Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 9 de janeiro

9.1.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 9 DE JANEIRO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Fissura

O episódio em Joinville, em que a promotoria e a Polícia Militar não se entenderam sobre a presença de policiamento no estádio, amplamente repercutido no país após a briga de torcedores, e a compra de um prédio por R$ 123 milhões aumentaram a divisão interna no Ministério Público de Santa Catarina. O racha colocaria em lados opostos a procuradoria-geral e um grupo de promotores.

 

COLUNISTA ROBERTO AZEVEDO – Notícias do Dia

Salários no limite

O governo do Estado deixará o limite prudencial de gastos com a folha de pagamento dos servidores. A garantia é do secretário de Estado da Fazenda Antonio Gavazzoni. Os limites de alerta, prudencial e máximo, são emitidos pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) com base no quanto o governo desembolsa com o funcionalismo. A análise parte de um balanço preliminar, com o qual Gavazzoni adianta que o Estado conseguiu reduzir metade do crescimento da folha de pagamento dos últimos anos.

O percentual de aumento dos pagamentos caiu de 18% para 9% “o que é muito bom, mesmo que seja um índice alto, ainda”, estimou. No primeiro quadrimestre, a RCL (Receita Corrente Líquida) do Estado foi de R$ 14,7 bilhões, com um gasto de R$ 6,9 bilhões com a folha, ou seja, 47,4% da receita. No segundo quadrimestre a RCL subiu para R$ 15,1 bilhões, com R$ 7,2 bilhões investidos em salários, 47,2% da receita. O limite de alerta para gastos é de 44,1%, o prudencial é de 46,5% e o máximo é 49%. Ao atingir o limite prudencial, por exemplo, o governo não pode conceder aumentos, a não ser para servidores de atividades essenciais. O limite máximo obriga cortes na folha.

Gavazzoni enfatiza que Santa Catarina foi um dos seis Estados do país que conseguiu “fechar o caixa em 2013”. Segundo ele, o país “vive um momento dramático economicamente”, com pelo menos 21 Estados que não conseguiram completar as contas. Os vizinhos Paraná e Rio Grande do Sul, por exemplo, tiveram que contrair empréstimos de R$ 1,5 bilhões cada para pagar a folha. Santa Catarina quitou as dívidas, o 13º salário dos servidores foi pago até o dia 13 de dezembro e a folha adiantada para o dia 20, no total de R$ 1,8 bilhão. O balanço das contas de 2013 fecha somente em fevereiro, mas Gavazzoni garante, “foi um ano ótimo para Santa Catarina”.

 

ASSUNTO: INCÊNDIO

VEÍCULO: Diário Catarinense

Casas pegam fogo na Ilha

Uma casa de madeira pegou fogo e outra foi atingida parcialmente na tarde de ontem, na comunidade de Monte Serrat, no Maciço do Morro da Cruz, em Florianópolis. O Corpo de Bombeiros foi chamado e conseguiu controlar as chamas.
O incêndio ocorreu por volta de 16h30min. Conforme os socorristas, não houve nenhum ferido na ocorrência. Informações preliminares davam conta de que crianças estariam dentro da casa no momento do começo do fogo, mas elas conseguiram sair antes de as chamas consumirem a residência.
Vizinhos informaram que uma vela pode ter sido a causa do fogo, mas os bombeiros vão investigar o motivo.

 

ASSUNTO: Segurança dos banhistas

VEÍCULO: Diário Catarinense

Quase um milhão de alertas no litoral de SC

Entre outubro de 2013 e janeiro deste ano, guarda-vidas chamaram a atenção de milhares de banhistas sobre segurança no mar

O barulho estridente do apito, o braço agitado do guarda-vidas com o pé de pato mandando a pessoa que está no mar sair dali. Uma cena que se repetiu em Santa Catarina 993.122 vezes entre outubro de 2013 e janeiro deste ano. É como se a cada minuto fossem soados 7,6 alertas nas 153 praias onde os bombeiros estão.
Os números são do Corpo de Bombeiros do Estado. O comandante da Operação Veraneio 2013/2014 em SC, o coronel Gladimir Murer, diz que apesar de alto o dado não surpreende e tem se repetido a cada temporada. Por dia, são 1,2 mil guarda-vidas em serviço. Pela média, seria como se cada um fizesse cerca de 10 abordagens de banhistas em área de risco.
Todos os dias relatórios são preenchidos pelo profissional com as intervenções e ocorrências feitas no turno.
A falta de atenção e a imprudência são os principais motivos que levam as pessoas a se arriscarem no mar, ainda que haja a bandeira vermelha para alertar que ali é perigoso, principalmente por causa da corrente forte.
– Sempre há o descuido ou o pensamento de que “comigo não vai acontecer” – ressalta Murer.
Ignorar a bandeira vermelha leva a outro problema. O número alto de pessoas que foram levadas pela correnteza. Desde outubro, foram 1,9 mil resgastes de vítimas de arrastamento.
– Se não houvesse a recuperação pelos salva-vidas, poderiam ser óbitos – observa.

Atente para as bandeiras

VERMELHA:

– risco elevado de afogamentos

AMARELA:

– risco médio de afogamentos

VERDE:

– risco baixo de afogamentos

 

 

Não se arrisque

– Seja prudente. Não superestime sua capacidade de nadar.

– Evite locais sem guarda-vidas

– Em água doce ou salgada, procure locais rasos e sem correnteza

– Crianças exigem cuidado redobrado. Não as perca de vista.

– Sempre que possível, opte pelo uso do colete salva-vidas. Em água doce ou em embarcações, o uso é imprescindível.

– Bandeira vermelha: fique 50 metros longe para ambos os lados, pois ali há corrente de retorno. Apesar da menor quebra de ondas, o local possui forte correnteza em direção ao alto-mar.

– Em caso de entrada em correntes de retorno, o banhista deve balançar os braços e gritar para que as pessoas entendam que ele precisa de ajuda.

– Antes de mergulhar certifique-se da profundidade.

– Nunca nade após ingerir bebidas com álcool, alimentos ou se estiver passando mal ou com frio.

OPERAÇÃO VERANEIO 2013/2014

– 33 municípios

– 153 praias e balneários

– 312 postos de guarda-vidas

– 2,1 mil guarda-vidas

– 42 viaturas

– 52 embarcações

ATENDIMENTO DOS BOMBEIROS

– 5/10/2013 a 5/1/2014

– Arrastamentos: 1.916

– Abordagens a banhistas: 993.122

– Afogamentos com recuperação: 99 casos

– Afogamentos seguidos de morte: 49

– Em área monitorada: 8

– Em área não monitorada: 43

MORTES POR AFOGAMENTO*

– 2010/2011: 17

– 2011/2012: 12

– 2012/2013: 10

– 2013/2014: 8

*em áreas monitoradas

 

ASSUNTO: Presídio do Maranhão

VEÍCULO: Diário Catarinense

CRISE NO MARANHÃO: ONU pede explicações a autoridades

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos pediu ontem que as autoridades brasileiras tomem ações imediatas para restabelecer a ordem no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, na capital do Maranhão, São Luís, que tem passado por crise carcerária desde o ano passado, e que foi intensificada nas últimas semanas. Veículos dos Estados Unidos, Reino Unido, Espanha e Argentina classificaram a situação como desumana.

Conforme o Alto Comissariado, é lamentável ter de expressar preocupação com o “terrível” estado das prisões no Brasil. Em nota, o órgão recomenda a redução da superlotação dos presídios brasileiros – não só no Maranhão – e o provimento de condições dignas aos detentos.
“Pedimos que as autoridades brasileiras conduzam investigações imediatas, imparciais e efetivas sobre esses eventos, processem os responsáveis e tomem as medidas apropriadas para colocar em vigor o Sistema Nacional de Prevenção e Combate à Tortura promulgado no ano passado”, diz o texto do Alto Comissariado.
Em meio à crise, Maranhão gasta R$ 1 milhão com comida

Enquanto a crise nos presídios repercute negativamente na imprensa internacional e preocupa até a ONU, o governo do Maranhão deve gastar R$ 1 milhão para abastecer as geladeiras da residência ofi cial e da casa de praia da governadora Roseana Sarney (PMDB) neste ano.

As licitações para compra de 80 quilos de lagosta fresca, uma tonelada e meia de camarão, 750 quilos de patinha de caranguejo, duas toneladas de peixe e mais de cinco toneladas de carne bovina e suína serão feitas hoje e amanhã.

A informação, divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, vem à tona em meio à crise no sistema penitenciário estadual, que já causou a morte de mais de 60 detentos, além de uma criança, durante uma atentado a ônibus ordenado de dentro da prisão. A lista de compras da governadora ainda inclui oito sabores de sorvete, 50 caixas de bombom, 30 pacotes de biscoito champanhe e R$ 108 mil em ração para peixes.

Conforme a Folha, o edital ainda prevê a compra de 2,5 mil garrafas de 1 litro de “refrigerante rosado” com “água gaseifi cada, açúcar e extrato de guaraná” _ descrição sob medida para a compra do guaraná Jesus, bebida famosa do Maranhão.

 

ASSUNTO: Perseguição policial

VEÍCULO: Diário Catarinense

APÓS PERSEGUIÇÃO: Polícia prende trio que assaltou família

Turistas foram surpreendidos por criminosos na Serra Dona Francisca

Uma família de turistas de União da Vitória (PR) que aproveitou as férias em uma das praias do Litoral Norte de SC foi surpreendida por assaltantes quando retornava para casa, na SC-418, na Serra Dona Francisca, em Joinville, ontem.
A assistente social Vanessa Maria Augusto, o noivo Dgiovani Demétrio, um adolescente de 17 anos, e a mãe dela, Sonia Augusto – tiveram o carro roubado, um Honda Civic, quando fizeram uma parada em uma cachoeira às margens da rodovia.
Um dos assaltantes, que chegou sozinho, mas contava com a cobertura de um casal em um Hyundai Santa Fé com placas de São Paulo, apontou um revólver de calibre 38 para Dgiovani e pediu as chaves.
O ladrão ainda ordenou para que todos entrassem no carro. Como o espaço estava ocupado por bagagens, a família foi deixada no local. O adolescente de 17 anos que dormia dentro do carro precisou ser puxado do veículo já em movimento para que não fosse levado pelo criminoso.
– Pensei que iam matar ele. Depois que cai a ficha você entra em desespero. Que coisa horrível – desabafou a avó do garoto.
Após o assalto, o noivo da vítima parou um Fiat Uno que subia a serra e pediu socorro. Ele e o motorista do carro conseguiram seguir os bandidos e passar as coordenadas para a Polícia Militar pelo celular.
Os ladrões foram surpreendidos pela PM na área industrial de Joinville. Eles pararam para transportar produtos roubados do Santa Fé para o Civic. Houve perseguição e troca de tiros. Os três suspeitos, que são de Curitiba, tentaram fugir pela mata, mas foram capturados e levados para a Central de Polícia. O carro foi recuperado, embora tenha ficado danificado após a perseguição. Alguns pertences das vítimas, como celulares e os eletrônicos roubados, também foram recuperados. A arma foi apreendida.

 

ASSUNTO: Armas localizadas no Oeste

VEÍCULO: Diário Catarinense

ENTERRADOS NO MATO: PM apreende drogas e revólveres

A Polícia Militar (PM) apreendeu cerca de quatro quilos de crack ontem em Herval d’Oeste, no Meio-Oeste de SC. A droga estava em garrafas pet e enterrada em um matagal. Também foram encontrados em sacolas plásticas dois revólveres, de calibre 32 e 22, e munições.
A polícia realizou a apreensão depois de seguir um suspeito, foragido do Presídio de Joaçaba, que foi de moto até o matagal, no acesso à comunidade de Serra Alta.
Ao perceber a movimentação dos agentes, o homem teria abandonado o veículo e fugido a pé. A moto tem registro de furto e foi recolhida pela PM e encaminhada, com a droga e as armas, à delegacia da cidade.

 

ASSUNTO: Violência em Ingleses

VEÍCULO: Diário Catarinense

REVOLTA DA POPULAÇÃO: Suspeito de estupro é agredido em Ingleses

Um homem foi agredido pela população na Rua dos Tubarões, no bairro Ingleses, em Florianópolis, na noite de terça-feira. As pessoas o acusavam de um estupro ocorrido dois dias antes, no domingo. Segundo a Polícia Militar, uma guarnição estava em patrulha pela região e interveio. O suspeito foi algemado e levado para Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Canasvieiras, pois estava com ferimentos leves na face e pelo corpo. Ele negou a acusação e foi encaminhado à 6ª Delegacia de Polícia.

 

ASSUNTO: Contas do Governo

VEÍCULO: Notícias do Dia

Poderes devolvem R$ 50 mi

O resultado prático do debate sobre a redução do repasse de verbas do governo do Estado aos poderes Legislativo, Judiciário e Tribunal de Contas, o chamado duodécimo, foi a criação de um grupo técnico de trabalho para analisar as sobras de cada poder e o montante a ser devolvido aos cofres públicos do Estado.

Nestes primeiros nove dias de 2014, a equipe tem confirmada a devolução de R$ 50 milhões, sendo R$ 20 milhões da Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina) e R$ 30 milhões do TCE (Tribunal de Contas do Estado). Até o início de fevereiro, Ministério Público e Tribunal de Justiça indicarão os valores que poderão restituir. “Eles ainda não fecharam o balanço”, justificou o coordenador do grupo técnico, o secretário da Fazenda Antonio Gavazzoni.

Conforme o secretário, embora os valores não signifiquem grande contribuição ao orçamento do Estado, de R$ 20 bilhões, qualquer dinheiro devolvido auxilia o governo. “Esses R$ 50 milhões ajudam, mas não vão resolver nada. O Estado tem uma carência de recursos nas áreas prioritárias como saúde, segurança pública e educação”, ponderou.

O montante deve ser destinado para a manutenção de programas. “Neste ano, especificamente, temos maior dificuldade na pasta de Justiça e Cidadania, que tem novas penitenciárias para manter e funcionários para contratar. Instalamos a Defensoria Pública com a contratação de 60 procuradores e 30 profissionais. Precisamos de recursos para manter tudo isso, não é só executar obras”, assegurou Gavazzoni. “Todos os anos, as necessidades e demandas aumentam, nunca um orçamento vai dar conta de tudo”, completou.