Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 12 de junho

12.6.2013

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 12.06

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

PAPO RÁPIDO

Cesar Souza Junior prefeito de Florianópolis
Qual avaliação do final da greve?
Ficou claro que acabou a época do reajuste da tarifa por conta da pressão de greve. Vivemos um momento de inflexão. A sociedade unida demonstrou que não aceita mais este modelo que prevaleceu na Capital nos últimos anos. Mas não vejo isto como uma vitória, afinal foram inúmeras as perdas – principalmente das pessoas mais carentes.
Agora é lançar o edital para transporte coletivo?
Não poderíamos lançar a licitação no meio do calor desta paralisação. O certo é que vamos colocar o edital no início do segundo semestre com toda a calma. Será um modelo que vai premiar a eficiência e a qualidade do serviço e não mais o quilômetro rodado. Tenho certeza que avançaremos para um sistema mais estável e moderno.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

Greve: o fim da desordem

Os motoristas de Florianópolis recebem o melhor salário do setor em Santa Catarina e o terceiro mais alto do Brasil, diz a prefeitura. Decretaram greve geral do transporte e foram notificados pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de que deveriam manter frota mínima para garantir direitos à população.
Cruzaram os braços, pararam a cidade, desacataram decisão judicial, estavam desmoralizando a Justiça Trabalhista, atingiram a autoridade constituída, alvejavam o Estado de Direito. Feriram a democracia e implantaram a desordem.
A reação popular foi quase unânime contra o cenário caótico que se estabeleceu na Capital. Exceção apenas às entidades esquerdistas, arregimentadas por parlamentares populistas, que optaram de forma oportunista por declarar solidariedade aos grevistas. Ficaram, portanto, contra o povo que sofreu horrores com a paralisação e aderiram ao escancarado desacato à Justiça do Trabalho.
Os motoristas deliberaram acabar com a greve. Recuo estratégico, alegam, para não sofrerem revés no dissídio do TRT-SC.
Uma lástima. Sofreram desnecessária e pesada derrota política. Poderiam ter saído com uma grande vitória se acolhessem a proposta patronal ou cumprissem as decisões judiciais. Preferiram o radicalismo e mais uma agressão estúpida e desnecessária contra mais de 240 mil seres humanos.
Vitória do bom senso. Vitória, sobretudo, de toda a sociedade que se insurgiu contra mais a infeliz deliberação. E que deu um basta. Cansou destas greves abusivas. Gente pagando com o comprometimento da saúde ou, quem sabe, com a própria vida.

Que seja o fim de um ciclo. De abusos e de desordens.

Eleição no Sinte

Quatro chapas concorrerão nos dias 25 e 26 de junho às eleições da nova Diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Educação-Sinte. São candidatos à Coordenação Geral Marcos Alexandre Sodré, de Itajaí(Ação e Luta); Luiz Carlos Vieira, de Itapema (Articular, Escutar e Conquistar); Sinivaldo Schaefer, de Florianópolis(Novo Rumo); e Adriana Carvalho, de Florianópolis (Luta pela Base).

Julgamento

Tribunal de Justiça julga hoje os processos que envolvem os agentes prisionais de Santa Catarina nomeados por força de liminares concedidas pelo Judiciário. Dezenas deles atuam hoje na Penitenciária São Pedro de Alcântara. O desembargador João Henrique Blasi está coordenando a apreciação dos processos para decisão coletiva e unificada.

 

COLUNISTA ROBERTO AZEVEDO – Notícias do Dia

O PR MOSTRA FORÇA

Presidente estadual do partido da república, o deputado federal Jorginho Mello (em pé) reuniu pela primeira vez o novo time da sigla na Capital. Mostrou força eleitoral, da esquerda para a direita, com os ex-vereadores Márcio de Souza (ex-PT), Filipe Mello (secretário estadual de assuntos internacionais), ex-vereador Aurélio Valente (ex-PP) e o ex-vereador João da Bega (ex-PMDB). O PR sonha alto para 2014 e 2016.

Descontentes

Apesar da bancada do PSD ter fechado apoio a Colombo em documento para negar a ida de alguns para o PSB, nem todos os deputados estaduais saíram satisfeitos do encontro com o governador na semana passada. Ficou a impressão de que, após liberadas as subvenções pelo executivo, ocorram surpresas. A conferir.

 

COLUNISTA CLÁUDIO PRISCO – A Notícia

ENTRE A VERSÃO E A REALIDADE

Matéria publicada na edição de ontem de “O Globo” acabou sendo mais realista do que a realidade atual da política catarinense. O texto afirma que o PSD de Santa Catarina praticamente deixará de existir após o anúncio de que a família Bornhausen está migrando para o PSB do presidenciável Eduardo Campos e que, a exemplo de Minas Gerais, o racha dividirá o apoio das principais lideranças entre Dilma Rousseff (o PSD é governo federal) e um adversário da presidente (Eduardo, Aécio Neves ou Marina Silva). Um exagero exagerado. Até momento, o PSD de SC só contabiliza a baixa do secretário Paulo Bornhausen (Desenvolvimento Econômico), já que o ex-senador Jorge Bornhausen nem chegou a se filiar à nova sigla e continua sem partido. Nenhum deputado, prefeito ou mesmo vereador aderiu ao projeto de assinar ficha no PSB e pedir votos para Campos em 2014, o que leva a crer que boa parte da legenda, capitaneada por Raimundo Colombo, estará no palanque de Dilma Rousseff. E os que não subirem neste palanque não necessariamente estarão no de Eduardo Campos. Há outras opções, inclusive a de neutralidade no âmbito da disputa nacional.
Paulinho criticou a decisão de Colombo de apoiar Dilma, declarando que quem sempre lutou na oposição ao PT agora vai “quebrar para pegar um fim de festa no PT? Se não perder agora, o PT perde em 2018”, publicou o jornal carioca. É o tipo de afirmação que deixa o governador em uma saia justa, colocando em xeque sua capacidade de avaliação do cenário político. Como a hora da verdade (outubro de 2013) se aproxima, o texto de “O Globo” encerra-se com uma declaração emblemática de Jorge Bornhausen: “Quem quer apoiar Dilma fica no PSD. Quem vai apoiar o Eduardo Campos vai para o PSB”.
Sob protestos da bancada estadual do PT, a Comissão de Constituição e Justiça acabou suspendendo a avaliação do projeto que cria o Fundo Estadual de Apoio aos Municípios (Fundam), pelo qual o governo destinará R$ 500 milhões aos municípios de SC. Os petistas Dirceu Dresch e Ana Paula Lima bombardearam o teor da matéria. Segundo ele, o texto carece de mecanismos que garantam transparência e igualdade na liberação das verbas. A dupla quer mais tempo para negociar com o governo a inclusão de emendas à proposta. Dresch chegou a rebatizar o Fundam de “Fundo Festa”.

Apoio

Procurada pela Associação Catarinense do Ministério Público, a deputada federal Luci Choinacki (PT) está dando apoio para evitar a aprovação da PEC 37, que restringirá poderes investigatórios às polícias Federal e Civil, o que é considerado um retrocesso por promotores e procuradores de justiça. “Precisamos de avanços e não de retrocessos. Acho que é preciso equilíbrio”, declarou. A matéria pode entrar na pauta de votações da Câmara em 26 de junho.

 

ASSUNTO: TRANSPORTE PÚBLICO

VEÍCULO: Diário Catarinense

GREVE TERMINA APÓS PRESSÃO DA JUSTIÇA

Trabalhadores do transporte coletivo de Florianópolis decidiram terminar a paralisação após Justiça do Trabalho marcar julgamento do dissídio da categoria para amanhã. Medida do Sintraturb visa evitar reajuste aquém do desejado. Ônibus voltaram a circular na madrugada

Adecisão da Justiça ontem à tarde de marcar para amanhã o dissídio da categoria foi determinante para o fim da greve dos motoristas e cobradores de ônibus da Grande Florianópolis. A volta ao trabalho foi decidida pelos integrantes do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Urbano na Grande Florianópolis (Sintraturb) às 21h50min de ontem, depois de quase duas horas de assembleia. Os ônibus já estão circulando normalmente.
A decisão foi tomada para evitar que a Justiça do Trabalho determinasse o índice de reajuste salarial e levasse as demais solicitações para julgamento – na prática, os integrantes do sindicato temiam receber menos do que a proposta de 9,79% oferecida pelo Sindicato das Empresas do Transporte Coletivo da Grande Florianópolis (Setuf).
Levou duas horas para que a diretoria do sindicato dos trabalhadores convencesse os cerca de 600 motorista e cobradores a acabar com a greve.
MP pediu execução das multas diárias
Uma série de medidas adotadas pela Justiça para que a população voltasse a ter transporte foi fundamental. No início da tarde, na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), não houve acordo entre empresas e Sintraturb. Diante do impasse, o desembargador Gilmar Cavalieri marcou o dissídio para amanhã.
Na sequência, o procurador do Ministério Público do Trabalho Alexandre Freitas pediu a execução provisória da multa diária de R$ 100 mil a ser paga pelos dois sindicatos por causa do descumprimento da manutenção da frota mínima. O procurador solicitou que os valores fossem cobrados imediatamente.
No documento constava ainda que se não houvesse recursos disponíveis os sindicatos deveriam indicar bens a serem penhorados, que ficariam indisponíveis até o julgamento final do caso, o que poderia levar anos.
DADOS:
13 mil crianças deixaram de ser atendidas nas escolas na Grande Florianópolis
4 mil procedimentos de saúde não foram realizados por causa da paralisação do Sintraturb
92% dos funcionários que conseguiram comparecer aos seus locais de trabalho chegaram após o início da jornada

 

ASSUNTO: Teatro sem segurança

VEÍCULO: Diário Catarinense

FALTA DE SEGURANÇA: MP pede a interdição do CIC

Um dos maiores complexos culturais de Florianópolis, o Centro Integrado de Cultura (CIC) corre o risco de ser fechado devido ao não cumprimento das exigências do Corpo de Bombeiros com relação a itens básicos para garantir a segurança do público que frequenta o local. Segundo o promotor de justiça Daniel Paladino, o relatório do Corpo de Bombeiros seria encaminhado à Justiça ontem.
Conforme o promotor, o Estado não cumpriu um acordo judicial feito no dia 1o de agosto de 2011, no qual ficava estabelecido que todo o complexo do CIC deveria ter o atestado de Habite-se e a liberação do Corpo de Bombeiros.– Isso não foi cumprido dentro de prazo dado, de 10 meses. Nós recebemos semana passada um relatório da corporação, Ele mostra que o complexo tem inúmeras irregularidades no que diz respeito à segurança. Os problemas vão desde a falta de extintores de incêndio e de detector de fumaça à falta de hidrantes e de saídas de emergência. São muitas irregularidades. Deveria ter sido feita a revitalização do teatro e do cinema, o que não aconteceu – disse Paladino.
Segundo o promotor, o relatório com essas informações está sendo encaminhado para a Vara da Fazenda Pública.
– Vai ficar à critério do juiz fechar ou não o CIC, mas acreditamos que será fechado, porque o complexo oferece risco à segurança das pessoas no local se houver um incêndio, por exemplo. No máximo até semana que vem acreditamos que o juiz já deve ter uma decisão sobre isso.
Fundação de Cultura nega descumprimento de acordo
Em nota, a assessoria jurídica da Fundação Catarinense de Cultura, responsável pelo CIC, disse que não foi objeto de interpelação por parte do Ministério Público Estadual. A entidade informou que hoje protocolará no Corpo de Bombeiros um outro projeto preventivo, “objeto de vistoria feita em fevereiro deste ano”. O texto ainda afirma que “todas as exigências estabelecidas pelo Corpo de Bombeiros têm sido atendidas e continuarão sendo em nome da segurança dos catarinenses”.
O presidente da fundação, Joceli de Souza, disse desconhecer o descumprimento do acordo feito em 2011.
– Os acordos estão sendo cumpridos e respeitados. Diversos equipamentos de segurança foram colocados.
O CIC permaneceu fechado entre maio de 2009 e setembro de 2011 para obras de mais de R$ 17 milhões.

 

ASSUNTO: Armas apreendidas

VEÍCULO: Diário Catarinense

ARSENAL DO CRIME: Armamento é localizado pela polícia

Os fuzis na mesa da polícia davam a dimensão do arsenal do crime organizado em Santa Catarina. As armas serviriam para assaltos, sequestros e cobrança de dívidas pelo Primeiro Grupo Catarinense (PGC). Estavam com um jovem de 28 anos condenado a 12 anos de prisão e que aguardava julgamento de recursos em liberdade.
Na manhã de ontem, após dois meses no encalço de Maicon Cesar Ramp, o Cezão, a polícia decidiu entrar em sua casa, na Rua José Wilson Francisco, Bairro Forquilinhas, em São José. Os policiais tinham mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça.
Maicon dormia. Embaixo do travesseiro, havia uma pistola. Na revista, os policiais encontram mais cinco armas embaixo de um móvel rústico, na sala. Eram dois fuzis .223 Remington, que utiliza munição do mesmo calibre do fuzil AR-15, uma submetralhadora, uma espingarda calibre 12 e outra arma caseira.
Na casa foram apreendidas ainda 10 quilos de drogas, sendo oito quilos de cocaína e dois quilos de maconha, dinheiro, telefones celulares e munição. Maicon é tido pela Deic como integrante do PGC e teria recebido o armamento na noite de segunda-feira.
Maicon foi autuado em flagrante por tráfico e porte ilegal de armas. Ele afirmou que irá se manifestar sobre o motivo da prisão apenas à Justiça. A polícia ainda estuda enquadrá-lo por contrabando, pois os fuzis são importados.
– Na instrução do processo poderá se comprovar se efetivamente essas armas são de propriedade dele. Por enquanto, ele se reservou do direito de manifestar-se em juízo – disse o advogado do preso, Marcelo Gonzaga.
O defensor comentou ser improcedente a suspeita de que Maicon seria supostamente integrante do PGC.

 

ASSUNTO: Morte de Sargento

VEÍCULO: Diário Catarinense

BRIGA DE VIZINHOS: Suspeito de matar sargento depõe

Um homem de 46 anos, vizinho do sargento Paulo Roberto Cláudio, morto a facadas no domingo, em Florianópolis, prestou depoimento ontem na Delegacia de Homicídios. Ele é suspeito de ter matado o policial em uma briga de moradores, na Costeira do Pirajubaé. A motivação do assassinato, conforme policiais, é algo banal gerado por desentendimentos entre vizinhos. Como não houve flagrante e sem a prisão temporária decretada, o suspeito foi ouvido e liberado. Ele deve responder pelo crime em liberdade.

 

ASSUNTO: Benefício magistratura

VEÍCULO: Diário Catarinense

AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO: CNJ derruba liminar contra pagamentos

O plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) derrubou ontem, por 8 a 5, a liminar do conselheiro Bruno Dantas que suspendia o pagamento de mais de R$ 100 milhões a juízes de oito Estados referentes a auxílio-alimentação retroativo. A suspensão havia sido determinada na semana passada citando precedentes no sentido de que verbas de “natureza alimentar” não poderiam ser pagas retroativamente”. Ontem, sem a presença de Dantas, a maioria dos conselheiros entendeu que o STT já analisou a questão e não suspendeu os benefícios. E que nada impediria o pagamento retroativo.

 

ASSUNTO: PM Joinville

VEÍCULO: A Notícia

Polícia Militar de Joinville faz operação contra assaltos

Cerca de 125 policiais vão cumprir mandados de prisão, farão blitze e varreduras

Com o objetivo de combater roubos e furtos em Joinville e também de tranquilizar a população que tem se sentido ameaçada por esses crimes, a Polícia Militar lança no início da manhã desta quarta-feira a Operação Joinville Mais Segura. Até o fim do mês de junho, os efetivos do 8º e do 17º batalhões da PM vão trabalhar de forma conjunta fazendo barreiras, blitze, pentes-finos, varreduras, sobrevoos e cumprindo mandados de prisões.
— Vamos massificar a presença da polícia para deixar a cidade mais segura —, disse, na tarde desta terça-feira, o chefe do Estado-maior da 5ª Região da Polícia Militar, tenente-coronel Adilson Michelli. 
Cerca de 125 policiais vão participar da operação. A cavalaria vai monitorar o Centro; os policiais rodoviários farão barreiras em todas as saídas da cidade, a equipe de inteligência vai cumprir os mandados de prisão e os demais policiais vão realizar barreiras móveis, pentes-finos e varreduras. 
Segundo o comandante do 8º Batalhão da PM, tenente-coronel Eduardo Luiz do Valles, na região Norte os bairros que vão receber atenção especial na operação, além do Centro, serão o Santo Antônio, Iririú e Saguaçu. 
— Essas regiões concentram a maior área de comércio, onde circulam mais pessoas e mais gente estaciona seus carros. Portanto, também é onde ocorrem mais roubos —, disse. 
Na parte Sul, os bairros Itinga, Boehmerwald e a localidade do Escolinha serão priorizados.
O comandante do Graer, major Nelson Henrique Coelho, explica que o Águia estará no ar entre as 7h30 e o fim de tarde diariamente dando suporte às equipes em terra. Isso pode facilitar as prisões. 
— A gente consegue dar uma resposta mais rápida —, garante.
Com mais de mil mandados de prisão em aberto em Joinville, o comando da PM afirma que o perfil dos criminosos que praticam roubo e furto na cidade é de jovens entre 16 e 21 anos, que costumam agir de motocicleta e levar celulares, tênis e quantias em dinheiro em torno de R$ 100. 
— A violência psicológica é muito maior que o valor levado —, afirma Michelli. No fim de junho, o comando da PM volta a se reunir para avaliar a continuidade ou não da operação.

 

ASSUNTO: Menores foragidos

VEÍCULO: O Sol Diário

Seis jovens fogem do Casep de Itajaí

Fuga aconteceu na tarde desta terça-feira, depois de os jovens quebrarem um dos cadeados

Seis jovens fugiram, na tarde desta terça-feira, do Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) de Itajaí. O caso aconteceu por volta das 15h30min, quando eles organizaram uma espécie de motim, arrebentaram o cadeado, passaram por uma quadra e pularam o muro. Segundo o presidente da ONG Sonhos de Liberdade, Maurício Nonato, que administra o centro, todos os fugitivos são considerados de alta periculosidade.

— Um deles tem 38 boletins de ocorrência, outro pelo menos 20 e tem ainda quem já matou até policial — disse Nonato.

Ele contou que os jovens formaram uma espécie de barreira humana em um dos pontos, tentando chamar a atenção dos educadores, enquanto um deles quebrava o cadeado em outro local. Os internos então passaram por uma quadra de esportes, que não tem tela ao redor, e pularam o muro. Quatro deles já têm 18 anos e os outros dois estão com 17.

A Polícia Militar foi acionada e realizou buscas nas redondezas do Casep, inclusive pela mata, mas até a noite de terça-feira, ninguém foi encontrado. Nonato garantiu que não houve falha humana na fuga, já que os agentes não podem atuar armados no centro.