Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 3 de julho

3.7.2013

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 3 DE JULHO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

No limite

A manifestação com pouco mais de 100 pessoas, a maior parte adolescentes, que fechou a Avenida Beira-Mar Norte por quase duas horas na segunda-feira começa a provocar questionamento de parte da sociedade que saiu às ruas para pedir mudanças.
E a tendência é de que não pare por aí. A Polícia Militar trabalha com a perspectiva de que amanhã ocorra uma nova mobilização, desta vez organizada pelo Passe Livre. Até uma festa para arrecadar “fundos” para o movimento aconteceu nas proximidades da UFSC.

VANDALISMO

Pelo menos 30 câmeras de vigilância das 1.360 instaladas pelo Estado nos últimos 12 meses já foram danificadas por vândalos, informa o coronel PM Vânio Luiz Dalmarco, coordenador do sistema de videomonitoramento.

XERIFE LÁ

Enquanto saboreavam nacos de costela em um restaurante da SC-401, dia desses, o delegado Renato Hendges e outros colegas da PC discutiram o lançamento da candidatura de Renatão para deputado estadual em 2014.

EFEITO KISS

O presidente da Assembleia Legislativa, Joares Ponticelli, quer colocar em votação no plenário o projeto de lei aprovado ontem na CCJ que finalmente dá poder de polícia ao Corpo de Bombeiros de SC. O deputado pretende convocar uma reunião de líderes das bancadas para limpar a pauta até o dia 17. O recesso depende da votação da LDO.

 

COLUNISTA CACAU MENEZES – Diário Catarinense

Expectativa

Hoje, às 19h, a Assembleia Legislativa de Santa Catarina abre espaço para o lançamento da obra policial O Sequestro de Dez Milhões de Dólares, de autoria do delegado especial de polícia Elói Gonçalves de Azevedo. O evento vem sendo aguardado com muita expectativa pelas surpreendentes revelações do “legendário” ex-delegado da Deic.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

O inquérito

A abertura de inquérito civil público pela promotora Márcia Arendt, para investigar a situação dos presos da Central de Policia de São José, provoca nova polêmica. A promotora mandou intimar todos os delegados de São José. O presidente da Adepol, Renato Hendges, reagiu, dizendo que deviam ser intimados o delegado-geral de Polícia ou o Secretário de Segurança. Alega que os delegados apenas cumprem suas obrigações.

Receita acelera

O secretário da Fazenda, Antônio Gavazzoni (PSD), deu uma boa notícia ao governador Raimundo Colombo (PSD). A arrecadação estadual teve aumento de 11% em junho. Ficou em torno de R$ 1,5 bilhão. O recorde continua com o mês de maio, quando a arrecadação alcançou R$ 1,54 bilhão, registrando elevação de 15,7%. Para uma inflação no período de 7,5%, nada mal.

 

ASSUNTO: Submetralhadora doméstica

VEÍCULO: Diário Catarinense

Polícia apreende submetralhadora caseira

Uma denúncia de tráfico de drogas no Bairro Jardim Paraíso, em Joinville, na tarde de ontem, levou a Polícia Militar a apreender uma submetralhadora de calibre 9 milímetros de fabricação artesanal, e um revólver de calibre 38. De acordo com o tenente Eduardo João Steil, é pouco comum encontrar uma submetralhadora em ocorrências policiais em Joinville. Apesar de ter o porte e as funções do armamento original, ela é caseira. Além das armas, foram apreendidos 250 gramas de maconha, 90 gramas de cocaína, 60 buchas de crack prontas para a venda e R$ 350. O material foi encontrado em uma casa na Rua Aquarius.

 

ASSUNTO: PL dos Bombeiros

VEÍCULO: Diário Catarinense

EFEITO KISS: Projeto que prevê poder de polícia a bombeiros avança

Documento elaborado pelo governo para apertar o controle sobre a segurança contra incêndios passa por comissão na Alesc

A corporação teve mais de um motivo para comemorar o Dia do Bombeiro ontem em Santa Catarina. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa aprovou um projeto de lei que institui normas e requisitos mínimos de prevenção e segurança contra incêndio no Estado. O destaque é que, pelo projeto, os agentes conquistam poder de polícia para poder interditar estabelecimentos irregulares, já no momento da vistoria.
A mudança é considerada um avanço para a corporação, que, hoje, não pode agir em flagrantes de irregularidades – um laudo tem de ser enviado às prefeituras ou um comunicado ao Ministério Público. Se aprovada, a proposta autoriza os agentes a aplicar advertências, multas de R$ 200 a R$ 10 mil e interdição. A lei valeria tanto para casas noturnas quanto estabelecimentos comerciais e residenciais com grande aglomeração de pessoas.
– Um acidente sempre acontece por pequenas falhas. Se aprovado, será um avanço para a sociedade – explica o tenente-coronel Altair Salésio, assessor de Relações Institucionais dos Bombeiros.
O caso do Teatro Ademir Rosa, do Centro Integrado de Cultura (CIC), interditado na semana passada pela Justiça, é um exemplo emblemático dos efeitos dessa mudança. Se o projeto de lei já estivesse em vigor, os próprios bombeiros poderiam ter determinado a suspensão das atividades ao constatar as irregularidades, em fevereiro. Como ainda não possuíam esse poder, encaminharam o laudo ao Ministério Público à época. O caso levou quatro meses para ter uma solução.
– Haverá agilidade em nosso trabalho. Muitas vezes, o que está errado nos salta aos olhos, e não podemos fazer nada – diz Salésio.
O projeto de autoria do governo do Estado tem de passar por mais duas comissões até a votação no plenário da Alesc, prevista para até o dia 18. A expectativa é que o projeto seja incluído na pauta do plenário até o dia 18.
O documento foi elaborado a partir da repercussão do caso da boate Kiss, em Santa Maria, a Casa Civil convocou reuniões com os bombeiros, o Conselho Regional de Engenharia (Crea) e a Federação Catarinense de Municípios (Fecam).

 

ASSUNTO: Sistema prisional

VEÍCULO: Jornal de Santa Catarina

Comitiva de Blumenau visita Complexo Penitenciário de Itajaí

Integrantes da Comissão Especial de Acompanhamento das negociações para instalação de penitenciária ou reforma do Presídio de Blumenau estão visitando o Complexo Penitenciário da Canhanduba, em Itajaí.

Quem lidera o grupo é o secretário de desenvolvimento regional, Cesar Botelho. Participam da comitiva o presidente do grupo, vereador Mário Hildebrandt (PSD), Célio Dias (PR) e Cezar Cim (PP), além do secretário de Defesa do Cidadão, Marcelo Schrubbe.

A visita teve início às 8h e deve durar cerca de três horas.

O objetivo é conhecer o modelo do complexo penitenciário da cidade vizinha, a forma de trabalho, segurança e reinserção profissional.

 

ASSUNTO: Sistema prisional

VEÍCULO: Jornal de Santa Catarina

Prefeitura e Polícia Civil querem sede da Delegacia Regional em Blumenau

Prédio pertence à prefeitura

O prédio que abriga hoje a Delegacia Regional de Blumenau, em frente à prefeitura, é alvo de uma disputa entre a Polícia Civil e o Executivo municipal. É que ambos têm planos para a estrutura quando a delegacia ocupar a nova sede, no Bairro da Velha, o que está previsto para acontecer até o início de agosto.

A construção em área nobre, no Centro da cidade, tem 700 metros quadrados e é da prefeitura, mas foi emprestada para a Polícia Civil há pelo menos três décadas. A estrutura está incluída nos planos do prefeito Napoleão Bernardes para economizar em aluguéis, até o fim do mandato, entre R$ 2 milhões e R$ 3 milhões.

Atualmente, o Executivo gasta, todos os meses, cerca de R$ 470 mil em locação de imóveis para abrigar parte da estrutura do município. Entre os espaços alugados estão os prédios onde funcionam a Guarda de Trânsito e as secretarias de Obras e Serviços Urbanos. A prefeitura espera a saída da delegacia para avaliar as condições do prédio e definir quais setores municipais vão ocupá-lo.

 _ Não vamos abrir mão do prédio onde hoje está a delegacia, sempre deixamos isso claro _ afirma o prefeito.

Já a Polícia Civil divulgou, semana passada, que pretende instalar a Central de Plantão Policial e a Divisão de Investigações Criminais (DIC). Ontem, o delegado regional Rodrigo Marchetti disse que não havia sido comunicado oficialmente da decisão da prefeitura. Marchetti garante que meses atrás enviou um ofício relatando o projeto e nunca recebeu resposta oficial.

_ Não temos alternativa. Infelizmente Blumenau vai perder. Como a Polícia Civil está há décadas no imóvel, já virou referência. Todos esses projetos foram levados à cúpula de segurança do Estado _ explica.

Além da Central e da DIC, Marchetti informa que tinha planos também de implantar uma estrutura voltada para o atendimento de turistas no futuro. A proposta de ocupação do prédio foi apresentada pela Polícia Civil aos empresários, conselhos de Segurança, Câmara de Vereadores e Polícia Militar. Outro dos argumentos é a facilidade de acesso, já que a atual Central fica numa transversal da Rua Amazonas.

_ No início, quando o projeto foi apresentado, o pessoal ficou em dúvida porque precisaria de celas. Mas a argumentação da polícia é válida porque a Central é longe. A delegacia seria interessante, mas tem que analisar os pontos de vista de gestão do prefeito _ argumenta o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas, Paulo Cesar Lopes.

No próximo dia 24, às 19h, será feita uma audiência pública na Câmara de Vereadores para discutir o assunto:

_ Teve um pedido de apoio, porém antes é necessário discutir a destinação do imóvel com a população _ defende o presidente da Câmara, Vanderlei de Oliveira. Segundo Oliveira, a Justiça Federal do Trabalho também demonstrou interesse no imóvel.

 

ASSUNTO: Apreensão de drogas

VEÍCULO: Hora de Santa Catarina

PM apreende 25 quilos de maconha enterrados sob matagal, em Florianópolis

Droga estava armazenada em um tonel, juntamente com rádios comunicadores

Equipes da Polícia Militar em Florianópolis encontraram, na manhã desta quarta-feira, 25 quilos de maconha enterrados sob um matagal no Bairro Rio Tavares, perto do Morro do Corte, no Sul da Ilha. Os policiais chegaram ao local, que é afastado de casas e da estrada, de helicóptero, após receberem denúncias sobre o paradeiro da droga.
O material estava dentro de um tonel azul, onde também foram encontrados três rádios comunicadores e um carregador de bateria para o equipamento.
De acordo com o major Luciano Leite, da PM, enterrar maconha em tonéis é uma prática comum dos traficantes, pelo menos quando se trata de grandes quantidades de drogas.
– Disfarça o cheiro da droga e dificulta o trabalho da polícia – explica o oficial.
A PM afirma que, por enquanto, não se sabe de quem é a droga. O caso é investigado pela Delegacia de Polícia Civil do Saco dos Limões.
Participaram da operação policiais do Batalhão de Aviação e do Pelotão de Patrulhamento Tático do 4º Batalhão da Polícia Militar.

 

ASSUNTO: PL dos Bombeiros

VEÍCULO: Portal da Alesc

O Projeto de Lei (PL) 65/2013, que dispõe sobre de prevenção e segurança contra incêndio e que confere ao Corpo de Bombeiros Militar poder para interditar estabelecimentos em situação irregular, foi aprovado por unanimidade na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na manhã desta terça-feira (02). A matéria, de autoria do governo do Estado, segue para análise das comissões de Finanças e Tributação e de Segurança Pública.

Os membros do colegiado seguiram o parecer complementar do deputado Mauro de Nadal (PMDB) pela aprovação da proposta, incluindo três emendas aditivas contemplando o conteúdo dos PLs 6, 8, 32, 33, 53 e 186 de 2013, que integravam o conjunto de dez matérias que seguiam análise conjunta por também tratarem de normais de segurança em estabelecimentos de shows.

O parlamentar apresentou ainda uma emenda modificativa, corrigindo o conceito de infrator constante no texto original e sugeriu que as demais matérias de conteúdo similar sigam tramitando de forma independente (PLs 11 e 38/2013). “Com a realização de duas audiências públicas sobre o tema e a análise de diversas propostas, acredito que conseguimos aperfeiçoar o projeto original, que deve ser votada em Plenário antes do recesso parlamentar”.

As alterações à proposta inicial do governo foram consideradas positivas pela totalidade dos membros do colegiado.  “O projeto ficou bom, pois atende às necessidades e expectativas da sociedade catarinense sem, entretanto, burocratizar demais a questão, o que poderia inviabilizar eventos comunitários”, declarou o deputado Dirceu Dresch (PT).