Área do associado

Área do associado

Clipagem do dia 11 de fevereiro

11.2.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 11.02.2014

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Sai da frente

A Polícia Militar Rodoviária vai contar com quase 50 homens atuando no trânsito para deslocamento dos principais participantes do Congresso Técnico da Fifa, entre os dias 18 e 19 no Costão do Santinho. Jérôme Valcke, o secretário-geral da Fifa, terá atendimento entre o sul e o norte da Ilha de SC, com 12 batedores.

Excesso de precaução

Tudo bem que prevenção é palavra-chave para os bombeiros militares, mas deslocar guarnição com sete homens, um caminhão e ambulância para dar plantão na porta do resort, uma semana antes do evento, parece um tanto quanto exagerado, não?

 

ASSUNTO: TIROS EM BOATE

VEÍCULO: Diário Catarinense

Polícia busca rapaz que também estaria envolvido

Testemunhas apontam segundo homem em carro que teria levado atirador até festa em Canoinhas

Horas antes de morrer com um tiro na cabeça, na frente de uma boate de Canoinhas, no Planalto Norte, o estudante de logística Alexandre Cruz, 21 anos, que morava em Joinville, se despediu de cada um dos familiares com um abraço no jantar de formatura de uma prima.
Alexandre saiu com amigos e quando deixava o complexo de eventos Vila Multishow, na BR-280, levou um tiro no olho, disparado por outro jovem. John Lenon Moreira Alves, 18 anos, é apontado como o autor dos disparos em frente a um portão secundário, na saída onde ficam estacionados os carros dos frequentadores da boate, numa tentativa de se vingar dos seguranças que o tiraram de dentro da boate.
Ontem, a onda de solidariedade deu lugar à caçada ao homem que estaria dirigindo o carro de onde John Lenon teria atirado. A Polícia Militar, policiais da Divisão de Investigação Criminal (DIC) e investigadores tentavam capturar o rapaz que, segundo testemunhas, teria levado John Lenon até a frente da boate para a vingança. Na manhã de sábado, quatro suspeitos chegaram a ser detidos.
A polícia suspeita que um dos quatro homens ouvidos ainda no sábado pode estar mentindo. Os quatro foram liberados por falta de provas. O delegado regional Rui Orestes Kuchnir não deu detalhes da investigação.
John Lenon deve continuar preso na Unidade Prisional Avançada (UPA) de Canoinhas e, conforme o escrivão Leandro Vier, ele vai responder por homicídio doloso. O suspeito preferiu não falar com os policiais após a prisão.

Família comemorava formatura

O pai de Alexandre, Gilberto Cruz, chora a cada lembrança do rapaz, que se formaria no meio do ano e tinha o sonho de voltar para Canoinhas e trabalhar com a família. A prima, Monique Cruz, que se formaria em Direito no sábado, colou grau separadamente da turma. Ela havia promovido um jantar na sexta-feira à noite. A alegria deu lugar ao luto.
Na sala da casa onde ele morava, as fotos de Alexandre, ou Xande, como a família ainda o chama, são a maioria. Elas estão espalhadas em porta-retratos, quase sempre na companhia do irmão mais velho, Rodrigo.
– A gente tenta encontrar uma explicação, mas não existe. Estávamos vivendo uma fase boa – diz o pai.
Gilberto chegou a se encontrar com os pais de John Lenon na delegacia. Mesmo inconsolável pela perda do filho caçula, ele diz não ter qualquer mágoa ou sentimento de vingança.
– Não desejo isso para ninguém. Eu disse que o filho deles não poderia ter feito o que fez. Agora estamos todos destruídos – disse.
Os donos do complexo onde fica a Vila Multishow colocaram uma faixa de luto no portão principal. Eles informaram à imprensa que não iriam se manifestar ontem, mas marcaram uma entrevista coletiva para hoje.

 

ASSUNTO: BOMBEIRO SUSPEITO DE HOMICÍDIO

VEÍCULO: Diário Catarinense

Bombeiro continua foragido

Quem procurou a administração do 6o Batalhão de Bombeiros Militar de Chapecó ontem, não foi atendido. O comando da corporação tomou cancelou o expediente por segurança, em virtude das ameaças do soldado Elias de Souza, 35 anos, suspeito de ter matado a ex-mulher e a sobrinha, no fimde semana. Até o início da noite de ontem o homem ainda não havia sido localizado.
Ana Paula Gasperin, 28 anos, e Eduarda Gasparin, 14, foram mortas por volta de 22h30min de sábado, no bairro Santo Antônio, na casa para onde tinham se mudado no dia anterior. A tia levou quatro tiros e, a sobrinha, seis. Quando se separou de Elias, em outubro do ano passado, após dois anos de relacionamento, Ana Paula e a sobrinha ficaram três meses na casa da mãe.
Nos últimos meses, Ana Paula registrou ocorrência contra Souza por ameaças. A última delas em janeiro. Mas, segundo o delegado Ricardo Casarolli, ela não quis representar contra o ex-companheiro e o processo não prosseguiu.
De acordo com a Polícia Civil, depois do crime, o autor teria ligado para os familiares para avisar do crime. Ele também teria feito ameaças para colegas bombeiros, em relação a punições sofridas no quartel.
O delegado disse que Souza tinha um histórico de desentendimentos com superiores hierárquicos.
De acordo com o sargento Erno Zuse, a atitude de Souza abalou emocionalmente toda a corporação.
– Nós somos conhecidos por salvar vidas e agora parece que as pessoas te olham de um jeito diferente – disse o sargento.
Zuse afirmou que nunca teve desentendimentos com o colega. Apenas afirmou que “cada um tem seus problemas”. Souza trabalhava há cerca de 10 anos na corporação e agora estava no setor de vistorias. Hoje o expediente deve voltar ao normal. Mas o quartel segue com a proteção de policiais militares. Além disso, o quartel da PM fica ao lado dos Bombeiros. Os atendimentos de ocorrências seguem normalmente, segundo Zuse. Mas, enquanto Souza não for preso, o clima de insegurança continua nos bombeiros.
Familiares também estão sob proteção policial
O irmão de Ana Paula e pai de Sabrina, Marcos Gasperin, prestou depoimento ontem na Polícia Civil e foi até o local do crime para ver se encontrava alguns documentos. Ele disse que a família está sob proteção policial e por isso preferiu não fornecer muitas informações à imprensa.
Amigas de Ana Paula informaram que ela era muito apegada à sobrinha, que chamava de Duda. Marcos teve a filha quando era jovem e não casou com a mãe. Desde que Eduarda era pequena a tia ajudou a cuidar. Quando Marcos esteve doente, era Ana Paula quem cuidava dela, como se fosse mãe.
Ana Paula era professora de Educação Infantil e recentemente trabalhava no setor de projetos da Secretaria de Educação do município.

 

ASSUNTO: CRIME NO MUSEU

VEÍCULO: Diário Catarinense

Armas e munições são furtadas

A Polícia Civil de Lages, na Serra catarinense, abrirá investigação para apurar quem furtou armas e munições do interior do Museu Histórico Thiago de Castro durante o fim de semana. Foram furtadas três espingardas, um fuzil, uma garrucha e algumas munições. Todo o material é da segunda metade do século 19 e integrava o acervo do museu.
O caso foi descoberto na manhã de ontem quando funcionários do museu chegaram para trabalhar e se depararam com a desagradável cena. Para chegar às armas, os criminosos arrombaram uma janela do museu, localizado no prédio do antigo Fórum, bem no Centro da cidade. Os objetos estavam guardados em um armário de vidro, que ficou destruído.
A Fundação Cultural de Lages, responsável pelo museu, registrou um boletim de ocorrência na manhã de ontem. Imagens de câmeras de segurança da rua serão utilizadas para tentar identificar os ladrões.

 

ASSUNTO: CRIME EM NAVEGANTES

VEÍCULO: Diário Catarinense

Corpo de mulher é encontrado em vala

A polícia em Navegantes investiga a morte de uma mulher encontrada em uma vala no fim de semana. O corpo foi localizado no sábado na Rua Gervásio de Souza, bairro Meia Praia. A jovem foi identificada como Fernanda Amaral de Oliveira, 25 anos. A vítima estava com braços e pernas amarrados. Ainda não se sabe o que causou a morte. Familiares reconheceram o corpo e foram à delegacia na manhã de ontem para registrar o caso. Conforme o delegado Rodrigo Cariço, a polícia ainda está apurando as informações sobre o que pode ter acontecido.

 

ASSUNTO: Central de Emergência

VEÍCULO: Notícias do Dia

Itajaí ganha Central Regional de Emergência

A nova Central Regional de Emergência, na sede do 1º Batalhão de Polícia Militar de Itajaí, foi inaugurada ontem pelo o secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba. A instalação, que substitui o Copom, atende chamados pelo número 190 das cidades de Itajaí, Navegantes, Penha e Balneário Piçarras.

A CRE conta com equipamentos modernos, como o sistema que monitora o posicionamento das viaturas em ronda, por meio de um mapa on-line. A recepção das imagens das câmeras de vigilância também é feita pela central.

De acordo com Grubba, o modelo implantado pelo governo do Estado nas centrais de emergência reduz o tempo de resposta aos atendimentos de ocorrências. “As viaturas serão deslocadas mais rapidamente para os locais em que a população comunicou alguma ocorrência. A CRE também reduz o custo de manutenção deste serviço, pois quatro cidades são atendidas no mesmo local e com a mesma eficiência”, disse.

Grubba também entregou 59 viaturas para renovação da frota das polícias Militar, Civil e Instituto Geral de Perícias. Para a PM, foram entregues 34 viaturas. A Civil recebeu 23 e o IGP duas viaturas.

 

ASSUNTO: Saúde do Homem

VEÍCULO: Portal da PMSC

Abepom realiza o evento ”Saúde do homem”

A Associação Beneficente dos Militares Estaduais (Abepom) e as Clinipom’s estão desenvolvendo mais um evento voltado à saúde do homem. O “Saúde do homem” acontece nos dias 11 e 12 de fevereiro, com orientações de cunho preventivo e de promoção à saúde, através de oficinas práticas que possibilitem o auto-cuidado, a prevenção e a promoção da saúde.

O evento será realizado na sede do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA), localizado na rua Joaquim Nabuco, nº 1668, em Capoeiras, Florianópolis, próximo ao Colégio Nossa Senhora de Fátima.

O público que comparecer ao evento (policiais militares e familiares) será beneficiado com massoterapia, exame de acuidade visual, corte de cabelo, aferimento de pressão e glicose, Índice de Massa Corporal (IMC), além da exposição de produtos naturais.

Essas ações visam dar maior conforto e qualidade de vida no trabalho do policial militar, indo ao encontro da ideia de conscientizar o homem sobre a importância do cuidado com a sua saúde.

 

ASSUNTO: Treinamento de bombeiros

VEÍCULO: Portal do CBMSC

ÁGUA, TERRA E RAPEL: BOMBEIROS PARTICIPAM DE CIRCUITO DE AVENTURA

     

 

Nos dias 8 e 9 de fevereiro bombeiros militares do 3° Batalhão (Blumenau), 13° (Balneário Camboriú) e GBS (Florianópolis) participaram da primeira etapa do Circuito Catarinense de Corrida de Aventura em Rio do Sul.

Na categoria quarteto misto, composta pelo Major BM Mombelli (3° BBM), 2° Tenente BM Daniel Dutra (13° BBM), 2° Tenente BM Fernanda (3°BBM) e 2° Tenente BM Renan Cesar (3°BBM), competiram na modalidade expedição a qual contava com 38 km de montain bike, 13 km de trekking com canyoning e rapel de 30 metros, tudo com orientação carta/bússola/terreno, totalizando 51 km de deslocamento em terreno acidentado e em meio a mata e cursos d’água. Na categoria dupla também na modalidade expedição, a Soldado BM Alice do GBS representou a corporação.

Haverá ainda mais 4 etapas, sendo a última em setembro na cidade de Bombinhas, com 120km de percurso com inclusão de provas diferenciadas. A equipe campeã do circuito tem vaga isenta de custas no Campeonato Brasileiro de Corrida de Aventura.

ASSUNTO: Morte de cinegrafista

VEÍCULO: Portal Globo.com

Justiça decreta prisão de suspeito de acender rojão que matou cinegrafista

Pedido de prisão temporária foi feito pela polícia após identificar suspeito.

Ele responderá pelos crimes de homicídio doloso e explosão.

A Justiça do Rio de Janeiro aceitou e expediu, na noite desta segunda-feira (10), o pedido de prisão temporária do homem suspeito de ter acendido o rojão que matou o cinegrafista Santiago Andrade. Ele foi identificado após ajuda de Fábio Raposo, que confessou ter participado da ação e está preso desde domingo (9.

Até as 23h55 o suspeito não havia se apresentado na 17ª DP (São Cristóvão), onde é elaborado o inquérito policial. Ele pode se entregar em qualquer delegacia.

Caso o suspeito não se entregue, policiais podem ir às ruas para cumprir o mandado de prisão a partir das 6h desta terça-feira (11).

O delegado Maurício Luciano, que conduz as investigações, disse que levou uma foto do suspeito para Fábio Raposo, que está à disposição da Justiça, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, Zona Oeste do Rio. Ele reconheceu o autor do disparo. Os dois vão responder por homicídio doloso qualificado, pelo uso de artefato explosivo, e também pelo crime de explosão. Se condenados, a pena pode ser de até 35 anos de prisão.

Segundo o delegado, o autor do disparo tinha intenção de matar. “Foi um homicídio intencional. Não foi um atentado à liberdade de imprensa. Infelizmente, o Santiago estava na linha de tiro. A intenção era ferir ou matar os policiais. Segundo o Fábio, ele tinha um perfil violento, pelo porte físico”, explicou.

Segundo a decisão judicial, “o suspeito foi apontado por acender e posicionar o artefato que tingiu o cinegrafista”. Diz ainda o texto expedido pelo Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro: “a prisão temporária deve ser decretada para a garantia da ordem pública, da futura aplicação da Lei Penal e da futura instrução criminal. Há evidente necessidade de se resguardar a instrução, a fim de que as provas sejam colhidas garantindo-se, ao final, a instrução criminal da causa, que merece integral apuração, dada a lesividade social para que os eventos violentos não mais se repitam”.

Ao deixar a delegacia na tarde desta segunda, o advogado de Raposo havia antecipado que tinha o nome, número de identidade e CPF do homem que acendeu o rojão que atingiu e matou o cinegrafista da TV Bandeirantes. “Eu passei para a autoridade policial o nome do rapaz que estava ao lado do Fábio. Ou seja, um dos acusados de ter arremessado o rojão. Eu apenas disse que tenho o nome da pessoa, a qualificação civil”, disse o advogado Jonas Tadeu.

O advogado explicou como conseguiu as informações: “O Fábio Raposo não me deu o nome do rapaz. O Fábio conhece ele por codinome, e me passou uma pessoa que eu poderia chegar a ela e essa pessoa me passaria o nome certo e a qualificação”.

No domingo, ao ser detido e levado para a delegacia, Fábio declarou em depoimento não conhecer o homem que aparece nas imagens usando calça jeans e blusa cinza suada, mas disse que já o tinha visto em outras manifestações.”

O perito Nelson Massini, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), que analisou as imagens da TV Brasil, a pedido da Globo, disse que Fábio e o outro homem de blusa cinza agiram juntos.

Em um ponto do vídeo, quando a imagem fica distante e os dois se misturam a outras pessoas, a imagem é aproximada e congelada pelo perito. E então surge um ponto luminoso, que, segundo o perito, é o artefato sendo aceso.

Quando perguntado se os dois rapazes estão juntos na ação, Massini respondeu que “na parte superior [do vídeo] se vê o outro participante numa perfeita integração [com Fábio Raposo]”. “As duas pessoas estão aqui [no vídeo] integradas nessa ação. Eles estão juntos”, afirmou.

Em outro ponto, quando o homem de blusa cinza já está se abaixando, ele tem um objeto na mão. Segundo o perito, há uma faísca. “Nós observamos nesta extremidade, a chama já está presente. Então ele, neste momento, já está com o artefato aceso, colocando no chão. [A imagem] é conclusiva. Ele acende num determinado instante, tem o tempo suficiente e aqui neste momento já está acesa. Não há como contra-argumentar, dizer que não, que ele estaria colocando outro objeto. Não só é o objeto, que foi aceso com os dois, e é colocado por este que está de calça jeans, já aceso, ao chão”, explicou Massini.

Delação premiada
Fábio Raposo está na penitenciária Bandeira Stampa, no Complexo de Bangu, à disposição da Justiça, onde cumpre prisão temporária de 30 dias. O advogado disse ainda que o delegado descartou o benefício da delação premiada para seu cliente. “Não está valendo. Mas isso vai ser uma discussão que eu vou levar pra juízo”, disse Jonas Tadeu.

 

ASSUNTO: Formação de pilotos

VEÍCULO: Notícias do Dia

Senai formará pilotos

A ampliação da unidade do Senai (serviço nacional de aprendizagem industrial) voltada à formação de profissionais da aviação será inaugurada hoje em Palhoça pelo sistema Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina). A estrutura ocupará mais de 5.000 m² com laboratórios didáticos e um hangar de 659 m². Com o aumento da estrutura, serão oferecidas 22 formações na área de aviação, entre elas cursos de piloto privado de avião e de helicóptero.

A demanda por profissionais da aviação é crescente no país, especialmente por conta do aumento do uso da capacidade aeroportuária. “Santa Catarina tem especial interesse em desenvolver um polo aeronáutico. Nesse sentido, é importante investir na qualificação de trabalhadores para a manutenção de aeronaves, atividade que requer constante atualização tecnológica”, afirma o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte.

O currículo foi desenvolvido pelo Senai de Santa Catarina atendendo às legislações do MEC (Ministério da Educação) e regulamento pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Todos os cursos são desenvolvidos em laboratórios de ponta e buscam inserir o aluno na resolução de problemas reais encontrados no dia a dia da indústria. A entidade elaborou ainda, em conjunto com empresas, instituições, entidades de classe e a Anac, o perfil profissional do curso técnico em manutenção de aeronaves, válido para todo o Brasil.

 

ASSUNTO: Treinamento em caça sueco

VEÍCULO: Portal Globo.com

Piloto que aprovou Gripen para Brasil diz que alcance de visão é diferencial

Caça sueco será aeronave de combate da Aeronáutica a partir de 2018.

Coronel voou 10 horas como teste e fez relatório para decisão do governo.

“[O Gripen] É uma nova dimensão. Não é como trocar um carro velho por um novo. É mudar radicalmente, completamente. É como sair de um carro para um avião. É uma nova geração, são novos conceitos, novas táticas, novas possibilidades”, diz, em entrevista exclusiva ao G1, o tenente-coronel Carlos Afonso, piloto da Aeronáutica que testou e deu aprovação ao caça da empresa sueca Saab que será a nova aeronave de combate do Brasil.

Segundo o oficial, o alcance de visão, propiciado por diversos sensores e radares, é o diferencial da caça: na cabine, a mais de 30 km do alvo, o piloto consegue ver na sua tela a aeronave que, por exemplo, deve abater. “[Com o Gripen} Eu não estarei mais limitado ao meu alcance de visão, mas poderei ver muito mais longe de mim, tendo uma consciência antecipada do que está acontecendo”, afirma o coronel.

Anunciado em dezembro de 2013 pela presidente Dilma Rousseff como o vencedor do projeto FX-2, após 15 anos de negociações, o Gripen passará a voar nos céus do país a partir de 2018: serão comprados 36 aviões ao custo de US$ 4,5 bilhões. A decisão ocorreu devido à aposentadoria do avião mais potente que o Brasil possuía até então, o Mirage 2000, em 31 de dezembro.

O Gripen concorreu com o F-18, da norte-americana Boeing, já usado pelos Estados Unidos nas guerras do Iraque e Afeganistão, e com o Rafale, da francesa Dassault, experimentado pela França nas intervenções no Mali, Líbia e República Centro-Africana. Mesmo com a novidade que trará ao país, ele leva desvantagem em relação aos ex-concorrentes. Além da reduzida experiência, não possui tecnologias já testadas em combate pelo Rafale e o F-18, que contam com maior capacidade de carga de armas e de combustível, que alcançam alvos muito mais distantes.

Adquirido por países sem tendência bélica, como República Tcheca, Hungria e África do Sul, o Gripen pousa em pistas mais simples e foi construído pela Suécia para que conseguisse fazer ataques a um alvo a até 700 km e retornar a base.
Apesar dos fatores negativos, o modelo sueco foi escolhido pelo governo Dilma devido ao menor custo de produção e manutenção, menor que o dos demais, e devido à transferência de tecnologia que, segundo o Ministério da Defesa, permitirá que o Brasil conheça e produza seu próprio caça e possa fazer as modificações que quiser no Gripen, colocando nele armamento nacional e aprendendo como se faz o avião.

Foi o coronel Afonso que recebeu a missão de verificar as capacidades do modelo e fazer um relatório detalhado, que passou pelas mãos do alto comando da Aeronáutica, do Ministério da Defesa  dos governos de Lula e Dilma. Ele testou por 10 horas com o modelo D, uma versão anterior do NG (new generation), que o Brasil comprará, durante duas semanas em Linköping entre abril e maio de 2009. Antes disso, foram mais seis horas em simulador. Outros pilotos da FAB avaliaram o desempenho dos concorrentes.

“Dizem que o Gripen NG é um conceito [porque o avião ainda será produzido]. Eu digo exatamente o contrário: estamos saindo na frente. Ele está na vanguarda de desenvolvimento, não estamos correndo atrás de nada. Ele é a evolução de todas as capacidades”, afirma o coronel, que atualmente comanda o esquadrão de F-5 da FAB em Canoas (RS)
“É uma arma de guerra, com certeza. É um possibilidade de dissuasão muito grande. E de projeção de poder”, afirma o coronel.

Alcance de visualização é diferencial
Entre os diferenciais do caça que o oficial destaca está a quantidade de informações, radares e sensores disponíveis ao piloto no Gripen. O avião tem sensores de guerra eletrônica, que além de captarem a presença de outros aviões, conseguem também identificá-lo.

O Gripen também pode receber ao mesmo tempo informações de sensores e radares que estão no chão muito distantes dele, ou até mesmo em outras aeronaves, permitindo que, ao se aproximar do alvo, o piloto já saiba de tudo. Essas tecnologias nunca foram usadas antes no Brasil: nas atuais aeronaves de caça do país, o alcance de visão do piloto nos céus está limitado a só o que o radar do avião consegue ver.

Ao decolar de Anápolis (GO) com a missão de abater uma caça de um país vizinho pela fronteira, mesmo ainda bem distante dela o piloto pode receber vídeos, imagens de radares e de sensores instalados no chão, nos aeroportos ou até mesmo de outros aviões civis e militares que estão na área, para saber com antecedência quais armas e qual tática empregará no abate.

Outra tecnologia que chamou a atenção do coronel Afonso foi um radar com zoom que, mesmo a 10 mil metros de altitude, permite que o piloto veja, por exemplo, uma pessoa caminhando na rua ou o prédio que deva ser atacado, em caso de conflito.“As empresas falam muito sobre a capacidade de armamento, mas o piloto de caça tem uma concepção diferente. O que  deslumbra você é a eficiência e a eficácia. Não precisa ter muitas armas, mas é preciso ter precisão”, diz o piloto da FAB.
Ao contrário do F-5, que foi comprado na década de 1970 pelo Brasil F-5 como um caça tático e atinge em média até 1,7 vez a velocidade do som (cerca de 2 mil k/h), o Gripen chega a até mais de 2.450 km/h (2,2 vezes a velocidade do som). Segundo o coronel, consegue atingir até 10 mil metros de altura mantendo a velocidade alta. “É um avião que acelera muito rápido e consegue chegar a altas altitudes com alta performance, mantendo a velocidade alta”, afirma.