Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 29 de julho

29.7.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 29 DE JULHO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Comando na rua

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Valdemir Cabral, aproveitou o fim de semana para passear a bordo de sua poderosa Harley-Davidson entre Floripa e Balneário Camboriú. Mesmo de folga e em trajes de harleyro (aficionados pela marca), fez questão de conversar com as PMs que faziam o policiamento de bicicleta na Avenida Beira-Mar Norte e posou para foto. Aos poucos, Cabral tem imprimido um novo modelo de gestão em que prioriza a proximidade com a tropa e dos policiais com a comunidade.

Menos mortes

Estatísticas da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) apontam redução de 4,23% no número de homicídios dolosos em Santa Catarina este ano no comparativo com 2013. São 408 assassinatos registrados até ontem, contra 426 no mesmo período do ano passado. Dos 295 municípios catarinenses, 184 não registram este tipo de ocorrência. São 6,53 mortes por cada grupo de 100 mil habitantes.

Tecnologia que salva

O Corpo de Bombeiros Militar tem sugerido nas redes sociais aos praticantes de trilhas que utilizem WhatsApp para uma eventual situação de emergência. É que o aplicativo para smartphone compartilha a localização geográfica do portador do telefone celular, facilitando a operação. Só na temporada de verão, o Grupo de Busca e Salvamento (GBS) fez pelo menos dois resgates beneficiando-se da funcionalidade da tecnologia.

Segurança em pauta

A Associação Internacional dos Chefes de Polícia (IACP), entidade com sede nos Estados Unidos, acaba de definir o tema do evento que vai promover no Centrosul, em Florianópolis, em setembro. Durante três dias, a Capital vai sediar debates sobre o aprimoramento e a capacitação das forças de segurança no Brasil e no mundo, além de feira de novas tecnologias em equipamentos, softwares, veículos e helicópteros.

 

COLUNA CACAU MENEZES – Diário Catarinense

Barulho

O presidente da Conseg de São José, Nelito Raimundo, diz que moradores da região estão revoltados com o barulho do som dos veículos à noite na Avenida Beira-Mar de São José. A PM agiu quando foi chamada, mas ele conta que os baderneiros voltam assim que polícia vai embora.

 

COLUNA JULIANA WOSGRAUS – Diário Catarinense

Discreto e chique

O casamento de Grasiela Garret da Silva – dentista como a mãe, Margareth – e o secretário estadual de Segurança, César Grubba, no sábado, foi para apenas 120 convidados no The Roof, o top restaurante do Hotel Majestic. Com decoração de Nino Lenzi e cerimonial de Beatriz Gassenferth de Souza, teve padre dando a bênção e juiz de paz sacramentando a união. Casado com a mãe da noiva há mais de uma década, o pianista Arthur Moreira Lima entrou com a enteada. Os filhos do casamento anterior de Grubba, Liliane e Fernando, levaram as alianças. Família bem contemporânea e harmonia nota mil.

 

ASSUNTO: CRIME NA VIA EXPRESSA

VEÍCULO: Diário Catarinense

Polícia procura o segundo suspeito

Um dos envolvidos foi preso ontem após reconhecimento da vítima

A capotagem de um carro na Via Expressa de Florianópolis no domingo à noite, em que uma pessoa foi encontrada morta a tiros e outra ferida com facadas, ainda tem peças a serem encaixadas. A principal delas é a prisão do segundo suspeito de participação no crime.
O depoimento de Bruna Laís Oliveira Arcanjo, 20 anos, que foi ferida a facadas e estava dentro do veículo, foi o principal argumento para a Polícia Civil prender na madrugada de ontem André Luís Laurindo, 33. A moça, que tinha um relacionamento com Eifner Wesley Braga Chamorro, 28, morto a tiros dentro do carro, apontou Laurindo, também conhecido como Digui, como responsável pelos disparos. O segundo suspeito, que teria esfaqueado Bruna – liberada do hospital ontem –, está sendo procurado pela polícia.
Chamorro foi detido em 2009 pela Polícia Civil do Paraná por suposto envolvimento com tráfico de drogas. Segundo o delegado Nilton Celli, Bruna disse em depoimento que o companheiro teria trazido drogas do Mato Grosso do Sul para Florianópolis.
Ainda segundo o delegado, a polícia encontrou pequena quantidade de maconha na casa de Digui, que foi reconhecido por Bruna.
O suspeito estava em liberdade desde o ano passado, depois de ter cumprido pena pela morte do delegado Luciano Bottini, morto em um bar no bairro Coqueiros, na Capital, em 2005, com um tiro pelas costas. O relato é de Celli, que diz ter ouvido a informação do próprio suspeito. O advogado de Laurindo, Marcos Paulo dos Santos, confirmou o motivo da prisão.
Santos afirma que o reconhecimento da moça é questionável:
– Não se pode fazer o reconhecimento com uma pessoa só – alegou.
Santos também afirma que Laurindo estava em casa na hora do crime:
– Ele só saiu às 21h40min para ir buscar um lanche. Já pedimos as imagens das câmeras para comprovar isso – disse.

 

ASSUNTO: CÃES DA PM

VEÍCULO: Notícias do Dia

Cães adestrados da PM estão disponíveis para adoção

Três cães da Polícia Militar de Santa Catarina estão disponíveis para adoção no município de São José. A situação é comum quando o animal não se adapta à vida militar. Este é o caso de dois pastores alemães, um de dois anos e outro de quatro, e uma labradora, de dois anos. Os cães passam por adestramento assim que chegam na unidade, mas no caso dos três que estão para adoção, não cumpriam as ordens da forma devida ou não aceitaram o novo  condutor.

O processo de adoção é rigoroso. O futuro lar do animal é vistoriado pessoalmente por um responsável da Polícia Militar, que inspecionam questões como higiene e saúde do ambiente. Após a adoção, o cão também recebe visitas regulares dos policiais. A pessoa que adota o cão da PM é considerada um “fiel depositário de bem público”. Caso haja descumprimento do bem-estar do animal, o responsável pela guarda do cão pode responder judicialmente.

Os cães do canil da PM são adquiridos por compra ou por doação. De acordo com a tenente Juliana Lopes, responsável pelos animais, as últimas doações deram muito certo e com elas foi possível adestrar grandes ajudantes de ocorrências. No canil da Polícia Militar não existe o serviço de maternidade. No caso da compra entre recém-nascidos, o cão escolhido é o que se mostra dominante de uma ninhada.

O adestramento leva o tempo necessário para cada animal. “Temos um labrador de três meses que já está pronto, só precisa crescer mais um pouco”, revelou a tenente Juliana Lopes. Os 34 cães que a Polícia Militar possui atualmente são especializados em patrulhamento tático, resgate (busca em mata), farejadores de entorpecentes, policiamento em praças desportivas e demonstrações caninas. Quando há a aposentadoria do cachorro, após oito anos de serviços prestados ao Estado, ele pode ficar no canil da corporação ou com o seu condutor da PM para o resto da vida.

 

ASSUNTO: Novas mídias

VEÍCULO: Portal da PMSC

Centro de Comunicação Social apresenta o PMSC em Foco

Neste mês, o Comando Geral, através Centro de Comunicação Social (CCS), colocou no ar mais uma mídia para divulgação das ações da Polícia Militar de Santa Catarina. O PMSC em foco.

O projeto com reportagens em audiovisual é uma nova proposta de atuação na área de comunicação, e vai apresentar o trabalho da Polícia Militar, as ações operacionais, os projetos preventivos, sociais e de cidadania, e também as solenidades da Corporação.

O projeto inicial prevê uma reportagem por semana, que será realizada pela equipe do CCS.

Conheça o PMSC em Foco.

PARA VER O VÍDEO: http://www.pm.sc.gov.br/noticias/centro-de-comunicacao-social-apresenta-o-pmsc-em-foco-.html

ASSUNTO: ESTRATÉGIA DO CBM

VEÍCULO: Portal do CBMSC

CBMSC USA ESTATÍSTICAS PARA MELHORAR SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

     

 

Em que tipo de edificações e em qual período ocorrem a maioria dos incêndios? Quais as origens mais comuns destes sinistros? Para responder a estes questionamentos e contribuir para aperfeiçoar as politicas de prevenção e combate a incêndios em Santa Catarina, de forma a minimizar os impactos sociais e econômicos destas ocorrências, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) está se estruturando para construir uma base de dados integrada sobre os sinistros desta natureza registrados no Estado.

A origem das informações a serem reunidas, analisadas e monitoradas são os laudos elaborados pelo Serviço de Inspeção e Perícia de Incêndios da Corporação. Os documentos relacionam dados resultantes da investigação realizada no local sinistrado revelando informações como as causas e sub-causas dos incêndios, zonas de origem, horários de registros, agentes ígneos, entre outros. Reunidas, estas informações podem revelar padrões comuns às ocorrências e, com isso, indicar iniciativas que podem contribuir para a prestação de melhores serviços.

Chefe da Divisão de Perícias da Diretoria de Atividades Técnicas (DAT), Tenente-Coronel BM Vanderlei Vanderlino Vidal explica que a iniciativa vai permitir o fechamento do chamado “ciclo operacional do bombeiro”, formado por quatro fases: Fase Normativa (elaboração de normas de segurança); Fase Estrutural (instalação de sistemas preventivos em edificações e o preparo para a resposta em caso de sinistro pelo CBMSC); Fase Reativa (registro do sinistro, com a utilização dos sistemas instalados e meios operacionais de combate); Fase Investigativa (serviço de perícia, que avalia se as fases anteriores funcionaram a contento).

A partir dos relatórios e da inclusão e monitoramento sistemático dos dados sobre os incêndios será possível, melhor organizar programas de prevenção e educação pública, além de propor mudanças na legislação e a evolução das técnicas operacionais.

Dados x análise

Um dos exemplos recentes do resultado da atividade foi o relatório concluído neste mês de julho (2014) na área do 2º Batalhão de Bombeiros Militar, com sede em Curitibanos. Responsável pela revisão técnica dos laudos periciais na Unidade, 1º Tenente BM Willian Leal Nunes, relacionou com o apoio dos inspetores de incêndio os dados referentes às 57 ocorrências de incêndios combatidos por Bombeiros Militares na região.

As informações globais foram reunidas e, a partir delas, identificados os padrões comuns à maioria das ocorrências. Foi observado, por exemplo, que dos registros do período a maioria ocorreu entre 21h e 03h em residências unifamiliares e não envolveram, por exemplo, instalações de GLP.

Além das vidas salvas, o levantamento comprovou em números a importância do serviço prestado pela Corporação para a diminuição dos danos econômicos gerados pelos incêndios. “As guarnições conseguiram preservar mais de R$ 10,5 milhões em patrimônio, o que prova que os investimentos no CBMSC trazem um retorno palpável também relativo aos bens materiais salvos”, ressalta o Revisor Técnico do 2ºBBM.

Sistema informatizado

Em breve, a reunião dos dados ocorrerá de forma informatizada através do módulo “Perícia” do Sistema E-193, programa de gerenciamento de ocorrências desenvolvido pela Divisão de Tecnologia da Informação (DiTI).

“Toda a ocorrência de incêndio irá gerar um registro de perícia automático. Após a realização da investigação do incêndio, o Bombeiro Militar responsável irá inserir os dados levantados in loco no sistema, que providenciará os relatórios estatísticos para a análise interna e divulgação externa, conforme o caso”, explica Tenente-Coronel BM Vanderlino.

Serviço de Perícia de incêndios no CBMSC

Tecnicamente atrelado a DAT, que capacita os inspetores de incêndio e presta assessoria técnica aos Batalhões BM, o Serviço de Inspeção e Perícia de Incêndios do CBMSC existe desde 1996. À época, a Corporação chegou a manter em Florianópolis um Laboratório de Perícia e Pesquisa em Incêndios onde eram realizados estudos especializados sobre o tema.

Nos anos que se seguiram, o serviço acabou estruturando-se de forma autônoma nos BBM, conforme a capacidade técnica e o efetivo de cada Unidade. No 1º Batalhão de Bombeiros Militar em Florianópolis, por exemplo, o serviço teve grande impulso a partir de 2011. Desde então existe plantão próprio de inspetores de incêndio, com mais de 500 ocorrências periciadas até o momento.

Para padronizar as ações do Serviço de Inspeção e Perícias de Incêndios em todo o Estado, permitindo a geração de conhecimento a partir dos dados reunidos nos laudos periciais, o Comando-Geral editou em 2013 a Diretriz Operacional número 24 (Acesse AQUI). A norma interna determina, entre outros itens, a investigação de todos os incêndios em edificações e a produção de relatórios físicos e virtuais, de forma permitir melhor gestão do conhecimento acerca dos incêndios no Estado.

QUADRO COM ESTATÍSTICAS – http://www.cbm.sc.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2527:pericia-de-incendios-estatisticas-serao-utilizadas-para-melhorar-seguranca-contra-incendio&catid=76:noticias-cbmsc&Itemid=117