Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 25 de setembro

25.9.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 25 DE SETEMBRO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

ALÔ, MARQUETEIROS

Enquanto os candidatos ficam se engalfinhando sempre pelos mesmos assuntos, que tal dedicar alguns minutos para debater, por exemplo, sobre como lidar com a epidemia do crack, um problema que passa pelas áreas de saúde, segurança e também educação?

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

DEBATES

Candidatos ao governo do Estado participarão hoje, às 14h, de debate promovido pela OAB-SC. Terá a mediação do jornalista Cláudio Prisco. Amanhã o evento será promovido pela Associação Catarinense da Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert). Vão integrar a rede estadual 78 emissoras.

 

ASSUNTO: PERSEGUIÇÃO

VEÍCULO: Diário Catarinense

Bandidos roubam carro e trocam tiros com a polícia

Uma perseguição policial assustou moradores no norte da Ilha, ontem à tarde, em Florianópolis. Segundo informações da Polícia Militar, quatro homens armados roubaram um Hyundai ix35 preto no bairro Jurerê. Os assaltantes reagiram quando foram abordados por policiais em frente ao posto da Polícia Militar Rodoviária (PMRv) e trocaram tiros com os policiais. Os agentes reagiram e acertaram a roda traseira do lado esquerdo do veículo roubado.
A perseguição policial se estendeu até Santo Antônio de Lisboa, onde os bandidos abandonaram o carro, próximo ao Caminho dos Açores e fugiram perto do campo do Avante. Os quatro homens foram presos pela PM quando tentavam fugir a pé. Policiais procuram pelas armas que podem ter sido abandonadas.

 

ASSUNTO: APEDRAJAMENTO NA BR-101

VEÍCULO: Diário Catarinense

A BRUTALIDADE EM NÍVEL MÁXIMO

Morte de torcedor do Avaí que voltava de partida no Paraná alerta autoridades catarinenses para mais um possível caso de violência de torcidas organizadas. Ministério Público promete sanções se a suspeita se confirmar

Atingido por um ataque brutal, João Grah, 27 anos, tende a ser vítima do novo triste episódio envolvendo torcidas organizadas em Santa Catarina. A investigação da Polícia Civil de Balneário Camboriú aponta para uma linha inicial que credita a torcedores organizados o apedrejamento ao micro-ônibus em que estavam 22 apaixonados pelo Avaí, no começo da madrugada de ontem. Grah foi atingido por uma pedrada na cabeça e morreu horas depois, no hospital. Junto com outros jovens, que se juntaram pelo Facebook, ele retornava de uma partida do Avaí em Curitiba.
O ataque ocorreu na BR-101, em Balneário Camboriú. As imagens revoltam. Divididos em dois carros brancos, 10 rapazes correm em direção à mureta do viaduto de acesso à rodovia Interpraias e arremessam pedras no veículo que trafegava no sentido Sul da rodovia. As pedras que atingiram o micro-ônibus foram recolhidas pela Polícia Rodoviária Federal, que também não descarta a possibilidade de tentativa de assalto. Pelas imagens, ainda não é possível identificar se eles usam roupas alusivas a grupos organizados.
Grupo deve responder por homicídio culposo
– A investigação buscará identificar a autoria e a motivação, mas tudo indica que foi ataque de torcida rival – analisa o delegado Osnei de Oliveira, ao lembrar que os suspeitos podem responder por homicídio com intenção de matar.
Caso se confirme o envolvimento de torcidas organizadas, o Ministério Público promete ação imediata. As sanções aos envolvidos, além da responsabilização criminal, podem levar ao extremo de o grupo identificado ser banido dos estádios.
– Vamos acompanhar de perto a investigação. Se ficar evidente que houve um planejamento por parte de torcida organizada, não tenho dúvida de que haverá uma sanção, além da punição criminal de cada envolvido – garante o promotor Eduardo Paladino, da 29a Promotoria da Capital.
Outra ação, segundo Paladino, será tomada em conjunto com a Polícia Militar (PM) e a Federação Catarinense de Futebol, caso uma torcida organizada esteja envolvida na morte de Grah.

João Grah tentou embarcar em duas excursões antes de conseguir vaga no micro-ônibus que o levaria a mais um jogo do time do coração fora de Florianópolis. Tentou sem sucesso convencer primo e tio a viajarem junto até Curitiba. Movido pelo entusiasmo de empurrar o Leão para mais perto da Série A, avisou a namorada quando já havia conseguido um assento.

– Tu é doido – brincou Karina Assunção ao ver a foto do namorado na mensagem do WhatsApp.
Após sete anos de namoro, sabia que não ia convencê-lo a desistir.
– Ele era muito apaixonado pelo Avaí e estava empolgado com a fase. Eu pensei: é aqui em Curitiba, não é absurdo. Tudo bem.
O gol do ídolo Marquinhos aos 15 minutos do segundo tempo preocupou Karina – que assistia o jogo pela TV – em relação a uma possível briga entre torcidas.
– Fiquei com medo. Só aliviei quando veio o empate. Logo depois ele mandou a mensagem dizendo que estava saindo.
Na volta, entre Itajaí e Camboriú, João pediu para que ela o buscasse no Terminal Cidade de Florianópolis. A namorada sugeriu que ele pegasse um táxi, pois a chegada estava prevista para as 2h. Ele insistiu: “Prefiro que tu me busque. Estou com fome e quero chegar logo em casa”, escreveu à 0h25min. Depois, não digitou mais.
– Calculei o tempo e depois de uma hora e 15 minutos perguntei onde ele estava. Não veio resposta. Um tempo depois tocou o telefone de casa e só consegui ouvir meu sogro perguntando como ele estava – disse Karina, em prantos, agarrada a duas camisetas do companheiro.

 

PAIXÃO COMEÇOU AINDA NA INFÂNCIA

O salão principal da Câmara de Veradores de Santo Amaro da Imperatriz ficou cheio para a despedida a João Grah ontem. O caixão estava coberto por uma camiseta do clube. O pai, Célio, e a mãe, Jussara, recebiam desolados amigos e familiares que se aproximavam do corpo.
João tinha 27 anos, trabalhava com o pai em uma loja de informática em Florianópolis. De em Santo Amaro da Imperatriz, vivia há pelo menos dez anos na Capital.
A paixão pelo Avaí começou na infância e só cresceu ao longo dos anos. Era comum ele viajar para cidades próximas onde o Leão jogava, conta o tio e conselheiro do Avaí, Zari José Farias Filho. Era no camarote de Zari que João assistia aos jogos na Ressacada.
– Fazíamos um churrasquinho embaixo da arquibancada do Setor D antes dos jogos mais importantes. Ele ia em todos. Era brincalhão, cheio de amigos e sempre tranquilo. Uma perda irreparável – resumiu o parente.

A namorada também descreveu assim o companheiro:
– Valorizava as coisas simples, prezava pelas amizades, era meu parceiro, extrovertido, um iluminado – disse.
O enterro está marcado para hoje, às 9h, no cemitério da Igreja Matriz de Santo Amaro da Imperatriz. Além do pai, mãe e namorada, João deixa o irmão José, três anos mais jovem.

“Tudo indica que foi um ataque de torcidas rivais”

OSNEI DE OLIVEIRA - Delegado da Polícia Civil
A apuração sobre a morte do torcedor do Avaí ficará com a Divisão de Investigação Criminal de Balneário Camboriú, sob o comando do delegado Osnei de Oliveira. Ele afirma que trabalha com um homicídio e que tudo indica que o crime envolve um ataque de torcidas rivais.

Agência RBS – Já há linha de investigação sobre o caso?
Osnei de Oliveira – Até agora vi apenas a cena do momento em que atiram a pedra. Fica bem nítida a ação dos suspeitos, mas não é possível identificar ninguém e nem a placa do veículo. Fica clara a intenção de causar lesão ou dano, possivelmente apenas ao veículo, mas com isso eles assumiram o risco de matar, que foi o que aconteceu.

Agência RBS – Inicialmente, fala-se em ataque de grupo de torcedores rivais. Como o senhor avalia essa possibilidade?
Oliveira – A grande probabilidade é que o crime tenha ocorrido por rixa entre torcidas, até pelo número de pessoas que agiram. O objetivo deles era o ônibus, tanto que passaram outros veículos e eles não arremessaram pedras. A investigação agora vai buscar identificar a autoria e depois disso apurar a motivação, mas tudo indica que foi um ataque de torcidas rivais. A partir de agora, com o início da investigação, o auxílio da comunidade também é importante, com qualquer informação a respeito que nos auxilie.

“Está vetado qualquer serviço para o futebol”

O empresário Gustavo Silveira, dono da empresa de ônibus GSA, responsável pelo veículo em que estava o torcedor do Avaí morto ao ser atingido por uma pedra na madrugada de ontem, decidiu não trabalhar mais com transporte de torcidas de futebol.

Diário Catarinense – Por que vocês não fazem mais viagens com torcidas organizadas?

Gustavo Silveira – Temos um histórico bem grande de problemas, de brigas – e às vezes nem acontecem danos ao próprio carro, mas de a torcida não respeitar ordens do profissional que está no volante. Hoje, a minha empresa não faz nenhum tipo de (viagem de) futebol. Nenhum tipo de torcida, nenhum tipo de jogo. Está vetado qualquer tipo de serviço relacionado a isso. Em julho, demoliram dois micros meus, tive prejuízo de quase R$ 10 mil.

DC – Essa viagem foi negociada por quem?
Silveira – Foi negociada por uma pessoa da comunidade do Avaí. Um pessoa tranquila e de boa índole. Desde a contratação até o embarque, tudo correto. Todo mundo viajou tranquilo, eu fui no embarque, cumprimentei todo mundo. O pessoal tranquilo, sem excesso de bebida alcoólica, mas foi uma pena. Lamento demais.

DC – Como está o motorista?
Silveira – Ele está bem, mas com o abalo emocional. Meu advogado está cuidando de tudo.

DC – Qual é o relato do motorista?
Silveira – Foi do nada. De cima de viaduto vieram duas ou três pedras que atingiram o veículo.

DC - Por que o João estava na frente?
Silveira - A legislação não permite o transporte de passageiros na cabine. A gente não permite isso. Pelo relato de passageiros, o celular estava ligado tocando música e ele foi lá pegar o celular.

DC - Como será a partir de agora?
Silveira – A minha medida é objetiva. A minha empresa tem todos os registros para transporte rodoviário de passageiros. O carro estava todo regularizado. Vou acompanhar com o setor jurídico. O que a família precisar de mim, estou à disposição.

“Foi um ataque de torcida” - TORCEDOR RESPONSÁVEL PELA EXCURSÃO

Um torcedor que estava no micro-ônibus atingido pelas pedras, que não quis se identificar em entrevista ao DC, conta detalhes do que ocorreu e afirma que o grupo não tinha relação com torcidas organizadas.

Diário Catarinense – Como foi a viagem para o Paraná?
Torcedor – A gente tem um grupo no Facebook da torcida do Avaí. E todo mundo estava se programando para ir ao jogo. Eu não tinha como ir, estava sem carro e tal. Foi todo mundo colocando nome ali. Mas em nenhum momento com torcida organizada. Ninguém. A nossa ida foi bem tranquila, mas na volta, quando chegou na altura antes de um supermercado, passou um Corsa branco pela gente com quatro indivíduos dentro. Mas não dava para ver camisa nem nada porque estava escuro.

DC – Isso em Balneário Camboriú?
Torcedor – Isso, perto de um supermercado. Eu comentei com a minha namorada que eles passaram olhando pra gente. E foi coisa de minutos que aconteceu isso tudo. Eles vieram só pra confirmar se era a torcida do Avaí e pensaram que era a organizada e acabou acontecendo essa fatalidade.

DC – E o João (morto na ocorrência) era conhecido seu ou de um amigo?
Torcedor – Não. As pessoas foram colocando nome ali (no grupo) e foram 22 pessoas. Na verdade, eu tinha dois conhecidos e a minha namorada. E a gente conheceu todo mundo na hora. Nos encontramos no Terminal Florianópolis.

DC – Por que ele estava na frente?
Torcedor – O meu amigo estava conversando com o motorista para ele não acabar dormindo porque já era tarde. E a galera estava revezando para não deixar o motorista sozinho. Até ele (João) pediu para ficar conversando com o motorista.

DC – E quando jogaram as pedras?
Torcedor – Foi muita pedra porque bateu em cima do ônibus. Daí o ônibus queria parar. Só que se a gente parasse ia ser muito pior. Os caras iam vir na gente, entendeu? Só que o motorista falou: “pegou pedra no menino”. Só que ninguém sabia a gravidade da situação, porque estava todo mundo muito apavorado e ninguém é acostumado com isso.

DC – Como foi o socorro?
Torcedor – Ligaram para o Samu logo em seguida e eu liguei para o 190 para avisar o que estava acontecendo. Só que quando começamos a subir o Morro do Boi eu fiquei sem sinal. Aí paramos na Polícia Rodoviária Federal. Eram pedaços de pedra gigante. A Autopista chamou o Samu, que deu toda a assistência. O policial voltou ao local e pegou duas pedras.

DC –Você acredita que foi ataque de torcida?
Torcedor – Para mim é 99% de certeza que foi. Está nítido na imagem. Não iam em 10, 15 pessoas fazer um assalto, eles estavam esperando. Outro menino passou mal, foi bem complicado. Eu estou num estado de pânico, muita loucura.

COLUNISTA MARCOS CASTIEL - Morte do torcedor do Avaí: a bad vibe que mata também o futebol brasileiro

Vamos aguardar a investigação da Polícia Civil sobre este episódio que resultou na morte de um torcedor do Avaí na volta do Paraná. Ainda não se pode falar em violência entre torcidas, embora a Polícia Rodoviária Federal trabalhe com esta forte hipótese. Afinal, não é um local com histórico de assaltos. E as imagens mostram muito, inclusive a comemoração após perceber o sucesso do ataque. Não há mais o que se falar sobre estes assuntos. O número de casos de violência é extenso, disseminado, atinge torcidas organizadas de todos os clubes. Enquanto as autoridades forem reativas, não agirem preventivamente, o torcedor de bem fugirá cada vez mais dos estádios. Estádio de futebol, hoje em dia, é um lugar com uma vibe ruim. Xingamentos, palavrões, uma energia péssima. Agora o deslocamento para os estádios virou caminho de morte. Pobre futebol. Você tem coragem de levar seu filho em grandes jogos? Eu não.

 

ASSUNTO: ELEIÇÕES 2014

VEÍCULO: Diário Catarinense

Colombo amplia distância em relação aos adversários na disputa ao governo de SC

Com mais da metade das intenções de voto dos catarinenses, candidato à reeleição pelo PSD seria eleito em primeiro turno. Na simulação de segundo turno com o tucano Paulo Bauer, o atual governador também teria vantagem e venceria

Em uma semana, o governador Raimundo Colombo (PSD) conseguiu ampliar de 21 para 27 pontos percentuais a vantagem que tinha sobre a soma de seus sete adversários na disputa pelo comando do Estado. Essa é a principal constatação da nova rodada da pesquisa Ibope, a quarta contratada pelo Grupo RBS após o registro das candidaturas.
Colombo cresceu no limite da margem de erro de três pontos percentuais do levantamento, passando de 49% para 52% das intenções de voto dos catarinenses. O adversário mais próximo continua sendo Paulo Bauer (PSDB), que oscilou de 17% para 16%, assim como Claudio Vignatti (PT), que tinha 7% e agora aparece com 6%. Os demais candidatos somaram 3%.
O resultado significaria que Colombo atinge 67,6% dos votos válidos – excluídos brancos, nulos e indecisos. Para vencer em primeiro turno, um candidato precisa superar 50% dos válidos.
O Ibope fez uma simulação de segundo turno entre Colombo e Bauer. Nesse cenário, o governador seria reeleito com 57% contra 19% do tucano.

 

Pesquisa mede também avaliação de governo
O governador alcança seus melhores resultados entre eleitores com renda entre dois e cinco salários mínimos (56%), os que estudaram até a quarta série (55%) e os que têm ensino superior (55%). Bauer chega a 29% entre eleitores de 35 a 44 anos.
O Ibope também constatou melhora na avaliação do governo Colombo, dentro da margem de erro. Os eleitores que consideravam a gestão ótima ou boa somavam 47% e agora são 49%, enquanto as avaliações ruim e péssimo resultavam em 15% e agora em 12%. A nota dada pelos catarinenses ao governador passou de 6,1 para 6,2.

 

ASSUNTO: Violência no trânsito

VEÍCULO: Diário Catarinense

Oito pessoas ficam feridas em acidente

Duas crianças foram conduzidas em estado grave ao Hospital Infantil de Joinville pelo helicóptero Águia da Polícia Militar. O menino, de três anos, teve ferimentos leves e está em estado estável. A menina, seis anos, está internada em estado grave na UTI pediátrica com traumatismo craniano. Outras seis pessoas - quatro homens e duas mulheres - foram levados para Hospital Municipal São José, em Joinville. O helicóptero, o Samu, os Bombeiros Voluntários e Militares foram acionados para atender a ocorrência.
Segundo informações de um morador que presenciou o acidente e não quis ser identificado, um Fiat Uno saiu do estacionamento do mercado e entrou rapidamente na pista. Um Golf que seguia no sentido Joinville/Araquari, e estaria em alta velocidade, desviou para a outra pista para não bater no Fiat. Com a manobra, ele colidiu de frente com um Gol que seguia na direção contrária. Duas crianças, uma mulher e dois homens estavam no Golf e ficaram feridos. As outras duas vítimas estavam no Gol. O motorista do Uno não se feriu e seguiu viagem. As duas pistas ficaram interditadas uma hora e meia.

 

ASSUNTO: Troca de Comando

VEÍCULO: Portal da PMSC

São Miguel do Oeste: 11º BPM tem novo comandante

Ocorreu na manhã de sexta-feira, dia 12 de setembro, a solenidade de passagem de comando do 11º Batalhão de Polícia Militar de Fronteira (BPM/Fron), onde o tenente-coronel José Leopoldo Alves de Moura passou o comando da unidade ao tenente-coronel Heder Martins.

A solenidade foi presidida pelo comandante da 9ª Região de Polícia Militar de Fronteira (RPM/Fron), coronel João Batista Martins, contando com uma expressiva presença de autoridades civis e militares do extremo oeste catarinense e da Argentina.

O tenente-coronel Moura deixou o 11º BPM/Fron após comandá-lo por dois anos e oito meses, tendo deixado um legado de constantes reduções de índices de ocorrências com um efetivo renovado graças as formaturas das últimas escolas de formação de soldados. Ao fazer uso da palavra, o ex-comandante agradeceu o empenho e profissionalismo dos policiais militares, com cujo apoio o nome da Polícia Militar no extremo oeste foi mais uma vez engrandecido fazendo o batalhão honrar a alcunha de “O Sentinela da Fronteira”, agradecendo ainda todo o apoio e confiança recebidos das autoridades e da comunidade.

Em seguida o comandante da 9ª RPM/Fron, coronel João Batista fez uso da palavra enaltecendo o comando do tenente-coronel Moura e desejou sorte ao novo comandante, colocando o comando da 9ª RPM a disposição do novo comandante.

O tenente-coronel Heder, que é natural de Imbituba, assumiu comando do batalhão após exercer a função de chefe do Estado Maior da 9ª RPM.

ASSUNTO: Formatura

VEÍCULO: Portal do CBMSC

CBMSC FORMA 37 NOVOS CABOS BM E RECEBE VIATURAS E EMBARCAÇÕES NA CAPITAL

     

O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) realizou na manhã desta quarta-feira (24/09) a formatura de 37 novos Cabos BM, em solenidade que integrou a programação comemorativa do 88º aniversário da Corporação (1926-2014) – celebrado em 26 de setembro. O governador em execício, Desembargador Nelson Schaefer Martins, prestigiou a cerimônia no Centro de Ensino Bombeiro Militar (CEBM) em Florianópolis juntamente com o secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, entre outras autoridades civis e militares.

Durante o evento houve a descentralização para quartéis em diferentes regiões do Estado de nove novos caminhões de combate a incêndio, nove ambulâncias, 13 caminhonetes 4x4, 13 viaturas administrativas e cinco embarcações adquiridas com investimento de R$ 8 milhões em recursos do governo do Estado à instituição.

A turma de formandos no Curso de Formação de Cabos (CFC II/2014) levou o nome do Subtenente BM RR in memoriam Antônio Rita dos Santos, reconhecido pela camaradagem e bons serviços prestados à instituição. O grupo de novos cabos permaneceu entre os meses de julho e setembro no CEBM atualizando conhecimentos técnicos e práticos nas áreas de atividade Bombeiro Militar. Agora, eles retornam aos quartéis de origem para reforçar o atendimento à população.

O formando Cabo BM Bruno Alberto Bruch Antônio, que obteve o melhor desempenho no CFC II/2014, foi homenageado com a Medalha de Mérito Intelectual Cabo Zilmar Farias e o prêmio de Mérito Intelectual Bombeiro Militar.

Na cerimônia, o comandante-geral do CBMSC Coronel BM Marcos de Oliveira ressaltou a importância do aprimoramento constante exigido dos militares em sua carreira e agradeceu ao Governo do Estado pelos investimentos recentes via Secretaria de Estado da Segurança Pública.

“Reafirmamos que toda a melhora no serviço prestado à população se deve, sempre, ao esforço combinado em diferentes níveis de governo e de integrantes da Corporação”, destacou, saudando os formandos pelo esforço e dedicação dispensados nos anos já acumulados no serviço militar.

O Secretário César Grubba reforçou o significado da formatura e dos investimentos de governo no CBMSC, elencados por ele como “estruturantes”. Nos últimos anos, a Corporação recebeu o maior aporte de recursos para a compra de viaturas, equipamentos e outras melhorias de sua história. Na data, foi inaugurada a obra de revitalização da torre de treinamentos da Corporação, viabilizada com investimento de R$ 254 mil.

“Quem acompanha as melhorias no Corpo de Bombeiros nos últimos anos, com a renovação e reforço da frota, a compra de novos equipamentos e obras diversas, sabe que há a união de esforços para proporcionar melhores condições de trabalho aos bombeiros e a melhor prestação dos serviços à população”, disse, após destacar a importância da instituição contar com homens comprometidos com o serviço que prestam, exemplificados no grupo de novos cabos.

Homenagens

Como tradicionalmente ocorre, a solenidade militar serviu para o Comando-Geral homenagear personalidades e instituições que, em razão da função que exercem, contribuíram para o engrandecimento moral ou material da Corporação.

O Secretário de Estado da Segurança Pública, César Grubba, foi agraciado com o diploma de presidente de honra da Federação Catarinense de Bombeiros Comunitários (FECABOM), enquanto o governador em exercício e presidente do Tribunal de Justiça, Desembargador Nelson Schaefer Martins, recebeu a comenda da ordem do mérito Dom Pedro II – a mais alta honraria concedida pelo CBMSC.

“Vivemos em um Estado castigado pelas catástrofes e, em cada uma delas, lá está presente o Corpo de Bombeiros Militar. Sua atuação é notável e elogiada inclusive em outros Estados da Federação. Sinto orgulho de ser homenageado (…) Tenham a certeza de que terão sempre um apoiador da instituição em favor da Sociedade”, manifestou-se o governador em exercício.

Aproveitando a visita ao Centro de Ensino Bombeiro Militar, Desembargador Nelson Schaefer conheceu a estrutura da torre de treinamento e as obras de construção da piscina semi-olímpica para a capacitação de guarda-vidas militares, em fase de acabamento.

 A cerimônia na Capital foi finalizada com o batismo dos formandos (banho).