Área do associado

Área do associado

Clipping dos dias 9, 10 e 11 de março

11.3.2013

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 11.03

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense 11.03

NÃO HÁ VAGAS

Leitor envia foto para registrar sua indignação com o que ocorre nas imediações da 4ª DP, em Itaguaçu, região continental de Florianópolis. A Rua Ivo Reis Montenegro virou depósito de carros batidos e apreendidos. Alguns veículos estão ali há meses. E o pior, reclama o morador, é que não dá para reclamar: porque é coisa da própria polícia.

DIVISÃO NA DP

A Associação dos Delegados de Polícia (Adepol) de Santa Catarina elege sua nova diretoria no dia 5 de abril. Desta vez, haverá disputa pelo comando da entidade, já que uma chapa de oposição foi inscrita. O delegado Ulisses Gabriel vai disputar contra Renato Hendges, que busca a reeleição.

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense 09.03

CADEIRA VAZIA

A indefinição sobre o comando da Polícia Federal em Santa Catarina completa quatro meses. Internamente, há apenas boatos entre os policiais sobre quem será o escolhido para o cargo de superintendente no lugar do delegado Ademar Stocker, que desde novembro avisou que deixaria a função. Um delegado que atua como adido da PF na Colômbia teria sido convidado, mas só aceita se vier a partir de maio, ou seja, seriam mais dois meses nessa situação. O nome do delegado Ildo Rosa, que já circulou como o mais cotado, perdeu força.

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense 10.03

Touchê

A prisão de Renato José Mafiolete, apontado como um dos líderes do PGC no Sul da Ilha, expôs, mais uma vez, as velhas feridas entre as polícias Militar e Civil. Coronel Araújo Gomes, comandante do 4º Batalhão e um apaixonado por redes sociais, postou a seguinte mensagem na sua página do Facebook: “Vagabundo entregue na Deic.” Logo em seguida comentou: “…de bandeja”.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense 11.03

Bauer: o PSDB fora do governo

Senador Paulo Bauer está retornando amanhã de viagem oficial à Europa para retomar os encontros regionais do PSDB no interior do Estado, com vistas à eleição do novo diretório estadual. Ele continuará defendendo a saída do PSDB do governo Raimundo Colombo, mantendo o compromisso da governabilidade. A convenção partidária será no dia 28 de abril.
Entende que o PSDB deverá montar palanque para a candidatura presidencial do senador Aécio Neves em 2014. Ele identifica tendência do PSD de participar do governo Dilma e do governador Raimundo Colombo de apoiar a reeleição da presidente petista.
Nos contatos com lideranças municipais e regionais, Bauer condiciona sua candidatura ao governo estadual a uma estratégia acoplada com o projeto presidencial.
– Se a executiva estadual decidir por uma nova linha de independência em relação ao governo, coloco meu nome à disposição. Se, ao contrário, manter apoio ao governo, fica difícil uma candidatura a governador – afirmou o senador pelo telefone de Estrasburgo, na escala de missão da Câmara Federal à Suíça e França.
Ele é presidente do Grupo Parlamentar Brasil-Suíça.
Outra posição:
– O PSDB não pode ter na presidência do diretório alguém que ocupe cargo no governo. Se fizer esta escolha, estará detonando as candidaturas a presidente e a governador.
Em sua pregação, o senador vem enfatizando que o acordo com Colombo tem prazo de quatro anos e que “ninguém tem compromisso com a próxima eleição”.
Em seus discursos, Bauer faz um histórico das eleições presidenciais em Santa Catarina. E destaca que, desde Fernando Henrique Cardoso até a de 2010, os candidatos presidenciais sempre saíram vitoriosos no Estado. O senador entende que o partido deverá montar palanque para Aécio em 2014.

Contraponto

Deputado Marcos Vieira, que lançou seu nome à presidência do diretório estadual do PSDB na convenção de abril, tem posição contrária à tese de Paulo Bauer. Quer os tucanos apoiando o governo Colombo
– O PSDB não pode repetir os erros do passado. Apostou todas as fichas num só nome, Leonel Pavan, e deu no que deu. Para 2014, tem que investir em três ou cinco nomes da majoritária.

Magistério

Caberá ao deputado Mauro Nadal, do PMDB, relatar o projeto do Executivo que trata da descompactação da tabela salarial dos professores da rede estadual de ensino. Nadal é o novo presidente da Comissão de Constituição e Justiça. Começa a estudar a matéria esta semana.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense 10.03

Colombo e o jogo da reeleição

Se o governador Raimundo Colombo (PSD) executar o projeto de reeleição proposto por Luiz Henrique (PMDB) terá apenas mais um ano de governo. Renunciaria em abril para Eduardo Pinho Moreira (PMDB) completar o mandato. Levaria o PMDB no governo, que terá em 2014 o deputado Romildo Titon na presidência da Assembleia. Abriria uma vaga de vice e teria um cargo majoritário do Senado para negociar com outros parceiros. Luiz Henrique quer o PT com Ideli Salvatti; Colombo prefere o PP, quem sabe com Angela Amin ou Joares Ponticelli.
Um ano é muito pouco tempo para inaugurar as dezenas de obras do Pacto por Santa Catarina, a principal marca da atual gestão. E que pretende ser a oxigenadora da reeleição.
Todas as articulações políticas e mudanças administrativas dos últimos meses no primeiro e segundo escalões levaram em conta exatamente o propósito de manter a aliança e com ela caminhar para novo mandato.
A entrevista que o professor Ubiratan Rezende concedeu ao repórter Upiara Boschi, publicada nesta coluna, é reveladora dos desafios que Colombo vai enfrentar. Constata, com razão, que o governo é um arquipélago de secretarias partidárias, empresas autônomas e de governos paralelos. A rigor, sem unidade e sem estratégia de gestão, em termos de busca de um novo futuro para o Estado. Isto explica por que as três reformas foram casuísticas. Justifica, também, o diagnóstico de Ubiratan sobre desarticulação. Colombo, a rigor, tem enfrentado greves e crises solitariamente. Não há um plano de blindagem, muito menos intervenções na Assembleia em defesa do governo.
Futuro? Bira disse bem. A aliança é poderosa e hoje não há adversários. Mas a história de Lages mostra que este jogo também pode ter surpresas. Projeto sugerido por Luiz Henrique prevê renúncia em abril de 2014.

Júri

Será nesta segunda-feira a sessão do tribunal do júri para julgamento dos acusados pelo bárbaro assassinato do policial rodoviário federal Leonardo Leon Valgas dos Santos. Vão a julgamento os acusados João Antônio Neto Santos, Paulo Henrique Rei dos Santos e Ricardo Elias Ferreira. O homicídio chocou Florianópolis. Valgas era um exemplar e dedicado policial.

 

COLUNISTA CLÁUDIO PRISCO – A Notícia

Estratégia

O grupo acusa o deputado Marcos Vieira (PSDB) pela inoperância do doutor Juca, afirmando que a estratégia do parlamentar é levar o assunto ao diretório estadual do PSDB e transformar o diretório de Florianópolis em comissão provisória. O clima é insustentável, explicitando o racha interno no ninho tucano.

 

COLUNISTA PAULO ALCEU – Notícias do Dia 08.03

Empenhado

“Com gestão é possível economizar e dar mais eficiência a máquina do governo, embora seja uma tarefa árdua, pois tem que cobrar, ser chato e cortar. A gente acaba se transformando em persona non grata, mas o resultado é compensador e sempre positivo.” Sublinhou o secretario de Administração, Derly Massaud.

Determinação

Reforma ou revisão administrativa no governo do Estado não está autorizado nenhum tipo de aumento na estrutura. Determinação do governador Raimundo Colombo. Adaptações ou adequações serão aceitas, mas antes avaliadas.

Adaptações

Uma delas será para incluir o PR na administração estadual. Extinta a Secretaria de Assuntos Internacionais surgirá a Secretaria de Governo, com Filipe Melo. Não aumenta, mas se mantém a avantajada estrutura atual.

 

COLUNISTA ROBERTO AZEVEDO – Notícias do Dia 08.03

Disputa

Presidente da Comissão de Segurança da Assembleia, o deputado Maurício Eskudlark (PSD) vive uma situação curiosa: tem fila para ocupar o cargo de vice-presidente. Estão na disputa, Antônio Aguiar (PMDB), que já emplacou a Comissão de educação, e os deputados Ana Paula Lima (PT) e Reno Caramori (PP)

 

ASSUNTO: Julgamento em Florianópolis

VEÍCULO: DIÁRIO CATARINENSE

EDITORIA: Geral

MORTE DE POLICIAL

Júri terá esquema especial de escolta

Polícia Federal se precavê de tentativa de resgate de acusados, possíveis integrantes de quadrilha

A Polícia Federal (PF) atuará com forte esquema de segurança para o julgamento de três assaltantes na manhã de hoje, em Florianópolis, acusados pela morte do policial rodoviário federal Leonardo Valgas, 36 anos. A mobilização será para a escolta dos presos e também na Justiça Federal, na Avenida Beira-Mar Norte, onde ocorrerá o tribunal do júri.
A mobilização é para evitar tentativa de resgate, pois os réus, segundo a polícia, são integrantes de quadrilha especializada em grandes roubos e que agia com violência. O grupo é de Londrina (PR). O número de policiais que serão mobilizados não foi divulgado.
Os presos foram transportados para Florianópolis da Penitenciária Federal de Mossoró (RN), onde ficam os criminosos de alta periculosidade e o recente destino de 40 líderes do Primeiro Grupo Catarinense (PGC).
Serão julgados João Antonio Neto Santana Santos, o Netinho ou Neto, Ricardo Elias Ferreira, o Firmeza, e Paulo Henrique Reis dos Santos, o Topete ou Palmito. Os crimes a que respondem são assassinato, roubo e porte ilegal de arma.
O policial rodoviário foi morto na manhã de 9 de dezembro de 2011, no Bairro Coqueiros. Valgas fazia policiamento com uma motocicleta na Via Expressa quando os três passaram num Palio. Valgas suspeitou e saiu de moto atrás, em perseguição. O carro em que os bandidos estavam parou na Rua Desembargador Tavares da Cunha Mello e os suspeitos fizeram menção de que se entregariam.

Crime foi registrado por câmera de uma residência
Em seguida, deram marcha à ré até bater na moto e um deles atirou no policial. Uma câmera de uma casa registrou o crime. Houve intensa mobilização policial nas horas seguintes – além da morte do policial, na fuga os criminosos renderam motoristas. Os acusados foram presos no mesmo dia em uma casa no bairro Bela Vista, em São José.
A polícia conseguiu filmagem de uma câmera no Bairro Abraão, em que mostrava o trio fugindo após a morte, e apreendeu a chave do Palio na casa. A PF informou na época que os ladrões foram reconhecidos pelo assalto ao Banco do Brasil, um mês antes, na Praia de Ingleses, e por um roubo numa casa na Pedra Branca, em Palhoça.
A Justiça Federal estima que o júri popular poderá durar até dois dias. A sessão será aberta ao público e começará às 9h com o sorteio dos jurados. O juiz Rafael Selau Carmona irá presidir o julgamento. Na acusação atuarão os procuradores Daniel Ricken e Anderson Lodetti Cunha de Oliveira, além do advogado José Manoel Soar, o Jaraguá, como assistente de acusação. O DC não teve acesso à defesa dos réus.
Três dias depois da prisão dos acusados de terem atirado no policial rodoviário, polícia afirma ter identificado o autor dos disparos.

 

ASSUNTO: Cão farejador

VEÍCULO: O SOL DIÁRIO

EDITORIA: Geral

Hora de descansar o focinho

Corporação anuncia aposentadoria de cão farejador em Balneário Camboriú

Chamado de Black, animal está há oito anos trabalhando junto à PM, em Balneário Camboriú

Black ainda brinca como se fosse um filhote. Corre atrás da bola, rola no chão e agita o rabo com força quando vê a adestradora segurando os brinquedos. Mas os pelos brancos, que começam a tomar conta do focinho, indicam que já é um respeitável senhor. O temperamento agitado, aos nove anos de idade, é resultado dos oito anos de treinamento e trabalho junto à Polícia Militar de Balneário Camboriú, como cão farejador. Black ainda não sabe, mas está prestando os últimos trabalhos como policial. A partir de 15 de março estará aposentado, liberado para uma vida de sombra e água fresca.

O destino do labrador já está definido. Vai mudar-se para Tocantins com um cabo aposentado da PM, com espaço de sobra para correr e brincar. Para a soldado Andrea Metzner, adestradora de Black, é uma dolorosa despedida. Com lágrimas nos olhos, ela diz que prefere nem pensar na hora de dizer adeus.

_ É difícil me despedir dele porque a relação que temos com os cães é muito forte. Fico com eles até mais tempo do que com a minha família. É como um casamento _ diz.

Enquanto a hora de partir não chega, o labrador segue atuando na Operação Camboriú mais Segura, que desde o mês passado ocupa as áreas de maior índice de criminalidade na cidade. Dias atrás, encontrou drogas escondidas no porta-luvas de um carro.

Trabalhos como este fazem parte da rotina do labrador. Dono de um faro aguçado, que chega a 400 vezes a capacidade humana, ele também acumula no currículo a descoberta de objetos roubados e armas _ uma delas, escondida atrás de uma parede.

_ Como era arma de um usuário, ele associou ao cheiro da droga. A parede era coberta de isopor e ele cavocou até achar _ conta Andrea.

Quilinhos a mais

O talento de Black, porém, quase foi prejudicado por seus quilinhos a mais. Filhote de um cão policial já aposentado, ele chegou ao 12º Batalhão ainda bebê, mas com excesso de peso. No início, correr por poucos metros o fazia sentar. Sinal de cansaço, algo que o desabilitaria para um trabalho pesado que inclui farejar, muitas vezes, várias casas num dia só.

Afeiçoada ao labrador, Andrea resolveu atuar como personal trainer canina. Começou com caminhadas, aliadas a uma alimentação balanceada. Aumentou o ritmo e em poucos meses deixou Black pronto para o treinamento, que fez dele um campeão de faro.

Para os cães, trabalho não passa de brincadeira

Quando Black for embora, deixará no canil do 12º Batalhão da PM, em Balneário Camboriú, seis companheiros de trabalho. O K-9, como é chamado o grupo de policiamento com cães, conta com o pastor alemão Xeo, o rotweiller Fusil e os pastores belgas malinois Gaia, Bout, Wanda e Yankee.

Com exceção de Xeo e Bout, os demais são filhotes e ainda não foram liberados para o trabalho nas ruas. No batalhão, os cães têm as habilidades identificadas e aprimoradas para que possam exercer funções como guarda, proteção e busca de suspeitos na mata.

O treinamento inclui brincadeiras com bolas, brinquedos de borracha, luvas para morder e muita atividade física. Além de velocidade e impulso em terra, para escalar muros e paredes, os cães nadam grandes distâncias. O treino é feito no mar, na Praia do Estaleiro.

Só podem fazer parte do K-9 cães-alfa, aqueles que se destacam nas ninhadas por serem agitados demais, curiosos e com capacidade de aprendizagem. O mesmo cão que faria um estrago no quintal pode ser uma opção perfeita para o trabalho policial, garante Andrea. Por isso, a maioria chega através de doação.

Os doadores são estimulados a visitar os cães durante toda a vida dele na polícia. E, quando se aposentam, podem levá-lo de volta para casa.

Vida dedicada aos animais

Primeira mulher no Estado a fazer o curso completo de adestradora no Canil Central da PM, a soldado Andrea Metzner deixou o policiamento de rua para trabalhar exclusivamente com os cães. Dona de sete cachorros e acostumada a recolher animais abandonados nas ruas, ela descobriu no K-9 uma vocação. O canil a levou à faculdade de Biologia e a especializar-se em fisioterapia animal.

_ Não é mais trabalho, é uma parte da minha vida. Me sinto realizada com cada conquista deles. Sei que vou ter que sair daqui um dia, mas vai ser para cuidar de bichos.

Hoje, o efetivo do K-9 tem ainda dois homens e uma mulher, a soldado Kelly Kletke. Segundo o subcomandante do Canil Central da PM em Florianópolis, capitão André Rodrigo Serafin, elas ainda são minoria entre os adestradores.

_ As mulheres gostam muito dos animais, mas algumas não têm o perfil de adestradoras, que exige didática e metodologia. As roupas usadas também são pesadas, e os cães mordem com bastante força. Mas aos poucos elas estão conquistando seu lugar _ diz.

Para adestrar é preciso passar por provas técnicas, teóricas e práticas, de condução dos cães, e estar disposto a tomar, vez ou outra, algumas mordidas. Em compensação, a relação é de total cumplicidade.

 

ASSUNTO: Temporais

VEÍCULO: CLIC RBS

EDITORIA: Geral

Temporais

Defesa Civil segue avaliando estragos causados pelo temporal que atingiu a Grande Florianópolis no sábado

População deve prestar atenção a locais com risco de desabamento ou deslizamento de terra

A Defesa Civil do Município de Florianópolis avalia, ao longo deste domingo, os estragos causados pelos temporais que atingiram bairros da ilha e da região continental da cidade. O município de São José também registrou alagamentos. 
Equipe formada por cerca de 50 pessoas, entre técnicos e agentes voluntários da Defesa Civil,  equipe das secretarias de Habitação e Obras, Guarda Municipal e bombeiros recomeçaram, pela manhã, vistorias para identificar as regiões mais atingidas e onde existe maior risco para a população.
— Com o tempo mais limpo, como o registrado agora pela manhã, fica mais fácil fazer essa avaliação — explica Roberto Pertile, um dos voluntários, que desde a tarde de ontem trabalha nas vistorias.
Os voluntários ainda fazem a distribuição de lonas para conter deslizamentos, e orientam a população para que não corram maiores riscos. 
De acordo com o coordenador da Defesa Civil em Florianópolis, coronel José Cordeiro Neto, após a verificação dos locais apontados pela população como mais afetados, serão feitos relatórios com as estimativas dos riscos. Os relatórios serão encaminhados para as secretarias responsáveis e para a prefeitura do município, para que sejam tomadas as medidas necessárias. 
Roberto alerta a população para que observe se há rachaduras, nas paredes ou na ruas, que antes da chuva não estavam ali. E nas casas atingidas pela água, é necessário cuidado especial com a água acumulada e com a água para consumo após o alagamento, que pode oferecer risco de contaminação. É recomendado utilizar produtos como água sanitária para a limpeza das residências. 
De acordo com o coronel José Cordeiro Neto, o que gera procupação no momento não são mais os alagamentos, que já foram controlados, mas as áreas onde há risco de desabamento. Maciço do Morro da Cruz, Morro do Horácio, Ceira do Saco dos Limões, Costeira do Pirajubaé, Saco Grande e Pantanal são apontadas como algumas das regiões de maior risco.
Na Rua Custódio Vieira da Rosa, no bairro da Caeira do Saco dos Limões, uma casa foi atingida por um barranco que cedeu e precisou ser interditada. Segundo o secertário de Segurança de Florianópolis, Rafarel Debona, os moradores foram realocados para uma casa do projeto Aluguel Social. 
Outro ponto de risco é a subida do Morro do Horácio. O trecho de uma das ruas principais foi fechada para veículos pesados, como ônibus e caminhões, pois após o infiltramento da água o asfalto cedeu em alguns pontos. 
No bairro Estreito, muitas casas foram destelhadas. Os estragos ainda estão sendo avaliados. 
O secretário Debona informou que até a próxima terça-feira, quando ainda há previsão de chuva forte, a Defesa Civil está mobilizada. 
Para informar sobre locais atingidos pela chuva, a população deve ligar para a Defesa Civil no número 199.

 

ASSUNTO: Multas

VEÍCULO: Correio Braziliense

EDITORIA: Geral

Detran vai converter multas de infrações leves e médias em advertênciasInédita no país, a medida vale apenas para os condutores que não tiverem cometido nenhum outro deslize nos últimos 12 meses

O bom motorista que, por descuido, cometer uma infração média ou leve não será multado nem perderá pontos na carteira. O deslize será punido pelo Departamento de Trânsito (Detran) com uma advertência por escrito. A medida está prevista em lei e entra em vigor no Distrito Federal em 15 dias. Se estivesse valendo hoje, 162.433 pessoas teriam direito ao benefício e a autarquia deixaria de arrecadar R$ 12.117.501,42.

Para conseguir a conversão da multa em advertência, o interessado nem sequer precisará ir ao Detran. Bastará entrar no site, digitar os dados do veículo e do condutor. Imediatamente, o sistema fará uma varredura no prontuário do motorista e responderá se ele se encaixa no perfil. Em caso positivo, é só o condutor imprimir o comprovante. Estão excluídos da lista os infratores contumazes. E mesmo os cautelosos só poderão requerer a transformação da multa em advertência uma única vez a cada 12 meses.
Entre os deslizes de natureza média passíveis de perdão estão dirigir com o braço do lado de fora do veículo; usar fone de ouvido; e conduzir motocicleta sem segurar o guidom. Na categoria das infrações leves são incluídas situações como conduzir o veículo sem documento de porte obrigatório; parar afastado da guia de 50cm a 1m; e usar buzina de forma prolongada.

Link com mais informações: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2013/03/11/interna_cidadesdf,353972/detran-vai-converter-multas-de-infracoes-leves-e-medias-em-advertencias.shtml 

 

ASSUNTO: Comissões na Alesc

VEÍCULO: Portal da Alesc

EDITORIA: Geral

Instalação das comissões permanentes marca a semana no Parlamento

A semana na Assembleia Legislativa foi marcada pela definição da composição das 18 comissões permanentes da Casa. Na terça-feira (5), o presidente do Parlamento, deputado Joares Ponticelli (PP), assinou o Ato da Presidência 3/2013, que oficializou os nomes dos membros das comissões, indicados pelas bancadas partidárias.

O documento foi lido por Ponticelli na sessão ordinária do mesmo dia. Com a medida, as comissões puderam eleger seus presidentes e vice-presidentes e dar início ao trâmite da análise dos projetos de lei protocolados na Assembleia em 2013.

Antes mesmo da oficialização, duas comissões já haviam definidos seus presidentes e vices. A de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência elegeu, no último dia 27, José Nei Ascari (PSD) para a presidência. José Milton Scheffer (PP) ficou na vice-presidência. No dia 5, o deputado Antonio Aguiar (PMDB) foi eleito para comandar a Comissão de Educação, Cultura e Desporto, tendo como vice Luciane Carminatti (PT).

Mais definições
Na quarta-feira (6), as duas principais comissões permanentes foram instaladas. A de Constituição e Justiça (CCJ) está sob o comando de Mauro de Nadal (PMDB), com Silvio Dreveck (PP) na vice-presidência. Com a definição, os projetos de lei que aguardam análise das comissões já foram distribuídos para seus relatores. O PLC 3/2013, que reajusta o salário mínimo regional, por exemplo, terá como relator o deputado Dirceu Dresch (PT).

Já a Comissão de Finanças e Tributação elegeu Gilmar Knaesel (PSDB) para a presidência e Darci de Matos (PSD) para vice. Um dos primeiros desafios do colegiado será definir o calendário das audiências públicas regionais que vão definir as prioridades do orçamento estadual para 2014.

Ainda na quarta-feira, mais cinco comissões foram oficialmente instaladas e elegeram seus presidentes e vices: Segurança Pública; Direitos da Criança e do Adolescente; Trabalho, Administração e Serviço Público; Agricultura e Política Rural; e Saúde.

Confira as comissões permanentes já instaladas

Comissão de Constituição e Justiça (CCJ):

·                  Presidente: Mauro de Nadal (PMDB)

·                  Vice-presidente: Silvio Dreveck (PP),

·                  Membros: Serafim Venzon (PSDB), Edison Andrino (PMDB), Ana Paula Lima (PT), Dirceu Dresch (PT), Narcizo Parisotto (PTB), Jean Kuhlmann (PSD) e José Nei Ascari (PSD)

Comissão de Finanças e Tributação:

·                  Presidente: Gilmar Knaesel (PSDB)

·                  Vice-presidente: Darci de Matos (PSD)

·                  Membros:  Marcos Vieira (PSDB), Aldo Schneider (PMDB), Antonio Aguiar (PMDB), Neodi Saretta (PT), Luciane Carminatti (PT), Angela Albino (PCdoB) e Valmir Comin (PP)

Comissão de Segurança Pública:

·                  Presidente: Maurício Eskudlark (PSD)

·                  Vice-presidente: a definir

·                  Membros: Dóia Guglielmi (PSDB), Antonio Aguiar (PMDB), Carlos Chiodini (PMDB), Ana Paula Lima (PT), Sargento Amauri Soares (PDT) e Reno Caramori (PP)

Comissão dos Direitos da Criança e do Adolescente:

·                  Presidente: Serafim Venzon (PSDB)

·                  Vice-presidente: Dirce Heiderscheidt (PMDB)

·                  Membros: Carlos Chiodini (PMDB), Volnei Morastoni (PT), Ismael dos Santos (PSD), Valmir Comin (PP) e Narcizo Parisotto (PTB)

Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público:

·                  Presidente: Marcos Vieira (PSDB)

·                  Vice-presidente: Silvio Dreveck (PP)

·                  Membros: Aldo Schneider (PMDB), Angela Albino (PCdoB), Ciro Roza (PSD), Dirceu Dresch (PT) e Mauro de Nadal (PMDB)

Comissão de Saúde:

·                  Presidente: Volnei Morastoni (PT)

·                  Vice-presidente: Antonio Aguiar (PMDB)

·                  Membros: Serafim Venzon (PSDB), Mauro de Nadal (PMDB), Sargento Amauri Soares (PDT), Jorge Teixeira (PSD) e José Milton Scheffer (PP)

Comissão de Agricultura e Política Rural:

·                  Presidente: Moacir Sopelsa (PMDB)

·                  Vice-presidente: a definir

·                  Membros: Dóia Guglielmi (PSDB), Moacir Sopelsa (PMDB), Mauro de Nadal (PMDB), Dirceu Dresch (PT), Narcizo Parisotto (PTB), José Nei Ascari (PSD) e José Milton Scheffer (PP)

Comissão de Educação, Cultura e Desporto:

·                  Presidente: Antonio Aguiar (PMDB)

·                  Vice-presidente: Luciane Carminatti (PT)

·                  Membros: Ismael dos Santos (PSD), Silvio Dreveck (PP), Sargento Amauri Soares (PDT), Carlos Chiodini (PMDB) e Dado Cherem (PSDB)

Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência:

·                  Presidente: José Nei Ascari (PSD)

·                  Vice-presidente: José Milton Scheffer (PP)

·                  Membros: Serafim Venzon (PSDB), Dirce Heiderscheidt (PMDB), Antonio Aguiar (PMDB), Luciane Carminatti (PT) e Altair Guidi (PPS)

 

ASSUNTO: Bala perdida

VEÍCULO: DIÁRIO CATARINENSE

10.03 EDITORIA: Geral

Mãe de menina pede prisão de policiais

Aline Neves, de 11 anos, morreu em 2009 ao ser atingida enquanto dormia

No dia em que a Justiça Federal de Rio do Sul, no Vale do Itajaí, ordenou que União pague R$ 500 mil à família de Aline Ribeiro das Neves, 11 anos, morta por bala perdida, a mãe da menina, Maria Elaine de Jesus Neves pediu a prisão dos policiais envolvidos no caso.
O crime ocorreu em 8 de fevereiro de 2009, por volta das 4h30min, em Ibirama, quando a garota dormia perto da janela. Ela foi atingida por um dos tiros disparados por policiais federais.
– Eu faria uma troca: se me devolvessem a Aline eu não queria a indenização. Neste momento, o que mais me interessa é a decisão do processo criminal, pois a vida não tem preço – conta Maria, 42 anos.
Paralelamente à ação de indenização por danos morais, que teve decisão sexta, tramita o processo criminal – a última decisão, de novembro de 2012, encaminha ao Tribunal do Júri os ex-policiais federais Tiago Borem Sfredo e Celso Azoury Telles de Aguiar. Para Maria Elaine, enquanto o processo criminal não chegar ao fim, a vida não continua.– A gente fica numa agonia, pois o processo vai até uma altura, depois volta tudo de novo. Enquanto não acabar, a nossa vida não vai andar, vamos ficar estacionados – diz.

Réus entraram com recursos
Os réus entraram com recurso, ainda não julgado, conforme explica o advogado da família de Aline, Honório Nichelatti Júnior.
O advogado Giancarlo Castelan, defensor do ex-policial federal Tiago Borem Sfredo, limitou-se a comentar que está aguardando o julgamento do recurso feito ao Tribunal de Justiça sobre a decisão que mandou os réus a júri. Rafael de Castro Alves Atalla Medina, defensor de ex-agente da Polícia Federal Celso Azoury Telles de Aguiar, não atendeu às ligações feitas pela reportagem.