Área do associado

Área do associado

Clipagem dos dias 28 e 29 de novembro

29.11.2013

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 28 DE NOVEMBRO

 

COLUNISTA RAFAEL MARTINI – Diário Catarinense

Fronteira segura

Policiais rodoviários federais (PRFs), policiais federais e funcionários da Receita Federal cruzaram os braços ontem pela manhã no trevo que une as BRs-163 e 280 em Dionísio Cerqueira, no Extremo Oeste de Santa Catarina, fronteira com a Argentina. O manifesto foi pelo fim da morosidade na regulamentação da indenização de fronteira.

 

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DO DIA 29 DE NOVEMBRO

 

ASSUNTO: Cães policiais

VEÍCULO: Diário Catarinense

POLICIAIS DE QUATRO PATAS: Faro e amor incondicional a trabalho da segurança

Companhia de Policiamento com cães da Polícia Militar de Santa Catarina completa 33 anos e ganha novo um quartel-general

Rápido feito uma flecha, olhos cor de mel, pelo da cor de pinhão com tons de ruivo e bege, e focinho preto que rendeu o apelido de máscara negra. O pastor-belga malinois é a principal raça da matilha da Companhia de Policiamento com Cães (CiaPolCães) da Polícia Militar de SC, que completa 33 anos em 1o de dezembro. A celebração foi ontem, na unidade em São José, com a formatura do 2o Curso de Especialização em Cinotecnia 2013 e a inauguração da nova sede.
Tenente Campos, sargento Almiro, cabo Dutra e soldado Zulmar foram os primeiros policiais militares da CiaPolCães, unidade inaugurada em 1980 e pioneira da corporação. Eles são quatro dos 39 policiais da companhia, que tem 28 cães das raças malinois, labrador, pastor-alemão e rottweiler. O conhecimento resultou em 14 canis da PM no Estado.
Eles atuam no patrulhamento tático, em operações de busca e de resgate, demonstrações educacionais e no policiamento.
– O trabalho com cães cria um vínculo de amizade maior entre os policiais militares – diz o comandante da CiaPolCães, major Claudionir Souza.
Souza é coordenador do Curso de Especialização em Cinotecnia, referência no país. Foram 14 formandos nesta edição. Participaram profissionais da Base Aérea de Florianópolis, Polícia Civil, PM de SC e do MT, e da Polícia Rodoviária Federal.
Cristian Macagnan e Gilvan Tomasi, da PRF de Chapecó, foram o primeiro e segundo colocados no curso. Vão inaugurar o primeiro canil da PRF de Guaraciaba. Na bagagem, dois presentes especiais: Zeus e Thor, filhotinhos malinois que ganharam de presente da Base Área. Apaixonados por cães desde pequenos, os policiais da PRF contaram que estudaram muito e aproveitaram as horas de folga para repassar exercícios.
– É um orgulho trabalhar com cães. São fiéis e estão sempre alegres. Gostamos muito do que fazemos – disse Macagnan.

Treinamento para a Copa

Ele adora tomar banho, mas não pode ver uma poça de lama que se joga. Brincalhão, inteligente, bom de faro e de proteção, Apache, um ano de idade, deve atuar na segurança das delegações que se hospedarem em SC durante a Copa do Mundo. Nascido em Itajaí, o pastor-belga malinois está em treinamento para detectar explosivos. Ele e o colega de aula, o irmão Thor.
O treinador e dupla de trabalho, soldado Adriano de Amorim, fez curso de explosivos na Força Nacional de Segurança e atua na equipe de cães de faro de entorpecentes e explosivos da CiaPolCães. Apache e Amorim se conhecem e trabalham juntos há seis meses. Quando o cão escuta os passos do treinador chegando no corredor que leva ao canil, fica sentado em frente à porta, parado e com as orelhas em pé, esperando o parceiro.
Assim como todos os outros 27 cães da unidade, come ração superpremium, tem água fresca à vontade, faz exercícios e adora petiscos como salsicha. É uma festa quando Amorim leva o filho de nove anos para brincar com Apache na folga.
– Eles se adoram. Rolam na grama, se divertem juntos. Meu filho manda o Apache sentar e ele senta na hora. E o Apache pula em cima dele. Parece que está brincando com outro membro da matilha – disse o soldado.

 

ASSUNTO: Negociação salarial

VEÍCULO: Portal da Alesc

PLCs que tratam de reajustes salariais para a Polícia Civil passam pela CCJ

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou, em reunião extraordinária realizada na manhã desta quinta-feira (28), três projetos de lei complementar (PLCs) que integram o pacote de reajustes salariais do funcionalismo público encaminhado pelo governo estadual no começo deste mês. As proposições seguem, agora, para apreciação em outras comissões permanentes:  de Finanças e Tributação, de Trabalho e Serviço Público e de Segurança Pública.

Os PLCs aprovados, de números 43, 46 e 47 de 2013, tratam de reajustes salariais a categorias do grupo de segurança pública, agentes e delegados da Polícia Civil e integrantes do Grupo Justiça e Cidadania e Sistema Prisional. A apreciação dessas propostas havia sido adiada devido a audiência pública, promovida instantes antes da reunião extraordinária da CCJ, solicitada com o objetivo de discuti-las com as categorias beneficiadas pelos reajustes salariais.

Os PLCs 43 e 46, que tratam de carreiras da Polícia Civil, foram aprovados com os votos contrários dos deputados Dirceu Dresch e Ana Paula Lima, ambos do PT. “Somos contrários à aprovação desses projetos, da forma como eles estão. Vamos apresentar emendas nas comissões de mérito”, afirmou Dresch. Ana Paula pediu ao líder do governo, deputado Aldo Schneider (PMDB), que o Executivo reabra as negociações para discutir o teor dos dois projetos, já que representantes dos servidores demostraram na audiência pública desta quinta-feira que não concordam com as propostas.

Já o PLC 47/2013, que trata da carreira jurídica de delegado de polícia, foi aprovado por unanimidade na CCJ já que, segundo os deputados do PT, os servidores estão de acordo com o teor da proposta.

Com a aprovação desses três PLCs, o pacote salarial segue para deliberação nas comissões de mérito. O cronograma para tramitação dos projetos será definido na semana que vem. Caso haja a apresentação de emendas nessas comissões, as propostas retornam para análise da CCJ.

 

ASSUNTO: Bombeiros comandam treinamento

VEÍCULO: Portal do CBM

SÉRIE DE PALESTRAS E INSTRUÇÕES À POPULAÇÃO SÃO REALIZADAS NA CAPITAL

 

   
 

 

A Seção de Planejamento Ensino e Instrução do 1º Batalhão Bombeiro Militar, sediado em Florianópolis, ministrou palestras referente ao Combate a incêndio, Sistemas preventivos e Primeiros Socorros na Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, trazendo informações importantes para aplicação no cotidiano.

Foram repassadas informações sobre a classificação dos riscos de incêndios, proteção por extintores (áreas de proteção, sinalização, tipo e quantidade extintora), conhecimento dos diferentes tipos de sistemas de prevenção contra incêndio, rotas de fugas, instalações de gás e aplicação de primeiros socorros em caso de emergência.

Com experiência na área de prevenção, fiscalização e análise de Sistemas Preventivos Contra Incêndios e pós-graduado em gestão e metodologia do ensino interdisciplinar, o instrutor Soldado BM Adilson Charles Fernandes, destaca a importância da divulgação dos conhecimentos básicos para o combate a incêndios e prevenção no atendimento inicial em emergências pelo CBMSC. Segundo ele, a atividade vai ao encontro da missão institucional de “prover e manter ações que garantam a preservação da vida, do patrimônio e do meio ambiente”.

Participaram nestas instruções (fotos) os Soldados BM Adilson Charles Fernandes e o Soldado BM Fábio Girard, palestra ministrada na última quinta-feira (21/11), para aproximadamente 50 pessoas.

 

ASSUNTO: Negociação salarial

VEÍCULO: Notícias do Dia

Os três últimos projetos do pacote de propostas – que modificam a remuneração da segurança pública e alteram direitos dos servidores do Estado – foram aprovados ontem pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Assembleia Legislativa. A decisão causou insatisfação dos trabalhadores.

Em audiência pública realizada antes da reunião, as categorias tinham pedido a retirada das matérias sobre o Estatuto do Servidor e o vencimento dos agentes da Polícia Civil, por considerarem arbitrárias. As duas propostas foram aprovadas com os votos contrários dos petistas Dirceu Dresch e Ana Paula Lima, que embasaram a decisão de acordo com o pedido dos trabalhadores. Ambos afirmaram que vão apresentar emendas nas próximas comissões, já que um acordo entre a base do governo decidiu por não incluir modificações na CCJ. A proposta de reajuste dos delegados teve aval unânime, pois a classe mostrou-se favorável a ele.

A CCJ já tinha aprovado as outras sete propostas do pacote de reajustes, que seguiram para as comissões de mérito (Finanças, Serviços Públicos e Segurança). A apreciação das últimas três havia sido adiada devido à audiência pública de ontem com as categorias, solicitada pelo PT. Na próxima semana, todos os projetos tramitarão conjuntamente. A PEC (Proposta de Emenda à Constituição), que equipara o teto do funcionalismo do Estado ao dos desembargadores, também terá o teor analisado pela CCJ na próxima terça-feira. O objetivo da bancada aliada é apreciar todos os projetos em plenário em 15 dias.

Antes da reunião da CCJ de ontem, na audiência, Ana Paula Lima criticou a celeridade que o governo impôs à análise das propostas, com o pedido de regime de urgência. “Não entendemos porque, em um fim de ano, aportam nesta Casa 11 projetos, dividido inclusive em categorias, o que não é de praxe”, disparou Ana Paula. Segundo o presidente da CCJ, Mauro de Nadal  (PMDB), finalizar a deliberação este ano foi um compromisso

Servidores criticam mudanças no estatuto e articulam greve geral

Os dirigentes do Sintespe (Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público de Santa Catarina) e outras entidades de classe criticaram as mudanças no Estatuto do Servidor sem consultar as categorias. Entre as alterações previstas estão a possibilidade de os trabalhadores tirarem os 30 dias de férias em duas parcelas de, no mínimo dez dias; o aumento na remuneração dos cargos de direção das secretarias da Fazenda, Administração e Casa Civil; além da instituição de gratificação de 50% para servidores vinculados à Secretaria de Articulação Nacional, em Brasília.

Ainda ontem, as entidades de serviços públicos se reuniram para debater a deflagração de uma greve geral a partir de janeiro de 2014, caso o governo mantenha o pacote de mudanças, que também exclui as negociações na database até 2016. “São propostas que não garantem direitos e sim alguns privilégios do teto e eleva a diferença salarial. Piora o abismo entre servidores públicos e não ajuda a vida de ninguém”, considerou o secretário geral do Sintespe, Mário Antonio da Silva.

Diferença em benefícios traz revolta

Sob clima tenso durante a audiência, representantes do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de Santa Catarina) reclamaram que receberão menos benefícios que o restante das categorias da segurança pública. De um lado, assim como os oficiais, os delegados devem ter o teto salarial equiparado ao dos desembargadores, um pleito antigo da categoria. De outro, agentes querem a mesma garantia concedida aos praças da Polícia Militar: a promoção automática por tempo de serviço.

A medida seria uma forma de compensar a extinção dos benefícios, como hora extra e adicional noturno, já que a remuneração por subsídio (proposta do governo) não tolera os chamados penduricalhos. Como não houve acordo, a categoria queria a retirada da proposta dos agentes para retornar as negociações com o Estado. O líder do governo na Assembleia, Aldo Schneider (PMDB), disse que tentará reaproximar os técnicos do governo da categoria para retomar o diálogo.

“Não tenho autonomia para retirar o projeto. Posso discutir no transcorrer da tramitação nas comissões e vamos nos esforçar para que aquilo que vocês estão propondo possa ser acatado ou podemos montar um calendário”, prometeu.