Área do associado

Área do associado

Clipping de 3 de maio

3.5.2013

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE 03.05

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

TRISTE SINA

Os dois políticos envolvidos em escândalos sexuais mais recentemente no Estado, Nilson Nelson Machado, o Duduco, e Nelson Goetten, têm em comum o fato de terem ocupado uma cadeira na… Assembleia Legislativa.

LEI SECA

Guarda Municipal de Florianópolis inicia hoje a série de blitze na saída das principais casas noturnas. Inicialmente, o trabalho será mais de orientação. Se for constatado sinais de embriaguez, vai direto para a DP!

MORTES VIOLENTAS

O número de homicídios dolosos em Santa Catarina caiu 10,8% no primeiro quadrimestre de 2013 em comparação ao mesmo período do ano passado. Dos 230 assassinatos corridos entre janeiro e abril deste ano, 70 foram no Vale do Itajaí; 48 no Norte; 36 na Grande Florianópolis; 34 no Sul; 29 no Oeste; e 13 no Planalto.

POLÍCIA ONLINE

A Polícia Militar Rodoviária (PMRv) acaba de repaginar o site www.pmrv.sc.gov.br. A principal novidade é a disponibilidade de o próprio usuário registrar e preencher o Boletim de Acidente de Trânsito (Boat) de forma gratuita (impressão online). Outro detalhe é o da acessibilidade para portadores de necessidades especiais.

 

COLUNISTA CLÁUDIO PRISCO – A Notícia

Corrigir é preciso

Termina hoje, em Florianópolis, a 86ª reunião ordinária do Conselho Nacional dos Corregedores-gerais do Ministério Público. O encontro começou ontem, com a manifestação da procuradora Gladys Afonso. Estão presentes os corregedores do MP dos Estados e da União e dois integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público: Taís Schilling Ferraz e Tito Amaral. Temas técnicos, como o estágio probatório e a eficiência das diligências investigatórias, estão na mesa de debates. O procurador-geral de Justiça de SC, Lio Marin, ressaltou a importância da corregedoria, que age de forma preventiva.

Iniciativa

Na cerimônia de adesão oficial da OAB-SC à campanha nacional pela dignidade dos honorários, realizada ontem em Florianópolis, o presidente nacional em exercício da Ordem, Cláudio Lamachia, enalteceu a iniciativa do presidente da seccional catarinense, Tullo Cavallazzi Filho, de constituir uma coordenadoria regional para valorização dos honorários advocatícios.
Lamachia defenderá, junto ao Conselho Federal da OAB, a criação de coordenadorias semelhantes em todas as seccionais.

COMANDO

Promotor Afonso Ghizzo Neto, que encabeça o movimento O que Você Tem a Ver com a Corrupção em Santa Catarina e no Brasil, recepcionou o presidente da Organização Francesa de Combate à Corrupção (Anticor), Jean-Pierre Guis, que também é vice-prefeito do 12º distrito de Paris. Na pauta, articulações para o desenvolvimento de parceiras envolvendo Brasil e França, todos contra os malefícios da corrupção.

 

COLUNISTA ROBERTO AZEVEDO – Notícias do Dia 02.05

Presente

A audiência que o ministro Luiz Fux, do STF, concederá hoje aos comandantes-gerais dos Corpos de Bombeiros Militar de todo o país, contará com as presença do coronel BM Marcos de Oliveira, de Santa Catarina, e do deputado estadual Sargento Amauri Soares (PDT). O assunto à mesa é a Ação Direta de Inconstitucionalidade contra dispositivos inseridos na Constituição catarinense que permitem Corpos de Bombeiros Voluntários e Comunitários fazerem convênios com municípios para que possam certificar normas de segurança contra incêndio, relatada por Fux, e que foi interposta pela Federação Nacional das Entidades de Oficiais Militares Estaduais (Feneme).

 

ASSUNTO: Óbito de ex-combatente

VEÍCULO: Diário Catarinense

MEMÓRIA DA GUERRA: Adeus a um pracinha

Arnoldo Vequi foi instrutor de granada e bazuca dos brasileiros em combate na Itália

Combatente da II Guerra Mundial e manezinho de coração, Arnoldo Vequi encerrou a última batalha na manhã de ontem. Ele morreu aos 97 anos, por complicações no pulmão. O pracinha que foi enviado para a Itália ao lado dos Aliados, em 1944, faleceu em casa, no Bairro Estreito, em Florianópolis.
Familiares e amigos lembram-se de um marido e pai dedicado e pulso firme, que suportou muitas perdas e nunca fugiu à luta. Como militar, destacou-se pela boa mira para atirar, conta a família.
Vequi ainda estava na Guerra em 14 de março de 1945, quando ficou sabendo por um telegrama codificado que o filho tinha nascido. No front, o pai emocionado não podia deixar o posto de instrutor de granada e bazuca. Em um ano de combates esteve em cenários que preferiu nunca contar em detalhes, nem à própria família.
– Ele me disse que sua vida daria um livro que ele não queria escrever – diz Salete Formigheri, que cuidou do militar reformado por sete anos.
O diário daqueles meses, encontrado pelo neto Marcello Vequi, daria uma pista das dificuldades. Nas páginas, o combatente natural de Itajaí, no Litoral Norte, mencionava a vontade de voltar para a mulher, Maria, e relatava os bombardeios contra inimigos. Vequi voltou ao Brasil e atirar virou um hobby.
– Ele treinava com espingarda de pressão atrás da casa – conta o neto.
Piores dores viriam depois da Guerra. O ex-combatente perdeu o filho em 2001 e a mulher em 2003. Seguiu vivendo no Bairro Estreito, como sempre quis. Dois dias após a última internação, o militar reformado que enfrentou o barulho de granadas morreu no silêncio do próprio quarto.

 

ASSUNTO: Reforma posto da Polícia Rodoviária

VEÍCULO: Diário Catarinense

REPAROS PALIATIVOS: Posto da PRF recebe obra emergencial

Mesmo com a demolição certa por causa da duplicação da BR-470, o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Blumenau, no Vale do Itajaí, está em obras de ampliação.
São melhorias no banheiro atingido pela enchente de 2011, construção de uma sala de atendimento, ampliação da cozinha e da garagem das viaturas. Também estão sendo feitas melhorias no pátio onde ficam os veículos apreendidos.

Segundo o inspetor-chefe da 4a Delegacia da PRF, João Atadeu de Mello, a obra é um investimento emergencial – o valor não foi revelado – para melhorias nos 28 postos de Santa Catarina.
A previsão é de que os trabalhos de reforma sejam concluídos no próximo mês. A unidade atende a ocorrências do km 28, em Gaspar, no Vale, ao km 100, em Apiúna, no Alto Vale do Itajaí.
Com a duplicação da BR-470, o posto será extinto. No lugar dele, serão criados outros dois a serem implantados no km 13, em Navegantes, Litoral Norte, e no km 62, em Blumenau, próximo ao limite com Indaial. As obras de duplicação estão previstas para começar no primeiro semestre deste ano, mas a remoção do posto pode ocorrer somente em até três anos.

 

ASSUNTO: Paralisação servidores municipais

VEÍCULO: Diário Catarinense

NEGOCIAÇÕES DIFÍCEIS: Lei e orçamento limitam reajustes para servidores

No primeiro semestre de gestão, prefeitos das três maiores cidades do Estado enfrentam mobilizações e pressão sindical

Servidores municipais das três maiores cidades catarinenses estão em momento de mobilizações por aumentos salariais. A movimentação ocorre no primeiro semestre de gestão dos novos prefeitos, mas limitações orçamentárias e da lei fiscal dificultam as negociações.
Na Capital, o limite prudencial de comprometimento da receita da prefeitura com folha foi ultrapassado. Em Joinville, a prefeitura alega não possuir recursos. E em Blumenau, a preocupação é com a arrecadação, hoje composta em 65% por repasses estaduais e federais.
A greve de Florianópolis entra hoje no quarto dia com críticas duras do prefeito Cesar Souza Junior (PSD). Ele diz que há falta de flexibilidade dos servidores, que não teriam cumprido o aviso legal de 72 horas antes da paralisação. Além disso, Cesar afirma que o funcionalismo não compreende que os gastos municipais estão próximos do limite imposto pela lei fiscal. Para o prefeito, aceitar os pedidos levaria ao caos administrativo.
– Implementar o plano como está reivindicado seria um crime e uma irresponsabilidade – afirma.
Funcionalismo alega perdas e governos fazem contas
Em Joinville, os servidores estão a um passo de decretar greve. A categoria busca aumento de 7,22% nos salários, referentes à inflação, mais 5% de reajuste referente a perdas históricas, em um total de 12,5% de reajuste. A prefeitura oferece ajuste máximo de 4% nos salários.
– A prefeitura está tratando o reajuste de forma responsável. Não podemos oferecer mais do que temos. Espero que o sindicato compreenda – diz o prefeito Udo Döhler (PMDB).
Nova reunião acontece na segunda-feira. O sindicato já sinalizou que não está a favor da proposta, mas será levada para votação. Se rejeitada, a categoria discutirá início de greve.
Em Blumenau, a prefeitura levará para a assembleia na terça-feira uma proposta de reajuste. Ainda não se sabe o percentual, mas é provável que fique abaixo dos 10% solicitados.

 

ASSUNTO: Pronunciamentos de deputados

VEÍCULO: Portal da Alesc

Balada na cadeia

Sargento Soares (PDT) repercutiu na tribuna matéria publicada no jornal Diário Catarinense sobre a participação de presos em festa de agentes penitenciários na cadeia pública de Chapecó.  “Talvez o escândalo esteja apenas na cabeça de quem escreveu a matéria. O objetivo da pena é ressocializar e não é proibido ao preso tocar gaita e violão”, reclamou Soares.
Marcos Vieira (PSDB) também abordou o assunto e declarou não ser “contra que apenados participem de eventos, mas tudo dentro do regulamento”.

Maioridade penal aos 16 anos

Marcos Vieira repercutiu matéria de capa da revista Isto É sobre a redução da maioridade penal para 16 anos. “Os jovens de 16 anos conquistaram novos direitos, mas são tratados como crianças quando cometem crimes graves”, argumentou Vieira, que defendeu penas mais duras para crimes hediondos cometidos por menores. Segundo o representante de Florianópolis, quatro em cada cinco brasileiros querem a redução da maioridade.

 

ASSUNTO: Mensalão

VEÍCULO: Portal Globo.com

Todos os condenados no julgamento do mensalão apresentam recurso

Dos 25 condenados, 19 entraram com contestações nesta quinta-feira (2).

Há pedidos de esclarecimento, recálculo de pena e até de novo julgamento.

Todos os condenados no julgamento do mensalão apresentaram recurso contra a sentença. Dos 25 condenados, 19 deixaram para entrar com as contestações nesta quinta-feira (2), último dia de prazo. Há pedidos de esclarecimento, recálculo de pena e até de um novo julgamento.

O deputado João Paulo Cunha quer que o Supremo diga se a Câmara tem que votar a perda de mandato ou acatar a decisão do STF.

O ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, chamou o acórdão, documento que detalha o julgamento, de uma colcha de retalhos, desconexo, e pede para ser julgado novamente pela Justiça comum.

Já a defesa do deputado José Genoíno tenta uma redução de pena. Alega que os ministros ignoraram a falta de provas da participação dele nos crimes e diz que as sessões que definiram as penas beiraram o “caos”.

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que vai analisar os recursos, não acredita em alteração das penas. “Os embargos serão agora apreciados. Como acho que eles não podem modificar o julgado, o que se espera é que finalmente a decisão do Supremo Tribunal Federal tenha efetividade em todos os aspectos”, diz.