Área do associado

Área do associado

Clipping do dia 27 de setembro

27.9.2012

Clipping do dia 27 de setembro

MÍDIAS DE SANTA CATARINA

 

 

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Visor

Assuntos: Veículo na Deic

                   Bala de borracha

                   Delegado Cláudio Monteiro

 

PEIXE GRANDE – Semana passada, a mulher de Jacinto Baragatti foi até a Deic, no Bairro Estreito, visitar o marido detido a bordo deste Audi Q7, orçado em R$ 350 mil. Desconfiados, os policiais resolveram puxar o histórico do veículo. Descobriram que o carro tinha mais de R$ 70 mil em IPVA atrasados e o apreenderam. Ao rebocá-lo (foto), nova surpresa: os policiais descobriram que não pertencia à família Baragatti, mas ao advogado de defesa, um conhecido criminalista da Capital. Se não pagar as multas e impostos atrasados, vai a leilão.

 

BALAÇO DE BORRACHA

Teve alta do hospital o homem que estava internado desde sábado após ser atingido por uma bala de borracha disparada por um PM em Santo Amaro da Imperatriz. O tiro chegou a perfurar a parede do intestino. Outro jovem atingido na panturrilha também foi parar no hospital. O advogado de ambos registrou BO na Capital. A PM já abriu sindicância para investigar eventual abuso dos policiais.

 

O CARA

Nada como um dia depois do outro. Seja em Porto Belo, na apreensão de 200 quilos de maconha, ou em Palhoça, na prisão de um dos maiores traficantes de drogas do Estado e desmantelamento de uma quadrilha nacional, ontem só deu o delegado Cláudio Monteiro. E pensar que queriam o homem fora daqui.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Geral

Assunto: Família atropelada

 

Homem assume que dirigia o carro

Jacir Ribeiro de Souza colidiu em mãe e dois filhos numa calçada

O motorista que atropelou uma família no último domingo, no Bairro Ulysses Guimarães, em Joinville, se apresentou à polícia ontem. Jacir Ribeiro de Souza, 32 anos, prestou depoimento na Delegacia de Trânsito, às 7h30min. Abatido, ele deixou o local sem falar com a imprensa.

Em conversa com a reportagem, na tarde de ontem, o advogado de Jacir, Renato Araújo, sugeriu que algo aconteceu com o cliente instantes antes do atropelamento.

– Há fatos que vocês não sabem que estavam acontecendo antes do acidente – divagou.

Souza admitiu no depoimento que dirigia o carro no momento do atropelamento. Ainda de acordo com o advogado, o homem – casado e pai de dois filhos – não voltou para casa por temer por sua segurança.

– Estão tratando ele como se fosse um marginal, ele é um trabalhador.

Segundo o delegado Abel Mantovani Bovi, a previsão é de que o inquérito seja concluído nos próximos dias, assim que as perícias médicas, os laudos sobre as imagens das câmeras de segurança que flagraram o acidente e a perícia do veículo sejam finalizadas. O carro foi entregue à polícia na tarde de ontem.

A notícia da apresentação trouxe algum alento à família da diarista Naí Lopes Teixeira da Silva, que permanece internada, em estado grave, na UTI do Hospital São José, em Jaraguá do Sul. O marido dela não quis dar entrevistas, e limitou-se a dizer que espera “que o motorista que causou tanta tristeza arque com as consequências do que fez.”

A família se recupera aos poucos do trauma. Na segunda-feira, Natiane da Silva, 10 anos, recebeu alta e está em casa. Marcos, quatro anos, segue internado no Hospital Infantil, em Joinville, mas está fora de perigo.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Operação prende suspeito de liderar o tráfico em SC

 

 

 

Operação prende suspeito de liderar o tráfico em SC

Deic acredita que prisões em Santa Catarina e Paraná começam a desmantelar rede de entorpecentes

Mansão a cem metros da praia, piscina, apartamentos, sítios, carros importados, motos, jipes. A lista de bens milionários faria parte do mundo do crime dos alvos da Operação Pequeno Príncipe, presos por tráfico de drogas na manhã de ontem em Santa Catarina e Paraná.

Após um ano de investigação, a Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) crê que começou a desmantelar uma rede interestadual de tráfico de drogas – principalmente cocaína – que atua na Grande Florianópolis. Eles ostentavam um patrimônio que a polícia diz ser de atividades ilícitas.

À frente do bando estariam dois condenados por tráfico, que cumpriram pena, ganharam liberdade e voltaram a se envolver com o crime: Marcos Vieira Francisco, o Marquinhos, de Florianópolis, e Ruy Moraes Vieira, o Papito ou Gringo, de Foz do Iguaçu.

Os dois foram presos pela Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Deic, que os investigou em escutas telefônicas e monitoramento pessoal.

Marquinhos foi capturado, sem reagir, numa mansão de dois andares com piscina, câmeras de segurança e a cem metros da Praia do Sonho, em Palhoça, na Grande Florianópolis.Na casa, a polícia apreendeu dinheiro e dois carros Mitsubishi. Ele teria apartamento na Praia Brava e sítios.

O delegado Cláudio Monteiro batizou a operação de Pequeno Príncipe em alusão ao modo como ele vivia.

Papito foi preso em Foz do Iguaçu. O delegado afirma que ele é um dos principais fornecedores de cocaína a facções criminosas do país e de SC. Monteiro e agentes da DRE foram buscá-lo ontem à tarde no PR. Os detalhes serão revelados hoje.

Dez carros, armas, munição e dinheiro foram apreendidos. Seis presos estão na Deic. Um deles é o empresário Ernani Buss, dono de sítios e madeireira em Santo Amaro da Imperatriz. Ele teria negócios suspeitos com a quadrilha e também teve bens e dinheiro apreendidos. Outro preso, conhecido apenas como Telo, seria de São José.

 

Investigação leva a crime na Beira-Mar

A Operação Pequeno Príncipe poderá ajudar a desvendar o assassinato de Suelen Sabino Alves, 21 anos. Filha do traficante Paulo Cesar Alves, o Cesinha, ela levou sete tiros, dentro do carro, na Avenida Beira-Mar Norte, na Capital, em 1o de dezembro de 2011.

O DC apurou que a Deic conseguiu informações da morte em grampos nos telefones dos investigados. A suspeita do delegado Cláudio Monteiro é de que Marquinhos tenha ordenado o crime para tomar pontos de drogas que a jovem comandava desde 2009, quando o pai dela foi morto.

No monitoramento, a polícia gravou diálogos entre os criminosos a respeito do homicídio. Há conversas que mencionam o valor de R$ 160 mil, que a polícia investiga se foi usado para pagar os executores.

Marquinhos seria filho do traficante, já morto, conhecido como Joca ou Padeirinho, que antecedeu Cesinha no comando do tráfico no Pantanal. O grupo de Joca estaria, segundo a polícia, envolvido na morte do rival.

O inquérito da morte de Suelen foi arquivado pela Justiça em junho por falta de provas. A Delegacia de Homicídios encerrou o caso sem indiciar ninguém. A investigação foi marcada por recusas judiciais em pedidos feitos pelos policiais da Homicídios.

Agora, a Polícia Civil espera que o caso seja reaberto.

– Sabemos que o grupo de Marquinhos está por trás da morte de Suelen. As conversas grampeadas mostram isso. Agora é correr atrás dos atiradores – disse um policial da Deic.

 

O esquema, os envolvidos e os números

QUEM SÃO

MARCOS VIEIRA FRANCISCO

É do Bairro Pantanal, em Florianópolis. Herdou a vida no tráfico do pai, já falecido, que era conhecido como Joca e Padeirinho. Em fevereiro de 2003, foi preso pela Polícia Federal com 99 quilos de maconha na Capital. Condenado a seis anos de prisão, cumpriu pena e saiu.

RUY MORAES VIEIRA

Mora em Foz do Iguaçu. Condenado em 2007 a mais de oito anos por tráfico internacional de drogas no MS, onde foi apontado como grande traficante de drogas para vários estados. Sua especialidade seria batizar cocaína sob a forma de pasta-base. Cuidaria da logística do fornecimento para SC e dos contatos com o bando de Marquinhos.

CONTRAPONTOS

O que disseram as defesas de:

MARCOS VIEIRA FRANCISCO E

MAURICIO VIEIRA FRANCISCO

O advogado Marcos Aurélio de Mello disse que eles negam envolvimento com o tráfico de drogas e a morte de Suelen Sabino Alves. Afirmou que Marquinhos trabalha com comércio de carros e sítios na região e sua relação com o empresário Ernani Buss é apenas em razão dessas atividades lícitas.

Sobre a suspeita da polícia do envolvimento dele na morte de Suelen, o advogado disse que Marquinhos e sua família eram amigos da vítima, e que não procede a suspeita.

– Um dos irmãos do Marquinhos era padrinho da Suelen. Não tem nada a ver isso. Não havia briga entre as famílias como dizem – disse.

ERNANI BUSS

O advogado dele afirmou que não irá se manifestar sobre a prisão de seu cliente enquanto não tiver acesso ao preso e ao motivo da prisão. O defensor, que também não quis ter o nome divulgado na reportagem, afirmou que Buss é empresário, tem negócios da venda de sítios na região e, a princípio, desconhece qualquer ligação dele com o tráfico de drogas.

DEU NO DC

O assassinato de Suelen foi destaque na edição de 2 de dezembro de 2011.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Maconha em fundo falso

 

Maconha em fundo falso

A polícia apreendeu cerca de 200 quilos de maconha escondidos na carroceria de uma Caminhonete S-10 com placas de Biguaçu, na madrugada de ontem, em Porto Belo, no Litoral Norte.

Marcos Vargas de Moraes, 28 anos, de Ponta Porã (MS), e Fabiano Mendes, 40, morador do Bairro Forquilhinhas, em São José, que assumiu a posse da droga, foram presos.

Segundo a Deic, a droga vinha de Ponta Porã (MS) e saiu do Paraguai. Os presos são considerados mulas, como são chamados os transportadores da droga. A polícia procura o dono da carga, que foi identificado, mas ainda não localizado.

A apreensão foi resultado de investigação da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic). A polícia apreendeu a caminhonete no pedágio da BR-101, com apoio da Polícia Rodoviária Federal.

O veículo vinha de Foz do Iguaçu em cima de um guincho, pois havia estragado na metade da viagem. Os presos estão na Deic, na Capital.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Diário Catarinense

Editoria: Segurança

Assunto: Crimes e ocorrências

 

Adolescentes pegos com pedras de crack

A Polícia Militar apreendeu, na tarde de ontem, dois adolescentes por tráfico de drogas no Bairro Itoupavazinha, em Blumenau. Segundo a PM, os dois foram abordados pelos policiais durante rondas de rotina. Um tentou fugir, mas foi detido perto de um matagal. Eles tinham R$ 23, 13 pedras pequenas de crack prontas para a venda e uma de cinco gramas que renderia, segundo a PM, outros 20 pedaços do entorpecente.

 

Caixa é arrombado no Centro de Joinville

Um caixa eletrônico do banco Bradesco foi arrombado, na madrugada de ontem, ao lado do Shopping Mueller, no Centro de Joinville. Um funcionário responsável pela manutenção do caixa foi quem percebeu o crime. Os bandidos usaram uma chave de fenda para arrombar a parte de trás do caixa. A quantidade levada não foi informada pelo banco e nem pela Polícia Militar.

 

Polícia Civil prende suspeito de homicídio

A Divisão de Homicídios da Central de Polícia de Blumenau prendeu, ontem de manhã, Jaminiano José Marcolino, 25 anos, suspeito da morte de um homem no dia 24 de fevereiro deste ano. O crime ocorreu no Distrito do Garcia. Em depoimento ao delegado Bruno Effori, Marcolino disse que matou o homem por desentendimento envolvendo drogas. A vítima foi morta e teve o corpo incendiado, segundo a Polícia Civil.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Geral

Assunto: Bombeiros ganham cessão de uso de terreno da União para batalhão aéreo em Florianópolis

 

Bombeiros ganham cessão de uso de terreno da União para batalhão aéreo em Florianópolis

Durante a solenidade a parceria com Samu foi renovada e o projeto de lei que pretende ampliar o número de efetivos foi assinado por Colombo

No aniversário de 86 anos, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina recebeu dois “presentes”. Na solenidade que contou com a presença do governador Raimundo Colombo, secretários estaduais e bombeiros, foi anunciada a renovação da parceria com o Samu no trabalho do Arcanjo e a corporação recebeu da SPU (Secretaria do Patrimônio da União) a cessão de uso de um terreno no aterro da Baía Sul, no Saco dos Limões, para futuras instalações do BOA (Batalhão de Operações Aéreas).

O documento que autoriza o uso da área foi assinado pela superintendente da SPU, Isolde Espíndola. Segundo o comandante do BOA e piloto do Arcanjo, Edupércio Pratts, por enquanto será instalado apenas um heliponto no local. A área é uma AVL (Área Verde de Lazer) e, de acordo com o Plano Diretor atual do município, nenhuma construção é permitida no local. “Teremos mais um ponto para transbordo de vítimas e também para combustível. Vai atender especialmente as comunidades do Pantanal e da região central”, explicou Pratts.

Mas para 2013 a esperança é que o zoneamento da área seja alterado para ACI (Área Comunitária Institucional) com a provável mudança do Plano Diretor. Para a mesma região está previsto o Parque Viva Ciência, da UFSC. Se o zoneamento for alterado a intenção é construir uma sede própria do BOA, que hoje fica no Aeroporto Internacional Hercílio Luz, e realizar projetos sociais como o bombeiro comunitário e grupo de bombeiros escoteiros.

 

Lei pretende ampliar o número de efetivos

Durante a cerimônia, Raimundo Colombo assinou ainda um documento encaminhado à Assembleia Legislativa que pede urgência da aprovação do projeto de lei que fixa novo efetivo máximo do Corpo de Bombeiros, acrescentando mais 605 vagas. A nova lei permitirá a ascensão hierárquica de quem já faz parte da corporação e estabelecerá outros critérios de promoção na carreira, um incentivo aos militares. Em 2013, a previsão é que 274 novos soldados ingressem na corporação.

Para o comandante-geral do Cobom, coronel Marcos de Oliveira, foi o melhor presente que a corporação poderia receber na comemoração de aniversário. Ele ressaltou a diversidade dos trabalhos que a corporação tem desenvolvido ao longo dos anos e agradeceu o empenho da corporação em “salvar vidas e contribuir para comunidades mais seguras”.

 

Referência para a sociedade

O governador Raimundo Colombo garantiu que vai continuar colaborando para a abertura de novos concursos e destacou a excelência do trabalho dos bombeiros que, segundo ele, tem se tornado referência para toda a sociedade. “Este reforço de efetivo traz mais dinamismo para os bombeiros. Queremos continuar repondo e conseguiremos fazer isso com uma gestão mais eficiente e organizada”, disse.

O secretário estadual de Saúde, Dalmo Claro de Oliveira, assinou um termo de cooperação técnica que renova a parceria entre Samu e Corpo de Bombeiros até 2014. A intenção é potencializar o serviço e expandir a parceria entre as instituições que hoje faz atendimento avançado pré-hospitalar e em diversas ocorrências. Em dois anos e nove meses de operações e 1.300 horas de voo, o Arcanjo já atendeu 1.837 ocorrências. Destas, 1.633 foram de atendimentos diretos com pacientes. A maioria dos casos o em acidentes de trânsito seguido por transporte de emergência, patrulha e apoio à Defesa Civil.

_____________________________________________________________________________

Veículo: Notícias do Dia

Editoria: Hélio Costa

Assunto: Delegado Monteiro

 

 

Delegado Monteiro dá a volta por cima e prende o número 1 do tráfico em SC

Diretor da Deic, Akira Sato, manteve o “xerife” no combate ao narcotráfico e agora comemora o sucesso da Operação Pequeno Príncipe.

Volta por cima

“Vox Populi, vox  dei”, a expressão utilizada pelos gregos e romanos, simbolizando que a voz do povo é voz de deus, se encaixa perfeitamente na volta por cima do delegado Cláudio  Monteiro. Quando foi afastado da direção da Deic, houve uma reação imediata nas redes sociais pedindo a permanência do “xerife” no combate ao narcotráfico. Monteiro admitiu o erro administrativo, que lhe custou o cargo de confiança, mas teve o aval de seu substituto: Akira Sato. O novo diretor integrava a Força Nacional da Segurança Pública e era um dos nomes cotados para assumir a Secretaria Nacional de Segurança Pública, mas preferiu o convite de César Grubba para chefiar a Deic. Akira manteve Monteiro à frente da Divisão de Repressão a Entorpecente e hoje festeja com o “xerife” a prisão do número 1 do tráfico de drogas em Santa Catarina, Marquinho, que movimentava mais de meio milhão de reais por mês. _____________________________________________________________________________

Veículo: A Notícia

Editoria: Geral

Assunto: Operação Pequeno Príncipe

 

Três pessoas ainda são procuradas pela Deic na Operação Pequeno Príncipe

Presos em Foz do Iguaçu devem ser trazidos na sexta-feira ao Estado

Atualizada às 11h01min Diogo Vargas  |  diogo.vargas@diario.com.br

Pelo menos três pessoas ainda estão sendo procuradas pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) na Operação Pequeno Príncipe por envolvimento com o tráfico de drogas. Elas não tiveram os nomes divulgados. Dos 15 mandados de prisão decretados pela Justiça, 12 foram cumpridos.

Nesta quinta-feira, policiais da Deic viajam a Foz do Iguaçu (PR), na fronteira do Paraguai, para buscar o traficante Ruy Moraes Vieira, o Papito, e a sua mulher, Lilian Beatriz Benites Vasque. O casal foi preso na quarta-feira e ficará preso no sistema prisional catarinense, mas ainda não se sabe em qual prisão.

Ruy e Lilian deverão ser trazidos ao Estado de avião na sexta-feira. A chegada está prevista para o começo da noite. O delegado Cláudio Monteiro, que comandou a operação, e mais três agentes farão a remoção e a escolta dos presos.

Pela manhã, na Deic, o delegado deu detalhes sobre a ação da quadrilha, que seria chefiada por Marcos Vieira Francisco, o Marquinhos, preso em uma mansão na praia do Sonho, em Palhoça.

A polícia mostrou armas, drogas, munição, dinheiro, celulares e fotografias de imóveis caros dos envolvidos. Dez presos estão na carceragem da Deic. Eles não foram apresentados aos jornalistas, o que deverá acontecer na segunda-feira, após a chegada do casal preso em Foz do Iguaçu.

Por enquanto, a polícia informou que os crimes pelos quais eles deverão ser indiciados são tráfico e associação para o tráfico de drogas, porte ilegal de arma, lavagem de dinheiro, quadrilha e adulteração de sinais de veículos.

 

 

MÍDIAS DO BRASIL

 

 

 

Veículo: Portal G1

Editoria: Geral

Assunto: Cabo Bruno é morto a tiros um mês após sair da prisão em SP

 

 

Cabo Bruno é morto a tiros um mês após sair da prisão em SP

Pouco mais de um mês após deixar a prisão, o ex-policial militar Florisvaldo de Oliveira, 53, conhecido como Cabo Bruno, foi morto a tiros, na Chácara Galega, em Pindamonhangaba (145 km de São Paulo), no final da noite de quarta-feira (26).

O cabo Bruno retornava de um culto religioso e estacionou o Chevrolet Astra às 23h45 em frente a uma casa na rua Doutor Álvaro Leme Celidônio. Segundo a polícia civil, dois homens a pé se aproximaram, dispararam vários tiros e fugiram sem levar nada. A mulher do ex-policial e o genro, que ainda estavam dentro do carro, não foram atingidos pelos tiros.

Familiares de Bruno ligaram para o 190, para informar sobre o crime. Quando os policiais chegaram ao local encontraram o carro com várias marcas de tiros e o homem caído ao lado da porta do veículo.

 

Cabo Bruno

Cabo Bruno após ser beneficiado por lei que concede liberdade a condenados a mais de 20 anos que tenham bom comportamento

No local, foram encontrados ao menos 18 cápsulas deflagradas de pistolas calibres ponto 40 e 765, de acordo com a PM.

Segundo a polícia civil, muitos dos tiros foram disparados contra o rosto e o pescoço de Bruno, que morreu no local. O corpo do ex-policial foi levado ao IML (Instituto Médico Legal) de Pindamonhangaba.

O caso será registrado na delegacia de plantão da cidade. Nenhum suspeito foi preso.

 

HISTÓRICO

Cabo Bruno foi condenado na década de 1980 a 117 anos, quatro meses e três dias de prisão após ser acusado de comandar um grupo de extermínio na zona sul de São Paulo, contando com o apoio de comerciantes da região, que lhe pagavam para ter proteção.

Após ser preso em 1983, tentou fugir por três vezes, tendo sido recapturado pela última vez em 1991.

Durante o tempo em que esteve na cadeia, o ex-policial se tornou pastor. Lá, ajudou a construir uma capela e se casou com uma voluntária na evangelização dos presos. Bruno também passou a pintar telas e chegou a fazer exposições de suas obras.

Em 2009, a Justiça permitiu que ele cumprisse o restante da pena em regime semiaberto. No início de agosto, havia sido liberado por cinco dias para passar o Dia dos Pais com a família.

No último dia 23 de agosto, a Justiça concedeu indulto pleno por bom comportamento a Bruno, que cumpria pena na penitenciária Dr. José Augusto Salgado, em Tremembé (SP)