Área do associado

Área do associado

Clipagem de 24 a 26 de maio

26.5.2014

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 24 DE MAIO

 

COLUNISTA CACAU MENEZES – Diário Catarinense

De acordo

O réu Julio Octavio Burigo, conhecido como “Nescau”, foi pronunciado como autor do crime de homicídio triplamente qualificado contra Luiz Fernando Letti, o Nando. Figura conhecida em Lages e Floripa, Nando morreu aos 60 anos, vítima de traumatismo craniano causado por um atropelamento. O incidente aconteceu na noite do dia 6 de março deste ano, após uma discussão em um posto de combustíveis na Avenida Duque de Caxias.

 

ASSUNTO: CONFRONTO EM SCHROEDER

VEÍCULO: Diário Catarinense

Moradores vivem noite de tensão

Um dia após viver momentos de tensão ao ser feita refém por três caixeiros foragidos da polícia, a família de um empresário de Schroeder, no Norte de SC, continua assustada com o caso.
Ontem eles não quiseram comentar o que ocorreu na noite da última quinta-feira, quando três assaltantes foram mortos em confronto com o dono do imóvel e a polícia.
As casas vizinhas permaneciam com as janelas e cortinas fechadas. Apenas uma residência da rua onde os caixeiros foram mortos, no bairro Schroeder 1, havia sinais de movimento, mas os moradores também preferiram não comentar o caso.
O aposentado Arneldo Herber, 74 anos, que mora há 21 em uma casa de onde é possível avistar a residência do empresário, garante que foi a primeira vez que viu um caso como esse na região.
Herber disse à polícia que havia escutado o latido dos cachorros quando, por volta das 20h30min de quinta-feira, também ouviu gritos de socorro vindos da casa do empresário.
Em seguida, o aposentado e outros vizinhos ligaram para a polícia, que chegou em poucos minutos ao local.
Os três foragidos mortos na quinta-feira seria integrantes quadrilha que explodiu caixas eletrônicos em um supermercado de Jaraguá do Sul na madrugada de quinta. Segundo o empresário, os três caixeiros invadiram a casa dele, em Schroeder, e ameaçaram a família.
Um deles foi morto com um corte no pescoço feito com um pedaço de uma garrafa após uma briga com a vítima. Os outros dois morreram em confronto com a polícia. O quarto integrante havia tomado outro rumo, antes de seguirem à casa do empresário.

 

ASSUNTO: ARTIGO

VEÍCULO: Diário Catarinense

A triste realidade dos desaparecidos, por Marcus Roberto Claudino*

Ao contrário das muitas datas marcantes do calendário que são comemoradas, 25 de maio é lembrado mundialmente como o Dia Internacional da Criança Desaparecida. Marcada pela tristeza de milhares de mães mundo afora, a data serve para reflexão. Mais de 200 mil pessoas desaparecem por ano no Brasil, uma a cada 11 minutos 40 mil são crianças ou adolescentes. Lamentavelmente é um problema que é tratado superficialmente pelas autoridades. As baixas estatísticas oficiais são uma amostra disso. Pouco mais de 12 mil casos de desaparecidos constam nos registros governamentais brasileiros.
Só em São Paulo ocorrem 23 mil desaparecimentos por ano: em média, 63 por dia. Só em 2013 mais de 1,6 mil pessoas foram enterradas como indigentes no Estado do Sudeste e só na Grande São Paulo no mesmo período mais de 170 pessoas estavam em hospitais sem identificação. São anônimos, desconhecidos e ignorados pela maioria da população e autoridades e cujo pedido de socorro se perde no tempo e no espaço.
Falta uma política pública. Cada Estado tem um boletim de ocorrência diferente e eles não se comunicam. É preciso criar um alerta em nível nacional. Se as pessoas que desaparecem fossem tratadas pela segurança pública como os veículos roubados, quase 100% dos casos seriam solucionados.
Falo com o conhecimento de causa. Trabalho com o tema desde 2011. Integro uma das únicas equipes do país dedicadas exclusivamente aos desaparecidos e ajudei a fundar o Grupo de Familiares e Amigos de Desaparecidos Catarinenses, movimento que trabalhou para a criação da Delegacia Especializada em Desaparecimentos. Além disso, lancei recentemente o livro Mortos sem Sepultura (PalavraCom Editora), que traz um panorama sobre o drama de quem tem um ente desaparecido.

*MAJOR DA POLÍCIA MILITAR DE SC. MORADOR DE FLORIANÓPOLIS

 

ASSUNTO: ARTIGO

VEÍCULO: Diário Catarinense

A campanha Maio Amarelo e o trânsito, por Darci de Matos*

Na metade do século 19 a enfermeira Florence Nightingale foi para a guerra da Crimeia e ficou horrorizada com as condições de higiene nos hospitais de campanha. Voltou para a Inglaterra e teve muito trabalho para convencer a alta cúpula do governo para que fossem adotadas medidas básicas de higiene no tratamento dos feridos. O resultado mostrou que valeu a pena o seu esforço, pois o número de mortes nos hospitais caiu 99%. Hoje no Brasil enfrentamos uma guerra muito mais mortífera que a Guerra da Crimeia. O trânsito mata 60 mil pessoas por ano e deixa milhares de feridos, muitos com sequelas permanentes. É necessária uma campanha de massa para reduzir este morticínio.
Em 11 de maio de 2011, a ONU decretou que esta seria a Década de Ação para Segurança no Trânsito. Dentro deste objetivo, o Sindicato dos Agentes de Trânsito do Estado (Sindatran) está realizando em diversas cidades a campanha “Maio Amarelo – Atenção Pela Vida”. Pedro Silva, presidente do Sindatran, diz que “a proposta é chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito. O mês de maio deve ser voltado para atividades de conscientização sobre o comportamento de cada um no trânsito”.
A maneira mais eficaz para evitar que o motorista transforme seu carro em uma arma é pela conscientização. Este é um trabalho urgente, já que a maior causa de morte dos jovens são os acidentes de trânsito. A batalha pode parecer difícil, mas não impossível. Florence Nightingale mostrou que com criatividade e persistência é possível reverter as expectativas. O Sindatran desenvolve a campanha “Maio Amarelo” e deveríamos nos engajar. Afinal, ninguém sabe quem pode ser a próxima vítima do trânsito. Assim você também lutará pela sua própria segurança.

*DEPUTADO ESTADUAL (PSD). MORADOR DE JOINVILLE

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 25 DE MAIO

 

COLUNISTA HÉLIO COSTA – Notícias do Dia

Promoção no IGP

Duzentos e oitenta servidores do quadro do IGP (Instituto Geral de Perícias) receberam promoção. São 96 peritos criminais, nove peritos criminais bioquímicos, 51 médicos-legistas, 42 papiloscopistas, 44 auxiliares criminalísticos, sete auxiliares de laboratório e 32 auxiliares de medicina legal, o que corresponde a 64% de um total de 437 servidores que compõem o quadro da instituição. As promoções foram concedidas por merecimento e por antiguidade, após um processo realizado pela Comissão Permanente de Promoção do governo.

 

COLUNISTA CARLOS DAMIÃO – Notícias do Dia

Menudos

Faz sucesso nas redes sociais um vídeo de quase dois minutos que mostra um grupo de policiais militares catarinenses cantando e dançando a música tema do Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência). E o mais engraçado não é a dança em si. São os comentários postados a respeito do vídeo.

 

ASSUNTO: LEI SECA

VEÍCULO: Diário Catarinense

Blitze atacam embriaguez ao volante

Primeira noite de operações na Capital termina com duas prisões e três veículos recolhidos

A primeira noite de operações das polícias para conter a embriaguez ao volante em SC teve três operações em Florianópolis. As barreiras montadas na SC-401 resultaram em multas e prisões de condutores flagrados dirigindo embriagados. Nas pontes Colombo Salles e Pedro Ivo e na SC-405 a fiscalização foi suspensa.
No Norte da Ilha, o forte aparato da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), com o apoio das polícias Civil e Militar, aplicou seis testes de bafômetro das 20h de sexta-feira às 6h de sábado. Três deles deram positivo – um dos condutores apresentou índice abaixo de 0,30 miligramas de álcool por litro de ar expelido, o que gerou apenas multa e processo administrativo. O teste de outro motorista apontou 0,67 ml/l. Parado na blitz, estava com a parte frontal do veículo danificada e afirmou que não sabia como havia colidido o carro. Ele foi preso e conduzido à 7ª DP, em Canasvieiras.
Além dos condutores que fizeram o teste, um sexto motorista negou-se a assoprar o aparelho e foi levado à delegacia. O homem se dirigia para Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis. Outras três pessoas, entre elas uma criança, estavam no veículo.
No Norte da Ilha a operação resultou em duas prisões, no recolhimento de três veículos e uma moto e na retenção de duas carteiras. A ação na SC-401, além de fiscalizar, serviu de orientação. Nas abordagens, os policiais conversaram com os motoristas e deram instruções. Segundo o major Marcio José Antunes, comandante da 1ª Companhia da PMRV, o objetivo não era flagrar condutores embriagados:
– Nossa intenção é mostrar que a polícia está na rua e conscientizar o nosso usuário de que se ele vai para uma balada ou festa deve se programar para ir de táxi ou com alguém que não vai beber.
Um dos abordados foi o administrador José Fernando Nobre, que seguia no sentido Norte-Centro, depois de ter deixado a filha e o namorado dela em uma festa. Para ele, as blitze são necessárias para criar a cultura de beber e não dirigir.
No Sul da Ilha a operação que começou às 20h foi suspensa algumas horas depois para que os policiais dessem apoio à troca de guard-rail no túnel da Via Expressa Sul. Não houve prisões nem autuações. De acordo com o comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, Araújo Gomes, no Centro a fiscalização foi cancelada devido ao mau tempo. No Sul do Estado foram registradas duas prisões por embriaguez: uma na SC-445, em Içara e a outra na SC-118, em Cocal do Sul.

 

ASSUNTO: LEI SECA – EDITORIAL

VEÍCULO: Diário Catarinense

O PAPEL DA BLITZ

O Estado de Santa Catarina precisa virar esse jogo e uma das formas é uma ação policial mais ostensiva nas ruas.
A rigorosa Lei Seca que vigora no país há seis anos ainda não foi completamente assimilada pela população, afinal não são poucos os casos de motoristas embriagados flagrados pelas autoridades policiais. Apesar da falta de estatísticas precisas sobre o percentual de acidentes relacionados ao consumo de bebidas alcoólicas, é inegável que os hábitos de muitos condutores ainda estão longe do ideal. É incontestável também que o número de mortes continua impressionante, uma carnificina nas estradas com tragédias familiares incomensuráveis além de gigantescos prejuízos financeiros ao país. A relevância do assunto exige um permanente balanço dos resultados da legislação, uma avaliação sobre o comportamento do cidadão no trânsito e análise acurada a respeito das políticas públicas implantadas pelas prefeituras, governos estaduais e pelo Executivo federal.
Dentro desse contexto, é louvável a disposição do novo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Valdemir Cabral, de intensificação das blitze para fazer com que a proibição de consumo de álcool seja cumprida pelos condutores em Santa Catarina. Por vários motivos. Por si só, a presença da polícia na rua já representa um inibidor importante aos motoristas que ainda cogitam desrespeitar a lei. Além disso, há a possibilidade de responsabilização dos infratores, com as abordagens e o uso dos bafômetros para aferir a dosagem alcoólica no organismo dos motoristas.
Mas o mais relevante no caso do anúncio feito pela PM é o caráter preventivo das operações policiais, que devem ser reforçadas daqui em diante. Faz sentido a lógica divulgada pelo comando da corporação de que o objetivo não é pegar ninguém no teste do bafômetro, mas sim evitar que as pessoas bebam antes de guiar ou incentivar que peguem um táxi ou carona quando souberem antecipadamente que vão ingerir álcool. Tanto que as blitze não serão tratadas com sigilo. Ao contrário, a orientação é de que as barreiras sejam anunciadas à população.
É uma forma acertada de contribuir para uma mudança de comportamento no trânsito, além de reforçar a sensação de segurança. Imprescindível que o aparato estatal esteja suficientemente preparado para punir quem burla a Lei Seca – e coloca em risco a própria vida e a de outros – e que essa resposta seja rápida. Mas é ao mesmo tempo relevante a preocupação com a formação do cidadão que circula pelas vias públicas diariamente – seja iniciante ou veterano do volante.
Significa apostar na cultura de preservação da vida e na disseminação de valores individuais positivos. No feriadão do último Réveillon, Santa Catarina ostentou o triste quarto lugar em número de acidentes fatais nas rodovias federais, com 24 mortes em 751 ocorrências. Ficou atrás apenas de Minas Gerais, Bahia e Paraná. O Estado precisa virar esse jogo e uma das formas é uma ação policial mais ostensiva nas ruas.

 

ASSUNTO: Protesto em Palhoça

VEÍCULO: Notícias do Dia

Protesto contra a insegurança

Cansados da inoperância da Polícia Militar, que não vai às ruas dar segurança a moradores e comerciantes da avenida das Tipuanas, no loteamento Madri, em Palhoça, donos de loja fecharam o comércio mais cedo no final da tarde sexta-feira, e foram para a rua gritar contra a violência. Uma das mais indignadas é Sônia Meinel, 38, proprietária de uma loja de roupas. “Uma quadrilha me trancou no banheiro e levou tudo o que podia. Foram embora quando começou a entrar cliente”, reclama Sônia.

O barbeiro Vanderlei da Silva, 46, tem observado carros com placas de outras cidades levantando casas e lojas para furtar. “Não temos policiamento. A Polícia Militar não faz rondas aqui. Pelo menos nunca vi. O posto policial mais próximo fica oito quilômetros distante”, comentou.

Conforme o presidente da Associação dos Moradores do Loteamento Madri, Misael Lourenço, a população deixou de acreditar na polícia. “Tanto que nem registra mais boletim de ocorrência”. Ele ressaltou que num período de 45 dias ocorreram cerca de 30 arrombamentos a residências e mais de dez assaltos a mão armada entre lojas e domicílios. Segundo ele, o bairro São Sebastião, próximo ao loteamento Madri, é outra região castigada pela violência urbana.

Promessa de mais policiais nas ruas

O prefeito Camilo Martins (PSD) afirma que tem ido com frequência ao Centro Administrativo e ao gabinete do secretário de Segurança Pública, César Grubba, pedir reforço policial. Camilo ressaltou que a promessa é um incremento de 40 PM s, além de 25 câmeras de vigilância. Camilo promete criar uma Guarda Municipal. A intenção dele é colocar a força municipal no trânsito para os PMs, que estão nesta função, serem convocados para o policiamento de rua. Enquanto a promessa não é cumprida, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Valdemir Cabral está estendendo o policiamento ostensivo – reforço do pessoal que estão em cargos burocráticos – para o município de Palhoça. O prefeito disse que constatou a cavalaria na cidade. “A ostensividade ficou apenas nas ruas centrais. Nosso maior problema é na periferia”, critica.

 

ASSUNTO: Roubos em Jaraguá do Sul

VEÍCULO: Notícias do Dia

Polícia mata caixeiros

As quase 15 horas de buscas da Polícia Militar pelo paradeiro da quadrilha que rendeu dois vigias e explodiu três caixas eletrônicos, em Jaraguá do Sul, no Norte do Estado, na madrugada de quinta, foram encerradas após a ligação de moradores de Schroeder, feitos reféns durante a fuga dos criminosos.

Por volta de 20h30, a dona de uma casa denunciou que três suspeitos haviam rendido sua família. Enquanto dois deles entraram na mata para buscar o dinheiro roubado dos caixas eletrônicos, outro ficou com as vítimas.

Diego Drun, 24, foi rendido por um morador e durante luta corporal morreu. Ele foi estrangulado, além de receber um corte na região do pescoço.

O integrante da quadrilha é natural de Fraiburgo, mas morava em Camboriú. De acordo com a PM, ele estava com dois mandados de prisão em aberto pelos crimes de roubo e furto. Diego fugiu do presídio Regional de Tijucas em janeiro.

Os dois comparsas de Diego foram localizados na mata e reagiram à abordagem dos policiais militares. Houve troca de tiros. No confronto morreram Allan Pacheco Russi, 22, e o colega de quadrilha. O último não foi identificado até o começo da tarde de sexta.

Com a dupla foi encontrado um verdadeiro arsenal. Um fuzil de assalto russo AK-47, outro parafal, três pistolas, 300 munições de calibres de uso restrito, dois coletes balísticos, dois rádios comunicadores, pelo menos três carregadores de fuzil .762, com capacidade para 68 projéteis, cada, e duas emulsões encartuchadas com espoleta (explosivos).

Parte do dinheiro do roubo, R$ 308.817, estava com Allan e o comparsa. Outros R$ 76.564,00 foram recuperados junto aos destroços da explosão no supermercado.

 

ASSUNTO: Sistema prisional

VEÍCULO: Notícias do Dia

Presídios sob vistoria

Inspeções nas três unidades prisionais no Sul do Estado foram concluídas nesta semana

pela desembargadora Salete Sommariva, titular da Coordenadoria de Execução Penal e da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, do Trinunal de Justiça. Na quinta-feira, ela esteve no presídio Santa Augusta e na penitenciária Sul, em Criciúma. O trabalho foi finalizado na sexta-feira, em visita de inspeção ao presídio de Araranguá.

Na avaliação da desembargadora, o quadro mais grave foi encontrado em Araranguá. Os problemas vão desde a superlotação até a ausência de insumos básicos aos detentos, que precisam dividir seus kits de higiene e, por isso mesmo, correm risco de contaminação por doenças infectocontagiosas. Há riscos também na área de segurança.

Já em Criciúma, duas situações distintas. Enquanto no presídio Santa Augusta houve registro de rebelião recente, no mês de abril, com a necessidade de transferência de detentos, na penitenciária Sul, explorada pela iniciativa privada, não houve registro de problemas. Com 680 presos, capacidade máxima, a penitenciária Sul abrigará cerca de 100 detentos transferidos do Santa Augusta. O Executivo projeta a construção de uma nova ala com capacidade para abrigar 270 presos e desafogar a demanda.

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 26 DE MAIO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Parece, mas não é

Equipes do Corpo de Bombeiros estarão posicionadas hoje pela manhã em frente ao prédio da prefeitura de Florianópolis, no Centro, mas não se assuste. Trata-se apenas de uma simulação de combate a incêndio, que faz parte da programação do aniversário de 31 anos do 1o Batalhão de Bombeiros Militar.

Na ponta do lápis

Apesar do esforço do comando em colocar mais PMs nas ruas, a falta de efetivo é de longe o principal problema da corporação hoje. Só no 4o BPM, responsável pelo Centro Central e sul da Ilha, em Florianópolis, são 80 homens a menos desde 2010.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

Violência

A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú realiza audiência pública hoje, às 19h, com a presença das entidades empresariais e comunitárias para tratar do aumento da violência e do insustentável clima de insegurança. Em apenas quatro meses foram registrados 250 assaltos. E há críticas sobre falta de sintonia entre policias Civil e Militar e Guarda Municipal.

 

ASSUNTO: TROCA DE TIROS

VEÍCULO: Diário Catarinense

Operação tem três presos e um morto

Quadrilha é suspeita de pelo menos quatro assaltos na semana passada

Um homem foi morto e outros três acabaram presos após troca de tiros com a PM de Lages no sábado à tarde. O grupo é suspeito de ter praticado pelo menos quatro assaltos à mão armada na semana passada no Sul do Estado e na Grande Florianópolis. O tiroteio aconteceu pouco antes de um provável novo roubo, na Serra.
A PM recebeu a denúncia de que um bando estava escondido nos fundos de uma casa abandonada onde funcionava uma boate na Avenida Vitor Alves de Brito, no bairro Pinheiro Seco. Entre os suspeitos estaria Eduardo de Carvalho, o Gargamel, 46 anos, apontado como um dos bandidos mais perigosos da região.
Policiais do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) foram até o local e encontraram os quatro em volta de uma van Ducato com placas de Armazém. Ao receberem a ordem para deitar no chão, três obedeceram, mas Gargamel efetuou disparos de revólver contra os policiais, que revidaram.
Gargamel foi atingido por um tiro no abdome, chegou a ser atendido pelo Samu, mas não resistiu ao ferimento e morreu no local. Os outros três suspeitos, moradores de Florianópolis, não portavam arma e não reagiram à prisão. Um deles é menor de idade.
Na van, que havia sido roubada em Paulo Lopes, os policiais encontraram nove munições de revólver calibre 38, sete relógios de pulso, 269 peças entre correntes e pulseiras, fitas braçadeiras usadas como algemas, cinco gramas de maconha e R$ 2.445 em dinheiro.
A suspeita é de que as joias e o dinheiro tenham sido roubados de joalherias em Criciúma, Içara e Biguaçu.

 

ASSUNTO: TIROS EM TUBARÃO

VEÍCULO: Diário Catarinense

Criança morre baleada no carro

Uma criança de cinco anos morreu baleada no final da tarde de ontem em Tubarão, no Sul de Santa Catarina. Ana Carolina Alexandre Sorato, cinco anos, estava sentada numa cadeirinha no banco de trás de um Logan quando o carro foi alvejado por 12 tiros.
A menina foi baleada com um tiro no rosto e outro no pescoço, de acordo com a PM. A facção Primeiro Grupo Catarinense (PGC) é suspeita de ter sido a autora da emboscada que resultou na morte de Ana Carolina. A informação é da Polícia Civil. Segundo a polícia, o alvo da facção seria o pai da criança, que não estava no carro. Em 2013, ele sofreu tentativa de homicídio. Ele não pertenceria a nenhuma facção, conforme a polícia.
A mãe de Ana Carolina estava no volante. Ela e outra mulher não sofreram ferimentos. Um adolescente de 17 anos que também estava no Logan foi baleado na perna e encaminhado ao Hospital Nossa Senhora da Conceição.
De acordo com a PM, os tiros foram disparados por alguém de dentro de um Corsa preto, que teria encostado no Logan e fugido após os tiros. A emboscada aconteceu por volta das 17h20min, na Rua Simão Esmeraldino de Menezes, no bairro Dehon, região central de Tubarão.
Barreiras foram realizadas na cidade, mas até as 22h15min, o suspeito ainda não havia sido identificado pela polícia.
Investigação considera possível acerto de contas
A PM informou que o Logan está em nome de uma pessoa com envolvimento no tráfico de drogas e por isso suspeita-se de acerto de contas entre traficantes. O caso está sendo investigado pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Tubarão.
Conforme a PM, a guerra entre quadrilhas rivais em Tubarão voltou depois de dois meses de trégua. Um jovem de 25 anos foi assassinado na Área Verde, em Tubarão, neste sábado. O motivo: tráfico de drogas.