Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 24 de junho

24.6.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 24.06.2014

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Ponto de vista

Delegado de Polícia questiona a denominação de elite da Polícia Civil atribuída à Deic. Para ele, a diretoria, assim como Cope, DIC, e o serviço aéreo nada mais são do que unidades especializadas que possuem a possibilidade de uma atuação diferenciada. Mas a verdadeira elite da PC, defende o policial, são os seus colegas que trabalham em delegacias sem nenhuma estrutura, com apenas um agente por plantão e milhares de inquéritos para resolver.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

Policiais

O presidente do Sinpol, Anderson Amorim, foi eleito vice-presidente da Confederação Brasileira dos Policiais Civis. Santa Catarina conquistou outros dois cargos na direção da entidade: Rosemeri Matos como diretora legislativa e Carlos Cesar Wagner integrando o Conselho Fiscal.

 

ASSUNTO: Sistema prisional

VEÍCULO: Diário Catarinense

CELULAR NAS CELAS: Selfie de presos chega à polícia por Whatsapp

Juiz da Vara de Execuções Penais, João Marcos Buch, vai pedir explicações à direção da unidade sobre a imagem

O juiz titular da Vara de Execuções Penais, João Marcos Buch, vai pedir explicações à direção do Presídio Regional de Joinville sobre uma selfie (autorretrato) feito por presos da unidade.
A imagem compartilhada por meio do aplicativo de mensagens gratuitas para celular WhatsApp no fim de semana chegou a um policial que a levou ao conhecimento do magistrado.
– Reconheci detentos ali que são ou foram presos do Presídio Regional de Joinville. Vou entrar em contato com o gerente prisional para saber o que ocorreu e acompanhar essa situação – afirmou Buch.
Na foto, sete detentos, entre eles quatro vestindo o uniforme laranja (característico do sistema prisional catarinense) posam em uma cela sorrindo e fazendo gestos pacíficos, como o “V” de paz e amor.
Nos fundos da imagem, é possível ver as grades e o que parece ser uma televisão, que é permitida aos presos. Nas laterais, há varais improvisados pelos detentos para secar roupas.
– A foto é até ingênua, demonstrando a juventude dos detentos, que, assim como os jovens que estão aqui fora, querem aparecer em selfies nas redes sociais. Porém, dependendo das mãos em que caia um celular pode ser usado para outros fins – observou o juiz.
Para impedir a entrada de celulares, drogas e de outros objetos que possam comprometer a segurança, o presídio dispõe de scanner corporal e detector de metais, aos quais todos os visitantes são submetidos antes de entrar na unidade. O vazamento da imagem comprova que os aparelhos não estão sendo suficientes para conseguir inibir a entrada dos aparelhos.
– Os agentes em geral que trabalham ali tem a minha inteira confiança, mas o sistema sempre tem o que melhorar – disse o juiz.

Dois celulares são encontrados

O diretor do Presídio Regional de Joinville, Cristiano Teixeira, inicialmente confirmou a possibilidade de a foto ter sido feita na unidade prisional.
– Aparentemente, pelas características do ambiente, é provável que seja no pavilhão 4 ou 5 – avaliou.
Segundo Cristiano, que disse desconhecer o fato antes de ser procurado pela reportagem, a foto foi enviada ainda na tarde de domingo à equipe de plantão no presídio para que fossem feitas buscas.
Durante o pente-fino, foram encontrados dois celulares, mas, de acordo com o diretor, em nenhum havia a foto do selfie.
– Caso os presos sejam identificados, será aberto um incidente disciplinar para apurar os fatos – disse.
Para o diretor, a única e melhor solução para evitar a entrada de celulares na unidade é a instalação do bloqueador dos aparelhos.
– Apesar de melhorarmos as vistorias e diminuirmos os acessos de entrada, a infraestrutura do presídio ainda permite pontos vulneráveis. Também, como em qualquer segmento, estamos sujeitos a possíveis facilitações – afirmou Cristiano.
No entanto, mais tarde, ainda no domingo, o diretor alterou o discurso e considerou a possibilidade de a foto não ter sido tirada na unidade.
– Não identificamos o local nem os internos. A foto pode ser antiga ou em outro local, já que a estrutura, que pouco aparece, tem as mesmas características de outras unidades. Difícil identificar onde seria – disse.

Presídios seguem sem bloqueador

A demora na instalação de um bloqueador de sinal de celular no presídio, que se arrasta por mais de quatro meses, facilita a entrada e o uso dos aparelhos pelos presos de Santa Catarina.
A Secretaria do Estado da Justiça e Cidadania suspendeu temporariamente o contrato que previa a instalação do equipamento no Presídio Regional de Joinville e em outras três unidades prisionais catarinenses. A decisão foi tomada após pedidos de informações feitos pelo Ministério Público.
O promotor Aor Steffens Miranda instaurou um inquérito civil público para investigar se houve irregularidades na licitação que teve como vencedora uma empresa mineira, com sede em Belo Horizonte. A empresa mineira já havia vencido uma licitação anterior, voltada à locação de aparelhos para Joinville e Florianópolis, sem continuidade após um ano e meio de operações porque o Estado considerou o serviço falho.
Miranda afirmou que há indícios de direcionamento na concorrência do equipamento. A suspeita parte do fato de as especificações técnicas contidas no edital serem idênticas às especificações de aparelhos pertencentes à empresa vencedora.

 

ASSUNTO: RONDA

VEÍCULO: Diário Catarinense

Feriado registrou 16 mortes nas estradas

O feriadão de Corpus Christi foi marcado por acidentes graves em Santa Catarina. Ao total, 16 pessoas morreram entre a madrugada de quinta-feira e a manhã de ontem nas rodovias catarinenses, onze delas em vias federais e cinco em estaduais. De acordo com informações da Polícia Militar Rodoviária, até as 10h30min, 120 acidentes deixaram 64 vítimas nas rodovias estaduais, das quais cinco pessoas morreram. O balanço da Polícia Rodoviária Federal aponta para 214 acidentes com 129 vítimas.

Polícia investiga caixa eletrônico falso

Uma frente falsa foi instalada em um caixa eletrônico dentro de um supermercado no Centro de Criciúma, no Sul do Estado. O equipamento capturava informação dos usuários e possuía inclusive entrada para o cartão. O sistema instalado por volta das 22h de sexta-feira, conforme mostram imagens das câmeras do estabelecimento, funcionava de modo idêntico ao do Banco do Brasil, mas não permitia que os clientes sacassem dinheiro. O caso é investigado pela Polícia Civil de Criciúma.

 

ASSUNTO: Troca de Comando

VEÍCULO: Portal da PMSC

6ª RPM: Coronel Ed’Oner Paes Sá passa o comando regional ao tenente-coronel Lênio Espindola

Na manhã da última quarta-feira, dia 18 de junho, o coronel Ed’Oner Paes Sá passou o comando da 6ª Região de Polícia Militar (RPM), sediada em Criciúma, para o tenente-coronel Lênio Espindola.
A solenidade de Passagem de Comando contou com a presença do comandante-geral da PMSC, coronel Valdemir Cabral, comandantes de unidades, autoridades e familiares, que abrilhantaram a cerimônia.

A solenidade contou, também, com o ato de entrega de uma homenagem ao comandante substituído, coronel Ed’Oner Paes Sá, pelo secretário de coordenação da Prefeitura Municipal de Criciúma.

Após receber a homenagem, o coronel Ed’Oner Paes Sá passou o comando, formalmente, ao tenente-coronel Lênio.

Uma singela homenagem às esposas dos comandantes que deixou e assumiu o comando foi realizada com a entrega de um buquê de flores pela esposa do comandante-geral, Procuradora de Justiça Heloísa Crescenti Abdalla Freire.

Coronel Ed’Oner fez uso da palavra, agradecendo os serviços prestados por toda sua equipe de trabalho.

O comandante-geral da PMSC, coronel Valdemir Cabral, falou do trabalho realizado pelo coronel Ed´Oner e manifestou votos de sucesso ao novo comandante.

Ao final, coronel Ed’Oner e tenente-coronel Lênio passam revista a tropa, e o grupamento formado desfilou, dando encerramento a solenidade.

 

ASSUNTO: Viagens do Comandante-Geral

VEÍCULO: Portal do CBMSC

COMANDANTE-GERAL VISITA 2º E 5º BATALHÕES DE BOMBEIRO MILITAR, NA SERRA

     

O Comandante-Geral do CBMSC, Coronel BM Marcos de Oliveira, iniciou na quarta-feira (18/06) mais um ciclo de visitas aos Batalhões de Bombeiro Militar espalhados pelo Estado. A finalidade é, novamente, estreitar o contato e aprimorar a comunicação entre o Comando e os Elementos Subordinados, dando maior transparência aos assuntos relacionados à gestão do CBMSC.

A série de encontros foi iniciada com a ida ao quartel-sede do 2º Batalhão de Bombeiros Militar em Curitibanos, onde após a recepção do Comandante Interino da unidade, Major BM Ariovaldo da Silva, houve a reunião com o efetivo local.

No mesmo dia, o Comandante-Geral esteve em Lages, onde reuniu-se com os militares da cidade sede do 5º Batalhão de Bombeiros Militar, sob o comando do Tenente-Coronel BM Aldo José Franz. Prestigiou a visita o Comandante Regional do Interior, Coronel BM Egon Carlos Heizen.

Em ambas as conversas com o efetivo foram abordados temas diversos, entre eles a projeção de investimentos na Corporação, a implementação da nova política salarial, escalas de serviço, a efetivação do poder de polícia administrativa, dentre outros.

Esta é a terceira série de visitas do Comandante-Geral aos Batalhões de Bombeiros Militar (BBM) desde a assunção do comando há 20 meses. Nos próximos dias Coronel BM Oliveira visitará as OBM sede do 4º (Criciúma) e 8º BBM (Tubarão).

Momentos antes da passagem de comando, o comandante-geral da PM, coronel Valdemir Cabral, junto aos comandantes substituto e substituído, participou da coletiva de imprensa, respondendo os questionamentos dos jornalistas da região.

 

ASSUNTO: Polícia Civil

VEÍCULO: Portal da SSP

Obras de construção da nova sede da DEIC devem iniciar ainda neste semestre

 

 

 

 

O primeiro passo para o início das obras de construção de uma sede própria para a Deic – Diretoria Estadual de Investigações Criminais- foi dado na tarde de hoje, 23, com a assinatura da ordem de serviços, pelo governador Raimundo Colombo, pelo secretário da Segurança Pública, Cesar Augusto Grubba, e pelo delegado-geral de Polícia Civil, Aldo Pinheiro D´Ávila. A previsão é para as obras iniciarem dentro de algumas semanas.

A nova sede, além de contribuir para a economia dos cofres públicos já que a sede atual, no bairro Estreito, é alugada, também terá o dobro de área, com espaço para estande de tiro, alojamentos, auditório, academia para aulas de defesa pessoal e carceragem adequada. Atualmente, a Deic está instalada num prédio de cerca de 2 mil m² de área construída. Depois de terminado, o prédio de quatro pavimentos e de dois blocos, terá 4.607 m², no total. A obra está orçada em cerca de R$ 5,4 milhões, com recursos do Pacto por Santa Catarina.

O terreno onde será implantada a obra, junto ao Complexo Administrativo da SSP, no bairro Barreiros, em São José, passou por um processo de revitalização e por uma política contínua de desocupação. Os veículos, frutos de apreensões nas inúmeras delegacias da Grande Florianópolis, eram depositados no terreno anexo ao local. Nos últimos 4 anos, quase 800 veículos ocupavam o local. Através de leilões e serviços de prensamento e reciclagem, efetuados por empresa licitada, foi possível dar destino legal a cerca de 30 mil toneladas de material inservível ao Estado e desocupar a área, cedendo espaço para o canteiro de obras.

Em seu discurso Grubba destacou que, “é um momento histórica para Polícia Civil de SC. A obra vai abrangir mais que o dobro da atual sede, que é alugada. Vai permitir mais qualidade nos serviços.”

Atualmente, a Deic concentra os principais casos investigatórios do Estado, atuando em parceria com todas as demais delegacias de Santa Catarina. Reúne as divisões para investigações de furtos e roubos de veículos, anti-seqüestro, apuração de estelionatos e defraudações, repressão ao crime organizado e repressão a entorpecentes.

Também participaram da solenidade o secretário-adjunto Cel. PMRR Fernando Rodrigues de Menezes; Comandante Geral da Polícia Militar, Cel.PM Valdemir Cabral; Comandante Geral do Corpo de Bombeiros, Cel.BM Marcos de Oliveira ;Delegado Geral Adjunto da Polícia Civil, Valério Alves de Brito; diretor de Polícia da Grande Florianópolis, delegado Juarez de Souza Medeiros;diretor da Deic, delegado Laurito Akira Sato e demais autoridades.

 

ASSUNTO: COPA DO MUNDO

VEÍCULO: Portal Globo.com

Protesto contra Copa termina com detidos na Avenida Paulista

Manifestantes dizem que policial atirou para o alto durante prisão de jovem.

Cerca de 200 manifestantes fizeram passeata; não houve depredações.

Um homem ainda não identificado pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) acompanhou com arma para o alto a prisão de um manifestante nesta segunda-feira (23) na  Avenida Paulista. A forte presença policial marcou o 11º ato contra a Copa em São Paulo. Três pessoas foram presas no ato, entre elas o manifestante Rafael Marques Lusvarghi, de 29 anos que, em protesto em 12 de julho, recebeu um jato de spray de pimenta nos olhos.

De acordo com manifestantes, o homem de camisa preta que segura a arma chegou a fazer três disparos para afastar pessoas que criticavam a prisão. De acordo com reportagem a GloboNews, no momento da prisão foi ouvido um estampido. Não é possível determinar qual o tipo de munição usado. Ativistas afirmam que não havia motivo para a detenção do manifestante.
Em nota, a Polícia Civil de São Paulo diz que “vai apurar as circunstâncias do episódio, para checar se o homem é um policial e se, de fato, houve disparos”.
A PM não divulgou o total de agentes deslocados para fazer a segurança do ato. No começo do protesto, a PM chegou a informar que havia 200 manifestantes. Até 20h30, não foi divulgado novo balanço dos participantes do ato.

Apesar da grande efetivo policial destacado para acompanhar o protesto, o tenente coronel José Eduardo Bexiga, comandante da operação, disse que não sabia sobre os disparos e que  tampouco havia sido informado sobre os disparos efetuados por um suposto policial civil. “Pergunta para a Polícia Civil”, limitou-se a responder, aos ser questionado sobre o incidente.

Protesto sem vandalismo
O grupo começou a se concentrar por volta das 15h na Praça do Ciclista. Ao contrário da ação durante protesto convocado na quinta-feira (19) pelo Movimento Passe Livre (MPL), a Polícia Militar acompanhou de perto o protesto. Policiais da Tropa de Choque utilizaram o kit de proteção apelidada de “Robocop”. Desde o início do ato, os policiais cercaram o grupo antes do começo da caminhada.

Ainda perto da Praça do Ciclista, a PM realizou a primeira prisão. Segundo a corporação, um manifestante foi flagrado com pequena porção de maconha na Rua da Consolação com a Rua Vinícius de Moraes. O jovem foi levado para uma delegacia da região.

A segunda detenção ocorreu perto da Estação Consolação do Metrô. Não houve confronto e o motivo da prisão não foi divulgada. Na mesma região, ainda entre as ruas Augusta e Haddock Lobo, o manifestante Rafael Marques Lusvarghi foi levado por policiais. Ele saiu em um carro sem a inscrição da polícia. De acordo com testemunhas, a prisão teria sido feita pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

O grupo de manifestantes começou a caminhar em direção à região do Paraíso pouco depois do início do jogo do Brasil com Camarões, por volta das 17h. No caminho, o grupo foi vaiado por moradores de prédios da Avenida Paulista.

Milícia e dano
Antes do ato, a Polícia Civil informou ao G1 ter identificado dois black blocs e 22 líderes do Movimento Passe Livre (MPL) como suspeitos de participarem de depredações em duas manifestações neste mês na capital paulista. Os investigados podem ser presos temporariamente pelo crime de “constituição de milícia privada”, de acordo com o delegado-geral Luiz Maurício Souza Blazeck.
Na tarde desta segunda-feira (23), eles serão convocados a depor no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), na Zona Norte da capital paulista. “São dois black blocs e 22 líderes do MPL investigados por participação nas depredações ocorridas em protestos agora em junho”, disse o delegado-geral ao G1.