Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 11 de maio

11.5.2015

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 11 DE MAIO

 

COLUNISTA HÉLIO COSTA – Notícias do Dia

Lista tríplice

A posse do novo presidente da Adepol (Associação dos Delegados de Polícia de Santa Catarina), Ulisses Gabriel, 32 anos, na última quarta-feira, em Florianópolis, foi bastante concorrida. Participaram do evento secretários de Estado, deputados e outras autoridades. No discurso, Ulisses afirmou que lutará pela implantação da lista tríplice para a escolha do chefe da Polícia Civil. “A categoria elege três nomes e encaminha a nominata para o governador nomear o delegado geral”, explicou. “A discussão sobre a criação da lista tríplice para a nomeação dos comandos das forças estaduais também vem ganhando força na caserna”, completou. Já está tramitando na Assembleia Legislativa a PEC (proposta de emenda constitucional) que altera o processo para escolha dos comandantes-gerais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militares. Também concordo com os oficiais e delegados. O chefe de polícia e o comandante da PM têm que ser escolhidos pela categoria, sem ingerência política.

 

ASSUNTO: Morte de LHS

VEÍCULO: Diário Catarinense

O ADEUS AO PROTAGONISTA

ATÉ AS ÚLTIMAS horas de vida o senador Luiz Henrique da Silveira fez política, quase como um sacerdócio. A missão derradeira foi tentar a reaproximação entre o governador Raimundo Colombo e o vice Eduardo Pinho Moreira. E a última disputa foi pela presidência do Senado, contra Renan Calheiros (PMDB). Mesmo perdendo saiu com ares de vitória. Morreu ontem e deixou uma lacuna na política catarinense, a gestão da chamada Tríplice Aliança e a função de fiador de uniões

Luiz Henrique da Silveira (PMDB) fez política até o fim. Sábado, véspera do ataque cardíaco que resultou em sua morte aos 75 anos, o senador trabalhava na missão de reaproximar o governador Raimundo Colombo (PSD) do vice Eduardo Pinho Moreira (PMDB) e recolocar no prumo a intrincada aliança política que desenhou e que governa o Estado desde 2006.
Não poderia ser diferente. Desde 1970, quando disputou sua primeira eleição para deputado estadual, Luiz Henrique viveu diariamente a política em suas diferentes esferas. Mesmo depois de uma trajetória que o guindou cinco vezes à Câmara dos Deputados, três à prefeitura de Joinville, duas ao governo do Estado e ao atual mandato de senador, o peemedebista poderia gastar horas tentando arbitrar uma disputa entre vereadores do partido.
Foi exercendo com maestria a arte de ouvir, conversar e articular acordos que Luiz Henrique se tornou o principal nome da política catarinense contemporânea. Sua morte encerra um capítulo da história de Santa Catarina que vai além dos oito anos em que governou o Estado e dos últimos cinco em que atuou como fiador da aliança política entre o PMDB e o DEM, depois PSD, sócios majoritários da coalizão política que da sustentação ao governo de Raimundo Colombo.
Esse protagonismo ganhou forma em 2002. O então governador Esperidião Amin (à época do PPB, hoje PP) era considerado favorito à reeleição e pilotava uma ampla aliança. Mesmo coligado ao PSDB, LHS acabou favorecido pelo crescimento do PT, que o apoiou no segundo turno.
Por cerca de 20 mil votos, o peemedebista venceu uma disputa considerada impossível. No governo, tentou consolidar a composição com os petistas. Foi essa articulação fracassada que levou Luiz Henrique a construir a aliança que governa o Estado até hoje: ao atrair para a base governista a bancada do então PFL, pavimentou uma aliança com o então senador Jorge Bornhausen e a coligação com os antigos adversários históricos.
– Na época erámos oposição e passamos a apoiar o governo. Essa mudança ocorreu pela sua grande capacidade de diálogo – lembra Gelson Merisio (PSD), hoje presidente da Assembleia.

 

ASSUNTO: Resgate em Goiás

VEÍCULO: Correio Brasiliense

Bombeiros encontram homem desaparecido há oito dias em mata

Francisco Menescal fazia uma trilha em São João da Aliança (GO) quando a moto teve um problema na embreagem e ele se perdeu. Diabético, estava fraco ao ser

Na manhã desta sexta-feira (8/5) o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal localizou o engenheiro florestal Francisco Menescal, 52 anos, desaparecido desde 1º de maio. O homem é morador de Sobradinho e estava hospedado em uma pensão da cidade de São João da Aliança (GO), localizado na Chapada dos Veadeiros, a cerca de 152 km de Brasília.

Embora tenha sido orientado por um guia do local a não seguir uma trilha rumo a Bocaino do Farias, por ser um local de difícil acesso, ele seguiu sozinho. A motocicleta que conduzia apresentou problemas na embreagem, Francisco saiu para procurar ajuda e se perdeu.

O guia da região ajudou a equipe de buscas do Corpo de Bombeiros, que encontrou uma barraca de camping com uma carta informando o nome Francisco, o estado de saúde e a localização de uma casa abandonada, onde o homem ficou aguardando ajuda. Francisco é diabético e, segundo informações do CBMDF, passou os sete dias em que estava desaparecido sem se alimentar. Ele estava fraco, mas foi encaminhado ao Hospital Regional do Paranoá de helicóptero.

 

ASSUNTO: Pós em segurança pública

VEÍCULO: Portal da SSPSC

Ministério da Justiça abre 200 vagas para pós-graduações em segurança pública

PDF

Imprimir

E-mail

 

O Ministério da Justiça está oferecendo , neste mês de maio, 200 vagas em pós-graduações em segurança pública. Podem participar gratuitamente dos cursos: policiais civis, policiais militares, bombeiros militares, guardas municipais e profissionais de perícia forense. 

As aulas serão realizadas em parceria com as universidades federais de Roraima (UFRR), Tocantins (UFT), Goiás (UFG) e Mato Grosso (UFMT). As qualificações são financiadas pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ), através da Rede Nacional de Altos Estudos em Segurança Pública (Renaesp).

"A Renaesp é um projeto de educação permanente voltado aos profissionais de segurança pública, bem como aos demais profissionais interessados e atuantes nesta área. A rede consiste na parceria com Instituições de ensino superior que promovem cursos de pós-graduação lato sensu, na modalidade presencial, sobre diferentes temas relacionados à segurança pública", explica a titular da Senasp/MJ, Regina Miki.

A Renaesp está presente nos 26 estados e Distrito Federal, tendo realizado 186 cursos e matriculado 7.440 alunos em todo o país. Para obter mais informações, os interessados podem enviar e-mail para  renaesp.senasp@mj.gov.br.

Prazos de inscrições

Curso ' Segurança Pública e Cidadania' | Universidade Federal de Roraima (UFRR)

Inscrições: até o dia 08/5/2015

Clique e confira o edital: http://ufrr.br/index.php/noticias/1713-ufrr-promove-seletivo-para-especializacao-em-seguranca-publica

Curso 'Criminologia e Segurança Pública' | Universidade Federal de Goiás (UFG)

Inscrições: até o dia 22/5/2015

Clique e confira o edital: http://www.direito.ufg.br/n/80309-aviso-de-edital-n-02-2015-curso-de-especializacao-em-criminologia-e-seguranca-publica-inscricoes-e-demais-informacoes

Curso ' Segurança Viária Urbana: problemas estruturais, desafios e alternativas gerenciais nacional, regional e local' | Universidade Federal de Tocantins (UFT)

Inscrições: até o dia 27/5/2015

Clique e confira o edital: http://download.uft.edu.br/?d=f2f3369d-d661-48a3-aabc-bd1a349cef05;1.0:Edital%20n%C2%BA%20001_2015%20-%20Nupev%20-%20Sele%C3%A7%C3%A3o%202015.pdf

Curso ‘Políticas de Pegurança Pública e Direitos Humanos’ | Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Inscrições: até o dia 29/5/2015

Clique e confira o edital: http://www.ufmt.br/ufmt/site/userfiles/agenda/b422eae10f99b2e33b752c99e4389258.pdf

Financiamento

A Senasp/MJ financia integralmente o candidato, profissional de segurança pública, que for aprovado dentre os 40 primeiros lugares de cada curso ofertado. Uma vez beneficiário da bolsa de estudos, o candidato terá o compromisso de cumprir todas as disciplinas previstas no curso de especialização, bem como, deverá produzir uma monografia e cumprir com as atividades extracurriculares previstas. É necessário que o candidato possua diploma de nível superior em qualquer área de conhecimento e seja servidor ativo da área de segurança pública.

O processo de seleção é realizado de acordo com as normas estabelecidas pela IES no edital de seleção. Após o processo seletivo, os nomes dos aprovados deverão ser homologados pela Senasp. Também podem obter financiamento de cursos de pós-graduação lato sensu, por meio da Renaesp, profissionais de outras áreas ligadas à segurança pública, desde que haja disponibilidade de vagas e recurso disponível. Representantes da sociedade civil poderão compor o corpo discente da Renaesp. Neste caso, o custeio da despesa é a critério da IES, sem qualquer ônus para a Renaesp