Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 2 de maio

2.5.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 2 DE MAIO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Lavagem de dinheiro

A Polícia Civil inicia na próxima semana o curso de combate à corrupção e lavagem de dinheiro na Acadepol, em Florianópolis. Serão palestras sobre a recuperação de ativos, técnicas especiais de investigação, análise e identificação de movimentações financeiras suspeitas, pessoas politicamente expostas, tecnologias de análises de dados, análise de dados financeiros, delitos cibernéticos e fraude à licitação, entre outros. Trabalho não vai faltar pra essa turma…

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Interno Upiara Boschi

 

COLUNISTA CARLOS DAMIÃO – Notícias do Dia

Falta cadeia

Autoridades policiais, em especial da PMSC , têm manifestado preocupação cada vez maior com a escalada do crime na Grande Florianópolis. E uma questão aflora ao debate: se a lei mudar, mandando para a cadeia todos os chinelões que praticam esses crimes, haverá cárcere suficiente? A resposta é simples: a lei mudou exatamente porque não há cadeia para todos.

 

ASSUNTO: SEGURANÇA NO CONTINENTE

VEÍCULO: Diário Catarinense

 

 

ASSUNTO: VIOLÊNCIA NO TRÂNSITO

VEÍCULO: Diário Catarinense

Vereador é preso após acidente

Envolvido em um acidente que deixou uma adolescente de 13 anos gravemente ferida ontem à tarde, o vereador Arestide Fidelis (PMDB), de Chapecó, foi preso em flagrante e responderá por tentativa de homicídio doloso. Com suspeita de embriaguez, ele foi conduzido à delegacia, onde fez o teste do bafômetro, que atestou 0,61 miligramas de álcool por litro expelido, segundo o delegado Alex Passos.
Fidelis era o condutor de um Corolla que bateu de frente com um Logan, onde estava uma família, no Contorno Viário da cidade. A mãe e o filho mais novo tiveram ferimentos leves e foram liberados. Natalia Vassoler Nunes, 13, teve ferimentos graves e até o fechamento desta edição passava por uma cirurgia. Segundo o delegado, a garota teve o couro cabeludo arrancado e traumatismo craniano. O pai dela, Marcos Antonio Nunes, teve perda de memória com a batida.
Se fosse responder apenas pelo crime de embriaguez ao volante, o vereador teria direito à fiança. No entanto, como Passos o indiciou por tentativa de homicídio, ele seria conduzido ainda ontem à noite ao Presídio Regional de Chapecó. Conforme o delegado, a decisão de fazê-lo responder por crime doloso se deve à soma dos ferimentos nas vítimas, embriaguez e outros fatores.
– Não bastasse isso (ferimentos), não prestou socorro e tentou fugir.
Conforme Passos, o vereador estava voltando de um festa e tentou ultrapassar um caminhão. No entanto, segundo o delegado, vinha um carro no sentido contrário:
– Ele (Fidelis) bateu no veículo, mas não parou. Nisso, ele quis fugir e bateu no Logan – disse Passos.
O advogado do vereador, Gilson Roberto Thomé Vieira, disse ao DC que só vai se manifestar hoje, depois de pedir a liberdade provisória.

 

ASSUNTO: Sistema prisional

VEÍCULO: Diário Catarinense

Penitenciária de São Pedro de Alcântara tem avanços

Conselho Nacional de Justiça identificou melhorias no local considerado epicentro dos atentados

Há três anos considerada como prisão da morte e dominada pelo crime organizado, a Penitenciária de São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis, ressurgiu para novos tempos. Melhorias significativas foram constatadas pela Justiça, principalmente no tratamento aos presos.
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) afirma que o complexo prisional obteve significativas melhorias no tratamento aos detentos e também no andamento dos processos de execução penal. A conclusão saiu após um mutirão carcerário.
O coordenador dos trabalhos, o juiz de São Paulo Paulo Sorci, diz ter encontrado um novo presídio, pacificado, com 25% dos presos trabalhando. Na semana passada, houve a entrega de certificados a 31 internos que concluíram o curso de eletricista instalador predial.
O juiz apontou como fator importante para esta nova realidade a descentralização da execução penal no Estado e a atuação dinâmica da Vara de Execuções Penais de São José, responsável pela correção e garantia dos benefícios aos 1.150 detentos.
Também foram levadas em conta melhorias de infraestrutura e a nova forma no trato aos presos adotada pelo atual diretor, Edemir Alexandre Camargo Neto, diz o secretário da Justiça e Cidadania do Estado, Sady Beck Júnior.
O relatório do CNJ ainda não foi concluído. Embora tenha havido melhorias, permanecem os problemas de superlotação e nas instalações elétricas e hidráulicas da unidade.
Entre 2011 e 2013, a penitenciária foi notícia em todo o país por causa de violência e maus tratos aos presos. É lá que ficavam recolhidos os principais líderes da facção criminosa Primeiro Grupo Catarinense (PGC). Hoje, 30 deles estão no Regime Disciplinar Diferenciado da Penitenciária Federal de Mossoró (RN). Em 2011, a cadeia foi palco de pelo menos 11 mortes de presos. O PGC ditava regras e de lá também ordenava crimes nas ruas, como os ataques a ônibus registrados em 2012 e 2013 e a morte da agente penitenciária Deise Alves, mulher do então diretor da penitenciária, Carlos Alves. Ela foi assassinada com um tiro quando chegava em casa, em São José, no dia 26 de outubro de 2012.

Para o CNJ, ainda há pontos para melhorar

Vagas para tratamento de saúde dos presos e para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) são dois pontos que Santa Catarina deverá cuidar, na avaliação do juiz Paulo Sorci, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), após o mutirão carcerário que foi realizado pelo órgão em cadeias do Estado.
O Hospital de Custódia funciona no Complexo Prisional da Agronômica, em Florianópolis. A instituição pública atende pessoas com distúrbios mentais e que cometeram algum delito e, por isso, estão sob custódia do poder público.
O hospital abriga 140 presos, o que configura um cenário de lotação. Agentes relatam que as condições são boas no lugar, os detentos desenvolvem atividades e que o problema principal não é a falta de recursos.
– As famílias de muitos deles, cerca de 60, nunca mais foram fazer visitas. Eles estão praticamente abandonados. Esse é o drama maior – relatou um agente penitenciário.
Quanto ao RDD, há um planejamento, mas sem previsão para a implantação da unidade, de acordo com o secretário da Justiça e Cidadania, Sady Beck Júnior. Há promessa do próprio governador Raimundo Colombo de construir uma ala para isolar esses presos perigosos ligados a facções criminosas.
Há uma preocupação na Justiça sobre o retorno dos 30 integrantes do PGC que estão no RDD federal, previsto para ocorrer no início de 2015. O Tribunal de Justiça de Santa Catarina ficou de reivindicar a execução desta medida ao governo do Estado.

 

ASSUNTO: VIOLÊNCIA EM JOINVILLE

VEÍCULO: Diário Catarinense

Jovem é assassinado

Um homem foi assassinado a tiros na zona Sul de Joinville na noite de quarta-feira. O homicídio ocorreu por volta das 23h, no loteamento São Domingos, bairro Paranaguamirim. Segundo a Polícia Militar, Jon Wayne Rosa dos Santos, 20 anos, andava pela rua quando foi abordado por três homens que dispararam várias vezes contra ele. A vítima morreu no local.

 

ASSUNTO: SERRA DONA FRANCISCA

VEÍCULO: Diário Catarinense

Índice de mortes é preocupante

Número de acidentes com óbito nos primeiros quatro meses de 2014 na rodovia já está acima da média de anos anteriores

A morte de um motorista na madrugada de ontem aumentou para oito os óbitos na SC-418, conhecida como Serra Dona Francisca, apenas neste ano. Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), o número já está acima da média, se comparado aos anos anteriores. Conhecida pelas belezas naturais e uma vista privilegiada, a rodovia também é famosa pelo trajeto sinuoso, principalmente na região da Serra, apresentando pontos que exigem atenção redobrada.
O número de mortes vem aumentando na SC-418 pelo menos nos últimos cinco anos. Em 2010, foram cinco. Em 2013 foram 16. Nos primeiros quatro meses de 2014, já são sete mortes, que somadas à registrada na madrugada de 1o de maio chegam à metade de óbitos ocorridos em 2013. Segundo o subtenente João Filhakoski, comandante do posto da PMRv em Campo Alegre, o primeiro semestre é, historicamente, quando ocorrem mais acidentes fatais na rodovia.
– É quando as condições climáticas contribuem. Tem mais neblina, garoa e a pista está mais úmida. Também tem maior movimento das férias – explica.
São cerca de 7 mil veículos trafegando diariamente pelos 68 quilômetros da SC-418, que vai da entrada da BR-101, no distrito de Pirabeiraba, na zona norte de Joinville, até o distrito de Fragosos, em Campo Alegre, na divisa com o Paraná. Há 22 anos trabalhando no posto da PMRv, o comandante Filhakoski ressalta que, quando há maior fluxo de veículos na rodovia, o número de acidentes diminui. A lógica é de que o excesso de velocidade seja o grande vilão nas mortes que ocorrem na Serra Dona Francisca.
Apesar de entender que a imprudência seja o grande agravante na ocorrência de acidentes e mortes no local, o subtenente admite que a estrada tem problemas. Placas apagadas ou encobertas pela vegetação e buracos são visíveis no trajeto.
– Em alguns pontos há a necessidade de redutores de velocidades, acostamento mais largo e sinalização mais agressiva. Já passamos propostas de melhorias ao Deinfra – diz Filhakoski.

Km 6,6 fez a oitava vítima

O motorista Gilmar João Correa, de Joinville, morreu na madrugada de ontem em um acidente na Serra Dona Francisca. Por volta das 4h, ele sofreu acidente no Km 6,6, em frente à Sociedade Rio da Prata, em Pirabeiraba.
Segundo a PMRv de Campo Alegre, o carro que Correa dirigia, uma Saveiro com placa de Joinville, teria invadido a pista contrária e batido de frente com um Renault Duster, da prefeitura de Rio Negrinho.
O motorista do Duster foi socorrido e levado ao Hospital São José, em Joinville, em estado grave. O carro transportava sangue de pacientes do Planalto Norte para ser analisado em Florianópolis.

 

ASSUNTO: Violência no trânsito

VEÍCULO: Notícias do Dia

Dois acidentes fatais na Ilha

Dois acidentes fatais ocorreram no perímetro urbano de Florianópolis ontem à tarde. O mais grave aconteceu por volta das 17h, quando um motorista que desceu a ponte Pedro Ivo, sentido Sul da Ilha, perdeu o controle da direção do Escort prata, subiu no canteiro, arrebentou uma parte do alambrado e colidiu em uma árvore. O condutor Carlos Roberto Rocha, 50, morreu no local. Quatro horas antes, um motociclista caiu da moto no túnel Antonieta de Barros e um carro – que seguia na mesma direção – passou por cima dele.

A colisão do fim de tarde, do carro contra a árvore, foi tão violenta que o veículo se partiu. Metade ficou nos troncos e a outra parte foi projetada a cerca de oito metros e só parou porque bateu em uma outra árvore perto da Cope (Coordenadoria de Operações Policiais Especiais), ao lado do CentroSul. Além do motorista, que morreu na hora, estava no carro a passageira Roberta Gomes, que foi levada ao hospital Celso Ramos inconsciente.

PMs que atenderam a ocorrência não souberam precisar a velocidade em que o Escort trafegava, mas explicaram que a tolerância naquele trecho é de 80 km/h. Dentro do veículo havia latinhas de cervejas. Ainda, de acordo com a polícia, as vítimas são de Florianópolis.

O acidente ocorreu por volta das 17h15m. No acidente do início da tarde, a Polícia Militar também teve que interditar o túnel Antonieta de Barros, por causa da morte do motociclista Douglas Terico Hoinoski, 20. Ao bater na mureta da ponte, ele perdeu o equilíbrio e caiu na pista. Um veículo que estava atrás chegou a desviar, mas o condutor de uma Saveiro de Santo Amaro da Imperatriz, que vinha em seguida, não teve mais tempo e passou por cima da moto e do motociclista.