Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 30 de janeiro

5.2.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 30.01.2014

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Boa notícia

O delegado de polícia Renato Hendges, o Renatão, posou ao lado das enfermeiras momentos antes da alta no Hospital Caridade, em Florianópolis, onde permaneceu internado durante 33 dias. Vinte e quatro quilos mais magro, fez questão de agradecer ao atendimento da equipe, que classificou como espetacular. Agora seguirá o tratamento em casa e garante estar confiante para vencer mais esta batalha.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

A escolha

O novo presidente da Assembleia, Romildo Titon (PMDB), definiu apenas um cargo na equipe que com ele trabalhará a partir de segunda-feira. O novo Chefe da Casa Militar é o tenente coronel Yukio Yamaguchi, que já tinha assessorado Titon no legislativo. Durante 22 anos, Yamaguchi comandou unidades no Planalto e Meio Oeste.

 

COLUNISTA CARLOS DAMIÃO – Notícias do Dia

O nível

O problema do contrabando de cigarros é tão grave, mas tão grave, que a Polícia Militar Rodoviária de Santa Catarina flagrou em Campo Erê, ontem, uma carreta transportando uma carga do produto avaliada em cerca de R$ 2 milhões. “Destacamos nesta ocorrência que o condutor do veículo abordado tentou subornar o policial oferecendo R$ 11.650. Foi preso na hora!”, observa o setor de comunicação da PMR.

 

ASSUNTO: Radares

VEÍCULO: Diário Catarinense

REDUTORES DE VELOCIDADE: Liberados 29 novos radares em SC

Devido a impasse judicial, menos de um terço dos equipamentos licitados em 2006 irá iniciar operação, anunciou o Deinfra-SC

Quase oito anos após o anúncio da empresa vencedora da licitação para instalação e operação de 100 redutores de velocidade em rodovias catarinenses, apenas 29 entrarão em operação. O Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra-SC) liberou a ordem de serviço. Os equipamentos foram instalados em 2011 pela empresa vencedora da licitação Perkons/TES.
O processo licitatório foi lançado em 2006 e após uma série de embargos judiciais foi liberado pela Justiça no fim de 2013. A assessoria do órgão estadual informou que o início das autuações é de responsabilidade da empresa contratada. Os redutores ainda devem passar por averiguação do Inmetro antes de iniciar autuações.
O edital previa a instalação de 100 redutores de velocidades quando foi barrado pelo Ministério Público Estadual após a contestação de empresas participantes do processo. Após a decisão de recursos, em julho de 2008 a empresa Perkons/TES foi anunciada como vencedora e executaria o serviço a um custo de R$ 59,3 milhões. As empresas concorrentes entraram novamente com recursos e em 2011, 29 aparelhos chegaram a ser instalados, até que uma nova suspensão na Justiça voltou a barrar o processo.
No final de 2013, a Perkons/TES foi confirmada como vencedora. Um novo valor para a operação está sendo calculado para os 14 meses restantes de vigência do contrato. Conforme o Deinfra-SC, os 71 radares faltantes não serão instalados por decisão da empresa, que alegou não receber a contrapartida

 

ASSUNTO: LATROCÍNIO OU EXECUÇÃO

VEÍCULO: Diário Catarinense

Morte de empresário intriga família

O assassinato do empresário do ramo de transporte escolar Sebastião Roni da Silva, 55 anos, morto a tiros em casa na noite de terça-feira, intriga familiares e a comunidade no bairro Foquilhinha, em São José.
Foram roubados R$ 300 da vítima, que era tesoureiro da Cooperativa Mista dos Transportadores de Turismo e Similares da Grande Florianópolis (Coomitra).
De acordo com o relato de familiares e colegas da Cooperativa, Sebastião não tinha desavenças, era um homem calmo e sem inimigos.
– É um crime muito estranho. Ele havia acabado de chegar em casa. Pegaram só o dinheiro que ele tinha na mão de um frete (R$ 300). Deram três tiros, mas entraram mudos e saíram calados – diz Rogério da Silva, assessor da Coomitra.
Os atiradores foram vistos fugindo num Peugeot da cor preta na Rua Alaíde Alvina Fernandes, por volta de 23h. Sebastião era dono de um micro-ônibus e recentemente mudou de escola. Atuava há 16 anos na Coomitra, da qual chegou a ser presidente.
As principais pistas levam a Polícia Civil a suspeitar que houve latrocínio (roubo seguido de morte), mas outras frentes de investigação serão realizadas. De acordo com o investigador Sérgio Safanelli, da 1a Delegacia de Polícia, as primeiras informações são de que os três homens entraram para roubar.
– Eles levaram R$ 300, mas queriam mais. Deram tiro na parede para assustar e depois para matá-lo – , comentou o policial, informando que a polícia está mobilizada para elucidar o caso.

 

ASSUNTO: Opinião

VEÍCULO: Notícias do Dia

Tragicomédias da Capital

O Centro de Florianópolis continua a ser uma terra de ninguém, onde todos fazem o que bem entendem, sem embaraços. E pior, uma terra cujas autoridades lavam as mãos. A tragicomédia teve um novo ato há um ano, quando a União exigiu a devolução de áreas ocupadas no aterro da baía Sul. A prefeitura promoveu a desocupação do Direto do Campo conforme a exigência. Mas o Camelódromo que deveria sair ao mesmo tempo, ficou mais um pouco e não se fala mais nisso. O estacionamento que era administrado pela Comcap, também foi desativado. A companhia deixou de arrecadar cerca de R$ 2 milhões neste período. Mas a área se transformou em estacionamento gerenciado pelos flanelinhas. Eles não têm tabela de preços, mas até improvisaram uma lavação de carros. A prefeitura não tem mais nada a ver com isso, porque quem responde é a Superintendência do Patrimônio da União. A Polícia Militar diz que não pode impedir a ação dos “guardadores de carros” porque não se trata de via pública. Talvez quando um daqueles projetos sonhadores para revitalização do Centro for posto em prática esta situação se resolva. Quanto tempo isso levará, ninguém sabe. Temos em região nobre da Capital uma área degradada, abrigo para moradores de rua e delinqüentes. Mais uma zona de exceção, a qual a lei não alcança. Quem usa o estacionamento irregular se sente seguro e, mais ainda, satisfeito por pagar pouco, sem se dar conta de que participa da encenação. Seria cômico se não fosse trágico.

 

ASSUNTO: Duodécimo

VEÍCULO: Notícias do Dia

TJ descarta devolver sobras

O TJ-SC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina) não devolverá recursos do duodécimo, verba repassada pelo Executivo aos poderes. A garantia é do atual presidente Cláudio Barreto Dutra, que deixa o cargo hoje, e do novo presidente, Nelson Schaefer Martins, que assume o comando a partir de amanhã. A alegação do judiciário é de que a restituição prejudicaria o atendimento nas 111 comarcas em todo o Estado. Dutra mantém o discurso de que o poder Judiciário já contribuiu com o governo, por força de lei, ao repassar R$ 80,8 milhões em 2013 por meio do FRJ (Fundo de Reaparelhamento do Judiciário). Do total, R$ 50,6 milhões foram destinados ao Fundo Penitenciário de Santa Catarina e à Defensoria Dativa e R$ 30,2 milhões ao Fundo de Reaparelhamento do Ministério Público.

O argumento é reforçado por Martins, quando questionado sobre a devolução. “A contribuição que o poder Judiciário poderia ter feito ao Executivo já fez, de acordo com a legislação em vigor, ao longo do ano de 2013. Se tivéssemos que devolver recursos, prejudicaríamos o funcionamento de alguns serviços essenciais do poder Judiciário e sua eficiência. Nós hoje atuamos no limite dos nossos recursos”, destacou o novo presidente. “Não faz sentido prejudicarmos o funcionamento de um serviço essencial e indispensável para a sociedade se essa devolução sequer traria efetiva melhoria dos outros serviços. Estamos dispostos a contribuir com o poder Executivo, a dialogar, mas a questão de programação orçamentária e financeira só se fará no momento em que a Constituição determinar. Mesmo assim, teremos na mesa os elementos para discutir”, alegou Martins. Até agora, apenas a Assembleia Legislativa já devolveu recursos aos cofres do Estado. Tribunal de Contas e Ministério Público, que anunciaram valores, aguardam desdobramentos para formalizar a restituição.

 

ASSUNTO: Incêndio em Nova Trento

VEÍCULO: Notícias do Dia

Dez horas até apagar incêndio

Ocorreu um incêndio em uma área de reflorestamento de eucaliptos no bairro Trinta Réis, em Nova Trento, no Vale do Rio Tijucas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, foi necessária uma força-tarefa de aproximadamente dez horas de trabalho para controlar as chamas que se alastraram rapidamente. O fogo começou por volta das 22h de terça-feira (28) e atingiu um total de uma área de 900 mil metros quadrados. Os bombeiros ainda não sabem informar o que teria ocasionado o incêndio.

A ocorrência foi repassada para a Polícia Ambiental de Tijucas. Durante esta manhã, todo o efetivo do Corpo de Bombeiros de São João Batista atuou no controle às chamas que, devido à extensão da área, precisou ser feita com o processo de abafamento, com a ajuda de batedores. A comunidade foi orientada a monitorar a área e entrar em contato com a equipe de bombeiros ao verificar qualquer foco de incêndio.

O município de Nova Trento, não possui um posto do Corpo de Bombeiros próprio, atualmente a região é atendida pela equipe de São João Batista, cidade vizinha. O dono do terreno, Luiz Voltolini, 72, diz acreditar num incêndio criminoso e afirma que nunca viu algo semelhante. “Teve outras queimadas nesse morro, mas não nessa proporção. Foram aproximadamente 100 mil metros quadrados atingidos”. Ele ainda não sabe o valor do prejuízo, mas tinha plantados 8 mil pés de eucalipto.

 

ASSUNTO: Contrabando de cigarros

VEÍCULO: Notícias do Dia

Presos por subornarem PMs

Os paulistas Anderson dos Santos, 37, e Geraldo Bispo Júnior, 39, tentaram subornar policiais militares rodoviários perto da fronteira do Brasil com o Paraguai, no Oeste de Santa Catarina, para passarem com uma carreta de cigarros e foram presos por corrupção ativa, contrabando e falsificação de documentos públicos. O flagrante ocorreu por volta das 4h20 de ontem no km 9 da rodovia SC-160, no município de Campo Erê.

Segundo o major PM Fábio José Martins, 42, chefe da Comunicação Social do Batalhão de Polícia Militar Rodoviária, em Florianópolis, Santos, que seguia na frente da carreta, transportando R$ 2 milhões em cigarros em um Celta e jogou o carro sobre a guarnição quando sentiu que seria parado. “Ele ofereceu R$ 11.650 para passar com o carregamento”, contou Fábio.

O major comentou que é comum os contrabandistas tentarem comprar os policiais na fronteira com R$ 1 mil ou R$ 2 mil, mas com tanto dinheiro foi a primeira vez. Conforme o major Fábio, Santos comentou que o dinheiro para o suborno já estava reservado num saquinho plástico. Depois de deterem o batedor, os policiais também deram voz de prisão para o caminhoneiro e pediram a nota fiscal da mercadoria.

A documentação da carga constava como ração para animais. “Até o lacre e a documentação de importação eram falsificados”, afirmou o major. Ele disse que por causa das constantes blitze na fronteira, os contrabandistas seguem por caminhos alternativos. “Antes eles entravam no Estado pela BR-163; agora estão vindo por Campo Erê e Saltinho”.

O motorista da carreta placas BTS-7952, de Içara, Geraldo Bispo Júnior, e o comparsa foram encaminhados para a Polícia Federal de Dionísio Cerqueira, a exemplo da carreta de cigarros. A investigação sobre o destino da carga será feita pela Polícia Federal.

 

ASSUNTO: Detidos em flagrante

VEÍCULO: Notícias do Dia

Dois homens são detidos na Capital

Dois homens foram presos em flagrante com 42 cédulas de reais falsificadas e um revólver calibre 38 com cinco munições intactas. A apreensão ocorreu por volta da 0h30, na SC-401, no trecho que dá acesso ao bairro de Ratones, no norte da Ilha. Segundo informações da Polícia Federal (PF), o veículo foi abordado devido à suspeita de envolvimento em um furto em Imbituba, no Sul do Estado. Ao fazerem a revista no veículo, os policiais encontraram o revólver e as notas falsas. Os quatro ocupantes do Renault/Clio foram encaminhados para a delegacia. As duas mulheres que estavam no carro foram ouvidas e liberadas pois não tinham conhecimento das falsificações e da arma. Os homens de 22 e 35 anos foram presos por falsificação e porte ilegal de arma.