Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 21 de agosto

21.8.2013

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 21 DE AGOSTO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

EFEITO DOMINÓ

Bastou a coluna registrar ontem as más condições de trabalho na 5ª DP da Capital por conta do baixo efetivo – apenas dois plantonistas e sem equipe de investigação –, para pipocar relatos de falta de pessoal e delegacias em péssimas condições em vários municípios.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

BOMBEIROS

Entidades empresariais vão se mobilizar na Assembleia para mudar o projeto que concede poder de polícia aos bombeiros militares. Em reunião dos presidentes da FCDL, Fiesc, Fetrancesc, Fecomércio e Acats ficou decidido que o projeto será analisado para apresentação de emendas. Temem interdições antes mesmo da constatação de infrações administrativas.

 

COLUNISTA MARIO MOTTA – Hora de SC

Operação Presença

Nesta quarta-feira, a partir das 9h, no auditório da CDL, a prefeitura promove o lançamento da “Operação Presença — Florianópolis Mais Segura”. A iniciativa visa a modernizar o sistema de iluminação do município, priorizando as vias com iluminação crítica e com maiores registros de atividade criminosa. Para identificar estes pontos, a prefeitura realizou reuniões com a SQE Luz e a Polícia Militar. A primeira etapa das obras, que começa na semana que vem, irá abranger seis regiões : Centro, Trindade (UFSC), Vila União, Rio Tavares, Lagoa (Ponta do Pitoco), Bom Abrigo (Praia da Palmeiras) e Rua Patrício Caldeira (Abraão). Serão instaladas lâmpadas e luminárias de alto rendimento e vida útil elevada, com aumento significativo da iluminação e bom custo-benefício.

 

ASSUNTO: Tiros em escola

VEÍCULO: Diário Catarinense

AUXÍLIO PSICOLÓGICO: Adolescente receberá apoio

Aluno atingido por disparos de arma de choque da PM na segunda terá suporte da Fundação Casan

Direção, pais e alunos da Escola Estadual Dayse Werner Salles, no Bairro Capoeiras, em Florianópolis, discutiram ontem o episódio que marcou a manhã de segunda-feira, quando a Polícia Militar foi chamada e fez uso de uma arma de choque para conter um estudante agressivo em sala de aula.
O diretor da Escola Estadual de Educação Básica Dayse Werner Salles, Juliano Reckers, informou que o adolescente vai receber apoio psicológico da Fundação Casan, local onde ele já participa de projetos sociais. Ele reforça que não concordou com a maneira como a polícia agiu, mas que seguiu a recomendação do Conselho Tutelar ao acionar os militares.
A conselheira tutelar que atendeu a direção da escola, Telma Gonçalves, afirmou que orientou os envolvidos para que chamassem a Ronda Escolar, que tem PMs capacitados para atuar nas escolas, ou a Guarda Municipal, não policiais militares que atuam no patrulhamento das ruas.
– Sugeri a ronda porque o diretor disse que o aluno estava totalmente alterado. Fiquei chocada diante da situação – disse Telma.
O secretário estadual de Educação, Eduardo Deschamps, disse que a questão da violência na escola, uso de drogas e prevenção é uma política da pasta. Ele observou que o Núcleo de Educação, Prevenção, Atenção e Atendimento às Violências na Escola (Nepre) está em 85% das escolas e integrado com outros atores do sistema de assistência social, como os conselhos tutelares. A escola do adolescente possui representantes do Nepre que tentaram atuar na mediação.
– Estamos abertos para ampliar a discussão e as ações em relação à prevenção da violência nas escolas – afirmou Deschamps.
O secretário falou que a violência poderá ser tratada como tema transversal dentro da revisão da proposta curricular de Santa Catarina, prevista para este ano.
Sobre o episódio de segunda-feira, Deschamps falou que foi uma situação extrema e isolada e que todos os procedimentos tomados pela escola estão dentro do padrão. Sobre o fato de o aluno ter sido controlado com o uso de choques dentro da escola, Deschamps não opinou.

 

ASSUNTO: PMs detidos

VEÍCULO: Diário Catarinense

ROUBO DE CARROS: Litoral é alvo de quadrilha

Suspeitos de receptação, pelo menos três policiais militares acabaram envolvidos em um esquema de roubo e clonagem de carros no Estado. Um deles foi preso em flagrante na segunda-feira à noite, em Itapema.
Ele dirigia um Honda New Civic com placas clonadas e documentos falsos, adquirido por um preço quatro vezes mais baixo do que o disponível no mercado. O veículo está entre os mais de 30 automóveis clonados e apreendidos desde que iniciada uma operação da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), há quatro meses.
Os carros ilegais estariam sendo vendidos pela quadrilha há mais de um ano em cidades do litoral catarinense e já foram presas 10 pessoas envolvidas no esquema, entre receptadores, assaltantes e falsificadores de documentos. A investigação ainda está em andamento e não tem data para ser finalizada.
Estima-se que o lucro dos responsáveis pelos crimes seja de R$ 200 mil em menos de um ano. Um outro policial militar já havia sido preso, também com um veículo clonado, na sexta-feira, em Palhoça, na Grande Florianópolis. Ele dirigia um Vectra ano 2011, roubado no Rio Grande do Sul. Em depoimento, o suspeito disse que outro PM, já procurado pela Deic, teria comprado e emprestado o automóvel para ele.
Segundo o delegado da Divisão de Furtos e Roubos da Deic, Raphael Souza Werling de Oliveira, os policiais presos não fariam parte da quadrilha, mas teriam consciência de que compraram veículos roubados.
A Polícia Militar diz apoiar o trabalho da Civil. Os dois PMs detidos estão presos em batalhão de Itajaí.

 

ASSUNTO: Assalto

VEÍCULO: Diário Catarinense

DEPÓSITO DE BEBIDAS: Família é feita refém em assalto

Uma família foi feita refém, na noite de ontem, em São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis. Por volta de 19h, três homens invadiram um depósito de bebidas, anexo à moradia, e amarraram um casal, uma idosa e uma criança de seis anos. Segundo a polícia, a mulher conseguiu se soltar cerca de uma hora depois.
Além de dinheiro e outros pertences, os assaltantes fugiram levando o carro da família. Ninguém ficou ferido. Até o fechamento desta edição, nenhum suspeito havia sido preso.

 

ASSUNTO: GAECO

VEÍCULO: Diário Catarinense

PREJUÍZO MILIONÁRIO: Fraude no ICMS acaba descoberta

A análise prévia da Operação Nota Branca, deflagrada ontem pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em Itajaí, Florianópolis e Joinville, aponta pelo menos R$ 30 milhões em sonegação de impostos de um frigorífico de Itajaí. A empresa vinha sendo investigada havia oito meses por um suposto esquema de redução de tributos no comércio de carnes em Santa Catarina.
A operação cumpriu nove mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária (dois empresários e um contador). As ordens judiciais foram expedidas pela 1a Vara Criminal da Comarca de Itajaí, atendendo pedido da Promotoria de Justiça Regional da Ordem Tributária.
A ação do Gaeco também apreendeu equipamentos de informática, CDs e DVDs no frigorífico, que serão encaminhados ao Instituto Geral de Perícias (IGP). Os documentos fiscais vão passar por auditoria e a quantificação dos prejuízos na Secretaria de Estado da Fazenda e na Receita Federal. Vinte e sete veículos, a maioria caminhões para transporte de cargas, foram confiscados. Além disso, 16 testemunhas serão ouvidas até sexta-feira. Os nomes da empresa e dos envolvidos não foram divulgados, já que a investigação ainda não terminou e as detenções são temporárias.
A auditoria tem prazo de 180 dias para ser encerrada, sendo prorrogável pelo mesmo período. Mas a expectativa é de que o processo ocorra com agilidade.

 

ASSUNTO: Combate às drogas

VEÍCULO: Portal da Alesc

Comissão de Combate às Drogas apresenta projeto para reabilitação de dependentes

Depois de um trabalho de dois anos realizado pela Assembleia Legislativa, o presidente da Comissão de Combate às Drogas, deputado Ismael dos Santos (PSD), apresentou aos demais membros do colegiado o Projeto Reviver, pelo qual serão ofertadas pelo Estado 1.200 vagas para tratamento de reabilitação a dependentes químicos. O convênio entre o governo do estado e a Fapesc (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina) para a oferta de vagas em comunidades terapêuticas será celebrado, com apoio do Parlamento, na próxima terça-feira (27), às 10 horas, no auditório Antonieta de Barros.

“Encontramos uma solução científica e humana para o problema. Científica porque teremos um diagnóstico das comunidades terapêuticas a ser realizado pela Fapesc, com o apoio de mestrandos e doutorandos da Udesc. Humana, porque vamos atender o anseio da população que é por mais vagas para dependestes de drogas”, analisou o deputado.

Foram realizadas sete audiências públicas que serviram de base para a construção do Projeto Reviver. “Dos três eixos: repressão, prevenção e reabilitação, o clamor da sociedade foi pela reabilitação. Agora, o governo do estado vai custear um terço das vagas existentes no estado”, explicou Ismael. Segundo levantamento da comissão, são mais de 100 comunidades terapêuticas em Santa Catarina, ofertando pouco mais de 3 mil vagas.

O deputado informou que o aporte de recursos será da Secretaria da Saúde através da Fapesc, que deve gerenciar a rede de atendimento a dependentes químicos. “A proposta prevê que 60% sejam investidos na qualificação dos profissionais atendentes e 40% para a manutenção das entidades. Para serem habilitadas, elas precisam seguir normas federais estabelecidas pela RDC 29”. As vagas devem ser oferecidas a partir de outubro, sendo 900 para adultos e 300 para menores de idade. Em 2013, serão investidos R$ 5,9 milhões.

 

ASSUNTO: Foragido localizado

VEÍCULO: Hora de SC

Polícia prende assaltante que estava foragido, no Norte da Ilha

Adair Vasconcelos foi capturado no Bairro Ingleses nesta terça-feira

A Polícia Civil prendeu um homem que estava foragido desde 2008, por roubar um taxista no Bairro da Vargem do Bom Jesus, no Norte da Ilha. De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, Adair Vasconcelos foi capturado nesta terça-feira, no Bairro Ingleses por policiais da 8ª DP, em cumprimento a um mandado. O assaltante deve terminar de cumprir a pena de 7 anos e 4 meses de reculsão em regime fechado, pela participação no crime.