Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 17 de abril

17.4.2015

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 17 DE ABRIL

 

COLUNISTA HÉLIO COSTA – Notícias do Dia

Protetores animais

A 1a Companhia do Batalhão de Polícia Militar Ambiental de Florianópolis realiza amanhã o teste de seleção de adolescentes para o programa Protetor Ambiental. O objetivo, segundo a PM, é despertar em meninos e meninas de 12 a 14 anos, alunos das redes pública e privada de ensino, uma consciência de proteção e prevenção ao meio ambiente, reproduzindo comportamentos adequados à preservação da vida em todas as suas nuances. Excelente o programa da Polícia Ambiental. A Ilha está precisando de um despertar ambiental. Esta meninada será multiplicadora da consciência ecológica, influenciando as ações e omissões do meio socioeconômico. As inscrições terminaram, e agora 30 adolescentes serão selecionados para compor a turma de protetores 2015. A seleção será realizada na Escola Municipal Maria Conceição Nunes, rua da Intendência, bairro Rio Vermelho, em Florianópolis, das 9h às 11h.

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Circula no Facebook convite para manifestação pela expulsão do soldado Mota da PM, acusado de assassinar o surfista Ricardinho. Será amanhã, às 15h, na Guarda do Embaú.

LIDERANÇA RECONHECIDA

A delegada Mara Toledo Piza Baiocchi de Sant’anna assume hoje à tarde o cargo de superintendente regional da Polícia Federal em Santa Catarina. Junto com o marido, também delegado da PF, já tem 14 anos de atuação em Florianópolis, dos 19 anos de carreira na PF. Conhecida pelo perfil conciliador, é muito respeitada pelos colegas na instituição, a exemplo do companheiro. O ambiente está tão bom na sede da Beira-Mar Norte, que teve até policial que cancelou pedido de aposentadoria só para trabalhar com a doutora Mara.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

SEGURANÇA

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Santa Catarina, Anderson Amorin, passou a integrar o Conselho Nacional de Segurança Pública, órgão do Ministério da Justiça. Vai suceder Jânio Bosco Gandra. Santa Catarina passa a contar com dois conselheiros. O soldado da PM, Elizandro Lotin, presidente da Aprasc, já faz parte do Conselho.

 

ASSUNTO: NOVA LEI EM BLUMENAU

VEÍCULO: Diário Catarinense

Número de atendimentos da PM em casos de barulho reduz 68%

A fiscalização da lei do Programa Silêncio Urbano (Psiu) de Blumenau emitiu até agora duas advertências por escrito e nenhuma multa desde que entrou em vigor, em 16 de março. Em todo o mês a Polícia Militar registrou 81 reclamações por excesso de barulho. Em comparação com março do ano passado, quando houve 250 ocorrências, a queda foi de quase 68%.
Segundo o aspirante a oficial da Polícia Militar Rodrigo Geraldo Siedschlag, muitas vezes a denúncia não é confirmada ou simplesmente o barulho já está encerrado quando a polícia chega.
Pela lei, quando há infração o autor recebe primeiro uma advertência por escrito. Se houver reincidência, é aplicada multa de R$ 450. Nenhuma penalidade foi emitida até agora de acordo com a diretoria de Fiscalização da Secretaria de Planejamento, a quem cabe decidir se a notificação da PM procede. Segundo o aspirante Siedschlag, o objetivo da polícia não é notificar as pessoas, mas reduzir as ocorrências:
– Significa que menos viaturas e policiais estão sendo destinados para casos deste tipo, permitindo o direcionamento do efetivo para situações mais graves.
O número de reclamações em março não é apenas menor que o mesmo período de 2014: é inferior também aos dois primeiros meses deste ano, quando ocorreram 201 reclamações em janeiro e 181 em fevereiro. A PM avalia essas quedas consecutivas como uma mudança no comportamento das pessoas, motivada pela divulgação, debate e vigência do Psiu.

 

ASSUNTO: Polícia Federal

VEÍCULO: Notícias do Dia

Única mulher no comando da PF

Em um universo predominantemente masculino, a delegada Mara Toledo Piza Baiocchi de Sant’Anna, 46 anos, foi escolhida para administrar a Superintendência da Polícia Federal em Santa Catarina. Não é a primeira vez que Mara ocupa cargo semelhante no órgão. Em 2010, ela esteve à frente da PF em Brasília. Mas atualmente é a única mulher superintendente no país.

Mara não é apenas uma administradora. Com 19 anos dedicados à PF, a delegada participou de operações notáveis. Como a chamada “Caixa de Pandora”, em 2009, que reuniu provas para colocar o então governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), na cadeia. Na ocasião, ficou comprovado que ele teria usado o poder para chefiar uma organização criminosa envolvendo empresas contratadas pelo governo e distribuição de propina em troca de apoio político.

Mara toma posse às 16h de hoje no prédio da Superintendência da PF, na avenida Beira-Mar Norte, em substituição ao delegado Clayton Eustáquio Xavier, que passa a ocupar o cargo de representante da PF no gabinete Institucional da Presidência da República.

A indicação de Mara partiu de dentro da própria superintendência de Santa Catarina e foi homologada pelo diretor-geral do órgão, delegado Leandro Daiello Coimbra. As nomeações anteriores sempre eram inversas. Candidato a superintendente nunca trabalhava no mesmo Estado onde a vaga estava aberta. Apaixonada pelo o que faz, Mara disse que veio para somar.

Inicialmente, não pretende fazer grandes mudanças e pede a colaboração dos colegas. “Na medida do possível, vamos executar e dar continuidade ao que já vinha sendo feito. A criminalidade já é organizada e se organiza cada vez mais. Então, tendo em mente todas estas frentes, vamos combater, sistematicamente, a corrupção, o tráfico de drogas, a lavagem de dinheiro e todas as mazelas que incomodam a sociedade”, afirma.

 

ASSUNTO: Troca de comando

VEÍCULO: Notícias do Dia

Tenente-coronel assume PM da região de Blumenau

A tenente-coronel Claudete Lehmkuhl, depois de 31 anos de trabalho dentro da Polícia Militar, vai comandar a 7ª Região da PM, com sede em Blumenau, a partir da próxima quarta-feira. Ela coordenará o trabalho da corporação em três batalhões, que abrangem 44 municípios.

Claudete já assume deixando uma marca no Estado: será a primeira mulher a comandar uma região em Santa Catarina. Ela entra no lugar do coronel Ilon Joni de Souza, que esteve por um ano e sete meses no cargo e vem agora para Florianópolis para atuar como corregedor interno da Polícia Militar.

Para Claudete, o cargo representa a valorização das mulheres dentro da corporação. “O comando se antecipou e me deu esta oportunidade, porque hierarquicamente, as regionais são comandadas por coronéis”, destaca.

 

ASSUNTO: Salários no serviço público

VEÍCULO: Correio Braziliense

Salários podem criar guerra entre parlamentares do Congresso Nacional

Proposta do governo de fixar limite para o crescimento dos gastos com a folha de pagamento da União esbarra no princípio de que Legislativo e Judiciário têm autonomia para reajustar os vencimentos de seus funcionários

A proposta do governo federal de limitar os gastos com servidores, conforme consta do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016, publicado no Diário Oficial da União de ontem, pode abrir uma guerra entre o Executivo, de um lado, e o Legislativo e o Judiciário, de outro. Isso porque, de acordo com a Constituição, cada um dos Poderes tem autonomia para reajustar livremente os salários de seus funcionários. Pela primeira vez, o Executivo está tentando limitar os reajustes salariais das outras áreas.
“Cada poder é autônomo, tem seu titular e seu respectivo teto salarial. Vai ser uma disputa grande entre os Poderes, se houver mudança. Mas é possível haver uma conciliação sobre as determinações constitucionais porque a Lei de Responsabilidade Fiscal também precisará ser respeitada”, explicou Roberto Bahia, professor de direito constitucional da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo (SP).
Ao entregar o projeto ao Congresso, na quarta-feira, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, informou que a ideia é definir um valor máximo para a elevação das despesas, além do crescimento vegetativo da folha de pagamentos, levando em consideração “o espaço fiscal disponível”. O limite será discutido nos próximos meses e será definido apenas em agosto, quando o governo enviar ao Legislativo o Projeto da Lei Orçamentária Anual (Ploa).
O diretor para a América Latina do Eurasia Group em Washington, João Augusto de Castro Neves, acredita que a equipe econômica da presidente Dilma Rousseff terá problemas para aprovar a mudança. “Os interesses do Congresso Nacional podem não respeitar os do Executivo, e eles devem argumentar que essa mudança é inconstitucional, mas é preciso lembrar que, para todo gasto, é preciso ter uma previsão de receita”, disse ele, lembrando que apenas o Executivo é responsável pela a arrecadação do Orçamento da União.