Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 28 de fevereiro

28.2.2012

 

CLIPPING

28 de fevereiro de 2012

 

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Arquivamento de inquérito

 

 

MP ARQUIVA INQUÉRITO

O MP do Estado arquivou o inquérito civil instaurado para apurar eventual ato de improbidade administrativa do então chefe da Polícia Civil, Ricardo Lemos Thomé, afastado do cargo em julho de 2005, depois que o DC publicou matéria mostrando que havia 24 veículos oficiais da SSP em um jantar de lançamento da candidatura do policial à Câmara Federal, que depois, também, foi abortada, em um restaurante. Atualmente, o delegado atua como ouvidor da Polícia Civil.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Operação Simbiose

 

Começam os depoimentos

As acusações de que Marcos Rodolfo Schoene oferecia os serviços da empresa Quasa Ambiental, representada pelo filho dele, Rodrigo, enquanto esteve na presidência da Fundação Municipal do Meio Ambiente de Joinville (Fundema), entre 2009 e 2011, foram reforçadas por testemunhos ontem.

No primeiro dos sete dias de audiências agendadas pela 2ª Vara Criminal de Joinville para a apuração de indícios de favorecimento na gestão anterior da Fundema 17 testemunhas ouvidas foram chamadas pelo Ministério Público de Santa Catarina.

Os advogados Aldano José Vieira Neto e Paolo Alessandro Farris, que defendem os Schoene, fizeram apenas perguntas buscando contradições nas declarações.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Gerais

 

Carga tomba na BR-101

A BR-101 ficou interditada no sentido Sul, no km 189,3, ontem pela manhã, depois que a carga de um caminhão caiu na pista. Mais dois veículos também se envolveram no acidente. Houve congestionamento de 12 quilômetros e o trânsito foi liberado por volta das 9h15min. Ninguém ficou ferido, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A carga de lajotas que estava sendo transportada pelo caminhão tombou perto da entrada de São Miguel, em Biguaçu, por volta de 7h.

Equipes de limpeza da concessionária foram acionadas para remover as lajotas e desobstruir o fluxo de veículos. Não houve alteração no sentido Norte da rodovia, que apresentava apenas lentidão em função de curiosos que reduziam a velocidade para ver o acidente.

 

Obras do contorno não vão começar em março

O que era para ser uma via que iria desafogar o tráfego de veículos da Grande Florianópolis, virou mais uma novela que se arrasta com a concessão de novos prazosO Contorno Viário de Florianópolis, que deveria ter suas obras iniciadas em março deste ano, ainda vai demorar para sair do papel. E a promessa da Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) feita em setembro para os prefeitos da região ficará adiada.

Um dos motivos é a falta de licença ambiental, que está recém na fase inicial de avaliação pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama) e ainda deverá passar por outros processos para ser aprovada ou não. O Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) foi entregue pela Autopista Litoral Sul, concessionária responsável pela obra. Em seguida, o Ibama abre prazo de 45 dias para consulta pública. Depois vem a fase de análise. A empresa tem que apresentar o plano básico ambiental para receber a licença de instalação, que autoriza o início das obras.

Mas para conceder a licença prévia, a entidade precisa receber a certificação de que os órgãos públicos receberam cópias do material. Questionada se teria como adiantar as desapropriações do trecho onde passará o contorno, a concessionária informou que: “a liberação das áreas ocorrerá após a emissão da licença de instalação, em conformidade com as leis vigentes”.

O mais curioso é que evitar atrasos no licenciamento ambiental foi a alegação da ANTT para não optar em fazer diretamente o traçado original, de 47 quilômetros, depois que lideranças catarinenses foram exigir a obra completa em novembro do ano passado.

No período, a ANTT anunciou que faria primeiramente o trecho mais curto para acelerar o começo da obra. Seria assinado um termo aditivo com a empresa, que faria um outro projeto, que contemplasse os 23 quilômetros restantes, e encaminhado à análise do Ibama.

 

Prazo prorrogado é questionado

A ANTT foi procurada para explicar como está o andamento da segunda etapa, mas não respondeu à solicitação do DC até o fechamento desta edição. A utopista garantiu, por meio da assessoria, que responderia esse questionamento à imprensa hoje. No fim do ano passado, a empresa afirmou que o traçado complementar influenciaria no valor do pedágio por não estar previsto no contrato.

Outro motivo para a obra não ter iniciado ainda está na prorrogação de prazos. O Tribunal de Contas da União, que havia dado prazo até hoje para expliações do início das obras de 2012 para 2015 pela ANTT e a concessionária, prorrogou o tempo por mais 15 dias.

O TCU, que abriu auditoria na metade do ano passado, não concorda com a prorrogação do início da obra e nem com a possibilidade de execução do trecho mais curto conforme deseja a concessionária.

Por meio da assessoria de imprensa, o tribunal afirmou que solicitou informações à ANTT sobre a intenção de fazer a obra em duas etapas. E ressaltou: “de acordo com as análises feitas até o momento pelo TCU, o custo de execução total dos 47 quilômetros já estaria previsto no preço calculado (dentro do primeiro projeto)’’.

Contrato está sob análise do TCUApós os pedidos de informações serem entregues ao Tribunal de Contas da União (TCU), o relator Marcos Bemquerer apresentará sua proposta de voto na reunião de pleno dos ministros. A data da votação ainda não foi marcada.

A auditoria foi iniciada na metade do ano passado, após o deputado federal Esperidião Amin (PP) pedir a atuação do TCU. Técnicos do órgão em SC analisaram o contrato para conferir supostas irregularidades, que vão além da redução do contorno, como compensações financeiras indevidas à concessionária, do Grupo OHL, e na falta de execução de obras consideradas obrigatórias.

Conforme o relatório, as possíveis irregularidades teriam acarretado um desequilíbrio econômico-financeiro do contrato em desfavor dos usuários de R$ 800 milhões.

Para esclarecer os apontamentos dos técnicos do TCU, em novembro os ministros solicitaram mais informações à empresa e à agência. A resposta ainda não foi encaminhada.

A ANTT ainda não encaminhou a resposta e a Autopista informou que já prestou esclarecimentos em janeiro e aguarda a decisão. Nos últimos anúncios à imprensa, ambas alegam que o traçado maior é de um projeto antigo do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER – atual Dnit) de 1998 e nunca constou no contrato.

O traçado anterior de 47 quilômetros de extensão previa um contorno entre o km 175, em Biguaçu, até o 222, próximo à atual praça de pedágio em Palhoça. Já o trajeto modificado é entre os kms 196 e 220. Quase a metade da extensão.

 

ANTT divulgou a prorrogação

Sobre o prazo, a ANTT havia divulgado que autorizou a prorrogação para readequação do projeto. Mas o TCU investiga se a agência agiu para beneficiar a empresa.

Em entrevista ao DC, em agosto, o relator do processo, Marcos Bemquerer Costa, afirmou que pretendia acelerar o processo. Ele disse que, em princípio, parecia que violava o contrato em benefício da concessionária e que o pleno do TCU poderia determinar a construção do traçado original. Mas tudo dependeria das respostas da ANTT. Enquanto a decisão não sai, os motoristas continuam pagando o pedágio com os reajustes anuais, mesmo sem as obras concluídas.

Na semana passada, a tarifa aumentou em 7,14%. Os motoristas de carros passaram a pagar o valor de R$ 1,40 para R$ 1,50.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Anvisa faz nova vistoria no navio

 

Anvisa faz nova vistoria no navio

Passageiros que apresentam algum sintoma estão sendo medicados dentro da embarcaçãoA Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) inspecionou ontem o navio de cruzeiros MSC Armonia, da empresa MSC Cruzeiros. O transatlântico, que está ancorado no Porto de Santos, com cerca de 2 mil passageiros a bordo, teve um caso confirmado de gripe tipo B.

Segundo a Anvisa, os passageiros que apresentam algum sintoma da doença estão sendo medicados dentro do navio. Os que não demonstram nenhum sinal de infecção são liberados para desembarque.

Segundo o Ministério da Saúde, desde as 8h da manhã de ontem a embarcação está sendo submetida a uma avaliação da situação de saúde e aplicação de questionário com passageiros que apresentam sintomas de gripe para a realização de investigação epidemiológica. A ação está sendo coordenada pela Anvisa, que atua em conjunto com a Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo e Vigilância Epidemiológica de Santos.

No dia 17, a tripulante do navio Fabiana dos Santos, de 30 anos, morreu. Ela estava internada no Hospital Ana Costa, em Santos, desde o dia 15, quando desembarcou do MSC Armonia com sintomas de gripe e suspeita de pneumonia, mas ainda não foi confirmada a causa de sua morte. No mesmo dia em que Fabiana morreu, mais cinco tripulantes deram entrada no mesmo hospital, com sintomas semelhantes. No dia 18, mais dois tripulantes e três passageiros foram internados. Segundo o hospital, todos os 10 pacientes tiveram alta até o dia 20.

Os exames dos pacientes detectaram a presença do vírus influenza B e estão sendo realizados exames para diagnosticar a causa da morte de Fabiana. Segundo a MSC Cruzeiros, a embarcação já havia passado por uma inspeção no dia 18, quando não foi constatado nenhum risco aos hóspedes e tripulantes. A empresa informou ainda que inspeções também foram feitas em São Francisco do Sul, onde o navio estava no final de semana.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Cacau Menezes

Assunto: Penitenciária Estadual em Imaruí

 

Milagre

O Ministério Público travou temporariamente a construção da penitenciária estadual em Imaruí, terra de Pedro Raimundo e da futura Santa Albertina Berkenbrock, a quem a população local credita esse milagre.

____________________________________________________________________________Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Moacir Pereira

Assunto: Raimundo Colombo

 

O piso e a dívida de SC

Entre os quatro temas que o governador Raimundo Colombo leva hoje para audiências em Brasília, o mais polêmico é o que trata do reajuste do piso salarial dos professores da rede estadual. A audiência, que poderá esclarecer várias questões de interesse do Estado, será com os presidentes do Senado, José Sarney, e da Câmara, Marco Maia. Vários governadores confirmaram presença.

O novo piso do magistério, anunciado no final do ano passado pelo ex-ministro Fernando Haddad, foi confirmado ontem pelo MEC. Terá 22,22% de reajuste, retroativo a janeiro. Era de R$ 1.187 no ano passado e passa agora, em 2012, para R$ 1.451.

Ao anunciar oficialmente o novo piso, o governo Dilma antecipou-se à reunião de hoje em Brasília. Os governadores trabalhavam exatamente para impedir a aplicação deste índice. Pressionavam o governo e os meios parlamentares para a aprovação de projeto que previa aplicação do INPC.

O tema será analisado durante a próxima reunião do Consed – Conselho dos Secretários de Educação, marcada para o período de 7 a 9 de março, em Natal. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, já confirmou presença.

O novo secretário da Educação, Eduardo Deschamps, disse que aguardará a reunião dos governadores em Brasília para saber qual o encaminhamento. Já marcou a primeira reunião com a coordenação do Sinte para o dia 5 de março, em Florianópolis. Na pauta, o pagamento do piso, a descompressão da carreira do magistério e as decisões tomadas pelo grupo de estudos no segundo semestre do ano passado. O Sinte não abre mão dos 22,22% de reajuste no piso.

Segundo a presidente do Conselho Nacional dos Secretários da Educação, professora Maria Nilene da Costa, apenas sete estados pagavam o piso de 2011. Não tem ideia sobre quantos adotarão o novo piso salarial.

A hipótese de nova ação no Supremo Tribunal Federal para questionar o índice já foi levantada por governadores e prefeitos.

 

 

INSUPORTÁVEL

Na viagem de hoje a Brasília, Colombo vai tratar, ainda, dos royalties do petróleo. Defenderá o projeto que tramita no Congresso Nacional, garantindo distribuição para todos os estados. A nova fórmula do Fundo de Participação dos Estados também entrará nas discussões. O Supremo Tribunal julgou inconstitucional a lei que distribuía 85% do FPE para os estados do Nordeste e apenas 15% para o Sul. Santa Catarina recebeu só R$ 69 milhões em 2011. Segundo o secretário da Fazenda, Nelson Serpa, que acompanhará o governador, o Estado poderá ter ganhos reais entre 30% e 47% com a nova sistemática de repasse. Os novos percentuais passarão a vigorar em 1º de janeiro de 2013.Os municípios serão igualmente beneficiados.

O quarto item trata da dívida pública catarinense no governo federal. Todos os estados queixam-se dos juros elevados que tornam a dívida insuportável. Santa Catarina contraiu uma dívida inicial de R$ 1,5 bilhão. Com incorporações e financiamentos, o débito pulou para R$ 2,760 bilhões. Até agora amortizou a dívida em R$ 2,276 bilhões, pagou de juros outros R$ 4,907 bilhões, totalizando mais de R$ 7 bilhões. E ainda deve mais de R$ 9 bilhões.

O compromisso contratual do Estado com a União exige o pagamento mensal de 13% da receita líquida. Isto significa que, quanto mais o Estado arrecada, mais transfere todos os meses para Brasília. E o saldo sempre aumenta. É que do total pago todos os meses, apenas 27% vão para amortização e 67% do total para pagamento de juros.

____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes no sul

 

Força-tarefa vai investigar

Proximidade entre delegado e vítima fez Polícia Civil optar por ação conjunta com Ministério Público

A Polícia Civil e o Ministério Público iniciaram uma força-tarefa para esclarecer o assassinato de Ivonete Mezari Genuíno, 24 anos, morta a tiros dentro do carro na noite da última quarta-feira em Balneário Arroio do Silva, no Sul do Estado. O crime chamou a atenção pelo fato de a vítima ser ex-namorada de um delegado de Araranguá, e a filha deles, um bebê de um ano, estar junto da mãe e ter sido deixada ilesa no veículo.

O carro com o corpo de Ivonete, um Corsa com placas de Araranguá, foi encontrado por volta das 9h de quinta-feira, por agricultores, nas proximidades da estrada geral da Praia da Meta. Ao chegar ao local, o delegado Jorge Giraldi, da Central de Polícia de Araranguá, reconheceu o corpo da ex-namorada. A partir daí, a cúpula da Polícia Civil decidiu acompanhar o caso de maneira diferente.

O delegado-geral, Aldo Pinheiro D’Ávila, entendeu que Giraldi deveria ser preservado, e que o diretor da Polícia do Litoral, delegado Arthur Nitz, coordenaria os trabalhos desenvolvidos nos últimos dias por Ari José Riva e Jair Pereira Duarte.

– Adotamos esse procedimento porque há uma pessoa da instituição Polícia Civil ligada à vítima. E todas as pessoas do círculo de convivência dela estão sob suspeita – afirmou o delegado regional, Vanderlei Sala.

Todos os delegados envolvidos nesta força-tarefa – e os dois promotores de Justiça convidados – entendem que o fato mais intrigante e que mais chama a atenção no homicídio é a ligação entre Giraldi e Ivonete. Eles tiveram uma relação breve, mas nunca chegaram a viver juntos. O policial, solteiro e pai de outros quatro filhos, assumiu a paternidade da criança.

Os resultados da perícia feita no veículo da vítima e no local do crime serão divulgados nos próximos dias, mas alguns detalhes são bem claros e podem ajudar na investigação: o corpo estava no banco do carona e os quatro tiros foram dados por alguém que estava no lado de fora. Dois revólveres encontrados em um saco plástico próximo do local podem ter sido usados no crime e ajudariam na busca por pistas. As ligações telefônicas feitas pela mulher nos últimos dias e o histórico de navegação da internet no computador também devem ser úteis, segundo os investigadores.

A polícia também sabe que o corpo foi encontrado por moradores locais de 12 a 13 horas depois do crime. Este foi o tempo em que o bebê, acomodado na cadeirinha no banco traseiro, ficou exposto à ação de mosquitos. A menina levou picadas nos braços, pernas e rosto e foi levada ao Hospital Regional de Araranguá. Hoje ela está com os avós maternos, em Nova Veneza, também no Sul.

 

Relacionamentos na mira

Além da menina que foi deixada com vida no carro, Ivonete também tinha um filho de três anos do primeiro casamento. O ex-marido, um servidor público estadual, foi uma das primeiras pessoas a serem interrogadas pela polícia, mas os motivos do crime e a autoria podem estar ocultos sob várias outras situações.

Um pequeno acidente de trânsito – ocorrido há cerca de um ano e no qual Ivonete estava acompanhada pelo ex-marido – será melhor analisado. Naquele dia, Ivonete ficou com algumas marcas no corpo que podem não ter sido causadas pelo acidente, o que indicaria um comportamento suspeito do antigo companheiro.

Ivonete morava sozinha em Araranguá com os dois filhos. Ela estava sem trabalho, mas frequentava um curso de vigilância patrimonial em Tubarão, onde teve outros relacionamentos amorosos, que também estão sendo investigados pela polícia. Segundo o delegado Sala, a vítima não tinha passagem pela polícia.

Já o delegado Jorge Giraldi, que há mais de 15 anos trabalha como delegado de Araranguá, prefere não falar com mais ninguém sobre o assassinato. Segundo os delegados que atuam no caso, ele está abalado por ter visto a filha naquela situação e bastante chateado por ter o nome envolvido em um misterioso homicídio.

____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Traficantes usam casas interditadas

 

Traficantes usam casas interditadas

Traficantes do Maciço do Morro da Cruz, na região Central de Florianópolis, estão usando casas interditadas pela prefeitura por falta de segurança para guardar e vender drogas.

A polícia chegou a essa conclusão na tarde de ontem, numa ação no Morro da Mariquinha, onde foram apreendidos um quilo de pasta base de cocaína e uma pistola Glock, arma utilizada pela Polícia Federal.

A operação envolveu policiais civis da Delegacia de Homicídios e da 1a Delegacia de Polícia. Os agentes revistaram as casas que, em dezembro do ano passado, haviam sido interditadas pela Defesa Civil após deslizamento de terra. Os traficantes que usamo o espaço conseguiram fugir e ninguém foi preso na ação.

Em dezembro passado, um pedaço de rocha de 200 toneladas se descolou, carregando 6 mil toneladas de terra morro abaixo. Quatro casas do morro ficaram destruídas, 12 foram interditadas, uma pessoa morreu e 45 ficaram desabrigadas.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Bairros da Capital sem investigação

 

Bairros da Capital sem investigação

A 8ª Delegacia de Polícia da Capital – que atende aos bairros Ingleses, Rio Vermelho e Santinho – está desde ontem sem equipe de investigação. Isso significa que os crimes que ocorrerem nos três bairros, que estão entre os mais populosos da cidade, ficarão sem apuração.

Em 2011, a delegacia perdeu quatro agentes – três foram transferidos para outras delegacias e um tirou licença não remunerada. Durante a Operação Veraneio, as vagas haviam sido preenchidas por policiais do interior do Estado. Com o fim da operação e o retorno dos agentes para suas cidades de origem, os agentes da equipe de investigação da 8a DP passaram a trabalhar no plantão registrando boletim de ocorrência.

A delegacia tem hoje apenas 10 agentes policiais. Os dois agentes por plantão trabalham 24 horas e folgam 48 horas. Nas outras delegacias, com o dobro da equipe, o esquema de trabalho é 24 X 72.

O diretor de Polícia Civil da Grande Florianópolis, delegado Ilson da Silva, garantiu que o problema será solucionado com a formatura de 608 novos policiais, prevista para ocorrer em agosto deste ano.

Silva confirmou a defasagem no quadro de policiais da 8a DP, acrescentou que outras delegacias também estão com número insuficiente de profissionais – como a 1a (Centro), 2a (Saco dos Limões) e 3a (Estreito) –, mas disse que não foi informado sobre a desativação temporária da equipe de investigação da 8a DP.

– A carência é quase no Estado todo. Todos os distritos que estiverem carentes terão suas necessidades supridas a partir da formatura dos novos policiais. Por enquanto, temos que trabalhar com o que temos – falou o delegado.

Apesar de todos os problemas, o diretor garantiu que 2012 será um bom ano.

– Será um ano de sucesso para a segurança pública. Recebemos viaturas, computadores e coletes balísticos novos, além da formatura dos 608 policiais, a maior da história da Polícia Civil – concluiu Silva.

____________________________________________________________________________ Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Polícia

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Procurado por um crime e preso por outro

Um caminhoneiro de 53 anos, procurado pela polícia por fotografar as partes íntimas de uma menina de quatro anos, em Tijucas, na Grande Florianópolis, acabou preso por outro crime: o estupro de uma criança. Um mandado de prisão preventiva estava em aberto contra ele por este estupro, ocorrido em Itajaí, no Litoral Norte. O homem foi detido na sexta-feira, num posto de combustíveis de Tijucas. Dois dias antes, o Conselho Tutelar da cidade procurou a delegacia para relatar o caso. O agressor teria atraído a atenção da menina enquanto ela brincava. A garotinha contou para os pais que o homem tinha tirado fotos dela. Um exame de corpo de delito feito na garotinha constatou que ela não foi estuprada.

 

Mãe chama polícia para entregar filho

Dona de casa ainda avisou que repetirá a atitude se ele “aprontar” de novoA autônoma Ana Paula Nunes Campo, 37 anos, não tem dúvidas: se o filho voltar a “aprontar”, chamará de novo a polícia para prendê-lo. E dá o recado a outras mães: “seria muito bom se todas fizessem isso”.

No domingo de manhã, a honestidade de Ana Paula teve peso tão grande quanto o coração de mãe. Surpresa ao ver o filho chegar em sua casa com sacolas cheias de joias e produtos eletrônicos, ela desconfiou e decidiu chamar a polícia.

Antes, o filho ainda perguntou a ela se o ajudaria a vender os objetos. Eram mais de 100 anéis, correntes, pulseiras, bonés de marca, carteiras, óculos, camisetas e cuecas. Havia ainda uma caixa de som, um notebook e um aparelho de DVD.

– Eu desconfiei, pois ele queria que eu vendesse as coisas. Sou uma cidadã, não adianta. Meu marido está desempregado, ele até pesca para a gente sobreviver – disse ontem Ana Paula, convicta de ter feito o certo.

A dona de casa mora numa casa simples de madeira, com os três filhos e o marido. Ela trabalhava como faxineira. Atualmente está desempregada. Ana Paula contou que o filho, de 21 anos, é usuário de maconha, não ouve os seus conselhos e também não quer ser internado.

O rapaz trabalhava como servente de pedreiro e não morava mais com ela. Há alguns dias, ligou dizendo que estava trabalhando na Pedra Branca, em Palhoça. Depois, sem o serviço, voltou para casa. Trouxe junto os objetos no ônibus e disse que queria dar as joias a uma ex-namorada.

 

Rapaz foi liberado por falta de provas

A mãe logo desconfiou que os produtos eram de origem ilícita e ligou para a Polícia Militar, que levou o filho preso. A mãe foi na delegacia e confirmou a história. Na Central de Polícia, o rapaz acabou liberado por falta de provas, pois afirmou que tinha comprado os objetos, mas não apresentou notas.

O delegado da 2ª DP, no Saco dos Limões, Jaime Martins, abriu inquérito e cuidará do caso. Para o delegado, que tem 40 anos de profissão, não é comum uma situação como esta, e o gesto de Ana Paula foi exemplar. Os objetos estão à espera dos donos na delegacia. As joias teriam sido furtadas de uma casa em Palhoça, segundo a polícia.

– Sou honesta, não adianta. Se ele aprontar eu vou e chamo a polícia de novo, ele sabe – avisou Ana Paula, enquanto o filho dormia em sua casa.

 

Pai invade creche e ameaça filha

Um homem de 23 anos invadiu uma creche, na manhã de ontem, no Bairro Menino Deus em Joaçaba, no Meio-Oeste catarinense. Armado com uma faca, ele ameaçou a filha de quatro anos.

A menina não ficou ferida porque uma professora e a diretora da creche intervieram. O homem foi preso em flagrante momentos depois do crime. A faca também foi apreendida.

Segundo o delegado Bruno Boaventura, o homem estava descontente com o fim do relacionamento com a mãe da menina, que tem 28 anos. Os dois foram casados por cinco anos e estavam separados há pouco tempo.

– O homem teria dito à menina que ia fazer algo que ela não gostaria – revela o delegado.

O suspeito foi encaminhado ao Presídio Regional de Joaçaba.