Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 25 de março

25.3.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 25.03.2014

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Protesto na pista

Um grupo de servidores estaduais fechou parte da SC-401 para protestar contra o governo do Estado, ontem à tarde, em defesa da greve geral. Não foram atendidos, mas provocaram a revolta dos motoristas na fila que se formou ao longo da rodovia.

Enquanto isso…

Oficialmente, o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual de Santa Catarina (Sintespe) diz que fechou a sede da entidade para protestar contra a decisão da Justiça em decretar a ilegalidade da paralisação em algumas áreas. Mas há quem garanta se tratar de estratégia para driblar os oficiais de Justiça que tentam notificá-los sobre a greve dos agentes prisionais e do Imetro, com multa diária de R$ 120 mil.

 

ASSUNTO: Exército no Rio

VEÍCULO: Diário Catarinense

CONTRA O TRÁFICO: Cabral confirma ocupação da Maré

Tropas do Estado e o Exército entrarão nas favelas para retomar território

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), confirmou ontem que as favelas do Complexo da Maré, na zona Norte da capital, serão ocupadas pelas tropas federais.
O secretário estadual de Segurança do RJ, José Mariano Beltrame, informou ainda que a polícia irá entrar primeiro na Maré e, depois, passará o comando para o Exército.
– Primeiro, entram as forças do Estado. Depois da garantia da lei e da ordem instalada, quem vai fazer a ocupação é o Exército. Nós vamos entrar antes, para fazer um trabalho de inteligência – disse Beltrame.
O governador falou à imprensa após reunir-se com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general José Carlos de Nardi, e o secretário de Segurança.
De acordo com Beltrame, haverá colaboração da Polícia Federal, na área de inteligência, e da Polícia Rodoviária Federal, que fará um cerco em determinados lugares a serem definidos. O secretário admitiu que parte do comando das ações contra as unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) partiram de presídios. O secretário reconheceu que a ocupação da Maré, que deveria ocorrer no futuro, só será possível agora com a ajuda do Exército. Para ele, a resposta contra o tráfico é a retomada de territórios.
– Entrar em qualquer lugar do RJ não é problema para a polícia. O problema é entrar e se manter nesses locais. A Maré, assim como era a Cruzeiro, a Rocinha, o São Carlos, é uma área dessas. Vamos fazer ocupação e depois passar para o Exército, porque nós não temos, por enquanto, como ocupar toda a Maré. Lá não é um lugar simples. Nós pensávamos em colocar 1,5 mil homens. Nós faremos a ocupação e dali a uns dias a gente passa para o Exército – afirmou o secretário.

 

ASSUNTO: INVASÃO E FURTO

VEÍCULO: Diário Catarinense

Ladrões comem carne em creche

Criminosos que arrombaram o Centro de Educação Infantil João Vieira Ramos em Itajaí, Litoral Norte, deixaram uma panela suja e um recado na lousa dizendo que só não levaram mais porque não encontraram mais dinheiro.
Os ladrões invadiram a instituição de ensino, que fica no Bairro Salseiros, na madrugada de ontem. Eles quebraram portas, danificaram o alarme e a linha telefônica, além de roubarem um aparelho de DVD, DVDs, dinheiro e comida. O arrombamento só foi percebido pela manhã.
De acordo com a direção da creche, dos R$ 280 furtados, R$ 150 vinham de uma arrecadação feita para comprar um ar-condicionado e fazer melhorias. Os criminosos também levaram uma cesta de páscoa feita pelos professores e que seria rifada. Eles teriam cozinhado carne durante a ação e também comido frutas na cozinha.
Mesmo após danos, aulas ocorreram normalmente
Apesar dos danos em oito portas, as aulas ocorreram normalmente ontem. A unidade atende 84 crianças. A Secretaria de Educação disse que a empresa de segurança que faz o monitoramento da creche é terceirizada e os prejuízos serão cobrados da companhia.
A Polícia Militar informou que há rondas na região, mas apenas uma guarnição faz o policiamento lá durante a noite. Segundo a PM, como se trata de uma área grande, fica difícil flagrar esse tipo de ação. O local também tem pouco movimento à noite.
Em Itajaí, a Escola de Ensino Fundamental Francisco de Paula Seara, no bairro São Judas também tem registrado invasões, só que à luz do dia.
Ontem houve uma reunião entre a direção da escola, Secretaria de Desenvolvimento Regional e PM para tentar solucionar o problema, que segundo a diretora Vânia Monteiro, é recorrente desde que a escola substituiu o vigilante por câmeras. A SDR afirmou que vai instalar um portão para impedir que os invasores tenham acesso aos alunos e funcionários. A PM, segundo a diretora, se comprometeu a intensificar as rondas nos horários de entrada e saída de aula.

 

ASSUNTO: Cargos comissionados

VEÍCULO: Diário Catarinense

PARLAMENTO DIVIDIDO: Projeto do MP gera novas divergências na Assembleia

Proposta que cria cargos comissionados recebeu um parecer favorável e dois com alteração para que vagas sejam de concursados

Um projeto que tramita na Assembleia Legislativa desde o ano passado vai gerar discussão entre os deputados nas próximas semanas. É a proposta do Ministério Público de Santa Catarina que cria 410 cargos comissionados.
A última movimentação do projeto foi na semana passada, na Comissão de Finanças e Tributação. Depois de pedir vistas, a deputada Luciane Carminatti (PT) fez uma alteração para que as vagas abertas sejam preenchidas por concurso. Em 2013, o relator da proposta, deputado Darci de Matos (PSD), havia apresentado parecer favorável à criação dos comissionados.
Um novo pedido de vistas do deputado Renato Hinnig (PMDB), que deve levar a questão para ser discutida junto à bancada do partido, adia uma decisão sobre o assunto.
PSDB e PP também devem começar a discutir o tema nas reuniões de hoje, assim como o restante da bancada do PT.
Presidentes negam novo desgaste
Apesar do recente desconforto entre as duas instituições pela possibilidade de instalação de uma CPI para investigar o Ministério Público, o presidente da AL, Joares Ponticelli (PP), afirma que esse não deve ser um novo foco de desgaste.
O Ministério Público afirma que um desfecho diferente do que o que tinha planejado geraria impactos financeiros significativos nas contas da instituição, já que um servidor efetivo seria mais caro que um comissionado. E também nega que o assunto posso ser um novo foco de tensão com a Assembleia.
Se o projeto for aprovado tal qual foi apresentado, o MP passaria a ter 868 cargos de confiança – um aumento de quase 90% nos números atuais. E é bem mais do que os 488 cargos efetivos que têm hoje ocupados no seu quadro de funcionários.
O fato por si só seria uma contradição diante do trabalho que o MP realiza. As promotorias cobram de prefeituras e de Câmaras de Vereadores que sigam uma proporcionalidade, um equilíbrio para que não existam mais comissionados do que concursados entre os funcionários de cada órgão.
– Se vale para as prefeituras, por que não deveria valer também para o Ministério Público? – provoca a deputada Luciane.
O procurador-geral de Justiça, Lio Marcos Marin, afirma que essa proporcionalidade depende do tipo de cargos que está em discussão. A proporcionalidade seria necessária, segundo ele, nas funções administrativas, mas não nas de assessoramento.
– Depende a situação. No caso de assessoramento, como acontece com parlamentos, não há essa exigência de um por um – disse.

 

ASSUNTO: GAECO

VEÍCULO: Diário Catarinense

SUSPEITA DE CORRUPÇÃO: Gaeco cumpre mandados em Orleans, no Sul de SC

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) realizou na manhã de ontem uma operação em Orleans, no Sul do Estado.
Foram cumpridos mandados de busca e apreensão na sede da prefeitura, na Secretaria de Saúde e nas casas dos investigados, além de três mandados de prisão temporária de agentes públicos, dentre os quais a Secretária de Saúde de Orleans.
As investigações apontam para formação de quadrilha, fraudes em licitações, corrupção e desvio de dinheiro público.
Quatro agentes públicos municipais e um funcionário com cargo comissionado do Estado foram afastados e tiveram proibido o acesso às dependências da prefeitura pelo prazo de 90 dias. As prisões foram resultado de investigações iniciadas há cerca de oito meses pela promotoria da Comarca. O Ministério Público deve ouvir cerca de 80 pessoas envolvidas no caso nos próximos dias.
O Gaeco é uma força-tarefa que conta com a atuação de policiais militares, civis e o Ministério Público estadual.
Prefeito deve se manifestar hoje
O prefeito Marco Antônio Bertoncini Cascaes, que está em viagem, não foi encontrado para comentar o caso e deve se manifestar por meio de nota hoje.

 

ASSUNTO: Servidores estaduais

VEÍCULO: Portal da Alesc

Medidas Provisórias concedem reajustes a servidores da saúde e magistério estadual

Duas Medidas Provisórias (MPs) em tramitação na Assembleia Legislativa, protocoladas pelo Poder Executivo na semana passada, concedem reajustes salariais a duas categorias do funcionalismo público estadual. Tratam-se da MP 193/2014, que fixa os valores de vencimento dos membros do Magistério Público Estadual, e a MP 194/2014, que altera a Lei Estadual nº 15.984/2013, relativa à Gratificação pelo Desempenho de Atividades em Saúde.

A MP 193/2014 estabelece o reajuste de 8,5% nos vencimentos dos professores da rede pública estadual de ensino. A medida está em vigor desde o dia 14 de março e foi protocolada na Assembleia em 18 de março. Conforme o texto da MP, o reajuste é necessário para acompanhar o aumento no valor do piso salarial nacional do magistério para 2014, determinado pelo governo federal. A reposição também vale para os professores aposentados e os pensionistas.

Os 8,5%, no entanto, serão aplicados de forma parcelada, ao longo de 2014 (descontado o que for concedido automaticamente em janeiro): 2% em janeiro (pagos retroativos na folha de março); 2% em julho e 4,5% em setembro. O impacto projetado é de R$ 160 milhões ao longo de 2014, segundo o governo.

Conforme a tabela de referências do magistério, o piso do professor na rede estadual, em 2014, é de R$ 1,697,37. Já o maior vencimento chegará a R$ 3.144,49.

Já a MP 194/2014 passa de 50% para 100% o percentual máximo da Gratificação pelo Desempenho de Atividades em Saúde. A medida beneficia os servidores do quadro de pessoal da Secretaria de Estado da Saúde. Conforme a medida provisória, o benefício incide sobre o vencimento previsto para o cargo ocupado, valendo, inclusive, para os aposentados e pensionistas.

A gratificação será aplicada em duas etapas. A partir de 1º de janeiro de 2015, serão aplicados 40% do benefício. Os restantes 60% serão pagos a partir de 1º de janeiro de 2016. A MP está em vigor desde o dia 19 de março, data em que foi protocolada no Parlamento.

Tramitação
Conforme o Regimento Interno da Assembleia, as medidas provisórias devem ser apreciadas pelos deputados e transformadas em leis em 60 dias. Caso esse prazo não seja obedecido, elas têm validade prorrogada por mais 60 dias.

Assim que é protocolada no Legislativo, a MP segue para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde terá sua admissibilidade parcial ou total analisada. A proposta segue para o Plenário, que confirmará ou não a admissibilidade.

Uma vez tornada admissível pelo Plenário, a MP segue para as comissões permanentes de mérito para ser transformada em projeto de conversão da medida provisória em lei, que será encaminhado para apreciação da CCJ. Com parecer favorável da CCJ, o projeto de conversão segue para votação em Plenário. Se aprovado, será transformado em lei.

 

ASSUNTO: Atividade delegada

VEÍCULO: Notícias do Dia

São José: Projeto prevê PMs e agentes da Civil em serviços atribuídos ao município

Um projeto de lei da Prefeitura de São José encaminhado à Câmara Municipal em 10 de março começa a gerar polêmica no Legislativo e coloca em discussão a segurança no município. Se aprovada, a proposta autoriza a realização de um convênio entre o município e o Estado para que policiais civis e militares possam cuidar do patrimônio público e serviços de fiscalização de ambulantes, bares, comércios, preservação e proibição de construção em áreas verdes e diversos serviços de competência do município.

A chamada atividade delegada é um modelo novo em Santa Catarina, mas, segundo a prefeitura, já implantado em São Paulo. A ideia, conforme a secretária de Segurança de São José, Andréa Pacheco, é aumentar a segurança na cidade sem prejudicar ou diminuir o efetivo atual. Para isso, o policial passa a receber em seu horário de folga, uma gratificação no valor de R$ 100 para cada quatro horas trabalhadas.

“É um estímulo para o policial e é também uma forma de aumentar a segurança no município, já que ao mesmo tempo em que realiza estas atividades, ele pode cuidar da segurança”, defende Andréa. No entanto, para o vereador Amauri dos Projetos (PMDB), a proposta interfere na atividade dos guardas municipais. “A Guarda Municipal foi criada com esse intuito, não faz sentido retirar efetivos das ruas para realizar estas atividades”, argumenta. Outra questão levantada pelo parlamentar é que a lei não estipula limite de cargas de horários para estes policiais.

Apenas a justificativa do projeto, que sugere uma cota mensal de quatro horas de trabalho por dia, por no máximo quatro vezes ao mês. Mas, se for aprovado e não estiver explícito na lei, poderia dar margem para outras interpretações.

Dúvidas sobre a legalidade da proposta

De acordo com a assessoria de imprensa da SSP (Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina), projeto de lei do Executivo municipal não chegou ao conhecimento da pasta. O órgão ainda afirma que é preciso estudar se a atividade delegada é permitida por lei, já que a função dos policiais é atuar apenas na área de segurança pública.

Embora seja a favor do projeto, e acredite que a iniciativa deva constribuir com o município, o presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, Orvino Coelho Ávila (PSD ), ainda confere a legalidade do projeto encaminhado pela prefeita e correligionária, Adeliana Dal Pont.

“O objetivo é somar em áreas críticas. Por mais que tenhamos a Guarda Municipal, hoje ela não tem contingente para atender a população. Mas estamos avaliando todos detalhes para ver a questão legal”, disse o vereador. De acordo com Ávila, o Legislativo fez uma solicitação à prefeitura para que seja encaminhado à Câmara Municipal uma cópia do convênio e o parecer jurídico da Procuradoria Municipal.

 

ASSUNTO: Homenagem ao Comandante Geral PM

ASSUNTO: Portal da PMSC

Reconhecimento: coronel Nazareno é homenageado na solenidade especial de aniversário de Florianópolis

No último domingo (23), data em que Florianópolis comemorou seus 288 anos de criação, a Câmara Municipal de Florianópolis realizou, às 19h, uma Sessão Especial para homenagear pessoas e entidades que tem sido motivos de orgulho para a cidade. A solenidade ocorreu no Plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) e contou com a presença de diversas autoridades.

Dentre os 25 homenageados com a Medalha de Mérito do Município estavam o comandante-geral da PM, coronel Nazareno Marcineiro, o comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Florianópolis, tenente-coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior e o comandante do Grupamento de Choque, tenente-coronel Renato Cruz Júnior.
“É um importante reconhecimento pelo trabalho que vem sendo realizado pela Polícia Militar, na cidade de Florianópolis, servindo de motivação para a continuidade das ações de Comando que vem sendo implementadas”, destacou coronel Nazareno.

A solenidade também marcou a entrega da Medalha Francisco Dias Velho – para cidadãos que contribuíram notavelmente à comunidade, Estado e País, nas artes, letras e ciências, quer nas armas com defesa da Pátria, ou ainda na política em prol do seu patrimônio jurídico, econômico e social – e da entrega do título de Cidadão Honorário para pessoas ou entidades, não florianopolitanos que, reconhecidamente, tenham prestado serviços relevantes ao Município, Estado, União ou à humanidade.

 

ASSUNTO: Viaturas para Bombeiros

VEÍCULO: Portal do CBMSC

GOVERNADOR ENTREGA 36 NOVAS VIATURAS DO PACTO POR SANTA CATARINA AO CBMSC

     

 

O governador Raimundo Colombo entregou nesta segunda-feira (24/03), em solenidade realizada no Centro de Ensino Bombeiro Militar (CEBM) em Florianópolis, 36 novas viaturas adquiridas à Corporação por meio do programa Pacto por Santa Catarina.

São seis novos caminhões de combate a incêndio, quatro caminhonetes 4×4 e 26 viaturas administrativas para os serviços técnicos distribuídos para quartéis de todas as regiões do Estado. O repasse das chaves dos veículos aos comandantes das unidades beneficiadas ocorreu durante a cerimônia, que contou ainda com a presença do Secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, entre outras autoridades militares e civis.

 Os investimentos nas novas viaturas somam R$ 4,8 milhões, e integram o pacote histórico de investimentos (mais de R$ 32,5 milhões) feito pelo Governo do Estado na Corporação ainda em 2013. Com a cerimônia, foram entregues 53 novos veículos especializados – do total de 133 previstos para serem incorporados até o final do ano.

“É um trabalho de risco tão bem feito que hoje (os bombeiros) gozam de alta credibilidade perante a sociedade. Quando nós, como agentes públicos, conseguimos reconhecer este mérito proporcionando melhores condições de trabalho só temos o que comemorar”, disse o governador durante a solenidade, destacando a “boa vontade” e a capacidade de diálogo do Comandante-Geral da Corporação, Coronel BM Marcos de Oliveira, na condução dos processos de gestão do Corpo de Bombeiros Militar.

Mais investimentos

“É uma aquisição de viaturas especializadas significativa para todo o Estado. Mais uma ação de governo para melhorar a qualidade de vida dos catarinenses na área da Segurança Pública”, ressaltou o Secretário de Estado da Segurança Pública, César Grubba. Desde 2012 foram entregues mais de 2,5 mil viaturas para as instituições de Segurança Pública no Estado, sendo que todos os 295 municípios foram contemplados com a ampliação da frota.

Em seu pronunciamento, o Secretário ressaltou a destinação de importantes recursos ao CBMSC provenientes do Pacto por Santa Catarina, que proporcionaram a maior compra de novas viaturas e equipamentos das últimas três décadas. Agora, as atenções da Secretaria de Segurança Pública (SSP) se voltam para os processos licitatórios em curso para a aquisição de kits de proteção individual para os bombeiros militares catarinenses.

“Precisamos dizer que o governo está dando a resposta que a sociedade espera, proporcionando a chegada de mais equipamentos para que as instituições de Segurança possam executar um melhor trabalho”, finalizou Grubba, após citar os recentes investimentos na compra de materiais de Salvamento Aquático para emprego nas próximas Operações Veraneio – mais de R$ 11 milhões – e as melhorias salariais concedidas nos últimos meses aos servidores da pasta e aos guarda-vidas civis.

Relação das viaturas e cidades contempladas

– Auto Resgate (AR): Florianópolis, Palhoça e Araquari

– Auto Bomba Tanque e Resgate (ABTR): Campos Novos, Porto Belo, Araquari, Sombrio, Videira, Ituporanga

– Auto Atividade Técnica (AAT): Caçador, Santa Cecília, Tangará e Lebom Régis, Guabiruba, Forquilhinha, Morro da Fumaça, Bom Retiro, São Joaquim, Presidente Getúlio, Campo Erê, Palmitos, São Carlos, Modelo, São Francisco do Sul, Capivari de Baixo, São Ludgero, Mafra, Papanduva, Três Barras, Canoinhas, Santo Amaro da Imperatriz, Iporã do Oeste, São José do Cedro, São Miguel D’Oeste e Tijucas

 

ASSUNTO: Exército no RJ

VEÍCULO: Portal Globo.com

Ocupação da Maré será feita em abril e contará com 4 mil homens

Considerado uma área estratégica, complexo de favelas será tomado pelo Exército entre os dias 7 e 10 do mês que vem

A ocupação pelo Exército do Complexo da Maré, na Zona Norte, considerado uma área estratégica por ficar entre as principais vias expressas da cidade, já tem data: de 7 a 10 de abril. Em reunião realizada nesta segunda-feira no Comando Militar do Leste (CML), ficou definido que pelo menos quatro mil homens — mais que os 2.700 usados no Alemão — serão necessários para a ação, que vai contar ainda com o apoio do Batalhão de Operações Especiais (Bope), sob o comando do Exército, amparados pelo manual de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), atualizado no fim do ano passado. Por meio desse instrumento, o Exército ganha poder de polícia para patrulhar, efetuar prisões e revistar casas — com mandado de busca e apreensão, neste último caso. Durante a atuação da Força de Pacificação, feita por militares nos complexos do Alemão e da Penha em 2010, a Justiça expediu um mandado coletivo.

O anúncio oficial de que o Exército iria atuar na Maré foi feito na manhã desta segunda-feira pelo secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, após reunião entre o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o governador Sérgio Cabral e a cúpula da segurança das esferas federal e estadual. Os detalhes do planejamento ficaram com os setores de inteligência da Secretaria de Segurança, das polícias Civil e Militar e do comando do Exército. Segundo uma fonte presente ao encontro, será seguida a estratégia adotada nas ocupações do Alemão e da Penha: dividir a região em várias áreas de atuação, para depois atribuir responsabilidades. Com isso, o Bope também terá um setor do qual cuidar. Como o efetivo terá que ser grande, além da Brigada Paraquedista — de emprego estratégico —, serão arregimentados militares de outros estados. Outro ponto discutido foi o desgaste da tropa, que também será empregada no policiamento durante a Copa nos locais onde ficarão as autoridades, bem como nas eleições.

Beltrame explicou que a Polícia Federal vai ajudar com o serviço de Inteligência, enquanto a Polícia Rodoviária Federal vai auxiliar no cerco aos acessos, nos mesmos moldes da ocupação do Alemão. Segundo ele, a ocupação servirá de preparação para instalar uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), com cerca de 1.500 homens:

— Nós não estamos pensando na Copa do Mundo, estamos pensando no cidadão brasileiro. Nós estamos pensando nos policiais que estão morrendo covardemente em função do tráfico, que está perdendo força. A prova de que nossa política está certa é essa. Eles estão, de maneira covarde, procurando fazer com que esse programa não siga em frente. Vamos mostrar a eles que o Estado tem mais força.

Homens do Grupamento Aeromóvel, da PM, vão patrulhar trechos do Canal do Cunha e da Baía de Guanabara, ao longo das favelas da Maré. Segundo um militar que participou da reunião, a maior dificuldade da ocupação será lidar com as duas facções rivais e a milícia que dominam o complexo.

‘Vão permanecer o tempo necessário’

De acordo com Cabral, o efetivo a ser empregado nas comunidades ainda não foi definido, mas a ocupação será por prazo indeterminado.

— Solicitamos a GLO para o Complexo da Maré. A decisão está tomada. É um avanço na segurança pública, uma garantia no ir e vir, pois é uma área localizada entre as linhas Amarela e Vermelha, a Avenida Brasil e as futuras instalações da Transcarioca. A diferença para o que aconteceu no Complexo do Alemão é que essas comunidades não faziam parte das ações de pacificação em 2011. Agora é diferente, o Complexo da Maré está nas ações de pacificação para o segundo semestre deste ano: primeiro com as Forças Federais, depois com a Polícia Pacificadora — disse o governador.

Segundo o ministro Cardozo, não há prazo definido para a permanência das tropas no Rio. Ele acrescentou que serão utilizados homens da Polícia Rodoviária Federal, da Força Nacional e das Forças Armadas.

— Eles vão permanecer o tempo necessário. O que eu posso dizer é que essa é uma ação definitiva — disse Cardozo. — O legado da Copa será de colaboração entre os entes federativos. Juntos, somos mais fortes. Diferenças políticas ficam de lado quando há necessidade da população.

Ele ressaltou que as Forças Armadas só podem exercer atividades de segurança pública, segundo a Constituição, em dois momentos: em região de fronteira e quando for necessária a GLO. Neste caso, é preciso haver solicitação do governo do estado e autorização da Presidência.

— A primeira etapa é a ocupação do espaço territorial, para criar o terreno para a pacificação. A presença do Estado no Complexo da Maré veio para não mais terminar — disse Cardozo, assegurando que a ação não vai atrapalhar o planejamento de segurança para a Copa. — Nós temos um plano para a Copa do Mundo muito bem desenvolvido. Podem ter certeza de que o Brasil está muito bem capacitado para receber os turistas.