Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 23 de janeiro

23.1.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 23 DE JANEIRO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Tiros virtuais

A polícia catarinense passará a treinar tiros dentro de um caminhão (foto acima). É isso mesmo. A Secretaria de Segurança Pública adquiriu um simulador virtual de tiro móvel para defesa, táticas policiais, sobrevivência e direitos humanos. Seria o primeiro equipamento do tipo no país que possibilita treinamento simultâneo de até 12 atiradores. O equipamento ao todo custou R$ 1,2 milhão e promete trazer redução de custos e preservação ambiental.

A propósito

Quando é que a polícia irá investigar e prender as pessoas que estão por trás das redes de prostituição – principalmente as de luxo – que envolvem tráfico de drogas e cafetinagem?

 

COLUNISTA HÉLIO COSTA – Notícias do Dia

Integração policial

O comandante do 21º BPM do Norte da Ilha, Sílvio Gomes Ribeiro, está trabalhando em perfeita integração com policiais civis da região, como dever ser. Somente nesta semana, o oficial tirou de circulação os assaltantes que estavam roubando turistas. Também encurtou o caminho de um ladrão estrangeiro. Todos os detidos são encaminhados, imediatamente, para a 7ª DP, numa exemplar sintonia com os policiais civis. Os delegados Fabrício Mann Dias e Ilson da Silva reconhecem o excelente trabalho dos policiais que estão sob o comando do oficial. “Estão ocorrendo muito roubos e furtos nesta temporada, mas, em compensação, também estão acontecendo várias prisões”, lembrou o delegado Ilson, enquanto autuava em flagrante o uruguaio Jony Daniel Sosa Giraldez, que saiu no mês passado da cadeia e no período em que ficou na rua praticou inúmeros furtos. O gringo e o comparsa, Roberto Chaves Pereira Júnior, rodaram numa barreira policial do 21º BPM na SC-401.

 

ASSUNTO: Segurança no mar

VEÍCULO: Diário Catarinense

PASSEIO DE ESCUNA: Dez pontos a favor, um descuido

O DC testou se as medidas de segurança são cumpridas em um serviço de escuna de Florianópolis. Esta reportagem integra a série que irá avaliar outras atividades aquáticas de lazer no litoral de SC.
A reportagem escolheu aleatoriamente a empresa Pirata da Ilha, de Canasvieiras, em Florianópolis para o teste de escuna. O passeio ocorreu na manhã de segunda-feira. Às 10h, no embarque, um funcionário coletou os bilhetes, mas a reportagem passou sem apresentar o ingresso. No bilhete havia campos para registrar o nome e telefones de contato.
Chefe do Departamento de Segurança do Tráfego Aquaviário da Capitania dos Portos de SC, Juarez Melo afirma que esta falha é grave porque sem os dados não se sabe quem são os passageiros que podem estar perdidos ou à espera de resgate em acidentes. Além disso, não há controle de quem estava na embarcação.
As demais normas foram cumpridas. O passeio começou com explicação do uso do colete salva-vidas. Depois, em uma parada no mar, atiraram-se na água 32 passageiros, 12 deles abraçados a boias. Um turista se afastou do barco e foi advertido. Outro lançou ao mar uma garrafa plástica e o comandante lhe chamou a atenção.
No passeio, ocorreu uma visitação à Fortaleza da Ilha de Anhatomirim, local onde no dia 9 uma criança de nove anos caiu da altura de três metros. Um guia da escuna acompanhou o grupo, mas não deu conta de todos.

SC registra seis acidentes com escunas desde 2011

A Capitania dos Portos registrou desde 2011 seis acidentes com escunas no Litoral de SC. Foram quatro em Florianópolis, um em Itajaí e um em São Francisco do Sul. As colisões ocorreram entre embarcações ou contra pedras, queda de mastro, água no casco e um deles envolveu um mergulhador. Em nenhum caso houve mortes. Dos seis, o mais grave foi registrado na Capital em dezembro de 2011, quando o mastro da embarcação se quebrou ao bater na Ponte Colombo Salles e fragmentos atingiram a cabeça de uma turista. O mais recente aconteceu no dia 10, na Ponta da Daniela, Norte da Ilha. Foram resgatados 71 passageiros porque a água entrou na escuna Sonhador.
Engenheiro naval que colabora com vistorias e laudos para a Capitania, Jean Shinzato afirma que o principal erro cometido pelas escunas é extrapolar a lotação máxima, além da falta de comunicação clara dos itens e ações de emergência e falta de inspeção nas válvulas que retiram a água do casco e impedem alagamentos.

O que dizem

CAPITANIA DOS PORTOS

A empresa que mantém o barco Pirata da Ilha havia sido notificada e multada semana passada por não regularizar itens de sinalização obrigatórios. Ontem, nova vistoria foi feita. Coletes salva-vidas e extintores de incêndio estavam em ordem.

PIRATA DA ILHA

Sócia-proprietária, Lidiane Bonini afirma que cuidados são tomados ao vender o ingresso e e permitir o acesso à escuna, tanto na coleta de dados pessoais, quanto para impedir a entrada de pessoas não autorizadas. Ela diz que pode ter ocorrido um descuido no dia do teste.

 

 

Dicas de segurança

– Só embarque ou desembarque ao ter certeza de que a escuna está atracada

– Se o barco estiver em movimento, mantenha as crianças por perto e sentadas em lugar seguro

– Se tiver enjoo ou labirintite, procure ficar mais próximo à traseira do barco, onde a oscilação é menor. E não viaje de estômago vazio, nem exagere na comida

– Nunca pule na água com o barco em movimento ou com os motores ligados

– Não nade próximo às hélices nem do casco

 

ASSUNTO: Incêndios na Ilha

VEÍCULO: Diário Catarinense

INCÊNDIO DUVIDOSO: “Tudo aponta para ação humana”, avalia perito

Fogo atingiu quase 800 mil metros quadrados em áreas de conservação de Florianópolis

Os incêndios que atingiram 78 hectares em duas áreas de conservação ambiental em Florianópolis na terça-feira e na madrugada de ontem foram provocados. É o que aponta a primeira análise do Corpo de Bombeiros após perícia feita ontem à tarde. Os especialistas sobrevoaram as duas áreas e estudaram por terra a mata queimada. Embora continuem observando o cenário com atenção, a possibilidade de incêndio natural já foi descartada.
As áreas queimadas equivalem a cerca de 40 campos de futebol na Praia da Joaquina e no Campeche, e mais 31 no Pântano do Sul, próximo a um loteamento. Os bombeiros não sabem precisar o momento em que os incêndios começaram, mas moradores dos bairros atingidos alertaram a corporação por volta de 11h. A perícia iniciada ontem busca descobrir as causas do fogo e o trabalho pode levar de dois dias a uma semana.
Segundo o coronel Vanderlino Vidal, um dos peritos envolvidos, vários fatores eliminam a possibilidade de incêndios naturais: como o fogo começou longe de residências, é improvável que tenha sido causado por uma bituca de cigarro acesa ou queima de lixo, por exemplo.
Nenhuma rua passa pela região, o que também exclui a chance de um carro com problemas mecânicos ser o culpado. Além disso, a Epagri comprovou que não houve queda de raios nas duas regiões na terça-feira.
– Tudo leva a crer que houve ação humana nos dois pontos. Não há indícios de que o fogo tenha começado acidentalmente – explica Vidal.
O coronel ainda explica que, na Joaquina, o provável ponto onde o fogo começou fica próximo a uma trilha pela mata nativa. Já no Pântano do Sul, é uma área de pouca circulação de pessoas, perto de um caminho usado por criadores de gado próximo à rodovia SC-406.– Se for comprovado que houve um incêndio intencional, uma investigação criminal será aberta. Infelizmente, pelo que observamos, será muito difícil comprovar como começou – destaca o perito.
Os focos na Joaquina e no Campeche foram controlados já na tarde de terça-feira. No Pântano do Sul, o fogo se extinguiu naturalmente na madrugada de ontem.
Áreas afetadas

JOAQUINA E CAMPECHE

– Área atingida: 40,2 hectares (402 mil m²)

– 26 lançamentos de 500 litros de água pelo Arcanjo 01

– Começou por volta das 11h e foi extinto durante a tarde de terça-feira

PÂNTANO DO SUL

– Área atingida: 38,1 hectares (381 mil m²)

– 25 lançamentos de 500 litros de água pelo Arcanjo 01

– Começou após as 11h e foi extinto durante a madrugada de quarta-feira

– 25 homens, ao todo, trabalharam no combate, já que não era possível chegar com caminhões nos locai

 

ASSUNTO: Rolezinhos

VEÍCULO: Diário Catarinense

Planalto discutirá ações com associação

O Palácio do Planalto agendou para a próxima quarta-feira, em Brasília, uma reunião com representantes da Alshop (Associação dos Lojistas de Shopping).
A ideia é fazer uma primeira discussão sobre os rolezinhos – encontros marcados pela internet que reúnem diversos jovens, pessoas principalmente em shoppings.
O governo federal, que não tinha se posicionado claramente a respeito do tema, deverá ouvir dos donos de lojas uma série de reivindicações que vão desde a intervenção direta da polícia para coibir os atos nos shoppings até o diálogo com os movimentos de jovens.
Na avaliação do Planalto, entretanto, qualquer intervenção federal imediata está descartada.
O jornal Folha de S. Paulo apurou que a presidente Dilma Rousseff, desde os protestos de rua no ano passado, tenta se aproximar do eleitorado jovem, é avessa a entrar na polêmica diretamente e dificilmente dará a resposta que os lojistas reivindicam.

 

ASSUNTO: Morte de bombeiro

VEÍCULO: Diário Catarinense

FISCALIZAÇÃO NO MAR: Burocracia atrasa agência

O acidente náutico que matou o bombeiro militar Tharllys Lourenço em Bombinhas, semana passada, reacendeu a discussão sobre a demanda de fiscalizações na Capitania dos Portos e o efetivo disponível. Mas a burocracia dificulta a instalação de uma nova agência.
No Litoral Norte, as ações são feitas por 20 pessoas em quatro equipes, que se desdobram para atender 183 municípios. Só de 14 de dezembro a 14 de janeiro 734 embarcações foram inspecionadas pela Delegacia da Capitania de Itajaí, em operação que poderia ser mais produtiva se a Marinha não enfrentasse uma adversária difícil de ser combatida: a burocracia.
Uma nova agência da Marinha em Águas de Chapecó, no Oeste catarinense, é vista como a principal solução. Vinte marinheiros passariam a atuar permanentemente na área, 10 deslocados de Itajaí (que seriam repostos em seguida) e 10 oriundos de outras regiões. O terreno para instalação da unidade foi cedido pela prefeitura há quase dois anos, mas a obra ainda está longe de começar. O edital para a licitação ainda está sendo concluído.– Não temos ainda a verba para construir. Tão logo a União libere, vamos dar sequência à instalação. Nosso planejamento é para que, em 2016 ou 2017, a agência esteja pronta – diz o comandante da Delegacia da Capitania de Itajaí, José Sávio Feres Rodrigues.
Hoje uma das quatro equipes de Itajaí se desloca uma ou duas vezes por mês ao Oeste, em uma viagem de quase 12 horas. Os outros três grupos se dividem na faixa litorânea, cobrindo de Barra Velha a Tijucas.

Identificado condutor de bote

O condutor do bote motorizado que se envolveu no acidente que matou Tharllys Lourenço foi identificado. Porém, a polícia não divulgou o nome. Ele será intimado a depor e, caso não se apresente, pode ter prisão preventiva decretada. O laudo do Instituto Geral de Perícias (IGP) chegou ontem à polícia, apontando a causa da morte do bombeiro como choque hipovolêmico (com perda de sangue e falência dos órgãos). O inquérito foi instaurado na Comarca de Porto Belo, mas a investigação foi encaminhada à delegacia de Bombinhas. Os parentes de Tharllys, que operam o ponto de banana boat na Praia de Mariscal, devem prestar depoimento hoje.

 

ASSUNTO: Sistema prisional

VEÍCULO: Diário Catarinense

COMPLEXO DA AGRONÔMICA: Preso foge escoltado por agente

Fuga na tarde de ontem exigiu reforço da segurança no entorno da penitenciária, em área central de Florianópolis

A sirine ecoou ontem à tarde no Complexo da Agronômica, em Florianópolis, dando alerta para a primeira fuga de 2014 na unidade. O aviso mobilizou rapidamente policiais militares e agentes penitenciários. Eram cerca de 15h30min quando o detento Dione da Silva Amancio, o Nano, 26 anos, aproveitou uma falha na segurança quando estava escoltado e escapou pelo mato na área central da cidade.
A oportunidade de não voltar para uma cela com sensação térmica de mais de 40 graus surgiu numa transferência interna no complexo, que tem sete unidades prisionais.
O percurso de quase 50 metros seria feito a pé, entre o Centro de Observação e Triagem (COT) e a ala de segurança máxima. O preso cumpria pena por tráfico de drogas em regime fechado.
Algemado com as mãos para a frente, Amancio foi escoltado por um agente penitenciário desarmado.
Os dois caminhavam na direção dos fundos do complexo. Não havia muro ou qualquer outro obstáculo.
No meio do caminho, o detento saiu correndo. O agente correu também, mas não conseguiu alcançá-lo.
Amancio disparou para dentro do mato, em direção ao Morro do Horácio. Equipes da polícia e do helicóptero Águia começaram as buscas na mata e ruas vizinhas. Uma barreira policial foi montada na esquina do complexo. Até as 20h de ontem, o foragido não havia sido recapturado.

 

ASSUNTO: Perseguição em Joinville

VEÍCULO: Diário Catarinense

Polícia persegue carro na área central

Os moradores da rua Ministro Calógeras, área central de Joinville, foram surpreendidos no início da madrugada de ontem por uma perseguição policial com troca de tiros.
Segundo a Polícia Militar, uma guarnição tentou abordar um Space Fox no bairro Profipo, zona Sul, ao suspeitar de venda de drogas. Próximo ao eixo Sul um dos três ocupantes do veículo efetuaram disparos contra a viatura, que revidou. Apesar dos policiais terem visto três pessoas dentro do carro, havia apenas um casal no veículo. A suspeita é de que o suspeito armado tenha pulado do no trajeto.

 

ASSUNTO: Armas apreendidas

VEÍCULO: Diário Catarinense

FUZIS E MUNIÇÕES

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) encontrou armamento pesado na madrugada de ontem no Bairro Tapera, em Florianópolis. A apreensão foi de um fuzil CZ calibre 5,56 mm, arma de uso restrito e de fabricação tcheca, utilizada por Forças Armadas internacionais. O uso do modelo não é comum aqui no Brasil. Também foram apreendidos carregadores de acrílico do fuzil, munições de diferentes calibres, três coletes balísticos, uma carabina Winchester .44 – arma americana –, e um revólver calibre 22.
Claudemir da Silva, conhecido como Geleia, foi preso em flagrante por porte ilegal de armas e encaminhado para a Central de Polícia de Florianópolis. O armamento apreendido foi embalado pela 1ª Delegacia da Capital e seguiu para investigações no Instituto Geral de Perícias.

 

ASSUNTO: Prisões do Maranhão

VEÍCULO: Diário Catarinense

COLAPSO NO MARANHÃO: Reforço avalia liberdade para presos

A Defensoria Pública do Maranhão vai receber um reforço de 34 profissionais de outros estados no mutirão carcerário que está sendo promovido pela Força Nacional organizada pelo Colégio Nacional de Defensores Públicos Gerais (Condege) para aliviar os problemas provocados pela superlotação no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís.
Hoje, 21 defensores públicos estaduais trabalham com promotores e juízes no levantamento de todos os processos. Nilton Arnecke Maria, presidente do Congede, disse que a governadora Roseana Sarney comprometeu-se a colaborar com a operação. São cerca de 2,7 mil processos.
O objetivo do reforço é acelerar a identificação dos presos que podem ganhar liberdade. É o caso dos que estão detidos temporariamente, além do tempo permitido por lei, dos que cumpriram a pena e ainda não foram libertados e daqueles que já têm direito à progressão de regime.

 

ASSUNTO: Atuação da Guarda Municipal

VEÍCULO: Notícias do Dia

Guarda atende a acidentes

A Guarda Municipal de São José começou, nesta semana, a auxiliar no atendimento a acidentes de trânsito sem vítimas, podendo fazer o boletim de ocorrência no local. São 80 agentes atuando nas ruas de São José, diariamente, possibilitando a liberação dos veículos da Polícia Militar para o trabalho ostensivo, aumentando a segurança.

Quando necessário, a população deve ligar para o número 153 ou para o telefone 3343-2924 para acionar a Guarda Municipal. Caso haja vítima, o contato continua sendo com a Polícia Militar, com a necessidade do boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia Civil.

Dados da Polícia Militar mostram que 90% das ocorrências diárias são relacionadas ao trânsito. Por isso a importância do apoio da Guarda Municipal, principalmente nas áreas de maior incidência, como nos bairros Campinas, Kobrasol e Barreiros.

Os agentes da Guarda foram capacitados pela PM e pela Fundação Municipal de Educação durante dois meses, tornando-os aptos a fazer boletins de ocorrência de acidentes de trânsito. O curso foi resultado de um convênio entre Prefeitura de São José e governo do Estado, como parte do Plano Integrado de Segurança Pública, lançado pela administração municipal. Os guardas municipais receberam o certificado de conclusão do curso em dezembro do ano passado.

 

ASSUNTO: Violência nos Estádios

VEÍCULO: Portal da PMSC

Polícia Militar encerra as atividades do Futebol Seguro

No final da tarde terça-feira (21), a Polícia Militar de Santa Catarina encerrou as atividades do seminário “Futebol Seguro”. O evento, que reuniu policiais militares das regiões que recebem competições futebolísticas e especialistas da área, teve o objetivo de discutir as atividades de competência da Polícia Militar nos eventos que serão realizados durante este ano. A solenidade de encerramento aconteceu na Assembléia Legislativa de Santa Catarina.

Ao fazer o uso da palavra, o de chefe de Estado Maior-Geral, coronel João Schorne de Amorim, que coordenou o evento, falou sobre a importância das discussões sobre as atividades de policiamento das praças desportivas, que devem obedecer a uma série de normas para que a Corporação atue de forma padronizada em todo o Estado. “Atualmente a segurança nos estádios é uma grande preocupações da sociedade catarinense, portanto cabe aos organismos de segurança a adoção de medidas destinadas a conter a violência e a criminalidade nesses eventos”, comentou o coronel.

De acordo com o coronel Amorim o evento cumpriu seu objetivo, a discussão do assunto com técnica, e o colhimento de material para a elaboração de um Procedimento Operacional Padrão (POP), no qual conste a atuação de cada um dos organismos de segurança e sua contribuição efetiva na segurança nos estádios. “Todo o material produzido com base nas discussões deste evento será encaminhado para as Unidades PM, a fim de orientar o policiamento nos eventos futebolísticos no estado”, finalizou o coordenador do seminário.