Área do associado

Área do associado

Notícias do Dia destaca eficiência da segurança no Congresso Técnico da Fifa

21.2.2014

Jornal Notícias do Dia desta sexta-feira destaca a eficiência da segurança no Congresso Técnico da Fifa

Segurança triplicada

O segundo dia do Congresso Técnico da Fifa no Costão do Santinho, em Florianópolis, foi destinado, basicamente, para tratar de segurança. Os representantes das 32 seleções que estarão na Copa do Mundo no Brasil passaram a manhã de ontem conhecendo os detalhes sobre a operação conjunta de todos os órgãos do setor. E ficaram sabendo que o Mundial terá três vezes mais seguranças do que na Copa das Confederações, realizada no meio do ano passado no Brasil.

“Na Copa das Confederações atuamos com 50 mil pessoas no esquema de segurança. No Mundial serão 150 mil profissionais da segurança pública”, anunciou André Rodrigues, do Ministério da Justiça, ao participar da entrevista coletiva concedida no início da tarde para falar só sobre segurança na Copa. “O nosso planejamento estratégico começou em 2011 e está na reta final”, contou o general Jamil Megid Júnior, do Ministério da Defesa, ao revelar que “o governo federal, com todos os envolvidos nessa operação, tem um orçamento de R$ 1,9 bilhão para cuidar do esquema de segurança ligado à Copa.”

Enquanto isso, segundo o diretor de segurança da Fifa, Ralf Mutschkc, “a Fifa redobrou os esforços e, em conjunto com a Interpol, está tomando as medidas necessárias para termos um jogo limpo, dentro e fora de campo, e construirmos um futuro melhor.” Ele considera que “no Brasil, há uma atmosfera singular, já que é um país de Copa e aqui o futebol é uma religião. Tenho certeza que será um evento inesquecível”, projetou.

Já o gerente geral de segurança do COL (Comitê Organizador Local), Hilário Medeiros, destacou que “todo o plano de segurança foi apresentado e aprovado pelos representantes das 32 seleções que estarão na Copa do Mundo.” Ele garantiu que “todo os homens do esquema de segurança falam, no mínimo, dois idiomas, para orientar as pessoas e atender às necessidades do evento”.

Congresso na Capital serve de modelo

“Em Florianópolis tivemos um modelo de como a segurança deve funcionar na Copa.” Esta afirmação é de André Rodrigues, do Ministério da Justiça, ao avaliar os reflexos do esquema dos órgãos do setor na operação conjunta montada para o evento no Costão do Santinho. Já Ralf Mutschkc, da Fifa, foi taxativo: “Estamos orgulhosos de termos participado deste evento, onde tudo funcionou. A integração entre os órgãos foi perfeita. Esse é o legado e o ensinamento que fica. Foi um encontro extremamente seguro e positivo. Santa Catarina e Florianópolis estão de parabéns pela segurança.”

Ele acredita que as manifestações ocorridas no Brasil, em junho do ano passado não foram por causa da Copa no país, mas por causa do aumento no preço da tarifa do transporte coletivo. “Usaram a Copa das Confederações como janela para mostrar a insatisfação do povo com a corrupção e com o dinheiro público mal gasto. O povo brasileiro sempre quis ter a Copa em seu país”, destacou.

Durante o workshop foram mostrados novos dispositivos de segurança, que serão usados na Copa, nos hotéis e nos deslocamentos das delegações. “O esquema montado aqui foi uma amostra perfeita de como deve funcionar no Mundial”, reforçou o general Jamil Megid Júnior. Veja, a seguir, os órgãos de segurança envolvidos no Congresso da Fifa em Florianópolis.

* publicado em 21.02.2014