Área do associado

Área do associado

Presidente da ACORS participa de mais duas reuniões na SEA

3.3.2020

 

Os representantes de entidades de Militares Estaduais estiveram na Secretaria de Estado da Administração em duas ocasiões nesta segunda-feira, 2 de março. Pela manhã, formalizaram a entrega da resposta das Associações à última planilha de recomposição salarial proposta pelo Governo, que no caso da ACORS demanda 17% de reajuste real e antecipação do prazo final de concessão, e pela tarde obtiveram o posicionamento do Governo referente à demanda de reposição inflacionária.

 

Conforme o presidente da ACORS, Cel Sérgio Luís Sell, o Secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca, argumentou que a capacidade do Governo, para honrar com o pagamento após a reestruturação salarial, é mantendo a planilha apresentada pela SEA em 27 de fevereiro, ou seja, concedendo uma reposição de 17% sobre os vencimentos brutos anuais, que significa cerca de 12% de ganho real ao final do período de concessão, distribuído em cinco parcelas.

 

O único avanço após as audiências desta segunda-feira, que estabelece simetria de valores, com todas as classes da Segurança Pública percebendo o mesmo subsídio, foi a antecipação do prazo final para a integralidade do reajuste, de setembro de 2022 para setembro de 2021. Ao final do encontro o presidente da ACORS viajou para Brasília, e ao retornar volta a se reunir com os Diretores e Assessores da entidade no dia 5 de março, às 14h.

 

Para os presidentes das associações, a proposta do Governo, que engloba extinção da IRESA, novas alíquotas de Pensão Militar e reposição inflacionária do período de 2016 a 2019,  não corresponde à expectativa dos Militares Estaduais, que negociaram um reajuste salarial pela última vez no ano de 2013, daí a dificuldade de contentar os associados e obter o aval para a proposta na forma em que está. As propostas da Polícia Civil e IGP, assim que formalizadas, irão para a ALESC, independente das negociações dos Militares Estaduais, que contam com um prazo até quarta-feira, 4 de março, para se manifestarem a favor ou contra a proposta.

 

  • Publicado em 03.03.2020.