Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 29 de fevereiro

29.2.2012

CLIPPING

29 de fevereiro 2011

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assunto: Claudio Vallejos

 

POR UM FIO

A Polícia Federal teme que, a qualquer momento, Claudio Vallejos, o torturador argentino que está preso em Santa Catarina, seja liberado pela Justiça. Como ele foi condenado por um crime “leve”, o velho 171 (estelionato), a soltura é considerada uma barbada. Vallejos foi transferido de Xanxerê para o presídio de Lages no final de semana. O problema é que não existe nenhuma ordem de prisão contra ele na Argentina, apesar da suspeita do seu envolvimento em pelo menos 40 assassinatos.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Operação Veraneio

 

Mais turistas, menos crimesNesta temporada, Santa Catarina recebeu mais de 5 milhões de turistas. Foram 4,449 mil turistas brasileiros e 414.974 turistas estrangeiros, um aumento de 14,28% no fluxo.

Em contraponto, os números de ocorrências diminuíram em relação a 2011, de acordo com dados apresentados ontem, no auditório da Secretarias de Estado de Estado Turismo, Cultura e Esporte (SOL). A Diretoria de Informação e Inteligência da Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que foram registradas 43 ocorrências de homicídios a menos do que em 2011 (-36,8%) e 20 ocorrências a menos do que em 2010 (-14,6%). Com relação ao número de roubos, o ano de 2011 teve queda de 11,3% nos registros em comparação ao mesmo período de 2010 (01/01 a 26/02) e em 2012 está praticamente com o mesmo número de registros de 2011. Florianópolis apresentou queda de 12,85% nos roubos.

 

Cai também número de afogamentos

O Corpo de Bombeiros Militar contou com 2.201 guardas-vidas envolvidos diretamente na operação veraneio, coordenados por 250 guarda-vidas militares e presentes em 133 balneários.

– Conseguimos diminuir o número de afogamentos em 25,7% nesta operação veraneio. Em 2010 foram computadas 70 afogamentos e em 2011 este número diminuiu para 52 – explicou o coronel José Luiz Masnik, do Corpo de Bombeiros.

Por meio do Funturismo, a Secretaria do Turismo liberou R$ 7,5 milhões para o projeto Força Tur, utilizados na aquisição de equipamentos e softwares de segurança, e R$ 10 milhões para SalvaTur para complementação da ajuda de custo para guardas civis e construção de 30 postos de salva vidas nos balneários catarinenses.

Em janeiro de 2011, chegaram a Santa Catarina 308.368 turistas e em janeiro deste ano foram 352.040 visitantes contabilizados

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Operação Simbiose

 

Dezessete depõem na Justiça

Depoimentos de 17 testemunhas da acusação na Operação Simbiose trouxeram à tona declarações de que o advogado Rodrigo Schoene – representante da empresa Quasa Ambiental – teria trânsito livre na Fundação Municipal do Meio Ambiente de Joinville (Fundema) no período em que o pai, Marcos Rodolfo Schoene, esteve à frente do órgão, entre 2009 e 2011.

Nenhum funcionário ou ex-funcionário da Fundema ouvido em juízo afirmou que apenas Rodrigo teria acesso a conteúdos que outros advogados ou consultores ambientais supostamente não poderiam consultar na Fundema. As declarações mais contundentes contra pai e filho partiram do empresário de postos de combustíveis Richard Brian Dias, que teve um posto fechado em uma operação da Polícia Civil em parceria com a Fundema, em agosto de 2009.

Em depoimento, Richard afirmou ter procurado Marcos logo após a autuação, quando o então presidente do órgão municipal o teria aconselhado a buscar os serviços da empresa Quasa naquela que seria a “via rápida” para solucionar o impasse.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Diário do Leitor

Assunto: Polícia Federal

 

Prioridades

Lamentável saber que a Polícia Federal deixou de priorizar as operações de combate ao tráfico de drogas ilícitas no Estado quando se sabe que o comércio de entorpecentes é um dos maiores fomentadores da criminalidade no universo. Mesmo que alguns legisladores sejam responsáveis por estrangular o sistema penal brasileiro, não se pode abandonar o permanente viés repressivo à maléfica atividade, exercida seja pelo pequeno ou grande traficante.

Ronaldo Urbano

Florianópolis

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: PSDB

 

A reanimação do PSDB

A presença do governador do Paraná, Beto Richa, em Florianópolis, acabou dando uma nova dinâmica ao PSDB catarinense neste início de ano. Suas lideranças e candidatos compareceram ao seminário promovido pelo Instituto Teotônio Vilela sobre os desafios de Santa Catarina. Com a única exceção do deputado federal Jorginho Mello, totalmente fora do ninho por divergências com o presidente Leonel Pavan. E viveram congraçamento no almoço que o senador Paulo Bauer ofereceu a Richa na Praia Brava, presentes alguns empresários.

O deputado Marco Tebaldi lá esteve. Ali, teve lançada a candidatura à prefeitura de Joinville pelo senador Paulo Bauer. No período matutino, Tebaldi despedira-se dos diretores e servidores da Secretaria da Educação. Amanhã, assume cadeira na Câmara Federal. Em Brasília, desenvolverá um esquema de trabalho que estará ligado à plataforma de sua candidatura em outubro.

O projeto, na prática, já existe. Quando retornou, ontem, a Joinville foi recebido por uma carreata, com adesivos “Volta Tebaldi”. A campanha de prefeito já acontece nas ruas da cidade, embora o ex-secretário diga que ainda não decidiu.

O jornalista Benhur Lima, que assessorou Marco Tebaldi na prefeitura, nas campanhas e ultimamente na Secretaria de Educação, começa a articular o grupo de apoio à candidatura já a partir de amanhã. Deputado e jornalista estavam praticamente rompidos. Conversaram no fim de semana em Joinville e fumaram o cachimbo da paz.

Durante a visita do governador paranaense, não faltaram leituras sobre a saída de Tebaldi da Secretaria da Educação e sua provável candidatura a prefeito. Entre elas, a de que o PSD teria interesse em vários candidatos para não fortalecer mais a liderança do senador Luiz Henrique no maior colégio eleitoral do Estado. Ficção ou verdade, o fato é que a candidatura de Tebaldi debilita o projeto do empresário Udo Döhler, o nome do PMDB.

 

 

EXPERIÊNCIAS

O senador Paulo Bauer dominou a cena nos eventos tucanos. Destacou nominalmente os principais destaques nas próximas eleições. Depois de lançar Tebaldi em Joinville, falou da reeleição de Clésio Salvaro em Criciúma, da projeção do vereador Napoleão Bernardes em Blumenau, do favoritismo do coronel Ivon de Souza em Palhoça e até da candidatura de João Batista Nunes em Florianópolis. Nos dois eventos, o vice-prefeito da Capital não escondia a irritação com a greve dos motoristas de ônibus, pelo inesperado. Não poupou críticas à irresponsabilidade dos grevistas, parando sem aviso prévio e deixando os passageiros ao relento, sob chuva e até no meio da rua.

O discurso otimista da tucanada acabou virando animada festa, com o anúncio de novos eventos para neutralizar o marasmo dos últimos meses.

Beto Richa, o governador homenageado, fez coro, ao comemorar a decisão do ex-governador José Serra de concorrer à prefeitura de São Paulo. Virou entusiasta do projeto, dizendo que o PSDB não podia correr o risco de perder a prefeitura de São Paulo. É fortaleza político-eleitoral fundamental para 2014.

Depois, em análise de conjuntura, admitiu que a presidente Dilma Rousseff terá a reeleição azeitada se a situação econômica continuar como está e o Brasil passar blindado diante da crise financeira que atinge a Europa.

– Ministério Público Estadual instaurou inquérito civil para investigar a terceirização da merenda escolar em Santa Catarina. É presidido pelo promotor de Justiça Aor Stefanis. O processo tem 37 volumes

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Política

Assunto: Caso Chiarello

 

Laudo e investigações reforçam tese de suicídio

Segundo o Instituto Geral de Perícias de Chapecó, falta de indícios de crime no local reforçam teoria

Inexistência de vestígios na casa, móveis arrumados e falta de lesões no corpo que indicassem gesto de defesa são os principais pontos que levam a Polícia Civil a acreditar que não houve assassinato na morte do vereador Marcelino Chiarello, de Chapecó.

Essa conclusão ocorreu a partir de um laudo assinado por quatro peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP) de Chapecó, os quais indicaram que a causa mais provável da morte foi suicídio. Mas esse indício também ficou reforçado a partir de depoimentos e da apuração dos policiais locais no inquérito durante a investigação.

Mas o que causa divergência no caso é a existência de um outro laudo, assinado pelo médico legista Antonio José de Marco, de Chapecó, que indicou ter havido homicídio. Esse é o laudo da necropsia e foi o primeiro a ser entregue à polícia. O médico examinou o corpo do vereador e concluiu que a morte foi por traumatismo craniano. Ele afirma, ainda, que houve ação de terceiros para provocar a morte.

O que torna ainda mais intrigante o caso é o fato de haver um parecer anexado ao inquérito que sugere que as características das lesões indicam suicídio. O autor do parecer é o gerente técnico do IML em Florianópolis, o médico legista Zulmar Coutinho, que também é professor de medicina legal da Universidade Federal de SC (UFSC) – o seu entendimento saiu a partir de análise das fotos feitas do corpo.

Já o laudo dos peritos, que estiveram na casa de Chiarello, onde o corpo foi encontrado, revela que não havia nenhum vestígio de arrombamento ou gota de sangue pela casa. Os peritos chegaram a usar luminol, produto que revela os vestígios ocultos a partir de reação química.

O corpo estava pendurado com a alça do notebook numa grade da janela do quarto de visitas. Havia sangue na grade, onde ele teria se debatido antes de morrer por enforcamento, e no chão.

Os policiais têm outras conclusões também que reforçam o suicídio. Uma delas é de que o filho teria dito que o pai estava trancado sozinho no quarto. A polícia pensa também que, se tivesse havido execução, os autores deixariam evidências como da arma do crime e da própria presença pela moradia – era de manhã e ninguém viu nada de estranho ou pessoas suspeitas pela região.

Consta no inquérito, ainda, que o vereador afirmou a uma pessoa chamada Rita, em reunião do PT no dia 26 de novembro, que o seu destino seria decidido nos próximos dias. Há outras afirmações de Chiarello a políticos dias antes da morte de que ele renunciaria ao mandato. Colegas da escola e do partido disseram ao DC que Chiarello estava pressionado em casa para abandonar a política.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Política

Assunto: CNJ retira escolta de juíza que julga PMs

 

CNJ retira escolta de juíza que julga PMs

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) retirou, ontem, a escolta da juíza Fabíola Michele Muniz Mendes Freire de Moura. Por intermédio da Associação dos Magistrados de Pernambuco, a juíza havia pedido ao CNJ providências para garantir sua segurança, já que se sentia ameaçada, porque estava julgando processo no qual policiais militares estavam envolvidos

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Reportagem Especial

Assunto: SC Saúde

 

Atendimento ainda não chega a 100%

Um mês depois da implantação do novo plano do governo para os servidores públicos, levantamento feito pelo Diário Catarinense revela que dos 2.787 credenciados contatados, somente 75,8% estão atendendo os conveniadosSanta Catarina completa amanhã um mês de uma mudança que está dando o que falar. O SC Saúde, plano que substitui o da Unimed e abrange 180 mil servidores estaduais e seus dependentes, ainda gera reclamações e dúvidas.

Onde procurar atendimento? Quantos hospitais, clínicas, laboratórios e consultórios estão à disposição? E por que muitos conveniados não atendem? Estas são as perguntas mais frequentes dos conveniados.

Para saber como anda o funcionamento do SC Saúde em seus primeiros 30 dias de existência, o Diário Catarinense realizou um levantamento com o maior número possível de estabelecimentos que têm a obrigação contratual de atender pelo novo plano de saúde. O resultado é bom, mas poderia ser melhor: até ontem à noite, 75,8% dos conveniados atendiam aos servidores.

Para chegar a este número, a reportagem do DC consultou no site do SC Saúde todas as 293 cidades catarinenses, mas os conveniados foram encontrados em 195, ou 66,5% do total de municípios. Ou seja, 98 cidades estão sem a cobertura do plano. Todos pequenos como Alto Bela Vista, Frei Rogério, Ouro Verde e Urupema, cujas populações não chegam aos 3 mil habitantes. Já nas 195 cidades que contam com pelo menos um conveniado, a lista varia de uma a mais de mil opções médicas, como é o caso de Florianópolis.

Nestes lugares, a relação disponibilizada no site do SC Saúde indica 3.371 hospitais, clínicas, laboratórios e consultórios credenciados a prestar atendimento. Sem se identificar, a reportagem conseguiu contato com 2.787, ou 82,7% do total.

Os demais 584 não atenderam ao telefone, não tinham o número divulgado no site ou estão entre os 78 das 20 cidades que o DC não consultou. São elas: Paulo Lopes, Pouso Redondo, Presidente Getúlio, Rio do Oeste, Rio dos Cedros, Rio Fortuna, Sangão, Santa Rosa de Lima, Santa Rosa do Sul, São João Batista, Siderópolis, Sombrio, Taió, Timbé do Sul, Timbó, Treze Tílias, Trombudo Central, Turvo, Urussanga e Vidal Ramos. Só em Florianópolis, dos 894 conveniados, a reportagem não conseguiu contato com 371, ou 41,5% do total.

Dos 2.787 contatados, 2.112 disseram que atendem pelo plano, o equivalente a 75,8%. Só que, como nem todos os 3.371 foram consultados, é possível que este percentual varie para mais ou para menos. Mas supondo que todos os 584 que faltaram dissessem só que atendem ou só que não, pode-se afirmar que os atendimentos abrangem entre 62,6% e 80% dos conveniados.

As justificativas dos que não atendem são as mais diversas, e todas apontam o governo do Estado como culpado. Estes 675 conveniados que deveriam atender dizem que não receberam uma suposta senha, não foram devidamente treinados, o sistema online do novo plano de saúde é falho ou, na maioria dos casos, que os contratos assinados com o governo ainda não foram devolvidos.

Muitos dizem que passarão a atender nos próximos dias, outros não têm previsão e uma minoria disse, ainda, não ter mais interesse no convênio.

Alguns poucos, como ocorreu em Florianópolis, chegaram a afirmar que não atendem pelo SC Saúde, mas oferecem descontos especiais aos servidores estaduais.

 

Quando precisa, não tem

Você prefere pagar para evitar filas e ter prioridade, mas quando precisa, não encontra quem resolva o seu problema e descobre que seria mais fácil ter esperado para receber de graça. Foi o que aconteceu com o policial militar rodoviário Elias José Blomer, de Lages.

Ele paga R$ 400 por mês pelo SC Saúde para a família. Na manhã do dia 17, o filho dele, Elias Júnior, 13 anos, sofreu uma torção no tornozelo durante uma aula de Educação Física na escola. Levado ao Hospital Infantil Seara do Bem, o menino foi atendido por um clínico geral, que atestou não haver fratura. Mesmo assim, o garoto precisava de um ortopedista para engessar o tornozelo, e foi aí que começou o drama.

O pai entrou em contato com o plano e foi informado de que quatro ortopedistas são conveniados em Lages, dos quais, três já credenciados e um em fase de credenciamento. Mas nos quatro profissionais a resposta era de que nenhum deles ainda atendia pelo novo plano. Assim, Elias Júnior só conseguiu atendimento cinco dias após se machucar, pelo Sistema Único de Saúde.

– Não quero escolher médico. Mas quero ter um quando precisar e ser atendido para resolver o meu problema. Existe o plano, a gente paga, mas atendimento não tem – diz o pai.

Ontem, 10 dias após o acidente na escola, a reportagem do DC ligou para os ortopedistas procurados por Elias, e os três já atendem pelo novo plano.

Edison Linhares Júnior é subtenente da PM e diretor da Associação dos Subtenentes e Sargentos de SC (Aberssesc). Assim como Elias Júnior, Edison também precisou de um ortopedista no último dia 17. Morador de Florianópolis, ele telefonou para o SC Saúde e obteve a lista de profissionais credenciados, mas não conseguiu consulta com nenhum deles. Por isso, precisou recorrer ao Hospital da PM, onde foi atendido, mas não pelo convênio.

– Consegui porque sou militar, mas quem é civil encontra dificuldades. Já há colegas questionando se a associação vai se mobilizar judicialmente.

Outro que sofreu com a falta de atendimento por parte de credenciados pelo SC Saúde foi Varnanci Marcelinho de Jesus, morador de Jaraguá do Sul e funcionário do Deinfra desde 1977. Desde o dia 1º de fevereiro, quando o plano entrou em vigor, ele tentou marcar consulta com um ortopedista para a mulher, mas só conseguiu um profissional em Rio do Sul, distante 130 quilômetros.

A Associação dos Subtenentes e Sargentos e o Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Estadual de SC (Sintespe) alegam que recebem reclamações de servidores que não são atendidos por credenciados pelo SC Saúde em várias cidades do Estado

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Liminar interdita cela em Palhoça

 

Liminar interdita cela em Palhoça

A sala de contenção para menores infratores da Delegacia de Palhoça foi interditada a pedido do Ministério Público de Santa Catarina. A liminar, emitida pela Justiça da Infância e Juventude, estipula multa pessoal de R$ 500 aos secretários de Justiça e Cidadania e de Segurança Pública caso algum adolescente seja mantido na cela.

Segundo o promotor de Justiça Aurélio Giacomelli da Silva, a ação civil pública foi motivada pelas condições insalubres do local onde os adolescentes ficam até que seja liberada uma vaga num centro socioeducativo. Ele observa que o local não tem banheiro e nem circulação de ar.

Conforme a lei, um adolescente pode ficar por até cinco dias contido em locais adequados antes de ser transferido para um centro.

– A Vigilância Sanitária constatou um ambiente insalubre, onde muitas vezes eles faziam as necessidades em sacolas ou garrafas entregues pelos policiais ou diretamente no chão – observa o promotor.

A delegada regional, Gisele de Faria Jerônimo, diz que o serviço da Polícia Civil não vai parar, mas será necessário encontrar um local onde os adolescentes possam ficar.

Gisele confirma que o espaço que mantém os adolescentes não tem sanitários, e que, normalmente, o agente os levam ao banheiro quando necessário. Porém, ela reconhece que em algumas circunstâncias pode ocorrer de o adolescente fazer suas necessidades no local.

Uma solução apontada pela delegada só sairá a médio prazo: a Delegacia da Mulher, prevista para ficar pronta entre julho e agosto, terá uma área para manter os menores.

A notificação judicial estabelece prazo de 90 dias para a construção ou reforma de local adequado para manter os adolescentes. Enquanto isso, eles deverão ser encaminhados para repartição adequada.

A liminar também proíbe que os menores permaneçam com os demais presos, que eventualmente ficam na cela já interditada. Após a notificação, o Estado tem 10 dias para informar o local para onde os menores serão encaminhados.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Obra de Imaruí

 

Obra de Imaruí na mira de promotora

Ministério Público abre inquérito para apurar informações sobre construçãoMais de mil assinaturas de moradores e diversas representações da população e de entidades motivaram o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) a abrir inquérito civil para apurar informações sobre a construção do complexo prisional em Imaruí, Sul do Estado. O número de assinaturas no abaixo-assinado corresponde a mais de 10% da população total.

O inquérito foi aberto, no último dia 15, pela Promotoria de Justiça da Comarca de Imaruí. O processo está no começo e não há, por enquanto, qualquer liminar que embargue a obra. A promotora de Justiça Giselli Dutra está aguardando as informações que solicitou às secretarias de Estado da Justiça e Cidadania e do Planejamento e Meio Ambiente, à Coordenadoria Regional de Tubarão da Fundação do Meio Ambiente (Fatma), e à prefeitura e Câmara de Vereadores de Imaruí.

A promotoria solicitou projetos técnicos, informações sobre a realização do Estudo de Impacto de Vizinhança, do Estudo de Impacto Ambiental (EIA/Rima), esclarecimentos adicionais sobre as nascentes e cursos d’água existentes no terreno e sobre a existência de aclives acima de 45º que poderiam constituir Área de Preservação Permanente (APP).

A promotoria pediu também informações sobre o zoneamento costeiro e o Plano Diretor de Imaruí, além de dados sobre a desapropriação do imóvel na localidade Cangueri, onde está prevista a construção. E determinou a realização de perícia técnica para fixar o valor do imóvel, avaliado inicialmente em R$ 1,75 milhão.

O prazo para envio de todas as informações ao MPSC é de 20 dias. A data conta a partir do dia de recebimento das solicitações nos órgãos públicos. O prazo varia porque algumas correspondências foram entregues em mãos, no dia 15, e outras via Correios. Estas serão contabilizadas a partir da data dos comprovantes de recebimento dos Correios.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Cartão-postal de Jaraguá do Sul ganha câmera

 

Cartão-postal de Jaraguá do Sul ganha câmera

Um dos cartões-postais de Jaraguá do Sul, o morro do Boa Vista, também conhecido como morro da Antena, recebeu reforço na segurança. Três câmeras passaram a vigiar a central de retransmissão de sinal de TV, rádio, telefone e internet da cidade, que funciona no local. Os equipamentos foram instalados por uma empresa de comunicação, que também tem uma antena no local, para evitar furtos e ajudar na identificação de suspeitos. O objetivo é incluir os equipamentos no sistema de transmissão de dados da Central de Emergência da Polícia Militar.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Morte na cadeia

 

Dois assassinados no pátio do presídio

Detentos de Itajaí foram feridos com armas caseiras no peito e no pescoço

A Polícia Civil instaurou um inquérito para investigar a morte de dois detentos no Presídio Regional de Itajaí, segunda-feira à noite. Os corpos foram feridos por armas caseiras e encontrados nos pátios de diferentes alas, sob cobertores.

A Corregedoria Geral da Secretaria de Justiça e Cidadania também instaurou sindicância para apurar as circunstâncias das mortes. As vítimas são Leandro Melo Batista, 20 anos, e Luiz Henrique da Silva Souza, 22.

Os crimes mexeram com a rotina no Bairro Nossa Senhora das Graças, onde fica a unidade. Ontem era dia de visita, mas, com a entrada suspensa nas duas alas onde ocorreram as mortes, o movimento no entorno do presídio era menor do que o habitual.

– Quando soube, fiquei em choque. Assim como ocorreu com os outros, poderia ocorrer com meu filho também – disse Eli Bruch, 57 anos, que visitava o filho preso.

Os homicídios foram descobertos pelos agentes prisionais por volta de 18h, no momento em que os presos voltavam dos pátios para as celas. Embora os corpos estivessem em áreas de circulação, nas galerias C e D, agentes e policiais que trabalham nas guaritas não teriam percebido qualquer movimentação estranha.

– A arquitetura do presídio, mais antiga, não favorece a visualização. É diferente dos novos modelos de unidades – disse o diretor do Departamento de Administração Prisional (Deap), Leandro Soares de Lima.

A perícia recolheu, nos dois pátios, facas feitas com pedaços de cadeiras plásticas e um estilete, que teriam sido usados para ferir as vítimas no peito e no pescoço. O material estava em lixeiras e será analisado. Os exames poderão indicar se havia sangue diferente dos das vítimas, ou impressões digitais que possam levar aos autores. A análise do Instituto Geral de Perícias (IGP) deve ficar pronta em 30 dias.

Para Lima, as mortes não têm relação, embora os dois homicídios tenham ocorrido no mesmo dia, em galerias vizinhas e no mesmo espaço de tempo: entre 17h e 18h. O pátio é fechado às 18h.

– Foi um fato isolado e de extrema truculência e agressão – lamentou.

 

Dupla estava presa por tráfico de drogas

Os corpos foram recolhidos pelo Instituto Médico Legal de Itajaí (IML), e liberados ontem para as famílias. Leandro Melo Batista, 20 anos, o Lelê, era morador do Bairro Machados, em Navegantes, e foi preso em novembro de 2010 por suspeita de tráfico de drogas.

Um ex-detento ouvido pela reportagem, que preferiu não se identificar, passou os últimos quatro meses na mesma galeria de Batista, e disse nunca ter presenciado desentendimentos entre ele e outros presos.

O outro detento assassinado é Luiz Henrique da Silva Souza, 22, conhecido como Naca. Preso desde julho de 2011 e condenado a oito anos de prisão há duas semanas, ele comandava, segundo a polícia, boa parte do tráfico de drogas em Balneário Camboriú, Camboriú e Itapema.

No ano passado, segundo a delegada Luana Backes, da Divisão de Investigações Criminais de Balneário Camboriú (DIC), a quadrilha encabeçada por Naca havia se envolvido em disputas por pontos de venda de drogas no Distrito Monte Alegre, em Camboriú. A rixa teria chegado ao Presídio Regional de Balneário Camboriú, e um detento foi esfaqueado em uma briga, meses antes de Naca ser preso. Ele foi transferido para o Presídio Regional de Itajaí há três meses, após uma fuga de 13 detentos.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário do Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Identidade ainda não está confirmada

A Interpol ainda não confirmou se o homem apontado como Claudio Vallejos, 53 anos, é, de fato o ex-torturador durante a ditadura na Argentina. A informação de que a confirmação havia sido feita foi corrigida pelo delegado da Polícia Federal Ildo Rosa. O cônsul da Argentina esteve no presídio de Xanxerê, onde Vallejos estava preso por estelionato, para coletar as impressões digitais dele. Vallejos foi levado para Lages, após causar tumulto de Xanxerê.

 

PM detém dois e pega 500 pedras de crack

A Polícia Militar de Jaraguá do Sul prendeu dois homens e apreendeu 500 pedras de crack, R$ 1,2 mil em dinheiro, anabolizantes, munições de revólver calibre 32, radiocomunicador, uma balança de precisão, uma balaclava, chave de algema, celulares e aparelhos eletrônicos. Um dos homens foi detido no terminal urbano da cidade, enquanto esperava o outro, que entregaria a ele drogas encomendadas pelo telefone. O traficante foi flagrado quando saía de casa.

 

Família é feita refém em casa em Gaspar

Uma família do Bairro Bela Vista, em Gaspar, foi vítima de assaltantes na segunda-feira à noite. Três homens entraram na casa e renderam as pessoas que estavam no local. Segundo a Polícia Militar, o trio estava armado e fez a família refém por cerca de uma hora. No tempo em que ficaram na casa, os bandidos teriam torturado as vítimas fisicamente. Antes de sair, os ladrões levaram objetos pessoais. A PM fez buscas, mas os suspeitos não foram encontrados.

____________________________________________________________________________ Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Inquéritos sobre homicídios na Capital se avolumam na Vara privativa do Júri

Casos pendentes começam a ter desfecho agora com a prisão de acusados. Um dos suspeito é Maureci que matou a mulher na frente do filho

Vara privativa do júri

Inquéritos policiais de ocorrências de homicídio registrados na Capital estão abarrotando as gavetas da Vara privativa de Júri. Casos pendentes desde o ano passado começam a ter desfecho agora. Maureci José da Silva Júnior, por exemplo, que matou a própria mulher, Patrícia Adad Silva, em frente ao filho, em outubro, foi preso somente no início desta semana. Quando ele foi ouvido na polícia alegou motivo passional e traição. Parentes de Patrícia afirmam que o casamento estava desgastado e que ela pedia a separação.  Os pais da vítima chegaram ir até ao juiz para pedir a contenção do suspeito, no ano passado.  Acredito que a Justiça demorou em decretar a prisão devido à conclusão da investigação na esfera judicial. Quando o réu for a júri, a defesa vai travar uma batalha com a promotoria. O advogado do réu deve alegar legítima defesa da honra e o promotor crime premeditado. Eu fico com a segunda opção.

 

 

 

ACONTECEU NA ALESC

 

Vigilância privada

O deputado Sargento Amauri Soares (PDT) criticou a viagem do vice-governador Eduardo Pinho Moreira e do deputado federal Rogério Mendonça (PMDB) a Boston, nos EUA, para prospectar uma grande empresa de segurança para atuar no estado. “Deve ser um engano, isso não vai acontecer”, ironizou Soares.

O deputado lembrou que o policial Coelho, lotado na penitenciária da Agronômica, em Florianópolis, foi alvejado durante fuga de presos por um vigilante de empresa privada, que presta serviços no local. “Estamos perdidos”, sentenciou Soares. 

 

 

Segurança

Eskudlark também destacou a tramitação de projeto de lei de autoria governamental que legaliza a incorporação aos proventos de aposentadoria do adicional de permanência para os policiais civis. Eskudlark defendeu a retroatividade da incorporação a 2010, uma vez que os policiais civis que se aposentaram nos últimos dois anos não tiveram direito à incorporação, que pode alcançar até 25% do salário.

 

 

 

 

 

BLOGS

 

Paulo Alceu

 

Movimento contra

“Privatização” do serviço de prevenção contra incêndio. É assim que o Corpo de Bombeiros Militar está chamando o projeto de Emenda Constitucional que começou a tramitar na Assembleia com o seguinte objetivo: conceder aos “bombeiros voluntários” que atuam em alguns municípios do Estado, o poder de fiscalizar projetos preventivos contra incêndio. A bem da verdade trata-se do sexto projeto com essa finalidade, ou seja, passando para entidades privadas esse direito. Quatro delas tropeçaram no caminho e foram para a gaveta, até porque possuíam vícios de inconstitucionalidade. Outras duas estão em debate. Por que o argumento da inconstitucionalidade? O exercício de polícia administrativa na fiscalização exercida pelo Corpo de Bombeiros Militar e próprio do Estado e não pode ser delegado a entidades privadas ou pessoas físicas. Até para garantir a fé pública na execução do trabalho. Tem que ser um agente público. Por isso as alfinetadas de que querem privatizar o serviço de prevenção contra incêndio. Essa tentativa de passar para bombeiros privados, incluindo até taxas pela execução do serviço. Há críticas contundentes acusando om projeto de beneficiar o poder econômico e atender interesses políticos em ano eleitoral. Ou seja, o debate está aberto e vai esquentar. O ideal é que não pegue fogo atingindo inocentes. Até porque essa PEC está na contramão, segundo oficiais do Corpo de Bombeiros Militar, a Constituição Federal e criando um imenso conflito entre as competências dos municípios e do Corpo de Bombeiros do Estado.

 

O outro lado

Em contraponto ao leitor Renato Kadlez o comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel José Luiz Masnik sublinhou que a fiscalização de obras não é competência dos bombeiros, mas sim a atribuição da segurança contra incêndio e pânico. Por sinal uma atribuição constitucional. Masnik destacou também que a atuação do Corpo de Bombeiros na prevenção de incêndios, inclusive, analisando projetos e que foi questionada do CREA teve manifestação favorável do Poder Judiciário. Tanto que ficou bem claro na sentença que se aos Corpos de Bombeiros Militares incumbe extinguir incêndios, com muito mais razão se vê ser reconhecida a eles a responsabilidade de preveni-los, a fim de evitar, o quanto possível, a sua ocorrência, de modo eficiente e eficaz.