Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 29 de junho

29.6.2012

 

CLIPPING

28 de junho de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assunto: Seminário sobre tecnologia

 

URUCUBACA NA HORA ERRADA

Coronel Nazareno Marcineiro, comandante-geral da PM, estava chateado ontem. E com razão. Ele e sua equipe trabalharam pesado para organizar o seminário sobre tecnologia, recebendo policiais de todo o país, e o destaque na mídia foi… a mulher com farda e o indiciamento no caso da vaquinha.

Durante o encontro, oficiais e civis fizeram questão de lembrar que a PM de SC é maior do que estes episódios, tem tradição de quase 177 anos e 11 mil homens. O que magoou foi a exposição negativa por causa de ações impensadas de meia dúzia, que acabaram manchando a imagem de toda a corporação.

____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Fotos com farda

 

Comando lamenta o caso em nota

A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) divulgou nota de esclarecimento ontem, em que lamentou e repudiou a situação envolvendo imagens divulgadas em que PMs apareceram em cenas íntimas com uma mulher que está usando a farda da corporação, em Videira, no Meio-Oeste catarinense.

O manifesto é assinado pelo comandante-geral da PM no Estado, coronel Nazareno Marcineiro. Ele afirma que considera a postura como de desrespeito e de uso indevido dos uniformes. Nazareno ressalta haver indícios de crime e informa que encaminhou à Justiça Militar pedido para providências judiciais pertinentes.

“A Polícia Militar é uma instituição que presa por seus valores e tradições, tendo por alicerce a disciplina e o respeito para com todos os cidadãos”, destaca o comandante na nota, dizendo entender a consternação social causada com o fato.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Cacau Menezes

Assunto: Fotos com farda

 

 

Bom senso

Precisamos deixar de lado o falso moralismo, a hipocrisia e pensar no interesse maior da sociedade. É público e notório que o regimento militar é duro em sua aplicação e que pequenos deslizes são punidos com rigidez. Mas é preciso, também, relevar a deficiência no efetivo da Polícia Militar em Santa Catarina. Para esses pequenos escorregões, deveria ser aplicada a pena de advertência por escrito.

Por exemplo, qual o crime que o policial militar cometeu em tirar uma foto “dentro da sua casa” com sua namorada ou amiga vestindo o colete e empunhando uma espingarda? A conduta não é recomendada a um policial militar, mas está longe de servir de exemplo de punição. Quantas vidas esses policiais já salvaram? Quantas pessoas já foram ajudadas por suas ações?

Tanto no caso da foto com a vaca quanto no recente caso da foto com as garotas, um puxão de orelha já estaria de bom tamanho.

 

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Editorial

Assunto: Teto

 

TETO FURADO

Desde quarta-feira, qualquer indivíduo com acesso à internet pode digitar em seu navegador o endereço eletrônico www.portaldatransparencia.gov.br e obter informações sobre a remuneração dos servidores públicos federais brasileiros. Os únicos a não figurarem na lista são os militares, que terão informações disponibilizadas apenas a partir de julho. Fazem parte desse banco de dados, por exemplo, os vencimentos que a presidente Dilma Vana Rousseff percebe por uma jornada de trabalho de 40 horas semanais no Palácio do Planalto: R$ 26.723. Com os descontos de Imposto de Renda (R$ 6.473) e de INSS (R$ 430,78), o valor líquido foi de R$ 19.818. Esses dados, referentes a maio, serão a partir de agora atualizados mês a mês.

A divulgação das informações pelo governo federal, por meio do Portal da Transparência, atende às disposições da Lei de Acesso à Informação, que entrou em vigor no mês passado. Segundo a Controladoria Geral da União, que opera o portal, os dados divulgados se baseiam em informações contidas nas fichas financeiras dos servidores ativos do Executivo federal, disponibilizadas pelo Ministério do Planejamento e pelo Banco Central.

Da leitura dos números, depreendem-se conclusões preocupantes, entre as quais a de que altos funcionários da administração, incluindo-se aí ministros de Estado, recebem montantes acima do teto salarial do serviço público, fixado em R$ 26.723,13, valor dos vencimentos de ministro do Supremo Tribunal Federal com assento no Tribunal Superior Eleitoral. A ultrapassagem do limite máximo de vencimentos se dá por meio de jetons por participação em conselhos de administração de estatais. O pagamento desses anabolizantes tem sido instrumento frequente para elevar a remuneração do primeiro escalão do governo.

Outro aspecto negativo é a ausência, no levantamento, dos vencimentos de pelo menos 10 ministros, a maioria licenciada de mandato no Senado. O governo afirma que, nesse caso, cabe ao órgão de origem informar o valor. Com isso, abre-se mais uma brecha para burlar, na prática, a lei que determina a publicidade dos valores percebidos dos cofres públicos por servidores.

Infelizmente, não se trata de distorção exclusiva do Executivo. A extensão da boa prática da transparência a outros poderes revelará casos semelhantes no Legislativo, no Judiciário e nos tribunais de Contas de estados e municípios. Tanto Legislativo quanto Judiciário já confirmaram que abrirão seus dados, mas não fixaram data para o anúncio.

Resta esperar que a indignação resultante da vinda a público desses e de outros dados sirvam de ponto de partida para um movimento de revisão das distorções salariais ora verificadas. A propósito de malfeitos envolvendo recursos do erário, o ex-juiz da Suprema Corte dos Estados Unidos Louis Brandeis costumava afirmar: “A luz do sol é o melhor desinfetante”. Queria com isso dizer o magistrado que a publicidade, princípio constitucional que norteia o serviço público, tem efeito benéfico sempre que se trata não apenas de corrigir, mas também de prevenir o mau uso do que é de todos.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Adolescente desaparece

 

Família apela ao Facebook

Rede social é a principal ferramenta na busca a Ariana Arndt, que sumiu há uma semana em TimbóA rede social Facebook é a principal ferramenta usada pela família, amigos e colegas para tentar encontrar Ariana Donato Arndt, 16 anos. A adolescente, moradora do Bairro das Capitais, em Timbó, no Vale do Itajaí, desapareceu há uma semana, quando saiu para ir à escola, no fim da tarde da sexta-feira.

Desde segunda-feira, quando uma tia de Ariana postou a foto dela na rede social divulgando o desaparecimento e pedindo ajuda, mais de mil pessoas compartilharam a informação. Apesar de a família espalhar cartazes pela cidade com a foto dela, a rede social tem sido o meio mais eficaz para propagar a informação.

Nos primeiros seis dias do desaparecimento, o pai, Mércio Arndt, e a mãe, Yara Donato, procuraram pela filha por diversas partes de Timbó. Até perto de um rio, onde ela teria sido vista pela última vez, na noite de sexta-feira, os dois fizeram buscas.

– Reviramos tudo, mas não achamos nenhum sinal que possa ser dela. Ela não teria motivo para desaparecer assim – relatou a mãe.

Na sexta-feira, antes do desaparecimento, Ariana despediu-se do pai e foi para a Escola Ruy Barbosa, onde é aluna do 1o ano do ensino médio no período noturno.

Segundo Arndt, 10 minutos depois, o namorado, que sempre acompanhava a garota para a aula – onde os dois eram colegas – apareceu na casa. Informado de que ela já tinha saído, o rapaz foi embora.

Pensando que a filha poderia ter dormido na casa do namorado, Arndt buscou informações dela apenas no sábado ao meio-dia. Foi quando o jovem informou que não tinha visto Ariana na noite anterior.

– Tenho certeza que ela ia ligar neste tempo todo. Só pode ter acontecido alguma coisa – afirma o pai.

A Polícia Civil instaurou um inquérito nesta semana para investigar o caso. O delegado responsável, Gilberto Luiz de Azevedo, ouviu nos primeiros dias os pais, o namorado, amigos e pessoas que teriam visto a menina pela última vez.

– Não se pode descartar nenhuma possibilidade. Estamos buscando mais informações, pois as coisas ainda estão complicadas – admitiu o delegado Azevedo.

Ariana saiu de casa usando bota marrom, calça jeans azul, uma jaqueta escura. Ela também carregava um mochila que usava para ir à escola.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Suspeito de desmanche

 

“Rei das Peças” é preso

A Divisão de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Civil de Chapecó prendeu preventivamente, ontem, Adenilson Fermiano dos Santos, 40 anos. Ele é suspeito de chefiar uma quadrilha de desmanche de peças de veículos em quatro estados.

Segundo o delegado Ronaldo Neckel Moretto, Adenilson, conhecido como o “Rei das Peças”, foi preso na frente de casa, no Centro da cidade. Ele tinha R$ 15 mil em dinheiro e cheques e uma caminhonete Hilux.

A investigação encontrou indícios da participação de Adenilson num esquema de furto, roubo e desmanche de veículos em SC, RS, PR e SP e comercialização das peças nas lojas. Das quatro lojas dele na cidade, duas foram fechadas pela polícia.

Foram apreendidas peças e houve flagrante de um veículo sendo desmanchado durante o dia em uma das lojas do investigado.

O delegado Moretto disse que o suspeito teria angariado patrimônio superior a R$ 20 milhões e que mais sete pessoas são investigadas.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: TJ nega suspensão do inquérito policial

 

TJ nega suspensão do inquérito policial

O Tribunal de Justiça negou pedido de suspensão do inquérito que apurou o desvio de motores e peças do complexo administrativo da Secretaria de Segurança Pública em São José. Também foi negada a nulidade da quebra de sigilos telefônico, bancário e fiscal de um indiciado do caso.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Drogas no norte

 

 

PF INCINERA DROGAS NO NORTE

Policiais federais queimaram mais de uma tonelada de drogas, ontem, numa empresa de cerâmica no Bairro Paranaguamirim, em Joinville. Foram incinerados 885 quilos de maconha, 155 de cocaína, 18 de crack e vários pontos de LSD. Os entorpecentes são resultado de apreensões feitas pela Polícia Federal desde 2010 em Joinville, Itajaí e Florianópolis. A queima faz parte da 14a Semana Nacional Antidrogas, programação ligada ao Dia Internacional de Combate às Drogas, data criada em 1987 pela ONU.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Cabeleireiro assassinado na Capital

Dono de um salão de beleza na Barra da Lagoa, Leste da Ilha de SC, o cabeleireiro Daniel Falaschi, 50 anos, foi encontrado assassinado em sua casa – uma quitinete no mesmo bairro – na noite de quarta-feira.

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou a causa da morte como afundamento de crânio e hemorragia intracraniana. O IML também determinou que a hora aproximada da morte do cabeleireiro foi 18h45min.

Segundo informações da Delegacia de Homicídios, Falaschi tinha um ferimento acima da testa. Um peso de musculação foi encontrado perto do corpo, porém, sem manchas aparentes de sangue.

Os policiais da Homicídios chegaram à casa da vítima por volta das 20h de quarta-feira. Havia muito sangue na cama onde o cabeleireiro estava deitado.

Tudo indica, segundo a polícia, que Daniel foi vítima de latrocínio – o roubo seguido de morte. Uma moto, um capacete, um laptop e objetos pessoais foram roubados.

Vizinhos contaram para os investigadores que a vítima teria falado que estava hospedando um amigo.

O cabeleireiro teria sido visto pela última vez à 1h de terça-feira, na Avenida das Rendeiras, na Lagoa da Conceição, com outro homem. Segundo a polícia, Daniel costumava frequentar um bar na avenida.

As imagens das câmeras de vigilância serão checadas pela equipe da Delegacia de Homicídios, na tentativa de encontrar mais pistas que levem à autoria do crime.

 

Homem é baleado ao reagir a abordagem

Um homem de 31 anos foi baleado ao reagir a abordagem da Polícia Militar, ontem, em Joinville. Ele fugia num carro furtado quando foi alcançado. Ele teria sacado um revólver em direção aos policiais, que revidaram e o acertaram na cintura.

____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Delegacia no Itacorubi

 

 

Moradores da Bacia do Itacorubi reivindicam uma delegacia na região

A DP não resolve o problema da falta de segurança por que perto dali já existe a 5ª DP. O que falta é reforçar o efetivo com rondas noturnas

Planejamento

Moradores dos bairros Santa Mônica, Jardim Anchieta, Parque São Jorge e adjacências, reivindicam uma delegacia na região. Os constantes roubos, furtos e arrombamentos estão deixando a comunidade assustada. A delegacia não vai resolver o problema porque próximo a estes locais já existe a 5ª DP, no bairro Trindade. E no outro lado do morro, a 2ª DP do Saco dos Limões. Então a solução é aumentar o efetivo nestas duas unidades, fortalecendo as equipes de investigação e os plantões. Um delegado  confidenciou que o ideal seria, no mínimo, uns cinco policiais para investigar e pelo menos quatro nos plantões. Atualmente, os plantões estão reduzidos a dois agentes. Quando um vai jantar a DP fica, praticamente, desguarnecida.  O delegado geral, Aldo Pinheiro D’ Ávila, tem afirmado que a distribuição dos novos policiais que se formam em julho será técnica. “Não haverá nenhum critério político”, garante. Vamos aguardar a decisão do chefe de policia.

____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Paulo Alceu

Assunto: Alimentação penitenciária de Florianópolis

 

Estranho

A UFSC, devido à greve, está com o restaurante fechado. Sendo assim, segundo comenta-se, doou alimentos para a penitenciária de Florianópolis. Uma atitude coerente, até para evitar que estragassem. Só que há uma dúvida. A alimentação da penitenciária é terceirizada. Uma empresa fornece refeições prontas. Ou seja, foi uma doação para a empresa, que é paga com dinheiro público do governo do Estado e, de repente, recebeu alimento doado pago pelo governo federal? Ou a doação beneficiou servidores da penitenciária? Só para entender.