Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 3 de junho

3.6.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 3 DE JUNHO

 

COLUNISTA HÉLIO COSTA – Notícias do Dia

Preocupado com o crescimento da violência em São José, o vereador e sargento PM Sílvio, convidou a cúpula da SSP – secretário César Grubba, chefe da Polícia Civil Aldo Pinheiro D’Ávila e comandante-geral da PM Valdemir Cabral –, o legislativo municipal, o conselho de segurança e líderes comunitários para discutir a segurança pública na cidade. O debate acontece a partir das 19h desta terça-feira, na Câmara de Vereadores, na rua José Luís de Souza, 38, Centro. Para o vereador, o modelo de segurança aplicado no município não vem dando resultado.

“O comércio é assaltado todos os dias”, ressaltou. Questões como a falta de efetivo policial, melhorias na iluminação pública, colocação de mais câmeras de monitoramento, integração entre Polícia Militar e Guarda Municipal, além de mais segurança nas escolas e no comércio serão debatidos no evento. Importantíssima esta reunião. Há muito tempo venho alertando sobre o aumento de roubo e furto em geral, principalmente nos centros comerciais de Campinas e do Kobrasol. Ocorrências de roubos e furtos de carros também aumentaram na região.

 

COLUNISTA CARLOS DAMIÃO – Notícias do Dia

Protetores

Trinta e três adolescentes entre 12 e 14 anos participam, no Parque do Rio Vermelho, a partir do dia 10 deste mês, do programa de formação de protetores ambientais, promovido pela Policia Militar Ambiental, com apoio do SC Rural. Santa Catarina já conta com 930 protetores formados nos últimos anos. Esse trabalho é realizado em comemoração ao mês do meio ambiente – o Dia Mundial do Meio Ambiente é nesta quinta-feira.

 

ASSUNTO: INTERNAÇÃO DE MENORES

VEÍCULO: Diário Catarinense

Centro começa a funcionar em junho

Instituição que dará lugar ao São Lucas depende de inspeções e aprovação do projeto pedagógico

O Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) da Grande Florianópolis, em São José, deve receber jovens infratores para ressocialização a partir do final de junho. A confirmação foi dada ontem à tarde pelo governador Raimundo Colombo, em visita à estrutura de 8,4 mil m², cercada por muros de cinco metros de altura.

Com investimento de R$ 14 milhões, o novo Case começou a ser erguido em março de 2013 e teve a inauguração adiada duas vezes. Segundo o secretário de Justiça e Cidadania, Sady Beck Júnior, faltam a colocação de mobília, a aprovação do Plano Político Pedagógico (PPP), a vistoria do Corpo de Bombeiros e de uma comissão da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, que vai avaliar o PPP e o regimento interno, que deve ser elaborado nos próximos dias.
Além disso, um acerto precisa ser feito com a empresa contratada para a construção da unidade de cerca de R$ 1,3 milhão. A nova estrutura está localizada no mesmo terreno do antigo CER São Lucas, demolido há cerca de quatro anos, a pedido da Justiça, após casos de fugas, maus-tratos e ingerência. Ninguém foi punido até hoje.
– Trata-se de uma estrutura que vai prestar um grande serviço para a comunidade, que vai produzir um importante trabalho na área da Segurança Pública e na proteção dos menores. É um novo conceito e, a partir dele, vamos melhorar o sistema do Estado – disse Colombo.
De acordo com informações do diretor do Departamento de Administração Socioeducativo (Dease), Roberto Lajus, 167 adolescentes aguardam na lista de espera para internação em Santa Catarina. O Case de Joinville, com capacidade para 70 adolescentes, deve ser inaugurado até o fim do mês para ajudar a absorver a demanda, segundo Lajus.
Capacitação de ACT’s termina nesta semana
No Case vazio, cerca de 30 servidores admitidos em caráter temporário (ACT’s) que irão trabalhar na unidade acompanharam a chegada do governador ontem. Formado em direito, Adelir Lino, 43 anos, largou o emprego no sistema prisional no Paraná para assumir o desafio.
– É uma realidade diferente. Vimos no curso como é possível ressocializar.
Serão 218 profissionais responsáveis pelo atendimento de 98 adolescentes no Case. A capacitação segundo as normas da Secretaria Nacional de Direitos Humanos termina sexta-feira.

“Não é com violência que vamos educar”

A gerente nomeada do novo Case da Grande Florianópolis foi diretora do Centro Educacional Municipal Jardim Solemar, de São José, durante seis anos e por mais seis esteve à frente do Posto de Saúde Procasa. Servidora pública com formação em administração escolar, Vera se diz pronta para atuar na ressocialização de jovens infratores.

Diário Catarinesne – Este local onde está o Case foi palco de situações extremas no atendimento socioeducativo prestado pelo Estado. Com que sentimento a senhora assume essa responsabilidade?
Vera – Vamos começar do zero. Não quero saber o que não deu certo, o que importa é daqui pra frente. Temos uma equipe engajada e o apoio do governo para fazer um bom trabalho aqui dentro.

DC – Preocupa o fato de serem profissionais contratados em caráter temporário e não efetivos?
Vera – Pelo contrário. Eu prefiro ACTs, pois eles trabalham buscando seu espaço, tentando se firmar. O efetivo tem muito mais comodidade e não está muito aí. Então eu prefiro os ACTs.

DC – Como você pretende administrar a unidade, qual a sua filosofia de trabalho?
Vera – Pretendo fazer reuniões, ouvir muito quem estiver trabalhando comigo. Trabalhar em grupo, com todo mundo por perto. No tratamento aos jovens, não é batendo, xingando, ou com violência que vamos educar. Porque isto já acontece lá fora, onde eles apanham da vida. Também não vamos passar a mão na cabeça.

 

ASSUNTO: Cavalos da PM

VEÍCULO: Notícias do Dia

Cavalos ganham novos donos

Os cavalos Beijing e Épico ganharam uma nova casa. Depois de trabalharem para a Polícia Militar, eles se aposentaram e foram doados para a ONG Orionópolis Catarinense, em setembro do ano passado. Mas foi preciso encontrar um novo lar para os animais. Segundo o padre José Manuel dos Santos, 77, diretor presidente da ONG, os cavalos não se adaptaram à equoterapia, técnica que promove a interação dos deficientes físicos com os animais. “Os melhores cavalos foram doados à Orionópolis e, infelizmente, não era para ser feito esse trabalho com eles. Que este caso sirva de lição para que haja uma melhor seleção dos animais e donos”, afirmou Halem Guerra, presidente do Instituto Ambiental Ecosul de Santa Catarina, responsável por encontrar novos donos para os cavalos.

Três dos nove cavalos doados pela PM foram destinados à Orionópolis. No mês passado, Araribá morreu por conta de problemas respiratórios. Épico, um cavalo temperamental de seis anos, se juntou a Sênior, de 28, que já havia sido levado por July Nuremberg em setembro do ano passado. No sítio dela, em Canelinha, Sênior, o mais velho dos cavalos doados pela PM, demorou um pouco para se adaptar, mas hoje está forte e saudável. Agora, July pretende dar o mesmo destino a Épico. “Não tem problema ele ser bravo, talvez lá no sítio, com menos gente e barulho, ele fique mais calmo. Lá ele ficará solto e poderá pastar”, disse. No sítio dos pais em Garopaba, Débora Patel, 12, cuidará de Beijing. O cavalo de 14 anos ficará com os outros animais dos pecuaristas Jandira Schuelter Patel, 47, e Kléber Patel, 47. “Ele terá pasto à vontade, ração e um galpão enorme”, contou Jandira.

 

ASSUNTO: Incêndio no RJ

VEÍCULO: Globo.com

Incêndio em estúdio desativado na Zona Oeste do Rio é controlado

Bombeiros trabalham nos últimos focos de incêndio.

O incêndio que destruiu o galpão de um estúdio de TV e cinema desativado, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, foi controlado por volta das 7h30 desta terça-feira (3), de acordo com informações do Corpo de Bombeiros.  No interior do prédio, bombeiros ainda combatem pequenos focos. Há muita fumaça na região.

Os bombeiros foram acionados após uma explosão seguida de fogo, às 5h50, como mostrou o Bom Dia Rio. Segundo os bombeiros, não há informações sobre feridos.

O imóvel fica na Avenida Ayrton Senna, na altura do número 2.541. Por volta das 6h20 desta terça, uma pista foi interditada para a passagem de carros dos bombeiros.

 

ASSUNTO: Forças Armadas

VEÍCULO: Correio Braziliense

Debate sobre a presença de gays na Forças Armadas ganhará novos rumos

De janeiro a maio deste ano, o Superior Tribunal Militar (STM) recebeu oito denúncias criminais de pederastia — mais do que as seis registradas em todo o período de 2013. Previsto no Código Penal Militar, o delito consiste em praticar “ato libidonoso, homossexual ou não, em lugar sujeito à administração militar”, com pena de detenção de seis meses a um ano. Enquanto dentro das Forças Armadas a punição é considerada necessária e alinhada ao rigor da vida na caserna, entidades de direitos humanos e organizações ligadas ao movimento gay apontam a previsão legal do crime, questionada atualmente no Supremo Tribunal Federal (STF), como uma forma de perseguir militares devido à orientação sexual.
Cercado de tabu dentro e fora dos quartéis, o debate sobre a presença de gays no Exército, na Marinha e na Aeronáutica deve ganhar novos contornos a partir do dia 16, quando Maria Elizabeth Teixeira Rocha, a primeira mulher escolhida para presidir o Superior Tribunal Militar, assumir o posto. Em entrevista ao site de notícias G1, ela defendeu que as Forças Armadas avancem na aceitação de homossexuais. Embora não haja nenhum dispositivo legal que impeça, formalmente, a permanência de militares gays, não são incomuns relatos de perseguições e intimidações dentro dos quartéis.
Protagonista de uma história que se tornou conhecida no Brasil e até internacionalmente, Fernando Alcântara de Figueiredo, ex-sargento do Exército casado com Laci Araújo, sargento reformado da mesma Força, considera positiva a presença de Elizabeth na presidência da mais alta Corte Militar do país. “Embora ela vá fazer o mandato tampão, para terminar o do atual presidente, esperamos que consiga alterar a lógica do tribunal”, afirma Fernando. “Mas, a despeito da boa vontade, sabemos que é difícil mudar a postura de um local em que a maioria dos ministros vem dos mais altos postos na hierarquia militar.”