Área do associado

Área do associado

Clipping de 30 de novembro a 2 de dezembro

2.12.2013

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 30 DE NOVEMBRO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Moradores de rua

A Secretaria de Assistência Social de Florianópolis está intensificando a abordagem aos moradores de rua em Floripa, que têm se multiplicado nos últimos meses. Na foto, a ação realizada na noite de quinta-feira, em Canasvieiras. Há quem fale, inclusive, em ação orquestrada para ajudar essa turma a se instalar nas marquises e afins.

Chance para um acordo

A Semana Nacional da Conciliação em Santa Catarina vai oferecer um expressivo leque de opções para o cidadão buscar a solução de seus conflitos – estejam eles judicializados ou não. Serão cerca de 5 mil processos em pauta, em 38 unidades jurisdicionais distribuídas pelo Estado. Na Capital, os trabalhos vão se concentrar na Passarela Nego Quirido, área central da cidade.
A expectativa é que mais de 500 processos sejam colocados em pauta, a partir desta segunda até sexta-feira, para condução por 40 conciliadores devidamente treinados e motivados em busca de êxito na jornada. Nesta edição, em Florianópolis, será realizada a conciliação temática, centrada em ações que priorizem idosos, imbróglios com empresas de telefonia e instituições financeiras.

 

ASSUNTO: Fogo no Memorial da América Latina

VEÍCULO: Diário Catarinense

CURTO-CIRCUITO: Fogo atinge patrimônio da cultura

Pelo menos 15 bombeiros se feriram no combate ao incêndio no Memorial da América Latina

O incêndio que atingiu ontem à tarde o auditório do Memorial da América Latina, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, teria começado na parte B da plateia do auditório Simón Bolívar, após curto-circuito de uma lâmpada de emergência, conforme informações preliminares. O fogo teria se alastrado no carpete. Ao menos 16 pessoas ficaram feridas – 15 bombeiros e um brigadista.
O diretor-presidente do Memorial, o cineasta João Batista de Andrade, afirmou que a estrutura em forma de abóbada (arredondada) atrapalhou a ação dos bombeiros que combatiam o incêndio que atingiu o local.
– A fumaça se acumulou no teto e na estrutura de concreto. Isso atrapalhou até o bombeiros a saber onde era o foco de incêndio – disse Andrade.
Ele afirmou que todas as vistorias do Corpo de Bombeiros estavam em dia. Segundo Andrade, ontem ainda não era possível calcular o prejuízo causado pelas chamas.
– Mas para o patrimônio cultural, já é uma grande perda – disse.
Uma tapeçaria da artista Tomie Othake, que atravessava toda a extensão do auditório Simón Bolívar, foi danificada pelas chamas. Porém, segundo Andrade, a obra pode ser recuperada porque a instituição tem os desenhos originais da artista.
Ainda conforme o cineasta, o Memorial, que foi projetado por Oscar Niemeyer, tem seguro de todas as obras artísticas. O auditório tinha capacidade para 1, 6 mil pessoas – 800 em cada ala – e recebeu por quase 13 anos shows de nomes importantes da MPB, como Milton Nascimento, Gal Costa, Paulinho da Viola e Toquinho, e concertos eruditos, sobretudo de orquestras latino-americanas.

 

ASSUNTO: INVESTIGAÇÃO DE SEQUESTRO

VEÍCULO: Diário Catarinense

Denúncia mobiliza forças policiais

Jovem foi levado por dois homens em assalto à casa da família, mas Delegacia de Repressão a Roubos considera a versão frágil

O terço de pérolas falsas estava intacto no pescoço do adolescente de 15 anos, sentado num carro, na 8a DP dos Ingleses, enquanto aguardava para dar sua versão do suposto sequestro do qual teria sido vítima, ontem, em Florianópolis. A Polícia Civil acredita que ele pode ter forjado o crime. O modo como sua camisa branca estava rasgada é um dos indícios que sustentam a suspeita. Os dois supostos sequestradores foram identificados.
Dois homens entraram na casa do jovem, nos Ingleses, por volta de 7h30min. Amarraram a empregada e deram uma coronhada na avó do adolescente. A arma seria de brinquedo, conforme a polícia. Os homens roubaram R$ 13 mil em dinheiro e levaram o adolescente no carro da família. Mais de 25 policiais militares e civis foram mobilizados para atender a ocorrência. Em nenhum momento os supostos assaltantes pediram resgate. O veículo foi encontrado por volta de 10h abandonado num condomínio do bairro Rio Vermelho, Norte da Ilha. Às 14h30min, o jovem foi achado por policiais da Delegacia de Repressão a Roubos da Capital (DRR), numa casa do condomínio. O local não era um cativeiro, mas a residência do amigo do suposto sequestrado. Os dois estavam assistindo TV quando a polícia chegou.
Para o delegado da DRR, Luiz Felipe Rosado, a história tem diversos pontos que não se encaixam, como o terço não ter se rompido com o puxão na camisa. Outros pontos observados pelo delegado são o fato de o adolescente não ter ligado para a família assim que foi libertado e o círculo de amigos formado por jovens conhecidos da polícia. Procurada, a família não quis comentar o caso. O DC preserva a identidade dos pais para evitar a exposição do menor.
– Descartamos sequestro – afirmou Luiz Felipe Rosado.
O delegado, com apoio da PM, identificou os dois assaltantes. Ele vai pedir à Justiça a prisão deles e a quebra de sigilo do celular esquecido no assalto. Imagens de câmeras podem ajudar no inquérito.

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 01 DE DEZEMBRO

 

ASSUNTO: ARMA DE CHOQUE

VEÍCULO: Diário Catarinense

Projeto propõe uso de taser pela população

Proposta que autoriza uso da arma por civis divide opiniões e preocupa a classe médica

O uso legal de arma de eletrochoque pela população pode se tornar realidade. Um projeto de lei que propõe alterações no Estatuto do Desarmamento e prevê a regulamentação de pistola tipo taser, spray de pimenta e bastões retráteis por cidadãos comuns foi aprovado na Comissão de Segurança Pública da Câmara dos Deputados, em Brasília, e agora está em análise na Comissão de Justiça e Cidadania, antes de ser enviado à votação no plenário. Se virar lei, interessados deverão passar por um processo específico para aquisição. Integrantes da comunidade médica alertam sobre a letalidade da taser e o potencial risco a pessoas com predisposição a arritmias cardíacas.
De acordo com o deputado federal Luiz Argôlo (PP-BA), diversas solicitações, principalmente de mulheres e idosos, preocupados em se proteger de agressões cotidianas e violência doméstica, teriam o motivado a criar o projeto de lei 2801/2011.
– Ele nasceu da minha vontade de permitir que o cidadão comum tenha à disposição meios legais de exercer o direito de defesa pessoal estabelecido no artigo 25 do Código Penal, mesmo em situações nas quais o agressor seja mais forte ou esteja armado – disse o deputado federal.
Conforme Argôlo, evitar a maior liberação de armas também é uma consequência almejada pelo PL. Se a lei for aprovada, caberá ao Executivo criar o processo para certificação das armas, conforme antecipou o deputado. A princípio, a regulamentação da posse e do porte caberia aos ministérios da Justiça e da Defesa em parceria com o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).
O sistema de porte estabelecido no projeto prevê requisitos como teste psicotécnico, análise de histórico criminal, ter mais de 18 anos de idade e residência fixa. A taser ou arma de incapacitação neuromuscular é hoje um produto controlado pelo Comando do Exército e com uso restrito a profissionais da área de Segurança.

Letalidade nas mãos do atirador

A não-letalidade da pistola taser é questionada por membros da comunidade médica. O chefe do serviço de Cardiologia do Hospital Juscelino Kubitscheck de Oliveira, no Distrito Federal, e médico no Hospital da Polícia Militar mineira, o cardiologista Ricardo Hernane Lacerda Gonçalves de Oliveira observou que o potencial letal está nas mãos do atirador e que o risco depende também do agente passivo.
– A arma de choque é uma arma de menor potencial ofensivo, mas pode ser letal porque pode desencadear uma arritmia grave em qualquer pessoa. Quanto mais duradouro o choque, maior o risco – explicou, ao ressaltar que a exposição maior causada pelo portador da arma e um coração suscetível a arritmias aumenta o risco de transformar a arma de menor potencial em absolutamente letal.
Membro da Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (Sobrac), o cardiologista Bruno Valdigem reforça a posição do colega, mas diz que arritmias graves e até letais por causa do aparelho, na prática, não são frequentes.
Conforme Valdigem, entre as pessoas com predisposição a arritmias cardíacas e portadores de estimulação cardíaca artificial, o risco da taser é danificar o gerador, deixando o paciente sem a proteção do dispositivo.
– Pode causar uma arritmia grave, lembrando que a pessoa já é doente, e não por causa da presença do marca-passo. Pacientes com cardiodesfibrilador implantável, por exemplo, têm uma predisposição a paradas cardíacas mesmo sem o choque. Mas isso nunca foi observado – disse.
Perguntado sobre quais estudos da comunidade médica consultou para criar o projeto que libera a taser à população, Luiz Argôlo citou uma fonte que afirma que armas de eletrochoque são seguras, o médico William P. Bozeman, dos Estados Unidos.

“O eletrochoque não é brinquedo”

Fundadora e líder de um site especializado em conhecimento sobre marca-passos e outros dispositivos de estimulação cardíaca artificial, doutora em Ciências da Saúde, e portadora de marca-passo cardíaco, a médica Luciana Alves falou sobre o projeto.

Diário Catarinense – Como a senhora se sente ao imaginar o uso regulamentado da taser pela população, caso o projeto vire lei?
Luciana Alves – A sensação é de insegurança. Mortes já foram relatadas. Há potencial risco para pessoas com predisposição a arritmias cardíacas, sejam portadores de marca-passo ou outros dispositivos de estimulação cardíaca, ou não. Além disso, até mesmo quem cuida da segurança tem sido repreendido pelo mau uso. Fico preocupada em se disponibilizar uma arma como esta, dita “não-letal” aos cidadãos.

DC – Quais os riscos da taser para portadores de estimulação cardíaca artificial?
Luciana – O contato, sobretudo se for no tórax, pode causar alterações no dispositivo cardíaco implantado. Apesar de pouco conhecido um relato de caso publicado em 2007, no Journal of Cardiovascular Electrophysiology demonstra as alterações do contato deste tipo de arma em paciente portador de marca-passo. O risco de óbito não está descartado.

DC – A senhora acredita que a comunidade médica deveria ter sido consultada na elaboração do projeto que regulamenta a arma taser para uso da população?
Luciana – Certamente. E mais espantoso é que mesmo tendo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, entre outros especialistas, informado os riscos deste tipo de arma, “potencialmente letal”, ainda dá-se prosseguimento ao projeto como se nada soubessem. Me espanta ainda que a Anvisa não tenha sido convocada a pensar junto. Certamente arma de eletrochoque não é brinquedo de criança. Só a arma de brinquedo não mata.

Números

40 milhões de pessoas, mais de 20% da população brasileira, sofre algum tipo de arritmia cardíaca 300 mil é o total de mortes súbitas por ano no país em decorrência de arritmias cardíacas

Como funciona e os efeitos da taser no corpo

– Consideradas armas de menor potencial ofensivo pelos especialistas em defesa pois teoricamente teriam menor potencial para causar lesões. As armas de choque tentam imobilizar o adversário através do choque elétrico que vai literalmente “atordoar” a musculatura do indivíduo.

– O choque descarrrega uma grande energia num tempo pequeno fazendo com que a musculatura perca seu tônus; acontece que o coração também é músculo. Um músculo diferente que tem um controle autônomo, um marca-passo próprio que comanda seus batimentos.

– Este marca-passo chama-se nó sinusal e possui características inerentes à sua função que permitem ao coração ter respostas específicas. A fisiologia do nó sinusal permite que em determinados momentos nenhum estímulo por mais intenso que seja desencadeie um batimento.

– Em alguns momentos um estímulo intenso pode passar e desencadear uma arritmia potencialmente ameaçadora à vida. Os equipamentos médicos usados para cardioversão elétrica possuem um dispotivo interno chamado sincronizador que impede a descarga elétrica neste período refratário relativo.

– Quem dispara a arma não conhece fisiologia cardíaca. A cada batimento o coração apresenta um episódio em que um estímulo elétrico possa causar uma arritmia – com uma frequência cardíaca de 60 batimentos por minuto temos 60 momentos de risco.

– Com o aumento da frequência cardíaca mais possibilidades de risco ocorrem – uma descarga elétrica de 6 segundos com FC de 60 batimentos por minuto – um batimento por segundo = seis chances de causar uma arritmia; maior frequência mais chances, choque mais duradouro mais chances.

Fonte: Chefe do serviço de Cardiologia do Hospital Juscelino Kubitscheck de Oliveira (DF) e médico no Hospital da PM (MG), cardiologista Ricardo Hernane Gonçalves de Oliveira

 

ASSUNTO: Sistema prisional

VEÍCULO: Diário Catarinense

MERCADO DE TRABALHO: Dinheiro que vem da prisão em Joinville

Não fossem as grades ao redor, a estação de trabalho seria similar a de muitas fábricas da cidade. Os profissionais operam em turnos, vestem uniforme, usam equipamentos de proteção individual e cumprem metas.
Ninguém disfarça o orgulho. “Trabalho na Ciser” ou “sou funcionário da Tigre” é como se identificam dentro da penitenciária industrial de Joinville.
Lá dentro, ocorrem as últimas etapas do processo produtivo. São trabalhos manuais, como acabamentos, encaixes e embalagem de peças. Alguns itens saem direto para exportação, enquanto outros vão para montadoras de veículos de vários pontos do país. Mais de 60% dos 522 internos trabalham pelo menos seis horas por dia, de segunda a sábado.
A soma dos valores que as empresas repassam à penitenciária como pagamento pelo serviço pulou de R$ 154,6 mil na estreia do programa, em 2006, para R$ 2,5 milhões no ano passado. Os internos ficaram com 75% do total, ou R$ 6,8 milhões, e boa parte da quantia terminou nas próprias comunidades de onde eles saíram.
O diretor da penitenciária, Richard Harrison Chagas dos Santos, conta que a maioria da população carcerária vem de comunidades de baixa renda e não tinha remuneração fixa.
Ao contribuir para a ressocialização dos presos, as empresas conveniadas se beneficiam com a redução de custos e com o comprometimento da mão de obra. O gerente de gestão e pessoas da Ciser, Emerson Branco, observa que, para uma atividade parecida, um profissional dentro da companhia representa um custo de R$ 1,8 mil, enquanto na penitenciária esse valor é de um salário mínimo, de R$ 678.
Como a proporção é de um dia a menos na pena para cada três dias de trabalho, o Estado consegue a liberação de vagas. Já a penitenciária pode usar os recursos do fundo rotativo, que representa 25% do montante, na própria cadeia. Desde 2006, este valor já chega a R$ 2,1 milhões.

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 02 DE DEZEMBRO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Homens de bem

Será lançado hoje à tarde, na Assembleia Legislativa, a Frente Parlamentar Catarinense dos Homens Pelo Fim da Violência Contra a Mulher. Lages, Mafra, Criciúma, Balneário Camboriú e Chapecó lideram o número de casos no Estado. Em SC, são 3,5 homicídios para cada 100 mil mulheres. A cada 46 minutos, uma mulher é vítima de algum tipo de agressão em SC.

Caveira na costa

Quatro equipes da Coordenadoria de Operações Policiais Especiais (Cope) da Polícia Civil estão na região de Porto Belo, Bombinhas, Balneário Camboriú e Camboriú atuando na redução dos crimes na Costa da Esmeralda.

 

ASSUNTO: Negociação Salarial

VEÍCULO: Portal da Alesc

Discussões sobre pacote salarial prosseguem na semana que vem

Os deputados darão sequência, na próxima semana, à discussão sobre os 11 projetos encaminhados pelo Poder Executivo, que formam o pacote salarial dos servidores públicos estaduais. Após serem aprovadas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nesta semana, as propostas serão analisadas pelas comissões de mérito.

O pacote salarial é composto por uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), quatro Projetos de Lei (PLs) e seis Projetos de Lei Complementar (PLCs). A PEC já teve sua admissibilidade aprovada em Plenário e está na CCJ para análise de seu mérito. Já os PLs e os PLCs estão na Comissão de Finanças e Tributação.

Conforme acordo firmado entre as bancadas partidárias, as emendas aos projetos serão apresentadas nas comissões de mérito. Além disso, cronograma para a tramitação conjunta das propostas nas comissões será obedecido, dando agilidade ao processo.

 

ASSUNTO: Frota da PM

VEÍCULO: Portal da PM

Governo do estado entrega novas viaturas em Joinville

A Polícia Militar recebeu do governo do estado 153 novas viaturas que serão distribuídas nos municípios da região Norte do estado. Só em Joinville, a PM já pode contar com 80 viaturas. Outras 24 irão para Jaraguá do Sul. O restante será entregue nos próximos dias para outras nove cidades.

No local da solenidade, no centro Expoville, em Joinville, o comandante Nazareno Marcineiro recebeu de forma simbólica das mãos do governador Raimundo Colombo as chaves de um dos veículos, um Fiat Pálio Weekend.

Outros 27 veículos foram entregues para a Polícia Civil e ao Instituto Geral de Perícias.

Todas as viaturas foram adquiridas com recursos do Pacto Por Santa Catarina, programa do governo estadual, no valor de oito milhões e duzentos 200 mil reais.

 

ASSUNTO: Novos Diretores no CBM

VEÍCULO: Portal do CBM

NOVOS DIRETORES ASSUMEM CARGOS NO COMANDO-GERAL EM FLORIANÓPOLIS

     

 

 

 

Na tarde desta sexta-feira (29/11) coronéis BM assumiram:

Corregedoria-Geral – Coronel BM Inácio Tarcísio Kugik

Diretoria de Pessoal – Coronel Pedro Antônio da Silveira

Diretoria de Atividades Técnicas – Coronel BM Ronaldo Lessa

O Comandante-Geral, Coronel BM Marcos de Oliveira, recebeu os oficiais na sala de comando e, fazendo o uso da palavra, afirmou que “os Coronéis agora têm novos desafios, vão dar uma nova energia para a continudade dos trabalhos, fazendo sempre mais e melhor”.