Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 7 de abril

7.4.2015

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 07 DE ABRIL

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

ÀS MOSCAS

Novo posto de videomonitoramento da PM, próximo à Rodovia Admar Gonzaga, ficou pronto em dezembro (foto), mas quatro meses depois o prédio “padrão Fifa”, de 210 metros quadrados, continua desocupado e não há data confirmada para a inauguração. Policiais? Nem sinal. A obra foi feita mediante um acordo “inédito” com uma construtora denunciada por danos ambientais.

 

ASSUNTO: Complexo do Alemão

VEÍCULO: Diário Catarinense

CONJUNTO DE FAVELAS vive clima de tensão após polícia intensificar ação de retomada do morro

Na casa onde Eduardo de Jesus Ferreira levou o tiro que lhe ceifou a vida, um lençol branco pede a paz que os moradores do complexo de favelas do Alemão desconhecem. O menino de 10 anos foi uma das quatro vítimas da última semana no conjunto de comunidades da zona norte do Rio de Janeiro, que há três meses convive com tiroteios diários entre policiais e traficantes. Eduardo foi enterrado ontem, no Piauí.
– Dois dias sem tiro é um milagre. A morte do Eduardo deu uma trégua – suspira Renata Trajano, 35 anos, do coletivo Papo Reto.
Quase cinco anos depois da ocupação, em novembro de 2010, apesar das quatro unidades de Polícia Pacificadora (UPP) e dos 1.230 policiais na região, o medo de ter o caminho interrompido por um disparo de fuzil é constante. A PM entrou, projetos sociais não avançaram e o Comando Vermelho se fortaleceu para reconquistar o espaço perdido. No meio dos confrontos ficam os moradores.
Na tarde anterior ao dia da morte do menino Eduardo, também houve tiroteio. Preocupada, Elisabete de Moura correu para fechar a porta de casa. Ao virar as costas, levou o disparo fatal. O tiro ainda alvejou sua filha, que sobreviveu.
– Minha mãe morreu com tiro nas costas dentro de casa. Eu vi o policial que a matou. No dia seguinte, ele estava trabalhando normalmente – diz o universitário Maycom Brum, 27 anos.
A carnificina gerou protestos contra a atuação da PM, e o governador Luiz Fernando Pezão anunciou a reocupação. Desde a quinta- feira, 300 homens policiais tomaram a área.

COMISSÃO DA CÂMARA FARÁ AUDIÊNCIA
Ontem, as patrulhas eram intensas. Homens, crianças e grávidas circulavam nas ruas observadas por policiais armados. Um grupo do Choque guarnecia uma creche. Em frente a uma quadra de esportes barricadas aguardavam eventuais confrontos.
– Tem gente na outra laje com fuzil nos monitorando. A gente pede para que as famílias não circulem com as crianças e que os senhores desçam – orientou um sargento a moradores e ao deputado Paulo Pimenta (PT-RS).
Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Pimenta esteve no Alemão. Ouviu queixas dos moradores e aguarda relatos sobre as condições precárias de trabalho dos PMs, que também acabam vítimas da violência generalizada. A comissão fará uma audiência pública, ainda sem data marcada, no complexo.
Porta-voz da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o major Marcelo Corbage define a reocupação como “realinhamento estratégico”, sem a presença das Forças Armadas. Segundo ele, a presença de UPPs em outras favelas força o contragolpe do tráfico.
Haverá mudança na distribuição e nas rotinas das patrulhas. O efetivo terá cursos de recapacitação, ministrados pelo Bope e Choque com 64 horas de duração:
– Uma das partes do curso terá técnicas de abordagem. O policial deve se portar de forma segura para comunidade. Esperamos que a morte do Eduardo seja a última.

 

ASSUNTO: Morte na Fields

VEÍCULO: Diário Catarinense

Polícia fará reconstituição do crime em casa noturna

A Delegacia de Homicídios de Florianópolis fará a reconstituição do crime que matou Diogo Cuiabano de Medeiros, 26 anos, na casa noturna Fields, na Capital, no dia 28 de março. O autor do assassinato, Leonardo dos Passos Pereira, que está preso, deverá participar da simulação, cuja data não foi divulgada.
O trabalho envolverá policiais civis da Homicídios e peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP). O DC apurou que o procedimento poderá ser realizado nos próximos dias. Normalmente, ele é feito em casos de repercussão para confrontar versões e também para assegurar as garantias legais do inquérito policial.
A informação sobre a reconstituição é citada nesta segunda-feira em decisão do juiz Marcelo Pons Meirelles, da Vara do Tribunal do Júri, que afirma que “a mencionada reconstituição foi determinada pela autoridade policial, a quem compete presidir o inquérito policial, não havendo nenhuma intervenção deste juízo, que sequer tinha conhecimento de tal ato”.
No documento, o juiz indeferiu pedido de assistência de acusação no caso porque ainda não existe ação penal e afirma que isso poderá ser analisado em momento oportuno. O autor do crime está preso no complexo prisional da Agronômica, em Florianópolis. Ele foi preso em flagrante e a Justiça ainda não decidiu se decreta ou não a prisão preventiva dele, pois aguarda diligências da polícia requeridas pelo Ministério Público.
Segundo a polícia, Leonardo dos Passos Pereira quebrou um copo e acertou a vítima após um esbarrão no banheiro. Em um vídeo, o autor do golpe disse que agiu em legítima defesa.

 

ASSUNTO: Farra-do-boi

VEÍCULO: Notícias do Dia

Farra do boi e da impunidade

“Santa Catarina é o exemplo da impunidade, da falta de conhecimento e consciência quando se fala em maus-tratos aos animais e farra do boi”. A afirmação da presidente da Comissão de Defesa dos Animais da OAB/SC (Ordem dos Advogados do Brasil), Maria Helena Machado, aponta para a realidade cruel que o Estado ainda vive com as ocorrências da farra do boi, nas quais poucas pessoas são punidas. De acordo com a Polícia Militar, este ano foram confirmadas 25 ocorrências no litoral catarinense, principalmente em Florianópolis e Governador Celso Ramos. Deste total, 18 aconteceram durante a Semana Santa.

A farra do boi é considerada crime de acordo com a lei 9.605/1998, com previsão de pena de três meses a um ano de detenção. Segundo Maria Helena, não é por falta de leis que o crime continua a ocorrer, mas sim por falta de conscientização e educação daqueles que utilizam o subterfúgio da “tradição” para defender o crime. “Maus-tratos não têm a ver com cultura. É falta de educação, de conhecimento. Temos tido evolução e reconhecimento dos direitos dos animais, mas é preciso avançar mais”, diz.

Segundo o tenente-coronel Sérgio Luis Sell, chefe do centro de comunicação da PM, em algumas vezes os casos são resolvidos em conversas com os farristas, com o consequente resgate do animal pela Cidasc (Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina). Em outros, é necessário o enfrentamento pela PM. “Este ano houve duas ocorrências com maior enfrentamento da PM no mês de março, mas neste último fim de semana só um animal foi apreendido em Florianópolis”, ressalta. A ocorrência foi registrada domingo, na Barra da Lagoa. Este ano, foram apreendidos quatro animais – em 2014, o número chegou a 17. No ano passado, 37 pessoas foram conduzidas à delegacia e, neste ano, apenas quatro. Para Sell, isto mostra que o número de participantes e de farras do boi está diminuindo em Santa Catarina, principalmente pela conscientização.

Governo e MP fazem campanhas educativas nas escolas

Para evitar os casos de farra do boi, as polícias Militar, Ambiental e Rodoviária Estadual, a Cidasc, o Ministério Público e as SDRs (Secretarias de Desenvolvimento Regional) da Grande Florianópolis e de Itajaí realizam anualmente campanhas educativas nas escolas para tentar evitar a prática violenta. Segundo Maria Helena Machado, da OAB /SC, além do policiamento, somente com medidas preventivas como conscientização e educação é possível mudar esta realidade. “A situação é difícil porque quando a polícia chega, eles [os farristas] fazem tudo de forma muito rápida para se dissipar”, diz.

No sábado, em Governador Celso Ramos, um homem de 48 anos foi encaminhado pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Regional de São José. Ele teve o tórax perfurado por um búfalo. A princípio, o caso foi registrado como farra do boi, mas, segundo o tenente-coronel Sérgio Luís Sell, da PM, o animal teria fugido de uma localidade rural e o homem ferido trabalhava neste local. O Notícias do Dia acompanhou a farra do boi em Palmas, Governador Celso Ramos, quando mais de mil pessoas presenciaram a perseguição a um boi.

 

ASSUNTO: Morte de traficante

VEÍCULO: Notícias do Dia

Polícia investiga crime

A DIC (Diretoria de Investigações Criminais) se uniu à Delegacia de Homicídios para tentar desvendar o assassinato do traficante Tiago Cordeiro, o Calcinha, dentro da loja de conveniências do posto de combustível Camarão, na Costeira do Pirajubaé, em Florianópolis, na última quinta-feira, praticado por dois homens vestidos com roupas pretas e com gorros. O crime ocorreu por volta das 22h10. O carro usado pelos criminosos foi abandonado no bairro Serrinha.

Há várias linhas de investigação no quebra-cabeça para desvendar o assassinato do braço direito do narcotraficante Neném da Costeira, que cumpre pena em presídio federal no Mato Grosso do Sul. Logo após a execução de Calcinha, com tiros de pistola 9 mm, fogos de artifícios estouraram no Morro do Horácio, onde a vítima comandou o tráfico de drogas após as prisões do casal patrão, Rodrigo da Pedra e Simone. Calcinha ficou no comando do Morro do Horácio até o início do ano passado. Depois, teria se dedicado ao controle do tráfico na Costeira do Pirajubaé.

Ontem, o ND retornou ao local do crime. Uma testemunha informou que a vítima estava sendo perseguida por três suspeitos em um Gol prata. “Quando Calcinha entrou na loja de conveniências, os matadores estacionaram o carro e o mataram. A ação durou apenas 28 segundos”, afirmou um jovem que pediu para não ser identificado. O delegado da Homicídios, Ênio de Oliveira, tem a certeza de que o crime está relacionado ao tráfico de drogas. “Pode ser briga pelo espaço ou acerto de contas”, disse.

 

ASSUNTO: Pichação em delegacia

VEÍCULO: Notícias do Dia

Polícia tem pistas do suspeito

O delegado geral da Polícia Civil, Artur Nitz, disse que é uma questão de honra para a instituição capturar o responsável por pichar as paredes da delegacia e das viaturas que estavam em frente à 1ª Delegacia de Polícia de São José, no bairro Forquilhinhas. Nitz afirmou que foi aberto inquérito para apurar as circunstâncias do crime e saber onde estava o plantonista no momento da pichação. Mas o delegado geral ressaltou que não se deve punir o policial que fica sozinho numa delegacia.

“Ele é obrigado a ficar de porta trancada. Por isso, eu sempre disse que não adianta ter policial apenas para cuidar de delegacia. Mas quando falo em fechar as DPs por falta de efetivo, a imprensa me critica. A falta de policial é decorrência de governos anteriores, que não se preocuparam em abrir concurso público”, ponderou Nitz.

A busca pelo homem que desafiou a Polícia Civil escrevendo nas paredes xingamentos contra os policiais e exaltando a organização criminosa PGC (Primeiro Grupo Catarinense) será executada por policiais da DIC (Divisão de Investigação Criminal) de São José.

O delegado geral afirmou que os policiais já têm pista do suspeito, saindo do local com uma lata de spray na mão. A imagem do homem, que estava emcapuzado, foi captada pelas câmaras da delegacia na madrugada de sábado.

O delegado da DIC de São José, Manoel Galeano, acredita que as pichações estão relacionadas com as prisões que a especializada vem fazendo. “Nestes dois meses de inauguração, botamos muita gente na cadeia, com prisões em flagrante e cumprindo mandados. Isso inquietou os criminosos”, comentou Galeano, que ontem de manhã reuniu a equipe para definir estratégia na busca do pichador.

 

ASSUNTO: SSP

VEÍCULO: Notícias do Dia

Estado inaugura três centrais de videomonitoramento

A SSP (Secretaria da Segurança Pública) do Estado inaugura amanhã mais três centrais de videomonitoramento nas cidades de Barra Velha, Piçarras e Porto Belo. Em cada uma foram instaladas dez câmeras de vigilância padrão full HD, num investimento de R$ 773,2 mil com recursos do programa Pacto por Santa Catarina e contrapartida das prefeituras.

Com a ativação dessas três centrais, agora são 57 municípios catarinenses operando com sistema de videomonitoramento, contabilizando 1.601 câmeras de vigilância instaladas. Outras 96 cidades já assinaram convênio para implantação do sistema, e mais 20 municípios estão em processo de implantação e ampliação.

Segundo o secretário de Estado da Segurança, César Augusto Grubba, o projeto é importante, mas não é a solução milagrosa para os problemas de segurança. “O sistema funciona como uma importante ferramenta de apoio ao policiamento, que agrega tecnologia e modernidade”, observa Grubba.

Uma das novidades do sistema é que permitirá um trabalho com foco na investigação policial, já que as imagens monitoradas são compartilhadas com as delegacias de polícia.

De acordo com coordenador do sistema de videomonitoramento urbano da SSP, tenente-coronel Vânio Luiz Dalmarco, a escolha dos locais onde são instalados os pontos de monitoramento são definidos de acordo com os índices criminais.

“As estatísticas oficiais comprovam que, em locais onde existem câmeras de vigilância, a criminalidade registra redução em diversos tipos de delitos, principalmente, aqueles praticados contra o patrimônio”, garante o oficial.

 

ASSUNTO: Visita ao CBM

VEÍCULO: Portal do CBMSC

BOMBEIROS DE GOIÁS VISITAM O CBMSC E PARTICIPAM DE INSTRUÇÕES NA CAPITAL

     

 

Entre os dias 30 de março a 4 de abril o CBMSC recebeu em Florianópolis uma comitiva de 40 militares do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (CBMGO), em visita de estudos. A ocasião se deu em razão do término do Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos (CAS) daquele Estado, com apoio do 1º Batalhão, Diretoria de Logística e Finanças (DLF), Centro de Ensino Bombeiro Militar (CEBM), Batalhão de Operações Aéreas (BOA) e Estado-Maior Geral.

Os bombeiros foram recepcionados pelo Comandante-Geral do CBMSC, Coronel BM Onir Mocellin, no auditório do CRC (Conselho Regional de Contabilidade). Foram apresentados os aspectos gerais da corporação catarinense, ocasião esta em que o Tenente BM David Ferreira de Castro Neto, chefe da delegação e Comandante do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP) do CBMGO, entregou ao Comandante-Geral um porta-estandarte estilizado para colocação de bandeiras.

Ao longo da semana a agenda de instruções envolveu a visitação às instalações do Centro de Ensino; palestra sobre plataformas digitais e físicas da Biblioteca do CEBM; visitação ao BOA; palestras sobre Programas Comunitários; instrução sobre sinalização nas praias e corrente de retorno na praia da Joaquina (pois alguns Bombeiros do Curso nunca haviam visto o mar); instrução sobre os recursos utilizados no COBOM nos chamados de atendimentos (Centro de Operações Bombeiro Militar) e ferramentas contemporâneas de integração digital à comunidade; visitação à Ilha dos Guarás (Ilha do CBMSC).

A visita proporcionou o reencontro (foto) entre o Sargento Caiado (de Goiás) e o Major PM Torquato (de Santa Catarina), ambos integrantes da Força Nacional. Eles relembraram com emoção as muitas operações em conjunto.

O Capitão BM Dárcio A. Nunes Filho, Secretário do Estado-Maior Geral e responsável pela elaboração do cronograma de instruções e pelo acompanhamento da delegação, recebeu das mãos do Tenente BM Casto de Goiás uma camiseta do curso em reconhecimento pelo tratamento dispensado durante toda a semana ao grupo.