Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 23 de abril

23.4.2013

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 23.04

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

VOTO A VOTO

Depois dos delegados elegerem seu representante, agora é a vez dos agentes e investigadores. São dois os postulantes ao cargo de presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol). A eleição será no dia 30. Concorrem Juninho Mamão, da Deic, e Anderson Vieira Amorim, ex-gerente de Inteligência da SSP.

DATA VENIA

O presidente da Comissão de Assuntos Prisionais da OAB/SC, Victor da Luz Fontes, pediu que o Sindicato dos Agentes Prisionais garanta atendimento mínimo aos advogados enquanto durar a greve da categoria. Caso não seja atendida, pode ajuizar uma ação. A comissão também enviará ofício ao TJ requerendo que sejam suspensos os prazos processuais.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

Greve recorde

Fato inédito aconteceu Lages, terra do governador Raimundo Colombo. Os servidores públicos municipais decretaram greve por tempo indeterminado. A paralisação durou exatos 58 minutos. O prefeito Elizeu Mattos (PMDB) fez uma proposta aos funcionários, aprovada com mais de 70%. A greve acabou na hora.

Prestando contas

O Procurador-Geral de Justiça, Lio Marin, estará hoje, às 15h, na Assembleia Legislativa. Vai apresentar o Relatório de Gestão Institucional do Ministério Público, referente às atividades de 2012. É uma exigência da Lei Orgânica da instituição.

 

COLUNISTA PAULO ALCEU – Notícias do Dia 22.04

União

A PEC 37, voltando ao assunto, limita a Policia Civil o direito as investigações criminais. Fora os interesses coorporativos, que claro existem, o ideal seria manter também essa atividade com o Ministério Público. Mas há um forte movimento dentro do Parlamento que trabalha para tirar essas prerrogativas dos promotores. Qual o interesse? Não alimentando suspeições, promotor não pode pertencer a partidos políticos. Delegado pode, e participa ativamente de movimentos políticos partidários.

Isso produz um determinado afastamento da imparcialidade. Pelo menos contribui. A cúpula da Segurança Pública é nomeada pelos governantes. Até que ponto não limita determinadas investigações? Não digo que isso ocorra, mas atrapalha devido a certas ligações. Até porque a atividade policial está vinculada ao Executivo. Repito, isso não tira a responsabilidade e a isenção dos delegados, mas há uma insegurança funcional diante de interferências e pressões. Como lembrou o promotor Andrey Cunha Amorim, o mensalão não chegaria onde chegou não havendo o trabalho investigativo do Ministério Público, até porque freou na Policia Federal, por insegurança funcional. Esse é o tipo do tema que exige uma união de forças e não uma divisão. E o que se observa é que há mais empenho em tirar do Ministério Público direitos e garantias. Essa é a finalidade básica. A PEC não vem para fortalecer as investigações criminais dando, de repente, a Policia Civil meios e condições de agilidade e presteza, mas para excluir o Ministério Público e demais instituições de uma atividade fundamental no combate ao crime e também as agressões constantes ä cidadania. A quem interessa? É fácil de responder…

 

ASSUNTO: Paralisação professores

VEÍCULO: Diário Catarinense

Professores fazem três dias de protesto

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte) convocou os professores das 1.088 escolas da rede estadual de Santa Catarina a paralisarem as atividades hoje, amanhã e na quinta-feira, em adesão ao movimento organizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação em todo o país. No último dia de mobilização, está programado um ato em frente ao Centro Administrativo, em Florianópolis. A Secretaria de Estado da Educação, por sua vez, orienta que os estudantes compareçam às aulas normalmente durante esses três dias.

 

ASSUNTO: Lei Seca

VEÍCULO: Diário Catarinense

PERIGO NA ESTRADA: Falta bafômetro, sobra impunidade

Um mês após a divulgação de uma pesquisa mostrando que 75% das cidades catarinenses não possuem bafômetro, pouca coisa mudou. Nem em Florianópolis a situação é diferente. Os dois equipamentos adquiridos só vão entrar em operação em 30 dias. A boa notícia é a criação de uma comissão permanente na Assembleia Legislativa, que promete colocar em prática ações para frear a violência no trânsito provocada pela embriaguez.

Diante da falta de estrutura para fiscalizar o cumprimento da Lei Seca – como em Florianópolis, onde as blitze para coibir e flagrar motoristas alcoolizados só devem começar dentro de 30 dias por falta de bafômetro – a Assembleia Legislativa de Santa Catarina vai formalizar a instalação de uma comissão permanente de combate e prevenção às drogas.
A primeira missão do grupo, já a partir de amanhã, será a de criar mecanismos para estancar os índices de mortes provocadas pela embriaguez ao volante.
Criada a partir de um fórum parlamentar, a comissão será implantada exatamente um mês após a divulgação de um estudo que colocou em xeque a eficiência da Lei Seca no Estado. Segundo o levantamento, dos 295 municípios, somente 73 dispunham de bafômetros – o que, invertendo a tabela, significa que 75% das cidades catarinenses não têm um equipamento sequer.
Na estreia das reuniões da comissão está prevista a entrega de cartilhas sobre a pesquisa para que os parlamentares apontem o que fazer para recuperar o quadro preocupante.
– Como fórum nós podíamos apenas levantar uma bandeira. Com a comissão, nós poderemos pensar em ações para solucionar o problema – explica o deputado Ismael dos Santos, indicado para a presidência do grupo.
Fiscalização só com a ajuda da militar
Relatório do movimento Floripa Te Quero Bem aponta a morte ao volante como a segunda maior causa de anos de vida perdidos – cálculo que considera o número de anos não vividos por uma pessoa que morreu antes de completar 70.
Ainda assim, Florianópolis esteve por mais de um mês entre os municípios do Estado sem bafômetro – o que, segundo a Guarda Municipal (que ganhou poder de fiscalização a partir de um convênio firmado com o Estado) atrasou o cronograma das blitze de Lei Seca.
A prefeitura tem dois equipamentos próprios, porém ambos foram encaminhados para certificação do Inmetro, em São Paulo. Em decorrência da falta do aparelho, uma única fiscalização foi realizada em todo o mês. Foi na quinta-feira passada, no Estreito. Durou cerca de duas horas e, como a Guarda Municipal estava desaparelhada, precisou da parceria do da Polícia Rodoviária Militar.

Internet para fugir de blitze

Até na cidades onde os bafômetros existem e há blitze, os motoristas infratores conseguem um jeitinho de escapar da fiscalização. Em Blumenau, motoristas recorrem à tecnologia. É o caso dos usuários de grupos de Facebook e do aplicativo Waze, que apontam as ruas onde as operações da Polícia Militar e da Guarda de Trânsito são feitas.
Os grupos da rede social Facebook, como o Blitz 24h, de Blumenau, permitem que o usuário fique atualizado sobre as fiscalizações. No sábado, dia de Stammtisch, pelo menos quatro pessoas postaram informações. Alguns integrantes perguntaram o local exato e outros curtiram o conteúdo. No domingo, as mensagens foram deletadas.
Para órgãos como Polícia Militar e Guarda de Trânsito, o compartilhamento dessas informações é um desserviço à comunidade. Segundo a responsável pela comunicação social do 10o Batalhão da Polícia Militar, tenente Maria Carolina Bachmann, as blitze além de fiscalizar possíveis infratores de trânsito, combatem a criminalidade.
Como não foi possível confirmar as identidades dos envolvidos nas conversas, os nomes foram omitidos.
Segundo o doutor em Ciência Jurídica e coordenador do curso de Direito da Univali, Alceu de Oliveira Pinto Junior, a simples troca de informação é pública e não se define como um crime. Para o professor de Direito Constitucional da Universidade Regional de Blumenau (Furb) e presidente da subseção local da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), César Wolff, é direito do cidadão se comunicar.

OPINIÃO DC: Os registros policiais indicam ser cada vez maior, em Florianópolis e em todo o Estado, o número de acidentes de trânsito causados por motoristas embriagados ao volante, apesar da Lei Seca e das punições severas que ela impõe aos transgressores. Mortes, principalmente de jovens na faixa etária das baladas e mutilações são o amargo preço pago pela sociedade em função desta insana irresponsabilidade. O prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Júnior, atento a esta preocupante situação e em nome da segurança dos moradores, prometeu intensificar ainda este mês a fiscalização pela Guarda Municipal. A corporação, munida de bafômetros, teria a missão de retirar os infratores das ruas. Que esta providência seja tomada o quanto antes.

·                  ENTREVISTA: “Começamos a fiscalizar em 15 dias”

Raffael de Bona Dutra/Sec. Segurança de Florianópolis

Secretário de Segurança de Florianópolis, Raffael de Bona Dutra, atribui à falta de bafômetros o processo burocrático para a compra. Ele garante que foi aberto pedido para a aquisição de seis equipamentos, mas ainda deve levar mais 30 dias até que o município esteja aparelhado. Antes disso começa a vigorar o projeto Balada Legal – um programa de fiscalização nas saídas de bares e casas noturnas.

Diário Catarinense – Há um mês, a prefeitura garantiu que compraria bafômetros. O que aconteceu?
Raffael de Bona Dutra – Dois equipamentos que chegaram estão em aferição no Inmetro. Os outros seis que prometemos adquirir estão em fase de compra. Existe um processo que temos que cumprir porque os equipamentos são caros – cerca de R$ 9 mil – e a compra exige licitação. Esse é o nosso maior entrave. A aquisição deve se concretizar em 30 dias.

DC – Esse foi o motivo pelo qual em um mês inteiro apenas uma blitz de Lei Seca foi realizada?
Dutra – Com a nova lei, não é mais necessário o bafômetro para constatar a embriaguez. Hoje existem outros instrumentos que também podem ser usados. Mas nós não queríamos começar sem os bafômetros, porque acreditamos que seja um equipamento de defesa para o motorista. O aparelho é a segurança de quem não bebeu, porque quem bebeu geralmente se nega a fazer o teste.

DC – O que muda com a aquisição dos equipamentos?
Dutra – As blitze vão se intensificar. Tivemos uma reunião para legalizar o projeto Balada Legal, que daremos início em 15 dias. Vamos fiscalizar as principais vias de saídas de baladas, que são os pontos mais críticos. Na Lagoa da Conceição, onde há uma concentração de bares, serão montadas barreiras nas vias de entrada e saída. A tolerância é zero, não vamos tolerar consumo de álcool ao volante.

 

ASSUNTO: Sistema prisional

VEÍCULO: Diário Catarinense

AGENTES EM GREVE: OAB cobra acesso aos detentos

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SC) pediu na manhã de ontem que o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual de SC (Sintespe) garanta o acesso dos advogados para consultas com os presos provisórios.
A medida, segundo a entidade, é fundamental para garantir uma melhor elaboração da defesa durante os processos. Os agentes penitenciários estão em estado de greve desde a quarta-feira da semana passada.
Segundo o presidente da comissão de assuntos prisionais da OAB/SC, Victor de Oliveira Luz Fontes, a importância do acesso dos advogados às penitenciárias foi explicada ontem para os grevistas. Para a entrada dos advogados, é necessário que alguns agentes sejam deslocados para a função, mesmo durante a greve.
Entidade estuda medida judicial para garantir
– Se não for concedida a entrada dos advogados pelo menos dos presos provisórios, a OAB/SC está estudando uma medida judicial para garantir esse direito. O Judiciário deverá determinar um número mínimo de agentes para trabalhar – explicou o presidente da comissão de assuntos prisionais, Victor de Oliveira Luz Fontes.
Segundo o sindicato, nada deve mudar até quinta-feira, quando nova assembleia da categoria será realizada. Alguns agentes permanecem trabalhando e os presos continuam tendo suas necessidades básicas, como alimentação e saúde, atendidas.

 

ASSUNTO: Benefícios para domésticas

VEÍCULO: Diário Catarinense

TRABALHO DOMÉSTICO: Nova lei afeta 4% dos lares

A nova lei que amplia os direitos dos trabalhadores domésticos, igualando-os aos das demais categorias e acabando com a desigualdade no tratamento social dedicado às empregadas, deve afetar apenas 4% da população.
Cerca de 96% da população brasileira não emprega trabalhadores domésticos, segundo informações demográficas do Ibope. Mesmo entre as famílias das classes A e B – de maior renda – que representam 28% do total da população brasileira, o percentual de famílias que não contratam domésticos é elevado, de 89%.
Segundo os números, 11% das famílias das classes de consumo A e B contratam um trabalhador doméstico e 0,6% empregam dois ou mais funcionários. A pesquisa considera empregado quem trabalha cinco vezes ou mais por semana.

 

ASSUNTO: Sistema prisional

VEÍCULO: A Notícia

Cela especial: 8º Batalhão da PM em Joinville voltará a abrigar seis advogados presos

A advogada de Brusque Bárbara Baron Silveira, presa por suspeita de lavagem de dinheiro na última quarta-feira, vai ser transferida do Presídio Feminino de Florianópolis para Joinville nos próximos dias

O 8º Batalhão da Polícia Militar em Joinville voltará a abrigar seis advogados presos, em breve. Isso porque a advogada Bárbara Baron Silveira, presa pela Polícia Federal de Itajaí na última quarta-feira, em Brusque, por suspeita de lavagem de dinheiro, vai ser transferida do Presídio Feminino de Florianópolis para Joinville. A data ainda não está certa. 
O pedido da transferência partiu do presidente da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil de Brusque, Paulo Cesar Piva, ainda na noite de quarta-feira. Ele solicitou que Bárbara fosse acompanhada por um advogado designado pela OAB Santa Catarina e transferida para uma cela especial. 
Hoje, permanecem presos no 8º Batalhão da PM em Joinville a advogada Fernanda Fleck Freitas, que é ré no processo que apura o assassinato da agente penitenciária Deise Alves; e os advogados Gustavo Gasparino Becker, Simone Vissotto e João de Souza Barros, suspeitos de serem mensageiros do Primeiro Grupo Catarinense (PGC). O quinto advogado é Júlio Cesar Vargas, condenado por tráfico de drogas. 
A advogada Francine Bruggemann foi liberada na noite de 12 de abril, após ter o alvará de soltura expedido pela Justiça de Blumenau. Os advogados têm o direito de ficar sob guarda do Estado-Maior (cela especial) até eventual condenação em última instância.
A reportagem do “AN” ligou para o advogado de Bárbara, Maurício Martins Mattoso, mas ele não atendeu às ligações.

 

ASSUNTO: Drogas nas baladas

VEÍCULO: A Notícia

A cadeia do ecstasy: Polícia vai investigar venda e consumo de drogas nas baladas de Joinville

Investigação quer saber que providências preventivas são tomadas pelos estabelecimentos da região

A Polícia Civil vai abrir procedimento administrativo para apurar quais são as providências preventivas tomadas pelos estabelecimentos de Joinville para evitar a entrada, a venda, a compra e o consumo de drogas. O anúncio foi feito ontem pelo delegado regional da Polícia Civil, Dirceu Silveira Júnior, um dia depois que “A Notícia” publicou uma reportagem que flagrou o tráfico de drogas dentro das baladase em festas rave clandestinas. 

O procedimento da Polícia Civil tem como objetivo qualificar o serviço prestado pelas casas e pode resultar em medidas mais rigorosas na liberação de alvarás.
— As casas não têm a obrigação de reprimir, pois não têm poder de polícia, mas têm a obrigação de trabalhar mecanismos de prevenção —, avaliou o delegado. 
Já na esfera criminal, com relação ao tráfico de drogas flagrado pela reportagem, Dirceu afirma que a polícia tem trabalhado constantemente com a repressão. Mas, segundo ele, nem sempre é possível atender à sociedade em sua totalidade, pois a droga está disseminada por todos os lados. 
Diante dessa situação, o delegado chama a atenção dos pais e da comunidade para que ajudem na fiscalização denunciando eventuais atos suspeitos. A reportagem também mostrou como festas clandestinas ocorrem em locais fora do perímetro urbano, onde vários tipos de drogas são vendidos e consumidos por falta de fiscalização. 
A rave acompanhada por “AN”, em Araquari, na madrugada de domingo, foi realizada com autorização para a promoção de um aniversário até as 4 horas, segundo informou a Prefeitura. A produção de uma rave não estava liberada até porque esse tipo de evento é proibido no Estado desde 2003. 
O dono da chácara onde ocorreu a festa, Mauro Santos, entrou em contato com a reportagem e disse que não sabia que se tratava de uma festa rave. Ele havia locado o espaço para um aniversário. 
O delegado responsável pela comarca, Leandro Lopes de Almeida, abriu procedimento administrativo para investigar o caso. Na delegacia, foi informado que ocorreria uma festa de formatura no local. Um inquérito policial também foi aberto para apurar a denúncia de tráfico de drogas na mesma festa. O delegado regional deixou claro, ainda, que a responsabilidade sobre as festas é do dono do local e não apenas de quem organiza. 
— Se o estabelecimento for locado para terceiros, o proprietário deve estar ciente de que ele responde pelo seu estabelecimento —, afirma.

 

ASSUNTO: Parto com ajuda de bombeiros

VEÍCULO: Jornal de Santa Catarina

Bombeiros de Guabiruba fazem parto dentro de ambulância

Mulher de 23 anos teve o quarto filho

Os bombeiros de Guabiruba fizeram um parto dentro da ambulância na madrugada desta terça-feira. Foi por volta da 1h.
Eles foram chamados até a Rua Santa Catarina, no Bairro São Pedro, porque uma mulher estava em trabalho de parto. A mulher foi colocada na viatura da guarnição, mas eles não conseguiram chegar até o hospital.
 
A mulher, de 23 anos, foi auxiliada e teve o bebê dentro da ambulância. Conforme os bombeiros, o bebê, um menino, é o quarto filho da mulher. Os dois foram levados para o Hospital Azambuja, em Brusque, logo depois do parto.

 

ASSUNTO: Aniversário do PMDB

VEÍCULO: Portal da Alesc

Solenidade marca os 47 anos de fundação do PMDB em Santa Catarina

Os 47 anos de lutas e conquistas do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) em prol do povo de Santa Catarina foram comemorados na noite desta segunda-feira (22). Com as dependências do Plenário Osni Régis lotadas, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Joares Ponticelli (PP), abriu a solenidade. Proposta pela bancada do PMDB, a sessão conduzida pelo vice-presidente da Casa, deputado Romildo Titon, homenageou de forma coletiva as personalidades que contribuíram para o fortalecimento da sigla.

Além dos cinco ex-governadores que marcaram a história catarinense, outros homenageados foram indicados individualmente por cada parlamentar da bancada. As indicações dos homenageados individuais prestam reverência aos que construíram a história do partido em várias regiões. Além dos nove deputados que estão na Assembleia, também fizeram indicações os parlamentares licenciados.

Entre os indicados, oito já foram vereadores, cinco administraram prefeituras, quatro foram deputados estaduais e três foram federais. Desde 1986, com a eleição do governador Pedro Ivo, cujo mandato foi completado por Casildo Maldaner, o PMDB passou a consolidar sua trajetória elegendo outros governadores, como Paulo Afonso Vieira e Luiz Henrique da Silveira, único que dobrou o mandato com outra eleição consecutiva e abrindo espaço para Eduardo Pinho Moreira governar por nove meses em 2006.

O primeiro pronunciamento da noite foi do deputado Carlos Chiodini. Líder da bancada e o mais jovem parlamentar no Legislativo estadual, Chiodini relembrou a história de fundação do MDB, atual PMDB. Em breve palavras falou sobre o primeiro diretório do partido, formado em 23 de abril de 1966, realizando sua primeira reunião no plenário da própria Assembleia, que à época tinha por sede o atual prédio do 4º Batalhão da Polícia Militar, no centro de Florianópolis. Ainda em sua manifestação, o parlamentar fez menção à renovação de quadros do partido, que em 2012 elegeu 105 prefeitos e prefeitas, mais 71 vice-prefeitos, mostrando-se presente em 143 administrações municipais. “Nas câmaras municipais, o PMDB contempla 871 vereadores e vereadoras, além de dois senadores e seis deputados federais no Congresso”, salientou.

Em nome dos homenageados, o deputado Edison Andrino, um dos fundadores do MDB, lembrou que foi eleito o primeiro prefeito na cidade pelo PMDB, com a bagagem de 10 anos como vereador, e credenciado pela maior votação a deputado estadual, obtida em 1982. O parlamentar, que foi indicado para receber a homenagem pelo colega Renato Hinnig, considera uma honra fazer parte dessa história marcada por inúmeras conquistas. “Podemos afirmar que o partido foi criado e cumpriu com as suas obrigações”, revelou. Andrino exerce seu terceiro mandato no Legislativo estadual, sendo quatro vezes eleito deputado federal.

Coordenador da bancada federal catarinense na Câmara, Rogério Peninha Mendonça destacou que, em seu sexto mandato eletivo – como prefeito, vice-prefeito, deputado estadual e deputado federal -, sempre foi fiel ao PMDB único partido ao qual se filou até hoje. “Tenho orgulho de ter conquistado todos esses mandatos dentro do PMDB. Respeitar a história política do partido é acreditar no seu potencial e na sua militância”, acrescentou.

Representando os ex-presidentes do partido, Paulo Afonso Vieira disse que, entre as conquistas, o PMDB pode ter provocado alguma decepção, “mas a grande verdade é que nenhum outro partido na história do Brasil pode dizer, em alto e bom tom, a sua população que cumpriu o programa estabelecido pelo partido. Nós, do PMDB, podemos afirmar que prometemos e cumprimos. Prova disto são os milhões de votos que recebemos ao longo da nossa história”, salientou.

Já o ex-governador Casildo Maldaner atribui às conquistas do PMDB a forma de governar do partido. Segundo o político, o partido governa com idéias e isso é o que desperta a atenção dos eleitores. “Dentro dessa forma de governar o PMDB cresceu e fez inúmeras parcerias, sendo respeitado. Realizar coligações faz parte de um governo movido pelo diálogo”, destacou.

Médico por formação, o ex-governador Pinho Moreira, na ocasião como presidente de honra do diretório estadual, destacou seu envolvimento na política desde criança, quando nos anos 50 vivenciava, em sua casa, seu pai receber lideranças políticas. Desde então despertou o interesse pela política e a vontade de entender essa prática. Segundo Pinho Moreira, desde 16 anos, quando distribuía santinho nas ruas, esteve engajado no meio político. “O PMDB construiu uma história, que ainda tem muito para crescer, servindo de exemplo para o país”, frisou. 

 

Parlamentares e seus homenageados

• Ada De Luca – Walmor De Luca, fundador do MDB em Içara, onde foi vereador e disputou eleição para prefeito. Foi deputado federal por quatro mandatos, os dois últimos já pelo PMDB, e chegou à executiva nacional do partido.

• Aldo Schneider – João Matos, fez carreira na área da educação no Alto Vale e se elegeu deputado estadual por duas legislaturas, sendo líder da bancada em 1991 e 1992. Foi deputado federal por três legislaturas, secretário de estado da Casa Civil e da Educação. Presidiu o Diretório do PMDB e é vice-presidente da executiva estadual.

• Antonio Aguiar – Renato Bahr, que ajudou a fundar o MDB em Campo Alegre e se elegeu vereador pela primeira vez em 1972. Foi prefeito daquele município entre 2001 a 2008.

• Carlos Chiodini – Roland Dornbusch que fez história política em Jaraguá do Sul, onde foi prefeito. Exerceu dois mandatos como deputado estadual, pelo MDB e PMDB.

• Dirce Heiderscheidt – Pedro Jonas Martins, fundador do MDB no município de Palhoça, onde presidiu o diretório municipal do MDB e PMDB por mais de uma década.

• Edison Andrino – Aloísio Acácio Piazza, ex-vereador e prefeito da Capital, ex-deputado estadual que presidiu a constituinte e promulgou a Constituição de Santa Catarina.

• Mauro de Nadal – João Carlos Valar, prefeito de São Miguel do Oeste eleito pela terceira vez, e antes vereador por dois mandatos.

• Manoel Mota – Alveri Aguiar de Sá, fundador do PMDB em Araranguá, empresário e ex-secretário de Desenvolvimento Regional.

• Moacir Sopelsa – Waldomiro Rabuske, fundador do MDB em Pinheiro Preto, onde foi vereador e presidente do partido.

• Renato Hinning – Edison Andrino, deputado fundador do MDB que cumpre seu terceiro mandato na Assembleia. Foi vereador e primeiro prefeito eleito pelo PMDB na Capital. Foi deputado federal por quatro mandatos.

• Romildo Titon – PMDB Mulher de Campos Novos, segmento com forte história de militância eleitoral, contando com cerca de 300 integrantes.

• Valdir Cobalchini – Osvaldo Olienik fundador do MDB e do PMDB em Caçador. Ferroviário aposentado, já foi vereador e vice-prefeito.

Homenageadas que representam a força feminina na política

• Dra. Lucia Stefanovich – Primeira mulher Secretária de Segurança do país.

 Ex-deputada Simone Shiramm – Representando todas as ex-deputadas

 Deputada Dirce Heiderscheidt – Representando todas as deputadas atuantes no Parlamento.

 Laine de Nadal