Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 31 de maio

31.5.2012

CLIPPING

31 de maio de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assunto: Concurso do Detran

 

BOA COLOCAÇÃO

Entre os mais de 5 mil candidatos no concurso do Detran, a contadora Beatriz Mauirilia dos Santos da Silva conseguiu a segunda colocação geral. Beatriz é esposa do gerente de Tecnologia de Informação e governança eletrônica da Secretaria de Segurança Pública. Cleia Jordão e Silva de Carvalho ficou em sexto lugar na classificação. Ela é mulher do diretor administrativo e financeiro da mesma pasta. Ambas acertaram 100% na prova de conhecimento específico. A coordenação do concurso coube à SSP.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

 

Ventos causam prejuízos

A prefeitura de Barra Velha deve começar esta semana o trabalho de retirada de árvores que foram derrubadas pelo vento, no início do mês, no Parque Natural Municipal Caminho do Peabiru.

Segundo a diretora técnica da Fundação Municipal de Meio Ambiente de Barra Velha, Maria Luisa Duarte de Oliveira, cerca de 10 árvores, algumas com raízes com mais de dois metros de diâmetro, foram derrubadas, danificando cercas que também terão que ser repostas.

O estrago, segundo ela, foi recentemente identificado pelo fiscal que atua nesta área de preservação ambiental da cidade, que acionou a Fundema.

– Técnicos da Fundema fizeram uma avaliação na semana passada, para avaliar o prejuízo, e a partir desta semana deve começar a retirada das árvores e recolocação das cercas – afirma Maria Luisa.

O que espantou os técnicos foi a força dos ventos, que conseguiu levantar do chão árvores antigas, que pesam toneladas. Segundo Maria Luiza, os estragos ficaram concentrados somente na região do parque, e a Defesa Civil do município não registrou nenhum outro dano causado pela vendaval.

Quanto ao destino das árvores que serão retiradas com motosseras, Maria Luisa disse que a Fundema ainda não tomou uma decisão, o que deve ser informado em breve.

 

Bombeiro salva bebê pelo telefone

O bombeiro voluntário Victor Breuel, 27 anos, orientou a mãe de um bebê de dois meses que estava se engasgando e conseguiu salvar a vida da criança. A mãe ligou para os bombeiros de Guaramirim, por volta das 17h20 de ontem, dizendo que depois de ter dado um xarope para gripe o filho teria engasgado. Pela descrição da mãe, o bebê estava sofrendo uma parada respiratória. Segundo Victor, até a ambulância chegar, o menino poderia ter morrido e a melhor opção era orientar a mãe. O socorrista ensinou Jane a posicionar o filho no braço de barriga para baixo com a mão segurando o rosto. A ligação durou pelo menos 10 minutos.

 

Morte de homem gera manifestação

A morte de Paulo Justino de Souza, de 51 anos, na BR-280, no último domingo, foi o estopim para que os moradores do Bairro Acaraí, em Araquari, fechassem a rodovia por cerca de 15 minutos, às 17h30min de ontem. A manifestação só não foi adiante porque a Polícia Rodoviária Federal interviu.

A estrada não tem iluminação e os moradores atravessam a rodovia constantemente para ir ao mercado e buscar os filhos na escola.

Metade dos municípios sofre com a secaAraranguá decretou, ontem, situação de emergência devido à seca, aumentando para 148 o número de municípios afetados – mais de metade das 293 cidades catarinenses.

Em parte dos municípios atingidos, os caminhões-pipa já não são suficientes para abastecer a população, obrigando a Defesa Civil a levar galões de água mineral para escolas e postos de saúde em áreas rurais.

A estiagem dura seis meses e é considerada uma das mais longas da história de SC. São cerca de 770 mil pessoas atingidas, principalmente na região Oeste. O número representa 12% da população do Estado. Moradores de regiões rurais de algumas cidades estão desde o início do ano sem água para consumo humano.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Greve de ônibus

 

Um deboche na Capital!

Motoristas e cobradores de ônibus de Florianópolis se colocam acima da lei e da ordem. Param os serviços essenciais quando querem, impõem sistema ditatorial de controle dos trabalhadores, mantêm a população refém de suas reivindicações, ignoraram a ação do Ministério Público do Trabalho e afrontam acintosamente decisões da Justiça Trabalhista.

Os ônibus pararam por três dias porque os empresários não quiseram pagar reposição salarial com base na inflação? Absolutamente, não! As empresas garantiram reajuste integral do INPC de 4,88%, mais um ganho real de 2%. Em ano de crise mundial e para uma categoria que teve ganhos acima da inflação, nada mal. Os motoristas exigiam redução da jornada de trabalho para seis horas, bandeira excluída da pauta de negociações das demais categorias. Uma prova de que esta greve teve motivação política.

 

Política, não; político-eleitoral, como denunciou o secretário Gean Loureiro. Liderados por profissionais bem treinados e pagos para orientar greves no transporte coletivo em outras cidades, os motoristas criaram esta situação caótica para atingir os candidatos oficiais. Ou os apoiados por Dário Berger e Raimundo Colombo. De acordo com setores políticos, com o objetivo de oxigenar Angela Albino. A premissa: se Angela Albino, na disputa com Loureiro e Cesar, for para o segundo turno, estará com o passaporte visado para a vitória.

 

 

OUTRO FIASCO

Tristeza maior do que esta situação anárquica que imperou em Florianópolis é constatar a absoluta passividade da sociedade civil, exceção às entidades comerciais. Omitiram-se as instituições que têm o dever de protegê-la. Sobretudo com o desacato inicial à decisão da Justiça do Trabalho.

Onde estavam, afinal, as organizações que sempre lutaram pelo Estado de Direito? A própria Justiça do Trabalho, que não se impõs, punindo exemplarmente todos os que ignoraram suas decisões superiores? Se este acinte tivesse partido dos empresários do transporte coletivo viria, certamente, uma ordem imediata para o bloqueio das contas bancárias do sindicato.

Como ocorre, aliás, nas sentenças diárias da Justiça Trabalhista, quase sempre favorecendo os trabalhadores. Implacáveis na pronta execução contra os empregadores.

Há, finalmente, outra questão política mais grave. O direito de greve está na Constituição. Mas, no serviço público, pendente de regulamentação. E – outro fiasco – decorridos 24 anos de promulgação da nova Carta, o Congresso Nacional até agora não regulamentou o princípio constitucional. Ficam senadores e deputados discutindo abobrinhas, perdendo tempo com CPMI que já arde no forno, trabalhando dois dias por semana.

E a população – aqui e em todas as cidades onde o serviço público é paralisado – pagando todas as contas, com prejuízos incalculáveis que implicam até em perdas de preciosas vidas humanas. Os grevistas debocharam dos empresários, do prefeito, do povo e, também, da Justiça.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: SSP fará uma recontagem dos veículos apreendidos

 

SSP fará uma recontagem dos veículos apreendidos

Após o DC apontar denúncia de novo desvio, desta vez de mais de cem carros do pátio de São José, secretaria decide apurarUma recontagem dos carros apreendidos que saíram do depósito de Tijuquinhas, em Biguaçu, na Grande Florianópolis, será feita pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) para apurar o possível sumiço de mais de cem veículos do local.

A medida foi anunciada ontem, depois que o DC publicou a denúncia da divergência de números em torno de um lote de cerca de 380 automóveis que estavam sob a tutela do Estado no depósito de Tijuquinhas e também no complexo administrativo da SSP de São José.

 

O objetivo é apurar se realmente esses veículos foram desviados, se estão perdidos no próprio pátio de São José ou se realmente foram destinados à trituração de sucata pela empresa que efetuou o serviço.

A SSP informou que o levantamento será feito em relação aos carros apreendidos que saíram dos dois depósitos, mas não deu mais detalhes. O destino dos carros também está sendo investigado por policiais da Divisão de Furtos e Roubos da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), em Florianópolis.

De acordo com entrevista do gerente do complexo de São José, Jorge Klöppel, publicada na edição de ontem do DC, a suspeita recai sobre os carros que saíram dali e foram para o pátio de Tijuquinhas, no ano passado, de onde deveriam seguir para trituração pela empresa Gerdau.

Klöppel levantou a dúvida a partir da lista dos veículos recebidos de volta no complexo e de fotos tiradas em Tijuquinhas, depósito a céu aberto, numa área rural, que não existe mais.

O DC tentou obter com a SSP mais informações sobre a situação desse terreno na época em que servia ao Estado, mas sem sucesso. A denúncia apareceu na Deic na mesma apuração do desvio de peças e motores do complexo de São José encontrados num ferro-velho de Joinville.

O delegado Alexandre Carvalho disse que está realizando uma investigação preliminar para esclarecer o destino desta centena de veículos. A maioria deles estaria em estado de sucateamento. A cúpula da SSP também não se manifestou ainda sobre o indiciamento de seis pessoas pelo desvio de peças e motores, entre elas o secretário adjunto, coronel Fernando Rodrigues de Menezes.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Segurança Pública

 

Falta coordenação em ações

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, admitiu, ontem, que ações do governo federal e dos Estados na segurança pública são descoordenadas. O ministro disse que o governo não conta com “informações precisas sobre criminalidade”.

Cardozo debateu o assunto, ontem, com o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS). Eles começaram a acertar uma semana de votações dedicadas a projetos na área de segurança pública.

O ministro pediu prioridade para um projeto que cria o Sistema Nacional de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas (Sinesp). O sistema pretende reunir, em um banco de dados, informações sobre execuções penais, sistemas prisionais e combate às drogas em âmbito nacional.

Os estados e municípios ficam obrigados a enviar dados para alimentar o banco de dados do sistema, sob pena de não receberem recursos do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) e do Fundo Penitenciário Nacional.

 

Sistema não tem dados precisos

O projeto também prevê, para quem deixar de fornecer informações ou atualizar seus dados, o não recebimento de recursos da União para celebrar convênios ou financiar programas, projetos, ações de segurança pública e do sistema prisional.

– Hoje não temos dados precisos de onde ocorrem homicídios. Os dados se valem muito do sistema SUS. Estados não repassam, as definições metodológicas não são apropriadas. Aquilo que um Estado cataloga como homicídio, não é catalogado por outro como encontro de cadáver. Precisamos unificar para que possa ter transparência – disse.

Pelo texto, os dados devem ser organizados de forma a subsidiar a política de segurança pública do país. Será criado um conselho gestor responsável pela sua administração, com funções a serem definidas posteriormente por regulamentação do governo. Inicialmente, a regulamentação ficará sob o comando do Ministério da Justiça.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Presídio de Balneário Camboriú

 

 

Balneário Camboriú fecha hoje as portas de presídio

Chega ao fim o prazo judicial para desativação da unidade da cidade, interditada há quatro mesesSe o prazo determinado pela Justiça para a desativação do Presídio Regional de Balneário Camboriú for cumprido, a unidade fecha hoje. A ordem de interdição veio há quatro meses.

Até o início da noite de ontem, porém, o Departamento Estadual de Administração Prisional (Deap) ainda buscava vagas para os últimos 80 detentos que permaneciam no presídio – e não havia certeza se seria possível cumprir a ordem a tempo.

– Estamos trabalhando para isso, mas é algo que só vamos saber na quinta-feira (hoje) – disse Leandro Soares de Lima, diretor do Deap.

Ontem à tarde, o movimento de carros oficiais e objetos deixados para trás pelos presos anunciavam que havia chegado a hora da partida.

Alguns detentos tiveram os processos revistos e a prioridade de transferência era para presídios da região, como Itajaí e Blumenau.

Não está descartada a possibilidade de detentos serem enviados para pontos mais distantes no Estado, mesmo que provisoriamente. A expectativa do Deap é iniciar, em breve, a construção de uma nova ala no Complexo Prisional da Canhanduba, para onde os presos que não conseguirem vagas em locais mais próximos poderão ser transferidos.

A interdição foi assinada pelo juiz corregedor da unidade, Roque Cerutti, em resposta a uma ação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Feito para abrigar cem detentos, o presídio costumava ter três vezes a lotação máxima. Por falta de espaço, as celas não eram trancadas e os presos dormiam em colchonetes no pátio, sem abrigo do sol ou da chuva. Também não era possível separar os detentos por tipo de regime e periculosidade.

– Não havia possibilidade de reeducação. O fechamento do presídio é uma vitória da sociedade – afirmou o juiz corregedor.

 

Presos temem confronto

O cenário do pátio do Presídio de Balneário Camboriú, ontem, já havia mudado. Poucos presos dividiam o espaço, antes disputado por centenas de detentos. O clima, porém, não era de alívio, mas de apreensão. Um grupo de presos afirma ter sido jurado de morte por detentos de outras unidades e teme por confrontos.

Em março, os presos enviaram ao juiz corregedor, Roque Cerutti, por meio de familiares, uma carta em que afirmam correr risco de serem assassinados caso sejam transferidos. A situação preocupou os parentes, que acompanham a tudo fora da prisão.

– Existe uma lista de gente marcada para morrer, e ninguém faz nada. Desde que meu irmão foi transferido para a Canhanduba não consigo nem dormir direito – disse a irmã de um dos presos já transferidos.

Ontem à tarde, o juiz Cerutti confirmou ter recebido o pedido dos presos e informou ter encaminhado a solicitação ao Deap.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Estado deve abrir vagas em Brusque

 

 

Estado deve abrir vagas em Brusque

Medida liminar obtida pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) em ação civil pública determinou que o Estado de Santa Catarina disponibilize, imediatamente, vaga em Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) para qualquer adolescente em conflito com a lei que tiver a internação provisória decretada judicialmente na Comarca de Brusque.

Na ação, o promotor de Justiça Alexandre Carrinho Muniz diz que o dever do Estado em disponibilizar vagas aos adolescentes que cometem atos infracionais nos Casep não está sendo cumprido, impossibilitando a aplicação das medidas socioeducativas aplicadas.

Para o promotor, a falta de vagas tem trazido prejuízos à reeducação dos adolescentes e à segurança dos cidadãos. Muniz ressaltou que já houve liberação de adolescente apreendido em flagrante por roubo em função da falta de vagas. A multa pelo não-cuprimento é de R$ 5 mil. Ainda cabe recurso da decisão.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Caso Deic

 

Não ocorreu armação da Deic e não acredito no envolvimento do coronel

Vamos aguardar com muita expectativa a manifestação do Ministério Público que pode oferecer denúnica,pedir mais investigação ou arquivar

 

 

Ferro-velho

Não acredito que o inquérito que apura desvio de motores do pátio do complexo administrativo da Secretaria da Segurança Pública seja armação da Deic para prejudicar alguém. Os dois delegados que trabalharam na investigação, Rodrigo Green e Alexandre Carvalho, são corretíssimos.  Como também não acredito no envolvimento do coronel PM Fernando Menezes em prática delituosa. O oficial é de uma conduta ilibada. Já ocupou vários cargos na corporação. No entanto, a investigação é como a tarrafa do pescador. Às vezes vem peixe pequeno e às vezes vem pescado graúdo. Os dois delegados já tinham informações privilegiadas que alguma coisa errada estaria acontecendo. A investigação foi bem feita e transcorreu em segredo de justiça. O coronel foi um dos seis indiciados. Mas repito: não acredito no envolvimento dele. Agora vamos aguardar com muita expectativa a manifestação do Ministério Público que poderá oferecer a denúncia, devolver o inquérito para mais investigações ou arquivar. 

 

 

 

 

 

 

BLOGS

 

Moacir Pereira

 

Associação da PM tem nova Diretoria

A Associação dos Oficiais da PM, a Acors, tem nova Diretoria a partir de hoje. Seu presidente, Fred Schauffert, eleito para novo mandato, assumiu em solenidade prestigiada pelas autoridades da segurança pública. A nova Diretoria tem a seguinte composição:

 

PRESIDENTE: CEL PMSC FRED HARRY SCHAUFFERT

1º VICE PRESIDENTE: TEN CEL BMSC GLADIMIR MURER

2º VICE-PRESIDENTE: TEN CEL PMSC SERGIO LUIS SELL

SECRETÁRIO GERAL: TEN CEL PMSC ABELARDO CAMILO BRIDI

1º SECRETÁRIO: 1º TEN PMSC CLARISSA DIAS SOARES

2º SECRETÁRIO: 1º TEN PMSC THIAGO AUGUSTO VIEIRA

TESOUREIRO GERAL: MAJ PMSC LUIZ ARDIGÓ DA SILVA

1º TESOUREIRO: MAJ BMSC FLAVIO ROGERIO PEREIRA GRAFF

2º TESOUREIRO: CEL PMSC RR CELSO DORIAN DE OLIVEIRA

E o Conselho Fiscal ficou assim:

CEL PMSC RR MARLON JORGE TEZA

CEL PMSC RR JOSE ALFREDO ESTANISLAU

TEN CEL BMSC ONIR MOLCELLIN

CAP PMSC FREDERICK RAMBUSCH

MAJ PMSC MARCELO EGIDIO COSTA

 

 

Cel. Fernando Rodrigues

De José Cordeiro Neto, via e-mail, sobre a crise na Segurança Pública:

“Pessoas inteligentes falam sobre idéias; pessoas comuns falam sobre coisas; pessoas medíocres falam sobre pessoas. Falar mal do Coronel PM Fernando Rodrigues de Menezes é coisa de quem não o conhece, até porque ninguém valoriza aquilo que não se conhece. O Cel Fernnando é um ser humano inigualável, de comportamento ilibado, corretíssimo, sempre pautando sua conduta pelos princípios da moral, da honestidade e das boas relações que devem existir entre as pessoas. De formação familiar exemplar, é um ser humano muito querido por todos e jamais cometeria dolosamente qualquer ato que desabone sua conduta. Ser subordinado do Cel Fernando é uma coisa muito prazerosa, um privilégio de poucos. Não aceitá-lo simplesmente por sê-lo Coronel da PM, aí é outra coisa completamente diferente que só o Miguel Livramento explicaria.”

 

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

Veículo: Folha Online

Editoria: Geral

Assunto: Helicóptero em miniatura e celulares são achados perto de presídio em SP

 

 

 

Helicóptero em miniatura e celulares são achados perto de presídio em SP

Um helimodelo –um tipo de helicóptero em miniatura controlado por controle remoto– foi encontrado na rodovia Raposo Tavares por volta das 8h desta quarta-feira próximo ao muro da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (611 km de São Paulo).

Pombos eram treinados para levar celular a penitenciária

Ele foi encontrado por funcionários da concessionária que administra a rodovia no acostamento. A polícia foi chamada e encontrou perto do helimodelo um saco plástico com sete aparelhos celulares e algumas serras.

Segundo a polícia, o helicóptero caiu ao tentar voar para dentro do presídio.

O caso foi registrado na Delegacia Seccional de Presidente Venceslau.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Folha Online

Editoria: Geral

Assunto: Após 6 mortes pela PM, Cidade Tiradentes tem toque de recolher

 

Após 6 mortes pela PM, Cidade Tiradentes tem toque de recolher

Moradores da Cidade Tiradentes, na zona leste de São Paulo, vivem momentos de tensão, com comércios e escolas fechados e ruas vazias, desde a noite de terça-feira (29). O toque de recolher teria sido imposto em represália à morte de seis suspeitos durante uma troca de tiros com policiais da Rota na noite de segunda (28).

“Como vingança, os bandidos impuseram o toque de recolher no bairro, informando que atacariam o Batalhão de Polícia e quem ficasse na rua sofreria as consequências. O clima é de muita apreensão”, diz um morador que preferiu não se identificar.

Por causa dos boatos, as escolas estaduais Salim Farah Maluf e Pedro Taques e a EMEF (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Mailson Delane suspenderam as aulas nesta quarta-feira. As três unidades funcionaram normalmente na manhã de hoje, mas decidiram parar na período da tarde por receberem ameaças ou porque os pais avisaram que não iriam mandar os filhos para a escola.

Os moradores relatam que outras unidades também fecharam as portas. “O que nós trabalhadores, que precisamos de nossos filhos na escola, temos a ver com isso? Os bandidos então tem o poder? Cadê a segurança nas escolas para quando acontecer esse tipo de situação?”, questionou a mãe de uma aluna.

 

Policiais da Rota na frente de lava-rápido onde seis pessoas foram mortos em confronto com a polícia

Na noite de ontem, ruas ficaram vazias. Ao menos dez estabelecimentos comerciais fecharam antes do horário nesta quarta-feira –normalmente encerrariam os trabalhos às 20h.

Funcionários e passageiros informaram que, diante de ameaças, o terminal de ônibus da região fechou ontem às 20h e só retomou as operações hoje de manhã. A SPTrans, porém, nega o fechamento.

Na noite de hoje, os vários alunos da Universidade São Judas, na Mooca, zona leste, decidiram sair mais cedo por causa do toque de recolher.

A Secretaria Municipal de Educação disse que as escolas “abriram normalmente”, mas que “algumas famílias preferiram não enviar seus filhos e outras retiraram as crianças ao longo dos períodos”.

A Secretaria de Estado da Educação disse que “circunstâncias de fechamento serão avaliadas”. Segundo a pasta, a diretoria regional de ensino orientou as escolas a continuarem em funcionamento.A Polícia Militar diz que não registrou nenhuma ocorrência relacionada ao toque de recolher desde a noite de ontem.

 

TIROTEIO

 

Uma equipe de 24 policiais da Rota chegou a um lava-jato na Penha na noite de segunda (28) a partir de uma denúncia feita para o quartel da companhia. Segundo a polícia, o grupo planejava uma ação para libertar um detento que seria transferido do CDP (Centro de Detenção Provisória) do Belém, na capital paulista, para a Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (611 km de SP).

Na entrada, encontraram um homem, que entregou a arma e não resistiu à prisão. Quando entraram no estabelecimento, o grupo teria começado a atirar nos policiais, que revidaram. Nenhum policial ficou ferido na ação.

A ação terminou com seis suspeitos baleados. Todos foram socorridos, mas um dos carros da Rota desviou do caminho para o hospital. Três policiais pararam o veículo no km 1 da Ayrton Senna, onde começaram a agredir o suspeito ferido, de acordo com relato de uma testemunha à polícia.

Os três policiais da Rota foram presos sob suspeita de torturar e matar o homem detido após o tiroteio.