Área do associado

Área do associado

Clipping de 7 a 9 de dezembro

9.12.2013

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 7 DE DEZEMBRO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Promessa é dívida

No dia em que os bombeiros militares comemoram a formatura de 76 novos cabos, o secretário de Estado da Segurança Pública, César Grubba, assumiu o compromisso de investir mais R$ 270 mil para a finalização da piscina no Centro de Ensino Bombeiro Militar, obra iniciada há mais de cinco anos e que está paradinha.O dinheiro deve ser liberado em janeiro.

Harmonia

Nem mesmo a presença ostensiva da PM no Centro de Florianópolis inibe o trabalho dos ambulantes, que seguem ocupando as calçadas sem nenhum tipo de constrangimento.

Aliás

Na reunião de ontem entre o prefeito e o secretário de Segurança ficou acertada… mais uma reunião para segunda-feira.

 

COLUNISTA MOACIR PEREIRA – Diário Catarinense

Vignatti assume PT em SC

O ex-deputado federal Cláudio Vignatti assume hoje a presidência estadual do PT com projeto definido: concorrer ao governo do Estado. Revela ter consciência de que se trata de um projeto ambicioso. Precisa agregar novas legendas para ganhar musculatura. E, tirando os nanicos tradicionais aliados, não há um partido forte neste momento para montar uma grande estrutura durante a campanha.
O PMDB, fechado com o PT no plano nacional, aqui em Santa Catarina azeitou as relações com Raimundo Colombo e caminha para reeditar a dobradinha com o PSD. A própria coligação nacional PT-PMDB – diga-se Dilma Rousseff-Michel Temer – defende esta equação como forma de virar o resultado da eleição no próximo ano em relação a 2010. À exceção de 2002, o PT, com Lula e com Dilma perdeu feio aqui no Estado nas disputas presidenciais.
Com o PSDB não há conversa. É o maior adversário hoje do PT no plano nacional e vai disputar a presidência com o senador Aécio Neves. De igual forma, com o PSB, não têm espaço de conversação. Os socialistas tem o governador pernambucano Eduardo Campos como candidato de oposição a Dilma, e aqui em Santa Catarina são liderados pela família Bornhausen, tradicional adversária dos petistas.
Assim, a noiva mais cobiçada é o PP. Vignatti enviou convite VIP à direção estadual do PP para sua posse e faz articulações para ter os progressistas em sua chapa. Quer criar uma força nova. Os progressistas, contudo, estão divididos em três correntes. No plano nacional, as lideranças estão fechadas com Dilma, que desestimulará qualquer movimento do PP em direção a Aécio em SC.

Sobre rodas

O governo do Estado entregou 34 automóveis para a Polícia Militar na região de Lages. O governador Raimundo Colombo foi à cidade fazer a prestação de contas do Pacto por SC.

 

ASSUNTO: MORTE EM SOMBRIO

VEÍCULO: Diário Catarinense

Polícia Civil diz que crime foi planejado

Inquérito aponta que morte de adolescente no banheiro do Instituto Federal Catarinense ocorreu após a vítima ter sido dopada por colega

Um crime planejado e friamente articulado é a conclusão da Polícia Civil. O motivo do adolescente de 17 anos que matou asfixiado Arthur Hobold da Rosa, 16, no banheiro do Instituto Federal Catarinense (IFC) em Sombrio, seria um amor não correspondido pelo colega, de acordo com a investigação.
Logo que chegou ao local do crime, no dia 18 de novembro, o delegado da Polícia Civil Luis Otávio Pohlmann, percebeu que havia algo errado na versão contada pelo adolescente. Nervoso, disse que encontrou o colega morto no banheiro. Depois pressionado, sustentou a versão de que ambos teriam feito um pacto de suicídio. Na tentativa de dar veracidade à história, tinha restos de papel higiênico no canto da boca e disse que teria tentado se sufocar após a morte do colega.
No dia seguinte, na delegacia, uma terceira versão de que o relacionamento deles passava por um momento conturbado reforçou as desconfianças da verdadeira culpa que ele tentava esconder. Após 15 dias de investigações a versão defendida pela polícia revelaria detalhes do crime que chocou o Estado.
Na noite anterior ao crime, o autor teria roubado calmantes para colocar na bebida do colega quando almoçaram juntos. Os remédios teriam deixado a vítima anestesiada. Outra substância, que o delegado acredita ser álcool, teria sido aplicada com uma seringa no pescoço da vítima, o que a deixou mais desorientada e quase sem chances de defesa. Segundo laudos preliminares, o adolescente tentou lutar e resistir. Sangramentos no coração e no pulmão constatam que ele morreu por asfixia.
Por volta de 14h20min o adolescente de 16 anos foi encontrado caído próximo a um dos sanitários do banheiro masculino do IFC. Mesmo com laudos preliminares, o delegado concluiu que houve homicídio triplamente qualificado com asfixia e impossibilidade de defesa da vítima. O adolescente suspeito de matar a vítima permanece apreendido no Centro de Internação Provisória (CIP) em Criciúma e pode ficar no local por até 45 dias. O Ministério Público ofereceu ontem uma representação pela aplicação de medida socioeducativa postulando a internação, que pode ser, no máximo, por três anos, sendo revista a cada seis meses.
Pai acreditava que situação estivesse resolvida
Sem muitas palavras na porta de casa, em uma cidade próxima a Sombrio o pai do adolescente suspeito de matar o jovem de 16 anos atendeu a equipe do Diário Catarinense. Abalado, disse que não tinha nada a dizer. Se mostrou surpreso ao saber pela reportagem da conclusão das investigações. Disse ainda que nunca esperava uma atitude dessas do fiho, que era estudioso e muito inteligente. A mãe do apreendido esteve na escola quando foi chamada para conversar no meio do ano, mas o pai diz que acreditava que “tudo estava resolvido”.

 

ASSUNTO: Quadrilha de ecstasy

VEÍCULO: Diário Catarinense

FIM DA BALA DO CORAÇÃO: Presa a maior quadrilha de fabricação de ecstasy de SC

Polícia Federal recebeu apoio da Polícia Militar na apreensão de dois laboratórios e prisão de quatro pessoas

Os comprimidos cor-de-rosa com desenho de coração que têm circulado na noite catarinense vão desaparecer das baladas. A Polícia Federal, com apoio da Polícia Militar, prendeu ontem em flagrante por tráfico internacional a maior quadrilha especializada na fabricação de ecstasy de Santa Catarina. Os dois laboratórios com capacidade para fabricar 3 mil “balas do amor” por dia foram apreendidos, além de máquinas, matéria-prima e 14 mil comprimidos.
Dois peritos federais chegaram às 18h numa casa no final da Servidão Recanto das Dunas, no Campeche, Sul da Ilha. No fundo do quintal, um pequeno quarto imundo abrigava um dos dois laboratórios da quadrilha. Entre fotos de mulheres nuas, uma geladeira desativada e um colchão encardido, eles examinavam bacias com pó, peneiras e a máquina antiga adaptada para prensar a massa cor-de-rosa e transformá-la nos comprimidos.
Foi ali que um dos dois chefes da quadrilha Rafael Mendes Bardini Alves e o irmão Gustavo Mendes Bardini Alves estavam quando chegaram as equipes da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da PF de SC e do Grupo de Apoio Operacional (GAO) do 4o Batalhão de PM. Silenciosamente, policiais pularam o muro de dois metros com arame farpado. Outros entraram pelo portão de plástico branco. Os irmãos estavam prensando o pó quando receberam voz de prisão.
Cerca de uma hora depois, parte dos policiais foi até o segundo laboratório, onde a quadrilha misturava a massa que viraria ecstasy no Campeche. O espaço foi montado num casa com piscina em Palhoça, na Grande Florianópolis. O outro cabeça do bando, Bernardo Lopes Cobra, foi preso em flagrante. Ele e a namorada, Fabíola Alves Larrondo, tentaram dispensar o material, deixando o chão do chuveiro e o vaso sanitário coloridos de rosa.
–Esta é a maior quadrilha presa especializada na fabricação de ecstasy em Santa Catarina. Devido à repressão nas fronteiras e aeroportos, quadrilhas de Florianópolis que distribuíam esse tipo de droga sintética começaram a produzi-la –observou o titular da DRE/PF, delegado Gustavo Trevisan.

 

ASSUNTO: Negociação salarial

VEÍCULO: Notícias do Dia

Emendas retardam reforma

Por um acordo da base aliada do governo na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina), as emendas dos 11 projetos que modificam a remuneração dos servidores da segurança pública e padronizam as gratificações do funcionalismo serão encaminhadas para análise do Executivo.

Aquelas que não receberem aprovação terão parecer contrário dos relatores, que são aliados ao governo. A decisão será nesta segunda-feira, em reunião ampliada das comissões de mérito. A votação do pacote em plenário está programada para as sessões de terça e quarta-feira. Faltam duas semanas para o início do recesso na Alesc.

Após passarem pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), as matérias seriam avaliadas na última quarta-feira em reunião conjunta dos colegiados de Finanças e de Serviços Públicos. Como o Executivo encaminhou novas propostas de alterações aos projetos, a apreciação ficou para a próxima segunda-feira. Um pedido de vistas coletivas foi concedido.

Contando as mudanças encaminhadas pelo governo e as sugeridas por parlamentares, até agora já foram indexadas 40 emendas. “A Casa tem sua pluralidade de ideias e interesses, o debate é salutar. Mas o governo procura conceder benefício a todos os servidores, mesmo escalonado”, observou Marcos Vieira (PSDB).

Proposto reajuste automático ao teto

Entre os projetos debatidos estão a PE C (Proposta de Emenda à Constitucional) que equipara o teto salarial dos servidores do Estado ao subsídio dos desembargadores (R$ 25,3 mil por mês). A votação seria na última quarta, mas o líder do governo na Assembleia, Aldo Schneider (PMDB ) prorrogou para incluir uma subemenda, aceita pela Mesa Diretora e apresentada na reunião dos líderes.

Sugerida pelo Sindicato dos Fiscais da Fazenda, a emenda requer que o reajuste do teto seja elevado automaticamente quando há aumento do subsídio de ministro do (STF) Supremo Tribunal Federal.

A justificativa é que o teto dos desembargadores é limitado a 90,25% do vencimento dos ministros do STF. O projeto encontra resistências também nas categorias. Os reajustes serão feitos em três parcelas entre 2014 e 2016. Uma das críticas dos servidores é que revoga as negociações salariais nas datas-base.

Teto salarial: A PEC (6/2013) equipara o teto salarial de todo o funcionalismo dos poderes ao salário do desembargador (R$ 25.324). Hoje cada órgão tem um teto remuneratório. Os servidores do Executivo podem ganhar no máximo o salário do governador (R$ 15 mil), os do Legislativo não podem ultrapassar o vencimento dos parlamentares (R$ 24,4 mil) e só os trabalhadores do Judiciário têm o limite fixado no vencimento do desembargador. Se for aprovada, a elevação do limite remuneratório vai beneficiar 2.200 trabalhadores.

Reajuste dos procuradores: O projeto de lei (PL 501.6/2013) dispõe sobre o salário dos procuradores e extingue vantagens como gratificações, abonos, prêmios e outras verbas agregadas ao salário. Os vencimentos também serão vinculados aos ganhos dos desembargadores do TJ.

Aumento das gratificações: Os projetos de lei (PL 502.7/2013) e (PL 503.8/2013) alteram o critério de cálculo, extinguem e instituem gratificações dos trabalhadores do quadro geral do Executivo. A proposta padroniza os percentuais de gratificações instituídas para órgãos e entidades da administração direta, autarquias, fundações. Variações de 30% e 60% serão extintas e unificadas para 100%.

Criação do programa Pro-Eficiência: O projeto de lei (PL 504.9/2013) institui o Pro-Eficiência na Secretaria de Administração, Instituto de Previdência e Procuradoria Geral. A proposta prevê retribuição financeira aos servidores que alcançarem metas pré-estipuladas.

Salário das polícias Civil e Militar: Os projetos de lei complementar (PL C 42.6/2013), (PL C 44.8/2013), (PL C 45.9/2013), (PL C 46.0/2013) e (PL C 47.0/2013) fixam os salários dos oficiais e praças da Polícia Militar, agentes e delegados da Polícia Civil, bombeiros, integrantes do Instituto Geral de Perícias. A proposta extingue vantagens decorrentes de gratificações, adicionais, abonos, prêmios ou outras espécies de verbas agregadas ao vencimento.

Mudança no Estatuto do Servidor: O projeto de lei complementar (PL C 43.7/2013) altera o Estatuto dos Servidores. Passa a permitir, por exemplo, o fracionamento de férias. A proposta é de folga em dois períodos, não inferiores a dez dias. Também abre a possibilidade de dividir a licença prêmio, em parcelas de 15 dias. Prevê ajuste no valor do auxílio-funeral e possibilita um horário especial para portador de deficiências.

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 8 DE DEZEMBRO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Conflito de interesses

O capitão Thiago Augusto Vieira, segundo nome na hierarquia do 4o Batalhão da PM, responsável pelo policiamento no Centro de Florianópolis, encaminhou ofício ao Ministério Público pedindo a instauração de inquérito policial para investigar o que classifica de “barreira policial ilegalmente realizada pela Guarda Municipal”. Junto com o ofício, Vieira encaminhou gravações em vídeo das blitze da Lei Seca (foto) comandadas pela Guarda na Avenida Beira-Mar Norte.
O promotor de Justiça Rafael de Moraes Lima atendeu o pedido da PM e requisitou ao delegado-geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro d’Ávila, a abertura da investigação. O interessante é que a atribuição da Guarda Municipal para atuar na fiscalização do trânsito já foi exaustivamente discutida tanto na Justiça Estadual quanto em Brasília, sempre com ganho de causa à guarda. Agora, aqui entre nós, que mal faz à sociedade a Guarda Municipal ao tirar das ruas motoristas embriagados?

Dois mundos

Enquanto servidores do Judiciário e Legislativo vão passar o final de ano desfrutando o abono de R$ 4 mil pago pelos respectivos poderes, os delegados da Polícia Civil precisam informar com antecedência ao departamento de Recursos Humanos da corporação quem vai trabalhar nos plantões de final de ano. Senão, o policial não receberá o auxílio-alimentação referente àqueles dias.

Papo Rápido

Jaison Franzen, segundo-sargento da Polícia Militar, há 13 anos no Programa Educacional de Resistência às Drogas. É mais conhecido nas escolas como o tiozinho do Proerd

Afinal, qual a importância do programa?
O objetivo estratégico do Proerd é trabalhar o amanhã da sociedade hoje. A prevenção ao uso de drogas é importante, mas cada vez mais atuamos na formação de melhores cidadãos. A simples possibilidade de abrir uma janela para as crianças e pré-adolescentes sobre a importância de se fazer escolhas corretas, acaba gerando resultados muito positivos. Pelo Proerd já formamos quase um milhão de jovens. E isso não tem preço!

Pessoalmente, o que mais te emociona depois de tanto tempo de estrada?
Teve o relato de um jovem, morador de região bem carente, que estava se envolvendo com o tráfico. A partir das aulas do Proerd, ele pôde conhecer uma nova perspectiva de vida. Reencontrei-o alguns anos depois casado, bem empregado e tocando a vida. Sei que lutamos contra uma força descomunal que é a questão das drogas e do consumismo, mas um único depoimento como esse faz a gente acreditar todos os dias. Não troco isso por nada!

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 9 DE DEZEMBRO

 

COLUNISTA CACAU MENEZES – Diário Catarinense

Vergonha

Santa Catarina foi ontem e continua sendo hoje notícia no mundo todo por conta da violência entre torcedores do Vasco e do Atlético Paranaense na Arena de Joinville. A Polícia Militar não estava no estádio, segundo o capitão, por determinação do MPSC, que considerou o jogo um evento privado.
Fotos estão nos principais sites do mundo, queimando o filme do Brasil, claro.

 

ASSUNTO: VIOLÊNCIA NOS ESTÁDIOS

VEÍCULO: Diário Catarinense

Quando o futebol dá lugar à barbárie

Partida entre Atlético-PR e Vasco da Gama, em Joinville, encerrou com sangue e tristeza a última rodada do Brasileirão

Eram 15 minutos do primeiro tempo e o placar marcava 1 a 0 para o Atlético-PR sobre o Vasco quando as arquibancadas da Arena Joinville, que deveriam ser palco de torcedores, se transformaram em um ringue para vândalos. Parte da torcida das duas equipes partiu para o confronto direto e espalhou o pânico entre os que estavam ali apenas para assistir a uma partida de futebol.
Quem estava no estádio não sabe exatamente como a confusão começou. A protética Roseane Larsen, de 23 anos, foi de Blumenau a Joinville para ver de perto o time do coração, o Vasco. Ela só se deu conta da gravidade da situação quando alguns torcedores que estavam próximos dela saíram correndo ao encontro dos rivais. Na confusão, chegou a cair depois de ser empurrada por pessoas que tentavam deixar a arena.– Não havia policiais, cordões de isolamento, mas havia pedaços de pau com pregos na ponta. Não dá para acreditar!
Era a primeira vez que Roseane pisava em um estádio de futebol. E foi também a última, afirma a protética.
– Hoje foi triste. Não me importo se o Vasco foi rebaixado. Isso faz a gente perder a graça de certo prazeres da vida. Futebol, pra mim, era um deles – diz ela.
Com a confusão, quatro pessoas ficaram feridas e três homens envolvidos na briga generalizada acabaram presos. O jogo precisou ser interrompido por 70 minutos e a responsabilidade sobre a segurança do estádio virou alvo de jogo de empurra entre a Polícia Militar, o Ministério Público e o Joinville Esporte Clube.

“Não cabe à PM a segurança em evento privado”

ENTREVISTA: Nazareno Marcineiro Comandante-geral da PM de SC

Comandante-geral da Polícia Militar em Santa Catarina, Nazareno Marcineiro, defende que a instituição agiu de forma correta, com base na ação civil pública de número 08.201300394925/0, publicada no site do Tribunal de Justiça no dia 2 de dezembro. Segundo a ação, a polícia não pode fazer segurança em eventos privados.

Grupo RBS – No que a Polícia Militar se baseou para não estar dentro do estádio?
Marceneiro – A Ação Civil Pública está no site do Tribunal de Justiça de Santa Catarina dando conta que não cabe à Polícia Miliar fazer segurança em evento privado. Nós somos uma instituição legalista, que faz cumprir a lei. A ação trata também de outras questões envolvendo a Arena Joinville.

Grupo RBS – No seu entender, essa interpretação está correta?
Marceneiro – O comando da PM em Joinville teve essa interpretação também a partir de conversas com a promotoria local. Ao mesmo tempo, nós estávamos lá com 113 homens, porém, na área pública. Tanto que na hora da briga, e depois na retomada do jogo, estávamos lá para garantir a segurança.

Grupo RBS – Por enquanto a ação não foi julgada e estamos diante de um impasse jurídico.
Marceneiro – Sim. Na ação o promotor responsável, Francisco de Paula Neto, sugere à Justiça que se trata de uma irregularidade a Polícia Militar fazer segurança em evento particular.

Grupo RBS – Isso muda alguma coisa a partir de agora?
Marceneiro – Nós vamos zelar pela vida das pessoas. Vamos avaliar profundamente esse episódio, a partir de uma reunião nesta segunda-feira com o Comando Maior (cúpula da segurança). Por outro lado, vamos também observar o cumprimento da lei por parte de quem tem a essa responsabilidade, no caso, o promotor dos eventos.

 

“A polícia comunicou que não teria policiamento”

ENTREVISTA: Fernando Krelling Presidente da Felej

Presidente da Fundação de Esportes, Lazer e Eventos de Joinville (Felej), diz que a responsabilidade pela segurança da partida era única e exclusiva do Atlético-PR, que pagou cerca de R$ 25 mil para utilizar as dependências da Arena.

Grupo RBS – Como a Felej foi comunicada pela Polícia Militar e pelo Ministério Público de que não haveria policiamento na Arena?
Fernando Krelling – Quem passou essa notícia para a gente foi a própria PM. Ontem (sábado), tivemos uma reunião com a PM e com o Atlético-PR. Como foi aqui na Felej, eu também participei. Mas toda essa logística foram eles que fizeram. A PM comunicou que não teria policiamento por determinação do Ministério Público. Mas nós não recebemos nada do MP.

Grupo RBS – O senhor acredita que a Arena e o JEC possam sofrer consequências jurídicas?
Krelling – Quem estava respondendo pelo evento era o Atlético-PR. A Arena era a casa deles. A gente está resguardado. Quem teria que ser enquadrado no Estatuto do Torcedor, nesse caso, é o Atlético-PR. Estamos com um contrato em mãos, no qual diz que toda a responsabilidade de segurança privada, de contato com a PM, de seguro do torcedor e emissão do bilhete, é do locatário: o Atlético-PR. Nós apenas alugamos o estádio.

Grupo RBS – A partir desses acontecimentos, a Felej pretende dialogar com o MP e com a PM para entender o que aconteceu?
Krelling – Eu quero dizer que a Felej não recebeu nada do MP. Foi uma alegação da PM, dizendo que o MP provocou para que ela não estivesse no estádio. Nós não recebemos nenhum alerta. A gente vai verificar o porquê de tudo isso ter acontecido.

 

ASSUNTO: Segurança em Canasvieiras

VEÍCULO: Diário Catarinense

MORADORES PROTESTAM: Mendigos são foco de polêmica

Grupo de Canasveiras, em Florianópolis, acusa Balneário Camboriú de levar moradores de rua para a praia do Norte da Ilha

Um grupo de moradores da Praia de Canasvieiras, em Florianópolis, acusa a prefeitura de Balneário Camboriú de exportar mendigos para o local. A alegação é negada pelas prefeituras das duas cidades e classificada de irresponsável pela Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social de Balneário Camboriú.
O presidente do Conselho Comunitário de Segurança de Canasvieiras, Carlos Hennrichs, admitiu que não tem provas materiais, mas garantiu que basta perguntar para os moradores de rua para descobrir que a origem deles é o Litoral Norte, em especial Balneário Camboriú. Independentemente de onde vieram, a presença desagrada a população local.
O motorista Marcelo Gonçalves, 54 anos, reclamou que a mulher evita caminhar na areia por medo de ser atacada e que as pessoas são intimidadas ao estacionarem o carro em algum comércio. O garçom Halifi Ulisses Martins, 20 anos, veio de Taquarituba (SP) e contou que é comum ver moradores de rua pedindo dinheiro para os clientes nas mesas e que mesmo expulsos eles voltam.
O assunto tomou conta das rodas de conversa de Canasvieiras, mas não significa que todos consideram os mendigos um mal que precisa ser extirpado. Mesmo assim, parte dos moradores repete histórias de kombis e ônibus que “desovaram” gente de outras cidades. Os recém-chegados teriam expulsado crianças de parques, agora usados para consumo de drogas ou como dormitório. Ocorre que muitos consideram a posição extrema e citam que a praia tem problemas maiores, como tráfico de drogas e falta de policiamento.
Uma das organizadoras das passeatas contra os mendigos, Luciana Gertrudes Silva lembra que registrou boletim de ocorrência contra os moradores de rua e reclama do impacto no turismo, mas ressalta que o caso é para tratamento. O presidente do Conseg de Canasvieiras diz que foram apenas duas visitas e nenhum mendigo encaminhado para tratamento.

 

ASSUNTO: Tráfico de drogas

VEÍCULO: Diário Catarinense

GOLPE NO TRÁFICO: Deic desarticula quadrilha com base na Praia do Rosa

Cinco pessoas detidas são suspeitas de participar de um esquema internacional de compra e venda

Uma casa na Praia do Rosa, no Litoral Sul de Santa Catarina, era usada como esconderijo de uma quadrilha de brasileiros e uruguaios presa em flagrante pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic). O grupo é suspeito de tráfico internacional de drogas, de acordo com o responsável pela investigação e operação, titular da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Deic, delegado Claudio Monteiro.
Anotações de vôos para a Europa com escalas em diversos países, como Bélgica e Portugal, foram encontradas com o bando, que atuava na região de Garopaba e Imbituba e distribuiria droga em SC e no Rio Grande do Sul, conforme a Polícia Civil. Cinco pessoas foram presas em flagrante, sendo dois homens e uma mulher brasileiros e dois uruguaios.
A DRE apreendeu uma carga de cocaína. Diversas malas preparadas para esconder a droga foram apreendidas, além de aproximadamente 50 quilos de maconha, três balanças de precisão, uma pistola calibre .380 e dois kits de ferramentas que seriam utilizadas para ocultar a droga nas malas. Contando esta apreensão, em apenas um mês a Divisão de Repressão a Entorpecentes da Deic conseguiu garantir a apreensão 1,5 tonelada de maconha.
Depois de dois meses de investigações, a DRE recebeu a informação de que a quadrilha faria uma negociação na quarta-feira. A transação acabou ocorrendo no dia seguinte e a polícia conseguiu fazer o flagrante.
Os presos foram conduzidos para a sede da Deic, em Florianópolis.

 

ASSUNTO: Violência em Gov Celso Ramos

VEÍCULO: Diário Catarinense

GRANDE FLORIANÓPOLIS: Família é rendida por assaltantes

Dois assaltantes armados com pelo menos uma pistola renderam uma família na madrugada de ontem no bairro Areias de Cima, em Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis.
Os homens estavam em busca do malote com dinheiro arrecadado durante um evento religioso. Segundo a polícia, eles acreditavam que o dono da casa estaria com o malote, o que não se confirmou.
A família foi rendida por volta de 3h30min pela dupla, que estava com o rosto coberto por camiseta e usando boné. Os assaltantes trancaram o dono da casa, a mulher e o filho deles, de 16 anos, na garagem. Os bandidos revistaram o carro, mas não encontraram nada.
Conforme a polícia, os assaltantes roubaram o imóvel e fugiram levando as alianças de casamento do casal, duas TVs, cerca de R$ 2 mil em dinheiro, que era o salário da dona da casa, e máquina fotográfica. Fugiram no carro da família, abandonado cerca de 200 metros da residência. As vítimas conseguiram sair da garagem e chamar a Polícia Militar. Suspeitos não foram localizados.

 

ASSUNTO: Viaturas para a PMSC

VEÍCULO: Portal da PMSC

Lages: 2ª RPM recebe 34 viaturas do governo de Santa Catarina

Na noite desta quinta-feira (05), o governador Raimundo Colombo se fez presente na cidade de Lages e anunciou recursos para o desenvolvimento da região. O evento foi realizado no Salão de Atos da Universidade do Planalto Catarinense – UNIPLAC.

Os investimentos chegam a mais de R$ 100 milhões que serão destinados a vários setores da sociedade, como educação, saúde, pavimentação asfáltica, agricultura e segurança pública.

Foi realizada no evento a entrega de 34 viaturas para a 2ª Região de Polícia Militar (RPM) de Lages, onde 17 municípios do Planalto Serrano serão beneficiados. Os veículos foram adquiridos com recursos do Pacto da Segurança.

Ao total, foi investido R$ 1,5 milhão. Ainda em dezembro, acontecerá à entrega de mais viaturas para as instituições de segurança, como Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar e Instituto Geral de Perícias.

Com o recebimento de novas viaturas a Polícia Militar de Lages e região, fica mais fortalecida, tornando o Planalto Serrano cada vez mais seguro.

 

ASSUNTO: Formatura de Cabos

VEÚCULO: Portal do CBMSC

FORMATURA DOS 73 NOVOS CABOS E REPASSE DE INVESTIMENTOS NA CAPITAL

     

 

 

Na manhã desta sexta-feira (06/12) o Corpo de Bombeiros Militar comemorou a formatura de 73 novos cabos, de todas as Regiões de Santa Catarina, no Centro de Ensino Bombeiro Militar. A turma de nome Cabo BM Evandro Daltoé cumpriu 488 horas/aula, com foco nas atividades diversas de bombeiro, tendo como 1° colocado o Cabo BM Sérgio Nei Jurek, com a nota 9,98.

Na mesma oportunidade foi realizado o repasse de investimentos e entrega de equipamentos adquiridos, por meio da Secretaria de Estado da Segurança Pública, com o valor em torno de R$ 1.240.000,00. O montante é destinado principalmente a reformas, arruamento e aquisição de materiais para o Centro de Ensino Bombeiro Militar, com destaque para os conjuntos de equipamentos de proteção individual (EPI) de combate a incêndio. Na cerimônia o Secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, e autoridades ajudaram a equipar simbolicamente os bombeiros com o equipamento de combate a incêndio, materializando a aquisição.

Um termo de cooperação técnica entre o Corpo de Bombeiros Militar e a Polícia Rodoviária Federal foi assinado também na manhã de hoje.

O Comandante-Geral do CBMSC, Coronel BM Marcos de Oliveira, fez o uso da palavra e agradeceu aos novos cabos pelo empenho, pois a corporação depende do esforço individual de seus profissionais, do trabalho duro e dedicado.

O Secretário de Estado da Segurança-Pública trouxe uma boa notícia para este dia de festa no CEBM: o repasse de, além do investimento inicial, mais R$ 270 mil para a finalização da piscina, obra iniciada há mais de cinco anos e que deverá ser retomada, com o aporte deste valor, em janeiro do próximo ano. “Não posso dizer que este é um presente pois é obrigação do Estado prover suas forças da segurança com condições de trabalho, mas tenho certeza de que será de grande valia para a formação dos novos bombeiros e aperfeiçoamento profissional daqueles que labutam diariamente pela segurança da população catarinense”, afirmou.

Compareceram também o Secretário Adjunto da Segurança-Pública, Coronel PM Fernando Rodrigues de Menezes; o Deputado Estadual Amaury Soares; o Superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Inspetor Silvinei Vasques; o Subcomandante-Geral da PMSC, Coronel Valdemir Cabral; o Secretário Municipal da Defesa Civil, Coronel BM RR José Cordeiro Neto; além de Militares Federais, Policiais e Bombeiros Militares, Bombeiros Comunitários, familiares e amigos dos formandos.

A banda de música do Exército Brasileiro (63° Batalhão) abrilhantou a solenidade.

Parabéns aos novos 73 cabos!  Bombeiros, ao combate!