Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 20 de janeiro

20.1.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 20 DE JANEIRO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Prisão pelo ar

Digna de reconhecimento a ação de uma equipe do helicóptero Águia 2, da Polícia Militar, que prendeu um fugitivo escondido embaixo de uma telha num prédio no bairro Caminho Novo, em Palhoça, na madrugada de ontem. O fotógrafo Daniel Silva registrou a operação.Do alto, com o auxílio do farol, os PMs avistaram a perna e o braço do homem que ainda levava uma algema no braço a informação da PM é que ele havia escapado da delegacia. Aproximei a aeronave e o nosso policial saltou, apontou a arma e o deteve disse o capitão Marcos Paulo Rangel.

Carga e descarga

Flanelinhas cobram R$ 10 antecipados de turistas por vaguinha no Mercado Público em Florianópolis onde caminhões descarregam peixes.

Golpe na praça

Usuárias de crack estão abordando pessoas perto de farmácias no Centro de Florianópolis e pedindo fraldas como ajuda. Tudo balela. Na verdade vendem no morro e trocam pela droga.

De olho

A segunda-feira será importante para o sistema prisional catarinense, com a entrega de viaturas, equipamentos e kits de higiene para os presos. Resta saber quando é que o Estado finalmente anunciará a construção de uma penitenciária para abrir novas vagas. Hoje o governo não consegue construir nem a Central de Triagem em São José.

Conversa

A Secretaria da Justiça e Cidadania diz que a prefeitura de São José não libera o alvará para o início das obras da Central de Triagem, em que são previstas 400 novas vagas e que desativaria o cadeião do Estreito. Não seria o caso de a secretária da Justiça, Ada De Luca, fazer uma reunião com a prefeita Adeliana Dal Pont para resolver o impasse?

Sem noção

Assustador o índice de 820 multas contabilizadas diariamente pela Polícia Rodoviária Federal por excesso de velocidade na BR-101 entre Biguaçu e Barra Velha e na BR-470 entre Navegantes e Blumenau, conforme apurou a colunista Dagmara Spautz, de O Sol Diário. A maior parte ocorre em frente aos postos da PRF em Itapema, Biguaçu e Barra Velha, onde a velocidade é 60 km/h.

 

COLUNISTA CARLOS DAMIÃO – Notícias do Dia

Inimigos…

Chama-se “Direito penal do inimigo” a teoria desenvolvida pelo alemão Günther Jakobs e que prevê a ação preventiva do Estado diante de “perigos latentes”, ainda que indivíduos potencialmente suspeitos não tenham cometido algum tipo de delito. Portanto, a teoria supõe uma punição antecipada, por precaução, em geral adotada pela polícia e Judiciário.

 

COLUNISTA PAULO ALCEU – Notícias do Dia

Vidas

Importante projeto Golfinho do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina continua formando novas turmas e educando crianças sobre os perigos do mar. Merece apoio o programa institucional, lembrando que hoje o Arcanjo completa quatro anos salvando vidas.

 

ASSUNTO: Acidentes no mar

VEÍCULO: Diário Catarinense

Faltam ações contra a imprudência na água

Casos envolvendo a proximidade de embarcações da área de banhistas e acidente com moto aquática revelam a dificuldade do poder público de acompanhar o crescimento do setor privado náutico e de controlar com fiscalização os excessos que têm se tornado comuns no litoral de Santa Catarina
Uma faixa de boias laranja-fluorescente limita o acesso à área de banho – a 200 metros da linha de arrebentação. Frequentemente ignorada em Jurerê Internacional, onde é fácil flagrar lanchas e motos aquáticas a pouquíssimos metros de quem está na orla. Na Praia Mole, um barco chegou tão perto que um tripulante se jogou na água (com o motor funcionando) e nadou até a faixa de areia. E na Lagoa da Conceição, a pior das cenas: uma moto aquática que estaria em alta velocidade atingiu um barco de madeira, deixando duas pessoas gravemente feridas. Tudo em apenas dois dias, num único fim de semana – e quase dois meses distante do encerramento da temporada.
Guarda-vidas, Gustavo Bressan fotografa cada irregularidade e envia para a Capitania dos Portos, que é quem fiscaliza o transporte aquaviário. E recomenda que os banhistas façam o mesmo. As reclamações, ele diz, escuta todos os dias. De longe faz sinal para o condutor, pede para que se afaste da zona de banho. Mas não tem poder de força.
– O risco é constante. As motos deslizam em alta velocidade e tem muita gente que aproveita o mar calmo de Jurerê para nadar exatamente no ponto em que as embarcações invadem. Faço um apelo por mais fiscalização, para que a solução não venha só depois de uma tragédia – alerta Bressan.
Comandante da Capitania dos Portos em Itajaí – uma das maiores do país – José Sávio Feres Rodrigues argumenta que o poder público não consegue acompanhar o crescimento do setor privado. Ele explica que a reaparelhagem tanto de efetivo como de estrutura perde para a demanda, para o aumento das vendas e registros de embarcações.
Só em Florianópolis houve crescimento de 30% no cadastro de novos veículos aquáticos – e isso de um ano para o outro, da temporada 2013 para 2014.
A Marinha tenta reorganizar o espaço com novas regras. Desde 2012 é preciso estar habilitado para pilotar moto aquática. Para ter acesso ao documento é necessário passar por aulas teóricas e práticas, que exigem no mínimo três horas de navegação. E aí entra mais um item no checklist da fiscalização.

Como denunciar

– Embarcações não podem ultrapassar a marca de 200 metros da linha de arrebentação. Nas praias mais movimentadas existem boias delimitando a área, que ajudam os banhistas a se certificar da irregularidade.

– Fotos e vídeos das irregulares servem para que a Capitania puna proprietários. Na lateral do veículo consta o número do registro, que possibilita acesso a dados dos responsáveis.

– O material deve ser enviado para o posto da região em que foi constatada a irregularidade.

– A Capitania dos Portos disponibiliza o disque-denúncia (48) 3281-4800, que funciona 24 horas. A denúncia é encaminhada às equipes de inspeção naval mais próximas do local da infração.

 

 

Punição ao infrator

– Quando constatada a infração (superlotação, falta de habilitação ou avanço na área de banhistas), o proprietário é notificado. As multas variam entre R$ 40 e R$ 3,2 mil.

– Podem ser abertos dois inquéritos: um administrativo, na Marinha, e outro na Polícia Civil (caso tenha resultado em feridos ou morte).

 

“A fiscalização será reforçada”

Chefe do departamento de Segurança e Tráfego Aquaviário diz que a partir de sexta a fiscalização nas praias do Estado contará com o reforço do helicóptero da Marinha do Rio Grande do Sul. A aeronave permanecerá no litoral até o fim da Operação Verão, em 17 de março.

Diário Catarinense – Num único fim de semana foram registrados dois acidentes e pelo menos outros dois flagras de veículos invadindo a área dos banhistas nas praias de Florianópolis. Como é o processo de fiscalização que tem sido usado pela Capitania dos Portos?
Joarez Mello – Todos os dias, de segunda a segunda, temos equipes fiscalizando na água, bem junto da linha que divide a área de banhistas (para coibir a aproximação das embarcações) e também por terra, acompanhando da orla o que acontece no mar. Já aumentamos o número de boias, que sinalizam e delimitam a área de banhistas, e nesta semana vamos colocar ainda mais sinalizadores. Temos também um disque-denúncia. Assim que é contatado, acionamos a equipe mais próxima do local.

DC – Recebemos muitas reclamações sobre falta de fiscalização. Inclusive de guarda-vidas…
Mello – Estamos trabalhando diariamente. Sábado estávamos próximos à Avenida das Rendeiras, abordando uma mota aquática, quando soubemos do acidente no Canto dos Araçás. Ontem (domingo) passamos o dia com duas equipes buscando informações sobre esse acidente, tentando identificar o condutor. E a partir de sexta-feira vamos receber o reforço de um helicóptero da Marinha. Ou seja, a fiscalização será reforçada em todo o litoral até o último dia da Operação Verão. E esta aeronave será usada para apoio de Norte a Sul.

 

ASSUNTO: Morte em cachoeira

VEÍCULO: Diário Catarinense

COSTA DA LAGOA: Morte em queda de cachoeira

Bruna Vergínia, 23 anos, morreu e o namorado Matheus Mandelli foi internado em estado grave

Uma mulher morreu e um homem ficou gravemente ferido após caírem do topo de uma cachoeira na Costa da Lagoa da Conceição, em Florianópolis.
Os helicópteros Águia, da Polícia Militar, e o Arcanjo, do Corpo de Bombeiros, foram acionados por volta de 17h de ontem para o resgate das vítimas, enquanto dois bombeiros em um bote inflável chegaram para os procedimentos de primeiros socorros.
Segundo informações do major Diogo Losso, Bruna Vergínia, de 23 anos, teria escorregado e o seu namorado, Matheus Mandelli, 29 anos, tentou segurá-la, mas caiu junto, de uma altura de oito metros.
Na queda, Bruna fraturou os dois punhos, a face e teve uma parada cardiorrespiratória. Conduzida pelo helicóptero Águia até o Hospital Governador Celso Ramos, a jovem não resistiu e faleceu próximo das 18h.
O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal, no Itacorubi, e até as 21h de ontem nenhum familiar havia entrado em contato para a liberação. Matheus foi levado em estado grave pelo Arcanjo até o Hospital Regional de São José. O rapaz teve fratura nos dois punhos, pé esquerdo, fratura exposta da perna esquerda e traumatismo craniano.
Em sua página no Facebook, Matheus postou momentos antes do acidente uma foto do casal no alto da cachoeira. Moradores de Florianópolis, Bruna fazia trabalhos como modelo e o namorado é DJ.
Em janeiro de 2011, a estudante Nájila Dutra Ferraz Alves morreu no local após escorregar de uma pedra. Uma trilha na mata leva até a queda d’água. No caminho, várias placas indicam os perigos das pedras escorregadias do rio. No trecho que conduz ao topo da cachoeira, os bombeiros colocaram faixas para impedir que os banhistas subam até lá. Avisos de segurança serão reforçados no local.

 

ASSUNTO: RODOVIAS FEDERAIS

VEÍCULO: Diário Catarinense

Quatro mortes em acidentes

No intervalo de uma hora, dois acidentes na madrugada de domingo deixaram quatro mortos e mais duas pessoas com ferimentos graves em rodovias de Santa Catarina. Um óbito foi o de um motorista que teve um ataque cardíaco ao ver a cena.
Em Imbituba, no Litoral Sul, um homem de 49 anos morreu atropelado ao sair do veículo no meio da BR-101. Segundo a PRF, Dauri Machado se envolveu num acidente leve com outro carro na altura do Km 275, quando teria saído do veículo para sinalizar o ocorrido aos outros motoristas. Foi neste momento, por volta das 4h50min, que Machado foi atingido por um GM Astra com placas de Garopaba, morrendo na hora.
Em Rodeio, no Vale do Itajaí, uma colisão por volta de 5h40min, no Km 85 da BR-470, dois jovens em uma moto de Blumenau se envolveram em um acidente com um caminhão.
O condutor da moto, Adelar da Silva, 23 anos, morreu no local. A passageira, que segundo os Bombeiros Voluntários da União, de Ascurra, ainda não havia sido identificada, morreu no hospital, em Indaial.
A terceira morte ocorreu por caso clínico. Willand Heinz, 64 anos, seguia num caminhão atrás do veículo que se envolveu no acidente. Os dois caminhões pertencem à mesma empresa. Ao perceber o acidente, Heinz desceu para ajudar no socorro às vítimas, mas acabou sofrendo uma parada cardíaca. Ele foi socorrido pelo Samu, mas não resistiu.

 

ASSUNTO: Execução dentro do hospital

VEÍCULO: Diário Catarinense

À LUZ DO DIA: Guerra pelo tráfico causa uma morte

Jovem de 21 anos foi executado a tiros dentro de hospital de Florianópolis por trio de homens

Os três homens que mataram um jovem de 21 anos a tiros no Hospital Florianópolis, no Estreito, na manhã de sábado, são das favelas Maloca e Ilha Continente. As duas regiões estão unidas e em guerra com a favela da Grota, conforme a Polícia Militar. Vizinhas, as comunidades são dominadas pela facção Primeiro Grupo Catarinense.
Um dos suspeitos de executar André Luiz Minas Vieira, 21 anos, é envolvido no tráfico de drogas da Maloca. O apelido dele seria Sedex, de acordo com a PM.
A execução de André Luiz começou numa festa na comunidade Ilha Continente. Ele teria apanhado muito e levado diversas pauladas na cabeça. Conforme a PM, a intenção dos agressores era matar. A vítima sobreviveu e foi socorrida pelo Samu.
Por volta de 8h de sábado, André Luiz estava na emergência do Hospital Florianópolis aguardando para ser operado quando três homens armados invadiram o hospital.
– Ninguém se mete. Onde é a emergência? – perguntou um deles.
A vigilante indicou a porta, sob a mira de uma arma. Pelo menos oito tiros foram disparados na cabeça de André Luiz. Na frente do hospital, os três homens renderam um taxista e fugiram para a favela Ilha Continente.
PMs do Pelotão de Patrulhamento Tático do 22o Batalhão de PM estavam treinando e foram atender a ocorrência de uniforme de educação física. Nas buscas pela Ilha Continente, um menino de 13 anos assumiu a autoria do homicídio à PM, que encontrou com ele um revólver 38 novo cromado e um carregador de pistola calibre .380. Levado até o hospital, o adolescente não foi reconhecido por testemunhas do assassinato.
Natural de Lages, André Luiz viveu um tempo em Palhoça e atualmente morava na favela da Grota. Tinha passagens por tráfico, de acordo com a PM.O motivo da execução está ligado ao comérico de drogas, comandado na região por homens conhecidos como Irmãos Metralha, Maikinho e Rafinha.

 

ASSUNTO: RONDA

VEÍCULO: Diário Catarinense

PM à paisana prende dois jovens suspeitos

Dois suspeitos de terem assaltado uma casa em Barra Velha na semana passada foram presos ontem em Porto Belo, no Litroal Norte. A dupla estava no carro roubado na ocasião e um deles se exibia com uma pistola quando foi flagrado por um PM de folga. Os jovens, um de 18 e outro de 27 anos, estavam na caminhonete, onde um notebook que também havia sido roubado foi localizado. A dupla acabou presa e foi encaminhada para uma delegacia da Polícia Civil. Eles devem ser levados hoje para um presídio.

Criminosos roubam loja de rede varejista

A ação de criminosos na madrugada de sábado rendeu R$ 15 mil de prejuízo para uma rede varejista em Balneário Camboriú. Quatro pessoas arrombaram o Magazine Luiza da Avenida do Estado e fizeram a limpa em dois cofres. O arrombamento ocorreu entre o fim da noite de sexta e madrugada de sábado. O grupo fez um buraco na parede para entrar na loja e depois cortou os cofres, levando somente o dinheiro. O alarme do local foi neutralizado pelos bandidos. A Polícia Civil agora trabalha para identificar os suspeitos.

Taxista é esfaqueado durante assalto

Um taxista foi esfaqueado durante assalto na madrugada de sábado em Balneário Camboriú. Dois homens e uma mulher renderam o homem durante uma corrida. Ele não corre risco de morrer. Segundo a PM, o homem de 45 anos foi abordado pouco antes da meia-noite. O taxista entregou dinheiro, mas acabou levando uma facada no pescoço. Quando o suspeito tentou golpeá-lo no peito, ele conseguiu sair do carro e pediu ajuda. Os suspeitos fugiram com o veículo, abandonado horas depois no Bairro Monte Alegre, em Camboriú. Nenhum suspeito foi localizado.

 

ASSUNTO: Violência em SC

VEÍCULO: Diário Catarinense

JOINVILLE NO TOPO: Confronto com a PM é mais letal

Análise dos últimos quatro anos mostra que número de mortes na cidade do Norte de SC representa 20% do total estadual

Matar ou morrer não é exatamente uma questão de escolha para um policial militar em um momento de confronto com criminosos. Situações de risco fazem parte da profissão e, por vezes, obrigam os policiais a tomarem decisões na velocidade de um tiro.
O treinamento e a orientação priorizam os métodos não-letais quando há resistência, como balas de borracha, por exemplo. Mas as estatística revelam que nos últimos anos os embates entre PMs e suspeitos têm sido mais letais em Joinville.
Dados da Secretaria do Estado da Segurança Pública, atualizados até o último mês de outubro, colocam a cidade na liderança do ranking de suspeitos mortos em confronto com a PM nos últimos quatro anos. Foram registradas 34 mortes em abordagens na cidade desde 2010 – a soma chega a 36 se consideradas duas mortes em novembro, que ainda não foram incluídas na conta oficial. Itajaí aparece em segundo, com 30 ocorrências.
O saldo nas demais cidades com maior número de mortes cai mais do que a metade: Balneário Camboriú contabiliza 14 casos, seguida por Navegantes (13) e Florianópolis (10).
Considerando os dados fechados até outubro, as mortes em Joinville representam quase 20% das ocorrências registradas nos últimos quatro anos em Santa Catarina. Isso significa que a cada cinco mortes em confronto, uma ocorreu em Joinville. Foram 13 mortes só no ano passado. Não há registro de número equivalente ou maior em Joinville nos anos anteriores. A mesma base de dados apontava 2012 como o período mais letal nos confrontos, com 12 mortes de suspeitos entre janeiro e dezembro.
Mais de um motivo justificariam alto índice
No meio policial, não há quem arrisque um motivo único para escalada dos números na cidade. Além de ser o município mais populoso do Estado, destaca-se que há dois batalhões policiais em Joinville e um deles, o 8o BPM, tem o maior contingente de Santa Catarina.
A proximidade com o Paraná e a facilidade de acesso pela BR-101 também costumam ser apontados como características que atraem a ação de criminosos. O comandante do 8o BPM em Joinville, tenente-coronel Adilson Moreira, ainda aponta os confrontos como reflexo de respostas rápidas das equipes, que se mobilizam a tempo de se deparar com os suspeitos durante ou após o crime.Em todas as ocorrências é apontada a presença de arma de fogo em poder dos suspeitos.
Na avaliação do delegado Jeferson Prado Costa, da Divisão de Investigação Criminal (DIC) em Joinville, a proporção de mortes em Joinville pode ser considerada alta, embora ele entenda que o risco de haver mais confrontos é comum a cidades do porte de Joinville.

 

ASSUNTO: Incêndio um ano depois

VEÍCULO: Diário Catarinense

BOATE KISS: Homenagem um ano após a tragédia

Para marcar um ano da tragédia da boate Kiss, um incêndio que provocou a morte de 242 pessoas, uma série de homenagens se desenrola em Santa Maria (RS) nos próximo dias. A programação começa hoje, a partir das 8h. É uma caminhada, com saída em frente à Igreja Nossa Senhora de Fátima até a Basílica da Medianeira.
Às 9h, uma missa será presidida pelo arcebispo de Santa Maria, dom Hélio Adelar Rubert. A celebração será transmitida ao vivo pela Rede Vida de Televisão.
De 25 a 27 – o dia em que a tragédia completa um ano –, a Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM) realiza o 1o Congresso Internacional Novos Caminhos.
No evento, familiares, sobreviventes, voluntários e profissionais de diversas áreas debaterão temas como como saúde, superação, prevenção de incêndios, processo criminal, papel social, entre outros.
No dia 27, encerramento do congresso, será realizado um culto ecumênico. Durante a cerimônia, uma banda formada por jovens tocará 242 vezes a mesma batida, para homenagear cada vítima da tragédia.

 

ASSUNTO: Denúncia

VEÍCULO: Diário Catarinense

DESCUIDO NO TRÂNSITO: Multas da Alesc chegam a R$ 25 mil

Em reportagem especial na noite de ontem, o Estúdio SC, da RBS TV, denunciou as infrações de trânsito cometidas em carros alugados pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina.
São 55 automóveis, de alto padrão, disponibilizados para os 40 deputados e seus assessores em um contrato anual no valor de quase R$ 2 milhões. Só em 2013 foram registradas centenas de multas nesses veículos, somando um custo de R$ 25 mil.
Segundo a Presidência da Instituição, as multas são de responsabilidade de cada parlamentar. O valor é descontado no mês seguinte à notificação, no contracheque do deputado. Fica a critério dele repassar a dívida ao servidor que dirigia o automóvel no momento da infração ou não. No entanto, para o presidente do Movimento Nacional de Educação no Trânsito, Roberto de Sá, o prejuízo é da sociedade.
– O que importa é que esse tipo de comportamento não deveria existir, principalmente entre membros do Poder Legislativo. Eles têm obrigação de dar exemplo, bons exemplos, porque muitos maus exemplos nós temos por aí – disse.
Alguns parlamentares chegam a acumular mais de 20 autuações num período de seis meses, de acordo com a reportagem. Entre as mais frequentes estão o uso do celular, o desrespeito de sinais vermelhos e o não uso do cinto de segurança. Um dos carros, a serviço de um deputado, foi multado por estacionar em vaga exclusiva pra deficientes físicos.
– Não tem perdão. Não é possível. O Brasil neste aspecto evoluiu muito. Você vê como a gente cresceu e amadureceu nessa questão de respeito ao pedestre. Então como é que um carro que serve a um parlamentar, um servidor público, não vai dar esse exemplo? – afirmou o presidente da Alesc Joares Ponticelli sobre o caso.

 

ASSUNTO: Trabalho nas prisões

VEÍCULO: Diário Catarinense

RESSOCIALIZAÇÃO EM ALTA: Quase metade dos detentos de Santa Catarina está trabalhando

Análise do Departamento de Administração Prisional (Deap) de Santa Catarina sobre o sistema prisional de 2013 revela que 48% da população carcerária – 8.256 pessoas em 48 instituições no Estado – exerceu algum tipo de trabalho no ano passado.
Com 48% da população carcerária exercendo algum tipo de atividade laboral, Estado lidera no país a média de detentos ocupados. Índice de educação também teve avanços no ano passado segundo levantamento do governo estadual
O número é superior ao registrado pelo órgão em 2012, quando 39% detentos (6.435 pessoas) praticaram alguma atividade, seja remunerada ou em troca de diminuição na pena. É a maior média de detentos ocupados do país, segundo o levantamento feito pelo Departamento Penitenciário Nacional. A meta, segundo o diretor Leandro Lima, é fechar este ano com 10 mil encarcerados trabalhando.
O relatório mostra ainda que cresceu o número de presidiários estudando. Se em 2012 estavam em sala de aula 1,6 mil apenados, no ano seguinte mais 200 detentos ingressaram no sistema especial de ensino, gerenciado pela Secretaria Estadual da Educação. Um avanço nesta área pode ser percebido através do número de inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – um salto de 212 presos que prestaram as provas em 2011 para 1.039 encarcerados que participaram no ano passado.
– Percebemos algo diferente, que não parte do sistema, mas de uma nova postura do preso, que decide se inscrever, explorar novas possibilidades – comentou o diretor do Deap.
Na contramão do crescimento do número de pessoas trabalhando e estudando dentro do sistema prisional catarinense está a quantidade de vagas, que ainda não acompanha o ritmo de ingressos nas cadeias.
De acordo com o levantamento de 2013 do Deap, todos os dias 17 pessoas dão entrada em uma unidade ou complexo carcerário de Santa Catarina.
Ao todo, o sistema oferece 11,3 mil lugares, mas a população carcerária em 2013 atingiu 17,2 mil pessoas entre homens e mulheres. Déficit que o diretor Leandro Lima acredita ser compensado ainda este ano, com obras de ampliação de vagas em Itajaí, Joinville e Criciúma, e construção de novas unidades em Chapecó, Tubarão, Curitibanos, Blumenau e São José.

 

ASSUNTO: Aniversário do Arcanjo

VEÍCULO: Notícias do Dia

Arcanjo da guarda ganha ajuda

Resgates em incêndios, afogamentos, na mata ou acidentes de trânsito. É a agilidade do helicóptero Arcanjo 1, que comemora quatro anos de operação em Santa Catarina, que aumenta a eficiência dos atendimentos do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina e do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). O presente neste aniversário será apresentado hoje à tarde, e começa a voar amanhã: o Arcanjo 2, um avião modelo 210 N Centurion doado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça). 

Com os números do último fim de semana, o helicóptero atendeu a 2.678 missões e mais de 2.200 pessoas em mais de 1.800 horas de voo. A diferença do número entre missões e pessoas se dá por que em algumas missões, como incêndios florestais, por exemplo, não há resgate de pessoas. O Arcanjo 1 viaja a 200 km/h.

O reforço nas operações em Santa Catarina, o Arcanjo 2, é um avião que voa a 300 km/h e que será usado, principalmente, em casos de monitoramento ambiental, como áreas de incêndio, transporte de forças-tarefas, apoio à Justiça Federal e Estadual, e transplante de órgãos para transplantes e emergências pré-hospitalares, percorrendo todo o Estado. “São missões que se completam.

O helicóptero é mais ágil em determinados casos, como resgates na praia, por exemplo, onde não precisa de pista para operações de pouso e decolagem. Arcanjo 2 voará em deslocamentos entre cidades e também para melhor atender o Oeste do Estado”, explica o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Militar de SC, Edupércio Pratts, comandante do Batalhão de Operações Aéreas.

O reforço será benvindo principalmente durante a temporada de verão, quando o número de atendimentos costuma ser maior. O Arcanjo atende, em média, de seis a 10 ocorrências por dia durante o verão. Na baixa temporada, são de três a quatro casos.

Resgates

Acidente de trânsito: 651 ocorrências

Defesa civil, transporte de emergência, prevenção, patrulha e apoio: 649 ocorrências

Queda de nível, fratura, trauma: 400 ocorrências

Emergência cardiovascular/respiratória: 375 ocorrências

Afogamento, arrastamento, acidente náutico: 174 ocorrências

Treinamento especial para trabalhar a bordo

Os profissionais a bordo do Arcanjo possuem treinamento específico de pilotagem, de especialização médica e treinamento de suporte avançado de atendimento aéreo. “Com equipes especializadas foi possível prestar esse serviço diferenciado nos últimos quatro anos, com um atendimento de qualidade que tem servido de modelo para o Brasil”, diz Edupércio Pratts. A solenidade que celebra os quatro anos do Arcanjo será realizada hoje, no Batalhão de Operações Aéreas do Corpo de Bombeiros, com a presença do governador, Raimundo Colombo, entrega de medalhas, homenagens e a entrega do Arcanjo 2.

 Central faz análise das chamadas antes de cada decolagem

Como o helicóptero, o avião também têm capacidade para seis pessoas. A bordo, viajam dois pilotos, dois tripulantes, médico e enfermeiro. Quando necessário, no local do acidente a equipe médica do Samu faz pequenas cirurgias, já que o helicóptero é equipado com mini-UTI.

Entre os equipamentos, estão o bambi bucket (espécie de bolsa eficiente para contenção de incêndios), o cardioversor (usado para converter ritmo irregular em arritmias cardíacas), imageador térmico (para localizar pessoas em locais de difícil acesso), cesto de salvamento, farol de busca, entre outros.

Segundo Edupércio Pratts, todas as ocorrências que são atendidas pelos telefones 190, 192 ou 193 – chegam à Central de Emergências, que faz a triagem para saber qual é o meio mais próximo para o atendimento (terrestre ou aéreo).

“Cada missão precisar ser analisada de forma individual. Se for necessário, a unidade básica do Samu presta os primeiros atendimentos e, quando é preciso agilidade, o Arcanjo leva a pessoa para uma unidade médica hospitalar com urgência”, explica o comandante.

 

ASSUNTO: Segurança nos estádios

VEÍCULO: Portal da PMSC

Polícia Militar organiza seminário sobre ações de preservação da ordem pública em estádios de futebol

Nos dias 20 e 21 de janeiro, a Polícia Militar de Santa Catarina realizará o Seminário “Futebol Seguro”, com o objetivo de discutir com especialistas da área as atividades de competência da Polícia Militar em eventos futebolísticos que serão realizados durante o ano de 2014.

As atividades de Policiamento de Praças Desportivas, notadamente quando voltadas aos eventos futebolísticos, devem obedecer a uma série de normas para que a Corporação atue de forma padronizada em todo o Estado. Aliado a isso, o ano de 2014 será palco dos mais diversos eventos relacionados ao futebol, como o Campeonato Estadual, o Brasileirão e suas séries “A” e “B”, bem como a possibilidade de Santa Catarina vir a sediar eventos periféricos e relacionados à Copa do Mundo.

1) Local: Auditório do Centro de Ensino da Polícia Militar (CEPM)
Avenida Madre Benvenuta, 265/Trindade
2) Data: 20 e 21 janeiro 
3) Horário: das 9h00 às 19h00