Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 5 de agosto

5.8.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 5 DE AGOSTO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

BOLSA DE APOSTAS

É forte a especulação nos bastidores da Polícia Civil para saber quem será o escolhido pelo diretor da Deic, Akira Sato, para assumir a Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE) em substituição a Cláudio Monteiro. Mas Sato pretende segurar a nomeação pelos próximos meses para não desfalcar as outras DPs.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

Policial federal: retratos de vidas e carreira é o título do livro da psicóloga Marilaine Bittencourt de Freitas Lima, a ser lançado dia 12 de agosto na Livraria Saraiva.

 

ASSUNTO: MISSÃO CAVEIRA

VEÍCULO: Diário Catarinense

COMO SE FORMAM OS SUPERPOLICIAIS

Após 5 anos sem abrir uma nova turma, a Polícia Militar de Santa Catarina retomou a preparação de homens para integrar o Batalhão de Operações Especiais da corporação em um treinamento de guerra que totaliza três meses. Dos 36 que foram selecionados para participar do curso, apenas 21 ainda resistem

Quatro dias foram suficientes para 15 dos 36 policiais aptos fisicamente cravarem uma cruz no cemitério e desistirem de ir adiante no mais rigoroso e exigente teste da Polícia Militar de Santa Catarina: o curso para a entrada no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). O último curso para entrada no Bope foi em 2009. O clima interno nos últimos anos sempre foi de expectativa pela abertura das inscrições, envolvendo desde praças a oficiais do Estado.
Agora, os 21 obstinados restantes ainda vão precisar de muita resistência e força psicológica para completar os três meses de treinamento, a grande parte em local rústico e em meio à mata, incomunicáveis e distantes de contato com familiares, para se tornar um caveira, o símbolo do pelotão de elite da corporação.
O Diário Catarinense acompanhou algumas horas do árduo caminho que os policiais militares interessados em atuar no Bope – no total mais de 120 se inscreveram – estão percorrendo desde 29 de julho, num dos raros momentos de abertura da área de estágio a quem não é aluno ou instrutor.
Era o quarto dia de atividades num sítio que fica entre Palhoça e Paulo Lopes, na Grande Florianópolis. O silêncio da paisagem verde contrastava com a entonação dos cânticos durante a movimentação da tropa, enfileirada, empunhando uma carabina calibre 12 e com mochila de 20 quilos nas costas.
O semblante de cansaço era visível, assim como o caminhar torto diante das prováveis bolhas nos pés nos poucos comandos de descansar. Os instrutores afirmam que é algo comum nos primeiros dias de pouco sono e intensos exercícios. Afinal, todos os que estão ali são verdadeiros atletas, com grande vigor físico.
O cenário de treinamento lembra o clássico filme policial Tropa de Elite, de 2007: um quadrado enlameado, homens posicionados sem esboçar qualquer sorriso, o capitão falando ao pé do ouvido, rosto sem mexer nem um músculo sequer. No máximo ouve-se os dizeres “não senhor, sim senhor”.
A bronca foi geral aos alunos quando, ao colocarem a arma no chão, um barulho se fez, num suposto desleixo de largá-la abruptamente. Mas houve também instantes de brincadeira dos comandantes e outros de surpresa:
– “33, pode tirar as pedras da mochila! Ouviu, 33?” – esbravejava um instrutor.

UM SIMBÓLICO FIM AO SONHO
Cada aluno carrega uma cruz e a lápide. Ninguém é obrigado a ficar no curso, lembram os instrutores à reportagem. Se optar pela desistência, o ato de enterrar a cruz marca a despedida antecipada e o fim do sonho de integrar a elite. O cemitério fica bem visível ao lado do campo.
Superar o frio da madrugada e o sono são os desafios nos primeiros dias. O despertar começa cedo, às 6h, e as missões e orientações costumam ir até a madrugada do dia seguinte. Nas poucas horas de descanso e sono – todos ficam numa mesma barraca – ainda é preciso fazer a barba, limpar os objetos pessoais e a arma.
O banho é no rio. Não há banheiro. Ambientes assim são impostos para deixar o aluno próximo da realidade. Em SC, por exemplo, não são raros os casos de caçadas a quadrilhas que se embrenham dias na mata em fuga.

Prova de força mental

A formação tem três fortes vertentes: foco no homem, no armamento e treinamento constante. Segundo os instrutores e capitães do Bope Jorge Echude e Lucius Carvalho, o curso trabalha a capacidade de resistência, senso de inteligência, liderança, o lado emocional e a capacidade de raciocinar sob pressão. E o psicológico é o mais difícil. Eles têm que sair dali com a certeza de que serão mais fortes do que o criminoso.
São abordadas, por exemplo, técnicas de sobrevivência, de patrulha e de abordagens. Algo também enfatizado é o voluntariado e o espírito de equipe, assim como as condutas éticas do policial.
O curso é eliminatório e classificatório. Os alunos não são policiais apenas de Santa Catarina, também vêm de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Piauí, graças a um intercâmbio. Têm em média 26 anos. Ao final, estima-se que o índice de desistência alcance 70%.
As principais missões do Bope são intervenções e operações de resgate de reféns em áreas urbanas ou rurais, combater o tráfico de drogas e o crime organizado estadual, patrulhamento em locais de alto risco, captura de criminosos em áreas de difícil acesso, ocupação, manutenção e retomada de pontos sensíveis.

BOPE FORMOU ATUAL COMANDANTE

O curso é desenvolvido justamente quando um ex-comandante do Bope está à frente da PM em Santa Catarina, o coronel Valdemir Cabral, que fundou o batalhão e o liderou por três anos.
– É a nossa Swat (grupo tático de elite das polícias americanas), um grupo de qualidade, bem treinado, com preparo psicológico e físico diferenciado para operações de altíssimo risco – compara.
O grupo atua com equipamento, armas e técnicas diferenciadas. Ali estão, por exemplo, o sniper (atirador de elite), o especialista em explosivos e o negociador em ocorrências com refém, cuja média é de dois casos por mês.
As demandas principais no Estado para emprego dos policiais têm sido as que envolvem a utilização de explosivos por quadrilhas que assaltam caixas eletrônicos. Também as ações de captura desses criminosos.
O comandante diz que o longo período sem o curso se deu em razão do déficit no efetivo geral, o que acabaria ampliando o desfalque. Se tornou possível agora diante da reposição de cerca de 3 mil policiais nos últimos anos. Além disso, Cabral ressalta a necessidade de renovação da tropa, pois há policiais no batalhão com mais de 20 anos de serviço.
O comandante do Bope, tenente-coronel Marcelo Cardoso, lembra que a tropa tem atuado em operações em cidades que enfrentaram aumento repentino da criminalidade, como Chapecó e Navegantes, além das ocupações do Morro da Caixa e da comunidade Chico Mendes, em Florianópolis.

 

ASSUNTO: QUADRILHA DO RIO GRANDE DO SUL

VEÍCULO: Diário Catarinense

Suposto líder acaba preso em Canasvieiras

Grupo ostentava nas redes sociais artigos que foram furtados em mais de 200 assaltos

A Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil de SC prendeu ontem, em Florianópolis, Gustavo Maineri da Silva. Ele é apontado como líder de uma quadrilha especializada em assaltos no Rio Grande do Sul e foi encontrado em uma quitinete em Canasvieiras, no Norte da Ilha.
O grupo criminoso ficou conhecido nacionalmente após reportagem do Fantástico, exibida domingo. O vídeo mostrou parte da investigação da Delegacia de Repressão ao Roubo de Cargas do RS, que associa mais de 200 assaltos a carros, casas, lojas e bancos ao grupo que seria comandado por Manieri da Silva.
Os produtos dos furtos, como joias, armas e dinheiro, eram exibidos nas redes sociais dos integrantes da quadrilha, o que permitiu a prisão de pelo menos 22 membros há uma semana. A chamada Operação Ostentação envolveu 300 policiais civis gaúchos e parte da ação foi mostrada no Fantástico. Isso possibilitou que a equipe da Deic encontrasse o suspeito, que estaria em Florianópolis desde sábado. O preso será transferido para o RS. O DC não teve acesso a ele ou ao advogado. Sete ainda estão foragidos.

 

ASSUNTO: OPERAÇÃO OSTENTAÇÃO

VEÍCULO: Notícias do Dia

Líder de quadrilha é preso em Canasvieiras

Gustavo Manieri da Silva, 32 anos, líder de uma quadrilha responsável por cerca de 300 assaltos no Rio Grande do Sul, foi preso no final da tarde de ontem. O criminoso foi encontrado no bairro Canasvieiras, em Florianópolis, pela Divisão de Roubos e Antissequestros da Polícia Civil na operação Ostentação. Até o fim da tarde de ontem, 22 pessoas da quadrilha tinham sido presas, e sete ainda estavam foragidas.

A operação começou quando a polícia suspeitou que os diversos assaltos que aconteciam na zona sul de Porto Alegre vinham de um mesmo grupo. A especialidade da quadrilha era roubo de veículos, mas eles já haviam feito assalto a lojas, casas e a uma agência bancária, de onde levaram R$ 280 mil. Os carros, normalmente de luxo, eram revendidos por R$ 2.000 ou R$ 3.000. Já nas casas, o grupo procurava por eletrônicos, que também eram revendidos por preços abaixo dos praticados pelo mercado.

A ação foi denomina Ostentação, pois os bandidos postavam nas redes sociais fotos com joias e dinheiro roubados. Foi por meio da internet que uma das vítimas reconheceu seus pertences e denunciou o caso

 

ASSUNTO: CRIME NA VIA EXPRESSA

VEÍCULO: Notícias do Dia

O assassinato do sul-matogrossense Eifner Wesley Braga Chamorro, 28, e da tentativa de homicídio da namorada Bruna de Oliveira Arcanjo, 20, durante uma cobrança de dívida contraída pelo tráfico de drogas, foi esclarecido pelo delegado da Homicídios, Ênio de Oliveira Matos. Os crimes ocorreram no dia 27 de julho, por volta das 20h, no bairro Abraão, em Florianópolis. Ontem, o delegado concluiu e encaminhou o inquérito para o Fórum de Florianópolis, pedindo a prisão do segundo suspeito, Diogo Correia Teixeira, 27.

O primeiro acusado, André Luiz Laurindo, o Digui, 29, preso cinco horas depois do crime, foi reconhecido por Bruna. Dois dias depois, o advogado apresentou um adolescente para confessar o assassinato e Roger May, 19, para assumir a tentativa Delegado pede a prisão de mais um suspeito de homicídio. Se os depoimentos tivessem consistência, Digui seria liberado. O adolescente deu informações e foi liberado. May ficou preso porque havia mandado de prisão ativo por porte de arma.

De acordo com a polícia, Chamorro foi com a namorada num ponto de vendas de drogas, no Abraão, cobrar R$ 40 mil referente a uma partilha de drogas. Bruna ficou no Kia Sportage, com placas de São Paulo, aguardando o namorado. Minutos depois, Chamorro retornou com Digui e Teixeira. Os dois entraram no carro para buscar o dinheiro em outro endereço.

Ao passar pela rua Campolino Alves, Digui deu um tiro na cabeça de Chamorro. Enquanto isso, Teixeira esfaqueou Bruna. Ela foi atingida nas mãos e no pescoço, mas sobreviveu. O carro capotou na Via Expressa e Chamorro foi atingido por mais dois tiros. Os dois suspeitos fugiram a pé. Segundo a polícia, Chamorro fazia parte de uma quadrilha de traficantes que trazia cocaína do Mato Grosso Sul.

 

ASSUNTO: CADEIÃO

VEÍCULO: Notícias do Dia

Moradores contra o cadeião

Na próxima quinta-feira, vereadores de São José e integrantes das associações de moradores do município contrários à construção do novo cadeião na Área Industrial de São José reúnem-se no salão paroquial da igreja da Fazenda do Max, em São José,

para discutir o imbróglio em torno da central de triagem. A liminar da juíza Iazadora Fin Nishi, da Vara da Fazenda Pública determinou que a estrutura seja construída em uma área pertencente à Secretaria Estadual de Saúde, localizada na região industrial da São José.

O procurador do município de São José, Clóvis Renato Squio, recorreu impetrando agravo de instrumento de efeito suspensivo contra a liminar imposta pela juíza. O recurso tramita no Tribunal de Justiça.

As associações de moradores, não são contrárias à construção de uma central de triagem, em outro local, desde que seja apenas para presos temporários do município. No entanto, discordam da área determinada pela Justiça para abrigar presos da Grande Florianópolis.

A necessidade da construção de uma central em São José ocorre em função do fechamento do cadeião do Estreito, em Florianópolis, que abrigava pessoas presas em flagrante de São José, Palhoça e Capital. A unidade foi evacuada por determinação judicial em março deste ano devido a condições insalubres. O cadeião chegou a abrigar 205 presos, quando o

limite máximo estabelecido pelo MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) era de 70. Na ocasião, a greve dos agentes prisionais piorou a situação, e os detentos foram realocados rm outros presídios do Estado, como em Tubarão, Itajaí e Lages. Nos últimos cinco anos, o cadeião do Estreito já havia passado por rebeliões, tentativas de fugas e motins.

Governo investirá R$ 14 milhões para erguer unidade

Após a evacuação em março no cadeião do Estreito, o Deap (Departamento de Administração Prisional) chegou a realizar uma vistoria no local com técnicos especializados para avaliar a possibilidade de reabrir a unidade prisional, mas devido a danos estruturais foi constatada a impossibilidade. O local era locado e não pertencia ao Estado.

Desde então, o governo do Estado tenta negociar com o município de São José a construção do novo cadeião, em alguma área da cidade. O governo do Estado já garantiu R$ 14 milhões para a construção da nova central de triagem na Grande Florianópolis. O projeto da nova unidade prisional terá 407 vagas, conforme informações do Deap.

 

ASSUNTO: Assalto a posto de combustível

VEÍCULO: Notícias do Dia

Ladrões furtam R$ 80 mil

Um posto de combustíveis foi arrombado por criminosos no final de semana em Balneário Camboriú. Do local, que fica na avenida do Estado, no bairro Ariribá, foram levados mais de R$ 80 mil em mercadorias e dinheiro.

Segundo a Polícia Militar, parte da ação foi registrada por câmeras de segurança do estabelecimento, mas não foi possível identificar quantas pessoas estavam envolvidas. Apenas a luz de uma lanterna foi vista pelas imagens.

Os ladrões escalaram a parede do imóvel onde fica o posto, subiram no telhado e entraram por uma porta pequena de alumínio, que foi arrombada. Eles foram até uma sala onde fica o cofre do estabelecimento e furtaram R$ 78 mil. Os bandidos também levaram cerca de R$ 3.000 em recargas para celular e 15 chips.

O crime será investigado pela Polícia Civil. Até agora, nenhum suspeito foi identificado.

 

ASSUNTO: TROCA DE COMANDO

VEÍCULO: Portal da PMSC

Blumenau: 10º Batalhão tem novo comandante

Assumir ou deixar o comando de uma unidade é um momento um tanto especial na carreira de um oficial da Polícia Militar, ainda que sua jornada esteja repleta de satisfações e realizações.Assim, a tarde de quinta-feira (31) marcou a despedida do tenente-coronel Cláudio Roberto Koglin, que passou o comando do 10º Batalhão de Polícia Militar (BPM) ao tenente-coronel Carlos Alberto Fritz Bueno.

A solenidade foi presidida pelo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Valdemir Cabral, e contou com a presença de autoridades como o prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes Neto, o subcomandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Henrique Hemm, secretários municipais, vereadores, empresários locais, amigos da Polícia Militar e os familiares do comandante substituído e substituto.

Atos de nomeação e exoneração confirmaram a passagem do comando, e logo após os comandantes passaram em revista à tropa e apresentação ao comandante-geral da PM.

Ainda durante o ato, o tenente-coronel Alberto foi homenageado pelo Grupo Uniasselvi pela sua formação naquela instituição.

Em seu discurso, o tenente-coronel Koglin expressou palavras de reconhecimento e agradecimento a todos aqueles que de alguma forma contribuíram para o crescimento da Polícia Militar. Enfatizou o bom relacionamento com os prefeitos da região, empresários e imprensa, e destacou o trabalho por eles realizado. Por fim, o ex-comandante bastante emocionado, valorizou a importância de sua família para as conquistas até hoje alcançadas e também por aquelas que ainda virão, e concluiu desejando boa sorte ao novo comandante.

Para finalizar, o comandante-geral ressaltou o trabalho desenvolvido pelo comandante Koglin enquanto comandante do 10º BPM e desejou ao tenente-coronel Alberto, uma boa passagem frente ao comando da unidade.

Encerrando o ato solene, a foto do comandante substituído, tenente-coronel Koglin, foi inaugurada no mural dos ex-comandantes do 10º BPM.

ASSUNTO: Praças dos Bombeiros

VEÍCULO: Portal do CBMSC

DiSIEP: INSCRIÇÕES FORÇA NACIONAL

     

 

A Divisão de Seleção, Estudos e Inclusão de Pessoal (DiSIEP) do CBMSC informa que encontra-se aberto até sexta-feira (08/08) o período de inscrições para preenchimento das vagas disponibilizadas aos bombeiros militares para a Instrução de Nivelamento de Conhecimento – INC visando o emprego junto ao Departamento da Força Nacional pelo período de um ano, prorrogável por mais 30 dias. São três vagas exclusivas para Praças (Cabos e Soldados).