradição dos nossos Oficias mais antigos que, ao chegarem no ápice da carreira, atingindo o Comando Geral, o Sub-comando Geral ou a Chefia do Estado-Maior Geral, retiram-se para a inatividade após o cumprimento da missão. Só este ato já dá mostras do seu elevado princípio ético-moral.


 


Meu estimado mestre, libertaste-te dos ?Grilhões da Farda?. Entraste triunfante, inexperiente, jovem e garboso pelo ?Portão das Armas?. O futuro te prometia. Construíste o presente transformando-o em passado glorioso. Ajudaste a escrever a história da Corporação ao escrever a tua, deixas um legado para os que ficam. Saíste pelo mesmo portão com a fronte erguida pela certeza do dever cumprido com altivez e dignidade. Vá e seja feliz junto aos que lhe são caros.


 


?Aprendei dos lírios do campo, que não trabalham e nem fiam. E, no entanto, eu vos asseguro que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles?. (Evangelho Segundo São Mateus).


 


Sucesso e um forte abraço fraternal,


 


FRED HARRY SCHAUFFERT


Cel PM Presidente da ACORS