Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 16 de outubro

16.10.2013

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 16 DE OUTUBRO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Sem segurança

Faltam coletes à prova de bala na Delegacia de Homicídios em Florianópolis. A reclamação teria chegado à Delegacia Geral.

Objeto de leilão

Secretaria de Estado da Administração envia nota para informar que os carros apresentados na edição de ontem serão encaminhados para leilão. Todo o veículo que possui mais de cinco anos passa por avaliações para verificar se ainda é viável economicamente ao Estado. Se em um período de 12 meses a manutenção do carro custar 40% do seu valor de mercado, o veículo é encaminhado ao leilão.

Luta das mulheres

É crescente a pressão das mulheres aprovadas no concurso da PM para ampliação do percentual de vagas destinadas a elas. Hoje são apenas 6%. Elas também querem convencer o governador Colombo a – literalmente – baixar a exigência de altura mínima de 1,60m para 1,55m.

 

COLUNISTA CACAU MENEZES – Diário Catarinense

O primeiro

O soldado PM e professor Edson Rosa Gomes da Silva é o primeiro negro e praça da Polícia Militar a ocupar uma cadeira na recém-criada Academia de Letras dos Militares Estaduais de Santa Catarina. O militar vai ocupar a cadeira de número 21, que tem como patrono Jerônimo Coelho – o mesmo que fundou a imprensa catarinense e a maçonaria. Jerônimo foi também ministro da Guerra. E por fim, teve o busto roubado este ano da Praça XV.

 

ASSUNTO: MORTE NO MORRO DO HORÁCIO

VEÍCULO: Diário Catarinense

Polícia apura morte em briga de mulheres

Uma pessoa morreu e outra foi ferida após desentendimento passional

A Polícia Civil investiga uma briga de mulheres que acabou com uma morta e outra baleada. O incidente ocorreu no Morro do Horácio, em Florianópolis. A ferida é irmã do traficante Rodrigo de Oliveira, o Rodrigo da Pedra, e está internada no Hospital Universitário.
Patrícia de Oliveira, de 21 anos, irmã de Rodrigo, foi baleada por volta da 1h de domingo. A Delegacia de Homicídios esteve no local e encontrou Raquel Terezinha Kojikosk, 41, sem vida e com uma arma na mão.
A polícia investiga se Raquel teria se suicidado após atirar em Patrícia ou se foi assassinada. Segundo boletim de ocorrência, o perito que esteve no local afirma que a posição do corpo de Raquel indica que houve assassinato. Assim que Patrícia tiver alta hospitalar deverá prestar depoimento ao delegado Ênio Mattos. Ontem ele não quis revelar detalhes do que aconteceu e sobre a investigação.
Uma das suspeitas é de que a causa da violência estaria relacionada com traição e algo passional envolvendo uma terceira mulher, que também é familiar de Rodrigo. A confusão teria começado num bar, no sábado à noite, entre essa familiar de Rodrigo e Raquel, que teria atirado na direção da mulher, mas atingido Patrícia por engano. O DC não conseguiu contato com a ferida. A família dela diz que Raquel tirou a própria vida por ter acertado o disparo em Patrícia e não na outra mulher.
O clima de tensão é real no morro desde domingo, quando foi registrado o caso. No início da noite ontem, a PM foi acionada após um tiroteio na região. Policiais foram ao local, mas não conseguiram identificar o que ocorreu e quem foi o autor dos disparos.

 

ASSUNTO: Ronda

VEÍCULO: Diário Catarinense

Mulher é assassinada com seis tiros no Oeste

Uma mulher foi morta com seis tiros na tarde de ontem no Bairro Efapi, em Chapecó. Nerlei Aparecida Linhares, 42 anos, lavava o carro quando um motociclista fez seis disparos contra ela. Ela morreu no local. Segundo a polícia, o principal suspeito seria um ex-namorado da vítima, que está foragido. Há poucas semanas ela havia terminado o relacionamento com o agressor.

Crianças teriam sido agredidas por PMs

Um protesto contra a PM fechou a Rua Luis Carlos Prestes, no Bairro Monte Cristo, em Florianópolis. Os manifestantes acusam policiais de usar violência contra crianças, no dia 12, quando elasw brincavam no parque da rua. O comandante do 22o Batalhão da PM, Mauro da Silveira, diz que traficantes estão manipulando a comunidade, pois operação contra a venda de drogas ocorre no local.

Mulher condenada por sequestro é presa

A Polícia Civil de Balneário Camboriú prendeu na noite de segunda uma mulher de 46 anos que sequestrou um recém-nascido em um hospital, em novembro de 2011. Na ocasião a suspeita se apresentou como conselheira tutelar e levou o bebê. A criança foi recuperada e a mulher presa logo depois, mas ela havia recebido liberdade provisória. Agora foi condenada a cinco anos de prisão.

 

ASSUNTO: Combate às drogas

VEÍCULO: Portal da Alesc

Comissão de Prevenção e Combate às Drogas aprova audiência pública

Em reunião na tarde desta terça-feira (15), a Comissão de Prevenção e Combate às Drogas da Assembleia Legislativa de Santa Catarina aprovou a realização de uma audiência pública para discutir ações propositivas para o enfrentamento da dependência química no município de Palhoça. O evento que acontece a partir das 19h30m, no dia 18 de novembro, na Câmara de Vereadores, atende a solicitação de lideranças políticas e sindicais da cidade.

Na condição de vice-presidente da Comissão, a deputada Ana Paula Lima (PT) salientou a importância do encontro diante da triste realidade que  Palhoça enfrenta com relação às drogas. “Formada este ano, a Comissão vem atuando em diferentes municípios catarinenses, atendendo uma demanda que busca um debate que possibilite ações no sentido de fortalecer a prevenção e o combate às drogas”, frisou.

 

ASSUNTO: Homenagem na PM

VEÍCULO: Portal da PMSC

Polícia Militar realiza homenagem aos funcionários civis

Na tarde de hoje (15), foi realizada no quartel do Comando-Geral uma homenagem ao dia do funcionário civil, comemorado no dia 28 de outubro. Em nossa Corporação os funcionários civis eram contratados através do contrato de trabalho e regidos pela CLT.Nos anos 80, algumas leis transformaram do regime jurídico celetista para o estatutário e em 1990, através de concurso público, ingressaram novos servidores públicos em vários cargos no quadro civil da PMSC.

Para marcar o dia do funcionário público, o Comando-Geral da Corporação, resolveu comemorar junto com os funcionários civis da Polícia Militar e eleger, a partir, deste ano o funcionário civil padrão da PM. A funcionária Mara Rosângela Lima Pelissari, assistente social do Hospital dos Militares Estaduais (HME) foi eleita como funcionária destaque 2013 pelo excelente trabalho prestado à Corporação.

Os membros da Associação Filantrópica de Amparo aos Policiais Militares de Santa Catarina (AFAPOM) também receberam do comandante-geral e de sua esposa, Ingrid Schlickmann Rottgers Marcineiro uma homenagem por todo o empenho e dedicação, que incansavelmente têm construído um caminho de ajuda à PM, em especial ao HME.

Estavam presentes o comandante-geral, coronel Nazareno Marcineiro, subcomandante-geral, coronel Valdemir Cabral, o chefe de Estado Maior-Geral, coronel João Schorne de Amorim, o diretor da DSPS, coronel Reinaldo Boldori, o diretor de Pessoal da PM, coronel Flamarion Santos Schieffelbein, o comandante da 6ª Região de Polícia Militar, coronel Ed´Oner Paes Sá, além de demais oficiais, praças e convidados.

O comandante-geral afirmou a importância em resgatar o mérito dos integrantes civis da Corporação, que por anos foram negligenciados e esquecidos, mas que exercem um trabalho valoroso. Por este motivo a assistente social Mara foi escolhida para representar os demais, pois seu trabalho representa uma significativa importância para a Polícia Militar, principalmente em momentos de dor e sofrimento. Ao término da solenidade o subtenente RR Giovani Cascaes Pacheco cantou uma música em homenagem aos funcionários civis da Polícia Militar.

 

ASSUNTO: Cães do CBM

VEÍCULO: Portal do CBM

SERVIÇO DE CÃES DO CBMSC COMEMORA 10 ANOS COM EVENTO INTERNACIONAL

     

 

 

Foi finalizado na quinta-feira (10/10) o Seminário Internacional de Busca, Resgate e Salvamento com Cães que reuniu em Biguaçu, na Grande Florianópolis, integrantes de instituições da Segurança Pública de 16 diferentes Estados e de fora do país. O evento, que marcou os 10 anos do Serviço de cães do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, contou com 152 participantes que trocaram de experiências na área.

Entre os palestrantes estiveram representantes do Grupo de Búsqueda y Rescate com Perros (KSAR) do Chile e do Corpo de Bombeiros de Portugal. Em parceria com os demais participantes, eles compartilharam informações e demonstraram cases de sucesso do emprego de cães em ocorrências reais realizadas em suas cidades de origem.

Paralelamente ao evento sobre cães de resgate ocorreu o Seminário Internacional para Redução de Riscos de Desastres, que trouxe para a região especialistas para debater as mudanças climáticas e os desastres e a atuação da Defesa Civil.

ASSUNTO: Sistema prisional

VEÍCULO: Notícias do Dia

São Pedro: Mulheres e mães de detentos denunciam constrangimento e humilhação

Uma senhora aposentada de 72 anos denunciou, ontem, a humilhaçãonque passou à tarde, na Penitenciária de São Pedro de Alcântara, quando foi visitar o filho condenado por assalto e tráfico de drogas. Ela disse que durante a revista teve que ficar de pernas abertas, em cima de um espelho grande, abrir a vagina, pular e tossir. Assim como ela, outras mulheres relataram passar por situações parecidas, para poderem entrar na penitenciária.

Os agentes penitenciários também estariam reforçando a revista aos detentos. Um grupo deles, mais revoltado, iniciou uma greve de fome no início desta semana. A direção da penitenciária tenta coibir a “rebeldia” dos presos suspendendo o acesso ao pátio.

Em fevereiro deste ano, os detentos de São Pedro de Alcântara comandaram a segunda onda de ataques a ônibus em 36 cidades catarinenses, justamente, por causa da humilhação que as mulheres vinham sofrendo, inclusive com contato físico, durante a revista no espelho.

“Fiz este procedimento três vezes. Nunca imaginei que depois de velha passaria por isto”, disse a senhora que pediu para não ser identificada, por medo de o filho vir a sofrer represálias no presídio. Outra visitante, bem mais jovem, confirmou a denúncia da aposentada e acrescentou que os presos também estão sendo humilhados. “Agora, eles são obrigados a ficar de bunda de fora virada para os agentes. Antes era diferente: eles ficavam de frente e só baixavam a calça e a cueca. A direção da penitenciária vive prometendo instalar um aparelho para substituir o espelho, mas nunca cumpriu. Esta humilhação ocorre de acordo com o plantão. Hoje (ontem) foi demais”, relatou.

Ela disse que o filho somente aceitou ser revistado desta forma humilhante porque fazia tempo que não a via. Várias mulheres, algumas de outras cidades, voltaram para casa sem ver os parentes presos, porque eles não aceitam ser revistados desta maneira.

 

ASSUNTO: Manifestações no Rio de Janeiro

VEÍCULO: Correio Braziliense

Tropa de Choque da PM detém mais de 40 manifestantes no centro do Rio

Pelo menos 45 pessoas foram detidas pela Polícia Militar (PM) nas ações de quebra-quebra e depredações ocorridas na noite de hoje (16), após os protestos do Dia do Professor, ocorridos em várias áreas da região central da cidade e bairros próximos. O balanço do número de detidos é do Instituto de Defensores de Direitos Humanos (DDH).
De acordo com o advogado Felipe Coelho, que está prestando assistência aos detidos, “somente na 17ª Delegacia Policial [DP], no bairro de São Cristóvão, na zona norte da cidade, há pelo menos 30 detidos, a maioria adolescentes”. Ele disse ainda que mais detidos foram levados para a 5ª DP, na Avenida Mem de Sá, na Lapa; para a 19ª DP, na Tijuca; e para a 12ª DP, em Copacabana.
O número de detidos deve aumentar, pois a Tropa de Choque isolou nas escadarias do Palácio Pedro Ernesto, na Cinelândia, dezenas de jovens que estão sendo revistados e quase todos colocados em dois micro-ônibus da PM e em um ônibus e levados detidos para várias delegacias. Quando os ônibus começaram a deixar o local, um grupo de manifestantes tudo tentou impedir a saída dos veículos, mas foram dispersados por bombas de gás.

 

ASSUNTO: Manifestações em São Paulo

VEÍCULO: Globo.com

Protesto termina em vandalismo e detidos na Zona Oeste de SP

Segundo a polícia, 56 pessoas foram detidas e levadas para o 14° DP.

Sete agências bancárias foram depredadas durante ato nesta terça (15).

A polícia deteve ao menos 56 pessoas durante protesto convocado por estudantes da Universidade de São Paulo (USP) nesta terça-feira (15), na Zona Oeste de São Paulo. O ato começou de forma pacífica às 18h no Largo da Batata e terminou com depredações, vandalismo e invasão à loja de móveis e decoração Tok&Stok, na Marginal Pinheiros. Quatro policiais militares ficaram feridos, segundo a corporação, que não registrou manifestantes com ferimentos.

Os estudantes reivindicavam, além melhorias na educação, eleições diretas para reitor nas universidades USP e Unicamp. Um grupo de manifestantes mascarados que aderiu à manifestação entrou em confronto com a polícia na região da Ponte Eusébio Matoso, por volta das 19h. Os estudantes pretendiam terminar o ato em frente ao Palácio dos Bandeirantes. O confronto com a polícia, entretanto, dispersou a manifestação às 21h.

Foram depredadas sete agências bancárias  e um ônibus na Avenida Vital Brasil e uma concessionária na Avenida Eusébio Matoso. Os manifestantes também picharam os vidros da Estação Butantã do Metrô. Três carros do Consórcio Via Quatro, responsável pela Linha 4-Amarela do Metrô,  foram alvos de vandalismo.

Os estudantes se reuniram no Largo da Batata, na Zona Oeste de São Paulo, às 16h. Após uma aula pública de Plínio de Arruda Sampaio, os manifestantes sairam em caminhada pela Avenida Faria Lima, em direção ao Palácio dos Bandeirantes.

Por volta das 18h30, houve impasse entre os organizadores. Estudantes das universidades USP, Unicamp e do movimento Juntos pela Educação não queriam que os mascarados caminhassem na frente do ato, pois impedia a visualização das faixas do protesto.

Às 19h, um grupo de mascarados usou pedras para quebrar vidros de uma concessionária Honda, localizada no fim da Avenida Eusébio Matoso. Já na Marginal Pinheiros, às 19h20, eles jogaram pedras e morteiros em direção à polícia. A confusão com os mascarados começou depois da tentativa da PM de prender um deles.

Policiais jogaram bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo contra os manifestantes. Eles invadiram a loja de móveis e decoração Tok&Stok , e usaram a saída de trás do estabelecimento, em uma alça de acesso para a Ponte Eusébio Matoso.

O grupo correu para a Avenida Francisco Morato, na calçada do sentido Marginal Pinheiros, e bloqueou o trânsito no local. A polícia deteve alguns participantes, que foram mantidos algemados no canteiro da avenida. A PM diz que, no total, 57 pessoas foram detidas perto da loja.

Apesar da invasão, a assessoria de imprensa da Tok&Stok informou que não houve saques tampouco depredações. “A rede esclarece ainda que ocorreram apenas alguns danos externos e que a loja funcionará amanhã [quarta-feira] normalmente”, diz uma nota da rede. Ninguém ficou ferido.

Às 21h15, os manifestantes se dispersaram na região do Butantã. Policiais civis confirmam que um grupo grande de manifestantes detidos foi levado para o 14º Distrito Policial, em Pinheiros, à espera do registro do boletim de ocorrência.

 

ASSUNTO: Unificação policial

VEÍCULO: Jornal de Brasília  

Unificação policial

A reunião da presidente Dilma Rousseff com o governador de Brasília, Agnelo Queiroz, no Palácio do Planalto, trouxe à discussão um tema polemico que pode causar uma verdadeira guerra fardada na capital federal.

A presidente aguarda o senador Pedro Taques, que está na relatoria da comissão especial dedicada a estudar saídas para o aumento da criminalidade e da violência, entregar o seu relatório em 90 dias.

O projeto de Agnelo é a unificação das polícias civis e militares, criando um único comando. A presidente Dilma exigiu do governador um relatório minucioso num prazo de 60 dias. Agnelo viajou para Europa e ficou de, no retorno, se empenhar para atender as ordens da presidente.

Enquanto isso a assessoria técnica do governador tenta correr com o projeto para apresentá-lo antes mesmo do senador Pedro Taques concluir os trabalhos da comissão.