Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 2 de agosto

2.8.2013

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 2 DE AGOSTO

 

COLUNA VISOR – Diário Catarinense

CALMARIA

Julho foi o mês que registrou o menor número de homicídios dolosos – aquele com intenção de matar – desde o início do ano. No total, em todo o Estado, foram 38 assassinatos contra 70 em junho; 72 em maio; e 64 em abril. A SSP registra até 1º de agosto 416 assassinatos contra 417 ocorridos no mesmo período do ano passado. Uma redução de… 0,24%.

 

ASSUNTO: CRIME DO PORTA-MALAS

VEÍCULO: Diário Catarinense

Polícia descobre suspeitos de encomendar assassinato

Ciúme teria motivado as mortes de dois rapazes encontrados no bagageiro de um carro no último fim de semana em Itajaí

Ciúme e vingança. A combinação desses sentimentos culminou no assassinato de dois rapazes em Itajaí. Mas o plano executado no último fim de semana foi descoberto pela polícia e duas pessoas, que teriam participado, acabaram presas no fim da tarde de quarta-feira.
A investigação, que iniciou com uma suspeita de latrocínio, revelou que Leonardo Rodrigues, 26 anos, e Alexsander da Silva, 27, foram mortos por ciúme. Apesar de alguns objetos da casa das vítimas terem sido roubados, a apuração da Polícia Civil apontou que o crime, ou pelo menos parte dele, teria sido encomendado.
A equipe da Divisão de Investigações Criminais (DIC) de Itajaí prendeu preventivamente Osmar José Teixeira Júnior, 22, e Josiane Gonçalves, 22. No momento em que prestavam depoimento, na noite de quarta, ambos confessaram participação no crime, segundo o delegado Celso Andrade.
As vítimas foram encontradas amarradas e amordaçadas dentro do porta-malas do carro de Leonardo, no sábado. Leonardo e Alexander eram amigos e moravam juntos.
De acordo com a polícia, eles teriam sido abordados no apartamento onde moravam. De lá foram roubados notebooks, celulares e cerca de R$ 1 mil em dinheiro. As vítimas foram mortas e os corpos abandonados no carro. Tudo teria iniciado, conforme o delegado, porque Osmar Teixeira Júnior, conhecido como Juninho Pimenta, estaria com raiva de Leonardo. Segundo testemunhas, Juninho tinha um relacionamento com um rapaz, que depois teve um caso com Leonardo.
– O Juninho Pimenta pediu para o Leonardo arrumar um emprego para essa pessoa no posto de combustíveis onde a vítima trabalhava. Leonardo e o suposto namorado de Juninho começaram a se relacionar – explicou o delegado.
Com o caso amoroso, Juninho acabou excluído por Leonardo e o ex. Daí teria surgido a motivação para o que seria apenas um susto, segundo Juninho. Em depoimento, ele disse que pediu a ajuda de Josiane.

 

ASSUNTO: PRESÍDIO DE JOINVILLE

VEÍCULO: Diário Catarinense

Reforma de muro está definida

O pregão para a compra de materiais que serão usados na reforma do muro do Presídio Regional de Joinville ocorreu na tarde desta quinta-feira sem imprevistos na Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de Joinville e foi confirmada a escolha da empresa responsável pelo fornecimento.
A estimativa de gastos era de cerca de R$ 340 mil, mas a menor proposta foi de R$ 307 mil. O mesmo material será usado em reformas na sala de revistas e em um dos pavilhões. A previsão é de que o resultado do leilão seja homologado na próxima segunda-feira, seguido da assinatura de contrato com a empresa.
Os trabalhos de reforma, que terão a mão de obra dos próprios presos, devem começar em 10 dias. O conserto do muro é considerado emergencial porque uma parte da estrutura próxima ao portão de entrada desabou e está desprotegida desde o começo do ano. A situação ficou ainda pior depois que um novo trecho cedeu durante o fim de semana.
Juiz-corregedor ameaça proibir entrada de presos
Arames farpados chegaram a ser instalados no espaço aberto, mas na quarta-feira foram colocadas três chapas de metal para cercar provisoriamente o espaço. Conforme a SDR, já está em andamento no presídio a construção de um ambulatório médico e odontológico, com recursos da Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania. A previsão de conclusão é de cinco meses.
Melhorias estruturais foram cobradas formalmente pelo juiz-corregedor do sistema prisional em Joinville, João Marcos Buch, numa portaria publicada no último dia 18.
Ele ameaça não permitir mais a entrada de novos detentos na unidade se medidas não forem tomadas para resolver problemas como esgoto a céu aberto, falta de ambulatório para atendimento médico e odontológico, falta de água, medicamentos e kit de higiene.

 

ASSUNTO: MASSACRE DO CARANDIRU

VEÍCULO: Diário Catarinense

Julgamento chega ao último dia

O quarto dia da segunda etapa do júri do Massacre do Carandiru foi marcado por um embate não só das ações dos policiais, mas também sobre a imagem da Rota (elite da PM paulista), que tem fama de violenta. Foram homens da tropa de elite da PM que entraram no segundo andar do Pavilhão 9, em outubro de 1992, onde houve 73 das 111 mortes. Hoje ocorrerão os debates entre promotores e defesa. A sentença deve sair já na madrugada de amanhã.
Por mais de cinco horas, foi interrogado o tenente-coronel Salvador Modesto Madia, que integrava a Rota na época e que a comandou, de novembro de 2011 a setembro de 2012. O militar tentou desmistificar a imagem de que a tropa só mata “pretos e pobres”.
– São homens que arriscam a vida e se aposentam com R$ 2,7 mil. Dois fazem bicos como pedreiro – afirmou, enquanto um dos PMs chorava.
A promotoria apontou que durante o período em que Madia esteve à frente da Rota, a letalidade nas ruas de São Paulo aumentou 20%.

 

ASSUNTO: BRIGA DE VIZINHOS

VEÍCULO: Diário Catarinense

Suspeito de matar policial acaba detido

A Delegacia de Homicídios de Florianópolis prendeu na manhã de ontem o acusado de matar o sargento da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), Paulo Roberto Cláudio, no dia 9 de junho, na Costeira do Pirajubaé, em Florianópolis.
Após a ordem de prisão preventiva decretada pela Justiça, a Polícia Civil prendeu Jonas Ferreira, 46 anos, que era vizinho do policial. Ele foi detido no trabalho, no Estreito.
O pedido de prisão preventiva foi feito pelo Ministério Público na tarde de quarta-feira. Segundo o delegado Ênio de Oliveira Matos, o acusado confessou o crime e afirma desde o começo das investigações que a agressão ocorreu em legítima defesa.
Segundo a Polícia Civil, Ferreira acumula 38 registros de ocorrência, de casos como violência doméstica, tentativa de homicídio, lesão corporal contra mulher e desobediência de ordem judicial. Cláudio foi morto a facadas e a motivação do assassinato, conforme policiais civis, foi uma discussão gerada por desentendimentos entre vizinhos.
O suspeito prestou depoimento em 11 de junho e foi liberado em seguida. No dia 29 de junho, familiares do policial morto realizaram um protesto pedindo agilidade na investigação.

 

ASSUNTO: Curso Superior de Polícia Militar

VEÍCULO: Portal da PMSC

General-de-brigada ministra aula inaugural do Curso Superior de Polícia Militar

Aconteceu nesta quarta-feira (31), no auditório do Centro de Ensino da Polícia Militar, a aula inaugural do Curso Superior de Polícia Militar (CSPM). Ministrada pelo comandante da 14º Brigada de Infantaria Motorizada, general-de-brigada Fernando José Lavaquial Sardenberg, a aula contou com a presença do comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), coronel Nazareno Marcineiro, do reitor da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), Mario Cesar dos Santos, do chefe do Estado Maior da PMSC, coronel João Schorne de Amorim, do subdiretor de Ensino da PMSC, tenente-coronel Carlos Eduardo Orthmann, entre outros oficiais e convidados.

O tema da palestra proferida pelo general-de-brigada Sardenberg foi “Evolução Doutrinária”, com foco na organização, estratégia e desenvolvimento de operações realizadas pelo Exército Brasileiro em parceria com outras forças, como as operações “Arcanjo” no complexo do Alemão, no Rio de Janeiro (RJ), e “Ágata”, nas regiões de fronteira.

Ao termino das explanações do general-de-brigada, foi aberto espaço para que os participantes fizessem perguntas ao palestrante. Em seguida, o coronel Nazareno agradeceu a disponibilidade de Sardenberg em palestrar para o grupo de oficiais, e destacou a importância de suas palavras. “É hora de ouvir. O general tem muito conhecimento do momento que vivemos, de promover paz. É importante que compreendamos bem o que vem pela frente em ações de segurança”, disse o comandante-geral da PMSC.

Encerrando a aula inaugural, o coronel Nazareno, acompanhado do reitor da Univali,Mario Cesar, fez aentrega de uma placa de agradecimento ao general-de-brigada Sardenber.

O curso com especialização “lato sensu” em Gestão Estratégica de Segurança Pública – Turma 2013 é realizado pela Diretoria de Instrução e Ensino da PMSC em parceria com a Univali, e conta com a participação de 25 oficiais alunos, e acontece no período de 29 de julho a 12 de dezembro de 2013, no quartel da Diretoria de Instrução e Ensino.

Ao final do curso, cada oficial aluno apresentará uma monografia elaborada com o objetivo de contribuir para a produção de conhecimentos relativos à profissão, que visa desenvolver no oficial a capacidade de produção científica na área de segurança pública, buscando solucionar ou entender melhor os problemas vivenciados pela instituição.

 

ASSUNTO: Colisão com carro da PM

VEÍCULO: Jornal de Santa Catarina

Viatura da PM sofre acidente quando seguia para assalto na BR-470, em Blumenau

Policiais seguiam de uma ocorrência de assalto para outro quando ocorreu colisão

Uma viatura da Polícia Militar e um Ford Ka colidiram na BR-470, próximo ao Celeiro do Vale, em Blumenau. O acidente ocorreu quando os policiais se deslocavam de um assalto na Rua Itajaí, Bairro Vorstadt para outro roubo em uma residência na rodovia. 
De acordo com o Corpo de Bombeiros, dois policiais seguiam na viatura. Segundo os bombeiros, o policial que dirigia a viatura e o motorista do Ford Ka sofreram ferimentos e foram encaminhados para o hospital. 
Três viaturas dos bombeiros e duas do Samu atenderam o acidente. No mesmo momento, um acidente entre um caminhão e um Ford Fiesta ocorreu na pista contrária. O trânsito é intenso na rodovia.

 

ASSUNTO: TIROTEIO EM FLORIANÓPOLIS

VEÍCULO: Diário Catarinense

Traficantes do PGC respondem à operação do Bope com sequência de tiros, em Florianópolis

Disparos a cerca de um quilômetro das viaturas, no Morro do Mocotó, duraram mais de cinco minutos

O som de tiros ecoou pelo Morro do Mocotó na tarde desta quinta-feira. Durante mais de cinco minutos, traficantes apertaram o gatilho numa sequência de disparos a cerca de um quilômetro das viaturas do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), tropa de elite da Polícia Militar.
A reação dos traficantes aconteceu por causa de uma operação do Bope, que enfraqueceu a quadrilha local com a prisão de um criminoso e a apreensão de uma carga de maconha. Uma denúncia anônima resultou na operação que começou por volta das 17h30min.
A informação era de que um fuzil e drogas que seriam do chefe do tráfico no morro, Gustavo dos Santos Silva, 27 anos, estariam escondidos em uma casa de madeira, perto da Igreja Santa Terezinha, na Prainha.
Gustavo é integrante da facção criminosa Primeiro Grupo Catarinense e está encarcerado na Penitenciária de Florianópolis por tráfico de drogas, de acordo com a polícia.
Sob o comando do capitão Daniel Nunes, oito policiais do Bope cercaram a casa, em silêncio. Lá dentro, Charles Hackbat, 28 anos, assistia TV.
Não havia fuzil, mas o Bope conseguiu apreender sete quilos de maconha da facção e prendeu Charles em flagrante. Com passagem por porte ilegal de arma, Charles assumiu a droga e se recusou a falar de quem havia comprado a maconha, conforme a polícia.
— Recebemos a informação de que traficantes que estavam próximo fugiram pelo matagal. Cerca de um quilômetro distante das viaturas, eles começaram os disparos. Depois, fizemos uma varredura no local — contou o capitão Nunes, que não descarta que a denúncia tenha partido de um inimigo do traficante chefe.
Pelo som, os disparos eram de pistola, de acordo com o capitão do Bope.
Charles Hackbat e a carga da droga foram encaminhados para a 1a DP da Capital, onde não existe mais cela para abrigar presos. Charles seria transferido para o sistema prisional.