Área do associado

Área do associado

Clipping dos dias 05 a 07 de maio

7.5.2012

CLIPPING

05 a 07 de maio de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assunto: Negociação dos policiais civis

 

 

BOMBA RELÓGIO

Enquanto o governo do Estado concentra esforços para esvaziar a greve do magistério – que, aliás, não decolou -, uma outra categoria de servidores segue contanto as horas à espera das rodadas de negociação: os policiais civis. As sucessivas transferências das reuniões têm causado incômodo à turma.

A próxima está marcada para quarta.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Acidentes

 

Final de semana com 12 mortes nas estradas

Cinco motociclistas se evolveram em colisões em rodovias de Santa CatarinaPelo menos doze pessoas morreram nas estradas catarinenses neste fim de semana. Os acidentes foram registrados desde o início de sábado.

Às 0h, um motociclista morreu após bater contra um Ômega no km 531, BR-282, em Cordilheira Alta, no Oeste. O motociclista não foi identificado. Na manhã de sábado, Paul Wesche, de 75 anos, morreu após a bicicleta em que estava ser atingida por um caminhão em São Francisco do Sul, no Litoral Norte.

Douglas Borsoi, de 24 anos, morreu na tarde de sábado, às 13h55min, após a moto Honda NX-4 Falcon que pilotava colidir com um Chevrolet Classic, em Treze Tílias, no Meio-Oeste.

Poucas horas depois, uma colisão entre um Fiesta e um Gol, às 16h15min de sábado, causou a morte de três pessoas. O acidente ocorreu no km 46 da rodovia SC-486, em Brusque, no Vale do Itajaí. As vítimas fatais do acidente foram o chefe do Posto da Polícia Rodoviária Federal de Blumenau, Evando Battisti Archer, 45 anos, Wanderlei Araldi, de 34 anos e Thuany Cuchi Pedrini, de dois anos (veja reportagem na página 25).

Na noite de sábado, às 23h30min, outro motociclista morreu ao ser atingido por um carro no km 175 da BR-470, em Pouso Redondo, no Vale do Itajaí. De acordo com a PRF, o motorista de um Gol 1000, invadiu a pista contrária e bateu de frente com a Honda CG 150. O motociclista Wilhelm Braatz, 34 anos, não resistiu aos ferimentos.

Às 21h20min de sábado, um acidente em Rio Novo, em Apiúna, no Vale do Itajaí, causou a morte de Márcio Donato, 36 anos. Ele estava pilotando uma moto quando saiu da pista e caiu em uma lagoa. Na madrugada de domingo, por volta da 1h45min, um acidente no km 150 da SC-438, em Lauro Müller, no Sul do Estado, causou a morte de Marilda Pereira, 39 anos. Ela estava em um Voyage que saiu da pista e se chocou em uma árvore.

Na manhã de domingo, às 11h30min, um acidente na BR-470, em Trombudo Central, no Alto Vale do Itajaí, resultou na morte de Leandro Perini, de 85 anos. De acordo com a PRF, ele teria perdido o controle e batido na lateral do caminhão. Pouco mais de uma hora depois, Cicero Antonio da Silva, 32 anos, foi atropelado por um Palio no km 362,5 da BR-101, em Sangão, no Sul do Estado. Ele não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital.

Por volta das 17h25min de domingo, um acidente entre um Palio e uma moto Yamaha BR-125 causou a morte de Pedro Matias, de 47 anos, que pilotava a moto. O acidente aconteceu no km 212,1 da SC-438, em Tubarão, no sul do Estado.

 

Policial rodoviário morre em acidente em Brusque

Inspetor-chefe da PRF de Blumenau, Evando Archer, 45 anos, viajava de carona na rodovia SC-486O domingo no posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Blumenau foi de tristeza para os companheiros de trabalho do inspetor-chefe Evando Marcos Battisti Archer, 45 anos, que morreu na tarde de sábado em um acidente na rodovia estadual SC-486, em Brusque. A colisão também causou a morte de outras duas pessoas.

Formado em Florianópolis na turma de 1994, o chefe do posto de Blumenau completaria 18 anos de carreira no dia 7 de julho. Na tarde de ontem, inúmeros colegas de profissão e aposentados que tiveram a oportunidade de atuar com ele se deslocaram de Florianópolis, Rio do Sul, Itapema e de outras cidades do Estado para prestar a última homenagem no velório. Policiais rodoviários fizeram um discurso e integrantes da PRF e da PMRV acompanharam o cortejo rumo ao velório em diversas viaturas com a sirene ligada.

Archer morava em Brusque com a mulher, com quem era casado há mais de 10 anos, e um casal de filhos. De segunda a sexta, enfrentava o trânsito para ir e voltar do trabalho, onde ficava das 8h às 17h.

No posto da PRF, além dos comentários de pesar, policiais se perguntavam como seria a segunda-feira.

– Estávamos comentando que amanhã (hoje) vai ser um dia estranho sem ter ele aqui trabalhando conosco. Era um ótimo colega de serviço e bem quisto por todos – revela o policial rodoviário Aparício.

Os quase 18 anos de convívio transformaram um companheiro de trabalho em amigo, revela o policial rodoviário Homero Silva do Amaral, que se formou com Archer.

– Foram muitos anos de vivência, em que estivemos juntos nas horas boas e ruins. E em muitos momentos dividimos os problemas em uma relação mais de amigo do que de companheiros de profissão. Ele era muito alegre, já chegava brincando e fazendo barulho. Além de estar sempre disposto a ajudar – relembra Amaral.

Na última semana, Archer realizou um sonho antigo: comprou um cavalo. A revelação da conquista foi feita ao amigo Amaral na quarta-feira, junto com o próximo objetivo que era a cavalgada de Santa Paulina. Ele reclamava que já não se sentia mais seguro para trabalhar na BR-470 e que estavam no limite da segurança.

Na colisão frontal que matou Evando, outras duas pessoas morreram e quatro ficaram feridas. O motorista do Gol com placas de Brusque em que Archer estava de carona, Wanderlei Araldi, 34 anos, morreu no local.

Os outros passageiros do veículo, Alisson Paoli, 22, e Gilson Martins, 40 , tiveram ferimentos e foram encaminhados ao Hospital Azambuja, de Brusque. No fim da noite de ontem, apenas Paoli permanecia internado.

No outro veículo, um Fiesta de Botuverá, havia três passageiras. Thuany Cuchi Pedrini, de dois anos, que ficou gravemente ferida, morreu às 22h55min de sábado no Hospital Azambuja. Ticiana Cuchi Pedrini, 29 anos, e Maria Salete Cuchi, 52, também tiveram ferimentos, mas receberam alta ontem.

O corpo de Archer foi velado na Capela Mortuária de Brusque e o sepultamento ocorreu no fim da tarde.

 

Afogamento em um balde

Um bebê de nove meses se afogou em um balde de água, no começo da tarde de sábado, na Capital, e morreu antes de receber atendimento.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o pai encontrou o filho dentro do balde, sem sentidos, e o levou, desesperado, para a Unidade de Pronto Atendimento do Norte da Ilha, na Capital. A família, que mora no Morro do Mosquito, no Bairro Vargem do Bom Jesus, não soube informar por quanto tempo a criança permaneceu dentro do balde.

O helicóptero Arcanjo foi acionado para atender a ocorrência. Os bombeiros afirmam que a equipe chegou ao local em cinco minutos, às 13h18min. No entanto, a família já havia deixado o local em direção à UPA. Na unidade de saúde, a equipe tentou reanimar o bebê por cerca de 45 minutos. De acordo com o setor de enfermagem da UPA, a criança já não tinha pulso quando deu entrada na emergência. Às 13h50min, a equipe confirmou a morte.

Este é o segundo caso de afogamento de crianças em um balde registrado nas últimas três semanas. No final de abril, um menino de um ano se acidentou nas mesmas condições, em Chapecó, enquanto brincava.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Zoológico

 

Últimos animais deixam Salete

Depois das denúncias de maus-tratos e abandono, um tigre, um leão e uma onça pintada foram retirados do Zoológico Cattoni-tur, em Salete, no sábado. Os felinos foram os últimos a serem removidos do local interditado pelo Ibama em dezembro. Os bichos estão sendo levados para a sede da ONG Rancho dos Gnomos, em São Paulo.

O trabalho de retirada envolveu 15 pessoas. O tigre e o leão, que pesam 200 quilos, precisaram ser sedados para entrar na carreta. A onça pintada tem mais idade e não precisou de calmante. Foi atraída com comida para entrar na caixa. Os outros 27 animais que viviam no local foram enviados para cidades de todo o país.

O zoológico foi interditado pelo Ibama, que alegava falta de segurança e bem-estar dos animais, após a fuga da elefanta Carla. A partir daí, os proprietários teriam deixado o local e os animais ficaram abandonados. Voluntários da ONG chegaram ao zoológico no começo de abril, a pedido do Ibama. Uma autorização da Justiça permitia a remoção dos bichos.

O local chegou a abrigar mais de 200 animais, entre eles tigres, hipopótamo, lhamas e pumas. De acordo com o Ibama, as multas contra o empreendimento e o proprietário, se somadas, já ultrapassam R$ 1 milhão.

O diretor-presidente do Zoológico Cattoni-tur, Azodir Cattoni, afirma que pretende recuperar todos os animais que foram levados. Ele voltou a afirmar que em nenhum momento eles foram mal tratados ou passaram fome. Em relação às multas do Ibama, o empresário diz que seus advogados já estão recorrendo.

– Foram multas terríveis, mas vamos provar que são injustas. Não construí um patrimônio daquele tamanho para destruí-lo. O parque é importante para a cidade, pois o turismo traz dinheiro para ela.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Prisões

 

Prisões: graves desafios

A deputada Ada de Luca(PMDB) está completando um ano na Secretaria de Justiça e Cidadania com antigos e novos desafios a enfrentar, todos no sistema prisional. O primeiro está na superlotação dos presídios e penitenciárias. O segundo, à burocracia de Brasília que retarda e amarra o início de obras inadiáveis para reeducação de menores infratores. Outro, considerado delicado, é o da rejeição das comunidades para construção de presídios. E, o maior de todos, a redução do índice de reincidência dos ex-presidiário. É de 80% nas penitenciárias tradicionais e de apenas 10% nas unidades industriais, como as de Joinville e Curitibanos.

Um programa inédito, criado pelo Conselho Nacional de Justiça, está sendo implantado em Santa Catarina. Atende pelo nome de “Começar de novo”, e prevê os presos trabalhando em empresas privadas e órgãos públicos em condições especiais. Os empregadores ficam isentos dos encargos trabalhistas e tributários sempre que contratam os serviços dos sentenciados. As empresas tem a obrigação de continuar a relação de trabalho, com os incentivos, até um ano depois da liberação dos presos. As estatísticas comprovam que o índice de recuperação é de quase 100%.

Liderando um grupo de técnicos, a secretária Ada de Luca tem realizado palestras nas Associações Empresariais, mostrando as vantagens econômicas do sistema federal e incentivando a novas contratações. Repete sempre que a “ressocialização é uma questão de segurança pública”.

 

 

SUPERLOTAÇÃO

Santa Catarina tem uma população carcerária de 16.669 presos para uma capacidade de 10.446. Um déficit de 6.223 vagas, mesmo com a criação de 1.260 vagas na gestão Colombo.Em 1988, o Estado tinha apenas 750 detentos. Em 2003, possuía 4.500 vagas para 6.500 presos, com déficit de 2 mil vagas. O aumento médio é de 10% ao ano. Isto significa que no final do governo Colombo, Santa Catarina terá 20.500 presidiários, o que representará déficit de 8 mil vagas, no mínimo. Há previsão de construção e ampliação de novas penitenciárias e presídios, mas sem condições de tempo para criação de mais 10.000 vagas em apenas dois anos e meio.

A estrutura do Departamento de Administração Prisional comporta 50 unidades: 7 penitenciárias, 23 presídios, 14 unidades prisionais avançadas, um hospital de custódia, duas casas do albergado, uma colônia agrícola e dois centros de triagem. Tem no comando o agente prisional Leandro Lima, com mais de 27 anos de atividade no setor. O sistema consome mais de 333 milhões de reais do Tesouro. O custo médio para manutenção de um preso está hoje em R$ 1.937,00. O Departamento de Administração Socioeducativo comanda 26 unidades de reeducação de menores delinquentes. A ocupação média, segundo a Secretaria, é de 300 jovens, para uma capacidade de 400 vagas.

Problema maior está na Grande Florianópolis, agravado com a apressada demolição do Centro São Lucas. O projeto do novo Centro, a ser edificado em Biguaçu, está há cinco meses sendo examinado em Brasília. Até a largura das portas passa pelo crivo federal.

Dilema atual sem perspectiva: remoção do Complexo Penitenciário da Agronômica. A nova penitenciária está encaminhada. Será construída em Imaruí permitindo a desativação da atual. Mas ali funcionam 8 unidades, incluindo Presidio Regional e Centro de Triagem. Os municípios vizinhos rejeitaram todas as propostas de construção de novos Presídios.

Assim, o impasse permanece e a situação tende a se agravar

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Detram tem dois caixas arrombados

 

Detran tem dois caixas arrombados

Órgão ligado à SSP foi invadido por quadrilha na madrugada de sábadoLadrões de caixas eletrônicos não se intimidaram com a vigilância do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), na Capital. Uma quadrilha rendeu os vigias, abriu dois terminais do Banco do Brasil dentro do órgão e fugiu com o dinheiro, na madrugada de sábado.

Os bandidos chegaram em uma caminhonete de cor preta. Armados, eles renderam os dois vigias e conseguiram ter acesso ao estabelecimento, que fica no Bairro Estreito, parte Continental da Capital.

Os assaltantes usaram maçaricos para arrombar os equipamentos. Eles deixaram para trás um botijão de gás e extintores de combate a incêndio. Não foram revelados mais detalhes, como o valor roubado.

 

Maçaricos voltam após trégua nas explosões

Na manhã de sábado, peritos e policiais civis da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) estiveram no local. Ninguém foi preso.

O ataque com maçaricos voltou a ser praticado com mais intensidade pelos caixeiros, como são conhecidos esses ladrões, após uma trégua na onda de roubos com o uso de explosivos no Estado nos últimos dias.

O que tem chamado a atenção são os pontos escolhidos. Além do Detran, ligado à Secretaria da Segurança Pública, na semana passada outro ataque causou espanto pelo local: um caixa eletrônico do Itaú do Terminal de Integração do Centro (Ticen), também arrombado com maçarico. Nos dois casos, ninguém foi preso.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Cofre furtado em Penha

A Polícia Civil está investigando o sumiço do cofre da agência do Bradesco no Centro de Penha, no Litoral Norte, na madrugada de ontem. A ação só foi descoberta por volta das 10h pelo gerente do banco. Para entrar na agência, os bandidos teriam usado um alicate para arrebentar o cadeado da porta. Dentro da agência, os bandidos cavaram um buraco na parede que dá acesso à Secretaria Municipal da Fazenda. Do órgão público, segundo a PM, nada foi levado. No cofre, de acordo com o gerente do banco, havia R$ 178. A polícia fez buscas pela região, mas até o fechamento desta edição, nenhum suspeito do crime havia sido preso.

 

Homem suspeito de assassinar a ex

Um pedreiro de 49 anos é o principal suspeito de matar a sua ex-mulher, a diarista Maria dos Anjos Sotil, 45, no dormitório Cruzeiro, na Rua Conselheiro Mafra, no Centro de Florianópolis, na manhã de sábado.

Familiares de Maria disseram que ele foi visto andando na tarde de ontem pelas ruas da Capital. O homem está sendo investigado por policiais civis da Delegacia de Homicídios. Ainda não há notícia de que tenha tido a prisão decretada pela Justiça, e por isso ele não pode ser considerado foragido.

A diarista foi encontrada morta no banheiro do hotel, sem roupas e com um cadarço do próprio tênis amarrado em volta do pescoço. Ela teria morrido asfixiada, conforme avaliação de peritos e policiais.

Familiares dela contaram ao DC que Maria manteve um relacionamento com o pedreiro por dois anos, e que o casal estava separado havia três meses porque ele bebia demais. O homem também teria crise de ciúmes, não aceitava o fim do romance e queria reatar a todo o custo.

– Foi ele (ex-marido). O homem que trabalha no hotel viu ele saindo correndo de lá. Ele ameaçava matar ela se não voltassem a ficar juntos – disse um familiar de Maria, revoltado com a liberdade do suspeito.

 

Pedreiro teria dito que queria conversar

Maria era de São Jorge do Oeste (PR) e morava com as duas filhas em Florianópolis. Na manhã de sábado, elas e o suspeito estavam juntos no Centro. O pedreiro a teria convidado a sair do local porque queria conversar sem a presença das meninas juntas.

Maria ainda teria dito às filhas que ficassem tranquilas, pois já retornaria. O pedreiro foi visto por testemunhas saindo correndo do hotel, sozinho, na manhã de sábado. As filhas reconheceram a mãe morta no hotel.

 

Morre a garota violentada

A adolescente de 15 anos que teria sido violentada pelo pai foi sepultada na manhã de ontem em Vargem, no Meio-Oeste catarinense. Roseli Menegace teve falência múltipla de órgãos na manhã de sábado, após passar mais de 10 dias internada.

A polícia acredita que Roseli tenha sido agredida e abusada sexualmente. Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Joaçaba, também no Meio-Oeste, deve apontar se os ferimentos que podem ter sido causados pelo crime, inclusive contusões nos pulmões, levaram à morte.

O principal suspeito das violências é o pai dela, Nilson Menegace, 46 anos. Ele foi preso preventivamente na sexta-feira e disse à polícia que a garota teria se ferido em uma queda.

O homem estava na Unidade Prisional Avançada de Campos Novos, no Meio-Oeste, mas foi levado para o presídio de Videira porque estava sendo ameaçado por outros detentos. Segundo o delegado Kleverson Parmezan, as investigações continuam.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Farra do Boi

 

Viatura da PM é apedrejada

Farristas apedrejaram uma viatura da Polícia Militar (PM) em Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis, na madrugada de sábado. A confusão foi às 3h, quando dois PMs abordaram um veículo que levava o boi para a farra, no Centro.

A PM havia sido acionada por moradores para atender ocorrência de perturbação de tranquilidade. No local, os policiais viram ruas trancadas e pessoas armadas. Quando pararam a caminhonete, farristas apedrejaram a viatura, forçando-os a sair.

O boi foi solto. A caminhonete foi perseguida e parada longe de onde estavam os farristas. O motorista foi autuado por dirigir sem habilitação, e o veículo, apreendido.

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e o Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) foram chamados, mas teriam decidido não agir para evitar confronto.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Segurança nos hospitais

                                                                   

Médicos, enfermeiros e funcionários de hospitais trabalham sem segurança

Bandidos armados, disfarçados de visitantes ou de polícia, continuam invadindo unidades de saúde para resgatar comparsas e executar rivais.

Insegurança nos hospitais

A invasão no Hospital Regional de São José, por homens armados, seguida da  execução sumária de Tiago Costa, com três tiros, num leito do quarto  é um exemplo claro da falta de segurança nas unidades de saúde. Não é a primeira vez que bandidos invadem hospitais. As ações de criminosos nestas unidades daria um belo roteiro para filme policial. Há cerca de seis anos, o Regional de São José registrou a fuga do mais famoso assaltante de banco do país, o gaúcho Cláudio Adriano, o Papagaio, resgatado por comparsas disfarçados de policiais. No Nereu Ramos, o traficante Gângster, que saiu da cela da Deic para atendimento de saúde, também conseguiu se livrar das algemas e pular a janela. Em quase todas as unidades hospitalares da Capital há registros de fugas cinematográficas. Apesar de todas estas ocorrências, a segurança nas unidades de saúde não foram reforçadas deixando médicos e funcionários no fio da navalha.  Até quando

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

Veículo: Portal G1

Editoria: Geral

Assunto: PM avalia se pune policial que usou spray de pimenta em cadela

 

PM avalia se pune policial que usou spray de pimenta em cadela

Fato ocorreu domingo (6) na Rocinha, ocupada pela PM desde novembro.

Policial contou que usou spray por que cachorra estava agressiva.

O coordenador do policiamento da Rocinha, na Zona Sul do Rio, major Edson Santos, finaliza um relatório sobre o caso do PM que usou spray de pimenta contra uma cadela no domingo (6). Ele informou na manhã desta segunda-feira (7) que o relatório será enviado à Corregedoria da PM para que seja decidido se o policial será ou não punido.

O flagrante registrado pelo jornal O Globo na manhã de domingo causou polêmica nas redes sociais. A cena foi registrada após um confronto entre policiais e traficantes ocorrido na madrugada.

Segundo o porta-voz da Polícia Militar, Frederico Caldas, o policial já foi ouvido e contou que a cachorra avançou e, para afastá-la, ele lançou o spray. A cadela estava agressiva por ter perdido os filhotes, explicou o porta-voz.

O major Edson confirmou que o dono da cadela disse a vizinhos que ela está indócil desde que perdeu uma ninhada há cerca de dois meses. Segundo o major, o dono do animal não quis prestar depoimento.

O major Edson disse ainda que a cadela está bem pois o spray não causa maiores incômodos se aplicado como foi, em pequena quantidade e em local aberto. Ele explicou ainda que o tipo de spray de pimenta usado era o em forma de espuma, que atinge apenas o alvo e não se espalha no ambiente.

O policial concorda, porém, que a imagem é impactante.

“Eu sei que a foto é chocante. Mostrei a amigos, sem explicar o contexto, e ficaram revoltados. Mas tem uma explicação por trás da foto”, contou ele, informando que o spray de pimenta em forma de espuma é usado até por carteiros quando vão entregar a correspondência em casas onde vivem cães agressivos.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Portal G1

Editoria: Geral

Assunto: Suspeito é baleado em troca de tiros na Rocinha

 

 

Suspeito é baleado em troca de tiros na Rocinha

Segundo a PM, agentes faziam ronda quando se depararam com 3 suspeitos.

Um suspeito foi baleado numa troca de tiros na madrugada deste domingo (6) na Favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio. Segundo a Polícia Militar, agentes faziam uma ronda na comunidade quando se depararam com três criminosos.

Houve troca de tiros e Rafael Monteiro da Silva, conhecido como Canguru, foi atingido no braço e levado para o Hospital Miguel Couto, também na Zona Sul. Os outros dois suspeitos fugiram.

Segundo a polícia, com o baleado foi apreendida uma pistola. O caso foi encaminhado para a 14ª DP (Leblon).